Pecado em Família. Parte XXXI.

Um conto erótico de Isabell
Categoria: Heterossexual
Contém 1830 palavras
Data: 11/01/2023 18:09:55
Última revisão: 12/01/2023 19:01:34

Aviso ao leitor.

Este diário contém informações pessoais. Nestes textos, eu revelo, os meus sentimentos, de modo, como me ocorreram. Eu não me preocupo tanto, porque retirei informações pessoais que pudessem nos identificar.

O diário, foi escrito entre 2013 a 2017. E, caso leia isto, você poderá se ofender de verdade e ficar perplexo e confuso. Então, por favor, não leia, contém incesto.

Sexta, 28 de fevereiro de 2014. Às 23:00.

Hoje não teve novidade alguma no colégio. A Fernanda me chamou para sair. Não estou no clima, vou ficar de molho.

O Leandro veio falar comigo, saber como estou. Ele pensa que fiquei mal depois do término. Que bobalhão!

Ele nem sabe, mas, já estava de olho em outro carinha, o Fábio, do terceiro ano, pelo menos, ele já tem carro, rs.

Prometi para eu mesma que; esse ano, eu iria transar com outros caras, além do meu pai. Sou uma mescla de “filhinha de papai, com safadinha da internet”.

Cara… consegui sacar os setenta e oito reais do site. Pensei que fosse mentira, mas não, é real.

Meu nome no site é (Minnie Charmosa). Os carinhas gostaram do meu corpo, dos meus quadris e ombros largos, da minha buceta, da bunda, dos meus peitos. Sinto que os meus seios ainda continuam crescendo, ficou do jeito que eu queria, rs.

Mamãe disse; “que amanhã vai visitar a vovó”. Não a vejo desde do ano novo.

A Fernanda e a Jéssica estão online no Skype, ficarei invisível antes que elas venham falar comigo.

Seu Reginaldo, voltou hoje de São Paulo. Papai estava feliz. Disse; “que conseguiu cinco clientes para a empresa”.

Estou feliz por ele, a empresa, é tudo na vida do meu pai, quem sabe o ano que vem, eu vá trabalhar lá. Afinal, também sou proprietária, rs.

Como de praxe, a gente transou, na verdade, aconteceu assim:

Quando cheguei do curso de moda. Papai já tinha chegado de viagem. Ele estava sentado no sofá provando do seu vinho favorito. Assim que o vi, “saí correndo” para abraçá-lo e dar muitos beijinhos, a louca, rs.

Fiquei sentada em seu colo, ouvindo ele contar sobre viagem, os clientes que tinha conseguido. Só que papai não tirava as mãos de mim, rs.

Quando ele disse. — “Olha só, como você cresceu filha”. — Assim você fica parecendo uma criança sentada no meu colo. — Falou sorrindo.

— Mas, não sou mais criança, né, pai? — Eu disse a ele!

— Meu Deus, eu não acredito, parece que foi ontem quando te vi nascer. — Disse ele!

O modo que a gente foi conversando, meu pai, roçava a minha bunda com o pênis por baixo das calças, e meus seios, por cima da blusinha. Como já não é surpresa, o que fazemos, eu me afastei dele — levantando do seu colo? Estendi à mão, e o chamei para o meu quarto e, não me importando em pecar mais uma vez.

Ele pegou na minha mão, e se levantou do sofá, com um olhar de homem excitado, e não, o de pai.

Achei que devia dar mais atenção a ele antes de ir para o quarto. Papai e eu nos beijamos, parecíamos bêbados tropeçando em meio ao tesão. Ele tocou na minha buceta por cima do shortinho. Eu com a mão no pau dele apertando por cima das calças. Então fomos para o quarto!

Ele não parou de apalpar os meus peitos, mas eu o interrompi para cambalear em direção a minha cama.

Seu Reginaldo chegou a dizer: “Ah, olhe como você está me deixando duro” (O pau dele estava apertando as calças).

Olhando em direção ao seu pau, coloquei a minha mão dentro, das suas calças, mas não me pareceu tão duro. O pênis do meu pai tem a pele macia e a cabeça grande.

Cara… olha só, o que estou escrevendo? Estou descrevendo; como, é o órgão sexual do meu pai?

