Participe dos testes da rede social que a Casa dos Contos está criando. Convites limitados.

Início do Namoro e da Submissão - Sou a Putinha da Minha Namorada Travesti - Parte 2

Um conto erótico de GPR
Categoria: Homossexual
Data: 12/04/2019 16:40:27
Última revisão: 12/04/2019 20:45:13
Nota 10.00

Parte 2 - Início do Namoro e da Submissão

No conto anterior contei como foi a minha primeira vez com a Larissa e como terminei arrombado por ela.

Não demorou muito entre nossos encontros, que sempre terminavam com o meu cu arrombado ou a minha boca cheia de porra, até decidirmos que iríamos tentar um relacionamento. Nossa química era mais que apenas o sexo, tínhamos objetivos em comum e gostos muito parecidos, então tudo fluiu naturalmente para isso.

Então iniciou-se o nosso namoro, que começou suas comemorações em um jantar romântico num restaurante e terminou comigo de quatro e ela enterrando seu pau no meu rabo no meu apartamento. Então ela disse que precisaríamos conversar e me chamou para no dia seguinte ir ao apartamento dela.

Chegando lá, ela me recebeu com uma blusinha bem fininha que dava para ver seus seios completamente e um shortinho de academia beeeeem curtinho, que deixava quase metade da bunda dela para fora... Muito gostosa!. nos beijamos muito e eu tratei de apertar aquela bunda gostosa enquanto chupava seus seios por cima da blusa.

Ela pegou um pequeno embrulho de presente e uma caixinha, me deu e disse para eu ir vestir a cueca que ela me deu e voltar vestido só com ela e a cueca que estava usando numa mão e o outro presente na outra mão. fui ao banheiro, abri os dois presentes e para minha surpresa eram uma cueca fio dental vermelha, e um plug anal bem roliço que dizia na embalagem ter 10cm de comprimento por 5 cm de largura. meu pau endureceu na hora, pois mesmo tento praticado inversão, usado consolos e sido passivo já para outros parceiros, nunca usei fio dental, calcinha, lingeries, etc... ao mesmo tempo sempre quis experimentar. Vesti e de fato era uma cueca fio dental, na frente comportava o pau duro perfeitamente com corforto, mas atrás o fio sumiu no meio das minhas nádegas deixando apenas um pequeno triângulo em cima, me olhei no espelho do banheiro e realmente minha bunda ficou muito gostosa. Peguei a cueca boxer branca que vim vestido e o plug e saí, para encontrá-la no sofá apenas com a blusinha fina, e seu mastro já duraço apontando pra mim.

Ela se levantou, me virou para me olhar vestido naquele fio dental, o que me deixou com um pouco de vergonha... sim, não tenho vergonha de ficar de quatro com o cu todo aberto pra ela mas tive vergonha de ficar de fio dental na sua frente.

Ela me elogiou, apertando a minha bunda e depois dando um tapa, e disse que a putinha dela estava muito gostosa, eu agradeci e comecei a masturbar o pau dela que já babava encostando em mim. então ela pegou a boxer da minha mão e vestiu nela, ficou sexy nela, ainda mais com aquele pau marcando a cueca, e disse que essa cueca agora era dela.

Me chamando de putinha e dizendo que para eu ficar quietinho e não dizer nada, me colocou de quatro no chão e começou a brincar com o plug no meu rabo, dando pra que eu babasse ele e depois tentava enfiar ele no meu cu. Enquanto isso ela dizia que gostaria de ser sempre assim, eu de fio dental e ela de cueca boxer. Disse também que me daria um tempo para me acostumar a usar as cuecas que ela iria me dar e que nem todas seriam fio dental, mas que nenhuma seria tradicional, e também não seriam lingerie com renda e etc porque ela não gostava de ver homem assim, mas que aos poucos ela só iria querer me ver usando tangas, biquínis e fio dental.

Terminando de por o plug no meu rabo, ela pediu para eu vestir a roupa para que a gente fosse descer e foi para o quarto dela se trocar. Vesti a bermuda e a camisa e meu pau duro feito uma pedra pulsava. eu não estava pensando em nada, só sentia o tesão em obedecer as ordens dela, o tesão de estar de fio dental e plug e o tesão de imaginar indo na rua assim... estava agindo como um verdadeiro submisso e estava adorando.

Ela voltou vestindo a mesma blusinha com um sutiã por baixo, e um shortinho jeans tão curto que deixava a poupa da bunda dela aparecendo, ela havia tirado a cueca também e colocado uma calcinha fio dental. Então demos as mãos e descemos o elevador e fomos caminhar pelas ruas do bairro dela. Vestida assim, ela chamava atenção de todos as pessoas que nos acompanhavam com os olhos, o que me dava um certo medo de alguém reparar que eu estava de fio dental.

Ela continuou a falar e disse que sempre se vestiria assim pra mim, para sairmos juntos, provocante, sexy, sempre mostrando o corpo e essa era a forma dela "compensar" o fato de eu não poder comê-la, assim as pessoas veriam como eu tinha uma namorada gostosa sem nem saberem que quem sempre era comido nessa relação era eu, e por isso sempre iria querer q eu usasse cuecas bem pequenas quando estivesse com ela pelo menos. O objetivo dela era que eu não usasse mais cuecas tradicionais e quem sabe até as sungas (disse rindo, claramente me imaginando numa praia de fio dental), mas disse que poderia ir com calma até me acostumar.

Disse a ela que estava amando tudo, e que eu entrei para no relacionamento para ser passivo e submisso, e que ela passaria a usar sim as cuecas que ela me desse.

Claro que isso deixou ela muito feliz, e ela quando está feliz fica completamente boba, com jeitinho de menina, um misto de sexy e fofa. Nos abraçamos, onde eu escorreguei a mão na bunda semi-desnuda dela, caminhamos um pouco mais, abraçados, com a minha mão na cintura dela, descendo para sua bunda, afinal ela é a minha gostosa e, pra quem está na rua, a putinha do relacionamento é ela.

Depois de caminharmos um pouco mais propus a ela tirar o plug do meu cu e colocar outra coisa maior no lugar. Ela concordou mordendo os lábios e disse que que eu nem imaginava quantas coisas maiores que o pau dela ela estava preparando para minha raba no futuro.

Voltamos para o apartamento dela e fizemos amor gostoso, papai e mamãe, olhando no olho e beijando muito, fizemos sem camisinha pela primeira vez e por isso foi tão romântico e tão especial. ela demorou como de costume e meteu com força e fundo como sempre. Quando chegou lá, gozou muito dentro do meu rabo e eu, sentindo o calor do seu esperma jorrando, gozei também.

Foi a primeira vez que gozava sem ninguém ao menos mexer no meu pau... Isso deixou ela muito feliz e se sentindo muito especial... pois ela queria me fazer 100% passivo e eu já gozava só de dar o cu pra ela.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
15/04/2019 09:20:49
Adoro um homem passivo e obediente, mas adoro dar tb!! Muito bom essa parte 2, espero por mais viu?! ;)
15/04/2019 06:49:45
Ótimo com conto! Mesmo não tendo narrativa de sexo explícito, gostaria de ser assim sub
12/04/2019 16:44:02
Hummmm adorei