Os Pés da Aluna e A Professora Dominadora - As Aulas de Reforço Perversas!

Um conto erótico de Senhor Das Cócegas
Categoria: Lésbicas
Contém 5809 palavras
Data: 06/02/2023 00:16:57
Última revisão: 06/02/2023 07:05:38

Quando parecia que as coisas não podiam piorar para Jéssica, seus pais a obrigaram a ir em aulas de reforço diárias de segunda a sexta com a professora Roberta, Jéssica sabia que aquelas aulas seriam terríveis, pois se ela sofria daquele jeito no colégio, imagine a sós com aquela professora perversa, mas durante uma aula, a professora Roberta foi na sua cadeira e falou baixinho no seu ouvido enquanto acariciava um dos seus pezinhos de ladinho com a solinha vermelha a mostra:

- Não se preocupe querida, nossas aulas de reforço serão deliciosas, nem pense em faltar ou quebrar nosso acordo falando algo para os seus pais viu, senão, já sabe, eu reprovo a turma toda e ponho a culpa em você, eles vão te odiar, você não quer isso, certo querida?

- Sim senhora – respondeu baixinho Jéssica, era uma sexta-feira, as aulas de reforço começariam na segunda, estavam no meio do ano letivo, quando Jéssica entrou na sala da professora e a mesma a fez sentar na cadeira, a algemou com os braços pra trás e prendeu seus pezinhos com grilhões com correntes presas a sua mesa os mantendo ali juntos esticados, lentamente a professora tirou as havaianas dos pezinhos de Jéssica, então começou a cheirar forte e lamber bem devagar suas solinhas avermelhadas, enquanto se deliciava ali, a professora Roberta falou:

- Suas solinhas estão precisando serem lixadas e esfoliadas querida, além de você precisar refazer as unhas, lembre-se, pinta-as de vermelho, precisar cuidar dos pezinhos nesse final de semana para vim na minha casa com eles arrumadinhos entendeu? – falou a professora Roberta enquanto continuava a Lamber bem devagar as solinhas avermelhadas de Jéssica que se engiavam se balançavam de vez em quando com o toca da ponta da língua no meio das solas e entre os dedos, rindo baixinho nesses momentos Jéssica ia respondendo:

- Ehehehehe... SIM SENHORA.... Ahahahahahahaha... AI NÃAAO PROFESSORAA... AHAHAHAHA...

A professora depois dessa resposta começou a chupar bem devagar os dedinhos dos pezinhos de Jéssica, eram dedos levemente longos com as cabeças gordinhas e pontas avermelhadas, um por um aqueles dedinhos iam sendo engolidos e chupados intensamente, quando a professora saboreava os dedos dos pezinhos revezando um momento engolindo e chupando o pezinho esquerdo e outro engolindo e chupando o pezinho direito, Jéssica ia se tremendo e fazendo caras e bocas de prazer e repulsa ao mesmo tempo, ela não gostava de ter os pés apreciados daquele jeito, mas não conseguir contar um prazer que sentia gerado por aquilo, era maior que ela, fazendo-a muitas vezes gozar ali na calça enquanto tinha os pezinhos chupados pela professora, mas nenhum prazer durava muito ali com a malvada professora, logo Roberta começou a lamber e chupar um pezinho enquanto fazia cócegas uma das mãos no outro pezinho ali acorrentado a sua mesa, fazendo assim o prazer de Jéssica ser interrompido por cócegas angustiantes e perversas que a faziam gargalhar alto:

- EEEI PROFESSORA NÃAAAAO... AHAHAHAHAHAHAAHAHAHA ASSIM NÃAAO AHAHAHAHA PAREEE AHAHAHAHAHAHAHAAHAHA PAREEEEE AHAHAHAHAAHAHAHA NAÃAO TEM GRAÇAAA AHAHAHAHAHAAHA...

A professora Roberta continuava a lamber e chupar intensamente o pezinho direito que segurava com sua mão esquerda enquanto fazia cócegas com sua mão direita no pezinho esquerdo ali acorrentado junto com o outro a mesa sem conseguir ser puxado de volta, as unhas longas vermelhas da professora deslizavam escavacando o meio da solinha subindo e descendo, ás vezes sendo enfiadas abaixo dos dedinhos e entre eles, outros momentos sendo deslizadas nas laterais e calcanhar e depois voltando ao meio da sala onde fazia mais cócegas, assim a professora Roberta gozava ali se deliciando com o pezinho direito de Jéssica enquanto a judiada lhe fazendo cosquinhas sem parar no seu pezinho esquerdo, a coitada da aluna ali indefesa gargalhada alto naquela sala fechada:

- AHAHAHAAHAHAHAAHAHAHAAHAHAHAHAAHA ALGUÉEEM ME AJUDAAAHAHAHAAHHAHA PAREEE AHAHAHAHAHAHAHAAHAHA POR FAVOOR AHAHAHAHAHAHAHA PROFESSORAAAA AHAHAHAHAAHAHAHAAHAHA POR FAVOOOR AHAHAHAHAHAHA... EU NÃAAO AGUENTOOO MAAAAAAIS... AHAHAHAAHAHAHAHAHAAHA...

