COLEGA DE QUARTO DA MAMÃE CAP 2

Um conto erótico de MELK
Categoria: Heterossexual
Contém 14026 palavras
Data: 19/02/2023 13:27:25

"Oh wooow, mãe!" Garrett choramingou enquanto observava as nádegas nuas e bronzeadas de Kristen baterem contra sua barriga.

A mãe nua fodeu sua boceta de volta para a dureza córnea do pau adolescente de Garrett enquanto eles faziam isso estilo cachorrinho no centro da cama.

O belo jovem de 18 anos assistiu com fascínio excitado enquanto a bunda quente e carnuda ondulava, batendo contra a barriga repetidamente. Sua ereção vienosa brilhava com os sucos de Kristen quando emergiu, sua boceta agarrando-se ao cutucão carnudo. Então rapidamente ele foi enterrado de novo... seu pênis macio afundando no aperto líquido e esponjoso quente da boceta experiente de Kristen.

Mais e mais esse processo repetido, os quadris curvilíneos de Kristen eram como uma máquina jogando sua bunda nua para trás, seus globos bronzeados batendo contra a virilha de seu filho.

Garrett olhou para cima para ver sua mãe espiando para ele, ofegante de prazer. "Se divertindo?" Ela perguntou.

"Oh inferno sim!"

Kristen sorriu maliciosamente. "Eu também. Se você agarrar meus quadris e empurrar você vai me mandar para as estrelas."

Garrett agarra os quadris macios e cambaleantes de sua mãe e começa a enfiar seu pênis profundamente com rápidas estocadas. Seus pães tremeram quando suas carnes colidiram.

A língua de Garrett pendia para fora da boca enquanto ele olhava avidamente para a parte de trás dos seios pendurados de Kristen e para o jeito que eles balançavam descontroladamente.

Kristen jogou a cabeça para trás, jogando seu cabelo escuro ao redor. Seus olhos se arregalaram e rolaram para trás, seu rosto se contorcendo de prazer. "Ohhh querida, foda-me com força!"

Enquanto Garrett fodia com tudo o que tinha, ele sentiu a boceta de Kristen apertar em torno de seu dong deslizante. A mãe de seios grandes deixou cair a cabeça no travesseiro, o que abafou seu guincho orgástico.

"Ohhh merda!" O adolescente choramingou, anunciando sua própria porra.

Garrett caiu de volta aos tornozelos, mas Kristen se levantou e o seguiu de volta, quicando em seu colo.

A ponta do pênis do adolescente jorrou uma enorme explosão de esperma quente que rodou com a explosão fervente de suco feminino que Kristen esguichou ao longo de seu cilindro duro.

"Hhhhnnggfff!" Garrett gemeu quando sentiu o amor líquido quente de sua mãe em cascata em suas bolas.

O casal de prazer caiu de costas na cama e Garrett jogou os braços ao redor de Kristen, agarrando um punhado de tetas enquanto ela continuava a trabalhar sua boceta em seu pau. "Ohhhnngghh merda!" ela gritou.

Era um lugar e tanto... uma mãe de meia-idade deitada de cabeça para baixo contra o peito de seu filho, arqueando as costas enquanto alimentava sua boceta vomitando até a base do pênis de seu filho repetidamente.

O adolescente sortudo choramingou enquanto enviava grandes tiras de coragem espirrando ao longo do tubo quente e espremedor de carne rosada da boceta. Kristen estava mostrando sua experiência, balançando os quadris e usando seus fortes músculos da boceta para ordenhar o órgão de seu filho. Todo o tempo, seu próprio orgasmo fez seu corpo tremer e sua boceta ondulou e expeliu seus sucos quentes ao redor do duro tesão.

Doug estava lendo na mesa da cozinha quando ouviu a porta da frente fechar. Cassie saiu correndo da sala. "VÓMAAA!"

"Olá, meu anjinho." Doloris disse, dando um beijo no jovem.

Doug dirigiu-se para a sala da frente. "Ela acabou de tomar café da manhã."

"Maravilhoso! Por que você não corre para o carro com seu avô? Ele vai ficar tããão feliz em te ver." Doloris disse a Cassie.

A garotinha desapareceu e Doloris olhou para o corredor. "Acho que os dois novos colegas de quarto ainda estão na cama?"

"Sim... hum... ainda não os vi."

Doloris sorriu. "Bem... eles devem ter ficado acordados até tarde fazendo sabe-se lá o quê."

"Fofo, Doloris... muita imaginação." Doug fez uma careta.

"Ah, você está errado aí, querida... Estou indo apenas com o que minha filha me diz. Você deveria tê-la ouvido na outra manhã... como uma garota que encontrou seu verdadeiro amor novamente."

"Amor verdadeiro... isso é engraçado."

"Oh Dougie... não há nada de errado em admitir a derrota, querida. Minha Kristen é uma mulher sexual... assim como a mãe dela. Como uma mulher como essa deveria ficar verdadeiramente satisfeita com um homem que... bem, não pode mesmo levantar." Doloris riu.

"Engraçado, desde quando a minha vida sexual e a de Kristen se tornaram da sua conta?"

"Em primeiro lugar, querida... você não tem vida sexual... ela deixou isso MUITO claro... e segundo, quando se trata da felicidade da minha filha... goste ou não, EU VOU expressar minha opinião."

"E sua opinião é o que exatamente, Doloris." perguntou Doug.

"Bem, é bastante óbvio, não é? Ela e Garrett estão se apaixonando."

"Isso é ridículo." exclamou Doug.

"É? Eles estão compartilhando um colchão antes mesmo de você chegar em casa do hospital. Ela me disse que tem passado cada momento acordado com Garrett, como se ela não pudesse ter o suficiente dele."

"Ele é nosso filho, Doloris."

"Sim... mas até mães e filhos se apaixonam às vezes." Doloris disse enquanto olhava para o corredor.

Doug se virou e se juntou ao olhar fixo na porta de Kristen e Grarrett.

"Faz você se perguntar o que poderia estar acontecendo atrás daquela porta trancada. A ideia te excita... não é? Ou assim me disseram." Deloris disse.

Doug ficou sentado, furioso, enquanto Doloris caminhava em direção à porta da frente, suas nádegas cheias de matrona balançando sob a saia. "Diga a Kristen que teremos o pequeno de volta antes das seis"

Antes de sair, Doloris olhou para Doug e riu lamentavelmente.

Doug rodou pelo corredor, parando no quarto de Garrett e Kristen. Ele gentilmente tentou a maçaneta, mas a encontrou trancada. Ele ouviu atentamente qualquer ruído vindo de dentro, mas não ouviu nada.

Meia hora depois, Doug estava de volta à mesa da cozinha lendo o jornal quando Kristen entrou vestindo apenas um roupão curto de seda.

"Bom dia!"

"Seus pais já estiveram aqui... para pegar Cassie."

"Ah que bom. Coitada... era tudo o que ela conseguia falar ontem à noite... passar o dia com a vovó e o vovô."

"Então... eu estava pensando que talvez pudéssemos ir a algumas lojas hoje... talvez almoçar?" disse Doug.

"Oh querida, eu gostaria, mas eu já prometi a Garrett que passaria o dia na praia com ele."

"Bem, ótimo... estou pronto para a praia."

Kristen riu. "Oh Doug, não seja bobo. Isso é tudo que precisamos é aquela cadeira de rodas tombando na areia."

"Bem, eu vou ficar perto do calçadão então."

Kristen parecia um pouco perturbada. "Tudo bem... mas Garrett e eu estamos deitados perto da água. Eu não vou para a praia, então posso ficar no calçadão."

Kristen entrou no quarto enquanto Garrett estava vestindo seu calção. "Pronta para os quatro S's de hoje, mãe?"

"Que são?"

Garret sorriu. "Surf, areia, sol e sexo."

"Claro, mas seu pai vai", ela respondeu desapontada.

"Ohh... tanto para o sexo."

Kristen deixou o roupão escorregar de seu corpo. Ela pisou em suas gavetas completamente nua. "Nem diga isso. Nós estamos fazendo sexo na praia hoje... Eu não me importo o quão sorrateiros nós temos que ser."

Garrett olhou para a porta, então para Kristen com surpresa. "Mãe... a porta está aberta."

"Ha... bem."

"Você não quer que o papai te veja assim... na minha frente."

Kristen riu quando se aproximou de seu filho e colocou os braços em volta do pescoço dele. "O que, não é como se eu estivesse segurando você... com meus peitos grandes esmagados contra o seu peito", disse ela, esmagando seus seios nus contra o peito do adolescente.

Kristen começou a dar beijos sensuais em seu filho. "Não é como se estivéssemos namorando ou algo assim," ela murmurou entre beijos.

Antes que Garrett pudesse responder, a língua de sua mãe estava em sua boca, lutando com a dele. O adolescente olhou nervosamente para a porta aberta.

Antes que ele percebesse, Kristen puxou-se para cima dele, envolvendo suas fortes pernas bronzeadas ao redor de sua cintura. Ele instintivamente agarrou suas coxas macias, segurando-a.

"Não é como se eu estivesse aqui com você entre minhas coxas, sussurrando coisas perversas como eu quero que você me jogue na cama e me foda o dia todo."

"Ohh Jesus, mãe!"

De repente, eles ouviram a voz de Doug no corredor. "Kristen, você está aí embaixo?"

"Ah Merda!" Garrett murmurou.

"Tire seus calções e fique nu." Kristen sussurrou entre beijos.

"Mãe, você está louca?"

"Querida, se apresse... tire-as."

Garrett tirou a bermuda. Seu pênis estava duro como pedra e estava preso entre suas barrigas.

A voz de Doug estava mais perto... perto da porta. "Kristen?"

A dona de casa nua apertou sua bolsa, sufocando seu corpo quente e curvilíneo contra seu adolescente. "Leve-me para a nossa caverna."

Garrett carregou sua mãe para o armário assim que Doug entrou na porta do quarto. "Vocês estão aqui?"

Enquanto Garrett carregava sua mãe para o fundo da caverna masculina, Kristen sussurrou em seu ouvido. "Responda. Não estou aqui."

"Só eu, pai. Estou uhhh... me preparando."

"Ah ok... onde está sua mãe?" perguntou Doug.

Garrett sentiu Kristen agarrar sua ereção e dar algumas carícias lentas e delicadas. "Me prenda contra a parede," ela sussurrou.

"Umm... não tenho muita certeza." Garrett respondeu a Doug.

Garrett sentiu sua mãe alimentar seu pau em seu sulco cremoso. Kristen soltou e suspirou ao senti-lo afundar até o colo do útero.

"Ok... bem, quando você a vir... diga a ela que a van deve estar aqui em cerca de quinze minutos. Vou me preparar."

Garrett mal podia responder quando sentiu o colapso da boceta quente em torno de seu pau latejante. "Diga a ele para vir aqui." Kristen sussurrou.

"O quê? Mãe, você está louca?!"

"Apenas faça... ele não pode nos ver."

Garrett levantou a voz novamente. "Ei, pai... você pode vir aqui um segundo."

Doug rodou até a porta do armário, mas entre a escuridão e a cortina de seda ele não conseguia ver muita coisa.

"Está escuro como breu lá... quer um pouco de luz?" Doug disse, estendendo a mão para o interruptor.

Não, não... não acenda a luz. Estou uhhh... me vestindo."

Kristen agarrou a bunda de seu filho com suas longas unhas, colocando os quadris de Garrett em movimento. "Foda-me", ela sussurrou, olhando para a silhueta de seu marido na porta.

"Então, o que você precisa?" perguntou Doug.

