HORMÔNIOS MALVADOS CH. 02

Um conto erótico de lobo curioso
Categoria: Heterossexual
Contém 9420 palavras
Data: 26/02/2023 17:15:49

CAPÍTULO 2

Jacob foi o primeiro a descer para a cozinha no sábado de manhã. Ele estava sentado à mesa, comendo cereal e mexendo no celular quando Karen entrou na sala. Embora ela tivesse acabado de sair da cama, Jacob achou que ela parecia radiante. Seu longo cabelo castanho estava preso em um rabo de cavalo, e ela usava um roupão de cetim rosa na altura do joelho. A faixa estava amarrada, mas Jacob ainda podia ver um pouco do decote profundo de sua mãe.

"Ah, bom dia, amor." Ela exibiu seu lindo sorriso. "Eu dormi um pouco esta manhã... seu pai e eu ficamos acordados até tarde ontem à noite."

Jacob pensou consigo mesmo: "Sim, eu ouvi."

Karen foi preparar o café, "Você gostaria que eu fizesse um café da manhã para você?"

Jacob apontou para a tigela com a colher, "Não, mãe... está bom." "Vou para a casa de Matt assim que terminar."

"Oh, ok. Bem, eu tenho uma reunião na igreja hoje. Estamos fazendo planos para uma próxima venda de bolos."

Jacob deu outra mordida, "E quanto ao papai?"

Karen respondeu: "Seu pai vai passar algumas horas no escritório para trabalhar em alguns relatórios". Ela então ligou a cafeteira, "Estamos planejando sair para jantar hoje à noite ... como isso soa?"

"Parece bom." Jacob tomou um gole de suco e disse: "Oh, antes que eu me esqueça, tudo bem se mais tarde, Matt e eu voltássemos aqui para nadar na piscina?"

Karen colocou duas canecas de café no balcão, "Claro... Matthew é bem-vindo aqui a qualquer hora. Na verdade, você pode convidá-lo para jantar conosco se quiser... apenas verifique com Nancy primeiro."

"Ok, vou pedir a ele para esclarecer isso com sua mãe."

Karen então se sentou na cadeira ao lado de Jacob e falou suavemente: "Jake, você realmente precisa tomar cuidado com o que diz perto de seu pai."

"Eu sei, mãe... me desculpe por ontem à noite... apenas... saiu."

Karen pôs a mão no ombro dele, "Querido, temos que manter isso entre nós. Realmente precisamos ter cuidado até que tudo volte ao normal."

"Sim, senhora." Jacob então olhou para sua tigela de cereal, "Falando nisso... está doendo de novo."

Karen se aproximou e respondeu quase em um sussurro: "Você tentou o que eu mostrei?"

Ele olhou de volta para sua mãe, "Sim, mas ainda não consegui terminar."

Karen se recostou, "Bem, Jake, você tem que continuar tentando. Não posso continuar fazendo isso... é muito inapropriado."

Jacob choramingou, "Mas mãe... realmente dói."

Ela cruzou os braços, "Jake, eu mostrei a você duas vezes... isso deve ser o suficiente."

Jacob percebeu que havia perdido esta rodada e era melhor não forçá-la. Ele então suspirou: "Ok, mãe... vou continuar tentando."

A expressão de Karen suavizou, "Esse é o espírito... apenas lembre-se do pequeno motor que poderia." Ela então se levantou, deu um tapinha no ombro de Jacob enquanto caminhava até a cafeteira.

Enquanto Karen servia o café, Jacob virou-se em sua cadeira para ela, "Mãe... eu realmente gostaria que você parasse de dizer coisas assim. Eu tenho dezoito anos... eu não sou mais uma criança."

Karen sorriu e caminhou de volta para Jacob. Ela então se inclinou e beijou-o no topo de sua cabeça, "Eu não me importo quantos anos você tenha, você sempre será meu bebê." Ela então pegou as xícaras de café e saiu da cozinha e gritou de volta: "Divirta-se no Matt's".

********

Mais tarde naquele dia, Karen estava voltando para casa depois de sua reunião na Igreja Batista Grace. Ela esperava que Robert estivesse lá porque ela estava pronta para uma repetição da noite anterior. O sexo com Robert foi satisfatório, mas com o passar do tempo, a excitação voltou.

Enquanto ela dirigia em seu SUV, seus mamilos endureceram e formigaram dentro de seu sutiã. Ela coçou sem pensar a protuberância de fora do vestido. Isso enviou uma faísca para sua vagina, e ela apertou as pernas juntas, sentindo a umidade em sua calcinha.

Quando Karen se aproximou da casa, ela clicou no controle remoto da garagem. Quando a porta se abriu, a decepção se instalou porque Robert ainda não havia chegado em casa.

Ela estacionou o jipe ​​e saiu para entrar na casa. Quando entrou na cozinha, lembrou-se de que Jacob e Matthew provavelmente estavam na piscina. Ela pensou que talvez um mergulho na água refrescante pudesse esfriá-la um pouco. Esperançosamente, em mais de uma maneira.

No quarto, Karen colocou a bolsa na penteadeira. Ela então foi até a janela que dava para o quintal e a piscina. Ela viu que Jacob e Matthew estavam lá e decidiu se juntar a eles.

Karen não conseguiu encontrar o maiô que queria usar. Era um maiô preto que ela usava para nadar ou receber convidados. Depois de alguns minutos de pesquisa, ela decidiu por uma alternativa. Era um maiô vermelho conservador que ela usara nas férias do ano passado. Este mostrou um pouco mais de pele; no entanto, ainda era considerado modesto. Tinha alças largas e fundo de corte cheio que deveria ser seguro o suficiente para evitar qualquer "mau funcionamento do guarda-roupa".

Karen tirou o vestido de verão e o colocou sobre a cama. Ela então estendeu a mão para trás e desabotoou os ganchos de seu sutiã branco rendado. Foi um grande alívio para seus seios quando ela tirou a roupa e permitiu que as "meninas" respirassem. O ar frio lambeu seus mamilos, tornando-os ainda mais duros do que antes.

Ela então removeu a calcinha branca combinando e jogou-a na cama ao lado do sutiã descartado. Karen vestiu o biquíni e fez os ajustes necessários. Ela deu uma olhada no espelho. Havia mais pele à mostra do que ela gostaria, mas não o suficiente para ser considerado impróprio.

Depois de passar protetor solar, Karen decidiu usar uma capa de linho branca que comprou há pouco tempo. Ela prendeu o cabelo em um coque frouxo e pegou os óculos escuros, uma garrafa de água e o livro no criado-mudo. Ela colocou todos os itens em uma sacola de lona e saiu.

Ela saiu para o pátio para encontrar os meninos sentados à beira da piscina. Karen gritou: "Olá pessoal... espero que não se importem se eu me juntar a vocês." Os dois adolescentes olharam para cima e observaram a bela MILF caminhar em direção à mesa de sinuca.

Os meninos se juntaram a ela e Matthew respondeu com entusiasmo: "Não se preocupe, Sra. Mitchell, você pode se juntar a nós a qualquer hora!"

Karen começou a descarregar seus itens da bolsa, "Obrigada, Matt. Você é um menino tão doce." Ela não sabia que Matthew estava aproveitando a oportunidade para apreciar a visão de seu decote exposto. "Vocês meninos se lembraram do protetor solar?"

Ambos responderam em uníssono: "Sim, senhora."

"Bom porque Jacob, você tem pele clara e é fácil para você se queimar de sol."

Tirando a capa do maiô, ela disse: "Bem, rapazes... acho que vou dar um mergulho rápido". Tanto Jacob quanto Matthew a encararam enquanto ela se afastava em direção aos degraus da piscina. Nenhum dos garotos conseguia desviar os olhos... nem queria.

