O PAI TARADÃO DA MINHA AMIGA ARROMBOU MEU CABAÇO

Um conto erótico de GISELLE
Categoria: Grupal
Data: 14/04/2019 08:03:02
Última revisão: 14/06/2019 09:10:22
Nota 10.00

Meu nome é Regina, tenho 23 anos, morena de pele bem clara, cabelos negros cacheados, seios grandes, coxas grossas, bumbum empinado e um fogo no meio das pernas que não é fácil de ser apagado, precisa ser muito macho para dar conta do meu tesão incontrolável.

Desde que me tornei adolescente e comecei a sentir as primeiras “coceirinhas” na minha xoxotinha percebi que o sexo iria fazer parte constante de minha vida e isso aconteceu bem mais rápido do que imaginei.

No bairro da periferia onde eu morava junto com minha mãe tinha duas amigas inseparáveis desde o colégio, Sandra e Vitoria, juntas eramos muito safadas e “biscatinhas” demais.

Viviamos agarrando os rapazes do bairro e eramos chamadas de “galinhas” pelas garotas “rivais”, mas não estávamos nem aí para as invejosas.

Eu seria a ultima das amigas a perder o cabaço da xoxota, mas já fazíamos um monte de sacanagens a muito tempo, em nossas confidencias contávamos tudo que fazíamos com os rapazes, Sandra era a que mais gostava de sexo anal e dizia que gozava que nem louca sendo enrabada, Vitoria, a mulatinha vivia comentando que adorava mamar na rola dos garotos e engolia até a ultima gota de porra deles, a safada dizia que leitinho de macho fazia um bem danado para a pele.

Eu era aficcionada em filmes pornôs e ficava extasiada olhando para aqueles atores de corpo perfeito com rolas enormes e vivia sonhando que um dia iria acontecer isso comigo, uma pica grossa e cabeçuda fodendo minha xoxotinha tesuda, todos rapazes que chupei ou fui enrabada por eles tinham rola de tamanho normal, nunca tinha pego nenhum grandão, minhas amigas safadas diziam que já tinham experimentado pauzões e tinham adorado serem fodidas por eles.

Apesar da amizade que existia entre nos uma bela tarde de verão acabei descobrindo que Sandra uma das amigas tinha um segredo muito louco que me deixou de queijo caído.

Sandra morava apenas com o pai, sua mãe tinha se separado já fazia uns 3 anos e foi então em uma tarde fui até a casa dela pra bater papo e como sempre fazia passei pelo corredor lateral e quando entrei pela porta da cozinha escutei uns gemidos misturado com barulhos de tapinhas e assim que cheguei na sala vi minha amiga peladinha deitada de bruços no sofá com seu rosto no meio das pernas do pai e a putinha chupava deliciosamente o pauzão enorme dele, o tarado rebolava na boca da filha e aproveitava pra dar uns tapinhas no bumbum da safada que sussurrava:

-Ahhh... papai... que delicia chupar o teu pauzão... fode a boquinha da tua filha putinha... ahinn... bate no meu bumbum... pode bater que eu mereço... sou muito putinha... hummm... deliciaaaaa!

Fiquei completamente imóvel vendo aquela cena de incesto rolando bem diante dos meus olhos, eles não perceberam minha presença e também fiquei bem quietinha, mas o que mais me chamou a atenção foi o tamanho da rola do pai tarado da minha amiga, era enorme e grossão e a safada mal conseguia engolir a cabeçona brilhante, em instantes senti minha xoxotinha melar, assistir aquela cena “proibida” me deu um tesão louco e bem devagar levei a mão entre minhas coxas, eu estava de minissaia e meus dedinhos ligeiros se enfiaram pelos lados da calcinha e passei a me masturbar bem devagarzinho.

Tudo ficou ainda mais quente quando Sr. Geraldo o pai da minha amiga putinha colocou-a de 4 no sofá e em segundos encaixou a cabeçona de seu pauzão enorme e fincou com força entrando até o talo, Sandra deu um gemido alto e tomou uns tapas na bunda com ele dizendo todo macho:

-Vadiazinha safada... puta de rua... cadelinha no cio... eu sei que um bando de rapazes te come sua tarada... mas você gosta mesmo é da pica grossa do papai né sua vagabunda... ahhhh... rebola sua vadia... dá essa buceta sua safada... ahhhhh!

Sandra gemia e robolava que nem uma louca no pauzão enorme do pai e sussurrava:

-Ahhhh papai... que delicia de rola... quero gozar gostoso no teu pauzão... meu tarado gostosto... fode sua filha putinha... fodeeeeee!

