ESPOSA TRANSFORMADA EM PUTA, FUI CORNO, MAS NÃO MANSO (parte 6)

Um conto erótico de Isabel por Lsp
Categoria: Heterossexual
Contém 3286 palavras
Data: 24/02/2023 11:12:48
Última revisão: 25/02/2023 17:08:09

Olá, sou a Isabel e vim para encerrar essa parte do meu relato e futuramente volto, porque gostando ou não eu sou a vilã dessa saga, ou a mocinha? kkkkk.

Continuando...

Minha tia não se conformava com o que aconteceu comigo e ficou pressionando o delegado me trazendo notícias, foi um drama quando contei a ela que com a perda do bebê teria que voltar para a casa dos meus pais, mais uma vez ela não se segurou e chorou feito criança realmente nos apegamos muito uma na outra e ficamos muito amigas.

Ao retornar para minha casa a fixa ainda não tinha caído e eu mesma ainda não tinha percebido mas os últimos acontecimentos mudaram algo dentro de mim tão profundo que agora quem não fazia questão de encontrar o Ademir era eu, que não me importava mais e as poucas vezes que ele me ligou não me dei ao trabalho de atender e aos poucos fui mudando meu comportamento e deixando aquela garotinha boba e inocente de lado, agora eu saia para qualquer evento festivo que acontecia na cidade e sempre usando roupas bem ousadas e vez por outra me atracava com algum garoto desconhecido para satisfazer os desejos mais íntimos da nova Isabel que nascia dentro de mim, na minha cabeça meio distorcida se o Ademir não quis eu acharia um, não um não, eu acharia vários outros homens que adorariam me ter em suas camas me usando como o homem que escolhi não quis mais fazer, mas se algum se atrevesse a tocar em mim se que eu permitisse com certeza se arrependeria para o resto de sua vida.

A primeira providência para não chamar muito a atenção da família foi criar um esconderijo em meu quarto para minha mãe não achar minhas novas roupas bem mais sexy e sensuais então passei a lavar quando usava em meu banheiro e lá deixava secando pois raramente ela entrava ali eu não queria que ela e meu pai percebessem minhas mudanças, eu ainda tinha planos pra eles principalmente o meu pai e pelo menos por um tempo na frente deles seria sempre a princesinha submissa da família e também jurei pra mim mesma que nenhum outro homem me usaria sem pagar o preço, porque apesar de ainda amar o Ademir ele me usou e me abandonou e com certeza em algum momento de nossas vidas eu daria o troco e quanto ao outro a hora dele ainda ia chegar.

Conforme o tempo foi passando minha fome por conhecimento sexual também aumentava na mesma proporções passei a fazer pesquisas na interne e até pornô assisti claro tudo escondida de meus pais, mas o mais legal foi me deparar com os contos eróticos e posso dizer que li de tudo um pouco mas o que me dava tesão era quando uma esposa bem safada enchia seu maridinho de chifres, eu ficava molhadinha e acabava me tocando sentindo um imenso prazer e quando isso acontecia era inevitável eu esperava meus pais dormir e saia a caça de algum lugar para extravasar esses desejos mais íntimos, no inicio era simples eu saía e o primeiro playboy que achasse pelo caminho eu começava um joguinho de sedução e no final depois de ter todas as minhas despesas pagas ainda ganhava uma trepada.

Só que no outro dia voltava tudo de novo porque era diferente faltava algo nos carinhas e eu não me satisfazia plenamente ainda tinha um vácuo de como foi tão maravilhoso o sexo com Ademir e depois de trepar eu sempre votava ao mesmo ponto procurava um pornô ou um conto que me excitasse e depois procurava alguém para me satisfazer e como de forma natural não estava funcionando e o jeito foi inovar.