Karen nadou algumas voltas na água refrescante e pôde sentir seu "calor" interno começar a diminuir. Ela saiu da piscina e foi até sua espreguiçadeira para tomar sol e ler seu romance. O sol da tarde era ótimo em sua pele.

Karen estava muito relaxada até se deparar com uma cena erótica em seu livro. Ela podia sentir o retorno das sensações de formigamento. Ela pensou consigo mesma: "O que há de errado comigo ultimamente?" Karen fez o possível para ignorá-lo, mas os sentimentos começaram a se intensificar, e esperar por Robert estava se tornando cada vez menos uma possibilidade.

Com relutância, Karen pousou o livro ao lado da cadeira, levantou-se e começou a caminhar em direção à casa. "Vocês gostariam de uma limonada? Está ficando quente aqui fora."

Jacob respondeu: "Parece ótimo mãe ... você quer alguma ajuda?"

Acenando para ele, "NÃO, não, entendi, querido... obrigado, no entanto."

Karen entrou na cozinha e fechou a porta atrás de si. Ela se aproximou e pegou alguns copos no armário e a limonada na geladeira. Enquanto enchia os copos com gelo, olhou pela janela.

Jacob e Matthew estavam novamente sentados na beira da piscina. Ela não pôde deixar de notar como seu filho parecia pequeno e frágil sentado ao lado de Matthew. Era difícil acreditar que eles tinham a mesma idade. Era ainda mais difícil acreditar no que Jacob estava carregando em seu calção de banho.

Os dois garotos pareciam estar em uma conversa muito animada... provavelmente discutindo sobre Guerra nas Estrelas vs. Jornada nas Estrelas ou uma de suas histórias em quadrinhos idiotas.

"Vamos, Jake... você tem que admitir... sua mãe é muito gostosa!"

"Cara... é da minha mãe que você está falando."

Matthew sorriu, "Sim, eu sei... ela é a MILF mais gostosa da nossa escola. Quero dizer, ela se parece muito com Denise Milani. Como você mora na mesma casa que ela e não enlouquece?"

Karen observou o filho pela janela e sua mente ficou nublada com as lembranças dos últimos dias. A sensação entre suas pernas estava ficando mais intensa. Ela não pôde deixar de passar a mão direita pela barriga até que seus dedos deslizassem entre as pernas e em seu monte. Sua boceta estava tão molhada que ela podia sentir a umidade através da parte de baixo do biquíni. Seus dedos só ajudaram a atiçar as chamas, e ela gemeu: "Droga, Rob, não posso esperar mais."

Ela colocou a mão direita dentro da parte de baixo do biquíni e deslizou o dedo médio ao longo de sua fenda suculenta. "Mmmmmmm," ela gemeu quando seus dedos encontraram seu pequeno botão mágico. Karen teria que se apressar e perseguir o orgasmo caso os meninos viessem procurá-la.

Ela segurou a bancada com a mão esquerda enquanto observava o filho. Mal sabia Karen que ela era o assunto principal da conversa dos meninos enquanto os observava pela janela da cozinha.

Matthew continuou: "Você sabe que todo cara na escola quer transar com ela."

"Cale a boca, Matt!" Jacob chutou água para seu melhor amigo, "Ei... que tal falarmos sobre sua mãe. Ela é gostosa." A mãe de Matthew, Nancy, era uma bela ruiva. Jacob achava que ela se parecia com a atriz Christina Hendricks.

Matthew respondeu: "Sim, você está certo sobre isso. Minha mãe é muito gostosa ... mas eu gosto mais de morenas."

Enquanto isso, na cozinha, os dedos de Karen estavam encharcados e ela podia sentir um fio de líquido escorrendo por sua perna. Conforme ela se aproximava de seu objetivo, seus joelhos começaram a enfraquecer e ela agarrou a bancada com mais força. Ela esfregou a boceta mais rápido e mordeu o lábio inferior na tentativa de ficar quieta.

Karen gemeu alto quando o orgasmo floresceu rapidamente e irradiou por todo seu corpo. Ela fechou os olhos e se inclinou contra o balcão. Ela sussurrou: "Ah, sim!!" enquanto seu corpo estremecia e se contorcia em êxtase.

Alguns momentos depois, Karen permaneceu imóvel, apreciando os suaves tremores secundários. Assim que conseguiu recuperar o fôlego, ela se endireitou e tirou a mão da parte de baixo do biquíni. Ela pegou um pano de prato e limpou as evidências da perna. Falando consigo mesma, "Bem... isso ajudou alguns... que pena, Rob perdeu."

Depois de alguns minutos, ela conseguiu se endireitar. Karen então terminou de servir a limonada. Se colocou os copos em uma bandeja e saiu para se juntar aos meninos na piscina.

********

No domingo de manhã, Jacob saiu da cama, vestiu o roupão e foi até a cozinha para tomar café da manhã. Quando ele chegou lá, ele encontrou seus pais sentados um de frente para o outro à mesa.

Como todas as manhãs de domingo, eles tomavam café juntos e liam o jornal dominical. Sua mãe estava com seu roupão de cetim rosa, mas parecia já ter tomado banho, feito o cabelo e colocado a maquiagem. Seu pai, no entanto, ainda tinha a aparência de "recém-saído da cama".

"Bom dia mamãe...pai."

"Bom dia, campeão", respondeu Robert.

Karen entrou na conversa, "Oi querida... como você está esta manhã?"

"Estou bem."

Karen tomou um gole de café, "Se você quiser, pode comer um pouco de cereal no café da manhã. Depois da igreja, vamos almoçar fora, e então seu pai tem um jogo de golfe esta tarde. Ele está jogando com o presidente da empresa. Isso pode ser um bom sinal de sua promoção."

Robert era atualmente gerente regional da Conway Enterprises. Ele estava com Conway há dez anos. Com dedicação e longas horas, Robert subiu na gerência. Agora ele era o principal candidato ao cargo de vice-presidente. Isso significaria um pouco mais de viagem, mas o aumento dos benefícios superou em muito o sacrifício. Ele amava sua família e queria garantir seu futuro financeiro.

Jacob viu o cereal e o leite já na mesa. Ele foi até o armário e pegou uma tigela e uma colher, em seguida, sentou-se ao lado de sua mãe na mesa. Enquanto colocava cereal em sua tigela, "Pai, você não joga golfe há muito tempo."

Robert respondeu: "Sim, já faz um tempo, mas estou ansioso para voltar."

Karen interveio: "Seu pai costumava ser muito bom. Na verdade, na época da faculdade, ele fazia parte do time de golfe."

Em falso espanto, Jacob respondeu: "Uau!... imagine isso... Pai, o atleta."

Karen olhou para Jacob, então piscou, "Sua velha mãe gosta de atletas!!"

Jacob riu, "Uau, pai... Tiger Woods desviou de uma bala." Karen então começou a rir.

Robert dobrou o jornal, "Quero saber que sempre quis ser mais como Jack Nicklaus."

Jacob franziu a testa enquanto derramava o leite sobre seu cereal, "Jack quem? OH! Você quer dizer aquele velho ator que interpretou o "Coringa" no filme do Homem-Morcego?"

Robert olhou confuso para o filho e respondeu: "O quê? NÃO!! É Jack NICHOLSON! Estou falando de Jack Nicklaus... o maior campeão de golfe de todos os tempos."

Jacob olhou para sua mãe em confusão.

Karen riu novamente.

Robert olhou para o relógio no microondas, "Oh, está ficando tarde... é melhor eu ir tomar um banho." Ele olhou para Karen, "Querida, você se lembrou de pegar algumas novas lâminas de barbear?"