Minha amiga soltou um grito e gozou loucamente no pauzão do pai e logo em seguida a putaria ficou ainda melhor porque o Sr. Geraldo tirou a rola cabeçuda da buceta da filha tarada e encaixou na porta do cuzinho da vadia e como tinha feito na buceta fincou com força até o talo, Sandra engoliu pelo cu o pauzão enorme do pai e toda tarada sussurrou:

-Aihmmm papai... meu tarado gostoso... ahhhh... que delicia teu pauzão no meu cu... fode o cuzinho da tua filha putinha com força do jeito que eu gosto... ahimmm... mete tudo papai... delicia... ahhh... quero gozar pelo cu!

Eu mordia os lábios para conter os gemidos do meu gozo incontido, que tesão louco era assistir o pai da minha amiga fodendo o cu dela sem um pingo de dó, aquele pauzão enorme era socado no cu da tarada com força e ela rebolava sem parar, eu não conseguia para de me masturbar e já tinha tido três orgamos, um atrás do outro e foi então que a coisa ficou mais doida ainda quando o Sr. Geraldo virou o rosto pra onde eu estava e deu de cara comigo ali de pé com os dedos enfiados no meio das minhas coxas e ele então todo safado deu um sorrisinho sacana e fez um sinal com o dedo nos lábios dizendo pra ficar quietinha e continuou a foder a filha putinha bem devagar, mostrando seu pauzão entrando e saindo todinho de dentro do cuzinho da tarada até que ela sussurrou toda safada:

-Aihmmm papai... goza... goza no meu cuzinho... quero sentir tua porra quentinha enchendo meu rabinho... ahhh... goza meu taradão gostoso!

Sr. Geraldo deu um urro e gozou gostoso no cuzinho guloso da filha putinha, eu continuei ali mais alguns segundos e então sai devagarinho dali indo embora para minha casa com minha xoxotinha virgem tão molhadinha do meu gozo chegando a escorrer pelas pernas.

Assim que entrei em casa fui para o meu quarto e ficando peladinha voltei a me acariciar e continuei me masturbando deliciosamente, gozei gostoso gemendo alto e só depois de completamente saciada fui tomar um banho para dar uma refrescada.

Tudo aquilo que havia acontecido me deixou completamente tarada, eu só pensava no pauzão enorme do Sr. Geraldo fodendo a própria filha e não parava de imaginar o tesão que poderia sentir com aquela rolona cabeçuda me penetrando todinha até o talo.

Quando a putaria tem que acontecer nao é preciso esperar muito e no dia seguinte da minha descoberta eu vinha vindo pela calçada voltando para minha casa quando um carro parou do meu lado e quando virei o rosto dei de cara com o Sr. Geraldo, o tarado comedor da própria filha e ele com um sorriso sacana nos lábios disse:

-E aí Regina, quando te vi andando pela calçada me deu uma vontade de trocar uma ideia contigo... tá tudo bem contigo gatinha?

A rua onde estávamos era bem calma e quase sem movimento principalmente naquele horário, 7 da noite e começando a escurecer e então cheguei bem perto da porta e disse:

-Simmm... tá tudo ótimo... to voltando pra casa, preciso preparar a janta para a minha mãe... daqui a pouco ela chega do serviço!

Com certeza a conversa iria esquentar porque o Sr. Geraldo mostrou ser um tremendo tarado dizendo:

-Adorei ver você se masturbando assistindo eu fodendo minha filha puta no sofá... me deu mais tesão ainda... e acho que a gatinha também gostou muito né... gozou gostoso né sua safadinha?

Já que ele estava sendo tão direto, também resolvi ser bem safadinha dizendo:

-É... não tem como negar... gozei muito gostoso... assistir uma transa entre pai e filha é uma coisa muito louca... mas... depois do que eu vi ali na sala descobri porque a Sandra fala que adora gozar pelo cuzinho... a safada é uma gulosa... gosta dos bem grandes... nem sei como ela aguenta tudo aquilo... garanto que foi o Sr. que fez a minha amiga virar uma putinha tão tarada né?

-Bem... quase toda puta tarada adora uma pica grossa cabeçuda na buceta e no cu... minha filha é uma delas... mas não forcei a putinha a nada, alias nem fui eu que tirei o cabaço da buceta e do cu da safada... a vadiazinha virou putinha com os namoradinhos dela!

