Despertar no Halloween! Parte 6

Da série Halloween
Um conto erótico de Cigana CD
Categoria: Crossdresser
Contém 3118 palavras
Data: 22/01/2023 13:19:33

Acordei com o barulho dele saindo com o carro, tinha um longo trecho de viagem e alguns dias ainda até o natal.

Agora um dos meus maiores medos era não me entender, o segundo meus pais, principalmente papai e por ultimo como minha vida seguiria.

Ao acordar ouvi que mamãe já estava lá embaixo, então fui pro banho, já que sabia o que queria por enquanto, li sobre o creme depilatório, aonde podia ou não passar e assim retirei as penugens que ainda tinha no meu corpo, mesmo os poucos pêlos eram ralos, no futuro ia ver se passava algo pra ficar transparente, já vi mamãe fazer.

Sai do banho, sequei-me e vesti o primeiro conjunto de sutiã e calcinha, não tinha outra saida e queria ficar femme. Coloquei a outra calça, mega apertada mas que mostrava que estava de fio dental, amei, coloquei o soutien com enchimento e vesti uma camisa que tinha que era bata, uma tia patropi tinha me dado feito de fibra de bambu, a transparência dela era deliciosa no corpo agora com sutiã.

Arrisquei e pintei as unhas dos pés e das mãos, nossa eu achava que tinha sido rápido, mas olhando o celular vi que tudo isso demorou uns 45 minutos.

Passei lápis, batom, e vesti um dos tênis que mamãe comprou tipo saltinho da all star.

Completei com perfume, pulseira, colar com S e dois aneis. Vi um brinco de argla e coloquei, nossa era lindo aquilo, e fiz um rabo de cavalo com uma xuxa mega rosa.

Desci e já sentei na cozinha com mamãe parando para me ver e pediu par dar uma voltinha sem antes lhe dar um beijo de bom dia.

Elogiou meu look, mas comentou que minha tia ia adorar ver nessa blusa um dia, lembrar de usar quando formos conversar com ela.

Na mesa discutimos os colégios, mamãe como sempre se antecedendo, já havia falado com a clínica e eles indicaram 3 escolas que tem uma excelente convivência com trans e muito bem recomendada no tocante ao grau do ensino.

Assim já tínhamos nosso itinerário pela manhã, fatíamos 2 pela manhã e uma pela tarde, mamãe notou que estava com o sutiã do primeiro dia e comentou?

- Filha, este sutiã não está com cheirinho, troque por um outro.

- Mãe, num está não, só usei um pouco e não tem outros mais o cesto ta lotado de roupas femininas usadas, amanhã volto a ser SIMON.

- Mas nem morta, bom temos a tarde livre, vamos fazer compras do básico pra semana e daí voltamos e compramos o resto pela internet, verá que dobramos a quantidade com muito menos gastos do que 1 compra.

- Verdade, bom a gente não sabia que rumo iria tomar, podíamos ter feito isso no meu aniversário.

- No seu aniversário seu presente foi a festa e de brinde um namorado né fofinha.

- Eu fiquei vermelha, ri depois. Bom mamãe falando nisso como fica eu e o Edu.

- Bom filha, eu imagino conversar com a mãe dele e contar as mudanças, creio ser honesto e o ideal nestas condições, se os pais dele aceitarem você, aí ele terá que pedir você em namoro, não pensa que irei pular protocolos só pq vc é minha filha.

- Ai mãe e se eles não aceitarem?

- Aí você decide, viver num inferno com sua sogra lhe humilhando e ofendendo ou virar a página.

- Tá mas vamos esperar o fim de semana, tá bom?

- Quanto antes melhor filha, você não terá um namorado aqui a contragosto da família, não neste início, combinado!

- Tá, mas ele pode vir hoje a noite posar?

- Pode vir, posar já disse que não, a menos que você durma comigo na cama ai pensamos!

- Combinado, eu durmo!