"Bem... umm... meus calções estão aí?"

"Sim, eles estão bem aqui no chão."

Garrett suspirou quando sentiu seu pênis deslizar pelo canal de parto de Kristen. A sensação de estar presa nas garras de seu corpo quente e gostoso era absolutamente eufórica. "Ok... hum... você poderia jogá-los aqui?"

Doug os pegou e jogou no armário escuro.

"Como você pode ver o que está fazendo aí dentro?"

Garrett afundou os dedos na bunda macia de sua mãe. "Eu só estou meio... tateando meu caminho."

Kristen riu baixinho.

"Cuidado com o que você toca, você pode acabar enterrado nas coisas de sua mãe." disse Doug.

Garrett enfiou seu pênis todo para dentro e o flexionou, fazendo o corpo de Kristen tremer. "Verdade, pai... enterrado bem fundo."

Doug começou a se afastar. "Bem, é melhor eu me preparar para ir. A van estará aqui em breve."

"Siga-o." Kristen sussurrou, agarrando-se com força.

Garrett carregou sua mãe para o quarto, seus órgãos genitais ainda rangendo juntos. "Foda-me no corredor... do lado de fora da porta dele."

"Jesus, mãe... você tem certeza?"

"Sim, vamos, vai ser divertido."

Doug foi até a cômoda e tirou algumas peças de roupa.

Ele ouviu um baque surdo no corredor e olhou para a porta aberta. "Kristen, é você?

Ao virar da esquina, Garrett estava pregando Kristen contra a parede. Seu corpo curvilíneo bronzeado agarrado ao adolescente, seus pezinhos descalços bonitos tamborilando contra sua bunda magra e corcunda.

"Sim, querida... só pegando algumas toalhas para a praia." Kristen respondeu.

"Oh bom... você poderia me ajudar com algumas coisas?"

A respiração de Kristen estremeceu enquanto ela segurava a cabeça de seu filho contra seu ombro, penteando com as unhas seu cabelo enquanto ele fodia com tudo o que tinha. "Esteja lá assim que puder, Doug. Vou ficar retido por mais um pouco."

Garrett gemeu ao sentir a pressão escorregadia das paredes da boceta de Kristen envolvendo seu pênis. Seus seios enormes balançavam e chapinhavam, esmagados contra o peito de seu filho.

"Mais forte... MAIS FORTE!" Kristen gritou quando começou a empurrar ritmicamente sua boceta ardente no pau do jovem garanhão.

"O que foi, querida?" Doug gritou.

"Eu estava conversando com Garrett... ele disse que perdeu o um... telefone e eu disse a ele para procurar com mais atenção."

A luxúria estava aumentando através do exuberante corpo nu de Kristen, seu grande clitóris pulsando cada vez que o grande pau de seu filho deslizava sobre ele.

Ofegante no ombro de sua mãe, Garrett alargou sua boceta com estocadas longas e rápidas. A boceta agarrada gorgolejou seu suco quente ao redor de seu pau enquanto se agarrava à vara de espetar.

De repente, os olhos de Kristen se iluminaram. "DOUG... EU SOU CUUUMMMINGG!"

"OK... obrigada querida." Doug respondeu.

Uma fonte de esperma subiu das bolas de Garrett e o adolescente choramingou enquanto longos fluxos de esperma jorravam na boceta encharcada de Kristen. Seus corpos estremeceram e tremeram... foi um orgasmo muito longo, duro e emocionante para ambos.

Quando os espasmos finalmente diminuíram, ela riu maliciosamente e puxou a cabeça dele para um longo beijo de chupar a língua.

"Oh meu Deus, isso foi divertido." Kristen suspirou.

"Divertido e perigoso." Garrett sussurrou.

Kristen riu. "Torna tudo ainda mais emocionante. Agora me coloque no chão para que eu possa vestir alguma coisa e ver o que seu pai precisa. Eu disse a ele que estava vindo, lembra?"

Pouco tempo depois, Kristen e Garrett seguiram a van deficiente no SUV de Kristen.

Garrett estava ao volante e olhou para sua mãe. "Então... você já pensou que você e papai vão fazer sexo de novo?"

"Talvez. É difícil dizer. Mesmo se o fizermos... Acho que vai demorar um pouco até que ele seja capaz de me dar o que preciso. No momento, seu pai nem consegue uma ereção."

"Droga, isso seria péssimo!" disse Garrett.

"Sim... especialmente para a esposa dele. Estou no auge sexual. A última coisa que preciso na minha vida é um marido de pau mole."

"Cara, tudo que eu tenho que fazer é olhar para uma garota bonita e levantá-la." Garrett deu uma risadinha.

"E nós, garotas bonitas, adoramos caras que conseguem levantar. Nada faz nossos corações palpitarem e nossas bocetas pulsarem mais do que um pau longo e duro como pedra."

"Bem, eu tive muitas ereções aqui ultimamente... isso é certo."

Kristen olhou para sua virilha e umedeceu os lábios. "Eu amo suas ereções. Seu eixo é tão forte e robusto... e aquela grande e suculenta ponta em forma de sino... mmmm gostoso! A deficiência de seu pai tem sido frustrante para mim. É bom saber que tenho um pau jovem duro por perto para me tire de tudo isso."

"Nossa, mãe... Estou ficando duro só de pensar nos últimos dias."

"Oh querida, os últimos dias foram apenas a ponta do iceberg. Você não acreditaria nas coisas emocionantes que planejei para você e para mim." Kristen explicou.

Garrett olhou para o caroço rígido que se projetava de seu calção. "Ótimo... obrigado, mãe. Mais uma vez... outro tesão."

Kristen estendeu a mão e esfregou-o entre os dedos. "Ohh pobre bebê, você precisa que a mamãe chupe enquanto você dirige?"

Garrett suspirou animadamente e olhou para ver Kristen olhando avidamente para ele. "Você quer que a mamãe chupe até o orgasmo?"

Antes que ele pudesse responder, sua mãe caiu de joelhos e inclinou-se sobre o console central, pescando o rígido bico do calção de banho de seu menino. A sexy dona de casa se inclinou sobre sua virilha e olhou para a cabeça do galo e o longo cilindro de carne de galo. "Oh Deus, eu amo seu pau."

Ela segurou as bolas dele na mão e apertou suavemente, como se estivesse pesando o que elas continham. "Passei a noite drenando essas bolas e olha só... já cheias."

Sua mão deslizou para cima e envolveu a raiz de seu pênis. Ela o apertou em seu punho minúsculo, sentindo sua rigidez espessa. "Mmm... meu amorzinho está latejando."

Franzindo os lábios, Kristen soprou um hálito quente sobre a cabeça brilhante do pênis de Garrett. O adolescente estremeceu quando o prazer pulsou por seu corpo atlético. Outra respiração fumegava entre seus lábios e ondulou a ponta do pênis se contorcendo. Um filete de esperma escorria de sua fenda mijana e escorria por seu pau. "Oouuhhh alguém está gostando disso." Kristin riu.

Garrett olhou para baixo para ver sua mãe inclinar sua ereção para trás e lamber suas bolas. Sua língua era longa e experiente, não dilatando descontroladamente ao redor de cada testículo, golpeando-os com a ponta da língua.

Ela chupou um em sua boca, lambendo sua parte inferior com avidez. Ele saiu de seus lábios e ela colocou o outro dentro de sua boca. Garrett choramingou quando sentiu a língua dela contra a noz tenra.

Kristen passou sua língua achatada ao longo de seu pênis em um longo golpe de sorver, então flutter beijou a parte de baixo de seu botão de pênis amorosamente.

Os quadris de Garrett cederam. "Ohhh merda, mãe!"

"Cuidado, querida... não tire o carro da estrada." Kristen riu.

Ela beijou ao redor da cabeça de seu pau, então agitou a ponta da língua contra o freio.

"Ohhh uau, isso é tão bom!"

"Bem, querida, isso é apenas uma provocação. Eu nunca comecei a chupar seu pau ainda." Kristen disse.

"Por favor?" Garret suspirou.

"Você está pronto para eu chupar, amor?"

"Sim."

Kristen esfregou a bochecha contra a ereção, como um gato arranhando um poste. "Você está pronto para eu mamar nessa tesão enquanto você fode minha boca como uma boceta?!"

"Ohhh droga." Garret murmurou, empurrando seu pau ao longo do rosto de sua mãe.

Kristen agarrou o pau pela raiz e passou sua forte língua rosada ao redor da cabeça. Ela deslizou a ponta latejante em sua boca e mamou na fenda com vazamento. Garrett instintivamente inclinou seus quadris, tentando alimentar mais pau em sua boca quente.

A cabeça de Kristen começou a balançar para cima e para baixo, colocando mais pau em sua boca. Seus longos cabelos castanhos se espalharam como uma cortina em seu colo enquanto seus lábios afundavam cada vez mais em seu eixo.

"Unghhhh," ela engasgou quando seu pênis obstruiu sua garganta.

Seus lábios subiram até a ponta e sua língua deslizou ao redor da maçaneta, torcendo-se molhada em torno de sua superfície. A ponta do pau rosa foi golpeada com uma série de lambidas rápidas antes de ser sugada de volta para sua boca quente.

A cabeça de Kristen balançou e seus lábios puxaram a carne enquanto ela deslizava ao longo de sua língua.

Seus lábios afundaram direto em seu escroto e Garrett sentiu sua carne afundar na garganta de sua mãe. "Hhmnnnggghhhffff!" A boca de Kristen gorgolejou enquanto ela engessava os lábios ao máximo.

Garrett gemeu e colocou a mão atrás da cabeça de sua mãe, segurando-a no lugar, empanturrado em seu pênis. Por dez longos segundos a mãe amorosa deixou a ereção de seu filho embeber em sua garganta. Pouco antes de subir para respirar, ela sentiu a cabeça do pênis se expandir.

"Ohhhh merda!" Garrett tremeu.

Kristen respirou ofegante, mas antes que pudesse engolir novamente, uma grande corda leitosa de coragem espirrou contra seus lábios. " Sim..CUM, querida!

Em um piscar de olhos, ela engoliu o tesão pulsante, abaixando seus lábios deliciosos até o cabo sem pêlos do pau cuspidor de esperma de seu filho. "HHHNNGGNNFFFNNGG!" A garganta de Kristen gorgolejou enquanto engolia duas rajadas quentes de esperma.

Ela desenhou seus lábios em seu pênis e outro jorro pegajoso deslizou por sua língua.

Kristen chupou e engoliu, choramingando avidamente enquanto puxava o sêmen de suas bolas. Sua língua flutuou por um mar de jism quente enquanto a coragem redemoinhava por sua boca e descia por sua garganta.

Era tudo o que Garrett podia fazer para manter o carro na estrada enquanto o intenso prazer vibrava em seu pênis. "Ohhhh ssssmerda!"

Quando os jorros de esperma pararam, Kristen envolveu a base da ereção com a mão e bombeou para cima e para baixo, certificando-se de que ela ordenhava cada gota. Seu filho estremeceu enquanto ela girava sua língua forte ao redor do vidro sensível.

Finalmente, a mãe com fome de pau levantou os lábios do pau e ele saiu de sua boca como a rolha de uma garrafa.

"Jesusss, mãe!" Garret suspirou.

Kristen lambeu os lábios. "Mmm, isso foi gostoso, mas estou com tesão pra caralho agora", disse ela, deslizando a mão por baixo da saia e esfregando sua boceta.

Kristin olhou para o lado da estrada. "Eu preciso de você! Pare no acostamento."