Era uma sexta e meus pais religiosamente as nove se recolhiam para dormir e só saiam do quarto no outro dia sabendo disso me arrumei e maquiei toda bem linda e sensual e fui em um barzinho que havia conhecido um carinha chamado André eu já tinha transado com ele umas três vezes e algo me dizia que ele estaria lá, quando cheguei não deu outra ele logo veio querendo me monopolizar a principio dei corda para ele pobrezinho mas continuei a caça de alguém mais interessante e também para mudar o cardápio, quando avistei aquele que poderia me dar algum descanso ao meu tezão não perdi tempo me livrei do primeiro menino o André que se achando o machão e meu dono quis me dominar eu simplesmente dei um chute entre suas pernas mas de leve e o deixei caído e fui a caça do outro que rapidamente me cantou para sair e buscar um local mas isolado eu aceitei e perguntei se ele tinha carro com sua confirmação pedi os detalhes do veículo e que me esperasse próximo a ele e assim que virei as costas o vi indo em direção ao estacionamento corri ao primeiro rapaz tadinho estava desolado com dores pedi perdão e disse que lhe daria um presente que era só ele me perdoar e que também me encontrasse no estacionamento em dez minuto na hora ele ficou meio confuso e acho que até com medo mas também aceitou e perguntou porque em dez minutos eu aleguei que vestiria algo mais sexy e que com certeza ele ficaria louco de desejo, nesse momento corri para o local do encontro e o cara já me esperava de pau pra fora como eu tinha pressa fui logo abocanhando aquela rola dura e quente que encaixou certinho tocando meu céu da boca comecei movimentos de entra e sai tirando gemidos dele o deixando a ponto de gozar gostoso mais eu não queria isso e resolvi me virar de costas pra ele com as mãos na lataria do carro do carro e levantei meu micro vestido tubinho preto ele entendeu meu recado e veio por trás encaixando seu cacete que pulsava de tão duro, rapidamente ele achou o caminho do meu canal vaginal e foi invadindo sem cerimônias e foi como das outras vezes eu mal me molhava e isso deixava a penetração um tanto dolorida e sempre eu fazia o mesmo ritual mandava que tirasse eu chupava mais um pouco babando bem e pedia que enfiava de novo, mas esse parceiro dessa vez não estava permitindo e ficava me elogiando, senti ele mais dominador e macho e até me deu certo tezão e ainda mais quando me chamava de vadia apertada e que ia gozar rápido e me travando pela cintura e eu não consegui me desvencilhar e quando finalmente consegui que ele afrouxasse suas mãos ao meu redor escuto uma voz me chamando.

André – Isabel mas que porra você está fazendo vadia? Você me deu um chute pediu desculpas e me fez vir aqui para me humilhar sua piranha escrota.

Ué respondi calmamente, estou fazendo sexo meu filho por acaso você é cego? ou quer participar? se não quiser fica aí olhando, eu até tinha esperanças deles saírem na porrada e minha boceta começou a piscar e ficou alagada eu senti tanto tesão que só do cara estar parado dentro de mim eu já tinha gozado, e o André ainda falou mais algumas palavras mas minha adrenalina subiu tanto que nem consigo me lembrar, mas lembro que tive uns bons orgasmos, e nem percebi quando o André sumiu de lá e sem tomar uma atitude de macho eu já estava meio trêmula e grogue e nem percebi o rapaz me colocando no carro e acabei indo com ele para um motel ali próximo e metemos por mais de duas horas sem parar e em todas as posições algumas eu nem imaginava que conseguiria fazer, e eu gozava pensando na cara de corno do André isso me dava um tezão tremendo, ele ainda quis comer minha bunda ainda virgem mas não permiti ele insistiu e eu perguntei se ele permitiria eu enfiar dois dedos no cu dele antes e só assim ele desistiu e depois de exaustos fomos embora eu fiquei muito certa de que finalmente com esse empurrãozinho meio inusitado posso com certeza alcançar o que eu tanto almejava, orgasmos e mais orgasmos, como eu só lembrava com Ademir em nossa única transa, saímos de lá por volta de uma da manhã ele me deixou próximo e corri pra casa pulei a janela do meu quarto que eu deixava sempre destrancada me lavei e fui dormir.

quando levantei no outro dia estava me sentindo renovada, nada como boas horas de sono depois de meter gostoso o engraçado é que nem perguntei o nome do rapaz, e isso já havia se tornado uma constante mas era irrelevante, o que importava é que tinha descoberto uma maneira estranha e satisfatória de me excitar e precisava confirmar isso o mais rápido possível.