- Eita fogo, pelo visto a genética tá completa, e com isso eu quero dizer exatamente que sei o que essa cabecinha tá pensando, eu não fui santa na adolescência e nem na facul, seu pai ainda morre de ciúmes de meus ex, em pensar que alguns deles frequentam nossa casa como amigos e ele nem se dá conta, mas deixa pra lá. Vamos já fazer um combinado filha, não podemos ter segredos entre nós duas, então eu serei o mais honesta com você e você fará o mesmo comigo, assim nossa relação será maior e com mais cumplicidade, de acordo?

- Sim e de acordo, então vamos lá, quantos namorados você teve mamãe?

- Vixi, criei um problema, brincadeirinha filha, eu tive muitos ao ponto de ter 3 namorados numa mesma época, era no último ano antes da faculdade, tinha um namorado no colégio, um no cursinho a noite e um que encontrávamos só nas baladinhas.

- Nossa mãe e como você se controlava.

- Não me controlava com eles, eu me cuidava, usava anticoncepcional e camisinha, só uma vez que acabei saindo com dois no mesmo dia, um de tarde e outro a noite, nossa me senti mal depois, mas na hora foi delicioso pois aquele dia estava pegando fogo e acredite, nem o segundo apagou o fogo, sei lá, mas foi no passado isso.

- Hum realmente a genética vai ser fogo né, falei dando risada.

O que veio depois me arrependi de brincar pois mamãe me olhou e falou sério.

- Bom agora você, lembra que eu saí e deixei vocês dois sozinhos, bom voltei e ele o Edu estava saindo do WC, com o shorts estourando, o que foi que vocês ou melhor o que foi que você aprontou?

- Ai mãe, mas tá certo, sem segredos, eu fiquei no colo dele, massageando o penis dele por dentro da cueca, até soltar um liquidozinho, no final pus na boca e disse que queria ele todinho, para ele não desperdiçar.

- Queria todinho como, quando, viu por que não posso deixar vocês dormirem juntos, engravida na primeira!

- Mãe, eu não engravido! Credo!

- Modo de falar, você daria para ele facinho, e não é assim tem que ter todo um preparo, sexo anal, precisa de higiene e cuidados, o oral, sabendo que ele ainda é virgem tudo bem, falando nisso espere.

Mamãe saiu e voltou com um pacote com 16 camisinhas me dando e falando para eu guardar em meu quarto do lado da cama.

- Filha guarde, de forma a ficar sempre a mão, não quero você tendo relações sem proteção, sei que é inivitável, você vai dar, e pelo visto antes do que imaginava, então cuida, lembra de tarde de eu comprar uns cremes para antes e depois do sexo anal, falo por experiência, melhor usar, seu pai fica louco comigo e eu amo um sexo anal.

- Nossa mãe, quem diria que um dia teria uma conversa dessas com você

- Nunca o SIMON teria mas a SIMONE, falarei tudo que você quiser saber!

- E sexo oral, eu vi numa revista na escola é bom, como faz?

- Filha minha, realmente você é eu quando menina, nossa tem o mesmo fogo e os mesmo desejos, eu até os 17anos só fazia anal e oral, tinha medo do vaginal, foi no primeiro mes de cursinho que fiz de tudo, mas tambem o Deus grego compensou a espera, hoje ele é nosso amigo familiar, você se perceber saberá de quem falo.

- Nossa, bom e como é?

- Bom o ideal é como você iniciou, provocando, alisando, deixando ele ter esse pré gozo, daí escolhe se com ou sem camisinha, no Edu acho que pode ser sem, mas com estranhos. ops você não será uma chupadora a toa, com outros futuros namorados ai você decide. Mas vai beijando, ele todo, protegendo para não marcar com os dentes no final ambos saberão conduzir, eu tenho minhas técnicas sei como deixar um homem maluco sem gozar até que eu decida, as isso é para outro momento tá, vamos mudar o rumo da conversa, que sem seu pai aqui fica dificil falar sem fazer depois e não quero me masturbar muito menos outras coisas possíveis.