"Mãe, você tem certeza... aqui?"

Kristen passou os dedos pelas grossas dobras cremosas de sua boceta. Seu clitóris se projetava como um toco em um pântano e ela esfregou de volta e por toda a protuberância de borracha. "Siiim... apenas tire!"

A rampa da van para deficientes baixou Doug até o chão.

"Uau... como ter sua própria limusine hein?" Misty disse enquanto caminhava do outro lado do estacionamento.

"Oi Mana."

"É bom ver você por aí, irmão mais velho." Misty disse alegremente.

Doug examinou o lote. "Obrigado. Gostaria de saber o que aconteceu com Kristen e Garrett... eles estavam bem atrás de nós alguns minutos atrás."

Misty sorriu conscientemente. "Talvez eles pararam para abastecer ou algo assim. Tenho certeza que eles virão."

No banco de trás do SUV de Kristen, a bunda bem tonificada de Garrett subia e descia entre as coxas bronzeadas de sua mãe. Ambos estavam nus apenas da cintura para baixo e pareciam animais famintos enquanto seus corpos batiam juntos.

A mãe curvilínea tinha os braços cruzados sob os do filho, segurando-se desesperadamente em seus ombros enquanto sentia o poder de suas estocadas. "Ohhh baby, foda-me o mais forte que puder!!"

Garrett deu golpes selvagens, fazendo todo o seu corpo curvilíneo tremer e vibrar. Seu pênis apareceu, brilhando com sucos, então afundou até o cabo, suas bolas fazendo um tapa molhado contra os globos da bunda dela mais e mais.

"PORRA!" Kristen gritou, em um lindo grito de mamãe. "Porra -- porra -- porra!"

Seu buraco de foda o agarrou firmemente no nado de costas, de modo que ele teve que puxar para trás com força contra a sucção de sua boceta. Os músculos de sua boceta começaram a ondular.

Os anéis internos se contraíram em uma série de círculos, subindo por seu pau da raiz até o botão, como se ela o estivesse enlouquecendo dentro de sua caixa de foda.

"Uuhhh wooow, mãe!" Foi tudo o que o adolescente conseguiu murmurar enquanto o prazer crescia em seu corpo transado.

Curvada aberta em torno de seu filho, suas pernas sedosas suspensas no ar, joelhos apoiados para trás. Seus lindos pezinhos bronzeados descalços com as unhas dos pés pintadas de vermelho cerrados e flexionados pelo delicioso prazer que ela estava recebendo.

As costas de Kristen de repente se arquearam no assento do carro, sua cabeça virando para o lado. "EU ESTOU GOZANDO! OHH DEUS, ESTOU GOZANDO FORTE! OHH PORRA GARRETT!!"

O pênis de Garrett agora era apenas um borrão viscoso enquanto martelava para dentro e para fora. Tendo gozado com tanta força em seu boquete, ele sabia que seria capaz de foder sua mãe direto durante o orgasmo.

A boceta de Kristen apertou seu aperto e esguichou três rajadas quentes de esperma líquido contra a dura carne do eixo.

Garrett a ouviu emitir um grunhido primitivo e enquanto sua carne quente tremia ao seu redor, ele sabia que a estava levando para o paraíso.

Assim que Kristen desceu desde o início, outro estrondo estrondoso sacudiu seu corpo maduro. "OHHHNNGOD DE NOVO!!"

Desta vez, a mãe confusa agarrou seu filho com tanta força que Garret mal conseguia se mover. Suas pernas deslizaram para baixo, mas permaneceram travadas em torno de seu corpo como uma dureza carnuda. Ela puxou sua boceta para cima e empurrou para baixo, fodendo em duas ou três polegadas de eixo peniano.

Com o rosto no pescoço dela, o jovem adolescente sentiu como se estivesse envolto em carne quente e sufocante enquanto Kristen se fodia em seu corpo jovem, usando-o para deixá-la excitada.

Seu pênis pulsava e vibrava no aperto de esponja molhada da boceta de Kristen. O botão do pênis adolescente mergulhou na boca cremosa de seu colo do útero, que parecia uma língua pegajosa em sua glande.

O corpo de Kristen tremeu e o sêmen pulsou contra o órgão rígido de Garrett, lavando-o com mais creme.

"Ggggnnnaaahhhh!!" Kristen gritou, o que agiu como um gatilho nas bolas de Garrett.

Enfiado na fenda de sua bunda, Kristen sentiu seu escroto apertar.

Um enorme gêiser de coragem quente irrompeu de sua fenda, encharcando o colo do útero de Kristen.

"Oooohhhhhh!" Garrett gemeu enquanto sua mãe trabalhava seu dong pulsante com seus experientes músculos de boceta.

Ela podia sentir seu pênis estremecer e flexionar enquanto disparava enormes fitas de sexo, misturando seus sucos orgásmicos em uma espuma quente e cremosa ao redor da carne rígida.

Ainda se contorcendo freneticamente, sua respiração ficou quieta e tanto a mãe quanto o filho prenderam a respiração quando seus corpos foram atingidos com força. Nenhum dos dois respirou pelo que pareceu uma eternidade, pois apenas seus corpos se sacudiam e tremiam, como se o orgasmo passasse entre eles.

Por fim, os dois sibilaram e lutaram para recuperar o fôlego.

Eles ficaram ali em um monte de carne como se seus corpos estivessem se derretendo.

"Deus, isso foi incrível!" Kristen disse.

"Você pode dizer isso de novo."

"Garrett..." Kristen disse, chamando sua atenção.

Descansando em seus cotovelos, Garrett olhou para baixo para ver Kristen olhando para ele sonhadoramente. Seu cabelo estava despenteado, mas sexy. Seus grandes olhos castanhos brilharam. "Eu estou apaixonado por você."

"Eu também estou apaixonado por você."

Kristen sorriu timidamente. "Eu sei que isso vai soar cruel, mas eu gostaria que seu pai nunca tivesse voltado para casa."

"Por que?"

"Depois que ele saiu, comecei a sentir uma atração nada maternal por você e percebi que você sentia o mesmo por mim. Mesmo que nunca tenhamos conversado sobre isso... ou agido de acordo com esses sentimentos... foi uma experiência muito mágica. dois meses depois que seu pai foi embora." Kristen disse.

"Sim, foi."

Kristen sorriu maliciosamente. "De quais partes você se lembra mais?"

"Foi alguns dias depois que papai foi embora... estávamos à mesa jantando..."

"Eu me lembro. Foi quando nossos olhos se encontraram do outro lado da mesa... e você se lembra do que aconteceu?" Kristen perguntou.

"Nós apenas continuamos olhando um para o outro." Garrett respondeu.

"Sim... eu acho que as sementes do amor estavam sendo plantadas naquele momento."

"E quem poderia esquecer a noite seguinte... quando levamos Misty ao desfile." Garrett disse com um grande sorriso.

"Ei, estava frio naquela noite e a idiota aqui esqueceu a jaqueta."

"Então você decidiu entrar na minha jaqueta comigo." Garrett disse com um sorriso.

Kristen sorriu travessa. "Esse casaco era grande o suficiente para dois... além disso, eu não ouvi você reclamando na hora."

"Uhhh de jeito nenhum!"

"E por que isso... foi porque estávamos abraçados dentro daquele casaco por meia hora e esses seios grandes estavam esmagados contra o seu peito?" Kristen perguntou.

"Nunca percebi." Garrett brincou.

"Sim, certo, eu podia sentir aquela ereção contra mim o tempo todo. Eu podia sentir pulsar quando você começou a passar creme no seu jeans."

Garrett corou um pouco. "Isso foi embaraçoso."

"Por que... você estava fazendo o que era natural. Você se lembra do que eu disse a você enquanto estava acontecendo?"

"É... você me abraçou ainda mais forte e sussurrou no meu ouvido que estava tudo bem." disse Garrett.

"Foi mais do que ok... foi maravilhoso. Estávamos nos apaixonando até então... e eu estava fazendo você gozar pela primeira vez." Kristen disse com um sorriso caloroso e amoroso.

"Bem, eu vim várias vezes depois disso... pensando naquela noite... e naquela certa tarde depois da escola."

Kristen riu. "Você deve estar se referindo à tarde em que me viu nua."

"Era meio-dia... e a porta do seu quarto estava escancarada, mãe."

Kristen sorriu. "Eu sei que foi e havia uma razão para eu estar nu quando você chegou em casa. Eu queria que você visse meu corpo."

"Espere um minuto... então isso foi de propósito? Eu acho que é por isso que você apenas ficou aí parado e realmente não disse nada."

"Bem... só para constar... você poderia ter ido embora imediatamente, mas se bem me lembro você só ficou lá olhando." Kristen disse com uma piscadela.

"O que você esperava... eu tenho uma mãe com um corpo incrível... que inclui os maiores seios que eu já vi."

Kristen riu, então ficou séria. "Você sabe... você poderia ter entrado, me jogado na cama e me fodido e eu provavelmente não teria parado você."

"Mesmo assim... antes do papai voltar?"

"Querida... cada movimento que fiz foi para colocar você em meu coração... e entre minhas pernas. Esqueci minha jaqueta de propósito na noite do desfile. Eu queria entrar na sua com você. Todas as piscadelas e longas demoras olhares... todas as vezes em que parecia que eu estava me exibindo para você... todas essas coisas foram feitas de propósito. Mesmo dividindo um quarto... não era para acomodar seu pai... era para conseguir mais perto de você. Tratava-se de colocar você na minha cama e torná-la minha." Kristen explicou.

"Bem, eu sou seu."

Kristen esfregou o rosto dele ternamente com as unhas. "E eu sou seu. Não vou abandonar seu pai... mas ele não é mais o homem que está balançando meu mundo nem o homem que tem meu coração. Você é."

Garrett e Kristen chegaram à praia para encontrar Doug relaxando em sua cadeira de rodas no calçadão. "O que aconteceu... vocês dois se perderam?"

"Esqueceu as toalhas, então tivemos que voltar para casa. Misty apareceu?"

Doug apontou para as ondas quebrando. "Sim... ela foi nadar."

"Parece uma ótima ideia. Está quente hoje!" disse Garrett.

Kristen apontou para uma área de praia a poucos passos de onde eles estavam com Doug. "Querida, vamos nos instalar ali."

"Legal, mãe." Garrett respondeu, correndo e arrumando sua cadeira e refrigerador.

"Você deveria colocar um pouco de protetor solar, Doug. Você sabe como é fácil queimar." Kristen disse.

"Sim, sim, eu sei... nem todos nós temos a sorte de obter um bronzeado dourado."

Kristen sorriu enquanto se inclinava e lhe dava um selinho. "Falando em bronzeado, vou trabalhar no meu. Me mande uma mensagem se precisar de alguma coisa."

Doug observou sua esposa ir até onde Garrett estava instalado. Ele a observou estender uma toalha na areia e depois tirar o vestido de praia pela cabeça.

"Droga!" Doug murmurou enquanto olhava boquiaberto para sua linda esposa.

Kristen usava um biquíni branco extremamente acanhado. O top era estilo Bandeau, que estava claramente lutando para conter a enormidade de seus seios. A parte de baixo de seu biquíni de barbante era estilo bumbum amassado, deixando metade de sua deliciosa bunda bronzeada exposta.

Garrett engoliu em seco quando o absorveu. "Jesus, mãe... você vai dar ao papai um ataque cardíaco com essa coisa."

Kristen olhou para o marido enquanto ajeitava a blusa, fazendo tremer o bojo do peito. "Ah, tenho certeza que vou receber um sermão sobre como isso é inapropriado... mas ele vai superar isso."