Dois homens que se aproximaram de mim no inicio dessa loucura que se tornou minha vida tiveram intenções egoístas e de alguma forma roubaram algo precioso de mim e isso não poderia ficar sem uma resposta adequada mas o que uma mocinha do interior poderia fazer? nem mesmo o nome do estuprador eu sabia, então resolvi começar com o mais fácil, o Ademir que me abandonou sem se importar se estaria ou não feliz e assim o faria experimentar uma parcela do sofrimento que tive, acho que eu já tinha a resposta certa para essa pergunta.

Depois de mais algumas aventuras resolvi que havia chegado a hora de iniciar meu plano afinal já havia passado um bom tempo e era hora de usar meu pai para me ajudar a resolver meu primeiro problema, então num dia lindo de sol resolvi reunir a família e finalmente contar o que aconteceu na cachoeira na despedida do Ademir, contei que fizemos sexo e que agora que ele conseguiu o que todo homem quer me deixou de lado e claro que contei meu lado da história tentando dar a entender que fui usada por ele, meu pai ficou indignado foi no quarto colocou a pistola na cinta e rumamos para a casa do seu compadre no caso o pai do Ademir, eu me senti feliz e até imaginei uma desgraça acontecendo e claro meu pai levando a melhor e se também tomasse bala minha mãe uma das culpadas pelo que passei receberia seu quinhão de castigo mas para minha decêpção o pai dele foi tão amável e compreensivo me abraçou pedindo mil desculpas a mãe dele o mesmo e chorando que não só cortou o ímpeto do meu pai como também me fez relembrar os velhos e bons tempos e com a promessa do agora meu futuro sogro que seu filho repararia o mal feito que cometeu comigo eu e meu pai fomos embora e eu vi meu plano de fazer ele sofrer ir por água a baixo, agora só me restava o plano b.

No primeiro fim de semana depois da revelação para minha surpresa meu futuro noivinho querido bate em minha porta e claro foi recebido com todas as honras pelos meu pais cheios de sorriso e alegria e eu tive que disfarçar para não demonstrar meu total desprezo pelo cafajeste que só reconheceu que errou depois de levar uma chamada na responsabilidade pelo pai, dei um tempo e quando ele já estava tomando um café na sala com meus pais me arrumei toda bem ao estilo caipira e fui ver meu futuro noivo que não poupou elogios a mim eu quase vomitei mas me mantive firme e o que eu queria mesmo era enforcar ele em praça pública, mas isso não o faria sofrer o tanto que sofri e me mantive firme, o noivado foi logo marcado e meu futuro noivo foi embora com data certa para voltar.

Nossos pais se entenderam e mataram um novilho e ofereceram uma churrascada no noivado, devia ter umas cem pessoas lá nesse dia e foi mesmo uma festança e eu Ademir acabamos nos aproximando, ele até tentou algo, mas me sentiria suja e não cedi aos avanços dele que até estranhou e eu o avisei que teria que esperar o casamento para ter sexo comigo novamente e que pelo visto demoraria um pouco por conta dos estudos na faculdade e de um curso complementar que ele fazia em paralelo, pra mim foi um pouco decepcionante, na minha cabeça eu queria ir logo para a cidade grande e curtir assim como ele fazia, no período entre o noivado e casamento mantive contato com Lili que disse que agora estava trabalhando em uma loja chique e ganhando muito bem e se eu quisesse ela me ajudaria a conseguir um vaga e por eu ser muito bonita com toda certeza conseguiria eu agradeci e disse que agora iria ser dona de casa pois meu namorado havia me pedido em casamento, ela até se espantou de não saber do meu compromisso e se colocou a disposição para uma futura mudança de opinião e assim nos despedimos.

Eu estava vivendo um conflito interior, por um lado queria ser a esposa amada e submissa que espera seu marido a noite com o jantar pronto mesmo sabendo da possibilidade quase zero de ser mãe mas meu sonho sempre foi ter o Ademir como meu marido e isso ainda mexia muito comigo, mas lá no meu intimo tinha uma chama, um fogo que começava a arder com muita intensidade e quando explodisse seria difícil segurar e durante o noivado e sabendo que o casamento demoraria continuei com minhas aventuras mesmo porque ninguém desconfiou de nada em minha família e minha vida paralela continuou a todo vapor, o que me fez experimentar todo tipo de pau, pequeno, médio, grande, grosso, fino e até os cabeçudos e ainda faltava um negro bem dotado mas nunca tive coragem e também não era meu tipo eu sempre gostei dos branquinhos e de porte médio como o Ademir e isso provava que ele era minha referencia, principalmente no sexo eu tive certeza porque nenhum homem me deu tanto prazer numa relação normal como ele fez e os que conseguiram me dar algum foi por algum outro incentivo se não eu seria a mulher de um único orgasmo e eu até entendia isso eu o amava de mais nessa época e seria impossível não sentir nada com ele e a prova definitiva disso só sairia quando finalmente a gente transasse de novo, isso ainda não tinha acontecido porque eu sempre arrumava uma desculpa e nunca cedia, mas um dia talvez eu esfregasse um garanhão negro na cara dele dando gostoso e se possível tendo vários orgasmos.

