Despertar no Halloween! Parte 5

Da série Halloween
Um conto erótico de Cigana CD
Categoria: Crossdresser
Contém 2749 palavras
Data: 21/01/2023 11:23:01

- Hum, se uma gotinha já é deliciosa, quero que guarde pra sabado, quero ele todinho tá amorzinho.

Continuando:

Já havia provocado meu amiguinho enquanto ficamos um tempo sozinho, mamãe chegou e de relance na sala, já se dirigindo pra cozinha e com ainda algumas sacolas nas mãos falou:

- Si venha aqui, preciso da sua ajuda!

Eu fui, mas não era nenhum sermão ou castigo, ela até me elogiou, ficou feliz em estarmos ali ainda na sala comportados, foi tirando coisas das sacolas eram produtos de higiene, e o mais espantoso, eu já imaginava que eram coisas para Simone mas não eram tudo somente produtos de higiene realmente, só que uns 5 tipos de shampoo e condicionadores, alguns potes de cremes de pele e aí ela dividiu em 2 montes e foi explicando cada um de um dos montes e no final falou.

- Leva pro seu WC, estes são para banhos, pós banhos e tem um depilatório, entregou-me e completou, desça e vamos fazer um lanche.

Desci, peguei Edu pela mão e fomos os três pra cozinha, mamãe sorriu e achou fofo.

O resto da tarde e noite foi entre assistirmos filmes conversas amenas e quando Edu pediu para posar em casa, mamãe disse não, tínhamos uns compromissos e não poderíamos perder muito tempo pela manhã.

Levamos ele para casa, em silêncio, era nítido nossa decepção assim que demos meia volta eu falei.

- Mãe o Edu sempre dormia em casa, por que isso agora e que tantos compromisso são esses:

- Primeiro, ele dormia com o SIMON, não com a SIMONE, depois amanhã você vai para aula, eu irei te buscar pois tenho que pegar umas coisas na secretaria para a transferência e na sequência no recreio vc já sai comigo e vamos aos outros colégios visitar, lembra de nossos compromissos.

- Ah é verdade, desculpe mãe, não lembrei da escola! Mas ao mesmo tempo que concordei com isso discordei com o dormir, tá certo que do jeito que provoquei ele, iria dar problemas e eu embora provocasse não medi as consequências na hora, agora no carro fiquei pensativo com isso e me assustou como que eu já estava tendo atitudes de uma adolescente com tantos desejos bobos amorosos já.

Em casa já fomos direto pro quarto dela que foi me desmontando, parte por parte, retirou make, analisou que a antiga do Halloween tinha saído totalmente,usou o solvente de cola para retirar as unhas e aproveitou e ajeitou e limpou a unha natural, fez nas mãos , pés, olhos boca e rosto. AI pediu para ir ao WC tomar banho e voltar.

Na volta passou um creme sem cheiro mas que aliviaria e limparia meus poros de todo corpo, brincou que era para tirar o cheirinho de docinho que ainda pudesse restar. Secamos meu cabelo, de forma menos feminina e descemos, agora eu de pijama (leia-se meu camisetão) e acabei pondo uma calcinha sem mamãe perceber.

Fomos dormir, Acordei e fui direto pra cozinha tomar café antes de me trocar. Em certo momento na cozinha me movi e mamãe já sinalizou.

- Simon, a menos que queira passar vergonha no seu último dia no colégio, sugiro tirar a calcinha e por uma cueca, não percebi ontem essa calcinha, depois vamos conversar sobre isso, apure que temos que sair e recebi um whats do laboratório, pela baixa demanda acabaram terminando mais rápido os exames e a médica quer que eu vá pela manhã rapidinho e a tarde vamos reprogramar nossa agenda para os colégios.

Nossa fiz rápido o que mamãe disse e fiquei também pensativo, não era para dormir assim, mas era tão confortável que acho que optei pelo conforto mesmo.

No colégio era o dia de trocas de bilhetes, agendas e cada um dizendo para onde iria, como iriam se encontrar dali para frente, Edu ficou surpreso com eu aparecer mas nem tivemos tempo para conversar, no recreio quando ele queria falar comigo a secretaria já me chamou avisando que minha mãe me aguardava na diretoria.

