Segredos Liberais. PARTE 1 – Capítulo 9

Categoria: Grupal
Contém 3070 palavras
Data: 22/01/2023 01:29:19
Última revisão: 22/01/2023 06:42:11

Segredos Liberais. PARTE 1 – Capítulo 9

Passeio com o chefe e a namorada (9)

No trajeto de volta quando pegaram a estrada em Paraty, naquele domingo, já passava das dez horas da manhã. Miúcha foi no banco da frente, junto com o Guy que dirigia, e o Luke recostado no banco de trás. O plano deles era ir parando nas praias e aproveitando o domingo.

Miúcha, no começo estava acesa, feliz da vida e ainda provocava os dois. Mas ela havia falado que eles estavam proibidos de tocar nela. Se sentia toda ardida do excesso de sexo durante a noite.

Mas ela não se conteve por muito tempo e meia hora depois de estarem viajando ela se virou para o namorado e perguntou:

— Lu, eu estou com saudade de pegar no pau do Guy. Posso?

Luke achou graça porque sabia que ela estava fazendo aquilo só para provocar e respondeu:

— Pergunta para ele. O pau é dele.

Miúcha sorriu satisfeita com a resposta e disse:

— Só queria saber se o meu corninho está de acordo.

Ela estendeu a mão e chegando mais perto do Guy, começou a acariciar o amigo na virilha, ainda por cima da bermuda. Sentiu que o pau já se endurecia rapidamente fazendo volume e ela soltou um gritinho de alegria:

— Ihu, que delícia, está durinho já!

Guy sorridente falou para o Luke:

— Essa safadinha vai ficar nos provocando. Desse jeito eu não vou perdoar. Se você concordar eu vou meter a rola nessa bocetinha assada dela.

Eles estavam rindo e o Luke respondeu:

— Acho que vou meter primeiro, senão você com essa rola grossa alarga muito a bocetinha da minha safadinha.

Miúcha já apertava o pau do Guy e ele excitado respirava mais forte. Logo que a estrada ficou mais reta, com menos curvas, o Guy se ergueu um pouco retirando a bunda do assento e com uma das mãos abaixou a bermuda, deixando o pau duro ficar de fora.

Miúcha se virou no banco, com as costas viradas para a porta e colocou os dois pezinhos no colo do Guy, começando a acariciar o pau dele com eles. Ela sabia provocar daquele jeito e logo estava fazendo um footjob para o amigo. Guy atento na estrada dizia:

— Putaquipariu que coisa mais tesuda! Essa safada é a rainha da gostosura.

Miúcha pediu para o namorado:

— Chega aqui corninho. Olha só que tesão que dá mexer nesse pau grosso.

Luke se inclinou sobre o banco e via o que ela estava fazendo com os pés no pau do amigo e chefe. Ele ficou também cheio de tesão.

Não demorou muito a Miúcha se virou novamente no assento, ficou de joelhos e se debruçou para lamber e chupar a rola do Guy. Ele soltava gemidos e suspiros de prazer com as chupadas daquela boca quente e safada. Mas ela não chupou muito pois logo avistam uma das praias que era de fácil acesso e pegaram o desvio que levava até lá.

Quando chegaram na praia deserta, desceram do carro e foram logo retirando a roupa. Miúcha deu um beijo no Luke. Ele disse:

— Sinto o cheiro da rola do Guy na sua boca.

Ela sorriu com cara de safada e respondeu:

— Está com tesão né corninho? Esse cheiro deixa você muito tarado, que eu sei. Mostra como a sua namorada está safada.

Luke respondeu:

— Eu fico tarado de ver como você é safada e como adora provocar o tesão. Está se revelando uma putinha muito sacana.

Eles se beijaram novamente e já despidos os dois homens estavam de pau duro. Miúcha também nua se ajoelhou na praia, e puxando o Guy para pertinho, começou a chupar o pau do namorado enquanto masturbava a rola do Guy. Logo ela estava revezando as mamadas no pau de um e de outro. Eles ofegantes estavam adorando aquilo e a safada ainda acariciava os sacos de ambos com as mãos.