E então num sábado eu já me programava para mais um fim de semana na gandaia quando o Ademir chega avisando que o casamento seria o mais rápido possível porque já tinha um emprego e uma casa para começar a nossa vida a dois, e agora estaria pronto para me fazer a mulher mais feliz do mundo meu coração quase saiu pela boca e faltou muito pouco para desistir de tudo, agora eu queria era ser livre, leve e solta mas ele foi tão doce me pedindo uma data para nosso casamento se realizar que não resisti e marcamos para dali a um mês o tão sonhado casório, nesse dia quase transamos e relembramos nossos pegas com gosto o Ademir me deu uma prensa na varanda de casa que cheguei a ficar tonta e muito alagada, como ele ainda conseguia me deixar assim era impressionante e não sei se por sorte ou azar meu pai levantou fazendo barulho e interrompeu o ímpeto dele e acabamos nos despedindo já bem tarde, no domingo só nos vimos pela manhã preferi ir na casa dele e depois do almoço ele se foi prometendo que da próxima vez voltaria para me levar junto eu me desmanchei em lágrimas relembrando nossas promessas feitas a um tempo atrás e agora prestes a se realizar.

Eu fiquei casta durante as duas semanas seguintes, sosseguei o faxo e fiquei mais caseira prestando atenção em minha mãe e como ela tratava meu pai, acho que inconscientemente eu queria voltar aqueles tempos de antes dele me deixar e sentir novamente aquela felicidade e faltando uma semana para finalmente nos casarmos a galera com a qual eu saia me chamou para um evento em um sitio eu fiquei muito empolgada pois seria a chance de uma despedida de solteira pois na minha família não teria pelo menos não do jeito que aparece nos filmes com muita brincadeira sacana e acabei combinando de ir e para minha surpresa o André sofredor e frouxo estava lá também e acabamos conversando e trocamos uns beijos e pensei em dar uma chance a ele como prêmio de despedida e como o evento seria em uma noite só combinamos de dormir juntos na pousada do local depois do show, eu já tinha deixado meus pais cientes que dormiria na casa de uma amiga para a brincadeira de despedida de solteira e eles meio a contra gosto engoliram.

A balada estava lotada e rolava droga de montão se você se distraísse alguém metia um baseado da melhor e mais forte maconha aceso em sua boca ou mandava você da um tapa em outra substancia e assim a noite ia avançando entre muito álcool e entorpecentes a maioria já estava chapado e eu nem lembrava mais do combinado com o André que ao ir ao banheiro nos perdemos e quando dei por mim estava no nosso quarto cavalgando como uma puta na rola de um desconhecido e a história se repetia eu pouco me excitava mas cedia para os carinhas meterem a troco de nunca precisar gastar um centavo os otários sempre bancavam tudo e de repente sem mais nem menos o André entra no local que combinamos de dormir e novamente me pega trepando com outro e ao invés de eu parar de trepar sair ou fingir estar confusa com a bebida inventando algo, ele olhando para gente sem reação me acendia de tal maneira que comecei a urrar e gemer como louca enquanto ele começava a reclamar falando algumas bobagens e eu aos berros mandando o comedor me arrombar porque eu precisava de um homem de verdade e não de um frouxo e com isso comecei a ter orgasmos tão intenso mas ainda tive lucidez de ver o André antes de sair e fechar a porta derramar algumas lágrimas mostrando que esta longe de ser um macho alpha e ao invés de ter pena eu aumentava o ritmo levando o cara a não resistir e me inundar de porra fresca e quentinha saída da fonte, sai daquele evento entendendo bem melhor o que eu iria fazer com meu casamento que nunca poderia ser normal como marido, esposa e filhos então eu introduziria alguns elementos nele para torna-lo bem satisfatório para os dois ou só para mim que era o que importava e só faltava convencer meu futuro marido disso.

