Deixei minha mulher sozinha na festa

Um conto erótico de Hero sexy
Categoria: Heterossexual
Contém 2051 palavras
Data: 01/03/2023 13:43:12
Última revisão: 10/03/2023 20:38:11

Deixei minha mulher sozinha na festa.

Ola,sou claus 46 anos casado a mais de 20 anos,tenho 12 de dote ,sou médico e Sou casado com ana uma linda mulher de 47 anos.

Nosso casamento não está muito bem,pois eu me tornei parcialmente brocha. Então em uma

certa noite, eu e minha esposa, Ana, fomos a uma festa na chacara de uma de suas amigas de trabalho. Eu não conhecia ninguém lá,já que este não era o grupo de amigos que fazíamos festas eram apenas os colegas de trabalho de Ana.

Devido ao meu trabalho, fui convocado para ir com urgência no hospital,isso foi pouco depois de chegarmos, fui mas iria voltar mais tarde quando eu me desocupasse. Eu disse a Ana para se divertir e que eu voltaria assim que pudesse, mas eu achava que voltaria logo,mas demorei 4 horas.

Ela parecia muito feliz e me disse para não me preocupar. Eu me senti triste por ter que embora, mas fiquei feliz por ela não ficar triste.

4 Horas se passaram antes que eu terminasse e pudesse voltar para a festa. Achei que iria faze-lá feliz por voltar,mas quando eu cheguei não havia quase ninguém. Não quiz ligar para não incomodar com uma ligação ou mensagem de texto que estava la. Quando olhei meu celular, percebi que ela estava havia mandado algumas fotos e percebi pelo seu semblante que ela estava muito bêbada.

Suas fotos eram tremidas quase ilegível, mais vi que havia ao seu redor alguns sedutores. O álcool torna Ana uma mulher sem controle,o álcool lhe torna droga afrodisíaca.

Depois que estacionei e caminhei até os fundos da casa onde rolava a festa,a procurei e não a encontrei,mas pude ouvir uma música ainda tocando no andar superior,a porta estava entreaberta e havia cerca de 8 a 10 pessoas ainda bebendo na beira da piscina. Eu não queria parecer ciumento perguntando onde Ana estava, então eu apenas comecei a procurar pelas peças da casa. Abri a porta,abri outra e assim fui procurando,era quartos,sala,cozinhas,banheiros,isso, no térreo. Logo reconheci uma de suas amigas do trabalho. Ela estava na cozinha pegando mais bebidas. Ela me notou e disse que Ana estava em algum lugar por ai.. suas palavras me inritaram e então sai novamente a procura.

Saí e olhei em volta, não querendo subir no segundo andar da casa. Agarrei a maçaneta do banheiro e ouvi um sussurro,eu,tem gente e estou fudendo,kkkk era Um cara. Eu podia ouvi-lo fudendo. Enquanto me afastava, também ouvir a voz de Ana, mas não sabia de onde. Olhei para trás e não vi nada.

Saí de casa para verificar se ela estava lá fora. Ao lado da porta dos fundos, havia uma janela de chão aberta. Entre e havia uma grade de ferro bloqueando,mas tinha como ver a parte interior da peça.

Foi quando avistei Ana,quando eu fui chama-la,vi que ela estava com um cara,era Julio seu colega.Eu podia ver Ana beijar o cara,e logo ela beijou seu pescoço. Senti uma raiva imensa e uma vontade de gritar pra ela.

Mas,deixei pra ver o que realmente iria rolar.Eu na quela hora me tornei um voyeur observando minha própria esposa com seu amigo em um quarto se beijando. Eu estava apavorado com o que estava vendo, mas secretamente esperando que ela deixasse continuar.

Eu estava sentindo que meu pau estava crescendo rapidamente,coisa que não havia acontecendo a muito tempo.

Eu Já havia falado com o cara,era julio. Eles fizeram um trabalho na nossa casa uns meses atrás.

Mas quero confessar: estou cheio de tesão...a atração me vivificou e obviamente será a maneira daqui pra frente. Eu ainda estava observando mas eles não saiam dos beijos...

Julio beijou seu pescoço e subiu em seu rosto, onde seus lábios se encontraram. Ela o empurrou ligeiramente dizendo que eles não podem. Ele perguntou por que e ela disse a ele que, se o fizessem, ela não seria capaz de se conter. Ele deu um grande sorriso, colocou as mãos nos quadris dela e a girou antes que ela pudesse impedi-lo. Ela estava de frente para o espelho do banheiro, enquanto ele agarrava e apalpava sua bunda por cima da saia. Julio então moveu as mãos até os seios dela. Eu vi Ana fechando os olhos. Eu não sabia o quanto ela queria que ele continuasse até que vi sua boca se abrir lentamente e sua língua descansar em seu lábio superior. Eu sabia que isso não era bom, porque era um sinal claro de Ana ficando excitada e atingindo um ponto sem volta.