Aos poucos ela foi chupando e masturbando e viu que os dois estavam muito excitados. Luke praticamente fodia sua boca segurando na nuca da namorada e enfiando o pau até na garganta. Miúcha dava umas engasgadas, babava, mas não parava de chupar revezando nas rolas. Até que ela viu que o Luke estava próximo do orgasmo e enfiando as mãos por baixo do saco começou a pressionar a zona entre a base do saco e o cu do namorado. Aquilo foi a provocação que faltava para o Luke gozar gemendo forte, ejaculando muito na boca da namorada, que engoliu o que pode, e deixou escorrer pelo queixo o que sobrava.

Quando Luke já havia gozado tudo que podia ela se virou e passou a mamar na rola do Guy, pedindo:

— Vai Guy, me dá leitinho também. Goza na boca da namorada putinha do meu corninho.

Ela sabia como deixar os dois bem tesudos e chupando com vontade e masturbando levou o amigo ao gozo em pouco menos do que dois minutos. Luke assistia a cena de pé ali perto, admirado de ver como a namorada estava gostando daquilo.

Finalmente, Guy chegou ao orgasmo urrando como um urso, com a pica toda enfiada na boca da Miúcha, mas ela depois de alguns jatos de porra não conseguiu engolir mais e deixou que escorresse também da sua boca e pingasse sobre os seios, onde já havia porra do Luke.

Ela chupou até que o Guy parasse de gozar e gemer. Então, se ergueu e puxando o Guy para que ele se curvasse, deu um beijo na boca do amigo ainda toda lambuzada. Depois, virou-se para o namorado e o abraçando, também o beijou, se esfregando toda melada nele. Luke não rejeitou, estava já se acostumando com aquelas provocações da namorada.

Logo em seguida, ela pegou na mão dos dois e pediu:

— Me levem na água? Quero me lavar.

Foram de mãos dadas e entraram no mar, que ali naquela praia pequenina não apresentava ondas muito fortes. Miúcha feliz da vida, amparada por dois machos, se lavou e beijou os dois. Depois saíram da água e retiraram a esteira e as cadeirinhas do porta-malas do carro, e se acomodaram na areia, para um belo banho de sol. Conversaram animadamente, descontraídos.

O tempo foi passando, eles saciados de sexo, ficaram conversando e foi quando o Guy aproveitou para se esclarecer com o Luke:

— Eu queria dizer que adoro vocês, nunca imaginei que encontraria pessoas tão generosas e liberais, e que se revelaram verdadeiros amigos. Por favor, quero pedir desculpa se fiz algo que foi negativo ou desagradável.

Luke estava ali falando com o seu chefe, mas entendia que naquele momento aquilo era o que menos importava, pois tinha identificado nele um homem maduro e gente muito boa. Ele respondeu:

— Posso falar por mim. Eu nunca imaginei que fosse fazer alguma coisa parecida como o que já fizemos desde ontem. Mas foi fluindo de uma forma tão suave, tão envolvente que eu agora estou muito satisfeito de ter vivenciado isso. E tenho que agradecer à minha namorada, safada, que veio com essa teoria de manual do corno.

Guy e Miúcha deram risada. Ela fez um carinho no rosto do Luke e disse:

— Eu não estava imaginando nada disso. Nem lembrava do manual. Foi ontem, quando vi o Guy com essa cara de bebezão choroso, todo triste, contando o que a Luciana fez, e percebi que os dois ficavam excitados com o ocorrido, o Guy contando tudo, triste com a separação e não com raiva do chifre. Ele estava tarado de lembrar, e foi aí que eu me lembrei do manual.

Guy curioso perguntou:

— Mas você já tinha lido tudo antes?