Karen pousou a xícara de café, "Sim, querida, eu coloquei na gaveta do banheiro. Você precisa que eu mostre onde?"

Robert levantou-se, "Você pode ... eu nunca consigo encontrar nada lá."

Karen se levantou, "Ok, vamos lá... pare de ser tão dramática." Ela levou Robert para fora da cozinha.

Robert parou e olhou para Jacob, "Jack Nicklaus... o Urso Dourado." Jacob encolheu os ombros e continuou comendo seu café da manhã. Ele podia ouvir seu pai enquanto eles subiam as escadas, "Mas o garoto nem sabe sobre Jack Nicklaus!!"

Depois de alguns minutos, Karen voltou para a cozinha e sentou-se em sua cadeira ao lado de Jacob. Tomando um gole de café, "Eu juro... eu amo aquele homem com todo o meu coração, mas ele teria problemas para encontrar seu traseiro com as duas mãos."

Jacob riu de seu comentário e tomou um gole de suco de laranja. Karen então continuou, "Então... o que você planejou esta tarde?"

"Não muito, por quê?"

"Bem... enquanto "Jack" está jogando golfe, eu estava indo para o shopping fazer algumas compras. Você quer vir junto?"

"Talvez", Jacob respondeu, "eu tenho economizado para o novo jogo Star Wars que acabou de ser lançado, mas posso estar com poucos dólares."

Karen colocou o cotovelo na mesa e apoiou o queixo na mão: "Bem... se um certo jovem estiver disposto a acompanhar sua velha mãe hoje... esses últimos dólares podem acabar indo parar no bolso dele. "

Jacob respondeu alegremente: "Você conseguiu um acordo!!" Ele então se levantou e levou a tigela e o copo vazios para a pia atrás deles. "Mãe... mas eu tenho um problema."

Virando-se na cadeira para olhar para ele, "O que é isso, querido?"

Jacob voltou-se para ela e abriu o manto. "Eu tenho que lidar com isso de alguma forma."

Karen olhou para baixo para ver a enorme protuberância em sua cueca boxer. Acenando com as mãos, "Oh meu Deus, Jake... cubra isso... seu pai pode vir aqui a qualquer minuto!!"

"Mãe, não se preocupe... ele está no banho, certo?"

"Sim, ele está no chuveiro, mas não por muito tempo." "Vá para o seu quarto e cuide disso."

Ele fechou o roupão e voltou a amarrar a faixa. "Eu tentei mais cedo, mãe, e ainda estou tendo problemas para terminar, e sim, tentei o que você me mostrou."

Karen se levantou da mesa e foi até a pia para lavar sua xícara de café. "Bem, eu não vou fazer isso enquanto seu pai estiver em casa." Ela olhou para Jacob, "Talvez eu possa te ajudar mais tarde."

"Mas mãe... dói agora."

Karen desligou a água e se afastou da pia, "Sem 'mas' Jacob. Agora... vá tentar um banho frio ou algo assim." Ela pegou uma toalha e secou as mãos, "Precisamos nos preparar para a igreja."

Jacob percebeu que ela não cederia, especialmente com o pai dele em casa. "Ah, tudo bem." Ele saiu da cozinha desapontado, mas sempre poderia tentar novamente mais tarde.

********

Mais tarde naquela manhã, Karen estava na igreja com sua família. Eles se sentaram no sexto banco da frente com Jacob à esquerda e Robert à direita. Karen frequentou a Igreja Batista Grace durante toda a sua vida. Seus avós eram membros fundadores. Foi aqui que ela e Robert se casaram. No ano passado, sua filha Rachel se casou aqui nesta igreja também.

Karen geralmente adorava participar do culto, mas hoje foi diferente. Ela se sentou em seu lugar habitual como todos os domingos, apenas para se sentir culpada e ansiosa. Ela teve uma sensação de paranóia de que toda a congregação sabia o que ela havia feito com seu filho, e isso a fez se sentir uma hipócrita suja.

Ela agarrou sua Bíblia e orou por perdão e orientação sobre como seguir em frente nessa situação. Se ao menos ela pudesse receber algum tipo de sinal ou mensagem para ajudar a aliviar seu conflito. Ironicamente, o sermão do pastor David Miller naquela manhã faria exatamente isso.

A mensagem do pastor Miller foi sobre o papel da unidade familiar no plano de Deus. Ele falou sobre como as famílias devem se unir e ajudar umas às outras, não importando os obstáculos. O pastor apontou as escrituras que ajudaram Karen a perceber que era seu dever como mãe ajudar seu filho. Seu filho estava passando necessidade e ela não podia abandoná-lo. Ela se sentia, afinal, parcialmente responsável por sua condição.

À medida que o sermão continuou, ela começou a se sentir melhor e sentiu o peso em seu coração ser aliviado. Karen tomou a decisão naquele momento de caminhar com seu filho por este vale, mas, ao mesmo tempo, ela precisaria estabelecer limites rígidos.

********

Depois do almoço, a família Mitchell voltou para casa. Jacob havia trocado as roupas da igreja por um short e uma camiseta do Star Wars. Ele estava em seu quarto jogando em seu computador esperando sua mãe ir ao shopping.

Robert estava no quarto principal com Karen. Ele estava abotoando a camisa pólo, preparando-se para ir ao campo de golfe. Karen ficou no closet vestindo apenas calcinha e sutiã, tentando decidir o que vestir para a tarde. Ela gritou para Robert: "Você conseguiu encontrar seus tacos de golfe?"

Robert caminhou até o armário e encostou-se no batente da porta. Ele riu: "Sim, eu os encontrei ... tive que limpar a ferrugem. Isso me faz pensar o quão enferrujado meu jogo de golfe real ficará."

Karen tirou um vestido que decidiu usar. Ela foi até o marido e disse: "Bem, lembre-se, querida, você não joga há um bom tempo. Não se preocupe em impressionar ninguém ... apenas vá se divertir." Karen então passou por Robert até o espelho de corpo inteiro, onde começou a se vestir.

Robert admirou o quão adorável sua esposa parecia em seu sutiã e calcinha combinando. Enquanto ela puxava o vestido por seus quadris curvilíneos, ele não pôde deixar de notar como os movimentos faziam seus grandes e adoráveis ​​seios balançarem dentro do sutiã, "Depois de todos esses anos e você ainda tem o melhor rack que eu já vi."

Karen suspirou enquanto terminava de colocar o vestido, "Rob... você sabe que eu não gosto de termos pejorativos como esse." Ela então virou as costas para ele e perguntou: "Zip me up?"

Enquanto Robert abria o zíper nas costas dela, ele disse: "Sinto muito, querida, mas você tem seios lindos".

Karen voltou-se para Robert, "Obrigado, querido, mas quando você se refere aos meus seios como 'rack', me sinto como um animal de caça amarrado ao capô da caminhonete de 'Billy Bob'."

Robert riu, "Isso seria uma visão interessante."

Karen suspirou e revirou os olhos.

Robert continuou: "A propósito, quem é Billy Bob? Devo me preocupar?"

Karen deu um tapa no braço dele e riu, "Seu idiota... eu juro... todos vocês homens são iguais. É como se seus cérebros parassem de se desenvolver aos doze anos."

Robert riu, "Culpado da acusação." Ele então olhou para o relógio e notou a hora: "É melhor eu ir andando ou vou me atrasar."

Karen deu um beijo no marido, "Boa sorte hoje e divirta-se. Vou dar uma volta, Jake."

Karen desceu o corredor até o quarto de Jacob. Ela parou na porta, "Hey senhor... você está pronto para ir?"

Desligando o computador, ele girou na cadeira e respondeu: "Estou pronto... Estava esperando por você." Ele deu uma olhada em sua mãe e achou que ela estava linda.