Naquela mesma semana liguei para Lili e pedi que se ainda fosse possível guardasse minha vaga na loja e enviei uma foto comigo bem arrumada, e maquiada fazendo pose sensual, no estilo piriguete para mostrar a seu chefe, e ela logo fez questão de confirmar que quando eles vissem meu rosto não me deixaria escapar e me contrataria, ela me explicou os detalhes do trabalho e eu poderia optar em ganhar menos sendo fixa na loja ou sair para umas visitas digamos mais íntimas e embolsar uma bela gorjeta.

Então pedi um tempo para convencer meu futuro marido que eu seria mais útil trabalhando e ajudando ele e claro tornando ele bem manso ao meu bel prazer.

Você me odeia por isso? Então engula seu ódio e Me aguarde porque ainda vai piorar muitoASS: Isabel!!!

Continua...

Até a próxima.

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 112 estrelas.
Incentive Lsp a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.
Foto de perfil de LspLspContos: 49Seguidores: 112Seguindo: 8Mensagem Alguem que habita com um ser estranho em seu cerebro que insiste em não descansar e fica imaginando loucuras as transformando em contos

Comentários

Foto de perfil de Paulo Taxista MG

Lsp você conseguiu trazer toda questão dessa personagem narcisista, tudo que foi dito aqui tem haver, primeiro só ela está certa, segundo ela culpa tudo é a todos a sua volta, e pelo visto a queda dela vai ser ladeira abaixo, nos próximos capítulos, como já está escrito vou continuar lendo até um pouco mais devagar.

0 0
Foto de perfil de Paulo Taxista MG

A queda dos narcisistas, nem sempre é calculada por eles KKK, depois de alguns relatos do Reddit que eu já ouvi, e conversando com alguns clientes no táxi, ainda ficou de cara com algumas situações.

0 0
Foto de perfil genérica

Concordo com o comentário abaixo, Ademir não sabia de nada!

0 0
Foto de perfil genérica

Parabéns pelo conto..lembre ele é só teu e deve seguir aquilo que idealizou.

Qto a Isabel, preciso falar pois estou agoniado...pilastra, mau caráter, agiu o tempo todo pensando apenas em suas vontades e desejos. Sem essa de menina do interior. Se drogou grávida e trepou com meio mundo usando como justificativa o abandono..ódio dela...espero que se ferre até o último capítulo.

0 0
Foto de perfil de Lsp

Obrigado por comentar espero que goste da continuação

0 0
Foto de perfil de  mel

Alguns comentários deviam ser excluídos são repulsivos coitada da Isabel mas empatia meu povo

0 0
Foto de perfil genérica

Pior.tipo de.mulher que pode surgir na vida de um homem...

0 0
Foto de perfil de Lsp

Devemos dar liberdade de opinião a todos um abraço

0 0
Foto de perfil genérica

Nossa! Ainda me surpreendo com alguns personagens, essa Isabel se acha certa, meu Deus, que coisa absurda! Nós cometemos um erro muito grande chamando esse tipo de mulher de puta! Isso não pode ser chamada de puta, pois puta tem dignidade, Essa vagabunda têm que ser chamada de cachorra no cio, pois nem escolhe quem vai lhe comer e não quer nada em troca! Esse tipo de mulher, se é que posso chamar de mulher, não vale absolutamente nada! Nossa estou super revoltado, com essa personagem quere passar essa imagem de boa mulher! CACHORRA NO CIO!!!!

3 0
Foto de perfil de Lsp

Obrigado por comentar um abraço

0 0
Foto de perfil genérica

Eu concordo com o Os oliver, eu não curto muito e acho abjetas essas pessoas que fazem toda sorte de escolhas ruins, colocam a culpa nos outros e ainda se vangloriam de se vigar daqueles que tem pouco ou nada das consequências dessas mesmas escolhas.