Foram quinze intensos minutos assim onde Jéssica parou de gozar e logo se mijou toda, enquanto a professora gozou muito melando sua calcinha ali, quando a professora Roberta finalmente parou, ela agarrou com a mão direita o pezinho esquerdo de Jéssica e falou para o desespero da jovem:

- Agora é hora de recomeçar, só que chupando esse pezinho gostoso aqui – e dizendo Roberta já começou a cheirar, lamber e chupar intensamente a solinha avermelhada do pezinho esquerdo de Jéssica enquanto com a sua outra mão já começou a fazer cosquinhas no pezinho direito, Jéssica entre gargalhadas voltou a suplicar:

- AHAHAHAHAAHA NÃAAAAAO AHAHAHAHAHAHAHAHA POR FAVOOR AHAHAHAHAAHA PIEDADEEE AHAHAHAAHAHAHAAHAHAHAHAHAAHAHA POR FAVOOR SENHORAAAAHAHAHA AHAHAHAAHAHAHAAHAHAHA EU NÃAAO AGUENTOOOO AHAHAAHAHAHAHAHA...

Mais longos quinze minutos de cócegas e adoração se passaram e a professora parou de se deliciar com o pezinho esquerdo e fazer cócegas no direito de Jéssica, então sorridente falou enquanto Jéssica ofegante ali indefesa presa com os pés acorrentados sobre a mesa descansava:

- Fazem seis meses que me delicio com seus pezinhos querida, de vez em quando tiro uma casquinha do seu corpinho gostoso, mas a partir de segunda as coisas mudaram, se prepare-se, nossas aulas de reforço serão um pouco pesadas!

- EEI PROFESSORA ISSO NÃAO FOI O COMBINADO! A SENHORA PROMETEU QUE SERIAM APENAS MEUS PÉS DESDE O INICIO, ISSO NÃO TÁ CERTO! – falou nervosa e desesperada Jéssica já imaginando onde a professora Roberta querida, está sorrindo tirou de uma gaveta ali um frasco de óleo e uma escova de cabelo e colocou sobre a mesa do lado dos pezinhos acorrentados presos de Jéssica que logo voltou a suplicar já chorando:

- NÃAAO PROFESSORA PO0R FAVOOOR! EU IMPLORO! ISSO NÃAAO! ÓLEO E ESCOVA NÃAAO POR FAVOOOR! ME DESCULPE TE QUESTONAR, EU NÃO FALO MAIS NADA, SÓ NÃAAO FAZ ISSO POR FAVOOR NÃAAAAAAO!

Bem devagar sem falar nada a professora Roberta foi ignorando o choro e suplica de Jéssica e foi destampando o frasco de óleo e o derramando com abundancia nas solas dos pezinhos da aluna ali sobre a mesa, depois foi com as mãos massageando e espalhando bem o óleo sobre as solinhas bem vermelhas de Jéssica, as solinhas avermelhadas brilhavam com tanto óleo espalhado, a professora pegou a escova de cabelo e falou para Jéssica:

- Escolha o pezinho que vou começar!

Chorando nervosa Jéssica implorou:

- PROFESSOR POR FAVOOR NÃAAAAAO! POR FAVOOR! EU PROMETO NÃAO RECLAMAR MAIS DE NADA! POR FAVOOOR!

- Se você não vai escolher, eu escolho para você querida – e dizendo isso a professora Roberta segurou com uma mão o pezinho direito e com a outra mão começou a esfregar a escova de cabelo ali no meio da solinha lisinha super melada de óleo, Jéssica começou a gargalhar histérica descontrolada imediatamente:

- NÃAAAAAAAAAAO... AHAUAHAUAHAUAAHAUAHAUAHAUAHAUAHAUAAAHAUAHAUA PAREEEEEEEE AHAUAHAUAHAAUAHAAUAHAUAHAUAAHAUA PAREEE AHAUAHAUAHAUAAUA POR FAVOOOR AHAUAHAUAHAUAHAAUAHAUAHAUA...

- Isso é castigo por me questionar, eu sou a sua professora, eu estou sempre certa querida – falou a professora Roberta sem para de esfregar a escova de cabelo no meio da sola do pezinho direito de Jéssica que se contorcia toda ali na cadeira que estava sentada com as mãos acorrentadas presas pra trás, Jéssica ia chorando e se mijando de tanto rir, rapidamente foi ficando vermelha sem ar de tanto gargalhar:

- AHAUAHAUAAHAHAHAUAHAUAAHAUAHAUAHAUAHAAHAUA EU NÃAAAO AGUENTOOO AHAUAHAUAAHAUAHAAUAHAUA POR FAVOOOR AHAUAHAUAHAAUAHAUA PAREEE AAHAUA AHAUAHAUAHAAUA...

Aquela tortura com a escova de cabelo na sola daquele pezinho melado com óleo durou quinze minutos, quando a professora parou, mal Jéssica conseguiu se recuperou e então a professora anunciou:

- Agora é hora de brincar com o outro pezinho!

- NÃAAO POR FAVOOOR PROFESSORA NÃAAAAAAAAAO... AAUAHAUAHAUAAHAUAHAUAHA AHAUAHAUAHAUAHAUA POR FAVOOOR AHAUAHAUAHAUAAUA PAREEEE AHAUAHAUAHAUA AHAUAHAUAAHAUHAAUA...

A escova de cabelo subia e descia com força deslizando no meio da solinha ali super lambuzada com muito óleo, esse movimento provocava um mar de cócegas em Jéssica que se debatia ali na cadeira algema e com os pés presos acorrentados sobre a mesa da professora, enquanto gargalhava histérica, Jéssica chorava e se mijava ao mesmo tempo de tanto rir, todo aquele desespero só dava prazer para a sádica professora ali:

- AHAUAHAUAHAUAAHAUAHAUAHAHAUAAHAUA PIEDADEEEE AHAUAHAUAHAUAHAAUA AHAUAHAUAAHAUAHAUAHAUA PAREEE POR FAVOOOR AHAUAHAUAHAUAHAAUA...