Karen estava usando um vestido de algodão azul que ia até os joelhos. O corpete era justo e exibia as magníficas curvas de seu busto. Ela se aproximou e se sentou ao lado da cama ao lado da cadeira de Jacob. Ela falou suavemente, "Podemos conversar por apenas um minuto?"

Jacob colocou o controle do jogo em sua mesa, "Claro, mãe."

Com as mãos no colo, Karen começou: "Estive lutando esta semana para saber como lidar com nossa situação".

"Você quer dizer meu pênis?"

Ela olhou para a porta para se certificar de que Robert não estava por perto. Ela respondeu com uma voz ainda mais suave: "Sim, seu pênis". Karen inclinou-se para perto, "E depois de muita oração e exame de consciência, decidi que... por agora... vou continuar a ajudá-lo com o seu problema."

Jacob começou a sorrir, "Você vai?"

Karen recostou-se e levantou a mão, "Espere, imbecil... só até você terminar sozinho."

Jacob acenou com a cabeça, "Sim, senhora."

Karen continuou: "Ainda me sinto muito desconfortável em fazer isso, mas não vejo muita escolha. Não posso ficar parada sem fazer nada se puder ajudar".

Ela continuou: "No entanto, temos que estabelecer alguns limites rígidos. Só vou ajudá-lo quando estivermos sozinhos e nunca quando seu pai estiver em casa. Temos que ter muito cuidado para que ninguém descubra . Eu também espero que você continue tentando por conta própria... negócio?"

Jacob acenou com a cabeça, "Combinado!" Ele então cuspiu muito rápido, "Você ainda vai usar sua boca?"

Karen baixou a cabeça. Ela então suspirou e olhou para cima, "Jacob, minhas mãos devem ser boas o suficiente. Lembre-se, eu só estou fazendo isso para ajudar a aliviar a dor e evitar qualquer possível bloqueio. Portanto, não force."

Jacob suspirou, "Sim, senhora." Então, com uma voz suplicante: "É só que quando você usou a boca, consegui terminar muito mais rápido."

Ela pensou por alguns segundos e lembrou que parecia ajudá-lo. Karen então cedeu um pouco, "Ok...talvez de vez em quando...SE você fizer suas tarefas e manter suas notas. Você pode fazer isso?"

Jacob assentiu e sorriu, "Eu posso fazer isso!!"

Os dois se levantaram e Karen estendeu os braços para um abraço. Jacob se moveu e passou os braços em volta de sua mãe. Com o rosto apoiado no peito dela, ele disse: "Obrigado, mamãe, por sempre cuidar de mim."

Karen descansou o queixo no topo da cabeça de Jacob e respondeu: "Oh, de nada, baby. Sou sua mãe, é o meu trabalho." Ela então acariciou o cabelo dele com a mão direita e beijou o topo de sua cabeça, "Me encontre lá embaixo quando estiver pronto." Eles terminaram o abraço e ela então se virou e saiu da sala.

Jacob gritou: "Ok, mãe... já vou descer."

********

Depois que Jacob acabou na loja de videogame, ele estava pronto para ir encontrar sua mãe. Após uma rápida mensagem de texto, ele descobriu a localização dela e foi encontrá-la. Quando ele chegou, ele a viu olhando alguns vestidos e se aproximou dela.

Karen o notou e disse: "Bem, aí está você. Recebeu seu jogo?"

Jacob levantou a bolsa, "Sim, eu fiz... obrigado pelo dinheiro extra."

Ela sorriu para ele, "De nada, querido."

Jacob olhou em volta, e Karen tinha várias sacolas de compras a seus pés, "Parece que você esteve ocupado."

Karen riu, "Sim, eu tenho. Bem, eu encontrei algumas roupas fofas, além de precisar de roupas íntimas novas" Karen então se virou para Jacob e levantou dois vestidos, "O que você acha desses? Estou pensando em comprá-los. ..ambos estão à venda."

"Sim... eles parecem ótimos mãe." Ele então se aproximou e sussurrou: "Podemos sair logo?"

Karen deu um olhar descontente, "Agora, Jake, só porque você tem o que você veio não significa que eu terminei de comprar."

Jacob manteve a voz baixa, "Não... isso não."

Karen olhou nos olhos de Jacob, e ele fez sinal com a cabeça. Ela então olhou para a virilha de Jacob e viu o caroço enorme em seu short. "Oh, não, Jacob... agora?"

Jacob encolheu os ombros, "Desculpe, mãe... você sabe que não posso controlar isso."

Ela baixou a voz, "Vai ter que esperar... tem mais algumas lojas que eu quero ir."

Ele sussurrou: "Está doendo muito... além disso, é impossível esconder." Karen notou como ele se projetava e teve que concordar que ele estava certo sobre isso.

Jacob esfregou a mão sobre o caroço em seu short, e Karen deu um tapa nele. "Não faça isso... alguém pode ver."

"Bem, o que eu faço? Não vai cair."

Karen sabia que não podia permitir que Jacob desfilasse pelo shopping naquela condição. Ela pensou por um momento e então notou que a porta de um dos camarins estava escancarada. Karen inspecionou a loja e parecia que toda a equipe de vendas estava ocupada ajudando os clientes. Agarrando as sacolas a seus pés, ela disse: "Ajude-me com isso."

Jacob pegou algumas sacolas e seguiu Karen até o camarim. Eles pararam do lado de fora e Karen deu outra olhada ao redor da loja. Vendo que ninguém estava olhando, ela guiou Jacob para dentro, então fechou e trancou a porta atrás deles.

Ela pendurou os dois vestidos em um gancho e colocou estrategicamente todas as sacolas no fundo da porta. Karen esperava que fosse o suficiente para esconder o fato de que Jacob estava lá com ela.

Jacob perguntou, "Mãe? O que é-?" Ela colocou o dedo nos lábios para sinalizar para ele ficar quieto.

Karen acenou para o filho no fundo da pequena sala, onde ela o encostou na parede. Ela ficou de joelhos na frente dele e, em seguida, desabotoou o cinto e puxou o short e a cueca. O pênis de Jacob saltou de seus limites e quase deu um tapa na cara dela.

Karen sabia que eles tinham que ser rápidos, então, sem qualquer hesitação, ela agarrou o eixo com as duas mãos e colocou sua adorável boca para trabalhar.

Jacob foi pego um pouco de surpresa por suas ações agressivas, mas não reclamou. Ele observou a cabeça dela balançar para frente e para trás e pôde ver a combinação de sua saliva e seu pré-sêmen escorrendo por seu queixo. A sensação era deliciosa e precisou de todo o autocontrole para não gemer alto. Ele gostaria que durasse mais, mas sabia que não seria capaz de resistir.

De repente, houve uma batida na porta. Tanto Jacob quanto Karen congelaram. Uma jovem voz feminina do outro lado perguntou: "Senhora? Está encontrando tudo o que precisa?"

Karen tirou o pênis de Jacob de sua boca, mas continuou a acariciar o eixo, "Sim, eu tenho tudo que preciso... obrigada."

O balconista respondeu: "Tudo bem, então... diga-nos se pudermos ajudar."

Eles ouviram a vendedora se afastar e Jacob balbuciou: "Isso foi por pouco." Karen acenou com a cabeça em concordância. Ela então colocou o pênis de Jacob de volta em sua boca e continuou.

Karen não podia acreditar no que estava fazendo... isso não era típico dela. Ela se considerava uma esposa e mãe respeitável, mas agora aqui estava ela em um camarim no shopping, fazendo um boquete no filho.