Isabel forçou a barra para ter a transa que ela julgava segurar o Ademir, não podemos esquecer que ela fez de caso pensado pelo conselho estupido da tia e fez com essa intenção, quando o namoro estava morno pela distancia o que é bem corriqueiro, não só escondeu do Ademir que estava grávida como quando foi morar com a tia começou a usar drogas e frequentar locais de risco, isso todos sabem que é uma combinação explosiva, quando deu a merda bem previsível em vez de encarar e aprender com seus erros a louca resolve ir de vez não só para putaria como acabar com a vida do cara que a única coisa que fez foi transar com ela por insistência dela mesma e ainda se vangloria disso.

Traiu no noivado e foi para o casamento já armando para fazer isso também e ainda querendo o transformar em um corno manso, ele é desprezível, realmente espero que o Ademir não caia nessa e acabe com a vida dela socialmente a expondo, a loja e quem mais estiver envolvido nisso, ela querer se dizer quem sabe mocinha, é de uma psicopatia sem limites.

1 0
Foto de perfil de Lsp

Vc foi profundo na análise da Isabel, muito obrigada pela ajuda conto com vc para os próximos capítulos um abração

1 0
Foto de perfil de Almafer

Lsp eu não sou muito de dar opinião no conto dos escritores porque esse universo é deles e cabe a mim leitor analisar sua história, se gosto ou não da história bom ao meu ver amigo.

0 0
Foto de perfil de Lsp

Tá de boa o importante é que vc sempre me apoiou e vc tera sempre meu respeito

0 0
Foto de perfil de Almafer

Lsp isso vão pegar fogo 🔥 amigo kkkk nota mil parabéns

0 0
Foto de perfil de Lsp

Vlw amigo é sempre uma honra ver vc aqui comentando obrigado

0 0
Foto de perfil genérica

Achei raso o motivo da vingança da esposa. Ela que se entregou, buscando manter o cara preso a ela. Depois acha que ele lhe deve alguma coisa. Forçou um casamento e brincou com os sentimentos dele. Não gostei.

1 0
Foto de perfil de Lsp

Se eu optasse por um motivo mais profundo todos odiaram o Ademir e ele é o mocinho da história

0 0
Este comentário não está disponível
Este comentário não está disponível
Foto de perfil de Ménage Literário

Isabel isso, Isabel aquilo, desce a lenha na Isabel, Isabel não presta...

Mas Isabel é uma criação, uma personagem sem vontade própria, tirada da cabeça do autor. Seria Isabel a personificação do sentimento de quem escreve? E os comentários, como reação a obra, não são ligados também a quem escreve? Se somos Deuses nesse universo, nossas criações não são a nossa responsabilidade? Fica a dúvida...

0 2
Foto de perfil de Lsp

Talvez eu tenha me expressado mal na verdade a minha intenção era desassociar uma personagem do mal com o conto ser ruim, obrigado por deixar sua opinião um abraço

0 0
Foto de perfil de Ménage Literário

O conto não tem nada de ruim, muito pelo contrário. É apenas o tipo de história que você gosta de contar e não tem nada de errado ou ruim nisso. Histórias de traição são as campeãs de audiência. Siga em frente, é o universo que você criou. O rumo a dar é pertence única e exclusivamente a você.

2 0
Foto de perfil de Lsp

Obrigada eu confesso ter me sentido digamos menos confiante e até pensei em encerrar mas adorei isso que vc falou de meu universo agora estou com as maluquices pipocando em meu cérebro um abraço.e agradeço pela energia transmitida a mim.

0 0
Foto de perfil genérica

Vc tem toda razão.

Mas vj que aqui alguns tem dificuldade em aceitar os vilões se dando bem no final enquanto outros não concordam com quem acha que quem erra tem que pagar pelo erro.

Eu nessa vibe não curto errantes se vangloriar de seus erros ,e humilhados se submetendo a isso e ainda se achando em boa situação.

Coisa que acontece muito em relatos ou em contos nesse sentido.

Mas é só a minha opinião.

Quem não comunga da mesma que eu eu respeito não ofendo ninguém por discordar de mim .

1 0
Foto de perfil genérica

Bom as opiniões são sempre referente aos personagens e suas atitudes ,logo elogios ou críticas negativas em sua maioria são aos personagens.

Acredito que a loira coisa pra um autor de ficção é ter sua história passando longe da realidade , e não gerando debates .

Muitos aqui não intendem isso que as histórias geram concordância e discordância ,pra isso existe a possibilidade de se dar opinião.

