Os Pés da Aluna e A Professora Dominadora - Um Semestre Pesado!

Um conto erótico de Senhor Das Cócegas
Categoria: Lésbicas
Contém 7513 palavras
Data: 21/01/2023 00:06:27
Última revisão: 21/01/2023 08:14:25

O acordo da aluna Jéssica com sua professora Roberta tinha sido feito numa sexta-feira, passou-se o final de semana e finalmente veio a segunda, como Roberta tinha pedido, Jessica pintou as unhas dos pezinhos de vermelho, um vermelho bem vivo. O alarme de entrada tocou e Jéssica entrou no colégio usando a camisa da farda, calça jeans e havaianas nos seus grandes pezinhos tamanho 38 que estavam bem lindos e bastante chamativos com as havaianas sendo brancas de correias finas sem estampa e as unhas vermelhas, tudo contrastando bem.

Assim que Jéssica entrou, ela foi direto para a sala da professora Roberta que estava terminando de arrumar suas coisas para dar aula em outra turma, assim que Roberta viu a aluna ali falou olhando para os pezinhos dela:

- Muito bem querida, estão maravilhosos os seus pezinhos! Estou doida pra me deliciar com eles, até mais tarde nas duas últimas aulas!

- Até mais tarde professora – respondeu Jéssica que foi ali só pra mostrar os pezinhos com as unhas pintadas a professora e então seguiu para a sua aula de português.

Chegou o final da tarde e com ele as aulas de matemática da professora Roberta que entrou bem vestida, cabelos amarrados e com seus óculos, por ser baixinha (1,66m) e gordinha, a professora Roberta optava sempre por roupas formais e bem comportadas, isso junto com o cabelo preso e os óculos e um sorriso meigo com uma voz doce dava a falsa impressão que ela era uma senhorazinha simpática e de bem com a vida, enganando a todos ali, menos Jéssica que já tinha conhecido um pouco do seu verdadeiro lado.

A aula mal começou a e a professora Roberta já chamou Jéssica para escrever para ela no quadro alegando está com dor no braço, a aluna foi e escreveu uns 5 quadros inteiros, durante o tempo que Jéssica ficava em pé escrevendo no quadro, a professora Roberta folheava o livro e disfarçadamente observa Jéssica dos pezinhos a cabeça por inteira, ás vezes olhando para os pés, ás vezes para a bunda, outras vezes para os seios, mas no final os olhos de Roberta sempre voltavam para os pezinhos da escolhida.

Em determinado momento quando Jéssica parou de escrever no quadro e devolveu a caneta piloto azul e o apagador para a professora Roberta, está lhe deu um tapinha bem sutil e rápido na bunda e fez uma piscadinha de olho dizendo:

- Obrigado querida!

Depois disso a professora Roberta propôs uma atividade exercício em dupla e disse que seria a dupla de Jéssica por ela ser a que tem mais dificuldade com matemática na sala, todos as duplas se afastaram umas das outras e se concentraram num canto da sala, ao ficar do lado de Jéssica, a professora Roberta fala baixinho no ouvido dela:

- Senta de ladinho na cadeira deixando os pezinhos com as solinhas juntas pra cá pro meu lado!

Jéssica não gostou e falou:

- Mas professora, o combinado era só depois das aulas!

- Me obedece vamos, eu ainda não lancei a nota da ultima prova no sistema não viu, quer continuar com aquele 4,5?

Jéssica então baixou a cabeça e obedeceu se sentando de lado na cadeira e deixando as pernas puxadas pra si com os pezinhos ficando com as solinhas juntas ali do lado da professora Roberta que já foi com a mão as acariciando, enquanto Jéssica ia escrevendo, a professora Roberta falava explicando como fazer a atividade, mas ao mesmo tempo a professora ia com uma de suas mãos livres alisando, acariciando e apalpando as solinhas dos pezinhos juntinhos ali de ladinho da jovem que ia tentando ao máximo se concentrar para fazer a atividade, mas era difícil, principalmente quando a mão da professora Roberta em seus pés começou a deslizar as unhas bem devagar escorregando no meio das solinhas, Jéssica ia mordendo os lábios, prendendo o riso, abaixando a cabeça e escondendo o rosto enquanto ria baixinho:

- Ahahahahahahaha... Professora... Ehehehehehehehe... Por favor... Ahahahahaha... Não faz isso ehehehehehehe... Ahahahahahaha...

- Fazer o que querida? – perguntava cínica a professora Roberta que continuava ali as cosquinhas, teve um momento que Jéssica tentou puxar os pés e a professora falou baixinho no seu ouvido:

- Se tentar puxar os pés eu seguro pelo menos um e te faço gargalhar bem alto pra sala inteira te ouvir, vai querer?

- Ahahahahahaha... Tudo bem ehehehehehehehe... Eu não consigo fazer ahahahahaha nada assim ahahahahahahahaha... Pare por favor... Ahahahahahahahaha...

No final a professora fez quinze minutos de cosquinhas e quinze minutos apenas alisando as solinhas dos pés de Jéssica que se mijou um pouco na roupa por causa das cócegas, a professora mostrou no quadro a resposta de todas as questões corrigindo junto com a turma e a aula terminou, todos foram embora da sala, menos claro Jéssica.

Depois de se certificar que todos tinham saído pra longe da sala ali, a professora Roberta fechou a porta sala e apontou a cadeira a frente de sua mesa, Jéssica veio e sentou, já levantando seus pés calçados com as havaianas e os colocando cruzados ali sobre a mesa da professora que sorridente colocou suas mãos ali tocando as solas dos pezinhos por baixo das chinelas e as alisando, aos poucos ela começou a fazer cosquinhas e os pezinhos calçados iam se balançando e Jéssica rindo pedindo para a professora parar:

- NÃO PROFESSORA... Ahahahahaha... POR FAVOOR... Ahahahahahahahaaha...

A professora Roberta ignorou Jéssica por uns três minutinhos lhe fazendo cosquinhas com os pezinhos ainda calçados, depois bem devagar tirou as chinelas dos pés dela, então se aproximou e começou a cheirar intensamente as solinhas uma a uma esfregando seu rosto e seu nariz bem forte sobre as solas vermelhas dos pés de Jéssica que ia fazendo umas carinhas reprimidas de prazer enquanto a professora cheirar forte suas solas, depois disso Roberta começou a lamber as solinhas, primeiro pegou o pezinho esquerdo e foi lambendo bem devagar circulando com a língua o calcanhar, lambendo subindo a lateral externa do calcanhar até o mindinho, depois deslizou bem devagar a ponta da língua entre os dedinhos do pezinho esquerdo que ia se engiando e se balançando um pouco, Jéssica nesse momento fazia caretas e ria um pouco ao mesmo tempo que se arrepiava e sentia uma leve onda de prazer:

- AAAH... Ahahahaha professora devagar aí... Ehehehehehe... AI MEU DEUS... AAAAAH... HUMM... Ahahahahaha... Ehehehehe... Hummm...