Diretor ainda tentou que fizessemos a rematricula ali, mas mamãe disse que possivelmente mudaremos de endereço e precisaria de um lugar mais próximo ao novo endereço, ele compreendeu, me elogiou como um dos mais inteligentes e cordiais alunos, disse que faria falta e que estaria ali pronto para ajudar no que fosse necessário com a transferência.

Esse assunto de mudança me surpreendeu, mas não falei nada, acho que foi uma jogada da mãe para não se indispor com o Diretor. Afinal eu e ela queríamos mudar de escola.

Fomos direto pra casa, mamãe saiu do carro pegou sua bolsa e um envelope e pediu para eu me trocar e ir para o quarto dela conversarmos. Fui e coloquei minha roupa predileta de futebol e chinelo de dedo e fui conversar com ela assustado.

- Oi mãe, nossa senhora estava tão diferente agora na escola de quando tomamos café, houve alguma coisa e mudar de endereço, foi uma jogada né.

- Oi filha, digo filho, bom é o seguinte, pegue os laudos do laboratório e o laudo que a clínica fez em cima dos exames que ela recebeu junto com este aqui e me entregou os laudos do laboratório.

Bom eu li reli e espantado falei, tá eu não entendi nada, uns ali dizem algo acima dos valores e outros ali dizem abaixo, nossa agora entendi pra que tanto sangue tem umas 100 coisas aqui analisadas, não sabia que o sangue dava tanta informação assim.

- Então, dão muito mais, na verdade geralmente é umas 20 análises tem muito mais ai pois pedimos outras análises fora do cotidiano de um exame de sangue, bom agora leia esse laudo aqui que explica os valores do outro.

- Hum, lia um pedaço e olhava outro, assim fui, demorei um pouco pra ler pois reli alguns novamente meio que resmungando e mamãe só observava.

- Entendeu Si! Com um sorriso mais para preocupado do que para mega feliz.

Só o fato dela ter me chamado de Si e sua expressão completou o que eu li e ela pediu para eu resumir o que eu entendi.

- Bom mãe, primeiro parece que eu to com alguma ANEMIA, mas ele fala aqui num nível médio, dai fala que leucócitos e tudo os outros estão normais, bom imagino que sem doença ou algo parecido.

- Só isso que leu?

Ela sabia que eu deveria ler e sabia que eu li.

- Bom o que eu li é que minha taxa hormonal masculina está baixa, na verdade há uma taxa hormonal feminina, natural mas que para mim está quase empatado com os hormônios masculinos e isto ele escreve DISFORIA,, parcial o que eu não sei o que significa mãe, mas que requer um acompanhamento pois eles não podem ser iguais, um deles deve ser o hormônio atuante pois juntos empatados eles se tornam prejudiciais. Mas não entendi direito mãe.

- Bom eu também não, mas a médica endócrina estava lá e deu-me umas explicações e já marcamos sua consulta para as 14hs, mas resumindo pra você.

Ela pegou os exames, foi ajeitando, colocou no envelope, como se estivesse procurando as palavras certas para me falar.

- Você tem possibilidades de ter características femininas ou masculinas, conforme seu corpo produzir mais hormônios de menina ou de menino, ou seja, muito do que vivenciou nestes 2 ou 3 dias, tanto no aspecto físico, vestimenta, trejeitos, voz e seu subconsciente, ainda não estão definidos resolvidos, por isso você teve algumas reações naturais de uma menina e algumas de meninos que não percebeu. Deve ser também o motivo que o fez beijar o Edu, querer namorar ele e se sentir natural , mesmo vestida de menina em um corpo de menino, desejar ele, como você disse e sentir-se bem em ser cortejada por ele. Além de usar calcinha ontem pra dormir, as roupas que escolheu de periguete para me provocar ou se provocar, não ter reclamado de estar em femme, como a médica chama este status. É isso dona Simone, você pode ser menina se assim entender, pois teu corpo pode sinalizar positivamente para esta situação, como pode ser um lindo menino. Em ambos os casos haverá conflitos internos e psicológicos independente da escolha, teremos que decidir quem vence, teremos não desculpe, você terá que decidir e eu e seu Pai, que ainda não sabe de nada, aceitar e te apoiar.

Nem bem ela terminou e ambas estávamos choramingando, eu abraçei ela e chorei, só ouvia uma palavra, que eu estava com medo, medo, medo.