- Toda vida agora que me questionar, vamos brincar assim ou pior entendeu querida? – falou a perversa professora esperando Jéssica entre as gargalhadas conseguir lhe responder:

- AHAUAHAUAAHAUAHAAUAHAUAHAAHAUAHAUAHAUAAHAUA SIMMM AHAUAHAUAAAHA EU PROMETOOOO AHAUAHAUAHAUAHAUAAHUAAHAUA POR FAVOOR AHAUAHAUAAHAUA...

- Boa menina, mas temos que completar os quinze minutos igual como fizemos como o primeiro pezinho, não se preocupe, só faltam sete minutos agora!

- AHAUAHAUAHAUAAHAUAHA NÃAAAAAO AHAUAHAUAHAUAHAAUAHAUAHA...

Quando a professora parou finalmente de esfregar a escova naquele pezinho de Jéssica, ela começou a lamber bem gostoso as solas, aquele óleo era um óleo vegetal comestível, assim ela podia lamber e chupar a vontade os pezinhos depois de o usar, depois de uns dez minutos lambendo as solas vermelhas dos pés de Jéssica que brilhavam e chupando forte seus dedinhos, além de dar mordidinhas nos calcanhares e abaixo dos dedinhos, a professora parou e mostrou uma sacola com a logo das Havaianas, então tirou de dentro um par de Havaianas brancas com correias finas, eram novas, iguais as que Jéssica já usava, então falou:

- Suas havaianas já estão bem gastas, vai usar a partir de hoje essas aqui, para as estrear vou as lambuzar bem gostoso com meu leitinho, um momento querida – e dizendo isso a professora enfiou a mão dentro da calca e quando trouxa mão novamente a mostrou toda gozada bem branca com muita porra, a professora então limpou a mão em uma das havaianas novas, depois fez a mesma coisa com a outra mão e assim melou a outra chinela, não se contentando, salivou e cuspiu muito nas havaianas novas, após se sentir satisfeita, libertou Jéssica, colocou as havaianas gozadas e cuspidas no chão perto da jovem e ordenou:

- Calce-as!

Jéssica sem questionar com a cabeça baixa calçou as havaianas novas, logo fez uma cara de novo e angustia, mas a professora falou:

- Como nós moramos perto, eu te acompanharei até a sua casa querida a partir de hoje!

Assim as duas saíram juntas do colégio, o porteiro recebeu o pix da professora Roberta como sempre e ficou de bico fechado. No caminho enquanto caminhavam lado a lado a professora ia apalpando e alisando a bundinha de Jéssica fazendo a jovem ficar constrangida. Quando chegaram bem perto da casa da aluna, a professora se despediu dando um abraço em Jéssica por trás e apertando seus seios, depois as duas seguiram seus caminhos com Roberto indo para a sua casa e Jéssica bastante nervosa indo para a sua casa ali já na frente.

O final de semana passou e Jéssica foi na pedicure e fez tudo que a professora ordenou, lixou e esfoliou os pés e retocou as unhas pintando novamente de vermelho.

Na segunda-feira Jéssica foi na casa da professora Roberta usando calça jeans e uma blusinha branca com mangas curtas e mostrando os ombros, nos pés foi usando um tamanquinho, foi levando sua mochila, mesmo sabendo que não iria pegar no caderno e no livro de matemática. Ao chegar e tocar a campainha, rapidamente o portão se abriu, Jéssica entrou e a professora bastante sorridente usando um shortinho e uma camisa de botão xadrez a cumprimentou, foi a primeira vez que Jéssica estava vendo a professora desarrumada, era de fato bem gordinha, nos pés usava havaianas, seus pés não eram bonitos e nem atraentes.

- Oh querida, tão bom ver que você veio para a nossa primeira aula de reforço, entre, a propósito, adorei o tamanquinho, mas na próxima vez venha com as havaianas e usando shortinho, não precisa se arrumar toda pra me ver aqui em casa, entendeu?

- Sim senhora – respondeu Jéssica acenando com a cabeça e entrando.

Quando a jovem aluna entrou, a professora Roberta fechou o portão, trancou a porta da sala e a levou para o quarto da dominação e controle, era assim que ela o chamava, quando Jéssica entrou naquele quarto e viu tudo aquilo, a cama com as correntes, o sofá com correntes, o suporte pendurado na parede com correntes, a cadeira de cócegas, a mesa cheia de itens para fazer e aumentar as cócegas e por último uma instante cheia de brinquedos sexuais dos mais variados tipos, ela já foi logo se virando falando assustada:

- PROFESSORA NÃAO POR FAVOOR!

Mas nesse momento a professora Roberta tranca a porta do quarto, tira seu short e coloca a chave da porta dentro da sua calcinha e diz:

- Temos duas horas para nos divertir querida!

- NÃO PROFESSORA! EU NÃO QUERO MAIS ISSO, EU QUERO IR PRA CASA!

- Você não vai sair desse quarto enquanto eu não me satisfazer, se não me obedecer, vai ser pior, uma vez aqui dentro querida, sou eu que mando entendeu? - e nesse momento a Professora foi na instante e pegou um chicote e o bateu forte coxa de Jéssica que se tremeu todinha, novamente a professora baixou o tom de voz e voltou a falar – Você quer me obedecer ou quer sair toda marcada daqui?

Jéssica chorando se ajoelhou no chão colocou a cabeça pra baixo e falou:

- A SENHORA QUE MANDA! O QUE DESEJA, MINHA SENHORA?

- Vamos começar com a cadeira de cócegas, tire essa blusa, depois sente ai na cadeira de cócegas!