Depois disso a professora Roberta foi descendo sua língua para a parte fofa abaixo dos dedos, deu algumas mordidinhas ali que Jéssica dava pulinhos na cadeira gritando, suspirando e gemendo, pois aquelas mordidinhas davam um pequeno prazer gostosinho:

- AAAI... NÃO PROFESSORA... AAAI... AAAH.. AAAI... AAI... ASSIM NÃAO... AAI... AAI... AAAH...

Se satisfazendo ali com o resultado, a professora Roberta voltar a lamber a solinha agora deslizando sua língua bem suava no meio da solinha daquele pezinho subindo e descendo, aos poucos ela foi intensificando as lambidas e salivando muito ali no meio da sola a deixando bem molhadinha, Jéssica respirava um pouco forte e suspirando:

- AAAAH... AAAAAH... AAAAH PROFESSORA... HUMMMM...

Logo a professora Roberta estava descendo sua língua do meio da solinha para o calcanhar o lambendo muito em movimento circulares, depois ela começou a chupar o calcanhar redondinho e lisinho e dar pequenas mordidinhas, Jéssica foi mordendo os lábios, segurando com força a cadeira onde estava, dando pequenos pulinhos e gritinho com gemido suave:

- Aaaaah... aaaai... aaaai... aaaai... aaaah... AAAAH... AI AI AAAH... AI AI HUMM...

Quando chupou e mordeu o quanto queria aquele calcanhar gostosinho do pezinho esquerdo, a professora safada voltou a lamber com força a solinha, agora ela deslizava sua língua da ponta do calcanhar até os dedinhos passando bem devagar subindo e descendo e encharcando bem a solinha com muita saliva, enquanto fazia Isso, Jéssica fechava os olhos e mordia os lábios, às vezes falava:

- PROFESSOORA DEVAGAR POR FAVOOR... AAAH... POR FAVOR.... HUMMM... POR FAVOR...

De vez em quando no meio das lambidas, a professora esfregava seu rosto com força na solinha super molhada, dava beijinhos ou fazia rápidas cosquinhas de segundos:

- Ahahahahahaha não professora... Ahahahahahaha... Ehehehehe...

Depois ela voltava a lamber intensamente a solinha do pezinho que segurava, chegou um momento que a professora Roberta estava lambendo os dedinhos e então começou a chupa-los lentamente indo do mindinho ao dedão e depois do dedão ao mindinho, bem devagar Roberta enfiava na boca cada dedinho e os chupava como se fossem pirulitos docinhos, o ápice foi quando ela começou a chupar o dedão lentamente e depois foi enfiando um a um os dedinhos até está com todos os dedinhos do pezinho esquerdo dentro da sua boca, nesse momento a professora Roberta com a boca cheia com os dedinhos os chupando ia se deliciando gemendo alto:

- HUMMMMMMMM... DELICIA... HUMMMM.... AAAAH... HUMMM...

A professora Roberta já tinha gozado um bocadinho ali e seguia continua querendo mais, Jéssica por outro lado tentava ao máximo aguentar, mas ela sentia que não ia aguentar muito, os bicos dos seus seios estavam durinhos ela nitidamente estava excitada, estava chegando bem devagar lá, era um prazer estranho aquele para ela...

- AAAH... PROFESSORA... PARA POR FAVOR... EU NÃO AGUENTO ASSIM... AAAH... AAAAH...

Quando a professora Roberta finalmente parou de chupar os dedinhos do pezinho esquerdo de Jéssica, a aluna agradeceu suada e nervosa:

- Obrigado professora!

- Do que você está falando, falta o outro pezinho – falou Roberta e nesse momento pegou o pezinho direito e começou a lambendo intensamente, depois foi repetindo tudo que fez no pezinho anterior agora nesse que segurava com força, no final quando Roberta já estava chupando os dedinhos do pezinho direito, Jéssica envergonhada e fazendo caras e boca gemendo falou:

- AAAAH... NÃAO POR FAVOR PARE... AAAAH... AAAAH... AAI... AAAH.. HUMMM... AAAH... HUMMMMMMM.... – a calcinha de Jessica estava bem molhadinha agora, mas a professora não se satisfez, ela agora falou pegando os dois pezinhos de Jéssica de uma só vez:

- Agora com os dois pezinhos!

- PROFESSORA POR FAVOR JÁ CHEGA! EU TO CANSADA, EU QUERO IR PRA CASA!

- FICA QUIETA MENINA OU VOU TE CASTIGAR!

A professora Roberta falou tão séria que Jessica ficou imóvel e calada, a professora prosseguiu então lambendo forte as duas solinhas juntas dos calcanhares até os dedinhos, depois voltando dos dedinhos até os calcanhares que mordia, depois lambia subindo pelas laterais revezando, mordendo as partes fofas e fazendo Jéssica dar pulinhos gritando:

- AAAAI... POR FAVOR... AAAAH... AAAAI AII... HUMMM... AAAI AI AI NÃAAO... ASSIM NÃAO... AAAI AAI...

De vez em quando a professora Roberta parava as lambidas, chupadas e mordidas nas solinhas e segurando firme numa chave de braço os pezinhos juntinhos ela com a mão livre deslizava suas unhas fazendo cosquinhas com tudo no meio das solas de Jéssica que começava a gargalhar desesperada:

- NÃAAO AHAHAHAHAHAHAAHAHA ASSIM NÃAAO AHAHAHAHA POR FAVOOR NÃAAAO AHAHAHAHAHAHAHAHAHA PROFESSORA PAREE AHAHAHAHAHAAHA...

Mas essas cosquinhas eram por segundos apenas para assustar e tirar do conforto Jéssica e depois a professora voltava a se deliciar com os pezinhos juntinhos, no ápice do prazer Roberta chupava um a um os dedinhos de cada pezinho e depois enfiada os dedinhos todos de uma só vez de um pezinho na boca os chupava, então fazia o mesmo com os dedinhos do outro pezinho, isso repetidas vezes, Jéssica estava se revirando e gemendo na cadeira implorando para a professora parar:

- AAAAH... PARE POR FAVOR... HUMMM... POR FAVOR... AAAAH... AIMMM... HUMMM... POR FAVOR EU NÃO AGUENTO... AAAAIMMM... HUMMM...

Quando a professora Roberta parou finalmente, ela viu ali a calça jeans de Jéssica molhadinha e falou sorrindo:

- Você está gostando, confessa sua safadinha!

Mas Jéssica não admitiu e falou:

- NÃO, EU NÃO GOSTO! ME DEIXA IR PRA CASA AGORA PROFESSOR POR FAVOR!