Miúcha fez que sim. E recordou:

— Lembra que eu contei? Quando eu perdi a virgindade com o Luke, recebi o manual de uma amiga casada. Eu li, mas na altura não tinha nenhuma experiência para entender a sua profundidade. Eu não havia realizado um monte de coisas.

Ela deu uma parada, pensativa, recordando de algo, depois falou:

— De noite, anteontem, provocando você e o Luke, na sala do apartamento, notei o Luke excitado de me ver provocando o desejo em você. Aí eu me lembrei dos ensinamentos do manual, e entendi que vocês dois deviam ter esse fetiche Cuckold, o tesão do corno, então, depois das nossas conversas, fui provocando mais. E vi que o Luke ficava muito tarado com aquilo.

Luke exclamou:

— A safada da Miúcha jogou pesado naquela noite. Eu estava mesmo com muito tesão. Mas fiquei muito tarado de ver como ela estava gostando de ser desejada pelos dois. Ela no fundo estava louca para dar pro Guy ali na sala.

Guy aproveitou para esclarecer:

— Eu fiquei com muito tesão, e só não avancei nela, mais por respeito a vocês, um casal de namorados e meus amigos. Mesmo quando a Miúcha disse que você gostava, eu me segurei muito.

Naquele ponto da conversa os dois homens estavam de novo de pau duro e a Miúcha bem excitada.

Ela sorriu e falou:

— Agora vocês são meus dois corninhos. Eu adorei ter essa experiência. O Guy é um amante experiente e me deu muito prazer, sem perder a amizade e o respeito. E já estão de pau duro de novo! Delícia.

Ela sentada na cadeirinha de praia, abriu um pouco as pernas, separando as coxas e mostrou a xoxota. Estava úmida. Ela pediu:

— Quero gozar gostoso, com os dois me lambendo e chupando igual dois cachorrinhos. Venham aqui.

Na mesma hora o Luke se levantou da cadeirinha e se ajoelhou na areia na frente da namorada. Ele se apoiou nos joelhos dela com as mãos e foi dar uma lambida na xoxotinha. Miúcha soltou um suspiro de prazer.

— Ah, isso, corninho, chupa gostoso! Depois vem o Guy.

Luke logo estava chupando, enfiando a língua na rachinha, sugando o grelinho e a namorada gemia deliciada, se aproximando rápido do orgasmo. Guy aproveitou para chupar os peitos dela. Aquilo aumentou ainda mais o tesão. Quando ela estava quase em êxtase, afastou o namorado e pediu:

— Vem Guy, me chupa, quero gozar na sua boca.

Guy em vez de se ajoelhar, fez uma coisa inesperada. Segurou a Miúcha pequenina pela cintura e a retirou da cadeirinha. Suspendeu-a nos braços e segurando em sua cintura, forte e alto, ele a colocou de cabeça para baixo, abraçando seu corpo. Assim ela ficava com a xoxota na cara do Guy, ele de pé, e ela com a boca perto do cacete grosso dele. Miúcha entendeu logo e se abraçou na cintura do Guy, colocando o pau dele inteiro na boca. Na mesma hora o Guy chupava a bocetinha dela, que de pernas abertas apoiava as coxas nos ombros largos do amigo. Os gemidos de prazer da Miúcha eram abafados porque ela estava com a rola do Guy atolado na sua boca e garganta.

Mas ela não resistiu nem um minuto a mais daquelas sugadas na xoxota, o Guy com a boca toda colada na bocetinha, e com os braços apertados em volta da cintura dela, com uma das mãos penetrou entre as nádegas da moreninha e passou a cutucar o cuzinho da amiga com o dedo médio da mão. Miúcha urrava de prazer exclamando que ia gozar. E logo teve um squirt jorrando seu líquido vaginal na boca e nas faces do Guy, enquanto tremia como se tivesse uma convulsão. Guy não parou de lamber e chupar e ela estremeceu por quase trinta segundos ainda suspensa por ele. Então, no desespero do prazer, ela sugou tão forte o pau do amigo que ele também acabou tendo outro orgasmo e soltou jatos fortes na boca e no rosto de Miúcha. Ela afastou a boca de lado pois estando de cabeça para baixo a porra escorria para seu nariz e rosto.