"Bem, eu vou nadar... antes que eu fique com outro tesão." Garrett disse, correndo em direção ao surf.

Doug observou seu filho correr em direção à água e ouviu sua esposa rir e gritar um comentário. "E isso seria uma coisa ruim por quê?"

Enquanto Garrett se aproximava da arrebentação, sua tia Misty estava saindo da água com um biquíni que também oferecia pouca cobertura. A parte de cima do biquíni azul bebê era mais como duas manchas triangulares cobrindo apenas cerca de um terço de seus seios enormes. Ela era uma mulher bonita e muito parecida com a atriz britânica Haley Atwell. Sua pele bronzeada e molhada brilhava ao sol e a carne protuberante de seus seios tremia obscenamente enquanto ela saltitava em direção ao sobrinho. "Ei lindo!"

"Ei, tia Misty... mamãe está aí em cima."

Misty se aproximou de Garrett, tocando seu cabelo molhado.

"Como foi a sua estrada rapidamente?"

Garrett deu uma risadinha. "Foi bom."

"Você fez ela gozar no seu pau?"

Garrett corou um pouco. "Sim."

Ela roçou sua bochecha com as unhas, olhando para baixo em sua protuberância. "Bom menino. Sua mãe e eu temos uma surpresa para você mais tarde... está bem ali." Misty disse, apontando para a praia.

Garrett olhou naquela direção. "O que é?"

"Bem, se eu te contasse não seria uma surpresa boba. Não se preocupe, você vai gostar." Misty disse, sorrindo maliciosamente enquanto se afastava.

Garrett não pôde deixar de observar sua tia se afastar e sua boca se abriu quando ele descobriu que ela estava usando a parte de baixo do biquíni. As nádegas carnudas e bronzeadas de Misty balançaram provocativamente, os globos arredondados em plena exibição. Garrett se virou e correu para a água.

Kristen estava esparramada de bruços sobre a toalha. Ela observou sua cunhada se aproximar. "Tentando deixar meu namorado de pau duro?"

Misty riu. "Este é o biquíni do meu 'marido está fora da cidade'."

"Bem, infelizmente meu marido não... então isso é o mais acanhado que posso. Eu vi um micro biquíni de Malibu que adorei."

"Você viu os novos biquínis sling que eles têm? Eu muuuuito quero um." Misty disse, estendendo uma toalha e deitando ao lado de Kristen.

"Então... você conseguiu chegar cedo o suficiente para fazer o que conversamos?" Kristen perguntou.

"Claro. Você já deve saber que eu não ousaria deixar de seguir um plano quando isso me beneficia."

O celular de Kristen tocou. Ela revirou os olhos e respondeu no viva-voz. "Ei, querida, precisa assistir?"

"Vocês dois não podem estar falando sério sobre ficarem assim na frente de Garrett?" disse a voz de Doug.

"Deitado por aí como? Nós não estamos NU?!"

"Você também pode ser, Kristen... vamos lá... olhe para aqueles biquínis"

Misty riu. Kristen apenas balançou a cabeça. "Doug... estamos na praia... me dê um tempo, porra.

"Ele não é um garotinho, Dougie. Ele aguenta nos ver em biquínis minúsculos." Misty entrou na conversa.

Doug começou a responder, mas Kristen o interrompeu. "Você está terminando... ADEUS!!"

Misty riu quando Kristen desligou o telefone. "Ainda no caminho de guerra suspeito que eu vejo?"

"Isso... ou ele está com medo de ficar sentado lá atrás me vendo exibir minha bunda para o nosso filho, que pode deixá-lo de pau duro."

Misty riu. "Seriamente?"

"Sim...Doug me disse outra noite que o pensamento de Garrett e eu nus juntos em nosso quarto o excita."

"Sem chance!"

"Sim."

"Hmmm... você já pensou em usar isso... como um tipo de terapia sexual para Doug?" Misty perguntou.

Kristen assentiu. "Eu tenho. Pelo que ele disse... eu acho que esse tipo de terapia pode até ajudá-lo a conseguir ereções."

"Bem, talvez seja disso que você precisa então... para colocar sua vida sexual de volta nos trilhos."

Kristen riu. "Oh, acredite em mim, minha vida sexual está no caminho certo... na verdade, está correndo na pista em alta velocidade."

Misty riu. "Bem, o meu também... mas temos pena de foder nossos maridos de vez em quando."

"Eu sei... estou tão apaixonada por Garrett agora... a ideia de fazer sexo com Doug parece tão... monótona e entediante. Embora eu tenha que admitir, flertar com Garrett na frente de Doug tem sido diversão."

Garrett chegou encharcado de seu mergulho. "Essa água é perfeita!"

"Você é perfeito!" Kristen disse, olhando-o de cima a baixo.

Misty sorriu maliciosamente. "Perfeitamente travesso pelo que ouvi... ah e vi. Não vamos esquecer o show que vocês dois pombinhos me deram na floresta outro dia. Cuidado, foi assim que Tracy Davis foi pega algumas semanas atrás."

"Ouvi dizer que o marido dela estava se divorciando dela. Ela foi pega?"

"Sim... marido a seguiu até a floresta... pegou ela fodendo com um universitário no banco de trás de seu lindo Mercedes."

Enquanto Misty e Kristen conversavam, Garrett sentou-se em sua cadeira de praia atrás delas. Ele tinha um lugar na primeira fila para o show de biquínis minúsculos, estrelado por mamãe e tia Misty. O adolescente não pôde deixar de olhar boquiaberto para a parte de trás de suas pernas bronzeadas e brilhantes e os montes carnudos de suas bundas seminuas. Ele podia ver os lados de seus seios grandes e maduros se expandindo enquanto eles jaziam achatados contra a areia.

A bunda de sua tia Misty estava praticamente nua. A tanga desaparecia, sufocada entre os globos arredondados, depois emergia no topo, onde uma pequena fileira de contas centralizava a alça cruzada. Suas pernas bem torneadas estavam ligeiramente abertas para que a adolescente pudesse ver o pequeno pedaço de tecido e o contorno óbvio de sua boceta protuberante.

Seus olhos viajaram entre as pernas de Kristen para encontrar o pequeno reforço do biquíni moldado em torno de sua concha, seus lábios grossos e salientes nas laterais obscenamente. As nádegas apertadas eram como um triângulo de pano abraçando suas nádegas carnudas, deixando metade das bochechas bronzeadas expostas. A base de suas bochechas formava um vinco sexy, a fronteira entre uma bunda deliciosa e um conjunto de pernas bronzeadas fortes e sedosas.

"Merda." Garrett murmurou, lembrando-se de como ele passou os últimos dias batendo pra caralho nisso.

"Apreciando a vista lá atrás?" Kristen perguntou.

Ele olhou para cima para ver as cabeças de Kristen e Misty viradas, olhando para ele.

"Melhor vista de sempre!"

As mulheres riram. "Eu disse a Garrett que você e eu temos uma surpresa para ele na praia um pouco adiante."

Kristen chutou as pernas para cima, arqueando seus pés sensuais. "Mmm... com certeza temos."

Doug examinou o trio do calçadão. Sua mente disparou com uma combinação de emoções enquanto observava como sua esposa e irmã estavam claramente se exibindo para Garrett.

Kristen olhou para o marido por um momento, com um sorriso malicioso. "Garrett, você pode me passar meu óleo bronzeador, querida?" ela perguntou.

Garrett pescou o Coopertone de sua mochila e deu a Kristen. A grande mãe presa se virou, sentou-se e começou a ensaboar o corpo. Ela estava posicionada bem na frente do filho, chamando sua atenção.

Doug observou enquanto sua esposa levantava uma perna com agilidade, esticando-a e flexionando-a, os dedos dos pés apontados para o filho enquanto revestia sua carne macia com óleo. Ela trouxe o joelho da perna para trás, abrindo a perna para aplicar óleo na parte interna da coxa macia.

Doug sentiu seu corpo estremecer ao imaginar a visão entre as pernas de Kristen que seu filho deveria estar apreciando.

Ele estava certo... Os olhos de Garrett se arregalaram quando o biquíni se esticou ao redor da boceta fumegante de Kristen, fazendo-a saltar obscenamente de sua perna sendo chutada para trás. Ela aplicou óleo na outra perna, dando uma piscadela para o filho enquanto fazia seu show.

Quando ela trouxe o outro joelho para trás, abrindo sua virilha novamente, Kristen fez contato visual com Doug e deu-lhe um sorriso malicioso, como se soubesse o que isso poderia estar fazendo com ele.

Misty sorriu enquanto observava sua cunhada empinar seus seios enormes para fora e esguichar óleo na protuberante prateleira de peitos. Ela ficou maravilhada com a forma como o lado do peito de Kristen descia em um contorno enorme que parecia que poderia dividir o top estilo Bandeau em dois. "Droga, esses peitos são grandes, Kristen!"

"Ei, os seus não são exatamente pequenos aí, Feminino."

"É verdade... feito em casa... é o que minha mãe sempre disse. Você gosta de mulheres com seios grandes, Garrett?" Misty perguntou.

"Ele melhor!" Kristen disse com um olhar severo.

"Inferno, sim, eu tenho." Garrett disse com um sorriso.

"Então, mãe... você já deu a ele um passeio pelo universo?" Misty perguntou.

Kristen riu. "Ele foi mostrado um pouco, mas eu não acho que ele tenha a turnê completa ainda?"

"Passeio pelo universo?" Garrett perguntou.

"Quando uma garota de seios grandes cavalga e você olha direto para os peitos dela enquanto eles balançam... então ela te leva para cima e para baixo e no meio..." Misty explicou, fazendo Kristen rir. "Isso é o que nós, garotas, chamamos de fazer um tour pelo universo."

Garrett engoliu em seco. "Parece uma turnê divertida para mim."

"Bem, então talvez seja melhor darmos uma volta... o que você diz, Kristen?"

Kristen se levantou, seu corpo marrom dourado brilhando com óleo. Ela ficou bem na frente de Garrett, elevando-se sobre ele. Garrett olhou para cima e observou-a ajustar a parte de cima do biquíni. O bumbum de seus seios escorrendo espreitava, revelando a parte de baixo do decote enquanto a mãe rechonchuda ajustava seu bandeau para manter seus seios balançando cobertos. "Estou pronto... deixe-me ver se Doug precisa de alguma coisa."

Doug observou sua esposa nocauteada caminhar em sua direção.

"Querida, vamos dar uma volta na praia. Precisa de alguma coisa?"

"Sim... um pedido de desculpas... por desligar na minha cara." Doug respondeu.

"Doug, por favor... não comece. Precisa de alguma coisa ou não?"

"Peguei sol... peguei minha cerveja. A vida é boa." Doug disse, tomando um gole de sua bebida.

"Sem flertar com nenhuma puta jovem de biquíni enquanto eu estiver fora." Kristen brincou.

"Vou tentar." disse Doug.

Doug observou os três partirem para a praia. Kristen estava de um lado de Garrett, Misty do outro... cada um segurando a mão de Garrett. Ele era claramente a inveja de todos os caras na praia.

"Então, como vocês estão escondendo todo o sexo de Doug?" Misty perguntou.

"Muito cuidado." Kristen respondeu.

"Eu não sei... eu não chamaria de cuidadoso fazer sexo do lado de fora do quarto do meu pai." disse Garrett.

As mulheres riram. "Não, mas você tem que admitir... foi emocionante."

