Priminha e Eu: Aventuras Deliciosas (Parte 2)

Um conto erótico de JonJon2305
Categoria: Heterossexual
Data: 14/03/2019 11:06:49
Última revisão: 14/03/2019 11:45:44
Nota 10.00

Bem amigos a amigas, estou de volta para continuar com minhas aventuras com minha prima. Leia o conta anterior (https://bit.ly/2TEcVfQ) para entender como essas aventuras deliciosas começa. E hoje estou de volta para não só continuar com minhas histórias, mas também dar continuidade nela. Ok, me chamo Jon, tenho 18 anos e sou branco. Não tenho um corpo muito exuberante, não faço academia nem faço qualquer tipo de esportes, por conta disso, eu não tenho músculos. Eu peso em torno de 60 quilos, tenho cabelos negros e um pouco grandes (o que particularmente eu gosto), meus olhos são cor de mel escuro e tenho a altura em torno de 1,60 e 1,65. Minha prima por outro lado é negra e tem cabelos negros assim como seus olhos. É bem mais baixa que eu, acho que uns 1,50 ou 1,55 resume bem. É magrinha, pesa em torno de 55 quilos. Seus seios são durinhos e empinadinhos assim como seu bumbum, por conta dela ser magrinha e baixa, seus seios e bumbum são médios, mas que combina com seu corpo. Ela se resume em: Uma bela ninfetinha ou a que diz: "Sou santinha mas sou safada". Bom, vamos dar continuidade da história. Depois de meses depois do acontecido na perua (história contada no conto anterior), eu estava só na punheta, dias e mais dias me acabando na bronha. No quarto, na sala, no banheiro, no banho... Era direto só me lembrando. Eu até tentava não querer lembrar ou eu ia ficar doido com essa merda na minha cabeça. A gota d'agia foi num dia que eu sonhei com aquele momento delicioso novamente. Eu acordei e me senti meio estranho. Eu estava relaxado, mole e super feliz. Eu me levantei fui ao banheiro mijar e nem acreditei no que vi. Eu tinha me gozado inteiro na roupa. Apenas de sonhar, eu gozei sem nem ao menos me tocar. Ao ver aquilo, me lembrei do cheiro da xoxota da minha prima e comecei a tocar uma punheta. Minha mãe vaio no banheiro conversar comigo da porta.

-"Jon." Disse com o rosto na porta do banheiro.

-"Fala!". Eu disse parando de tocar punheta.

-"Hoje vamos na casa da sua tia!"

-"Vamos fazer o que lá?"

-"To querendo arrumar um emprego novo em um hospital que sua prima trabalha. A tia Ana vai junto com a gente."

Tia Ana... Tia Ana... Eu pensei comigo. Tia Ana era mãe da minha prima Sophia. Eu até já me senti melhor em poder vê-la mais tarde. A gente iria naquele dia, mas teve alguns contratempos com minha mãe e resolvemos ir no outro dia. Minha avó morava ao lado da casa da minha mãe, no mesmo quintal. Tia Ana e minha prima Sophia vieram para dormir lá. Estávamos já com 14 anos nesse ano. Eu resolvi também dormir na casa da minha avó. Ficamos na sala, onde tinha um colchão no chão onde estava eu, minha prima e minha tia. Ficamos conversando baixinho cochichando com minha prima. Até que ela disse as palavras mais gostosas que ouvi sair daquela boquinha carnuda:

-"Ei!" Disse ela olhando pra mãe dela que estava dormindo profundamente.

-"Fala!" Disse eu muito curioso.

-"Quer ficar comigo?" Disse ela cochichando com aquela voz meiga e fofa.

-"Sério?" Disse eu com a barriga doendo e com muito tesão já.

-"Sim!" Disse rindo muito meiga.

-"Eu quero muito te pegar!"

-"Ta bom então vamos nos beijar!"

Nesse momento, senti meu coração acelerar, minhas pernas tremer e meu pau aumentar. Nos beijamos deliciosamente. Aquela boquinha era uma delícia, macia, gostosa, quentinha. Meu Deus! Ficamos alguns minutos ali beijando no escuro. Eu mordia seus lábios inferiores. Minha língua dançava com a dela. Foi ai que paramos um pouco e ficamos deitados um do lado outro com ela com a cabeça no meu peito. Como um casal mesmo. Vira e mexe a gente dava um selinho rápido. Foi aí que por baixo das cobertas ela começou a passar a mão na minha barriga que pulava e se contraia com suas deliciosas mãos a acariciando. Ela foi descendo e finalmente colocou a mão no meu pau e apalpou, segurou com gosto. Eu estava ali delirando com ela com a mão no meu pau. Eu fui colocar a mão na bucetinha dela. Ela tinha raspado aquela xana a umas 1 ou 2 semanas atras. Dava para sentir os pelinhos crescendo. Sua linda buceta estava toda melada. Toda babadinha. Não demorei muito e chupei meus dedos sentindo aquele mel delicioso e natural de sua buceta. Não aguentei e gozei só dela passar a mão no meu pau. Comecei a siriricar a xoxotinha dela de leve até que gozou também. Eu não aguentei de tanto tesão que ainda eu estava. E falei pra ela:

-"Vou ao banheiro e uns 10 minutos depois você entra. To te esperando!"

-"Tudo bem!" Mordeu seus lábios inferiores e dando uma risadinha safada.

Eu fui ao banheiro e comecei a imaginar ela chegando, me chupando eu a chupando... Nossa! Ela veio de fininho e logo começamos a nos beijar loucamente com cuidado para não fazer barulho. Atolei minha mão na buceta dela que começou a ofegar de prazer e cochichando no meu ouvido dizendo:

-"Ahhhh Mhhhhh... Minha buceta sempre te quis! Você não imagina quantas siriricas eu já toquei em sua homenagem!".

Nessa hora não aguentei e coloquei ela na parede, fiquei de joelhos, coloquei sua calcinha de lado... Nossa que calcinha linda era uma de bolinhas tipo essa (https://bit.ly/2XWbcAV). Sua buceta ficava inchadinha nessa calcinha. Coloquei sua perna esquerda no meu ombro. Não aguentei aquela visão. Aquela buceta recém raspada na minha frente toda babada, toda melada. Abocanhei aquela buceta deliciosa. Nossa, seu gosto era uma delícia, muito suculenta! Fiquei ali só atolando minha cabeça da buceta dela. Ela se tremia toda, mordia uma toalha para não gemer alto. Suas pernas tremiam em contrações. Sua buceta se contraia e fechava de tanto tesão. Ela sentiu que iria gozar, agarrou meu cabelo e apertou minha cabeça na sua virilha. Eu fiz uma coisa no final que ela não aguentou e gozou na minha boca: No final eu dei uma bela lambida do cuzinho dela até abuceta e então ela gozou muito. Ela disse no meu ouvido me colocando na parede:

-"Não dá pra fazer muita coisa aqui, mas vou te fazer gozar muito!"

Tirou minha bermuda começou um dos meus melhores boquetes. Ela lambuzava tudo, rodava sua língua na cabeça do meu pau. Me punhetava com a mão ao mesmo tempo. Rodava sua mão de cima pra baixo. Cuspia nele e voltava a bater punheta pra mim. Descia com sua boca molhando e subia secando. Fazia carinho no meu caso. Ficou ali por uns 2 minutos. Não aguentei, peguei seus cabelos e meti meu pau na sua boca e gozei muio, era muita porra. Ela soltava meu gozo no meu pau cuspindo gozo ainda chupando meu pau. Logo depois se levantou me deu um beijo molhado e falou no meu ouvido baixinho em quanto pegava meu pau e punhetava de leve com jeito me dizendo:

-"To louca para sentir seu pau na minha buceta mas aqui não dá! Ssssssss! Seu gostoso."

Depois saiu do banheiro e voltou a ir para o colchão. Depois de 10 minutos eu voltei e ficamos nos beijamos a noite toda, ela passando a mão no meu pau e eu acariciando sua buceta por cima da calcinha dela até que dormimos feito uns bebes. Bom, a história continua!

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
14/03/2019 21:24:05
Muito bom estes relatos. Sedutor, tesudo.. incestuoso. Com as coisas chegando onde chegaram, agora só falta mesmo a transa pra valer com esse priminha. A nota só pode ser 10. Visite meus contos quando quiser. Bjs babados.
14/03/2019 19:30:37
A coisa está esquentando, com muito mais ousadia e vontade. A priminha já deu todas as dicas. Disse com todas as letras que quer transar pra valer. Atenda ela logo. Vai ser assunto para mais um show de conto. Fico no aguardo. Grata pelo comentário no meu. Tem outros que talvez lhe agrade. Bjs, Val.
14/03/2019 11:22:49
Claro que tem que continuar. Cada vez mais deliciosa essa putaria com a priminha. Esperando ansiosa para irem pros finalmentes. Rsrs. Gostei deste também. Dou outra nota 10. Obrigada pelo incentivo e visita. Beijos e volte sempre.