Jéssica tirou a blusa ficando apenas de sutiã da cintura pra cima, então se sentou ali na cadeira de cócegas, a professora esticou um por um dos braços da jovem e os prendeu em fivelas de couro bem grossas os mantendo aberto esticados, Roberta então foi para os pés e os colocou dentro de uma base com furos onde a trancou deixando os pezinhos com os tornozelos presos ali na parte dos furos e na lateral tinha um cadeado trancando a base para evitar da jovem puxar os pés e os soltar. As pernas de Jéssica estavam bem esticadas ali na cadeira de cócegas com os pés enfiados na base e bem presos, mas a professora não começou pelos pezinhos, para a surpresa de Jéssica, ela foi com uma tesoura a sua frente e cortou seu sutiã o removendo com tudo, Jéssica gritou:

- EEEI! ERA MEU SUTIÃ! O QUE A SENHORA TÁ FAZENDO?

- Nas próximas vezes você vai vim sem sutiã entendeu?

- Mas professora, minha mãe vai perceber e reclamar comigo!

- Não vai não, você vai usar alguma jaquetinha por cima cobrindo a blusa e pronto, agora vamos começar! – falou a professora Roberta e começou a alisar e acariciar os seios durinhos e grandes de Jéssica que foi logo suando, ficando nervosa gaguejando e gemendo:

- PROFE... PROFESSORA... AAAAH... AAAAH... HUMMM... PROFESSORA... POR... POR FAVOOR... AAAAAH... AAAAIMMM... HUMMMMMM....

As mãos da professora iam alisando e fazendo carinho naqueles peitos enormes e durinhos, deslizando seus dedos os tocando e apalpando, aos poucos foi os apertando e os puxando, balançando-os e os segurando com as duas mãos voltando a aperta-los, Jéssica já estava fechando os olhos e mordendo os lábios, gemendo alto e implorando para a professora parar:

- HUMMMMMM... PROFESSORA... AAAAIM... PARE POR FAVOOOR... AAAAH... HUMMM... ISSO AAAAH… NÃAO… HUMMMMM…. HUMMMM…. TÁ CERTO… HUMMMM…

Depois de poucos minutos assim, a professora começou a dedilhar seus dedos na cintura e costelas de Jéssica que começou a rir:

- NÃAAAAAAAAO... AHAHAHAHAAHAHAHAHA PROFESSORA ASSIM NÃAAO AHAHAHAHAHA PAREE AHAHAHAHAAHAHAHAHA NÃAO MEXI AI AHAHAHAHHAAHAHA...

Enquanto fazia cócegas nas costelas e cintura de Jéssica, a professora Roberta começou a lamber os seios da jovem, isso foi fazendo Jéssica sentir prazer e desespero ao mesmo tempo:

- AAHAHAHAHAHAHAHA AAAAH... AHAHAHAHAAHAHAHAHAHA UI AHAHAHAHAHA ASSIM NÃAAAO... HUMMMM... UHUHUHUHUHHUUHUHU... AHAHAHAHAHAAHAHA....

Foram cinco minutos assim, quando a professora Roberta parou, ela começou a lamber e chupar intensamente os seios de Jéssica e a mesma começou a gemer alto:

- AAAAH... HUMMMMM.... PROFESSORA.... AAAAAH... NÃO FAAAAZ... ISSSO... HUMMMMM...

Depois de cinco minutos assim, a professora foi para atrás da cadeira de cócegas e posicionou suas mãos nas axilas de Jéssica que foi logo suplicando:

- NÃAAO PROFESSORA POR FAVOOR SENHORA NÃAAAAAAAO... AHAHAHAHAAHAHAAHA AHAHAHAHAAHAHAHAHAAHAHAHAHAHA PAREEEE AHAHAHAAHAHAHAHAAHA PAREEE AHAHAAHAHAHAHA...

As unhas longas e vermelhas das mãos da professora Roberta escavacavam forte cutucando e subindo e descendo a região sensível ali das axilas abaixo dos braços, Jéssica já estava toda melada e gozada, mas logo sentiu a urina vim forte e molhar toda a sua calça enquanto gargalhava sem parar:

- AHAHAHAHAAHAHAHAHAHAHAHAAHAHAAHA EU NÃAAO AGUENTOOO AHAHAHAHAHAAHA POR FAVOOR AHAHAHAHAHAHAHA PIEDADEEE AHAHAHAAHAHA...

Enquanto fazia essas cócegas nas axilas de Jéssica, a professora ás vezes ia lambendo e beijando o pescoço da jovem, depois de dez minutos de cócegas na axilas, ela foi para a frente e se sentou numa cadeira ficando de frente para as solas vermelhas dos pezinhos grandes tamanho 38 de Jéssica e falou:

- Agora é hora de brincar com os pezinhos!

E dizendo isso, a professora Roberta não começou lambendo como de costume as solinhas, mas sim já fazendo cosquinhas com suas duas mãos, uma fazendo cócegas em cada solinha ali indefesa, rapidamente Jéssica já estava nervosa na cadeira de cócegas se remexendo e fazendo força em vão enquanto gargalhava desesperada:

- AHAHAHAHAAHAHAHAAHAHA ASSIM NÃAAAO AHAHAHAHAAHAHAHAHA CÓCEGAAAS NÃAAO AHAHAHAHAAHAHAHA DEIXE EU DESCANSAAAAAHAHAHAHAHAHAHAHAHA POR FAVOOOR AHAHAHAHAAHAHAHAHAHA...

- Calma querida, só estamos começando!

Foram longos dez minutos de cócegas sem parar com as mãos da professora judiando ao máximo com cócegas os pezinhos de Jéssica que no final já estava ofegante, com os olhos lacrimejando e toda mijada, enquanto Jéssica ia se recuperando, a professora começou a lamber suas solas, morder os calcanhares, lambendo as laterais, deslizando a língua para o meio das solas subindo e descendo intensamente, mordendo e chupando a almofadinha ali abaixo dos dedinhos, passando a língua entre os dedos e abaixo deles e fazendo a jovem rir:

- ASSIM NÃAAAAAO... AHAHAHAHAHAHAHA...