- Mas você vai sim querida, porém, primeiro vamos brincar um pouquinho de cócegas – falou a professora Roberta e então tirou da sua bolsa a grande e bela pena branca de ganso, a mesma que tinha usado na primeira vez que pegou nos pés de Jéssica na sexta-feira passada, Jéssica já ficou desesperada puxando os pés e suplicando:

- NÃAAO PROFESSORA POR FAVOOR A SENHORA JÁ FEZ COSQUINHAS DEMAIS HOJE! POR FAVOR NÃAAO! POR FAVOOOOOR!

A professora com uma cara séria falou cheia de autoridade:

- TRAGA OS PÉS JÉSSICA! QUANTO MAIS VOCÊ DEMORAR, MAIS CÓCEGAS EU IREI LHE FAZER! VAMOS, ME DÊ OS PEZINHOS!

Jéssica baixou a cabeça e colocou novamente os pezinhos juntos sobre a mesa da professora, Roberta sorrindo então falou:

- Boa menina, isso, me obedeça e você vai ganhar bem mais que boas notas, agora vamos começar nossa brincadeirinha com a peninha – e dizendo isso a professora Roberta passou um braço sobre os tornozelos de Jéssica deixando os pezinhos dela juntos ali presos e com a mão livre veio com a peninha e começou a deslizar suavemente alternando sobre as solinhas, deslizando nas laterais, no calcanhar, depois subindo e se concentrando ali no meio das solinhas, os pezinhos de Jéssica começaram a se balançar nervosos e as solinhas começaram a se engiar formando ruguinhas e dobrinhas, Jéssica foi começando a rir baixinho:

- Ahahahahahahaha... professora... ehehehehehehe... POR FAVOR NÃO... Ahahahahahahaha...

- Calma querida, é só uma peninha, são apenas cosquinhas – falava repetidas vezes a professora Roberta adorando o desespero crescente de Jéssica ali que aos poucos ia rindo cada vez mais alto e mais desesperada...

- Ahahahahahahaha... Eu não aguento ehehehehehe... PARE POR FAVOR... Ahahahahahahaha...

- Mas que pezinhos mais sensíveis minha alunazinha preferida tem – falou a professora Roberta lambendo os lábios ali, depois de dois minutinhos ali subindo e descendo o meio das solinhas, ela parou a peninha e com uma vez gentil pediu:

- Estique os dedinhos querida, vamos, abra os dedinhos!

- PROFESSORA POR FAVOR JÁ TÁ BOM! POR FAVOR!

- Se você não fizer o que quero, nossas sessões passaram a ter mais cócegas que tudo e começarei passar uns trabalhos valendo pontos para a turma bem difíceis, vou ferrar a turma inteira por sua causa se não me obedecer, como vai ser?

Jéssica ali estava vendo como a professora Roberta podia ser terrível, ela respondeu esticando os dedos dos pezinhos:

- NÃO PRECISA FAZER PROFESSORA! PRONTO!

- Boa menina, você aprende rápido Jéssica, hora das cosquinhas!

A professora Roberta começou a deslizar bem devagar a peninha de ganso entre os dedos dos pezinhos escorrendo pelos cantos saindo e entrando, passando por baixo dos dedos, depois entre eles, sempre que Jéssica não aguentava e fechava os dedos, a professora ia mandando ela abrir novamente esticando os dedos e a aluna voltava a esticar os dedos, aos poucos as risadas de Jéssica foram aumentado ali e se tornando gargalhadas altas nervosas:

- Ahahahahahahahaha... AI NÃAAO... AHAHAHAHAHHAHAHAHA... POR FAVOR Ehehehehe... AHAHAHAHAHAHAHAHA... PARE AHAHAHAHAHAHAHAHAHAA… POR FAVOR AHAHAHAHAHA…

Foram uns cinco minutinhos brincando a peninha ali entre os dedos dos pezinhos, depois a professora Roberta volta a descer a pena e se concentrar no meio das solas dos pezinhos de Jéssica que se esfregavam entre si desesperados, a professora agora subia e descia com a pena o meio das solas com vontade num ritmo forte, às vezes fazendo movimentos aleatórios e circulares para o desespero de Jéssica que ali na cadeira se remexia toda gargalhando nervosa e desesperada:

- AHAHAHAHAHAHAHAAHAHA POR FAVOR PROFESSORA AHAHAHAHA PARE POR FAVOR AHAHAHAHAHAHAHAHA... EU NÃO AGUENTO AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA...

Os minutos foram se passando lentamente naquela brincadeira sádica com a pena fazendo cócegas sem piedade nos pés de Jéssica que se contorcia e remexia desesperada na cadeira, de vez em quando ela conseguia puxar um dos pezinhos para si e a professora solicitava o pezinho:

- Trás o pezinho de volta querida!

Quando Jéssica não queria devolver o pezinho que puxar, a professora segurava forte o outro pezinho e começava a deslizar a ponta dura da pena como se estivesse escrevendo com ela no meio da solinha do pezinho, isso provocava ainda mais cócegas fazendo Jéssica ficar histérica nas gargalhadas:

- NÃAAAO AHAHAHAHAHAAHAHAHAHAHHAHAHAHAAHAHAAHA PAREEE ASSIM NÃAAAAO AHAHAAHAHAHAAHAHAHAHAHAUAAHAUAHAUAHAUAHA POR FAVOOR NÃAAO AHAHAHA AHAHAHAAHAHAHAHAUAHAUAHAAHAHAHAHAHAHA...

- Isso é o seu castigo por não me devolver o outro pezinho – dizia a professora, Jéssica logo entre as gargalhadas colocava o outro pezinho na mesa suplicando:

- AHAHAHAAHAHAHAAHAHAAHAUAHAUAHAHAUAAHAUAHAHAHA TÁ BOM POR FAVOOR AHAAHAHAAHAUAHAUA PAREE TÁ AI AHAHAHUAAAHAAHAHAHAHAAHAHA...

A professora Roberta então parava de “escrever” com a ponta dura da pena na solinha do pezinho que segurava, voltava a passar o braço por cima dos tornozelos de Jéssica prendendo os pezinhos juntos da jovem e então voltava a deslizar a peninha nas solinhas juntinhas, novamente Jéssica começava a rir baixinho e aos poucos ia ficando mais nervosa e mais desesperando e rindo mais alto gargalhando alto:

- Ahahahahahahahaha... a senhora ehehehehehe é muito malvada... Ahahahahahaha... eu não aguento... ahahahahahahahaha... AHAHAHAHA... POR FAVOR EHEHEHEHE... AHAHAHAHA... EU NÃAAO AGUENTO MAAAIS... AHAHAHAHAAHAHAHAHAHA... PARE AHAHAHAHAHA...

