A melhor rapidinha da minha vida.

Um conto erótico de Mâe Solteira
Categoria: Heterossexual
Data: 15/03/2019 19:13:45
Última revisão: 16/03/2019 08:19:43
Nota 10.00

Pois bem, o fato que irei narrar aqui é 100% verdadeiro, aconteceu no dia 20 de janeiro de 2019.

Meu nome é Mara, sou mãe solteira, tenho 30 anos, 162cm, 50kg, cabelos tingidos de loiro, pele branquinha no qual durante os períodos de veraneio costumo pegar um leve bronze. Tenho cintura fina, seios médios e durinhos, possuo um bumbum bastante volumoso, redondinho e quase sem celulites, resultados de muita zumba e musculação. Sou uma mulher bonita e costumo receber assédios.

Era 10h da manhã de um domingo ensolarado do mês de janeiro, meu filho que tem 12 anos jogava vídeo game na sala enquanto eu preparava o nosso almoço. Eis que a campainha toca, era o Jorge, professor de Jiu-jitsu da mesma academia na qual pratico ZUMBA. Naquele dia ele queria que eu fosse num churrasco (chá de panela) de um dos alunos preferidos dele.

Vou descrever o Jorge, ele era um homem de 47 anos, mais ou menos 175cm, sarado, barriga durinha, branco, mas como levava muito sol, sua pele era bronzeada, seus olhos eram esverdeados, ele era quase careca, com poucos fios de cabelos grisalhos, usava uma barba baixinha grisalha que dava um ar mais rústico e ao mesmo tempo jovial. Apesar dos 47 anos, Jorge tinha um corpo atlético em razão dos treinos intensos de Jiu-jitsu, vestia apenas um calção preto curto de Nylon em conjunto com um par de tênis sem meia. Jorge gostava de exibir suas tatuagens do peito e do braço, (tatoo estilo Maori).

Farei uma breve descrição da minha pessoa nesse dia: eu vestia um camiseta baby doll regata comprida no qual cobria minha bunda ( a mesma roupa que usei para dormi), por baixa eu estava somente com uma calcinha rosa fio dental, já que em casa , principalmente pela manhã, costumo ficar mais a vontade...

Mas voltando a falar do Jorge: já ficamos algumas vezes, tivemos alguns momentos de intimidade, apesar dele demonstrar ser apaixonado por mim, não me sinto atraída para um relacionamento sério, já que ele se divorciou recentemente, mora com os pais e tem 4 filhos (3 menores de idade). Sem falar que o mesmo não possui uma vida financeira estável e inclusive já foi preso por não arcar com a pensão alimentícia dos filhos. A vida dele é mais complicada que a minha, portanto, não quero mais problemas, (...) porém, em momentos de carência, fui pra cama com ele algumas vezes aqui em casa mesmo, pela parte da tarde, horário da escola do meu filho.

Jorge tinha pernas e coxas muito grossas, naquele dia ele estava muito mais sexy com aquele calção curto e fino. Assim que entrou foi logo sentando no sofá para puxar assunto com o meu filho. Como ele é muito simpático, costuma fazer amizade fácil, principalmente com meninos adolescentes, já que seu jeito viril e tbm o fato de ser professor de jiu-jitsu acaba atraindo a atenção dos garotos dessa idade. Meu filho gosta bastante do Jorge, mas nem passava pela cabeça dele que o Jorge se relaciona comigo, se soubesse ficaria muito chateado, pois meu filho é ciumento e não quer que eu arrume namorados.

Enquanto eu cortava cebola fiquei reparando naquele homem gostoso, principalmente nas pernas dele. A cozinha do meu apartamento é americana, ou seja, apenas uma média parede divide a cozinha com a sala, portanto, quem está na cozinha tem a visão de toda a sala e vice e versa, porém como o sofá ficava de costas para a cozinha, Jorge e meu filho não tinham a visão da minha pessoa.

Fazia uns 15 min que o Jorge conversava com o meu filho, e o assunto não era outro a não ser sobre Jiu-jitsu e Vale Tudo. Eu fui lavar a louça enquanto minha carne de panela estava no fogo. Eis que depois de 3 min, sinto aquele corpo quente com cheiro de perfume Kaiak da natura, era o Jorge me encoxando enquanto beijava minha nuca.