Ela pensou nas pessoas do lado de fora da porta do camarim. Seria tão escandaloso para eles serem pegos. O pensamento realmente lhe deu uma pequena emoção e ela podia sentir um leve formigamento em sua boceta.

Depois de apenas alguns minutos, Jacob sentiu que o fim estava próximo e sabia que precisava avisar sua mãe. Ele sussurrou, "Mãe... estou chegando perto. Nós não... temos uma toalha."

Karen se afastou e sussurrou: "Não se preocupe com isso, apenas deixe sair." Ela então envolveu seus lábios ao redor da ponta de sua lança carnuda e começou a girar sua língua ao redor da ponta sensível. Junto com sua boca e as carícias vigorosas de seu eixo, ela rapidamente empurrou seu filho ao limite. Jacob colocou as mãos nos cabelos castanhos grossos de Karen e segurou enquanto seu pênis disparava sua carga quente e cremosa em sua boca à espera.

"Nnnnnnnnggggg," Jacob gemeu enquanto tentava o seu melhor para ficar quieto. Karen engoliu o mais rápido que pôde, mas a quantidade abundante de cada explosão era demais. Para não engasgar, ela deixou um pouco de esperma escapar de sua boca. Descia pelo queixo e se acumulava em seu peito bem dotado.

Uma vez que as bolas de Jacob foram esvaziadas, Karen puxou para trás e lambeu o pênis murcho. Jacob sussurrou, "Uau, mãe... isso foi tão legal!!"

Karen deu a ele um leve sorriso e se levantou. Ela se olhou no espelho e notou a mancha inconfundível em seu peito. Jacob estava afivelando o cinto e disse: "Oh, mãe, sinto muito por isso."

Enquanto limpava o canto da boca com o dedo, ela sussurrou: "Tudo bem... vou ter que colocar outro vestido." Karen virou-se para Jacob, "Vá em frente e fuja, mas tome cuidado para que ninguém veja você saindo." Jacob assentiu e então abriu a porta, espiou e viu que não havia ninguém por perto, então ele foi capaz de escapar rapidamente.

Karen então fechou a porta e tirou o vestido manchado e o enfiou em uma das sacolas. Ela vestiu um dos vestidos novos e retocou a maquiagem. Depois de se endireitar, ela foi fazer sua compra.

Karen disse ao balconista que gostaria de usar o vestido em casa. Depois de sair da loja, eles se encontraram novamente e puderam terminar as compras.

********

Mais tarde, eles voltaram para casa e Jacob ajudou sua mãe a carregar as malas para dentro de casa. Depois disso, ele correu até seu quarto para experimentar seu novo jogo.

Karen guardou todos os novos itens que comprou e depois trocou por roupas mais confortáveis. Ela enviou uma mensagem para Robert, perguntando quando ele chegaria em casa. Ele enviou uma mensagem de texto de resposta dizendo a ela que eles iriam jantar depois que a partida de golfe terminasse.

Karen colocou o telefone na mesinha de cabeceira e seguiu pelo corredor até o quarto de Jacob. Ela o encontrou perdido em seu próprio mundinho enquanto ele mergulhava em seu novo videogame: "Bem, seu pai vai se atrasar, então seremos só nós para o jantar. Que tal pizza?"

Jacob, ocupado com seu jogo, respondeu: "Claro, parece ótimo."

"Ok... bem, eu vou me deitar e ler um pouco. Quando você ficar com fome, é só me avisar."

Karen então se virou para caminhar de volta pelo corredor, e Jacob respondeu: "Ok, mãe... obrigado." Ela voltou para seu quarto. Lá ela fechou a porta, subiu na cama e colocou os travesseiros atrás das costas.

O incidente no camarim com Jacob mais cedo havia deixado Karen extremamente excitada. Ela precisava desesperadamente se masturbar, mas estava determinada a aguentar até que Robert chegasse em casa. Ela pegou o romance de sua mesa de cabeceira e se acomodou para ler um pouco e depois talvez tirar uma soneca.

Cerca de trinta minutos depois, Jacob colocou o controle sobre a mesa. Ele estava tão envolvido no jogo que não percebeu que era hora do jantar. Jacob levantou-se, espreguiçou-se e saiu pelo corredor para encontrar sua mãe, para que pudessem pedir uma pizza.

Chegando ao quarto dela, encontrou a porta fechada. Antes que Jacob pudesse bater, um som veio do outro lado... parecia alguém gemendo. Ele encostou o ouvido na porta e pôde ouvir a voz abafada de sua mãe: "Sim! Sim! Mmmmmmmm! Ohhh, Yeeessss!"

********

Nas semanas seguintes, Karen "ajudaria" Jacob dia sim, dia não, desde que Robert não estivesse em casa. Durante a semana, ele chegava da escola e reclamava que seus órgãos genitais doíam e inchavam. Ela então o levaria para cima e os trancaria dentro de seu quarto. Atrás da porta trancada, Jacob tirava a calça e a cueca e deitava na cama com as costas apoiadas na cabeceira. Karen então subia em sua cama e se acomodava entre suas pernas estendidas.

Karen tentava ficar apenas usando as mãos, mas depois de alguns minutos, ela se pegava chupando e babando no impressionante pau de seu filho. Ultimamente, ela estava preocupada com sua falta de relutância em ajudar Jacob e seu desejo sexual aumentado. Ela se masturbava diariamente... principalmente porque Robert estava muito cansado ou não estava por perto para ajudá-la.

Karen rezou para que logo tudo voltasse ao normal. Até agora, felizmente, Robert não tinha ideia. Cada vez que a culpa surgia, ela se lembrava de que era seu dever como mãe ajudar o filho. Ela manteve sua fé de que não demoraria muito para que tudo isso fosse apenas uma memória distante.

Uma quinta-feira, Jacob voltou da escola para encontrar sua mãe na garagem descarregando mantimentos de seu SUV. Ele caminhou até ela, "Ei, mãe."

Karen se virou para encontrar Jacob parado atrás dela, "Oi, querida, você se importaria de me ajudar com isso?"

"Claro, sem problemas," Jacob disse enquanto pegava várias sacolas de compras. Eles entraram em casa e colocaram as sacolas na mesa da cozinha.

Karen começou a descarregar as compras, "Então, como foi a escola?"

Jacob pegou uma lata de Coca-Cola na geladeira e sentou-se à mesa, "Correu tudo bem." Ele abriu a lata fria e tomou um gole. "Tenho algumas boas notícias."

Karen sorriu, "Oh? Conte!" Ela então se sentou à mesa.

Jacob enfiou a mão na mochila e tirou alguns papéis, em seguida, deslizou-os sobre a mesa em direção a Karen, "É minha prova de espanhol do outro dia."

Karen pegou as folhas, e um grande sorriso se abriu em seu lindo rosto, "Um 98?? Jacob, isso é maravilhoso!! Achei que você estava preocupado com este exame?"

Jacob tomou outro gole de sua bebida, "Eu era a mamãe. É estranho, mas parece que ultimamente sou capaz de me lembrar das coisas muito melhor do que antes.

De repente, sinos de alarme dispararam dentro da cabeça de Karen. Ela se perguntou se isso tinha algo a ver com o hormônio WICK-Tropin. Isso poderia ser outro efeito colateral não intencional? Se sim, talvez isso fosse um sinal de que algo de bom poderia advir dessa situação. Talvez houvesse uma fresta de esperança nessa nuvem, afinal.

Karen devolveu o teste a Jacob: "Bem, tenho certeza de que seu pai ficará tão emocionado quanto eu. Certifique-se de mostrar isso a ele esta noite." Karen se levantou de sua cadeira e caminhou atrás de Jacob. Ela colocou as mãos nos ombros dele, "Estou tão orgulhosa do meu homenzinho inteligente." Ela então voltou a guardar as compras na despensa.