Mas a professora malvada não parada, quando Roberta finalmente se satisfez, tinham se passado vinte minutos, mas que tinham parecida mais, Jéssica estava com a calça bem mais manchada, molhada, mas agora era com sua urina, ela tinha se mijado de tanto rir com as cócegas nos pés feitas pela aquela terrível pena de ganso, a professora guardou a pena, salivou e cuspiu nas havaianas da jovem as deixando bem molhadinhas, depois deu uma cheirada forte com umas ultimas lambidas fortes nas solas dos pés de Jéssica e então colocou as chinelas nos pezinhos da aluna e a liberou dizendo:

- Amanha o nosso encontro é na minha salinha ali particular ali em baixo tá? Depois das aulas, seja discreta e venha na minha sala – falou Roberta, a sala de aula onde elas estavam eram no primeiro andar, sendo o pátio do colégio e as salas particulares dos professores no térreo em baixo. Aquele era um colégio bem grande.

Jéssica olhou para o relógio e foi pra casa correndo com os pezinhos ensopados da saliva da professora, as havaianas em muitas vezes queria escorregar dos seus pés enquanto ela andava ou corria, o tempo inteiro ali que passou extra no colégio foram quase uma hora, quando chegou em casa, avisou para os pais que estava fazendo trabalhos na casa das colegas, os mesmos eram muito ocupados e distraídos e sem dificuldade Jéssica conseguiu os enrolar.

Quando veio o dia seguinte, a terça-feira, como combinado, Jéssica foi na sala particular da professora, assim que entrou, a professora trancou a porta e guardou a chave, então foi acompanhando Jéssica até a cadeira que tinha separado para a mesma sentar ali de frente a sua mesa grande, nesse rápido percurso, a professora colocou sua mão na bunda de Jéssica a empurrando, depois quando a jovem já ia sentar, Roberta deu uma tapinha na bundinha dela dizendo:

- Além de pezinhos lindos e gostosos, você tem uma bundinha bem gostosinha também não é querida?

Jéssica não respondeu, ficou quieta calada com a cabeça baixa, aquele assédio estava indo além do combinado, mas o seu medo da professora era maior e ela realmente queria passar em matemática, dois anos seguidos reprovada tinham deixado o seu histórico bem manchado e sua autoestima lá em baixo.

- Bom, vamos começar – falou Roberta tirando as havaianas dos pezinhos de Jéssica que estavam ali sobre sua mesa, o resto foi identifico ao dia anterior, com exceção de estarem na sala da professora em vez de ser a sala de aula.

Uma semana passou, depois duas, três semana, tudo igual, de segunda a sexta, nos dias que tinham aulas, a sessão era na sala de aula, nos dias que não tinham aulas, era na salinha particular da professora que aos poucos ia fazendo cada vez mais cócegas e tendo mais liberdades com Jéssica na medida que continuava a se deliciar com os pezinhos da jovem os lambendo e chupando muito, gozando muito com isso, Jéssica admitiu que gostava apenas da parte das lambidas e chupadas nos pezinhos, um pouco das mordidinhas também, mas detestava as cócegas, o que para o seu desespero só aumentavam, no final do primeiro mês, a professora se mostrou mais sádica e terrível quando em um dia quando Jéssica sentou na cadeira de frente a sua mesa na sua sala, Roberta veio por trás e puxou as mãos de Jéssica para trás as prendendo com um par de algemas, nesse momento Jéssica pergunta desesperada:

- O QUE É ISSO? ME SOLTA! ME SOLTA PROFESSORA!

- Calma querida, é só um brinquinho a mais para apimentar nossa relação, eu vou tirar as algemas quando acabarmos tá?

- NÃAAO EU QUERO QUE ME SOLTE AGORA! ME SOLTA PROFESSORA OU EU VOU DIZER PARA A DIRETORA TUDO!

Calmamente a professora Roberta foi para trás da cadeira onde Jéssica estava sentada com as mãos algemas para trás, então veio por trás bem devagar e suas mãos tocaram a cintura de Jéssica e começaram a levantar sua camisa da farda, Jéssica foi desesperada perguntando:

- EI O QUE A SENHORA ESTÁ FAZENDO? NÃO MEXE NA MINHA AI NÃO, PARA!

Roberta levantou a camisa da farda de Jéssica até a alta dos seios, ela começou a acariciar a barriguinha da jovem as costelas e subindo, foi com suas mãos bem perto dos seios da jovem, depois desceu suavemente fazendo cosquinhas leves nas costelas, Jéssica entendeu e suplicou:

- Ahahahahahahaha... NÃAO POR FAVOOR NÃAAO! EU NÃO ME IMPORTO... Ahahahahaha... Ehehehehe... POR FAVOR PROFESSORA EU NÃO FALEI SÉRIO, POR FAVOR... NÃAAO... AHAHAHAHAHAHAHAHAHAAHAHA... POR FAVOR... AHAHAHAHAHA... – e então Jéssica começou a gargalhar alto desesperada quando a professora começou a cutucar e dedilhar suas costelas com força fazendo muitas cócegas ali, baixinho no ouvido da aluna a professora falou:

- Parece que minha querida Jéssica é sensível em todo corpinho além dos pezinhos não?

- AHAHAHAHAHAHAHA PARE POR FAVOOR AHAHAHAHAHAHA…

- Tudo bem, eu paro, mas só se você me deixar toque um minutinho só nos seus seios!

- AHAHAHAAHAHAHAAHAHAHA ISSO NÃAO É AHAHAHAHAHAHA O COMBINADOOO AHAHAHAHAHAHAHA...

- Não resista querida, eu ainda nem cheguei nos pezinhos, vou fazer bem pior neles!

- AHAHAHAHAHAHAHAHAAHAHAHA TUDO BEM AHAHAHAAHAHAHA SÓ PARA AHAHAHA POR FAVOOOR AHAHAHAHAHAAHAHA... – implorou Jéssica ali que com 3 minutos de cócegas na costelas já estava suando muito, a professora parou, levou mais a blusa agora deixando os seios com o sutiã bem visíveis de Jéssica, a professora então ficou por trás de Jéssica e enfiou suas mãos dentro do sutiã tocando os seios grandes de Jéssica e os apalpando forte, alisando, apertando, os mexendo muito com suas mãos por algo que durou uns cinco minutos, enquanto a professora fazia isso, Jéssica com uma voz roupa cheia de prazer implorava para ela parar:

- AAAAH... PARA PROFESSORA... HUMM... POR FAVOR... HUMMMM... POR FAVOOOR... AAAIM... POR FAVOR PARE... HUMMMMMMM...

Em determinado momento a professora Roberta desceu uma das duas mãos até a calça de Jéssica e a aluna implorou:

- NÃAO PROFESSORA... AI NÃAO! POR FAVOOR!