Ele disse: “Estou muito, querendo transar com você.

Eu ria e achava graça. Do modo que ele falou. Foi um jogo divertido e nós estávamos completamente excitados.

Ele me arrancou a roupa com cara de tarado nos olhos, ficamos encarando um ao outro, como se estivéssemos pensando a mesma coisa que o outro; sexo.

Quando fiquei pelada, meu pai me empurrou na cama. Seu Reginaldo inclinava a cabeça — olhando com o canto do olho enquanto tirava sua roupa de um modo engraçado, tropeçando nas peças todo atrapalhado.

Antes de ele me comer, tratei de pegar uma camisinha na gaveta da cômoda e dá-lo em sua mão.

Ria o vendo tropeçar nas próprias roupas, mas, não tinha certeza; se ele ia aguentar transar comigo muito tempo pelas condições de sua excitação.

Nu, meu pai subiu na cama, tocando o meu corpo, beijando a minha boca, lambendo os meus peitos, fomos em direção do prazer e do pecado.

Depois de um tempo nos beijando, papai colocou a camisinha no pau. Foi muito legal ver isso, o jeito como esfregou o pênis nas minhas coxas, no clitóris, forçando a cabeça a entrar na vagina.

Quando fechei os olhos e me inclinei para trás na cama, ele penetrou lentamente. Minha cabeçona, parecia girar, sentindo a penetração. Abracei seus ombros, sentindo o cheiro da sua colônia importada na pele macia.

— “Deus do céu, como podemos fazer uma coisa, dessas? ”

Foi muito romântico e divertido a nossa transar de tarde!

As cortinas voavam enquanto a gente transava. Papai inclinou meus braços para trás, acima da minha cabeça, inclinou-se sobre mim e me beijou por um longo tempo. (Seu beijo tinha gosto de vinho, no interior de sua boca).

Um tempo depois, eu estava por cima, saltitando nele, sentindo sua pele quente, suas mãos tocando meus peitos. Ele tentou mamá-los, mas, eu não deixei e tudo mais.

Quando me deu a “louca” de ficar de pé, em frente da mesa do computador, mexendo na minha buceta e chamando ele. Papai se levantou. Corri para o banheiro. Seu Reginaldo veio atrás. Sentei na privada, tirei a camisinha do seu pau e chupei por um tempinho. Meu Deus, como aquilo foi gostoso, meu corpo “queimava” de tesão.

Meu pai olhava para mim enquanto brincava de chupar o pau dele. Ele é o homem mais bonito do mundo. É alto, têm olhos azuis, é forte, é cheiroso, peito largo e peludinho.

Quanto a mim, bom, eu sou uma garota, particularmente, atraente. Acho que o final da minha adolescência está sendo a melhor possível. Porra, estou transando com o meu pai e com a minha família toda? Não me queixo disso.

Estou apaixonada por ele, sabe? Só espero que um dia, não me sinta culpada em relação a nada disso. A verdade, é que, eu gosto dessa sensação e, agora, estou envolvida até o pescoço, com essa loucura, entendeu?

Começamos a transar tomando banho, ele me abraçou traz pela cintura, mas não muito forte e, me penetrou na vagina. Não preciso falar que estava ótimo, né?

Conforme o troço ia acontecendo, suas mãos subiam e desciam pelo meu corpo. Papai me beijou. Quando virei o rosto. Beijos longos e molhados. Eu apertava o seu imenso e latejante pênis, usando as musculaturas da vagina.

Quando ele pôs no ânus, fez todos os movimentos que me deixou a ponto do orgasmo. Eu podia sentir como estava excitado (grande e rijo) e eu querendo muito gozar. Por isso, eu esfreguei o meu clitóris para acelerar o processo e, gozei aos montes, gritei, gemi e sussurrei. Ah, foi delicioso!

Em seguida tirei o pênis de dentro do meu cu e me abaixei para o meu pai, após, tirei a camisinha do pau dele e chupei até ele chegar no ápice das delícias (gozar).

Hoje, eu tomei duas no rosto. Ele não pôde ver a cena. Já passava das seis e meia da noite, e quase tudo estava escuro, menos a televisão da sala.