A língua da professora Roberta deslizava bem devagar e demorava em cada centímetro daqueles pezinhos gostosos da sua aluna indefesa ali presa naquela cadeira de cócegas, quando se satisfez daquele jeito, ela começou então a chupar os dedinhos, os enfiando um por um dentro de sua boca e os chupando intensamente, os degustando, havendo momento que Roberta enfiava todos os dedos de uma só vez de um dos pezinhos de Jéssica dentro da sua boca e ficava ali os chupando com a boca cheia por vários minutos, aquilo no inicio era um incomodo para Jéssica, mas aos poucos foi se tornando muito prazeroso e a dando prazer:

- HUMMMMM... AAAAAH PROFESSORA... PARE... HUMMMM... POR FAVOR... AAAAAH... AIIIIMM... HUMMMMMM...

Quando a professora sentiu satisfeita, Jéssica já estava novamente gozada ali na calça, a professora sorridente foi no bolso da calça da jovem e tirou de lá o celular pessoal da aluna, Jéssica nesse momento gritou ali:

- EEEI PROFESSORA QUE HISTÓRIA É ESSA DE MEXER NO MEU CELULAR? ME DEVOLVEEEE!

A professora apertou num dos botões de lado e apareceu a tela de bloqueio pedindo a senha, a professora falou sorridente:

- Antes de prosseguirmos para a nossa próxima brincadeira, eu quero que você me diga todas as suas contas pessoais de redes sociais, e-mails, banco e claro as senhas de cada uma, incluindo a senha inicial aqui pra desbloquear o seu celular!

- EI ISSO É INVASÃO DE PRIVACIDADE! ME DEVOLVE MEU CELULAR!

- Eu sabia que você iria dizer isso querida, mas não se preocupe, faltam uma hora e vinte minutos para nossa aula de reforço acabar, meu objetivo hoje é esse e até o final você vai me dizer tudo – e dizendo isso a professora se aproxima dos pés de Jéssica e começa a colocar umas cordinhas elásticas da base prendendo os dedos dos pezinhos e os esticando, deixando assim os dois pezinhos com os dedos esticados a força sem Jéssica conseguir os fechar, a jovem foi aos gritos falando desesperada:

- PROFESSORA ISSO JÁ TA LONGE DEMAAAAAIS! ME SOLTAAAA! ME DEVOLVE MEU CELULAAAAAR! PARAAAAAA!

A perversa professora foi ignorando os apelos de Jéssica e então pegou um frasco do óleo vegetal comestível e o passou em abundancia nas solinhas dos pezinhos da jovem, principalmente no meio das solas e entre os dedos, então quando achou que passou o suficiente, a professora Roberta pegou da mesa de itens de cócegas duas escovas elétricas de dente e as ligou, o sim das escovas aumentou o pânico e desespero de Jéssica:

- ZUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMM...

- NÃAAO PROFESSORA! EU VOU MORRER DESSE JEITO! POR FAVOOOR NÃAAO FAZ ISSO! POR FAVOOOR!

- ZUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUMMMMMMMMMMMMMMMMMM...

A professora foi aproximando as escovas de dente elétricas até chegarem bem perto do meio das solinhas dos pezinhos de Jéssica que foi implorando:

- PROFESSORA EU NÃAAO POSSO TE DIZER ESSAS COISAS, ENTENDA! POR FAVOOR NÃAAO FAZ ISSO! POR FAVOOOOOR NÃAAAAAAAAAO!

- ZUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUMMMMMMMMMMMMM...

- Eu entendo querida, mas eu só vou parar quando você me disser tudo!

- ZUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMM....

- NÃAAAO POR FAVOOOOR NÃAAAAAAAAAAAO... AHAUAHAAUAHAUAHAUAHAHAUAHAUA AHAUAHAUAAAHAUAHAUAHAUAHAUAAHAUAHAUAAHAUAHAUA PAREEEE AHAUAHAUAAHA AHAUAHAUA...

As escovas de dente elétrica tocaram o meio das solas dos pezinhos de Jéssica a fazendo imediatamente perder o controle e ficar histérica gargalhando como uma louca:

- AHAUAHAUAHAUAAHAUAHAUAHAUAAHAUAHAUAAHAUAHAUAHA PAREEE AHAUAHAUA AHAUAHAUAHAUAHAUA...

Lentamente a professora Roberta ia subindo e descendo as escovas de dente elétricas que tinham 1200 giros/vibrações por minutos ali nas suas cabeças onde os pelos giravam em dois círculos, um com sentido horário e o outro menor dentro do maior em sentido anti-horário, esses movimentos naquela região sensível dos pezinhos super lambuzados de óleo faziam Jéssica ficar louca de tantas cócegas que sentia ali nas solas dos pés, em poucos minutos ela estavam já chorando e se mijando com força:

- AHAUAHAUAHAAUHAAUAHAUAHAUAHAUAAHAUA EU DIGO AAHAUAHAUAHAUAHAUA...

Mas a professora ignorou seu apelou e continuou, depois de cinco minutos ali no meio das solas, ela foi subindo escovas as deslizando pelas laterais e abaixo dos dedos e então as levou até os dedos e começou a desliza-las entre os dedos esticados dos pezinhos, Jéssica implorou chorando e rapidamente voltou a gargalhar ainda mais histérica:

- AHAHAHAHAHAHA NÃAAO POR FAVOOR AI NÃAAAAAO... AHAUAHAUAHAUAHAUAAHAU AHAUAHAUAAHAUAHAUAHAUAHAUAHAUAAHAUAAUAHAUAAHAUA...