- Hoje não – falou a professora Roberta e então tirou ajeitou o sutiã nos seios de Jéssica e baixou sua camisa, então foi para a sua mesa, se sentou e com um gesto pediu os pezinhos, Jéssica colocou os pezinhos, a professora tirou os chinelos dos pezinhos, cheirou as forte as solinhas, deu algumas lambidas fortes subindo e descendo do calcanhar até os dedinhos, e então parou, segurou forte o pezinho direito pelo calcanhar com sua mão esquerda e mostrou suas unhas grandes vermelhas ali na mão direita da mesma cor das unhas dos pezinhos da aluna ali nervosa, então Roberta fez um gesto com essa mão livre mostrando que iria fazer cosquinhas e foi aproximando do pezinho que segurava, Jéssica implorou:

- PROFESSORA POR FAVOOR! O QUE É QUE EU FIZ AGORA? COSQUINHAS NÃAO PROFESSORA ASSIM POR FAVOOOR!

- Você me questionou e me ameaçou denunciar-me para a diretora, agora vamos brincar de cosquinhas não com a peninha, mas com minhas unhas nas suas solas macias, isso é para aprender a ficar quieta e sempre me obedecer! Eu te disse que nos pezinhos seria pior!

- POR FAVOOR NÃAAO FAZ ISSO... POR FAVOOR NÃAAAAAO... AHAHAHAHAHAHAAHAHAHAHA AHAHAHAAHAHAHAAHAHAHAHAHAHAAHAHAHAA PAREE AHAHAHAHAHAHAHA QUE UNHAS GRANDES AHAHAHAAHAHAHAHAAHAHAHA FAZEM MUITAS AHAHAHAHA CÓCEGAS AHAHA AHAHAHAHAHA POR FAVOOR AHAHAHAHAHAHA...

Enquanto a professora Roberta segurava o pezinho direito de Jéssica com sua mão esquerda, com sua mão direita lhe fazia muitas, mas muitas cosquinhas com suas unhas grandes deslizando e escorrendo ali no meio da sola, às vezes indo para os dedos e escavacando embaixo dos dedos:

- AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA AI NÃAAO... AHAUAHAUAAUAHAUAHAAUAHAUA PIEDADEEE AHAUAHAUAHAUAAHAUA... PAREEE AHAHAHAHAAHAHAHAHAHHAHAAHAHA...

Foram cinco minutos ali de cócegas intensas no pezinho direito, quando Roberta parou, Jéssica pensou que ela começaria a se deliciar finalmente com seus pezinhos os degustando, mas para o desespero da aluna, a professora Roberta pegou o pezinho esquerdo o segurando forte com sua mão direita e então com a mão esquerda começou a lhe fazer cosquinhas com suas longas unhas atacando novamente, rapidamente Jéssica voltar a gargalhar histérica desesperada:

- NÃAAAO... HAUAHAUAAHAUAAHAHAHAHAHAAHAHAHAHAHAHA POR FAVOOR PROFESSORAAAAAHAHAAHAHAHAHAAHAHAHAHAHAHAHAHA...

Foram mais cinco minutos, então Roberta parou, cheirou e lambeu as solinhas juntinhas, Jéssica respirava ofegante, mas veio o pior, de surpresa a professora Roberta prendeu os pés juntos de Jéssica numa chave de braço ao redor dos seus tornozelos e com a mão livre começou a fazer cosquinhas com suas enormes unhas alternando as cócegas nas solinhas juntas que se engiavam encolhendo os dedinhos e com os pezinhos balançando desesperados, Jéssica gargalhava implorando já chorando de tanto rir:

- AHAHAHAAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA EU NÃAAAO AGUENTO MAAAIS AHAHAHAAHAHAHAHA PROFESSORA PARAAAAHAHAHAHAHAHAHAHAHA POR FAVOOR AHAHAHAHAHAAHAHA POR FAVOOR EU FAÇO QUALQUER COISAAAAAA AHAHAHAHA...

Mas Roberta só parou depois de cinco minutos, Jéssica não tinha aguentado e se mijado toda na roupa, então a professora falou:

- Está tão gostado fazer cosquinhas nos seus pés hoje querida, estou com vontade de fazer apenas cócegas nas suas solinhas vermelhinhas hoje, que tal?

- NÃAAAAO! POR FAVOOOOR PROFESSORA! EU NÃO AGUENTO!

A professora pegou um dos pezinhos e começou a deslizar suas unhas bem devagar sobre a solinha fazendo Jéssica rir baixinho:

- Ahahahahahaha... PROFESSORA POR FAVOR... Ehehehehehe... Ahahahahahahha por favor eu te deixo ahahahahahaha pegar nos meus peitos... ahahahaha...

A professora Roberta parou e falou:

- Estamos chegando num consenso! Eu aceito, agora pegar um pouquinho nos seios gostosinhos né?

- SIM! SÓ PARA AS CÓCEGAS POR FAVOR! PELO MENOS POR HOJE!

- Boa menina, tudo bem, deixe-me saborear essas solinhas agora, só que com um ingrediente a mais – disse Roberta e nesse momento tirou de uma gaveta um frasco de gel de menta, abriu a tampa e começou a derramar e melas bem as solinhas da jovem aluna ali que estava cansada já, o gel de menta foi espalhado completamente nas solas dos dois pezinhos, inclusive embaixo e entre os dedinhos, quando terminar de espalhar o gel, a professora Roberta assombrou um pouquinho ali as solinhas fazendo Jéssica se arrepiar e sentir as solas dos seus pezinhos bem geladinhas e frescas, então a professora foi se aproximando, segurou com as duas mãos os pezinhos da aluna pelos tornozelos e começou já de inicio a chupar os dedinhos agora cheio de gel de menta, as lambidas e chupadas eram muito mais fortes com o gel, Jéssica sentia suas solas arderem com a menta e ali enquanto a professora engolia e chupava dedinho por dedinho, ela se arrepiava e mordia os lábios, as vezes revirava os olhos se tremendo toda, sentindo um prazer irresistível e ao mesmo tempo levemente incomodo com a ardência da menta...

- AAAAH... PROFESSORA... ISSO ARDE... AAAAH... HUMM... A SENHORA... HUMM... COLOCOU MENTA DEMAIS AIMMM... HUMMMM... AAAAH... DEVAGAR POR FAVOOR... HUMMM...

Depois de chupar muito os dedinhos ali enfiando um a um na sua boca e depois enfiando pezinho por pezinho com todos os dedos de uma só vez dentro da boca, a professora Roberta passou a lamber descendo dos dedos pro meio das solas, depois para o calcanhar o chupando e lambendo, escorregando a língua pelas laterais, depois voltando para o meio das solinhas, as lambidas ali eram fortes e intensas, o gel de mente reagia queimando as solas de Jéssica que fazia caretas de prazer e dor sentindo a ardência do gel nos pés:

- AAAAH... A SENHORA EXAGEROU AAAH... HUMMMM... PARE POR FAVOR... AAAIMM...