Julio também deve ter reconhecido seus sinais de excitação, porque então ele puxou sua saia, apenas o suficiente para expor a parte inferior de suas nádegas. A mão dela empurrou contra a dele. Ela então guiou a mão dele para sua calcinha. Ele agarrou e ela puxou a mão dele para o lado, indicando claramente que ela queria que ele deslizasse sua calcinha para o lado. Pude ver que Ana estava super animada e extremamente molhada. Eu podia ver sua umidade escorrendo por suas pernas. Julio deixou seus dedos se moverem ao redor de seu clitóris e deslizar para dentro de sua boceta faminta. Enquanto ele os removia para explorar outras partes de seu corpo, ela os substituiu pelos seus, esfregando ferozmente seu clitóris.

Tive vontade de bater, mas optei por não bater também. Eu estava realmente começando a gostar da cena. Julio guiou sua mão livre para suas calças onde ela começou a agarrar a óbvia protuberância de seu pênis. Julio começou a abaixar as calças e quando seu pau soltou,era uma tora de uns 25 cm cabeça vermelha e o corpo branco cheio de veias,Observei a mão de Ana relutantemente tocar seu pênis ereto de 25 cm exposto. Seus olhos se abriram e se arregalaram e ela olhou para baixo, certificando-se de ver o que sentia. Quase instintivamente, Ana lambeu os lábios e imediatamente caiu de joelhos. Ela sabia que era maior que o meu e disse isso a ele. Ela olhou para ele com fome e medo, quase em estado de transe com um sorriso maligno.

Ana não conseguia colocar uma mão em torno dele completamente, então ela usou ambas e começou a acariciá-lo. Sua boca se abriu e ela tomou o máximo que pôde. A cabeça de julio rolou para trás quando ele disse a ela, "Eu imaginei seus lábios em volta do meu pau desde que te conheci." Ana babou para cima e para baixo em seu pau e absorveu o máximo que pôde. Ela iria engasgar contra isso, deixando muito exposto. Eu podia ver claramente o quanto era maior. Julio agarrou a nuca de Ana e começou a foder sua boca. Eu podia ouvir Ana engasgando com cada estocada. Meu estômago estava no limite, sabendo que isso nunca foi nada que ela gostasse que eu fizesse com ela, mas ela é claramente a vagabunda de Julio no momento. Cuspe e baba escorreram da boca de Ana e desceram por seu queixo até o chão.

Depois que Julio estava perto de gozar em sua garganta, Ana se levantou e se virou de costas para Julio e agarrou seu pênis, guiando-o para sua boceta ansiosa. Ana soltou um gemido quando lentamente entrou e a esticou. Ana começou a empurrar cada vez mais forte contra Julio, suas mãos escorregando de vez em quando da pia.

Enquanto eles fodiam forte, Julio parou e se posicionou no vaso sanitário. Ana sentou em cima dele e ele continuou a fude-la enquanto chupava seus mamilos. Ana estava apertando seus quadris contra ele, sua testa contra a dele e suas mãos em seus ombros. Ela começou a subir lentamente, e eu pensei que talvez eles tivessem terminado. Ana então deixou cair todo o seu peso de volta para baixo com força, batendo seu pênis profundamente nela. A cabeça de Ana foi jogada para trás e Julio teve que segurar a parte superior de seu corpo, enquanto suas costas arqueava Eu estava em choque. Ela continuou para cima e para baixo em seu pênis. Eu podia ver sua boceta segurando firmemente seu pau cada vez que ela subia.

Eu estava prestes a sair quando alguém que eu não conhecia saiu de casa e me viu. "Ei, curtindo o show? Julio está fodendo aquela garota Ana. Ela realmente queria isso dele a noite toda. Ela está andando com ele a maior parte da noite. Eu acho que ela é casada." Olhei para trás pela janela e Julio estava novamente atrás de Ana, fodendo-a com força agora. Seus gemidos se transformaram em gritos e ficou muito óbvio para todos na festa o que Julio estava fazendo com minha esposa. Julio finalmente pareceu desacelerar enquanto Ana gozava novamente. Ambos grunhir, pois era óbvio que ele gozou nela.

Ana então se afastou. Julio tentou beijá-la e ela se afastou. Ana lavou o rosto e saiu do banheiro. Essa foi a minha chamada para sair.

Saí e dei uma rápida volta no quarteirão até o meu carro e esperei sua ligação para saber se eu estava indo buscá-la. Esperei quase 30 minutos sem ligar. Resolvo voltar para a festa e procurá-la novamente. Ana não estava no banheiro ou na sala. Bati na porta de um quarto, apenas para ouvir alguém atrás de mim dizer: "Não entre aí, acho que eles estão fodendo de novo."