Os minutos lentamente passavam, parecia uma eternidade, a professora Roberta ia passando as escovas de dente elétrica entre cada dedinho indo e voltando, Jéssica já estava chorando, se mijando e babando de tanto rir:

- AHAUAHAUAHAAUAHAAUAHAUAHAUAHAUAHAUAAHAUAAUAAHAUAHAUA...

Quando a professora deslizou as escovas de dente elétricas, Jéssica disse forçando um sorriso:

- PARE POR FAVOR PROFESSORA! EU NÃO AGUENTO MAIS ISSO! EU TE CONTO TUDO!

A professora ligou novamente as escovas de dente elétricas:

- ZUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUMMMMMMMMMMMMMMMMMMMM...

- NÃAAAAAAO POR FAVOOR NÃAAAO! EU PROMETO! EU VOU CONTAR TUDO!

- Eu sei que vai querida, mas é apenas para ter certeza que você a partir de hoje vai me obedecer cegamente e o seu celular vai ser um livro aberto na minha mão, entendeu?

- ZUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMM...

- EU PROMETOOOO! POR FAVOOR NÃAAAO FAZ ISSO!

- Muito bem, só mais alguns minutinhos e você vai me contar tudo!

- ZUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUMMMMMMMMMMMMMMM...

- NÃAAAAAAAAO... AHAUAHAUAHAUAHAAUAHUAHAUAHAUAHAAUAHAUAHAUA AHAUAHAA AHUAHAAUAHAUAHAHAUAHAUA PROFESSORAAAAAAHAUAHAUAHAUAHA...

Mas Roberta mentiu, foram mais trinta minutos exclusivos ali brincando com as escovas de dente elétricas sendo deslizadas nas solas dos pezinhos da coitada da aluna, quando a professora parou e desligou as escovas, Jéssica contou-lhe tudo, todas as contas e senhas, calmamente a professora anotou tudo e falou no final:

- Todo dia no colégio quando chegar e ir na minha sala antes das aulas começarem, eu darei uma checada no seu celular, se eu perceber que mudou alguma das senhas, teremos sessões extras de cócegas entendeu?

- SIM SENHORA!

Quando a professora libertou Jéssica da cadeira de Cócegas, ela fez a aluna calçar seus tamanquinho super gozados e dar umas voltinhas ali pelo quarto, então olhou para o relógio, ainda faltavam quarenta minutos para sua aulinha de reforço acabar, a professora falou para Jéssica:

- Tira tudo! Quero você nua!

- MAS PROFESSORA ISSO TÁ ERRADOOOO!

- Vai me questionar novamente? Quer mais cócegas nos pezinhos?

- NÃAO POR FAVOR NÃAAO! EU TIRO!

E então a Jéssica tirou tudo, ficando nua apenas com os tamanquinhos nos pés, a professora a levou até o suporte com correntes na parede, ela algemou os pulsos de Jéssica e vou rodando uma manivela que tinha do lado, as correntes foram sendo puxadas e a aluna foi ficando pendura nua ali, a professora deixou Jéssica erguida com os pés apenas um palmo acima do chão, então sorrindo foi na instante de brinquedos eróticos e pegou uma cinta que tinha um enorme pênis borrachudo e preto na frente, aquilo era um strapon, a professora ajustou a cinta em si e foi se aproximando de Jéssica que estava chorando, então foi para a trás da aluna se posicionando e colocou as mãos na cintura de Jéssica e falou baixinho:

- Hoje eu só vou enfiar no seu cuzinho querida, mas nas próximas vezes vamos brincar na frente e atrás!

- PROFESSORA POR FAVOOR NÃO FAZ ISSO POR FAVOOOOR!

- Você já é maior de idade, tem 18, daqui um mês vai fazer 19, já está bem grandinha e ainda é virgem, precisamos mudar isso, além do mês, no fundo eu sei que você gosta querida, você gosta de ser dominada e sentir tudo isso, todo esse desespero misturado com prazer e loucura! Agora fica caladinha ou vou lhe fazer cócegas enquanto tentou fazer nosso brinquedinho entrar!

- SIM SENHORA – respondeu Jéssica de cabeça baixa, a professora então começou a enfiar lentamente o pênis negro borrachudo dentro do cuzinho de Jéssica que foi só gemendo e gemendo cada vez mais alto, sentindo dor e prazer ao mesmo tempo:

- HUMMMMM.... HUMMMM... DEVAGAR PROFESSORA... AAAAI... AAAAAIMMM... HUMMMM... AAAAAAH... AAAAAAAIIIIMMM... HUMMMMM... HUMMMMM...

- Calma, estamos quase lá querida – falou a professora sádica ali atrás de Jéssica, o pauzão que Roberta enfiada no cuzinho de Jéssica tinha nada menos que 15cm, a professora Roberta estava apenas começando com aquela pratica, quando enfiou finalmente tudo, começou a puxar e socar o pau borrachudo do strapon dentro do cuzinho de Jéssica que começou a arder e dor, mas a dar muito, mas muito prazer, Jéssica foi gritando, gemendo e em poucos minutos gozando em fortes ejaculadas:

- AAAAAAI.... PROFESSORAAAAAAA... HUMMMMM... AAAAAAIIIIMMMM... AAAAAH... HUMMMM.... OHHHHHH... AAAAAAH... HUMMMMMMMMMM....

Rapidamente o chão ali embaixo de Jéssica se tornou uma poça de porra dela tendo orgasmos múltiplos, quando a professora tirou finalmente o pau borrachudo do strapon de dentro do cuzinho de Jéssica, a jovem estava quase inconsciente de tão cansada e exausta.