Quando a professora Roberta finalmente parou, ela além de cuspir salivando muito nas havaianas de Jéssica, as melou bem com o gelzinho de menta para o desespero de Jéssica que suplicou:

- NÃAAO PROFESSOR POR FAVOR! ISSO VAI INCOMODAR PARA EU ANDAR ATÉ EM CASA!

- Vai ter que se acostumar! Pois de vez em quando vou colocar umas coisinhas diferente nos seus pezinhos gostosos e nas chinelinhas!

A professora colocou as havaianas cheias de saliva e menta nos pés de Jéssica, tirou as algemas das mãos da aluna a libertando e Jéssica foi para a casa bem devagar sentindo seus pés ardendo com o gel de menta em excesso. Dali em diante as coisas só pioraram, nas aulas a professora sempre chegava onde Jéssica sentada e fingindo a acompanhar nas tarefas, alisava, massageava, acariciava e fazia cosquinhas nos pezinhos da coitada, também ia pegando na bunda de Jéssica, em alguns momentos discretamente enfiava sua mão entro da calça da jovem tocando sua bundinha ali dentro e puxando de proposito sua calcinha.

O tempo foi passando, meses foram lentamente indo e vindo e a professora Roberta indo cada vez mais além com Jéssica que cada vez mais se tornava sua escrava submissa, a professora passou a pelo menos um dia da semana se deliciar com os pezinhos de Jéssica melados com alguma coisa, um dia usou leite condensado, ela ensopou as solas da jovem com muito leite condensado e se deliciou lambendo e chupando os pezinhos de Jéssica em cada centímetro ali meladinho, docinho, nesse dia até melou um pouco a barriguinha e os seios da jovem os lambendo bem devagar de modo a provocar a jovem que gritava:

- PROFESSORA ISSO TA INDO LONGE DEMAAAAIS... PARE... AAAH... HUMMM... POR FAVOOR...

Sempre que Jéssica ameaça acabar o acordo, Roberta pegava os pezinhos da jovem e lhes fazia cosquinhas até Jéssica implorar pedindo desculpas:

- AHAHAHAHAAHAHAHAHAHAHAHAA POR FAVOOR PROFESSORAAAAAHAHAHAHAHAHA PIEDADEEEE AHAHAHAHAAHAHAHAAHAHA EU ESTAVA BRINCANDOOO AHAHAHAHAHA POR FAVOOR PAREEEE... AHAHAHAAHAHAHAHAHA...

Além das cócegas, a professora ameaça prejudicar a turma inteira caso ela a desobedecesse, no final Jéssica se sentia presa e indefesa quanto ao acordo terrível que tinha feito com aquela malvada professora.

Depois de um tempo, mesmo nos dias que tinha aulas de matemática nas duas últimas, a professora optou por levar Jéssica para a sua salinha particular na ala dos professores, logo todos os dias de semana de segunda a sexta depois que as aulas acabavam, Jéssica passava sempre em média uma hora a mais no colégio na posse da professora ali na sua sala tendo seus pezinhos dominados e ás vezes um pouco mais, no início do quinto mês a professora Roberta além de prender as mãos algemadas de Jéssica atrás da cadeira, passou a colocar grilhões presos nos tornozelos de Jéssica prendendo seus pezinhos a uma corrente que unia as presilhas e era esticada e presa por baixo da mesa bem enrolada. Dessa forma aqueles lindos e deliciosos pezinhos grandes de Jéssica com suas solinhas vermelhas e sempre irresistíveis para a professora dominadora eram presos juntinhos acorrentados de forma que agora a coitada da aluna submissa não conseguia mais puxar os pés, estava totalmente imobilizada, entregue ao bel prazer da sua professora Roberta que sorria maliciosamente imaginando o que faria de novo com os pezinhos gostosos da sua querida aluna a cada novo dia que os tinha ali indefesos.

Um dia Jéssica estava entrando no colégio, a professora a chamou e a levou para a sua salinha particular, lá dentro, a professora mostrou um belo par de sapatilhas e falou:

- Hoje, durante todo o período escolar até o nosso encontra aqui na sala no fim da tarde, você vai usar essa sapatilha, entendeu?

- Sim senhora, mas porque a sapatilha? A Senhora adora que eu vá com as havaianas para poder ver meus pés e ficar inventando motivos para pegar neles nas aulas – questionou Jéssica, a professora sorrindo, pegou de dentro do frigobar que tinha ali na sua sala um cacho de uvas e uma caixinha de lente condensado, Jéssica logo entendeu, a professora Roberta espalhou algumas coisas em abundancia dentro das sapatilhas e derramou o leite condensado em cima, deixando o interior das sapatilhas com as uvas e o leite condensado ali melando tudo, então colocou no chão perto dos pés de Jéssica e falou:

- Calce-as e não ouve em nenhum momento, segundo, as tirar dos pezinhos entendeu?

- MAS PROFESSORA ISSO VAI SER HORRÍVEL, VAI TA UM NOJO!

- Vou repetir só mais uma vez querida, calce-as, colocar as sapatilhas nos pezinhos, as comprei mais cedo especialmente para você, seu número, 38, vai as usar assim e só no fim da tarde aqui na minha sala eu vou as tirar dos seus pés, caso contrário, se eu ouvir algum boato história de uma aluna com os pés melados espelhado por aí, já sabe, vou te fazer uma sessão extra de cócegas nos pezinhos até você se arrepender de ter nascido!

- SIM SENHORA – respondeu baixando a cabeça Jéssica, então ela tirou as havaianas e calcou as sapatilhas lentamente, a professora ficou olhando para os pezinhos de jovem e ouvindo o estourado das uvas lá dentro enquanto a jovem espremia os pés pra dentro da sapatilha forçando as uvas, Jéssica foi calçando a sapatilha e fazendo uma cara de nojo, quando terminou de as colocar nos pés, a professora recolheu suas havaianas e as colocou dentro de uma bacia com água e gelo dizendo:

- Suas chinelas vão ficar bem geladinhas aqui pra vocês as usar mais tarde, agora uma última coisa – falou a professora, pegou o leite condensado e chegou por trás de Jéssica, então com uma mão puxou a calça e a calcinha de Jéssica e então derramou ali dentro o restinho do leite condensado que estava bem geladinho, Jéssica deu um grito:

- AIIIIIIIIII... PROFESSORAAAA!

- Calma querida, agora você vai passar o dia andando bem docinha – e dizendo isso soltou a calça e calcinha da jovem, Jéssica foi sentindo ali o leite condensado gelado escorrendo pela sua calcinha, entrando um pouco na sua bunda e cuzinho e escorrendo ali pela virilha, depois que a professora olhou tudo e aprovou, deu um abraço forte em Jéssica por trás, beijou seu pescoço e pegando seus seios e os apertando, ela falou – Agora você está pronta, nos encontramos aqui no fim da tarde! Tchauzinho querida!