- Bom, eu aproveitei pra dar um oi com seu pai, perguntei como estava as coisas, afinal é rotina nossa essa ligação pela manhã e ele de noite vai estar passando aqui perto para ir para o outro lado do estado, então chamei ele para posar aqui, precisava conversar sobre mudanças de colégio e outras coisas e ele vai estar ao fim da noite aqui. Vamos pra consulta e voltamos pra casa, esperar seu Pai e aí vamos ver o que você decide ok.

Nossa eu estava confusa, tanto que derrubei talheres ao arrumar a mesa e um prato, mamãe tirou um remedinho, pingou num copo e me deu, era um calmante a base de maracujá, bem suave e pediu para eu ir pro quarto me arrumar meu quarto e depois do almoço eu iria me arrumar para consulta. Não disse nada sobre como eu iria vestido, acho que já era o processo de eu ter que definir.

Almoçamos com eu mais calma, apenas pensativa. Mamãe não usou nenhum gênero masculino ou feminino para conversar comigo, vi um cuidado nela nisto, terminou eu ia ajudar na louça ela disse.

- Vai lá se vestir, arrume-se, temos, pois envolve a todos, algo importante pra você decidir, sua decisão começa também em como irá. Te amo vai lá ...

Subi primeiro, tirei toda roupa e me olhei no espelho. Lembrei da imagem do menino na consulta chorando bravo, da menina chorando briguenta e da Verônica simpática e linda/feliz, conforme me vestisse eu escolheria uma destas 3 pessoas para conviver pelo menos no meu próximo ano.

Abri todas as portas do armário, fui em uma delas e peguei quatro peças, a escolha já estava definida. Vesti o soutien rosa, a calcinha rosinha, um minisaia, uma camisetinha curta. Coloquei uns aneis, colar pulseira. Passei um batom, um lapis simples que mamãe ensinou o perfume e sai cantarolando com a sandalinha.

Fui até a cozinha, cheguei em silêncio e falei?

- Sua Filha está pronta mamãe!

Ela largou tudo, enxugou as mãos e com lágrimas nos olhos me abraçou dizendo:

- Filha eu te amo, vou te apoiar em tudo, você está linda, mas não vai fazer as unhas?

- Não mãe, não temos tempo e depois da consulta vamos ver o que fazer e tem papai ainda pra conversar então não quero chocar ele.

Só o fato de estar assim a consulta já foi diferente da primeira, ela fez 1 pergunta inicial apenas comigo na sala. Se fora eu que me arrumei ou foi minha mãe, eu contei todo processo depois da escola, deu uns 15 minutos, ela apenas pontuava uma ou outra coisa e anotava tudo, terminou e chamou mamãe.

- Bom meninas, essa primeira consulta tínhamos que ter este momentos só Simone e Eu, assim eu sei que estamos fazendo tudo conforme o desejo dela, como deve ser, mas agora iremos trabalhar nós todos da clinica e todos vocês em casa com a sequência, haverá outras consultas só com ela como também com toda família, sua mãe já falou da conversa hoje a noite com seu pai, Dei dicas dela de como abordar, jamais direi o que ela deve ou não falar ou dizer tanto para você minha doce como para seu pai e seus amigos e parentes. Daqui pra frente não serão só flores, mas estamos aqui pra ajudar, haverá resistência de alguns, apoios de outros e indiferenças, é natural e também vocês terão altos e baixos entre vocês, afinal é uma nova identidade se formando, e ela já sai com 14 anos de atraso, então muita coisa natural da vida de uma menina deixou de existir na formação natural, algumas importantes outras fáceis de se ajustar, mesma coisa das experiências e vivências masculinas. Natural tudo isso, não iremos destruir nada, iremos construir em cima do que é você agora, hoje.

Bom seguiu-se outras recomendações, uma consulta para segunda para iniciarmos processo hormonal, pois um dos exames não teve laudo ainda, demorava um pouco mais e ele era importante para que tipo de medicação eu teria, além de ter agora uma ressonância e outros para fazer.

Saímos dali eu tranquila e mamãe naturalmente apreensiva. Recebemos também um whats de um grupo de mães de apoio, um das meninas e teríamos que aguardar que uma ou outra mãe interagisse conosco, nada invasivo ou abusivo, o cuidado da clínica era sempre esse, ser natural, espontâneo e livre.