Quando olhei de relance pra dentro do carro notei que o pai tarado da minha amiga já estava com o pau pra fora da bermuda que usava e o safado dando uma balançada no pauzão disse:

-Quer dar uma pegada no bichão... entra no carro... vamos dar uma volta no quarteirão... sei que você tá louquinha pra sentir ele bem de pertinho entra logo... tô sabendo que você, minha filha e a Vitoria são três putas safadas... to louco pra sentir essa mãozinha pegando na minha pica!

Em segundos decidi fazer o que o pai taradão da minha amiga pedia e dando a volta no carro entrei e me sentei no banco do passageiro e toda safada disse:

-É só pra dar uma volta no quarteirão tá? Como te falei... não posso demorar porque minha mãe tá pra chegar... não tente me levar pra outro lugar!

O Sr. Geraldo deu um sorriso sacana dizendo:

-Fique tranquila querida... não vou te forçar a nada... só quero que faça o que eu pedi... pega na minha rola sua putinha safada... pega logo!

Nem precisou mandar outra vez, ele saiu com o carro bem devagar e eu segurei firme naquele pauzão enorme, que calor incrivel emanava dele, minha xoxotinha virgem melou todinha e quando me dei conta o safado do pai da minha amiga já estava com a mão enfiada no meio das minhas coxas, minha minissaia era curtinha e o instinto de putinha já mandou que eu abrisse mais as pernas pra facilitar a safadeza e ele logo enfiou os dedos pelos lados da calcinha e passou a siriricar meu grelo sensível, não contive um gemido e o Sr. Geraldo todo tarado disse:

-Põe meu pau na tua boca putinha, chupa ele bem gostoso... ahhhh... delicia.... mama nele sua vadiazinha... vou te dar leitinho quente!

Rapidinho eu mamava naquela pica grossa cabeçuda, era difícil engolir aquela cabeçona, mas eu tentava e logo senti uma mão se enfiando por tras do meu corpo e mais rápido ainda eu tinha um dedo grosso socado no meu cuzinho, o pai taradão da minha amiga sabia como me deixar mais tarada ainda, continuei chupando deliciosamente aquela rola enorme e ele dedava meu cuzinho me levando a loucura e logo senti o primeiro jato de porra quente na minha boquinha gulosa, era muita porra, não consegui engolir tudo, mas deixei escapar pouca coisa e então ele estacionou

no meio fio e disse:

-Pronto putinha... pode ir pra tua casa... realmente você é uma delicia gatinha... quero te comer inteirinha... vá la em casa amanhã a tarde, minha filha vai visitar a mãe dela e estarei sozinho... vou te fazer gozar gostoso sua putinha tarada!

Sai do carro com as pernas bambas, naquele momento o que eu queria mesmo era sentir aquele pauzão cabeçudo fodendo minha xoxota virgem, mas com certeza isso não iria demorar a acontecer, o pai safado da minha amiga fez despertar de vez a puta que existia dentro de mim, dificilmente eu não iria estar na casa do taradão na tarde seguinte.

Naquela noite nem dormi direito imaginando o que iria acontecer comigo, mas mesmo sentindo um “pouquinho” de medo fui para o “matadouro”.

Quando o pai taradão da minha amiga me viu chegando abriu um sorriso dizendo que estava me esperando ansioso e toda safada disse:

-Até pensei em não vir... tenho medo do tamanho do teu pauzão me machucar... ainda sou virgem na xoxota!

O Sr. Geraldo vestia apenas um short meio folgado e todo safado deu uma pegada no pauzão balançando o bicho e disse:

-Então você ainda é virgem na buceta mesmo putinha? Minha filha comentou que você dizia ser virgem, mas comentou que achava que era mentira sua... que você escondia o jogo!

-Que amiga mais traira que eu tenho, além de nunca me ter contado que praticava incesto com o pai taradão ainda fala mal de mim... vadia safada!

-Então chega de conversa putinha gostosa... to louco pra ser teu primeiro macho na buceta... quero te comer no sofá... minha filha adora levar rola no sofá... vem sua putinha safada... pode ficar tranquila que vou te tratar com “carinho”!

Em segundos fiquei nuazinha e o Sr. Geraldo fez o mesmo, seu pauzão cabeçudo estava duro como uma rocha e ele então me colocou de 4 no sofá e todo taradão começou a me lamber por tras como um cachorro e o tesão pegou forte no ato e passei a rebolar na língua esperta do tarado.