Misty apertou a mão de Garrett. "Oh meu Deus, isso é incrível! Falei com Rich ao telefone enquanto fazia sexo com outro cara e nem consigo explicar como isso fez meus orgasmos serem bons."

"Ohhh, eu quero tentar isso. Vamos tentar, ok, querida?" Kristen disse animadamente, apertando a mão de seu filho.

"Jesus, mãe, se seus orgasmos forem mais fortes, você vai me afogar."

Ambas as mulheres começaram a rir.

"Oh, pare... você adora quando eu esguicho no seu pau."

"Isso faz o pau dele decolar como um foguete?" Misty perguntou.

"Nas primeiras vezes... mas devo dizer que sua resistência está ficando muito, muito melhor."

"Bem, isso não é fácil para um jovem. As mulheres da nossa idade têm bocetas muito fortes. Não sei quanto à sua mãe, mas quando eu gozo forte e minha boceta começa a esguichar, ela fecha como um torno. leva um pau duro como pedra com muito poder de permanência para foder uma mulher através disso." Misty explicou.

Misty parou em uma barraca de praia, que ficava na praia sozinha, longe da outra multidão.

"Eu aposto que Garrett poderia fazer isso." Kristen disse confiante.

Misty se ajoelhou e abriu o zíper da porta da tenda, sorrindo para Garrett com malícia. "Bem... por que não descobrimos?"

Garrett olhou para sua mãe, que também tinha um grande sorriso. "Eu disse que tínhamos uma surpresa para você."

Misty rastejou para dentro, seguida por Kristen. Garrett olhou em volta, animado, mas inseguro. Não havia mais ninguém por perto e o barulho das ondas abafava qualquer barulho de dentro da barraca. Ele ouviu as duas mulheres rirem.

"Gaaaarreeet", ele ouviu sua mãe chamar em um tom sexy.

O adolescente espiou para dentro e viu as mulheres enroladas de lado uma da outra em um colchão de ar queen-size coberto com um conforto fofo. Tanto Kristen quanto Misty estavam nuas, seus peitos pendurados pesados, um empilhado em cima do outro.

"Pronto para esse passeio pelo universo?" Misty perguntou.

Garrett se arrastou para dentro, com o coração acelerado de excitação. Ele caiu entre as duas belezas e elas pairaram sobre ele avidamente.

"Melhor fechar a porta, mamãe ursa. As coisas estão prestes a ficar realmente loucas aqui." Misty disse, torcendo a língua na boca.

Enquanto Kristen os fechava, Misty estendeu a mão e começou a tocar uma música. Garrett reconheceu a música de Beyoncé. Tinha uma batida sexy e as duas mulheres rastejaram para trás e pairaram sobre ele de joelhos dançando.

A boca do adolescente estava aberta enquanto ele olhava para seus corpos girando. Seus seios enormes balançavam e balançavam, grandes mamilos projetando-se da ampla aréola.

Garrett olhou para a boceta de Misty enquanto ela girava perto de seu rosto. Seu púbis estava completamente depilado, formando um V bronzeado perfeitamente liso até uma concha inchada.

Sua cabeça virou para ver a boceta de sua mãe, emoldurada por quadris largos de criança, balançando ao ritmo de um lado para o outro. Ao contrário da boceta de Misty, Kristen tinha um lindo triângulo de pelo púbico perfeitamente aparado.

As mulheres se abaixaram e trabalharam juntas para tirar sua bermuda, descobrindo a dura coluna de carne de pênis que se projetava de seu corpo.

Misty envolveu seus dedos ao redor dele e deu alguns golpes lentos como se estivesse medindo seu comprimento. "Mmmm é tão GRANDE."

Kristen passou os dedos pelo escroto de seu filho. "E suas bolas... sinta como elas são lisas e cheias."

Garrett suspirou ao sentir suas bolas sendo massageadas na mão de cada mulher. Ele podia sentir suas longas unhas cavando no escroto macio, roçando a carne de suas nozes.

Misty olhou para ele. "Você gosta de ter bolas grandes, querida?"

Garrett assentiu.

"Você gosta do jeito que eles batem na bunda da sua mãe quando você transa com ela?" Misty perguntou.

"Mmmm, eu sei que mamãe sabe." Kristen acrescentou.

Misty pegou o pênis de volta em sua mão, sentindo sua dureza pulsar. "Mmm tão longo e duro e grosso."

Misty apertou com força ao redor da raiz, então inclinou a ereção, apontando-a para o teto da tenda. Ela escovou o cabelo para um lado da cabeça, então tomou seu pênis em sua boca faminta. Sua língua molhada lambeu a cabeça de seu pau, lambendo-o com sua saliva quente. "Mmmmm."

Enquanto Misty começou a chupar pau, Kristen rastejou por cima de seu filho. Segurando-se, com uma mão plantada em ambos os lados dele, a mãe vigorosa olhou em seus olhos com malícia. Seus grandes seios bronzeados pendiam de seu peito, mal roçando nele. Lentamente, ela se abaixou sobre ele, seus seios rolando como massa macia contra seu peito. Kristen enterrou o rosto em seu pescoço e começou a espancá-lo com lambidas molhadas.

"Mmmmmnn hmmmmnn."

Garrett choramingou de prazer, olhando por cima do ombro de sua mãe. Ele podia sentir seu pênis deslizando pela boca quente de sua tia Misty, sua cabeça inflamada batendo no fundo de sua garganta.

Misty bombeou a base com o punho circulando, enchendo a boca de carne a cada golpe. A adolescente podia sentir sua língua experiente enlouquecendo em sua boca, arrastando ao longo da parte inferior do vieny enquanto ela se levantava, então girando-a em torno da ponta bulbosa duas vezes antes de engoli-la de volta.

As lambidas de sua mãe estavam fazendo seu corpo tremer. Kristen parecia uma vampira deitada contra seu filho com o rosto enterrado em seu pescoço. Sua língua forte arou os tendões sensíveis, conhecendo apenas os pontos a serem atingidos, acendendo a zona erógena em chamas.

Garrett engasgou com prazer envolvendo seus braços em torno de Kristen e apertando-a mais forte contra seu corpo. Sua mãe reagiu, choramingando enquanto sua língua acelerava... batendo descontroladamente contra sua carne.

"Maldição, mãe!" Ele sibilou, os olhos cheios de prazer se arregalando enquanto ele olhava para o nada, se deliciando com as sensações.

A cabeça de Misty balançava para cima e para baixo enquanto ela chupava o pau do garoto em um ritmo constante. Sua boca fez um som lascivo de sorver enquanto ela gorgolejava sua doce e viscosa secreção goela abaixo.

Kristen levantou-se de seu peito, beijando e lambendo seu corpo até que ela se juntou a Misty no pênis de seu filho.

"Não é gostoso?" Kristen perguntou.

"Mmm hummm." Misty cantarolava, mamando avidamente.

Kristen olhou para o filho enquanto segurava suas bolas e massageava com ternura. "Isso é bom, baby? Você gosta do jeito que tia Misty está chupando seu pau duro?"

"Uhhh hein."

O tesão saiu da boca de Misty e ela passou os lábios molhados pela parte inferior carnuda. "Tão jovem pau duro!"

Kristin passou a língua pelo caule rígido. "Estou apaixonado por esse jovem pau duro."

Ela puxou a pele solta entre seu pênis e bolas, fazendo a ereção subir e apontar diretamente para cima entre seus rostos. Os olhos de ambas as mulheres se arregalaram e suas bocetas estremeceram enquanto olhavam com admiração para o pilar carnudo.

"SANTO FODA!" Misty exclamou animadamente.

Kristen riu como uma colegial animada, sua língua começando a deslizar de sua boca. Ela pôs em prática... batendo na ponta bulbosa com lambidas molhadas. Misty se juntou a ela e a maçaneta foi enterrada em uma cortina rosa de línguas rodopiantes.

"Ohhhh cara!" Garrett estremeceu ao sentir as fortes línguas molhadas de mamãe esfregando sua glande.

A boca de Kristen deslizou sobre a cabeça e cuidou enquanto Misty enfiava sua língua no eixo com uma grande lambida, então sugava uma de suas nozes em sua boca.

Ambas as mulheres começaram a trabalhar em uníssono, uma devorando seu pau enquanto a outra chupava suas bolas.

Garrett olhou com admiração para as duas cabeças balançando. Os lábios de sua mãe pareciam tão sexy esticados em um grande círculo ao redor de seu pênis. Então ela deslizou para baixo e levou cada centímetro do pau de seu filho em sua boca. Seu queixo pressionou contra suas bolas e seu nariz se aninhou em seu fino V púbico até que seus lábios estivessem colados à raiz de seu pau.

"Puta merda." O adolescente murmurou.

Misty riu, um testículo coberto de saliva saindo de sua boca.

"Olhe para você... sua mãe engolidora de espadas!"

Kristen subiu para respirar, então o levou direto para as bolas.

"Unghhhh!" ela engasgou quando a laje em chamas entupiu em sua garganta, derramando gosma.

Misty ficou de joelhos e jogou o cabelo para o lado enquanto se inclinava, esperando que Kristen voltasse a respirar.

Enquanto Kristen engasgava, a boca da mãe de Garrett foi substituída pela de Misty. Para não ficar atrás, seus lábios afundaram até o fim. Ela gorgolejou enquanto levantava e abaixava os lábios um pouco mais e mais, mostrando sua experiência e permitindo que seu sobrinho fodesse sua garganta.

Kristen começou a trabalhar em suas bolas, agitando sua língua por todo seu saco.

Os lábios molhados de Misty deslizaram suavemente para cima e para baixo no pau rígido, usando sua boca como uma boceta. Após cerca de dez goles, a maçaneta escorregava de sua boca e sua língua dançava em sua superfície brilhante e inchada.

Kristen chupou uma das nozes de seu filho como um pênis redondo e rechonchudo. Seus lábios carnudos deslizaram para frente e para trás na noz tenra. Ela chupou profundamente em sua boca e segurou lá. A pele em seu escroto agora estava esticada, sua outra noz descansando em sua bochecha, esperando sua vez. Então sua língua começou a trabalhar, golpeando o testículo em um banho de saliva quente.

"Oohhh droga!!" Garrett gemeu.

Misty era como uma máquina de chupar pau, sua boca mantendo um ritmo constante enquanto sugava para cima e para baixo o pau duro como pedra. Ela puxou até o botão da torneira. "Empurre seus quadris e foda minha boca."

Garrett obedeceu alegremente, empurrando seu pau para cima em sua boca e garganta abaixo.

Um testículo caiu da boca de Kristen... é uma forma oval vermelha e saliente para fora do saco por ter sido sugado com tanta força.

"SSSSSSSLLLUUUPPPPP!!" A outra noz foi sugada para dentro de sua boca, onde recebeu uma rápida esfoliação antes que seus lábios deliciosos começassem a deslizar para frente e para trás sobre sua superfície lisa e roliça.

Kristen ouviu seu filho choramingar e sentiu sua noz pular em sua boca. Ela aplicou mais sucção, puxando-o para trás e começou a acariciar a língua ao longo da parte inferior sensível.

"Hhhhnnnuhhh!" Garrett gemeu.

O testículo saiu da boca de Kristen, molhado e distendido. "Ele está apertando!"

A boca de Misty ergueu-se do botão flamejante. "Você quer um pouco de coragem?" Ela perguntou rapidamente, então retomou sua sucção profunda.

"Pegue a carga e então eu vou ordenhá-lo."

"CUMMINNGG!!" Garrett gritou.

Suco quente jorrou de sua fenda mijando, deslizando sobre a língua de Misty e descendo por sua garganta. Uma segunda explosão estourou, enchendo sua boca com creme. "Uhhnnngg!" Ela engoliu em seco, abrindo espaço para mais.