Luke olhava aquilo admirado, e viu quando o Guy desvirou a sua namorada, e a colocou novamente de pé diante dele. Mas teve que a amparar pois Miúcha estava de pernas bambas. Ela viu o Luke ali ao lado e o puxou, abraçando-o logo, e disse:

— Amor, que delícia! Viu que gozo gostoso? Estou toda gozada.

Sem esperar, ela tascou um beijo no namorado, com a face ainda melada com o sêmen do Guy e dele, e ainda um pouco de porra na boca.

Luke já sabia que aquela coisa safada era uma tara dela, fazê-lo compartilhar de tudo, e não se importava mais com aquilo. Beijou a namorada com beijos bem intensos. Miúcha perguntou:

— Sentiu tesão corninho?

— Muito, você gozou muito gostoso nas chupadas do Guy.

Miúcha contente confirmou:

— Ele também gozou muito. Fiquei tarada amor. É bom que você gosta de me ver assim.

Guy, cansado do esforço e da segunda gozada em pouco tempo, havia se sentado na cadeirinha, e observava o casal de namorados ali na frente. Miúcha se abaixou e deu um beijo na boca do amigo agradecendo:

— Obrigado cornão, gostosão. Vocês são maravilhosos.

Depois de recuperarem o fôlego, foram novamente ao mar dar uns mergulhos e regressaram. Miúcha estava com fome e decidiram pegar a estrada novamente. Decidiram que iram parar no caminho para uma refeição. E assim fizeram. Miúcha enrolada na canga que o Guy havia dado de presente, e sem mais nada por baixo. Os dois homens de bermuda e camiseta.

Fizeram mais três paradas em praias paradisíacas pelo caminho, mas não teve mais sacanagem pesada, apenas abraços, beijos, carinhos e carícias.

Miúcha assumiu que queria que o Guy fosse o seu amante fixo, junto com o namorado e perguntou:

— Luke, posso ficar com o Guy sempre que eu quiser e tiver vontade? Ele é um gostosão muito fofo.

O namorado fez que sim e respondeu:

— Sendo sempre verdadeira, sincera e não fazendo nada escondido, eu não tenho nada a dizer contra.

Guy pensava que era apenas uma provocação da Miúcha para atiçar o desejo no Luke, mas durante a viagem ela explicou que tinha gostado muito de poder ter dois machos para se divertir. Sua alminha de devassa safada se revelava, e ela estava feliz com os dois corninhos apaixonados nela.

— Luke, eu amo você meu corninho, adoro de paixão. Mas eu gostei muito do Guy também. Tenho muito carinho, ele foi o segundo macho a me possuir e me dar muito prazer. Não quero mais perder esse grande amigo íntimo.

Luke sorriu e respondeu:

— Eu não sou seu dono, mas se sou o seu amor, quero que fique comigo sempre, pois sou muito apaixonado em você. Mas não me incomodo de você aproveitar um pouco do Guy. Ele pode dar até mais prazer do que eu, e do jeito que ele faz, eu talvez não consiga fazer.

Miúcha negou:

— Nada disso, cada um é um, os dois me dão prazer enorme, e me fizeram muito feliz. É isso que eu não quero perder.

E foi isso mesmo que aconteceu. Depois que voltaram à normalidade da vida do Rio de Janeiro, Miúcha e Luke mantiveram o namoro cada vez mais unido e assumido, e sempre que podiam, iam dormir na casa do Guy, quando os filhos dele não estavam visitando o pai.