No final daquilo, Jéssica tomou banhou na casa da professora e vestiu suas roupas, então bebeu água e foi voltando para a cada calçando os tamanquinho bem gozados e andando toda assada.

O resto do dia foi bem normal, Jéssica chegou um pouco mais cedo no colégio, entrou na sala da professora Roberta que lhe prendeu, se deliciou com seus pezinhos e lhe fez cócegas até a jovem se mijar toda, então melou as chinelas da aluna de porra e a faz calçar. Durante toda a o expediente escolar Jéssica foi usando as havaianas gozadas e no final das aulas, foi discretamente para a sala da professora onde foi presa, teve os pezinhos novamente degustados e torturados com mais cócegas.

Terminado a sessão ali, a professora acompanhou Jéssica usando as havaianas gozadas até perto da casa da jovem e foi para a casa dizendo:

- Te espero amanhã no nosso segundo dia de aula de reforço!

Meu deus como Jéssica tinha se metido naquilo, ela agora estava entendo sua situa terrível, tinha se tornado uma escrava sexual e de cócegas da sua professora de matemática, estava à mercê da vontade daquela senhora perversa ali.

Em casa enquanto Jéssica tentava dormir, ela recebeu uma mensagem da professora Roberta com um link, quando Jéssica clicou no link, seu celular foi direcionado para uma página com vários vídeos, todos dela e da professora ali naquela salinha diabólica, Jéssica tinha percebido que naquela sala tinham câmeras escondidas e estava assistindo a tudo que elas fizeram juntas naquela manhã, incluindo ela nua sendo fodida pela professora! Ao voltar para a mensagem, a professora deixou um emotion sorridente e falando “Vai me obedecer e fazer tudo que eu mando, senão eu envio esses vídeos para seus pais e todos do colégio, publico na internet, entendeu? Até amanhã minha querida!”

Desse jeito rapidamente a professora Roberta tomou o total controle da sua aluna e agora escrava sexual e de cócegas, os dias foram e a rotina era essa, de manhã Jéssica ia para a casa da professora e lá era dominada, humilhada, castigada e bolinada de todas as formas possíveis, sempre com ameaças de receber sessões extras de cócegas nos pezinhos caso não fizesse como a professora queria, a tarde ela chegava mais cedo no colégio, tinha os pezinhos degustados e torturados com cócegas por uns trinta minutos antes das aulas e no final das aulas passava uma hora a mais no colégio sozinha tendo os pezinhos novamente adorados e torturados pela professora. A noite ela tentava estudas para as outras matérias, mas quase sempre sem sucesso. No outro dia começa tudo de novo.

De todos os brinquedinhos do quarto da dominação e controle, os que a professora Roberta mais gostava eram a cadeira de cócegas e o suporte onde Jéssica ficava pendura numa indefesa e a professora a fodia gostoso com o strapon, na primeira vez que Roberta usou a cinta com o pênis borrachudo para fuder a bucetinha de Jéssica, a jovem sangrou um pouco, a professora falou tentando acalma-la:

- Calma é normal, na primeira vez todas nos sangramos um pouquinho, apenas relaxe!

Na medida que o tempo passavam, a professora aumentava o tamanho dos brinquedinhos, de 15cm para 18, depois para 20, 22 e indo, até no fim do ano já estarem usando o maior de 25cm. Logo o cuzinho e a bucetinha de Jéssica já estavam completamente arrombados e já acostumados com a penetração.

Mas os demais locais de tortura e dominação eram também frequentemente usados, no sofá a professora deitava Jéssica nua com as mãos acorrentadas para trás, os seus pezinhos eram acorrentados presos juntos e com uma corrente os esticando no sofá, a professora Roberta se sentava e colocava os pezinhos acorrentados esticados no seu colo, então começava a lhe fazer cosquinhas com suas mãos ou usando penas, sempre cosquinhas leves, toda vida que ouvia a voz de Jéssica gargalhando, rindo, mesmo que baixinho, ela batia com uma palmatoria na bunda da jovem submissa que gritava de dor:

- AAAAAAAAAAAAI!

- Isso é pra você aprender a se ganhar resistência e ficar caladinha enquanto receber as cosquinhas nos pezinhos querida!

E assim a brincadeira sádica continuava com a professora fazendo cócegas leves nos pés de Jéssica e a coitada fazendo de tudo para se segurar e não gargalhar, pois caso a sua senhora ouvisse o mínimo riso, ela apanhava na bundinha, essa prática fez com que a bunda de Jéssica ficasse bem vermelha e dolorida até a jovem criar resistência e conseguir aguentar as dores, mas as gargalhadas continuavam sempre que ela não conseguia se segurar:

- Hummmmm... Ahahahahaha eu não aguento... Ehehehehehe... professora... AHAHAHA... POR FAVOOR NÃAAAO... AHAHAHAHA... AAAAAAAAAI!

Na grande cama de casal, Jéssica hora era amarrada em X de bruços com o rosto e barriga para baixo, hora era colocada virada para cima, nas vezes que ficava presa em x com o rosto e barriga para baixo, a professora começava a sessão fodendo seu cuzinho com o strapon enquanto lhe fazia cócegas nas suas axilas:

- NÃAAAAAAAAAO... AHAHAHAAHAHAHAHAHHAHAHAAHA PAREEE AHAHAHAHAHA... HUMMMM.... AHAHAHAHAHAAHAHAHAA... AAAAI... AHAHAHAHAAHAHAHA...