Jacob permaneceu sentado à mesa e conversou com sua mãe contando sobre o resto do dia. Enquanto estava sentado lá, ele observou Karen guardando as compras. A visão de seu traseiro curvilíneo vestido com jeans apertados fez seu pênis começar a se mexer.

Jacob se levantou e jogou a lata de Coca-Cola vazia na lixeira. Ele então pegou alguns itens da mesa e foi até sua mãe: "Mãe, você poderia me ajudar hoje?"

Karen então respondeu enquanto colocava enlatados na prateleira: "E o dever de casa?"

Ele foi rápido em responder enquanto entregava alguns feijões enlatados para sua mãe, "Eu não tenho nenhum... amanhã é dia de trabalho do professor, então nada de escola."

Karen colocou mais alguns itens na prateleira, "Ok, mas eu preciso terminar isso primeiro. Ela então deu a ele um sorriso rápido, "Vá para o seu quarto... estarei aí em alguns minutos."

"Incrível... obrigada, mãe." Jacob pegou sua mochila e começou a sair.

Karen o interrompeu: "Ei! Espere aí, senhor." Ela bateu na bochecha com o dedo, "Você tem que pagar o flautista."

Jacob deu um beijo rápido na bochecha de sua mãe e então subiu as escadas.

********

Naquela noite, enquanto o trio estava sentado à mesa de jantar, Jacob contou ao pai sobre o exame de espanhol. Robert disse com orgulho: "Bom trabalho, Jake, especialmente porque o espanhol é a matéria que parece lhe dar mais problemas."

Jacob deu outra mordida na comida, "Obrigado, papai... Mamãe tem sido uma grande ajuda ultimamente."

Robert então respondeu: "Bem, o que quer que vocês dois estejam fazendo, parece estar funcionando. Portanto, continuem." Karen podia sentir suas bochechas corarem. Ela pensou que seu doce marido pensaria de forma diferente se conhecesse os métodos de sua ajuda.

"Não se preocupe, pai, esse é o plano," Jacob disse enquanto sorria para sua mãe. Ela devolveu o olhar dele com uma expressão para transmitir "não seja engraçado".

Karen limpou os lábios com o guardanapo e tentou mudar de assunto, "Ah, também tenho novidades. Rachel e Scott estão vindo nos visitar neste fim de semana."

Rachel era a filha mais velha de Karen e Robert. Rachel tinha 1,70 m e herdou o cabelo loiro de Robert e os olhos verdes brilhantes. Como Karen, ela foi uma líder de torcida durante todo o ensino médio e a faculdade. Ela também era uma beleza, assim como sua mãe.

Rachel agora morava em Atlanta, Geórgia, com o marido, Scott Morgan. Ela trabalhava para uma firma de contabilidade e Scott era auditor bancário. Eles se conheceram quando Rachel estava cursando a Universidade da Geórgia, e o jovem casal se casou no ano passado.

Robert tomou um gole de chá gelado, "Bem, que surpresa agradável, quando eles vão chegar?"

Karen respondeu: "Amanhã à noite é o que Rachel disse ao telefone hoje."

Jacob sentiu o vento perder suas velas. Ele amava muito sua irmã e gostaria de vê-la. No entanto, com ela e Scott em casa, isso poderia interromper as sessões com sua mãe. "Quanto tempo eles estão visitando?" Jacob perguntou enquanto tentava parecer animado.

Karen olhou para ele, "O fim de semana inteiro. Ela me disse que eles têm algo para discutir conosco."

Robert olhou para Karen, "Você acha que talvez ela esteja grávida?"

Karen respondeu: "Eu estava pensando a mesma coisa. Isso seria emocionante, mas ainda sou muito jovem para ser avó."

Robert então estendeu a mão e agarrou a mão de Karen, "Eu sei de uma coisa ... você seria a avó mais bonita de todo o estado."

Karen recuou um pouco e brincou: "SÓ o estado?" Os dois riram e se inclinaram para um beijo.

Jacob observou seus pais e sentiu uma leve emoção quando seu pai beijou os lábios de sua mãe... os mesmos lábios que no início do dia estavam firmemente enrolados em seu pênis. Ele então falou brincando: "Ok, vocês dois ... arranjem um quarto!"

********

Sem aula na sexta-feira, Jacob dormiu até tarde naquela manhã. Ele saiu da cama, tomou banho e vestiu um short e uma camiseta. Ele então desceu até a cozinha, onde encontrou sua mãe curvada descarregando a máquina de lavar louça. Jacob parou na porta para admirar a visão da bunda sexy e redonda de sua mãe e, imediatamente, seu pênis começou a reagir.

Depois de alguns segundos, Karen se levantou e se virou para encontrar Jacob parado ali, "Oh... bom dia dorminhoco... você finalmente acordou?"

"Sim... eu estava um pouco tarde jogando alguns jogos."

Karen estava usando um vestido de algodão amarelo na altura do joelho. Tinha botões na frente e se ajustava perfeitamente à sua figura curvilínea e expunha um pequeno decote. Ela usava uma maquiagem leve e seu cabelo estava arrumado na moda...Jacob admirou como ela estava bonita.

Jacob foi até o balcão para preparar uma torrada. "Você está bonita, mãe... vai sair?"

Karen estava guardando os pratos no armário, "Obrigada, querida. Vou me encontrar com Nancy daqui a pouco. Ela está redecorando a casa deles e me pediu para ir com ela a umas lojas de antiguidades."

Jacob sentou-se à mesa, "Legal... estou indo para a casa do Matt... posso pegar uma carona?"

Karen respondeu enquanto fechava a porta do armário: "Claro que pode." Ela então se sentou na cadeira ao lado de Jacob, e eles conversaram enquanto ele tomava seu café da manhã.

Depois que Jacob terminou de comer, ele levou os pratos até a pia e perguntou: "Quando você pretende ir embora?"

Enquanto colocava o suco de laranja de volta na geladeira, ela respondeu: "Ainda não... mais ou menos uma hora."

Jacob se aproximou de Karen e falou suavemente: "Você acha que pode me ajudar antes de irmos?"

Karen, um pouco surpresa, respondeu: "Jake, acabei de ajudá-lo ontem!"

Jacob recostou-se em sua cadeira, "Eu conheço mamãe e me desculpe por perguntar tão cedo, mas dói de novo Olha... está inchando também."

Karen olhou para a virilha de Jacob... a protuberância claramente visível. Ela colocou a mão direita no quadril, "Você ainda está tentando cuidar disso sozinho? Lembre-se, senhor, minha ajuda com isso deveria ser temporária."

Jacob acena com a cabeça e tenta parecer arrependido, "Sinto muito, mãe. Só não estou fazendo isso tão bem quanto você pode. Vou tentar demorar mais sem pedir, mas você pode me ajudar hoje?"

Karen olhou para o relógio e mordeu o lábio inferior por alguns segundos. Ela então suspirou e estendeu a mão esquerda, "Ok, mas temos que ser rápidos."

Jacob sorriu, levantou-se e pegou a mão dela. Karen o guiou pela casa e subiu as escadas. Eles pararam no armário de roupas de cama e ela pegou uma toalha limpa.

Eles entraram no quarto de Jacob e Karen disse enquanto fechava e trancava a porta: "Esta deve ser a última vez na semana. Sua irmã chegará mais tarde hoje e não posso fazer isso com todos aqui.

Jacob caminhou até sua cama e começou a tirar o short, "Ok, eu entendo."