Bom eu entendi, pois meu piu piu já estava latejando e o desejo ainda maior de ter o Edu maluco, memorizei o que ela disse, subi e guardei un tanto em cada gaveta do quarto, entendi que mamãe respeitava o papai mas tinha tesão ainda por outros antigos namorados, não seria eu a gerar mais fogo aonde já tinha fumaça.

Terminei o café, subimos e mamãe me deu uma bolsa e colocou alguns itens ali dizendo serem essenciais sempre uma mulher ter, inclusive colocou 2 camisinhas 2 absorventes íntimos e um plástico com 5 lenços umedecidos fechados.

- Mãe absorvente, para quê, eu não menstruo.

- Não menstrua, mas saberá exatamente quando usar, vai por mim.

Fomos nos colégios, comemos fora e visitamos o último colégio. Daí ficamos na dúvida se entrávamos em um shopping ou comprávamos de alguma loja de rua as roupas íntimas, decidimos pela loja, fomos próximo ao colégio, que era bem longe e assim não encontrei ninguém pelo menos eu tivesse percebido

- Boa tarde, em que posso ajudar as meninas!, Disse um jovem vendedora.

- Precisamos trocar o enxoval da minha filha, agora é uma mocinha!

- Perfeito, vieram no lugar certo, se me permite vou pedir para minha filha atender a vocês, tem a mesma idade da sua e assim podem trocar ideias e tendências do que está sendo mais usado. Se preferir eu atendo, ou podemos eu atender a Senhora e minha filha a sua, pode ser?

- Bom, filha, o que me diz?

- Tudo bem mamãe, se precisar eu te chamo ok!

E assim eu fui apresentado a Ericka, uma menina muito simpática e extrovertida, e já foi dizendo:

- Bom mamãe já me apresentou, qual seu nome e que estilo de menina você quer ser, saiba que a roupa intima diz muito, mesmo que escondida.

- Me chamo Simone, me chame de Si, bom deixa-me ver. Dei um giro e ergui os braços, mostrando meu umbiguinho e a calcinha enterrada na bunda, e também o soutien na blusinha transparente.

Quero manter este estilo.

- Hum, estilo sensual, adoro. Vem comigo.

Foi me mostrando todos os tipos de roupas e conjuntos intimos, nunca tinha visto tanta variedade de cor, tamanho tipo de tecido com ou sem costura, disse para ir colocando no sacolão que a loja oferecia, que não tinha problema levar muitos para provar, era até melhor e depois ela teria tempo pra guardar. Só de conjunto levei uns 12 e de calcinhas soltas mais umas 10, alguns tops e dai ela me olhou e disse:

- Amiga, desculpe eu te perguntar, vi que está com enchimento, sei que é difícil esta fase em que nossos seios ainda não tem volume.

- Ai pois é, mas os seus já são nítidos.

- Que nada são pequenos, aqui na loja eu uso estas próteses de silicone, com a maquiagem certa não aparece e me dá muito mais liberdade e prazer. Daqui uns 7 meses já não vou mais precisar, ou até antes.

- Sério, nossa, vocês vendem aqui?

- Sim, mas neste caso mamãe que irá vender, vamos ver umas roupas de dormir e de ficar em casa, temos mini shorts e mini saias, biquínis também.

Assim coloquei mais 4 minissaias, 2 shorts de ginástica e 3 daqueles que imitam mini mas são shorts atrás. Dois macaquinhos e 1 babydoll. O sacolão estava lotado, fomos ao encontro de mamãe que estava com o seu também mega cheio.

Mas no dela tinha outras coisas para mim, para minha surpresa as próteses em um caixa discreta, que só vi no caixa.

De tudo que escolhi, mamãe não recusou nada, mesmo por que ela também não recusou nada para ela, do que tinha de extra no dela, algumas tinham na minha lista e ela descartou, mas colocou meias calças, meias calças cinta liga junto, outras meias finas, coisas que eu e Ericka nem vimos.

