Como eu Odeio o meu Sogro!

Um conto erótico de Taiane
Categoria: Heterossexual
Contém 1076 palavras
Data: 21/02/2023 22:17:42
Última revisão: 25/02/2023 01:20:37

Oi gente! Tudo bem? Apesar de algumas críticas sem noção, que eu tenho certeza que são de cornos frustrados por provavelmente terem sido trocados pelo vizinho ou pelo melhor amigo kkk, apesar disto, eu estou super feliz em ver que estão lendo os meus contos e os comentários que vocês deixam me cativam demais a continuar escrevendo.

Hoje, primeiro eu gostaria deixar claro que eu não gosto do meu sogro! Aliás, eu odeio ele! Muito arrogante, só porque ele tem muito dinheiro, fazenda e etc… ele acha que pode fazer o que quiser. Rodrigo e ele tiveram uma história complicada, chegaram a ficar sem se ver durante anos, mas voltaram a se falar bem na época do nosso casamento. Rodrigo nunca conseguiu confiar cegamente no pai, mas isto vem mudando e olha, seria melhor que ele continuasse não confiando nele.

Um dia Rodrigo veio com a notícia de que seu pai passaria uns 3 dias na nossa casa, viria resolver algumas coisas na cidade e ficaria por aqui. Nem precisei falar nada, pois vendo minha expressão nada satisfeita com aquilo, Rodrigo foi logo dizendo que iria tirar uns dias de folga e que ficaria em casa durante aqueles dias. Bom, acho que ele não esqueceu o pai safado que tem.

O tempo passou e certo dia acordei e nem lembrei que Rodrigo havia dito que seu pai iria chegar. Ao levantar notei que o Rodrigo já não estava na cama, até estranhei em não vê-lo roncando ao meu lado, mas ao ouvir o chuveiro ligado achei ele estava tomando banho. Então descalça e apenas de calcinha e blusinha, fui para a cozinha.

Esperando a água para o café ferver, nem reparei a hora que o chuveiro desligou, aí de repente sinto aquele abraço por trás - Hmmm amor amanheceu animadinho hein? - sentindo a mão dele deslizando por dentro da minha calcinha e seus dedos logo estavam bolinando minha bocetinha - Hmm que bom que minha norinha continua uma putinha bem safada…

Com uma bundada empurrei ele com todas minhas forças e me soltei de seu corpo. E ali na minha frente estava ele, meu sogro! Só de toalha e me olhando com aquela cara cínica!

- Sabe Taiane… tô louco pra foder esta minha putinha de novo - ele disse abrindo a toalha e exibindo aquela rola grossa, dura e gosto…! Ai que ódio!

Bom. Vocês perceberam que eu omiti uma coisinha, né? Um pequeno detalhe kkk Pois é, eu já dei pro meu sogro. E sei que vocês vão me achar uma pessoa horrível, e o pior que foi no dia do meu casamento e ainda vestida de noiva! Lembro como se fosse hoje, ele entrou naquele quarto, aproveitando que naquele momento eu me encontrava sozinha e com aquela conversinha de “Vim te desejar desejar felicidades…”, de repente eu já estava com minha calcinha na coxa e ele me fodendo bem gostoso por trás. E gente, não me julguem, mas até o meu cuzinho ele comeu!

- Eu vou gritar! - esbravejei nervosa, só que pra minha sorte ouvimos o barulho do portão de casa abrindo.

Meu sogro que tem um bigode e um pau muito imponente, apenas me deu as costas e saiu com aquela risada que me dava muita raiva! Quando Rodrigo chegou na cozinha ficou desesperado ao me ver de calcinha. Logo disse pra mim ir vestir uma roupa pois seu pai estava em casa. Bom, se ele tivesse prestado atenção em mim, teria notado minha expressão assustada. Acabei não falando nada, apenas fui para o quarto me trocar… e me tocar… kkk Ah ninguém é de ferro kkk

Para a minha paz, Seu Alberto ficou fora durante o dia todo naquele dia. Quando chegou em casa à noite, se juntou a nós na sala depois de ter tomado banho. Eu estava encostada em Rodrigo com as pernas sobre o sofá e vestindo uma camisola preta curtinha. Ficamos ali conversando e até que ele estava mais agradável, apesar de alguns olhares ousados demais, ele estava até se comportando.

Pedimos uma pizza e um pouco antes da pizza chegar eu me levantei e fui pôr a mesa. Não demorou muito o motoqueiro buzinou na frente de casa. E é impressionante o tamanho da ousadia do meu sogro, pois assim que Rodrigo saiu para pegar a pizza, o safado já estava em pé ao meu lado.