Agora nu, exceto por sua camiseta, Jacob deitou em sua cama com a cabeça em seus travesseiros. Karen se aproximou e parou ao pé de sua cama. Ela olhou para o pênis de seu filho, e já estava em pleno mastro. Mesmo vendo isso tantas vezes agora, ainda era uma coisa inacreditável de se ver.

Karen subiu na cama de Jacob e rastejou entre suas pernas estendidas. Ela então agarrou o eixo com a mão direita e envolveu os lábios ao redor da cabeça alargada.

Dez minutos depois, Karen puxou a cabeça para trás e continuou a bombear o eixo com as duas mãos, "Você está chegando perto, querida?"

Jacob gemeu, "Sim, só... mais ou menos."

Karen estendeu a mão esquerda e agarrou a toalha. Ela começou a acariciar vigorosamente o eixo inflado com a mão direita, "Vamos, querida, solte."

Mais alguns segundos e Jacob gritou, "Oh sim, mãe...está chegando...OHHHH MOOOMMM!! AAAAAAHHHHH!!" Karen rapidamente cobriu o pau dele e continuou a acariciar com a mão direita. Ela podia sentir o monstro se contorcendo em sua mão enquanto despejava sua carga incrível na toalha macia.

Uma vez que seu pênis estava esgotado, ela removeu a toalha e continuou a acariciar suavemente o eixo inchado. Jacob tentando controlar sua respiração, "Obrigado... Mãe!!"

Karen sorriu e disse: "De nada." Ela então lambeu amorosamente o restante do sêmen do pênis de Jacob. Depois de terminar, ela deu um beijo rápido na ponta esponjosa e disse: "Agora... está tudo limpo."

Karen soltou seu aperto e sentou-se ereta, "Ok, agora vamos terminar de nos arrumar."

Ela saiu da cama e para sair, então Jacob perguntou rapidamente: "Mãe, você pode fazer isso mais uma vez?"

O rosto de Karen assumiu uma expressão severa, "Agora, Jacob, não fique ganancioso. Eu apenas ajudei você hoje E ontem."

Jacob se levantou um pouco, "Eu sei mamãe, mas olha... ainda é difícil."

Karen olhou para baixo e, com certeza, ainda estava orgulhosa como sempre. Parecia estar zombando dela. Ela inclinou a cabeça para o lado, "Eu não entendo... geralmente, ele desce depois que você termina."

Jacob então respondeu: "Sinto muito, mãe, mas ainda dói... você pode me ajudar mais uma vez... por favor?"

Karen voltou para a cama, "Jake querido... não temos tempo agora."

Jacob endireitou-se, "Você disse antes que esta seria a última vez da semana. Bem... se você me ajudar agora, eu prometo que não vou perguntar mais nada até a próxima semana."

Karen olhou para o despertador digital na mesa de cabeceira de Jacob... já eram 11:00, e eles precisavam sair logo. Depois das sessões de ontem e hoje, ela ansiava por um tempo a sós em seu quarto antes de saírem de casa. Ela podia sentir a umidade entre as pernas, e uma troca de calcinha seria obrigatória.

Karen sabia que não havia como levar Jacob para a casa de Nancy com aquela protuberância nas calças. Ela então aceitou que não havia outra escolha, "Ok, imbecil... mais uma vez."

Jacob deitou-se na cama e disse: "Obrigado, mãe."

Karen voltou para a cama em sua posição anterior e deixou cair a toalha ao lado dela. Ela agarrou e começou a bombear seu eixo, "Mas lembre-se... esta é a última vez até a próxima semana." Jacob deitou a cabeça contra o travesseiro enquanto sua mãe envolveu os lábios em torno de seu pênis e começou o segundo boquete do dia.

Os minutos se passaram e Karen queria desesperadamente que Jacob terminasse. Sua boceta estava pegando fogo, e ela queria ir para seu quarto e se satisfazer antes de sair para encontrar Nancy. Enquanto balançava a cabeça para cima e para baixo, Karen conseguiu olhar para o relógio. Ela percebeu que o tempo estava passando rapidamente. Ela puxou a cabeça para trás e olhou para Jacob, "Você está perto de terminar?"

Jacob balançou a cabeça, "Não... ainda não."

Ficando um pouco frustrada, Karen soltou seu aperto e sussurrou: "Isso está demorando muito." Ela rastejou para trás para fora da cama.

Jacob pensando que ela ia parar, sentou-se e começou a implorar: "Desculpe, mãe... estou me esforçando muito para terminar... estou mesmo."

Karen estava ao pé da cama... seu corpo ansiava por alívio. Sua boceta estava encharcada e precisava desesperadamente de alguma atenção.

Ultimamente, Robert tem faltado em suas tarefas de quarto, e Karen conseguiu saciar seus desejos com a masturbação. No entanto, desta vez ela queria mais... ela precisava de mais. Só havia uma maneira de ajudar Jacob e se satisfazer, mas ela estava disposta a cruzar essa linha?

Por alguns segundos, ela agonizou se deveria ou não fazê-lo, mas, eventualmente, seu desejo venceu. Ela então se abaixou e lentamente subiu a barra de seu vestido. Suas mãos desapareceram sob a saia e ela sussurrou: "Por favor, Deus, me perdoe."

Jacob olhou confuso enquanto sua mãe lentamente puxava sua calcinha até os joelhos. Ela então deixou a frágil barreira de algodão cair em seus pés. Os olhos de Jacob se arregalaram em choque, "Mãe?"

Karen falou suavemente: "Jake, querido, preciso que você se deite." Ela não olhou o filho nos olhos. Em vez disso, ela se concentrou inteiramente em uma parte diferente de sua anatomia.

Deixando sua delicada calcinha no chão, Karen voltou para a cama. Ela então rastejou até Jacob, onde montou em suas coxas magras. Ela agarrou o pênis dele com a mão esquerda e sussurrou: "Lembre-se... você não pode contar a ninguém sobre isso."

Jacob se levantou um pouco e perguntou novamente, "Uh...Mãe?"

Karen agarrou a cabeceira da cama com a mão direita e, em seguida, levantou-se de joelhos, "Sim, bebê?"

"Mãe... vamos... vamos... foder?"

Karen parou seus movimentos e olhou para Jacob com um olhar penetrante, "JACOB MITCHELL!! NUNCA use essa palavra DESAGRADÁVEL!!"

Jacob deitou-se, "Desculpe."

Enquanto se levantava um pouco mais alto, Karen disse: "Não acredito que você pensou que era aceitável usar uma linguagem tão obscena". Com a mão esquerda, ela esfregou a cabeça do pênis entre os lábios encharcados de sua boceta.

Karen olhou para Jacob e com um tom mais suave, ela disse, "Mas... para responder a sua pergunta..." ela então se abaixou lentamente, e a cabeça daquele monstro penetrou em sua boceta apertada. Seus olhos se arregalaram quando ela exclamou: "YESSSSS!!"

Karen ficou imóvel por alguns instantes tentando superar o choque inicial da penetração. Ela ficou surpresa que a coisa realmente se encaixasse.

Ela então começou a descer muito lentamente. Sua boceta superesticada começou a engolir o enorme pau centímetro por centímetro agonizante.

Karen não pôde deixar de gemer de plenitude e prazer avassaladores, "Oooohhh!! Jake!! Ohhhhh!!" Sua vagina nunca tinha pegado nada perto desse tamanho, e ela pensou que poderia dividi-la ao meio.

Depois de vários minutos parando e indo, Karen finalmente chegou ao fundo do poço e sentou-se no colo de Jacob totalmente empalada em seu pau enorme. Ela fechou os olhos e colocou as duas mãos no peito esquelético de Jacob. Tentando se acostumar com a incrível circunferência, ela começou a balançar suavemente para frente e para trás. Um pouco sem fôlego, "Oh meu Deus... eu nunca senti nada assim."