Jéssica então foi andando lentamente se sentindo muito desconfortável ali, aquela tarde desagradável parecia não ter fim, quando finalmente as aulas terminaram, após esperar todos saírem, discretamente Jéssica foi para a sala da professora Roberta que sorridente abriu a porta para ela e depois a trancou, Jéssica sentou na cadeira e já colocou os pés cruzados com as sapatilhas na mesa da professora, já esperando ser algemada e ter os pés acorrentados, mas a professora sorridente falou:

- Hoje você foi uma boa menina, não te prenderei e não teremos cosquinhas hoje!

- AH PROFESSORA OBRIGADA! – agradeceu Jéssica abrindo um sorriso genuíno e limpando os olhos que choraram de emoção e alegria com aquele raro alivio, então Roberta lentamente removeu as sapatilhas bem meladas dos pezinhos da coitada ali e as colocou de ladinho, então foi se aproximando as solinhas e falando:

- Hoje vou saborear seus pezinhos com uvas ao leite condensado! – dizendo isso, a professora lentamente começou a lamber as solas super meladas de Jéssica, foi lambendo centímetro por centímetro das solinhas grandes ali a sua frente, pegou com uma mão um dos pezinhos e chupou o calcanhar, depois foi chupando e mordendo a lateral externa até chegar nos dedinhos onde foi os lambendo e depois os chupando dedinho por dedinho, quando chegou no dedão, Roberta começou a chupar enfiando e tirando com força repetidas vezes o dedão ali de dentro da sua boca, Jéssica com isso tudo fazia caras e bocas de nojo e prazer ao mesmo tempo, suspirando, gemendo e pedindo para a professora parar:

- AAAAH... PROFESSORA... AAAH... POR FAVOR PARE... AAAAIM... HUMM... PARA POR FAVOR... HUMMMMM... MEU DEUS ME AJUDA... AAAH... HUMMM...

A professora Roberta depois desceu com a língua lambendo forte o meio da solinha e depois de alguns minutinhos ali voltou a chupar os dedinhos, então em determinado momento ela colocou todos os dedinhos de uma só vem meladinho dentro da sua boca que ficou bem estufada por o pezinho de Jéssica ser grande, quando se sentiu satisfeita, o tirou da boca e falou:

- Agora é a vez desse outro pezinho!

Jéssica levou o pezinho oferendo a solinha para professora que logo o agarrou e começou a lambe-lo intensamente, se deliciou ao máximo ai da mesma forma que fez no primeiro pezinho, sendo o ápice do seu prazer chupar todos os dedinhos de uma vez só, quando terminou, a professora juntou os dois pezinhos os segurando com duas mãos e começou a lamber as solinhas juntinhas ali, Jéssica mordia os lábios e apertava com força os braços da cadeira, agora com os olhos fechando tentando pensar em algum coisa que lhe distraísse daquele momento ali, mas ali no fundo ela estava toda arrepiada e com os cabelos em pé, os bicos duros dos seus seios estufando a camisa da farda da escova deliciosa que ela sentia algo mais além de nojo naquele momento.

Quando a professora finalmente terminou, ela tirou a bacia com água do frigobar, a colocou no chão e falou:

- Pode enfiar os pés aí dentro e calçar suas havaianas!

Jéssica enfiou os pés dentro e calçou as havaianas e então na mesma hora sorridente a professora Roberta falou:

- Mantenha os pezinhos ai por um minutinho!

- AAAI PROFESSORA... NÃO DÁ NÃAAAAO... ISSO TÁ GELADO DEMAAAAAIS...

- Agora só porque reclamou, são dois minutos e contando, se tirar antes, vou lhe fazer cócegas nos seus pezinhos com a escova de cabelo e óleo por trinta minutos!

- NÃAAO POR FAVOOR NÃAAO! ISSO NÃAAO... EU AGUENTO! MEU DEUUS ME AJUDAAAA... AAAAAAH... AAAAAAAAI... AAAAAAH... – falou desesperada Jéssica e ficou se tremendo toda e sentindo a ardência da água gelada nos pés ali dentro da bacia com água e gelo, mas aquilo ainda era melhor do que ter as solas dos pés meladas com óleo e depois torturadas com uma escova de cabelo sendo esfregada sem parar, a pior das torturas de cócegas junto com a escova de dente esfregada entre os dedos, Jéssica suportaria, quando passou o tempo, a professora falou rápido:

- TIRA!

Jéssica muito rápido puxou os pés calçados com as havaianas ali, ela tremia toda, a professora pegou um copo, encheu com um pouco daquela água gelada e mandou Jéssica ficar em pé, então puxar a calça e calcinha da jovem e derramou a água do copo bem devagar ali dentro molhando os fundos de Jéssica que foi gritando de nervosa e agoniada:

- AIIIII PROFESSORA NÃAAAAO... AAAAAAAAAIIII... MEU DEUUS... PARE!

Depois disso, a professora chegou por trás de Jéssica, a abraçou e pegou com as mãos nos seus dois peitos os apertando com força e dizendo:

- EU TE AMO TANTO QUERIDA, VOCÊ É A MINHA PREFERIDA, MINHA ESCOLHIDA!

- Eu tenho que ir pra casa professora – falou desmotivada e triste Jéssica, a professora a liberou finalmente e a jovem foi caminhando para sua casa que ficava a duas quadras dali se sentindo humilhada da pior forma possível.

Outros episódios como esse aconteceram onde foram usados morangos, Nutella e outros itens nos pezinhos de Jéssica, pelo menos uma vez por semana a jovem era obrigada a usar as sapatilhas meladas com uma mistura assim e depois ter seus pés adorados sendo intensamente lambidos e chupados pela professora.

Mas tudo pode piorar e foi o que aconteceu, no final do semestre Jéssica chegava alguns minutos mais cedo no colégio, entrava na sala da professora e sentava na cadeira sendo algemada e tendo as pernas esticadas com os pés presos com as correntes, então a professora removia suas havaianas, lambia e chupava seus pezinhos gostosos por dez minutos, depois fazia cosquinhas por dez a quinze minutos que o tempo que o sinal de entrada tocava, as cosquinhas só paravam quando o sinal tocava, quando o alarme de entrada atrasava, quem sofria era Jéssica recebendo cócegas a mais e implorando:

- AHAHAHAHAHAAHAHA POR FAVOOR AHAHAHAHAHA PROFESSORAAAAAAHAHAHAHAHA PIEDADEEE AHAHAAHAHAHAAHAHAHAHA POR FAVOOOR AHAHAHAHAHAHA PAREEE AHAHAHAHAHAHAHAHAHA...