Quando a professora se satisfazia, ela ia para os pezinhos, lambia intensamente as solinhas de cada pezinho os chupando, cheirando, mordendo e lambendo mais, chupando os dedinhos como se fossem deliciosos pirulitos, depois de satisfeita, ia para o outro pezinho e se deliciava ali intensamente do mesmo jeito, feito isso, a professora se sentava na beira cama, melada as solas dos pezinhos da submissa com óleo e então começava a esfregar uma escova de cabelo em cada uma das solinhas avermelhadas ali sensíveis, rapidamente Jéssica estava no inferno novamente gargalhando histérica e louca:

- NÃAAAO COSQUINHAS NÃAAAAAAAAO... AHAUAHAUAAHAUAHAUAAHAUAHAUA POR FAVOOR AHAUAHAUAHAUAAHAUAHAUAAHAUAHAHAUAAHAUA...

- Calma querida, são apenas cosquinhas, coitadinha, que pezinhos mais sensíveis e delicados você tem né meu amor!

- AHAUAHAUAHAUAAAHAUAHAUAHAUAAHAAUA PAREEE AHAUAHAUAHAHAAUA POR FAVOOR AHAUAHAUAHAUAHAUAAHAUAHAUA...

Quando Jéssica estava amarrada em X na cama virada pra cima, a professora começava fodendo sua bucetinha usando o strapon violentamente a cavalgando, isso enquanto lhe fazia cócegas nas axilas:

- AHAHAHAHAAHAHAHAHA... AAAAI AAAAI AHAHAHAHAHAHAHA... HUMMMMMMM... AHAHAHAHAHAHAHAHA AAAAIMMMM... AHAHAHHAHAAHA HUMMMM AHAHAHAHA...

Depois disso, a professora dominadora ia para os pezinhos os chupar e lamber intensamente, quando se satisfazia, passava óleo nas solas e esfregava as escovas de cabelo como de costume:

- NÃAA PROFESSORA ISSO DE NOVO NÃAAO POR FAVOOR NÃAAAAO... AHAUAHAUAHAAUA AHAUAHAUAHAAUAHAUAHAUAAHAUA ALGUÉEEM AHAUAHAUAHAAUA ME AJUDEEEE AHAUAHAAHAUAHAUA...

- Ninguém vai te ajudar querida, somos só eu e você nesse quarto a prova de som – falava séria a professora respondendo os apelos de Jéssica.

Havia momentos que a professora colocava um vibrador grande e de intensidade forte dentro da buceta de Jéssica e o deixava lá enquanto se deliciava com os pezinhos da jovem e depois fazia cosquinhas na solinhas, a jovem revirava os olhos de prazer enquanto se mijava e gozava ao mesmo tempo:

- AAHAHAHAHAAHAHAHAAHAHAHA... HUMMMMM... UHUHUHUHHUHUHUMMMM... AHAHAHAAHAHAAHAHAHAH PROFESSOORAAAAAAHAHAHAHAHAHA... AAAAH... AHAHAHA...

No dia do aniversário de Jéssica, ela e a professora saíram a noite e foram jantar num restaurante chique com tudo pago por Roberta, Jessica obviamente tinha mentido para os pais, ela passou a sair com a professora com frequência pelas noites, sempre usando e calçando o que a professora mandava, afinal ela era a sua senhora.

As duas saiam para bares, restaurantes, cinema, lanchonetes, boatos e fofocas no colégio começaram a surgir das pessoas falavam daquela relação de aluna e professora. Ambas negavam sempre para todos.

Veio o fim do ano e o resultado final, Jéssica passou em matemática direto sem ir para a recuperação, mas foi reprovada em física, química e inglês, tudo porque em vez de estudar para essas matérias, ela se ocupou com a professora. Os pais de Jéssica tiveram uma briga séria por causa desses resultados e a mãe de Jéssica ficou do lado da filha, o pai disse que não respeitava e se Jéssica não fosse arranjar um emprego e fazer um supletivo, ele iria embora, a mãe de Jéssica disse que ela faria, mas a jovem dentro de três meses não conseguiu nada, logo o pai saiu de casa se separando da família e deixando Jéssica sozinha com sua mãe.

A professora apoiou Jéssica e dava tudo para ela a sua mãe, mas de forma escondida e disfarçada, um dia Roberta falou para Jéssica:

- Eu quero ver os pés da sua mãe, você vai fazer um vídeo filmando as solas dos pés dela quando a mesma estiver dormindo e faça um pouco de cócegas!

- MAS SENHORA A MINHA MÃE NÃO POR FAVOOOR!

- Você quer passar três dias recebendo cócegas sem parar e sem ver a sua mamãe?

- NÃAAO SENHORA!

- Então já sabe, tire fotos e me faça um vídeo gostoso das solas dos pés da sua mãe!

Jéssica começou então a pensar em como iria conseguir aquilo, a malvada professora Roberta sorridente já estava tramando a sua cartada final, ela iria morar junto com a mãe e filha e as fazer suas escravas e viver apenas cuidando das duas, em especial a sua novinha claro, dinheiro para aquela senhora não seria problema, seus olhos brilhavam de maldade...

CONTINUA...

***

Terceira Parte do conto solicitado pela minha leitora Alana Feet que deu a ideia.

Perfil da parceira escritora Alana Feet cheio de deliciosos contos Lésbicos com podolatria:

https://www.casadoscontos.com.br/perfil/266461

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 21 estrelas.
Incentive SenhorDasCocegas a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.
Foto de perfil de SenhorDasCocegasSenhorDasCocegasContos: 64Seguidores: 31Seguindo: 46Mensagem Sou um Podolatra e Dominador Tickler! Meus contos são sobre mulheres de Pezinhos belos sendo adorados e torturados com muitas cócegas, além de Podolatria e um pouco de sexo gostoso de vez em quando. Contato por e-mail: cocegasinsanas@gmail.com

Comentários

Este comentário não está disponível