Jacob sentiu um sentimento de orgulho e então perguntou: "Sério? Nem com o papai?"

Com os olhos ainda fechados, Karen lentamente balançou a cabeça e respondeu: "Não fale sobre... seu pai agora." Ela então percebeu que este era apenas o segundo pênis a penetrar em seu corpo e pertencia a seu filho... seu filho. Sua mente lhe disse que ela deveria parar. Seu corpo, no entanto, não permitiria isso.

Jacob observou sua mãe enquanto ela usava seu enorme bastão para mexer em seu pote de mel. Com o vestido dela no caminho, ele não podia ver nada, mas ele podia sentir os sucos de sua mãe escorrendo por seu eixo e em suas bolas. "Uau, mãe... isso é incrível!"

Karen abriu os olhos e olhou para Jacob, "Querido... se você precisar terminar... oooohhh... me avise... ok?"

Jacob assentiu com a cabeça.

"Esse é o meu bom menino." Karen deu-lhe um sorriso caloroso. "Eu vou te ajudar a terminar... mas primeiro... deixe a mamãe... Ohhhhh."

Logo sua boceta se ajustou um pouco ao tamanho dele, então ela se inclinou para frente e começou a moer um pouco mais rápido. Um "thump...thump...thump" rítmico podia ser ouvido quando a cabeceira da cama começou a bater suavemente contra a parede. Karen começou a cantar no ritmo, "Ohhhh... Ohhhh... Ohhhh."

Por causa do decote de seu vestido, Jacob tinha uma ótima visão de seus seios envoltos em sutiã. Ele decidiu ser corajoso e timidamente levantou as mãos para segurar seus seios enormes. Quase instantaneamente, Karen o repreendeu: "Não, querido... limites, lembra?" Jacob relutantemente moveu suas mãos de volta para baixo e as descansou nas coxas de sua mãe.

Karen agarrou a cabeceira da cama com as duas mãos e montou seu filho ainda mais forte e mais rápido. A cama começou a protestar com guinchos e estalos. Jacob começou a se preocupar com a possibilidade de sua cama se desfazer antes que ela terminasse.

"Oh sim... Oh sim... Oh sim," Karen sussurrou enquanto perseguia seu orgasmo. Ela então se sentou e colocou as mãos nas pernas magras de Jacob para se apoiar enquanto ela se debatia. Seus olhos estavam fechados, e seu cabelo, outrora bem penteado, agora esvoaçava sobre o rosto. Jacob assistiu com admiração e pensou que ela era a mulher mais sexy da Terra.

Karen podia sentir que sua libertação estava próxima. Finalmente, depois dessas últimas semanas, a coceira em sua boceta estava sendo devidamente coçada. Ela aumentou seus esforços, "OOOHHH! Jake... Vai acontecer!!" A cabeceira bateu mais alto e mais rápido contra a parede, "THUMP...THUMP...THUMP...THUMP."

Karen abriu os olhos e olhou para o teto e, sem pensar, olhou para o brinquedo Millennium Falcon que pendia do teto acima deles. Ela notou como as vibrações na parede faziam com que ela balançasse suavemente para frente e para trás.

Do nada, sua mente viajou de volta ao Natal dez anos atrás. A nave de plástico foi o presente de Papai Noel favorito de Jacob naquele ano. Agora, seu amado brinquedo seria uma testemunha para a linda mãe enquanto ela decolava no hiperespaço: "Sim!...OH SIM!! OOOOOHHHHH!!"

Jacob estava na frente e no centro do melhor show de sua jovem vida... sua linda mãe chegando ao clímax em seu enorme pênis. A expressão em seu rosto era uma mistura de dor e prazer, e seu corpo estremeceu violentamente como se ela estivesse tendo algum tipo de convulsão. Ela se inclinou para frente e agarrou a cabeceira da cama com ambas as mãos para se apoiar enquanto cavalgava as ondas de seu glorioso orgasmo.

Enquanto Karen voltava lentamente para a Terra, ela permaneceu imóvel e quieta por alguns momentos para apreciar os suaves tremores secundários. Jacob podia sentir a boceta de sua mãe agarrando suavemente seu pênis a cada poucos segundos. "Mãe? Você está bem?"

Tentando recuperar o fôlego, ela abriu os olhos e olhou para o rosto bonito de seu filho, "Sim, bebê... mamãe só precisava... de alguns segundos."

Karen deu um tapinha em seu peito e disse: "Ok, agora para ajudá-lo a terminar." Jacob, ainda em estado de choque, simplesmente acenou com a cabeça. Karen rastejou de volta para baixo da cama e pegou seu pau e começou a masturbá-lo com golpes poderosos. Ela se recusou a colocar a coisa dele de volta na boca depois de estar dentro de sua vagina.

Jacob estava tão agitado que não durou muito. Depois de apenas alguns segundos das mãos habilidosas de sua mãe, ele estava prestes a explodir sua segunda carga. "Oh, mãe... AAAAHHHHHH!!"

Karen, ainda perdida na névoa do orgasmo, não pensou na toalha. Ela mirou o pênis de Jacob em sua boca aberta e engoliu o máximo que pôde de sua doce carga... o resto acabou em seu rosto, peito e na colcha da cama.

Depois, Jacob ficou lá e tentou recuperar o fôlego, "Uau... isso foi... incrível!! Obrigado, mãe!! Eu me sinto... muito melhor."

Ela usou a toalha suja para limpá-lo da melhor maneira possível e respondeu: "De nada. Fico feliz que você se sinta melhor."

Após cerca de um minuto, Karen lembrou que eles estavam atrasados. Ela soltou o pênis murcho, "Ok, imbecil, precisamos nos mexer." Ela deu um tapinha na coxa de Jacob e depois se levantou da cama. "Eu preciso ligar para Nancy e avisá-la que estou atrasado."

Ela então se aproximou para pegar sua calcinha abandonada que ainda estava caída no chão. Depois de pegá-los, ela olhou para si mesma, "Eu vou precisar de outro banho."

Ela então ouviu Jacob perguntar: "Ei, mãe?"

Karen olhou para Jacob e empurrou um pouco do cabelo solto atrás da orelha, "Sim, querido?"

Com um grande sorriso no rosto, perguntou: "Você acha que poderíamos fazer isso de novo algum dia?"

Ouvir o filho fazer essa pergunta foi como levar água fria. A realidade da situação se estabeleceu. Ela gaguejou, tentando responder, "Jake...eu-eu não sei...talvez...possamos conversar sobre isso mais tarde."

Karen tentou afastar os pensamentos de sua mente por enquanto. Ela pegou a toalha da cama e disse: "Você precisa se limpar antes de irmos, e precisamos sair logo, então não perca tempo."

Jacob sentou-se, "Sim, senhora... qualquer coisa, você diz."

Depois que sua mãe saiu do quarto, Jacob começou a arrumar sua cama. Ele ainda estava tentando entender o que acabou de acontecer. Ele realmente fez sexo com sua mãe supergostosa. Se ele conseguir o que quer, não será a última vez.

Jacob começou a pensar que talvez sua mãe estivesse certa sobre as coisas melhorarem... elas estavam melhorando muito. Ele estava começando a esperar que as coisas nunca voltassem ao normal.

FIM CAPÍTULO 2

Capítulo 3 Em breve...

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 65 estrelas.
Incentive Lobo curioso a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.
Foto de perfil de Lobo curiosoLobo curiosoContos: 268Seguidores: 168Seguindo: 73Mensagem Gosto de ler contos de tabus incesto, gosto de fazer amizades

Comentários

Listas em que este conto está presente

Incesto/madrasta
mãe, filho, tia, avó, madrasta, sobrinha.