Garrett sentiu um de seus testículos vibrar dentro da boca de sua mãe. Ele empurrou para frente, quase escapando enquanto disparava mais esperma em seu eixo. Kristen o sugou de volta e o segurou profundamente, deixando sua língua bater em sua superfície. A noz estremeceu e ela segurou-a com força na boca, sentindo-a bombear mais esperma.

Misty choramingou de prazer ao sentir a haste latejante pulsar entre seus lábios, enviando deliciosos jorros de gozo cremoso.

Alguns momentos depois, Misty deixou a ponta sair de sua boca e Kristen levantou de suas bolas e engoliu seu pênis.

"Ohhhh fuuuck!" Garrett gemeu quando sentiu sua mãe ordenhar as últimas gotas de seu mijo.

Kristen circulou o punho em torno da raiz e bombeou seu pau para cima e para baixo lentamente, obtendo cada grama de esperma que podia.

Finalmente, Kristen ficou de joelhos ao lado de Misty. Eles olharam para o adolescente suado e ofegante.

"Que tal um boquete, querida?" Kristen perguntou.

"Melhor de sempre." Garret suspirou.

Misty estendeu a mão e segurou firmemente a haste ainda dura. "Sabe o que eu mais gosto no pau adolescente?"

Kristen sorriu. "Que pode ficar duro e com tesão por horas?"

"Sim." Misty disse com um sorriso.

Ela rastejou em cima de seu sobrinho, plantando os joelhos em ambos os lados de seu corpo magro. Ela estendeu a mão entre as coxas e agarrou seu enorme pênis molhado. "Pronta para fazer aquele tour pelo universo, linda?"

"Isso aí." Garrett disse com um aceno de cabeça.

Misty baixou os quadris e seus lábios úmidos deslizaram sobre a cabeça cheia de sangue do pênis de Garrett.

"Ohhhh uau!" O adolescente murmurou, observando seu pênis afundar em sua boceta raspada.

A boceta de Misty latejava e sugava ao redor do espeto de carne enquanto afundava até o colo do útero. Então ela estava sentada em cima dele, balançando sua bunda nua em suas coxas, todo o comprimento de seu pau gigante enterrado em sua boceta gotejante.

"Ohh meu Deus... tão fodidamente grande!" Misty suspirou.

Kristen se ajoelhou ao lado de seu filho, acariciando seu peito magro. "Como a boceta da tia Misty se sente no seu pau, querida?"

"Realmente apertado. Incrível!"

Misty se inclinou para frente, seus enormes seios rígidos com mamilos pendurados sobre o peito de Garrett. Gradualmente, ela começou a transar e se mexer, fazendo caretas e mordendo o lábio com intenso prazer enquanto deslizava sua boceta molhada e pegajosa para cima e para baixo em seu pênis.

Garrett observou com entusiasmo seus seios grandes enquanto eles começavam a balançar como pêndulos para cima e para trás. Misty agarrou seus ombros e febrilmente começou a balançar sua bunda carnuda bronzeada contra sua virilha. Sua robusta ereção adolescente cortou o aperto da esponja quente, embalando sua boceta com cada golpe.

"Ohhh sim... foda-me!!!" Misty gritou.

Ela segurou seus ombros com força e corcunda muito mais rápido, batendo ritmicamente suas nádegas trêmulas na parte superior de suas coxas, ofegante enquanto fodia sua boceta latejante no eixo penetrante de seu pênis.

"HAAARDERR!"

Garrett empurrou seus quadris para cima, dirigindo seu pau duro profundamente e martelando a cabeça de seu colo do útero.

"SIM!" Misty engasgou, furiosamente batendo seu foda pegajoso para cima e para baixo no pau duro. Ela apertou os músculos de sua boceta ao redor de seu pênis, mostrando sua experiência.

"Ohhh cara!" Garrett suspirou, observou os peitos enormes acima balançando descontroladamente.

Misty se inclinou para frente, abaixando seus peitos balançando para que eles roçassem e batessem no rosto do menino. A língua de Garrett pendia de sua boca, deixando os seios esponjosos se arrastarem contra ela enquanto dançavam. Ele pegou um de seus mamilos de borracha em sua boca e começou a chupar.

"Sim, foda-se sim!" ela gemeu e engasgou com o desejo, seus lábios puxados para trás para mostrar seus lindos dentes brancos, ofegando obscenamente enquanto ela batia sua pulsante e suculenta boceta em seu pênis o mais rápido que podia.

Garrett estava vendo um lado de sua tia que ele nunca tinha visto... o lado animal vigoroso e ele estava adorando. Os olhos de Misty ficaram grandes e Garrett sentiu as paredes de sua boceta apertar.

"EU VOU GOZAR! OH DEUS, EU VOU GOZAR FORTE! OHH GARRETT!!"

Seu mamilo saiu da boca do adolescente quando Misty se levantou, batendo sua boceta de volta na ereção robusta. Sua boceta vomitou suco, contraindo e espasmos incontrolavelmente em torno de seu duro e latejante mijo.

Garrett sabia que, por ter gozado antes, poderia transar com ela direto durante o orgasmo. O belo adolescente puxou sua tia convulsiva de volta para ele, enterrando o rosto em seus seios macios. Ele furiosamente empurrou seus quadris, dirigindo seu pau profundamente.

"PORRA PORRA!!" Misty chorou. Nenhum adolescente jamais a tratou dessa maneira e ela se agarrou a ele para o passeio.

As grandes bolas pingando de Garrett caíram descontroladamente, batendo contra as nádegas trêmulas de Misty. Seu pênis era um borrão viscoso entrando e saindo, os lábios grossos e calvos de sua boceta esticados obscenamente ao redor de sua circunferência.

"Ohhhh yeeaaaah!!" Garrett suspirou, seu rosto espreitando entre o enorme decote de Misty.

Ele observou o rosto de sua tia se contorcer de prazer. "OHH PORRA... ESTOU GOZANDO DE NOVO!!"

Garrett sentiu sua boceta ondular para cima e para baixo ao longo de seu pau, então uma onda de suco quente encharcou sua ereção. Ele podia sentir sua carne macia e quente convulsionando em cima dele, seus grandes seios suados espirrando e tremendo contra seu rosto.

Em um instante, ela rolou para fora dele, seu pênis cambaleou na saída, gotas de suco escorrendo pelo eixo.

Ofegando e tremendo, Misty recuou contra a parede da tenda. Ela segurou sua boceta em sua mão e olhou para o pedaço de carne como se fosse um Deus que acabou de passar o prazer celestial por sua boceta. Sua respiração tremia e suas pernas bronzeadas e curvas tremiam enquanto as contrações pós-orgásticas disparavam por seu corpo. "Ohh meu Ggg-deus!!"

Kristen jogou a perna sobre Garrett, montando em suas virilhas. Ela se abaixou e encaixou o botão molhado do pênis dentro da abertura de sua boceta suculenta.

"Ooooh!" A mãe de seios grandes choramingou, mexendo-se animadamente quando seu pau carnudo empurrou em sua boceta.

A sensação da boceta molhada de sua mãe deslizando por seu pau como uma manga esponjosa estava fora deste mundo. Ela não era tão apertada quanto Misty, mas as saliências ao longo de seu tubo de boceta persuadiam e espremiam sua glande de maneiras que ele nunca sonhou.

Finalmente, foi até o buraco de sua boceta, enterrado até as bolas no aperto latejante de sua boceta. Ela olhou para seu filho em adoração luxuriosa. "Deus eu te amo!"

Ela se inclinou para frente e balançou sua bunda bronzeada para cima e para baixo, fodendo o duro pilar de carne através de sua boceta apertada. Garrett empurrou seus quadris, encontrando-a em cada movimento descendente. Logo o ritmo deles se intensificou.

"Siiim, querida, foda minha boceta!"

Os seios grandes de Kristen dançaram sobre seu filho. Garrett observou-os fascinado. Misty tinha seios grandes e gordos, mas os de Kristen eram ainda maiores. Onde a aréola de Misty era larga e lisa, a de Kristen era igualmente larga, mas grossa e pontilhada com glande de leite. Observar os peitos de sua mãe balançando foi uma emoção absoluta. Era como se eles tivessem uma vida própria, balançando pesadamente para cima e para trás, às vezes balançando para fora do peito dela em um grande círculo, então batendo juntos, ondulando como gelatina.

Os quadris exuberantes de Kristen funcionavam como uma máquina deslizando sua bunda para cima e para baixo na grossa laje de seu filho. Ela torceu a pélvis enquanto se afundava, enroscando sua boceta nas bolas dele. Então ela moeu para cima e para trás... para cima e para trás, fazendo o botão do pênis de Grarett lamber para frente e para trás na cabeça cremosa de seu colo do útero.

"Ohhh droga, mãe!"

Enquanto ela movia, deslizando seus quadris fortes, Kristen sentou-se ereta como se estivesse montando um cavalo. Seus seios estavam presos entre os braços, fazendo-os inchar... enormes e suados.

Os olhos de Grarett viajaram de seus seios para baixo na pele lisa de sua barriga achatada com seu pequeno e bonito naval. O V de seu mons parecia quase fundido com sua virilha enquanto deslizava para cima e para trás... para cima e para trás.

Os músculos internos da boceta de Kristen estavam trabalhando como um espremedor em seu pau. Gradualmente, ela intensificou seu ritmo, seus quadris macios flexionando enquanto a forçavam a moer em um ritmo desesperado, agitando sua boceta com o rígido músculo do amor.

"Wooooo-hoo ... você vai garota!" Misty comemorou, vendo sua linda cunhada foder como uma atriz pornô.

Os braços de Kristen estavam estendidos, as mãos no peito do filho, cravando as unhas. Seus seios ainda estavam espremidos entre os braços esticados como melancias trêmulas. As tampas dos mamilos eram enormes, inchadas e pareciam que poderiam explodir as pontas de seus seios a qualquer momento.

"FFFFFUUUUCKKK!!!" Kristen gritou, seus quadris agora um borrão enquanto ela usava o osso como uma estaca em sua boceta.

O rosto excitado da mãe se contorceu e ela gritou novamente em um orgasmo selvagem enquanto sua boceta se transformava em creme.

"Uggghhhh porra!!" Garrett gemeu. A boceta expelida de suco era demais e seu pau começou a cuspir sem aviso prévio.

Garrett queria acabar com sua mãe como fez com Misty. Ele estendeu a mão e puxou o corpo dela contra ele, esmagando o rosto entre os seios suados.

Ele bombeou seus quadris, conduzindo seu pau com estocadas rápidas.

"OOOOHHH SIMMM!" Kristen chorou, segurando seu bebê enquanto ele fodia furiosamente em seu corpo curvilíneo.

"Siiim... pegue, Garrett, PEGUE ESSA BOCA!" Misty aplaudiu encorajadoramente.

"Hhhhgggnnuhh!!" O adolescente gemeu, seu rosto envolto em um peito trêmulo.

Enormes jatos de esperma continuaram saindo de sua fenda de mijo enquanto ele martelava seu pênis profundamente como um aríete do mal. Ele ouviu sua mãe grunhir como um animal enquanto seu corpo tremia contra ele. Tudo isso enquanto sua ereção estava sendo lavada com esperma feminino... seus sucos girando juntos.

Por mais cinco minutos, seus corpos se contorceram e tremeram, gradualmente parando em uma pilha suada de carne ofegante.