Ao levantar do chão, meu pai disse algumas coisas absurdas e sexuais, como: “que eu era uma filha muito gostosa, que ele amava me comer, que eu não tinha frescura, que ele gostava de comer o meu cu”.

A gente se beijou depois disto. Também. Tivemos uma conversinha fiada sobre a ida da mamãe na casa da vovó.

Cara, meu pai ficou excitado assim que segurei seu pênis. Meu… ele é muito tarado, puta merda, rs.

Apertava e passava as mãos bem de leve. Seu Reginaldo me fez abaixar e pagar um boquete. Chupei o seu pau. Ele queria transar, mas, eu não quis, estava satisfeitinha, mas me deixou maluca, pelo menos durante um tempinho.

Por isso, só fiquei no boquete e punheta até papai gozar de novo um depois.

Acabou que a gente saiu do banheiro, eu enrolada com a toalha dos peitos para baixo. E ele, com a toalha da cintura para baixo.

Quando estava secando meus cabelos com a toalhinha. Seu Reginaldo me fez um último pedido, que me; “sentasse na cama. Ficasse de pernas separadas para me ver nua”.

Isto não foi a primeira vez, acho que, foi a sétima. Vejo que ele tem essa tara, será que, com a Roberta e a mamãe, é a mesma coisa, ou só comigo?

Lembro que tirei a toalha ao final do seu pedido, e a joguei no chão. Sentei na cama com um pé no chão, e o outro em cima do colchão - separando as pernas.

Fiquei parada olhando nos olhos azuis do Seu Reginaldo, tinha um sorriso no cantinho de sua boca.

Meu pai nem piscava. Ele não me tocou, só olhou. Queria saber; o que passou na cabeça dele? O que ele sentiu ao me naquela situação, ver a sua filha, assim?

Só de roçar na minha buceta, fiquei arrepiada. Eu queria dizer para ele, o que sentia? Mas, não disse.

Seus olhos azuis encovados, pareciam, bolas de gude. Nada foi mais agradável deixar papai me olhar hoje mais cedo. A gente não transou. Ele acabou pegando suas roupas e saiu enrolado com a minha toalha de banho, rs.

Pensei que a gente ia trepar, mas ele, não colaborou.

Nada mais aconteceu depois. Após. Duas horas. A Roberta chegou do trabalho. Em seguida a mamãe.

No jantar, conversamos sobre o que cada um fez no dia. Meu pai falou dos novos clientes. A mamãe; comentou sobre a viagem na casa da vovó. Ela só volta no Domingo à noite. Eu comentei sobre o curso de moda que amo de paixão, também falei de outras coisas.

A Roberta ficou olhando para mim. Com cara de debochada. Captei a mensagem dela na hora. Era o fato da mamãe ir viajar para a casa da vovó, rs.

É quase meia-noite. Coloquei um conjuntinho de saia e top de crochê. Vou colocar algumas almofadas encostadas embaixo da porta para não passar claridade da luz.

É só ligar a webcam do site e me exibir para os caras. Agora eu sei que o dinheiro cai na conta. Preciso faturar o máximo, e o mais rápido que puder, rs.

É, o final de semana promete.

Tchauzinho!

Para dúvidas: contatoisabelgoulart@gmail.com

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 33 estrelas.
Incentive Isabell a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.
Foto de perfil de Isabell Isabell Contos: 53Seguidores: 213Seguindo: 0Mensagem Sou uma mulher de 28 anos. Empresária, empreendedora, estudei moda, sou estilista, mas, tenho segredos, ah, todo mundo têm segredos, não é? O meu, é um tantinho fora da curva, não irei falar, você mesmo (a) vai ler. Este antigo diário, contém, 52 partes. Boa leitura.

Comentários

Foto de perfil genérica

Belo texto, intrigante, palavras que excitam, que nos faz imaginar a cena como ela foi. Excelente... parabéns, continue.

0 0
Foto de perfil de RoseRosa

Obrigada Isabel pelo aviso no e-mail. Gosto do jeito da tua escrita, prende o leitor, parabéns pela coragem, não é dos melhores exemplos, porém, nos tempos atuais, quem está certo, não é?

2 0