O tempo foi passando e eles cada dia ficavam mais à vontade com aquilo. Não revelavam aquele segredo para os demais amigos, mas ficou patente que o Guy se tornou muito amigo do casal, confiava no Luke e a sua importância dentro da agência também cresceu.

Gradualmente, Luke assumia mais responsabilidades no trabalho, fazia mais reportagens, cobria acontecimentos e eventos, e viajava bastante. Nessas viagens, algumas vezes a Miúcha ficava apenas com o Guy. Era mesmo uma amizade muito íntima, sem ciúme, e sem possessividade entre eles. Só não formavam um trisal porque viviam em casas separadas e o Guy era apenas um amante para alguns dias e alguns momentos. Mas o Luke se dava muito bem com ele.

Meses depois eles resolveram se casar. Naquela época faziam cerimônias simples com a presença de amigos, sem grandes eventos religiosos. Luke e Miúcha se casaram numa praia quase deserta no litoral do Rio de Janeiro, num lual muito animado, e o Guy foi padrinho de casamento do casal, onde estava junto com uma outra madrinha, uma garota que era muito amiga da Miúcha, uma nova modelo chamada Mel.

Era um universo de pessoas muito próximas.

Miúcha naquela época, conheceu um publicitário que estava crescendo na carreira, e entusiasmado com a beleza dela a convenceu para que pudesse experimentar modelar para publicidade. Pequenina, ela não tinha a menor chance como modelo de passarela, mas para filmes de propaganda, e fotos de anúncios, bela e muito atraente, ela era perfeita. E de fato, Miúcha fez algumas campanhas que reforçaram seu sucesso. Logo estava sendo mais solicitada e aparecia em revistas da moda. Ela fez um curso de teatro e intepretação e tinha chance de ser atriz.

Nessa época, o Gal, separado de sua primeira esposa, saía com muitas das modelos que ele conhecia, e a primeira com quem ele saiu foi a Mel. Mas não durou muito. Gal não investiu em manter a relação com a Mel Graziany. Dizia que não queria se apaixonar novamente.

Então a Miúcha teve a sua oportunidade de ficar uma semana de envolvimento com o Gal. Assim, nasceu a amizade da Miúcha com o Gal, que durante uma das viagens do Luke para o Nordeste, ficou quase uma semana saindo todos os dias com ela.

Por uns tempos, a Miúcha ficou no espaço que a Mel havia ocupado também por um pequeno período na companhia do publicitário. Mas ele não queria envolvimento e por isso era uma situação cômoda para a Miúcha que era casada com o Luke e amante do Guy.

E como a vida sempre dá muitas voltas, a turma que trabalhava ligada à comunicação, ao jornalismo, à publicidade, à fotografia, à moda, acabava se relacionando e se conhecendo.

Gal era grande amigo do Sidney, com quem a Mel Graziany acabou ficando, e acompanhou o fortalecimento do casamento dele com a Mel. Eles se davam muito bem mesmo.

E como a dinâmica do crescimento profissional deles todos sempre trouxe novos desafios, muita coisa acontecia naquele círculo de pessoas que tinham amigos em comum.

Por muitos meses eles teriam na memória todos os momentos de intimidade repletos de erotismo e prazer que sempre desfrutaram. E ainda tinha muita coisa para acontecer naquela história

Aos poucos será contada parte a parte.

(leonmedrado@gmail.com)

É PROIBIDO CÓPIA, REPRODUÇÃO OU QUALQUER USO DESTE CONTO – DIREITOS RESERVADOS – PROIBIDA A REPRODUÇÃO EM OUTROS BLOG OU SITES. PUBLICADOS SOMENTE NA CASA DOS CONTOS ERÓTICOS.

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 48 estrelas.
Incentive Leon a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.
Foto de perfil de LeonLeonContos: 267Seguidores: 672Seguindo: 162Mensagem Um escritor que escreve contos por prazer, para o prazer, e com prazer.