- Parece que hoje o sinal está demorando um pouco para tocar não é querida? – falou a professora Roberta ali fazendo cócegas com duas unhas grandes nas duas solinhas avermelhadas que se engiavam formando várias dobrinhas e ruguinhas, os pezinhos de Jéssica se balançavam com força acorrentados ali enquanto a jovem implorava entre gargalhadas:

- AHAHAHAHAHA PAREE AHAHAHAHAHA CADE ESSE AHAHAHAAHHAHA SINAL QUE NÃO TOCAAA SENHOOOOR AHAHAHAHAAHAHAHAAHA EU NÃAO AGUENTO AHAAHAHAHA MAAAAIS AHAHAHAHAAHAHAHAHAHA...

- Calma querida, ele vai tocar logo, logo! – falou a malvada professora que sabia que o sinal ia demorar pelo menos uns dez minutos ainda para tocar, ela tinha pago naquele dia ao porteiro uma grana generosa para ele tocar o sinal só dez minutos depois do horário habitual, assim foi longa a tortura ali de cócegas nos pés de Jéssica que se mijava e chorava de tanto rir:

- AHAHAAHAHAHAHAAHAHAHAAHAHA PIEDADEE AHAHAHAHAAHHAAHAAHAHA POR FAVOOR AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA... PROFESSORA PARAAAAHAHAHAHAAHAHA...

Quando o alarme de entrava finalmente tocou e Roberta parou as cócegas nos pés de Jéssica, a jovem estava vermelha e toda suada, respirando ofegante com dificuldade, cansada, seus pezinhos estavam suados e com as solas ainda mais vermelhas do que o normal, a professora salivou forte cuspindo nas havaianas e as melando bem, então as colocou nos pezinhos de Jéssica e falou:

- Nos vemos mais tarde querida!

Naquele mesmo dia ela teve aula de matemática e foi assediada várias vezes com toques e alisados pela professora, principalmente nos pés, sempre que Roberta vinha na sua cadeira, Jéssica tinha que pelo menos deixar um dos seus pezinhos com a sola de lado a mostra para a professora tocar, enquanto fingia explicar o conteúdo de pertinho, a professora Roberta ia alisando e apalpando a solinha ali do pezinho da jovem, isso quando não lhe fazia cócegas:

- Então professora, eu não entendi essa... Ahahahahahaha... parte aqui... Ehehehehehe... Ahahahahahahaha... – era Jéssica rindo com as cosquinhas leves que recebia no seu pezinho ali feitas pela mão da professora que estava do seu lado lhe explicando o assunto...

No fim da tarde se encontraram como se costume na sala da professora e novamente presa algemada e com os pés acorrentados, Jéssica teve os pezinhos adorados e torturados pela malvada professora de matemática e depois foi solta, ela se arrependia amargamente de ter feito aquele acordo com a professora meses atrás, agora era praticamente a escrava daquela coroa safada, sempre que Jéssica pelo menos pensava em fugir de tudo aquilo, se lembrava das ameaças da professora, além disso, de vez em quando a professora a fazia sessões extras por mais de uma hora de cócegas como um lembrete para ela ficar quieta, caso contrário receberia mais sessões extras de cócegas! Aquilo deixava Jéssica ainda mais alerta e obediente.

Chegou o fim do semestre e teve a clássica reunião de pais e mestres, a professora Roberta em uma conversa sozinha com os pais da jovem, falou que Jéssica estava conseguir atingir a média, mas com muita dificuldade, dando ênfase em falar que Jéssica era a aluna mais ruim da sua matéria ali na turma, Roberta mostrou então um boletim com as notas de Jéssica claramente modificadas e várias em vermelho e explicou a necessidade de Jéssica precisar de aulas de reforço, os pais de Jéssica acreditaram em tudo e convencidos que a querida e doce professora Bertinha era a melhor escolha, se acertam ali mesmo e a partir da próxima semana Jéssica passaria a ter aulas de reforça todos os dias de segunda a sexta duas horas pela manhã na casa da professora que ficava pertinho, o valor foi acertado e era tão baixo que os pais de Jéssica pagaram antecipado os seis meses do resto do ano que faltava para o ano letivo acabar.

- NÃO SE PREOCUPEM MEUS CAROS, COMIGO SUA FILHA PASSARÁ FÁCIL DE ANO FINALMENTE!

- OBRIGADO SENHORA BERTINHA, É MUITO BOM SABER QUE A SENHORA FILHA ESTÁ NAS MÃOS DE UMA PROFESSORA DO SEU NÍVEL – respondeu eufórica e feliz a mão de Jéssica, o pai falou sorridente e bastante feliz também:

- DEPOIS DE DOIS ANOS SEGUIDOS REPROVADA, AGORA EU SEI QUE MINHA FILHA VAI PASSAR E FINALMENTE IR PARA O ULTIMO ANO PARA CONCLUIR OS ESTUDOS! OBRIGADO SENHORA BERTINHA!

- O PRAZER É MEU QUERIDOS – respondeu a professora Roberta bem fingida, quando os pais de Jessica saíram, ela sorria, seus planos estavam dando certo.

A professora Roberta muito antes daquela reunião tinha pesquisado onde Jéssica morava e se mudou para uma casa que era uma rua depois apenas, preparou naqueles últimos meses um quarto inteiro especial só para Jéssica com uma cama de casal com correntes para os pés e mãos, um grosso suporte de ferro preso com correntes em uma das paredes para a deixar pendurada, um sofá grande para a deitar imobilizada lá, uma cadeira de cócegas chumbada no chão nos fundos do quarto, uma mesa pequena cheia de produtos e itens para fazer cócegas espalhados sobre ela, mas a novidade que a professora Roberta mais estava afim de estrear era uma estante cheia de brinquedos sexuais de todos os tipos para usar e abusar, Jéssica que se preparasse, pois a malvada professora dominadora estava indo para o próximo nível...

CONTINUA...

***

Segunda Parte do conto solicitado pela minha leitora Alana Feet que deu a ideia.

Perfil da parceira escritora Alana Feet cheio de deliciosos contos Lésbicos com podolatria:

https://www.casadoscontos.com.br/perfil/266461

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 21 estrelas.
Incentive SenhorDasCocegas a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.
Foto de perfil de SenhorDasCocegasSenhorDasCocegasContos: 64Seguidores: 31Seguindo: 46Mensagem Sou um Podolatra e Dominador Tickler! Meus contos são sobre mulheres de Pezinhos belos sendo adorados e torturados com muitas cócegas, além de Podolatria e um pouco de sexo gostoso de vez em quando. Contato por e-mail: cocegasinsanas@gmail.com

Comentários

Foto de perfil genérica

sensacional como sempre meu amigo, sugiro fortemente que coloque a presença de um homem nessas brincadeiras futuras, juntamente com algo mais sexual, ficaria incrível.

1 0
Este comentário não está disponível
Foto de perfil genérica

Muito bom. No final ainda espero uma descrição dos pezinhos da professora Bertinha e uma vingança da Aluna Jéssica.

Maravilhoso cinto parabéns

2 0
Foto de perfil genérica

Segunda parte excelente. Vamos ver como vai ficar pior ainda para ela.

1 0