- Nossa mãe é muito dinheiro!

- Filha seu pai pediu para eu não me preocupar em te dar conforto, além do mais compramos o essencial, você está crescendo e logo ira se desenvolver, a Luiza, mãe da Ericka que me segurou, senão era o dobro, gostei muito deste profissionalismo dela, não se preocupou em perder venda e sim em nos ajudar.

- Mamãe a Ericka fez o mesmo, até indicou os seios, será que ela percebeu que eu era um menino?

- Não filha nem ela nem a Luiza, mas a Ericka na verdade é um menino como você, mas ela só gosta de se vestir de menina para trabalhar aqui, no resto do tempo ela é um moleque bem sapeca, a mãe dela me falou, até para ser honesta e não gerar alguns constrangimento com minha filha, disse ela, mas eu não disse nada, não achei oportuno.

- Uma menina trabalhando e um menino normal no dia a dia, como será que ela faz isso todo dia.

- Não agora nas férias é todos os dias na loja, mas nas aulas ela só era menina no sábado na loja e uma ou outra vez em algum passeio, eles são separados e os finais de semana com o pai ela é o meninão dele e nos outros a filha que presenciamos. Peguei o telefone dela e vamos sair no domingo juntas, ai quem sabe contamos a verdade, se você assim quiser.

- Também peguei o fone da Ericka, acho que a noite vou contar a verdade, mas tô pensando como ainda.

Chegamos em casa, a primeira coisa que fiz foi deixar as sacolas na cama e pedi umas caixas para mamãe. Selecionei todas as roupas surradas e masculinas e coloquei na caixa, deixe pra fora um ou outro moleton, uns 3 jogos de futebol, meias e 2 cuecas apenas. Ficou uma ou outra calça jeans e jaquetas.

Com isso mudei agora as roupas de menino para aquela porta que antes era só de Simone e a ela tomou conta do guarda roupa e das gavetas.

Peguei as coisas do cesto do wc, fui pra lavanderia por na máquina, mamãe viu e foi junto e deu umas dicas de como lavar as roupas íntimas sem estragar por causa dos fachos e assim fiz minha primeira maquinada de roupas, fazia parte agora da vida da SIMONE, do SIMON já era mas jogava tudo junto e numa opção só da máquina, com SIMONE mudava até o aromatizante, como a vida de menina tem muito mais glamour até na lavanderia rsrs. Vi no celular um oi desconhecido, respondi e era a Verônica pedindo se poderia conversar comigo as vezes pelo whats, eu aceitei no mesmo instante, ficamos ali uns 15 minutos trocando algumas ideias e ela tinha que sair e assim nos despedimos.

- Chamei mamãe e antes de guardar cada coisa, experimentava e ela opinava. As que davam certo já tivera a etiqueta, 1 shorts veio com um defeito que ao vesti eu achei, iríamos trocar, no mais tudo deu certo, mamãe ainda veio do quarto dela e deu algumas coisas delas como lenços, saída de banho, uns cachecóis e etc, assim SIMONE poderia ficar um bom tempo muito bem equipada.

Fui pro banho, escolhi a roupa mais provocante e chamei Edu para casa, falando que ele iria posar, mas não dando as regras, eu já tinha bolado tudo na minha cabeça.

Quando chegou, ficou espantado, igual mamãe quando me viu, mas deixei ela me ver só quando a campainha tocou e desci rápido do quarto, assim sabia que ela não teria tempo de me mandar trocar. Estava com uma das menores minissaias, meia calça, um calçado de salto alto, uma mini camisetinha mostrando o decote, duas maria chiquinhas e a maquiagem mais pesada e sensual, batom mega vermelho.

- Si, deixa teu namorado ai e venha me ajudar no lanche.

Pelo tom eu sabia já.