E isso faz parte do jogo .

1 0
Foto de perfil de Lsp

Com certeza muito bem colocado obrigado por comentar

1 0
Foto de perfil de Ménage Literário

O problema da opinião é quando ela vem carregada de preconceito. Ou quando ela é feita apenas para desmerecer ou humilhar o autor. Temos diversos exemplos aqui mesmo nesse conto de pessoas que usam desse artifício para atacar autoras mulheres que escrevem sobre traição. A linha entre a opinião e a ofensa parece não existir para alguns. O mais engraçado é que eles são presença constante nos contos que tanto odeiam? Por que será? Por que a insistência constante, se podem apenas seguir um autor que escreve sobre o que os agrada?

1 2
Foto de perfil genérica

Concordo com vc em parte , mas tbm intendo que nem sempre é essa questão de não ler esse ou aquele conto .

Eu mesmo não tenho problema exclusivamente com conto de traição .

Mas não sou simpatizante de contos onde o traídor se vangloria com o que faz , quando seu parceiro ou parceira não merece ou faz por onde ser traído assim com requintes de crueldade, deslealdade, etc..

E daqueles que o marido aceita ser feito de otário , sendo humilhado, desrespeitado como homem isso eu não curto.

Mas há títulos que já deixam claro isso , eu já não leio, mas há aqueles que não deixam , a estória é boa bem contada , aí já viu , acabo lendo acompanhando e opinando .

Mas procuro não ofender o autor , ou relator quando e dito ser fatos reais .

0 0
Foto de perfil de Lsp

Só um lembrete para alguns amigos, se vc não gosta da narração da Isabel beleza desce a lenha nela nos comentários, mas se vc comenta e não deixa as estrela é o mesmo que dizer não gostou do conto e com certeza vai levar ele a ser encerrado o autor precisa de suas estrelas e não as personagens, um abraço!!!

0 0
Foto de perfil genérica

Bem lembrado eu comento muita coisa gosto de muita coisa,porém esqueço dessa questão das estrelas vou fica atento a isso .

0 0
Foto de perfil genérica

Bem lembrado Lsp, eu tinha esquecido de colocar as três estrelas.

Vou aproveitar seu comentário só para esclarecer um ponto que é pelo menos valido para mim, eu tenho nojo da Isabel, ela é o arquétipo de pessoa sem caráter que mais abomino, uma pessoa que só faz merda na vida, quando algo dá errado em consequência de suas próprias escolhas procura logo um bode expiatório para culpar nunca assumindo que errou e sim que todo mal que faz é justificado, mas isso não significa que não gosto do capítulo ou menos ainda da estória, estórias boas e bem construídas também trazem sentimentos ruins sobre algum personagem, fato ou o final, sendo coerente, coesa, bem construída, com uma boa dinâmica e um enredo que te prenda, esses sentimentos fazem parte, sua construção da vilã Isabel tem tudo isso e casa bem com sua estória, não é como alguns autores que descrevem um personagem de uma forma e fazem ele tomar todas as atitudes ao inverso se perdendo na própria no seu próprio conto.

Eu acredito que debates sobre as ações dos personagem é extremamente salutar, nos faz pensar em outros pontos de vista, ter novas experiências mesmo que de forma indireta.

Claro, devemos discutir sobre as obras, ter o máximo de respeito nos comentários sobre os autores e outros leitores que postam aqui e tenham visão oposta, a não ser como tenho visto em alguns contos quando esses autores ou leitores resolvem atacar você com ofensas pela sua opinião sobre um fato ou personagem. O que não é o seu caso.

0 0
Foto de perfil de Lsp

Obrigado muito bem colocado a sua opinião e concordo plenamente um abraço

1 0
Foto de perfil genérica

Concordo com vc uris, acho que aqui há excessos de varia direções.

Leitores exageram , ofendem .

Há estórias que são contos de ficção (já dito pelo autor)

Há relatos ditos reais pelo autor.

E há também estórias fictícias masque segundo o autor são reais.

Aí começa o pagode,

Pessoas agridem personagens como se fossem reais, autores defendem seus personagens (sendo que eles mesmos autores,dão a seus personagens as mais canalhas atitudes e personalidades)

Já os relatos ditos reais pessoas "confessam" suas próprias canalhices demonstrando orgulho e não querem receber críticas reprovando.