Comentários

Este comentário não está disponível
Foto de perfil de Leon

É uma história real, que envolve muita gente. Por isso resultou num livro. Tenho que alterar algumas coisas, senão acabo expondo pessoas e situações pois elas existiram de fato. Algumas das personagens chegaram a figurar nas propagandas, anúncios e capas de revista. Faço alterações estratégicas para não revelar ninguém.

0 0
Este comentário não está disponível
Foto de perfil de Leon

MarkMarcus, naquele círculo de amigos, naquela época no Rio de Janeiro, a maioria se conhecia, alguns eram amigos mais próximos e outros menos. A amizade da Miúcha com a Mel não foi contada ainda, pois aparece numa outra parte do livro. A Mel foi modelo e depois teve agência de modelos, e a Miúcha não era modelo, mas acabou depois modelando para publicidade com o Gal. Deixei algumas peças sem encaixe pois faltam capítulos dessa história. Uma hora eu conto mais.

0 0
Foto de perfil de Mr. Pinkman

Muito boa a sua escrita. Uma história muito envolvente. Adoraria receber uma crítica sua!

0 0
Foto de perfil de Ménage Literário

Agora que as histórias se cruzaram no conto anterior, é bem gostoso voltar a acompanhar as histórias de cada um deles separados também. Aumenta o carinho e o sentimento de familiaridade com os personagens.

⭐⭐⭐

0 0
Foto de perfil genérica

que bom que voltou a publicar sobre esse casal fantástico, adorei a sequencia.

grande abraço

0 0
Foto de perfil de Leon

Obrigado Netão. Como você sabe, essa história se liga com a outra. Fique atento. Valeu.

1 0
Este comentário não está disponível
Foto de perfil de Leon

Marcelomotta, eu já expliquei várias vezes, mas você insiste, e não entende o essencial. Primeiro, sua cabeça não é aberta como a de um liberal. Então, nunca vai entender mesmo. Repare bem, um cão não sabe sentir o que um gato sente ao ver um pássaro. Agora ficou mais fácil? Outra: Um mamão, não vai ter nunca gosto de goiaba. A não ser que o mamão aprenda (abra sua mente) para sentir-se com o DNA de uma goiaba. Ou o cão, abrir a sua cabeça, se desconectar do instinto canino, e começar a felinamente andar pelos telhados miando nas noites de luar. Acho que agora você vai entender. Né possívi!!! KKKKKK. Conheço inúmeros casais, que aconteceu de verdade, das mulheres gostarem de um cara, e passarem a ficar com ele mais vezes, como amante fixo, com o consentimento do marido. Aqui no site mesmo tem vários. E o relacionamento não acaba, pelo contrário, é muito comum os dois homens ficarem amigos, e a mulher manter o amante fixo com um certo carinho, e envolvimento, sem abrir mão do casamento com o marido que ela adora. Certo que você não entende, pois o seu aplicativo de versão bem antiga, foi desenvolvido nos porões da sociedade mais puritana, monogâmica, e secular, baseada nos princípios judaico-cristãos, escravos das Taboas da Lei, (mentirosos) o que não permite que você consiga entender como pensa um aplicativo liberal, não possessivo, compartilhador, respeitador das vontades e fetiches do outro, e capaz de operar em condições muito mais livres, excitantes, provocantes, desafiantes e prazerosas do que essa sua velha cartilha de monogamia e fidelidade. Esse seu aplicativo, vive contaminado por um monte de Cookyes, e vírus de desejos do proibido, da vontade reprimida, do tesão não realizado, do tesão pela mulher do próximo, mas eles operam ocultos, e são os responsáveis por fazer você consumir tanto conteúdo de pornografia, traição, de corno, de mulher devassa, de homem insaciável, já que a distância entre o que seu aplicativo contaminado desperta em você é diametralmente oposta ao que você tem direito e capacidade de fazer. Simples como isso. Então, relaxa, venha ler, se delicie com as histórias, mate sua curiosidade, tenha prazer, eu sei que você fica muito tarado com tudo, mas não tente explicação, já que você não está mesmo preparado para esse upgrade. Sua Motherboard ainda não tem slots suficientes para novos chips de expansão. Mas eu fico muito feliz que você leia tudo, pois no fundo é isso que importa. Eu escrevo, para leitores lerem. Obrigado.