- Não, seu Alberto… - eu disse, mas com pegada me colocou sentada na mesa - Vai dizer que não estava com saudade de mim? - ele disse com aquele riso cínico e com suas mãos subindo por minhas coxas. Segurando minha calcinha ele foi puxando-a. E o pior que eu não conseguia dizer não para aquele desgraçado e apenas fiquei vendo minha calcinha passando por minhas pernas e sair pelos meus pezinhos.

Logo em seguida segurando minhas coxas ele colocou-as sobre seus ombros e abocanhou minha boceta. Sua língua, sua boca me deixava muito excitada, o safado sabia o que estava fazendo, como chupava gostoso! Quando ouvimos a voz de Rodrigo agradecendo o entregador, Seu Alberto muito esperto se levantou e me roubou um beijo de língua muito gostoso.

Quando Rodrigo voltou já estávamos sentados à mesa conversando bem comportados, ao menos foi o que inicialmente pensei. Mas quando notei a cara de Rodrigo me encarando, foi que me dei conta que seu pai estava sentado ao meu lado e com uma mão acariciando minha coxa! Na hora me subiu um frio na barriga, mas o bem da verdade é que eu gostei! Sim, eu gostei deixar Rodrigo desconcertado por aquilo!!! Segui tentando agir como se não estivesse vendo maldade naqueles movimentos safados do meu sogro e continuei de pernas cruzadas e deixando-o tocar-me.

E ali jantamos e Rodrigo viu seu pai com aquelas suas velhas brincadeiras sentindo meu cheiro e acariciando minha coxa durante o tempo todo! Sua cara de pau era tamanha que certo momento ele deslizou mais a mão e senti a base dos dedos roçarem em minha bocetinha, nossa que tesão!

Mas ficamos apenas nisso. Ao final da noite fomos dormir, acho que preferimos evitar o assunto pois Rodrigo não disse nada, admito que até fiquei com o coração um pouco apertado. Naquela noite, apaguei a luz do quarto, deitei ao seu lado e dormimos.

Bom, a estadia de meu sogrinho aqui em casa trouxe outros acontecimentos que caso vocês desejem saber conto um outro dia destes. Deixem seus comentários pra mim saber.

Beijinhos aos taradinhos e aos meus corninhos! taianefantasia@gmail.com

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 92 estrelas.
Incentive Taiane a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários

Foto de perfil genérica

Eita como eu queria esta no lugar desse sogro. Kkkk

0 0
Foto de perfil genérica

Que delícia , safado seu sogro , cafajeste daquele jeito que a maioria das mulheres não resistem , delícia de relato , pau trincando de duro 😈😈😈😈😈😈😈

Nota 10 3 estrelas.

0 0
Foto de perfil genérica

Q nora safada e gostosa me lembra minha cunhada, e minha sogra,bjs na sua buceta!

0 0
Foto de perfil genérica

Como já disse antes, seu marido sabe que é corno. Mas, não tem coragem de falar abertamente com você. Talvez ele esteja esperando a sua iniciativa.

Talvez até ele queira participar como expectador. Tem casais aqui na casa que curtem isso e afirmam ser muito prazeroso e menos arriscado.

Conte mais sobre as aventuras. E, quando puder te convido a ler os emus contos. Você vai gostar.

0 0
Este comentário não está disponível
Foto de perfil genérica

GRUPO NO ZAP SOMENTE PARA MULHERES E TRANS MENINAS que curtam fantasias, em especial sexo bi entre elas . Mas todas as fantasias são benvindas. NÃO adicionamos homens. Escrevam com o zap para: tourodovale@hotmail.com e coloca NOME E FLORES E MORANGOS. Beijos e 3 estrelas.

0 0
Foto de perfil genérica

Para todos vocês moralistas… vão a merda!

1 1
Foto de perfil de Beto Liberal

Ué.

Ele não tinha tirado a calcinha dela na hora que o motoqueiro chegou?

0 1
Foto de perfil genérica

Nossa Beto, obrigado, primeira vez que vejo alguém prestar atenção nos detalhes… ele passou os dedos na minha bocetinha mesmo… já corrigi beijinhos

3 1
Este comentário não está disponível
Foto de perfil genérica

Romances e coisas moralistas não é neste site não … o que você tá fazendo aqui?

1 0
Foto de perfil genérica

Delícia de conto, quero saber o que mais aconteceu!!!!

0 0
Este comentário não está disponível
Este comentário não está disponível
Este comentário não está disponível
Este comentário não está disponível

Listas em que este conto está presente