Doug tomou um gole de sua cerveja, então olhou para a praia em busca de qualquer sinal do trio. Eles haviam sumido por duas horas e meia e ele estava mais do que irritado.

"Oi... você não é o pai do Grarrett?" Uma voz suave perguntou.

Uma garota da idade de Grarett com longos cabelos loiros estava por perto. Ela usava um biquíni vermelho de duas peças e parecia a atriz Kaley Cuoco. A garota era bronzeada e curvilínea, seus seios grandes e rechonchudos, deixando muito decote à mostra.

"Sim... oi, eu sou Doug."

"O herói de guerra certo?" A garota perguntou.

"Bem, eu não sei sobre isso. Você vai para a escola com Garrett?"

"Sim, temos algumas aulas juntos. Meu nome é Heather."

Doug estendeu a mão e apertou a mão dela. Ele notou que a adolescente tinha pernas fortes e curvas como a de sua esposa, que se estendiam até os pezinhos descalços e bronzeados com unhas pintadas de vermelho que combinavam com o biquíni.

"Garrett está por perto?"

"Sim, em algum lugar. Ele deu um passeio pela praia com sua mãe e tia. Eles devem voltar em breve."

Oh legal. Eu tenho que te dizer... eu tenho uma queda pelo seu filho desde a terceira série."

"Uau... Garrett sabe disso?"

Heather riu. "Bem, eu olho para ele o suficiente para você pensar que ele olharia. Ele tem namorada?"

Estranhamente, Doug pensou em Garrett e sua esposa. "Não... ummm, não que eu saiba. Você parece uma garota legal. Você deveria assumir o comando... convidá-lo para sair."

"Hmmm eu não sei sobre isso."

"Não seja bobo. Aqui, coloque o número dele no seu celular. Confie em mim, ele tem sido um filhinho da mamãe aqui ultimamente... faria bem a ele sair com uma garota da idade dele."

Doug deu a Heather o número deles e eles se despediram. Enquanto ela se afastava, Doug não pôde deixar de notar que ela tinha uma bunda como a de Jennifer Lopez, grossa e carnuda. As bochechas bronzeadas estavam parcialmente expostas e balançavam hipnoticamente enquanto ela se afastava.

"Minha esposa está prestes a ter alguma competição." pensou Doug.

Dez minutos depois, seu celular tocou. Era Kristen. Doug respondeu. "Vocês se perderam?"

Kristen estava do lado de fora da barraca de praia, uma toalha enrolada em seu corpo. "Oi querida, não... nós só fomos nadar... perdemos a noção do tempo."

"Bem, quanto tempo até vocês voltarem aqui?

Kristen ouviu Misty gritar de dentro da tenda. "Ohhhh foda-me!!"

"Pode demorar um pouco, descemos um pouco e temos que voltar. Por que você não manda a van levá-lo para casa para que você possa relaxar e se refrescar. Garrett e eu estaremos em casa em algumas horas e eu vou fazer um jantar."

"Sim, ok. Ei, deixe Garrett saber que acabei de marcar um encontro para ele. Linda garota loira chamada Heather. Ela disse que tem algumas aulas com ele."

"O que você quer dizer com 'marcou um encontro para ele'." Kristen perguntou em um tom ligeiramente irritado.

"Bem, ela disse que tem uma queda por ele, então eu dei a ela nosso número... disse para ela ligar e convidá-lo para sair."

"Doug, por que você faria isso sem falar comigo primeiro?" Kirsten perguntou.

"Ah, qual é, Kristen... ele deveria sair com garotas da idade dele... não ficar sentado olhando a mamãe dele de biquíni. O jeito que você tem se exibido para ele aqui ultimamente também não está ajudando. "

Kristen retrucou. "Para sua informação... essa ostentação é para você, Doug. Foi você quem me disse que ficou animado ao me ver agir dessa maneira na frente de Garrett."

"Ainda não está certo... é... pervertido."

"Pervertido ou não... o objetivo é te excitar. Então... você ficou excitado?" Kristen perguntou.

"Ah, qual é, Kristen."

"Responda a pergunta, Doug. Observando-me exibir meu corpo na frente de Garrett... isso te excitou? Fez seu pênis ter uma ereção?"

"Eu estava... estava excitado, mas não... sem ereção."

Houve uma pausa até que Kristen quebrou o silêncio. "Tenho que ir. Vejo você em casa mais tarde."

Kristen rastejou de volta para dentro da barraca e fechou o zíper. Garrett estava entre as pernas deliciosas de Misty, perfurando sua boceta com longos golpes suculentos. Misty balançou seus quadris curvilíneos no ritmo, fazendo seu pau moer duro contra sua sensível carne interior.

Kristen puxou a toalha para longe de seu corpo e abriu as pernas nuas, acariciando sua boceta enquanto observava a bunda nua e magra de seu filho saltar para cima e para baixo.

"Haaarder! Foda-me mais forte!" Misty gritou, arranhando suas longas unhas no suor de Garrett encharcado de volta.

O adolescente intensificou suas investidas de foda, socando seu pau duro como pedra através do aperto de esponja de sua boceta madura. Suas bolas batiam forte contra o bumbum trêmulo de Misty e ele podia sentir seus grandes seios escorregadios de suor batendo contra seu peito.

"Ooooh sim!" Garrett murmurou, montando a embreagem suave e curvilínea da sela de Misty.

"OOOOOHHHBOOMDDFFFFUCKINGSHITTT!!" Misty rosnou quando suas costas arquearam do colchão de ar, levantando os dois. Seu rosto se contorceu descontroladamente e Garrett sentiu seu corpo escorregadio apertar suas garras quando começou a convulsionar abaixo dele.

Kristen cavou através de seu arrebatamento com os dedos enquanto observava com entusiasmo o músculo rígido do amor de seu filho escavar a boceta quente e pulsante de sua cunhada. Ela podia ver o suco do esperma de Misty pingando do eixo de Garrett, caindo em cascata entre os globos de sua bunda.

Assim que Misty desceu de um... outro poderoso orgasmo disparou através de seu corpo nu. Ela soltou um grito sexy e Garrett sentiu mais sêmen quebrar como uma onda quebrando ao redor da ponta de sua lança. Ele fodeu duro... empurrando seu pau quente através do tubo ondulante enquanto apertava sua carne com músculos fortes e experientes.

"Ohhhh merda!" O adolescente gemeu de prazer.

Misty tinha mais um truque na manga. Ela agarrou a bunda do adolescente e enroscou sua boceta na base do pau dele. Segurando-o lá, ela balançou os quadris sob ele e Garrett sentiu seu grande pau sendo agitado dentro dela. Ele sentiu a ponta deslizando para frente e para trás contra a cabeça suculenta de seu colo do útero. Ele estava apenas deitado em seu abraço suado enquanto ela comia seu pau com sua boceta.

Kristen esfregou seu grande clitóris desesperadamente enquanto observava sua cunhada usar o corpo de seu filho como uma boneca foda. Ela podia ver os lábios da boceta de Misty espremidos ao redor do pênis de Garrett, seus órgãos genitais se contraindo e esfregando juntos.

"Ooohhhnngod, seu garanhão fodido!!" Misty gritou, girando sua boceta em torno de seu pau como se fosse um câmbio manual.

A moagem genital quente fez seu pênis flexionar e ainda outro orgasmo jorrando suco sacudiu o corpo de Misty.

Fechada como um torno de veludo ao redor de seu pau duro, a boceta de Misty era como um espremedor carnudo, apertando em ondas do nó até a raiz. As sensações enviaram Garrett ao limite, puxando uma carga enorme de suas bolas.

"OOOOHHHH HOMEM!!" O adolescente gritou quando uma explosão poderosa irrompeu de sua fenda.

Misty sentiu a espessa gosma quente espirrar na parte de trás de sua boceta. Seu corpo ainda estava montando a onda de seu próprio sêmen e em uma pilha nua e suada eles lutaram através de um selvagem orgasmo mútuo.

A boceta de Kristen explodiu em uma bagunça esguichando e seus seios tremeram enquanto ela se excitava. Por dez minutos, a tenda se encheu de gritos, choramingos e gemidos enquanto seus corpos contorcidos lentamente voltavam à terra.

Depois de alguns minutos, Kristen percebeu que Misty e Garrett estavam se agarrando. Ela se arrastou e rolou o filho de costas.

"Mmmm, eu definitivamente quero compartilhar um pouco disso."

Misty ficou agarrada a ele, seus enormes seios encharcados de suor achatados contra seu peito, sua língua girando dentro de sua boca. Ela o alimentou com mais alguns beijos molhados antes que seus lábios se separassem e ela se levantasse de seu peito.

Misty era uma bagunça linda, seu cabelo molhado e pegajoso. Kristen notou que ela tinha um olhar de adoração selvagem em seu rosto enquanto olhava para Garrett. "Alguém está amando." Kristen cantou.

"Uhhh hum." Misty cantarolou, mordendo o lábio inferior.

Kristen se inclinou para que seu rosto ficasse próximo ao de Misty e ambas as mulheres olharam em seus olhos. "Seu menino travesso... fodendo nossas bocetas e nos fazendo apaixonar por você."

Kristen baixou os lábios e começou a beijar seu filho. Sua língua deslizou em sua boca e pegou a dele, convidando-a para dançar. Depois de alguns minutos de beijos profundos, os lábios de Kristen subiram e os lábios de Misty caíram.

Garrett ficou maravilhado com a maneira como as duas mulheres beijavam tão bem. Ele não poderia preferir um ao outro... cada um tinha um estilo único desenvolvido a partir de anos de experiência. Ambos tinham lábios tão macios e línguas longas e fortes com habilidades que envergonhavam as garotas de sua idade.

As línguas de Kristen e Misty pareciam ter vida própria... às vezes movendo-se lenta e metódica, serpenteando em torno de sua boca jovem como se explorasse cada sulco. Então, outras vezes, suas línguas ficavam absolutamente selvagens, torcendo, girando e vibrando de maneiras que Garrett nunca sonhou serem possíveis. É claro que ele faria o possível para acompanhá-lo, mas na maioria das vezes as agressivas cobras cor-de-rosa das mulheres chicoteavam sua língua tão rápido que não havia como igualar sua experiência.

"Mmmm nosso doce bebê." Misty murmurou entre beijos molhados.

Ela lambeu seu caminho para baixo, então chupou e lambeu seu pescoço.

Kristen plantou seus lábios em seus filhos em uma série de lentos beijos molhados, seus grandes olhos lindos olhando para ele o tempo todo.

"Oooh merda." O adolescente murmurou, se perdendo nos olhos verdes sonhadores de sua mãe e sentindo a onda de prazer e excitação fluir por seu corpo.

As línguas de mãe e filho deslizaram para fora e começaram a atacar juntas.

Gradualmente, a língua de Garrett afundou de volta em sua boca e a de Kristen seguiu agressivamente. Logo seus lábios estavam selados e as línguas dentro da boca do menino lutavam descontroladamente.

Vinte minutos depois, Garrett sentiu as mãos das mulheres acariciando seu pau duro. Kristen e Misty olharam para o longo canhão apontado diretamente para elas.

"Doug viu como eu estava brincando com ele... mas ele ainda não conseguia nem ficar de pau duro." Kristen disse.

"Pobre Dougie, o que poderia ser pior para um cara do que um pau flácido?"

"O que poderia ser pior para uma esposa? Tenho sorte de ter um filho adolescente tão bonitão com grandes ereções duras como pedra." Kristen disse.

Misty riu. "Kristen, você e Garrett estão apaixonados. Isso teria acontecido mesmo se Doug não tivesse sofrido o acidente."