1 0
Este comentário não está disponível
Foto de perfil de Beto Liberal

Marcelo, acho de verdade que você tenta entender, entendo que é difícil sim aceitar.

Mais uma vez vou falar por mim.

Nunca estive em festas liberais, nem casas de swing, nem nada afim, mas sempre tive um PENSAMENTO LIBERAL.

isso significa apenas dar LIBERDADE ao seu companheiro de ser, sentir e fazer o que tiver vontade e achar certo.

Você não esta errado, na ultima colocação, se alguém passa a ter um relacionamento fixo com outra pessoa, algum sentimento existe, seja uma afinidade, um carinho diferente, ou ate mesmo uma forma de amor.

Algum tempo depois que comecei a namorar, meados da década de 80, a necessidade dessa liberdade no relacionamento, ficou muito clara para mim, Minha entao namorada (atual esposa) nao aceitou muito bem, mas insisti que além da liberdade a sinceridade e honestidade eram fundamentais, e isso sempre tivemos ao longo de todo nosso relacionamento.

Muitos anos depois, 7 de namoro e quase 10 de casados, já no final da década de 90, vieram os chats, as brincadeiras, as provocações, e os encontros, pela curiosidade de uma relação com um homem diferente, pelo excitação despertada, em resumo apenas sexo de uma noite.

Com o tempo, alguns desses "casos" que mantiveram contato sistemático pelo MSN, cativaram um sentimento, por dez anos minha esposa teve dois amantes, ambos em estados diferentes do nosso, os encontros nao eram frequentes, tipo toda semana (exceto num período que moramos na mesma cidade que um deles... heheh), mas aconteciam, e existia sim um sentimento, e em determinado momento foi complicado administrar, separar e deixar claro onde estava a prioridade, mas com bom senso, e conversa sincera, chegamos a um consenso.

Depois dessa conversa, os encontros dela ainda ocorreram, mas passado um ou dois anos a coisa toda esfriou.

A amizade com eles permanece, inclusive eu interajo com um deles, cuja a afinidade foi um pouco maior, e ate participamos de um evento onde convivemos diariamente por uma semana.

Ainda estamos juntos até hoje, são 40 anos de relacionamento, 7 de namoro, 33 de casados, felizes e sexualmente ativos.

Espero que esse meu depoimento lance um pouco de luz no seu pensamento.

1 0
Foto de perfil de Beto Liberal

Essa história e um tesão mesmo, e a Miucha de primeira vez com o Luke agora já tem um amante fixo o Guy, saindo direto com o Gal e sabemos que vai se envolver num relação Bi com a Mel.

Quero ver essas histórias se juntando

2 0
Foto de perfil genérica

Que delicia Leon, parabéns pelo conto fiquei com tesão nota 10

0 0
Foto de perfil de Leon

Agradeço O Prazer, o prazer é todo nosso! KKKKK

0 0
Foto de perfil genérica

Que legal Leon,adoro a história da Miúcha e Luke,o que e bom tem que ser em pequena doses,eles são liberais sem ciúmes,e agora as duas histórias vão se encaixar, parabéns querido

0 0
Foto de perfil de Leon

É uma história que eu guardei por muito tempo. Agora vai saindo. Obrigado

0 0
Foto de perfil de Almafer

Leon essa saga demais amigo muito bem escrita parabéns pelo sucesso nota um trilhão kkkkkkk

0 0
Foto de perfil de Leon

Obrigado Almafer, você é o leitor mais fiel das minhas histórias. Obrigado mesmo.

1 0