Imediatamente olho pro meu filho, mas o mesmo estava de costas no sofá jogando o vídeo game, empurrei o Jorge, sussurrei baixinho explicando que meu filho poderia nos ver, e que eu não queria me estressar com meu filho naquele momento. Jorge parecia não se importar, continuou-me encoxando e beijando minha nuca, foi aí que senti a rola dele latejando dentro do calção. Aquilo me subiu um fogo, fiquei tão assanhada, propositalmente empinei mais o bumbum pra sentir aquele caralho; Jorge continuava com a pica dentro do calção colada na minha bunda e propositalmente latejava a rola pra eu sentir aquilo tremendo. Fiquei paradinha olhando em direção ao meu filho, percebi que a pia estava pela metade cheia, pois havia esquecido que a torneira estava ligada, nesse momento puxo a válvula da pia a fim de escorrer a água, foi aí que senti os dedos grossos do Jorge afastando minha calcinha e explorando minha bucetinha molhada. Fiquei paradinha, olhando em direção ao sofá onde estava o meu filho, não falei nada, apenas sentia a respiração ofegante do Jorge em conjunto com o barulho do game na TV. Tentei relaxar, fechei meus olhos quando senti os dedos dele massageando meu clitóris. Tava tão gostoso, talvez a situação de perigo contribuísse para dar mais tesão. Após uns 20 segundos massageando no meu grelinho, Jorge finalmente retira os dedos, senti-me aliviada e voltei a lavar meus pratos, porém, depois de 20 segundos, sinto algo grosso beijando os lábios da minha buceta. Não pude acreditar, logo me esquivei e olhei para trás, era a rola do Jorge que saía pela boca da perna do cação curto q ele vestia. A rola grossa de cabeça bem larga, vermelha e brilhante, no qual já senti na buceta e já chupei em outras ocasiões... Falei bem sério dessa vez, e pedi q ele guardasse aquilo, pois meu filho iria ver, ele rindo respondeu que o muleke estava jogando, não iria perceber nada. Eu mesma puxei para baixo a perna do calção dele q estava levantada, cobriu um pedaço da rola, mas mesmo assim fazia muito volume... Falando baixo pedi pra ele ir embora, que eu não queria brigar com o meu filho e que naquela ocasião não dava pra gente curtir.

Jorge ajeitou a rola dentro da cueca e ficou observando o ambiente, eis que ele me puxa em direção à pequena área de serviço que ficava junto a minha cozinha, era um espaço minúsculo onde só cabia minha máquina de lavar e um tanque. Usando da força bruta, Jorge me puxa junto aquele espaço, ele fica atrás de mim voltando a me encoxar, eu de frente observando meu filho sofá que se encontrava a 7 metros de onde estávamos.

Fiquei calada, mais uma vez o fogo acendeu, Jorge levanta a perna do calção e puxa aquele caralho pela coxa, tava duro, babando, cabeça brilhando, ele cospe na mão, passa na cabeça da rola, eu vendo tudo aquilo senti uma fome de pica, eu mesma puxei a minha calcinha de lado, empino meu rabo e sinto aquela coisa entrando na minha buceta de uma vez só. Meu tesão estava á mil, não podíamos gemer nem mesmo falar, Jorge parecia ser muito experiente com esse tipo de transa, pois ele metia forte sem causar barulho, não sei como ele fazia isso. Fique paradinha, sentindo o atrito daquela rola, rebolei um pouco para o kct entrar mais fundo. Entreguei-me completamente a situação de tesão e perigo. Na hora me veio à mente do quanto eu era safada, cachorra, só mesmo uma mulher como eu pra fazer esse tipo de depravação próximo ao meu filho.

Depois de 3 minutos naquela rapidinha maravilhosa, Jorge tira a pica da minha buceta e goza melando o chão todo de porra, um pouco de porra melou minha perna. Eu imediatamente me afasto dele, pego um pano de chão, e peço para ele pegar a água sanitária que estava bem próximo onde ele se encontrava. Jorge continuava segurando a rola, ele se aproxima do tanque e lava a pica ali mesmo, depois ele puxou a rola de volta puxando a perna do calção que estava levantada. Ele limpou a porra com água sanitária usando o pano de chão e depois caminhou como se nada tivesse acontecido e se sentou no sofá ao lado do meu filho e começou ao puxar conversava com perguntas do tipo ”- porra, meu! tu é mesmo viciado nessa merda aí!”

Eu fui desligar panela de pressão, e perguntei se o Jorge queria almoçar conosco, ele respondeu que não, que iria almoçar lá no churrasco, e mais uma vez me fez o pedido para acompanha-lo. Respondi que não, mesmo sem a permissão dele, acabei levando um copo de suco, ele bebeu num gole só e foi se despedindo, dizendo que iria para o churrasco. Acompanhei-o até a porta e depois fui direto ao banheiro tomar um banho e lavar minha buceta. Toda essa brincadeira durou no máximo uns 20min. Como eu não tinha certeza se ele ejaculou totalmente fora, resolvi ir à farmácia comprar uma pílula do dia seguinte.

quem quiser contato, pode me adicionar no skype. Meu endereço é: maralins@outlook.com GOSTO DE HOMENS MADUROS ACIMA DE 38 ANOS

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
16/03/2019 21:11:01
Adorei muito bom
16/03/2019 16:49:45
Shou gata vc pelo visto vc e gostosa demais da conta nota 10 e pouco dou 10 mil x10 mil..
16/03/2019 11:25:52
que delicia seu relato !! vamos colocar este jorge para escanteio rsrsr e vamos nos conhecer rsrss delicia de relato ok safadinha rsrs jusce.vitor@gmail.com
16/03/2019 07:45:39
Adoro rapidinhas assim, o tesao aumenta c perigo. roberto.casado.contos@gmail.com
16/03/2019 02:29:12
Adorei Mara! Nota dez. A aflição do perigo sempre da um tesão danado.
15/03/2019 23:05:27
Delícia de conto. Com certeza nota 10.
15/03/2019 22:55:07
Excelente narrativa!
15/03/2019 19:17:54
Delicia demais!!!! bjs