Abri um pouco a porta e vi Ana de novo, seminua e montada em Julio. Seus olhos estavam fechados, esfregando contra ele para frente e para trás. Uma de suas mãos estava em seu peito, a outra beliscando um de seus mamilos enquanto ela gemia. Ana então se virou, sem sair de cima do pau dele, e encarou os pés dele. Ela arqueou as costas quando Julio agarrou seus seios e beliscou seus mamilos eretos. Ana levantou-se mais alto dos quadris de Julio, de joelhos, e ele começou a empurrar seus quadris para cima e para baixo, usando a mola da cama para aumentar o impulso de suas estocadas nela. Cada estocada fazia um som alto de tapa, quase puxando seu pênis completamente para fora dela a cada vez. Eu ouço Ana gritar, "Foda-me, julio! Foda-me mais forte! Goze em mim! Não pare nunca de me foder!" Quando Ana fica especialmente animada, ela esguicha.

Julio então virou Ana de bruços, onde ela ficou de quatro. Enquanto Julio enfiava seu pau em Ana. Ela estava esguichando tanto em seu pênis, eu podia ver sua umidade pingando na cama. A cabeça de Ana estava enterrada no edredom, e suas costas arqueadas enquanto ela gritava o nome de Julio repetidamente. Ele tinha as mãos nos quadris dela puxando-os para os dele com cada estocada, tornando cada estocada muito mais difícil. Ana começou a resistir contra ele enquanto perdia o controle de seu corpo e era consumida pelo puro prazer. Seu pau grosso, a ferocidade de sua foda e o desejo animalesco entre eles misturados em uma mistura perfeita esta noite que não poderia ter sido interrompida, provavelmente mesmo se eu tivesse ficado ao lado dela na festa. Estava claro que eles estavam longe de terminar, então decidi sair antes de ser pego.

Eu dirigi para casa e fui para a cama. Acordei com Ana nua deitada ao meu lado. Perguntei a ela como foi a noite. Ela sorriu e disse que foi bem monótono e apenas ficou sentada conversando com colegas de trabalho. Não contei a ela o que vi, mas adorei vê-la satisfeita. Enquanto ela se aconchegava, eu podia sentir os sucos ainda escorrendo dela e descendo por suas pernas. Enquanto eu tocava e beijava seu corpo, seus mamilos duros e respiração pesada me mostraram que ela era facilmente excitada e queria que eu a fodesse. Eu fiquei ereto rapidamente e ela me perguntou se eu havia tomado o azulinho,disse que não e não tomaria mais,então a penetrei com mais facilidade do que nunca. Fizemos amor apaixonadamente. Ela disse que sua umidade extrema era devido à sua excitação por mim, mas eu sabia o porquê. Ao longo dos dias,eu e Ana transa vamos todos os dia e eu descobri que ela se encontrava com Julio todas as sextas ...

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 47 estrelas.
Incentive Herosexy a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.
Foto de perfil de HerosexyHerosexyContos: 34Seguidores: 119Seguindo: 8Mensagem Casado a 23 anos, hetero 100 %,nada curioso em sexo homo. Sou divertido, legal, apaixonado pela minha mulher. trabalho em serviços automotivos, não tenho preconceito.. Só SEM NOÇÃO. Tenho um corpo LEGAL, 1 metro e 80,86 quilos..e... hummmmm... 19 centímetros. faço sexo todos os dias.

Comentários

Foto de perfil genérica

Sensacional. Adorei demais. Tua gata é fantástica.

0 0
Este comentário não está disponível
Foto de perfil genérica

De modo.geral faz sentido o que vc falou mas existe um pequeno detalhe , Kent.

ELE GOSTA DISSO.

ELE SENTIU PRAZER NA ESPOSA SER DESLEAL COM ELE , E ATE FOMENTOU A SITUAÇÃO DEIXANDO ELA SOZINHA NO MEIO DOA GAVIÕES.

Viu ela fudendo, saiu , voltou viu novamente e foi pra casa .

E ouviu mentira dela e gostou .

Nesse caso óbvio que pode acabar mal pra ele , porém ele tem prazer nisso então vida que segue .

Ela finge ser fiel ele finge não saber que ela o traiu.

E assim vão vivendo felizes.

0 0
Foto de perfil de GTFreire

So que uma hora da problema. Nao seria interessante, ele abrir para ela q gosta? Do jeito que ela é, iria adorar

0 0
Foto de perfil genérica

Então talvez ele curta esse joguinho mesmo.

Tipo espionagem já já ele põe rastreador nela câmeras tudo pra ver sem ser visto.

Já vi caso de marido enganando a esposa , ela achando que foi pro motel sozinha com comedor mas o marido estava vendo tudo escondido no quarto .

Vai ver que é isso que ele gosta.

0 0
Foto de perfil genérica

Gostei muito do conto, Apesar de não me encaixar em tal situação, parabéns

0 1
Este comentário não está disponível
Foto de perfil de magnus

Conto muito bom, só tem um ""Foda-me, Matt!" perdido no terceiro parágrafo de baixo para cima. Mas você pode editar. Três estrelas.

0 1
Este comentário não está disponível
Foto de perfil de Velhaco

Kkkkkkk,o q dizer de um corno desses....o caramba quero dizer de um cara desses kkkkk, sem comentar claro da vadia q se diz esposa amorosa

4 0
Este comentário não está disponível

Listas em que este conto está presente