Aí vem a "turma do não é comigo então foda-se", e passa pano pra atitudes desleais.

Atacando quem descorda das atitudes erradas do relator .

E tem relatos onde o relator se vangloria de ser feito de otário.

Que também é defendido por aqueles que são de igual personalidade e por quem gosta de tirar proveito disso .

Como mulheres de corno manso e os que são ou pensam ser comendores de mulher casada .

Mas tbm são tratados muitas vezes com muito desrespeito, grosseria , falta de educação mesmo.

Na minha visão é isso que acontece!

O que penso é que se vc posta algo, é por que quer receber opiniões, críticas questionamentos etc.. tendo que aceitar tudo isso .

Porém quem comenta tbm deve tomar cuidado com as palavras, não faltar com respeito,mesmo o postante deixe claro que não se dá ao respeito.

Mas isso não inclui quem está comentando tem que ficar no círculo social de quem está postando o relato.

0 0
Foto de perfil de Lsp

Suas palavras foram muito bem colocadas agradeço por compartilhar sua opinião

1 0
Foto de perfil genérica

E exatamente isso Os oliver, essas situações tem se repetido a exaustão aqui no site.

1 0
Foto de perfil genérica

Essa Isabel é um puta de marca maior, e quer culpar o Ademir pelas outarias que ela aprontar, essa arrombada tem que se foder detidos os tipos e formas!!

0 0
Este comentário não está disponível
Foto de perfil de Lsp

obrigado Kent22 pela analise mas eu tive que ser bem sútil sobre esses acontecimentos porque são importante mais na frente quando tudo se revelar, principalmente com relação a alguns personagens citados que teram mais relevancia nos próximos eps, vc escreve e me entende eu sei disso, um abraço

1 0
Foto de perfil genérica

Kent essas observações suas pode até serem pertinentes porém , é preciso lembrar que tudo isso que disse precisaria sair da cabeça do autor tudo que Izabel faz e fez sai da cabeça do LSP .

O que ela deixar de furo é ele que está deixando ou pensando diferente o personagem.

Não é um relato mas sim um conto de ficção saído da mente do LSP .

0 0
Este comentário não está disponível
Foto de perfil de Lsp

é bem isso aí mesmo vlw

0 0
Este comentário não está disponível
Foto de perfil de Lsp

não esquece Germany tem muita agua pra passar debaixo dessa ponte mas a seu devido tempo esse será o fim dela mas por hora ela é a vilã vai foder o Ademir até não aguentar mais, vc leu a ameaça dela, um abraço

0 0
Foto de perfil de MisterAnderson

Acho qie vc poderia apagar esse seu comentario. Desnecessário o spoiler. Gostei muito do inicio, só que durante as respostas, você está dando muita informação e isso vai tirando o impacto. Nós ja sabíamos que a Isabel não era coisa boa, peincipalmente nesse site onde tem a turma que não perdoa as mulheres que traem, nao importando se foi com 1 ou se foi com 163.

Abraços

0 0
Foto de perfil de Lsp

Obrigado pela dica vou ficar mais atento obrigado pela ajuda um abraço.

0 0
Foto de perfil genérica

Concordo com vc explicar muito tira o fator surpresa.

Eu eu confesso que tenho dificuldade em passar pano pra coisas errada , acabo me pondo no lugar da vítima questão de empatia mesmo.

O que não quero pra mim não consigo incentivar que alguém faça com outra pessoa , sendo homem ou mulher.

Não costumo ler estória onde o título já diz que se trata de PESSOAS se vangloriando de ser desleal.

E se vangloriando de ser feito ne troxa passei a pular também , quando já está claro no título do conto.

1 0
Este comentário não está disponível
Foto de perfil de Lsp

nessa vc errou feio se tivesse prestado atenção saberia que a quantidade de clientes da Isabel são 163 com um episódio pra cada quantos daria? eu só quiz por um lado dela na história na verdade eu antecipei esses doi eps para não deixar duvidas do carater dela e amanhã volta a narrativa dos clientes obrigado por comentar

1 0
Foto de perfil genérica

Lsp, eu entendi o que você fez e acho que está indo bem, você está reforçando a construção do caráter da personagem Isabel.

0 0

Listas em que este conto está presente