"Garrett e eu estávamos conversando sobre isso hoje mesmo. Estávamos a caminho de fazer sexo antes mesmo de Doug chegar em casa, não estávamos, querida?"

Garrett sorriu, balançando a cabeça. "Claro que sim."

Misty inclinou o tesão de Grarett para cima e uns bons cinco centímetros de carne se ergueram dos dois punhos circulando na base. "Bem, quem pode te culpar... marido está a milhares de quilômetros de distância por meses a fio... e você tem um pau grande e duro como este sob seu teto. Que mãe poderia resistir?"

Kristen sorriu, apertando a carne rígida em sua mão. "Não esta mãe."

"Bem... tanto quanto eu quero colocar esse grande tesão de volta dentro de mim, eu preciso de um mergulho. Alguém quer nadar pelado?"

"Eu sou jogo." Kristen disse.

Garrett parecia relutante. "E se formos pegos?"

"Oh Deus, é Dougie que estou ouvindo?" Misty riu.

Garrett riu. "Desculpe."

"Quase sendo pego, o que o torna tão emocionante, lembra amor?" Kristen disse.

Misty espiou pela tenda. "Não tem ninguém lá fora... foi por isso que escolhi esse lugar. Vamos!"

As duas mulheres seguraram a mão de Grarett enquanto corriam em direção à arrebentação. Seus seios grandes e maduros saltavam enquanto eles saltavam para a água.

"Ah Merda!" As meninas gritaram de brincadeira quando foram atingidas por uma onda. Eles espirraram e brincaram.

"Aposto que você não pode me pegar!" Misty disse a Garrett enquanto nadava mais longe.

O adolescente excitado nadou atrás dela. Kristen se arrastou para a areia quente e se virou, apoiando-se nos cotovelos. Seu corpo nu molhado brilhava sob o sol quente, seus grandes seios bronzeados rolando ligeiramente para os lados de seu peito. Ela ouviu Misty gritar e viu que Garrett a alcançou.

Kristen assistiu sua cunhada com tesão se agarrar a seu filho enquanto eles começavam a se beijar. É claro que a mãe apaixonada estava com um pouco de ciúme, mas ela sabia que devia a Misty por não ter contado a Doug sobre ela e Garrett. Sim, ela continuaria a provocar seu filho perto de seu marido, a fim de excitar uma ereção, mas Doug não precisava saber que ela e Garrett estavam fodendo como animais. Ela não queria quebrar seu coração completamente.

Além disso, havia algo excitante em manter as coisas um mistério com Doug. Ela sabia que ele se perguntava sobre ela e Garrett... podia ver isso em seus olhos... ouvir em sua voz. Isso a emocionou perversamente para mantê-lo pensando.

Garrett estremeceu de emoção quando sentiu o corpo quente e curvilíneo de Misty agarrar-se a ele sob a água. Seus braços e pernas fortes e macios estavam em volta dele, seus seios enormes pareciam incríveis contra seu peito. Ela quebrou o beijo e olhou em seus olhos. "Eu sei que sua mãe considera você dela, mas acho que você e eu temos algo muito especial acontecendo também."

"Concordo."

"Eu estive de olho em você por um bom tempo, mas quando eu vi o jeito que você estava bombeando sua mãe no banco de trás dela naquele dia, eu sabia que tinha que ter você. E agora que eu tenho você... .Eu só quero mais."

"Eu quero mais de você também." Garrett murmurou pouco antes dos lábios de Misty encontrarem os dele. Eles se beijaram e suas línguas lutaram avidamente.

Algum tempo depois, Misty e Garrett emergiram da arrebentação, de mãos dadas. Garrett não pôde deixar de olhar boquiaberto para sua mãe nua, seu lindo corpo deitado na areia.

"Jesus, mãe, você parece uma daquelas modelos de biquíni da Sports Illustrated."

"Sem o biquíni." Misty acrescentou com uma risadinha.

Kristen levantou-se da areia, abraçou e beijou o filho. "Apenas esperando meu marinheiro desembarcar... para que eu possa cobri-lo de beijos."

Misty observou enquanto mãe e filho se abraçavam e davam um profundo beijo francês. "Deus, isso é tããão malcriado!"

Kristen olhou para Misty maliciosamente. "É, não é? Quer saber... pegue minha câmera... eu tenho uma ideia."

Doug estava em casa guardando algumas roupas quando seu celular tocou. "Ei querida, vocês estão voltando?"

Kristen ficou sozinha fora de sua tenda. "Muito em breve. Cassie já está em casa?"

"Não, ainda não."

"Bom, eu quero que você faça algo para mim." Kristen disse.

"O que é isso?"

"Suba na cama e tire o pênis do short."

Doug riu "O que... por quê? Kristen, o que está acontecendo?"

"Doug, por favor, confie em mim e faça isso. Quero enviar uma coisa para você."

"Aguentar." Doug disse, então se levantou da cadeira e foi para a cama. Ele balançou a cabeça, como se não pudesse acreditar que estava concordando com isso, então pescou o pênis flácido do short. "Ooook, e agora?"

"Seu pênis está para fora?" Kristen perguntou suavemente.

"Sim...está fora."

"Eu quero que você comece a acariciá-lo o mais forte que puder. Vou mandar algo para você... me prometa que vai assistir tudo até o fim... e que vai continuar acariciando seu pênis enquanto você assistir."

Doug sorriu e revirou os olhos. "Ok... sim, eu prometo."

"Falo com você em breve." Kristen disse, então desligou.

Segundos depois, Doug recebeu um texto em vídeo. Ele abriu e, como prometido, acariciou seu eixo flácido.

O vídeo começou com uma visão das ondas quebrando, depois passou para duas pessoas passeando de mãos dadas em águas profundas. Doug sentiu uma onda de excitação percorrer seu corpo quando percebeu que eram Kristen e Garrett e ambos estavam completamente nus.

"Puta merda." Ele murmurou.

Eles pareciam tão confortáveis ​​em sua nudez. Seus olhos foram atraídos para as nádegas de sua esposa... globos bronzeados gêmeos que pareciam balançar sedutoramente a cada passo. Mesmo que ela estivesse de costas para a câmera, ele ainda podia ver os lados de seus seios inclinando-se para baixo e balançando pesadamente enquanto ela caminhava. A bunda de Garrett era jovem e firme, enviando pontadas de ciúme pela mente de Doug. Ainda assim, ele acariciou seu pênis.

A pessoa da câmera, obviamente Misty, os seguiu ... então parou quando Kriten se virou para Garrett e lentamente enrolou os braços em volta do pescoço dele. Doug observou os seios grandes de sua esposa achatados contra o peito jovem do adolescente. Doug sabia como isso era bom e pensou em como deve ser uma experiência emocionante para seu filho.

Doug estava muito encantado para perceber que seu pênis estava lentamente endurecendo em sua mão. Ele continuou acariciando, alimentado pelo site de sua própria esposa e filho se abraçando nus na praia.

Kristen descansou a cabeça no peito de Garrett e Misty circulou para capturar o casal em todos os ângulos. Quando ela se aproximou do rosto de Kristen, a mãe abriu os olhos e olhando diretamente para a câmera, sorriu maliciosamente.

O vídeo cortou para outra cena de Kristen cavalgando Garrett no estilo piggy back enquanto ele os levava para uma onda quebrando. A onda os derrubou e Doug pôde ouvir sua esposa rindo enquanto ela se agarrava ao filho o melhor que podia. Enquanto a água corria de volta, Garrett estava de costas na areia molhada e Kristen estava montada nele.

"Vocês acabaram de ser possuídos!" Misty riu.

Garrett levantou a parte superior do corpo da areia. Kristen usou as mãos para jogar o cabelo molhado para trás, empurrando os seios grandes para fora, fazendo-os pairar sobre Garrett. Nessa posição, parecia que ela o estava montando. Doug sentiu ondas de emoções diferentes... raiva... ciúme... descrença... mas principalmente excitação. Seu pênis endureceu ainda mais.

"Lá vem outro!" Misty gritou.

Kristen gritou de brincadeira quando outra onda crescente os venceu. Quando este correu de volta, os pezinhos sensuais de Kristen foram as primeiras coisas a surgir, os dedos dos pés pintados apontados para o céu. A água baixou revelando suas deliciosas pernas abertas e Garrett deitado entre elas. Ambos estavam rindo histericamente.

A boca de Doug caiu enquanto ele observava o resto da água escorrer ao redor de seus corpos nus.

"Droga... arranjem um quarto, vocês dois!" Misty brincou, apontando a câmera diretamente para eles.

Kristen colocou as mãos nos ombros de seu filho, olhando para a câmera atrevidamente. "Foda-se, garota... nós já temos um!"

Doug observou suas pernas molhadas e cheias de curvas envolvendo seu filho, tão alto que seus pezinhos deslizaram sobre sua bunda como se o prendessem entre suas coxas.

"Mãe e filho dividindo quarto. Só Deus sabe o que acontece lá dentro." Misty disse.

Kristen respondeu cuspindo a língua maliciosamente.

A câmera cortou para outra tomada de Kristen e Garrett em um abraço, os seios rígidos dela esmagados contra o peito dele. Kristen tinha os lábios em seu ouvido, sussurrando coisas para ele.

"O que diabos você está dizendo a ele, Kristen?" Misty perguntou.

"Você não gostaria de saber?" Kristen disse com um sorriso.

Doug acariciou febrilmente e gritou bem alto. "SIM! SIM, EU IRIA!!"

Pela primeira vez ele tirou os olhos da tela do telefone e olhou para baixo para ver um pau duro em seu punho. "Estou duro! Puta merda, estou duro!!"

Ele olhou de volta para a tela para ver Kristen olhando nos olhos de seu filho. Ela lentamente se levantou na ponta dos pés, flexionando as pernas bronzeadas e curvilíneas. Seus lábios subiram em direção aos lábios de Garrett, inclinando a cabeça. Pouco antes de eles fazerem contato, o vídeo acabou.

"FFFFUCK!" Doug gritou, mas não em desapontamento.

Ele olhou para baixo para ver seu pênis cuspindo ejacular... grandes cordas de esperma quente.

Garrett empurrou seus quadris, fodendo Misty estilo cachorrinho dentro da tenda. Ela gritou de prazer, seu traseiro quente e carnudo batendo contra sua virilha.

"Ahhh sim!!" O adolescente suspirou animado, olhando para ver a bunda deliciosa de sua mãe estacionada ao lado de Misty, esperando sua vez.

Kristen sorriu maliciosamente de volta para ele, rolando a língua nos lábios e abanando as nádegas convidativamente. Como um menino poderia resistir?

Ele deslizou seu pau molhado da boceta de Misty, encaixou seu botão na boceta cremosa de Kristen e agarrou seus quadris macios e curvos. "Aqui vou eu, mãe!" Ele disse com um sorriso arrogante, sentindo a boceta dela beliscar a ponta do pau dele.

Os cachos bronzeados de Kristen tremeram com antecipação. "Foda-me com força, querida!"

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 41 estrelas.
Incentive Lobo curioso a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.
Foto de perfil de Lobo curiosoLobo curiosoContos: 282Seguidores: 175Seguindo: 73Mensagem Gosto de ler contos de tabus incesto, gosto de fazer amizades

Comentários

Foto de perfil de RamséssIII

Perfeito, aguandando a continuação que delicia de mãe, parabéns

0 0
Foto de perfil genérica

Pota que pariu.

Nota 1000.

Me manda fotos dessa mamãe e da titia, preciso ver elas em ação.

1 0