O taradão aproveitou meu tesão e meus gemidos de prazer e me deu uns tapas fortes no meu bumbum como tinha feito com a filha puta dizendo:

-Rebola sua cadelinha safada... bucetinha virgem tem gosto diferente... muito bom... ahhhh... que delicia... ahhhh!

A língua quente e ágil daquele taradão me levou a loucura em pouquíssimo tempo e gozei como uma cadela no cio sendo chupada por aquele macho tarado, tomei vários tapas na bunda que serviram pra atiçar ainda mais o meu tesão e meus orgasmos se suscediam sem controle.

Quando me dei conta o Sr. Geraldo pincelava a cabeçona rombuda de seu pauzão entre os lábios da minha xoxotinha virgem e logo senti que meu defloramento iria ser executado e isso aconteceu em segundos, com as mãos fortes segurando meu quadril o taradão fincou com firmeza e meu cabaço foi pro saco, soltei um grito alto, mas ele nem se importou e passou a foder minha xoxotinha arrombada sem do, a dor desapareceu como num passe de magica e não demorou pra que eu gozasse copiosamente pela minha xoxota ensanguentada, que delicia sentir o pauzão de um macho de verdade dentro de mim.

O sr. Geraldo era um tarado pervertido e depois de foder minha xoxotinha do jeito que quis tirou a cabeçona de dentro dela e encaixou na portinha do meu cuzinho e fincou com força, me senti empalada por aquele pauzão enorme, mas como tinha acontecido na xoxota a dor sumiu em pouco tempo e o taradão fodeu meu cu atolando com força me fazendo gozar deliciosamente, logo ouvi um urro alto e ele encheu meu rabinho de porra fervente, que delicia sentir meu cuzinho sendo inundado por um mar de porra, ele gozava como um cavalo.

Após um banho demorado sai da casa do Sr. Geraldo completamente saciada e feliz por não ter mais meu cabacinho na buceta e com certeza dali pra frente o prazer seria bem maior e mais gostoso do que já estava sendo.

O pai taradão da minha amiga passou a me comer constantemente e logo o safado disse que queria foder eu a sua filhinha juntas e claro que eu aceitei o convite e a coisa ficou bem mais sacana, mas isso os leitores só iria saber dos detalhes quando publicar a continuação desse relato

e-mail: gisellets@outlook.com.

Mais contos meus estão no meu perfil:

https://www.casadoscontos.com.br/perfil/182301

CP1 Member

UUUUUUUU6)0x

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
10/06/2019 23:11:14
Gostoso demais. Fikei melada msm.
02/06/2019 15:40:05
Que inveja desse Sr. Geraldo, que inveja! Comendo gostoso tua xoxotinha e ainda por cima, enrabando essa gostosura. Deixou este ¨japanisis brasiliensis taradus¨com a rola explodindo de tesão. No sério, excelente conto este. Perfeito na escrita e excitante na medida. Beijão!
VIC
01/06/2019 10:34:23
uauuuuuuuuuuuuuuu que excitante
24/05/2019 12:16:07
Excelente! Que narrativa tesuda!
05/05/2019 20:47:28
🌷🌷
02/05/2019 14:42:06
Vem comigo vem! taradopbundas67@yahoo.com
02/05/2019 01:29:57
Safadinhas que curte uma rola grossa me chama betojogador2019@gmail.com
01/05/2019 06:34:01
Que velho safado e que gata tesuda.nota dez paluszbr@gmail.com
01/05/2019 00:48:43
Deliciosa. taradopbundas@yahoo.com
15/04/2019 10:32:08
Maravilhoso, gatas vamos tc? chama no whats....ONZE.NOVE, SEIS,UM,TRES,OITO, TRÊS,TRES,QUATRO,OITO MARCOS BJS NAS PEPECAS.. Hisokamorow888@Gmail.com podem mandar msgs gatinhas..
15/04/2019 02:06:32
Que delícia, também quero!
14/04/2019 22:40:03
manda nude, davidthewolf@outlook.com
14/04/2019 18:22:03
Delícia, gata! Queria muito apagar seu fogo com meu pai grande e grosso.
14/04/2019 13:31:02
Q tesão delicia
14/04/2019 10:57:58
Delicia
14/04/2019 10:30:06
Delicioso o conto. De ficar com o pau babando... só arrume o nome do pai da tua amiga. É Geraldo ou Samuel? Aguardando a continuação ansiosamente. Cwb53@bol.com.br
14/04/2019 10:26:27
Deliciosa vc. roberto.casado.contos@gmail.com