Deu 18hs mamãe me chamou e disse o que iria falar com papai, eu concordei, mas ela me perguntou como eu queria me apresentar a ele, uma menina completa, uma meia menina ou um piá querendo ser menina.

Optei pelo completa e então ela retirou a maquiagem que havia feito e fez toda uma nova maquiagem, indicou eu colocar o vestido e o salto alto, fez minhas unhas dos pés e das mãos, mexeu em meu cabelo e em 1hs eu estava pronta para me vestir. Nem bem fechei a porta do meu quarto, ouvi o carro de papai chegando e me tomei em desespero, mas fui me acalmando, retirei a roupa que estava, e coloquei o que mamãe sugeriu.

Ouvi a mamãe pegando coisas e descendo as escadas e indo falar com papai, combinamos que ela subiria para me chamar.

Basicamente combinamos que ela falaria tudo o que me disse dos exames, mas não disse minha decisão, falou das consultas, omitiu Edu (ainda bem) e uns 45 minutos depois ouvi uma batida na porta.

- Pode entrar mamãe!

Ela entrou e eu estava sentada na cama, vestida, pronta e ansiosa. Ela disse que desceria e eu poderia descer logo em seguida.

Desci, o salto se papai fosse ligado, já indicaria que não era seu garoto descendo.

- Oi Papai, disse ao entrar na sala.

Ele estava estrategicamente de costas, mamãe era muito perspicaz, ele virou-se e me olhando levantou os braços. Corri para ele, como o salto permitia e delicadamente, abracei, e ele falou:

- Que linda filha eu ganhei, mamãe falou tudo, saiba que apoio vocês, em tudo, se SIMON quiser aparecer tudo bem, mas Simone é muito bem vinda nesta casa. Amo minhas duas princesas e estendeu um dos braços para abraçar mamãe.

Daí ele me pediu para contar como tudo começou, repeti basicamente o que falei no consultório, nas duas consultas, omiti Edu por questões óbvias e ele fez algumas perguntas e no final me assustou:

- Bom, obrigado pro me contar tudo, mas e seus amigos, o Edu por exemplo amigão da infância, ele já sabe, você falou do Halloween, ele estava de rockeiro com você, como está na escola e com os amigos?

Eu fiquei mega vermelho e com os olhos cheios de lágrimas e prestes a chorar murmurei:

- A escola eu não fui mais, não precisava, fui no último dia de menino, o Edu pai, ele já sabe e me aceitou como sua amiga já.

Mamãe interveio e falou:

- Bom, chega de emoções por hoje, vamos sair pra jantar, não deu tempo de preparar nada, eu já vi uma cantina na cidade ao lado, vamos lá, e agora vamos falar do futuro, este é um dos motivos de você estar aqui meu amor, temos que ver escola, mudanças de todo um guarda roupa, de algumas regras na casa, de como vamos inserir cada um de nossos familiares e amigos nesta nova fase.

Bom eu me senti aliviado por mamãe mudar o assunto e assustado com a cantina, mas não iria estragar o que ela já devia estar planejando. Papai concordou, foi na estante e da caixa de lenço de papel retirou três e me deu dizendo:

- Aula nr 01 de seu pai, enxugue essas lágrimas, vai estragar sua maquiagem como diz sua mãe e eu estou aqui para te proteger entendeu.. ... e já sorrindo falou, e eu te amo filha.

Assim fomos pra cantina, conversamos muito, foi muito divertido e tinha umas duzentas coisas pra entender e providenciar. Dormi de camisetão, não iria arriscar o babydoll, papai já teve muito por hoje.

Acordei com o barulho dele saindo com o carro, tinha um longo trecho de viagem e alguns dias ainda até o natal.

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 18 estrelas.
Incentive Cigana_cd a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.
Foto de perfil genéricaCigana_cdContos: 137Seguidores: 99Seguindo: 59Mensagem Sou crossdresser, amo tudo!

Comentários

Foto de perfil genérica

Nossa,que história maravilhosa,estou ansiosa pelo desfecho, não demore viu. Parabéns querida está excelente. Beijosss......Nota 10

1 0
Foto de perfil de Rafaela Sissy 💝

Está ficando ótima essa história 😍

1 0

Listas em que este conto está presente