- Aonde a mocinha pensa que vai desse jeito, quer transar já aqui na sala ou vai esperar eu dormir hein?

- Não mãe, apenas queria me sentir desejada, só isso.

- Sei, esqueceu que já fui você na adolescência, eu bem sei o que queria, bom fica o recado, até os pais dele souberem, no máximo você ira fazer sexo oral com ele, mas ele não ora sequer encostar em você, estamos entendidas!

- Credo, nem pensei nisso!

- Não pensou agora na minha frente, mas quando escolheu era exatamente isso que queria, não tirou ainda o gostinho do pré gozo da cabeça e quer logo se lambuzar. Filha não mnta.

- Tá mãe, eu quero ele sim, ia tentar fazer ele gozar na minha mão deitado no colo, sim eu quero experimentar, plano era esperar você dormir.

- Tá bom, apenas provoque ele então, é delicioso isso, dai eu vou dormir mais cedo ou tentar me acalma antes, mas prometa que é só oral seu, senão adeus Edu aqui em casa ouviu?

- Obrigada mãe, você é especial, nunca irei mais fazer escondido!

- Façamos assim, você diz o que quer fazer e eu te ajudo evitando o pior, não quero você dando na rua tipo biscate, se for é aqui em casa sob meus cuidados ok.

- Ok, não sou biscate né mãe?

- Se fizer certinho no máximo uma biscatinha fofa, rsrs e demos risada.

Bom com mamãe já aprovando com resalvas, parece que o modo safada ligou, fui para o ataque, cheguei e me enrolei no pescoço de Edu e beijei ele de língua, fazendo questão de meu corpo encostar todo no dele, tanto que perdeu o equilíbrio e juntos caímos no sofá, aproveitei para encostar em seu pênis duro, e dei um beijinho no dedo e passei por cima da bermuda falando:

- Se você se comportar, hoje vou fazer você gozar!

Isso fez de Edu meu escravo, pensa que o menino fez tudo que pedi, mamãe até me chamou a atenção que eu estava passando dos limites para me aproveitar dele.

- Deixa mãe, depois ele ganha a recompensa!

- Safada, minha doce menina, comporte-se hein.

No colo, deitado em suas pernas aproveitei ao máximo provocar e ele de leve passava as mãos em minha nuca e costas deixava minha bunda meio a mostra mas ele não se atreveu, mas sei que a visão quando me mexia, fazia seu pênis latejar. Cada vez que pedia algo da cozinha ele sofria pra levantar sem dar bandeira e mamãe e eu riamos quando ele saia e ela fazia cara de brava, mas sei que também olhava, até que eu falei.

- Você fala de mim, mas também tá sempre olhando ele quando levanta, olha olha olha!

- Filha sou mulher, olho por Tesão, mas respeito vocês dois tá, é inevitável, fica tranquila não farei nada, apenas olhando seus métodos e relembrando minha adolescência, daqui a pouco eu subo e apago meu fogo na banheira e aí você que aproveite pois quando sair, quero te chamar pra dormir viu mocinha!

- Tá mãe pode demorar tá kkkk

- Safada!

Assim ela levantou-se e foi para o quarto, mas demorou muito tempo pra ligar a banheira, esperei esse momento para atacar o Edu.

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 24 estrelas.
Incentive Cigana_cd a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.
Foto de perfil genéricaCigana_cdContos: 140Seguidores: 98Seguindo: 59Mensagem Sou crossdresser, amo tudo!

Comentários

Foto de perfil genérica

Nossa, que delícia de conto,apareceu até uma com o mesmo nome do que o meu..... rsrsrsrs

Parabéns linda está simplesmente maravilhoso o conto viu. Nota 10

Beijos

1 0
Foto de perfil genérica

É VC meu anjinho ❤️

0 0
Foto de perfil genérica

Nossa, que delícia minha linda. Muito obrigada mesmo viu. Vc é um amor

Beijoooss....😘😘😘😘

1 0

Listas em que este conto está presente