Rapazes da Noite IX

Marcelo se desesperou por não ver Gabriel de volta em casa. Pegou o celular e resolveu telefonar. Para aumentar o seu desespero vinha à mensagem que o celular estava fora de área ou desligado. Vestiu-se rapidamente e foi para o restaurante do Ariel, queria saber quem era o cliente do amigo.

Na noite anterior Gabriel foi encontrar o seu cliente, era um estrangeiro que mal falava português. Gabriel percebeu a necessidade de entrar rapidamente em um curso de inglês. Se encontraram em um restaurante, jantaram e foram para o aeroporto. Havia um helicóptero pronto esperando por eles.

- Para onde vamos? – Gabriel perguntou.

- Para minha casa. – O cliente disse.

Gabriel se surpreendeu. Normalmente seus clientes possuíam carros de luxo, mas helicóptero era o primeiro. Gabriel ficou nervoso ao entrar, mas adorou a sensação, ver as luzes da cidade do alto.

Em pouco tempo chegaram a uma propriedade rural. Aterrissou em um heliporto e caminharam até a grande casa, com muitas paredes de vidro, com grandes cortinas, uma casa moderna e de muito luxo. Gabriel estava maravilhado com aquilo. Ele não imagina que no meio do nada existiria algo assim. Ele queria comentar sobre tudo, mas eles mal se compreendiam.

- “House beautiful” –Ele se arriscou elogiar a casa no seu inglês básico de colégio. O cliente sorriu com do seu sotaque e da forma que ele montou a frase. O puxou pela mão e lá entraram.

O cliente usou um tablet que acendeu as luzes e a lareira, abriu as cortinas e ligou a musica.

Gabriel via tudo aquilo maravilhado. O cliente o levou até o quarto que era o dobro do tamanho do apartamento do Marcelo. Nesse momento ele pensou no amigo, pensou em telefonar, mas se lembrou de que da ultima coisa que o Marcelo disse foi “Não me enche.” e resolveu atender a seu pedido.

O cliente pediu para Gabriel tirar a sua roupa, Gabriel não entendeu. O cliente foi até ele e tirou a roupa do rapaz. Gabriel se assustou quando ouviu um barulho vindo do banheiro. E ele foi lá verificar, o banheiro era enorme, o cliente havia ligado a hidro também usando o seu tablet. Quando Gabriel voltou para o quarto o cliente estava com uma champanhe e os serviu. Gabriel já estava excitado, não era tesão pelo homem em si, que até que era atraente, mas pela situação em si, o lugar, o luxo, a beleza de tudo o excitou. Compreendeu quando Marcelo dizia que pensar na grana o excitava. Aquilo tudo que estava vivendo o excitava. Entraram na hidro, o cliente jogou os sais e espuma de banho. Ele se divertia com o fascínio do rapaz. Ele gostava de se exibir. Ainda com o tablet alterou as luzes do banheiro deixando um clima mais leve e sensual. Puxou Gabriel para próximo dele, gostou de sentir o tamanho e a grossura do pau garoto de programa.

- Nice dick. – O cliente disse e sorriu. Gabriel entendeu que ele elogiava o seu pau. Ficou em pé para que o cliente apreciasse melhor.

O cliente pegou o pau do Gabriel e levou a boca. Chupava com destreza. Gabriel segurava os seus cabelos e socava forte a sua boca. O prazer era enorme e para não acabar rápido com a sua noite ele voltou a se sentar enchendo a sua taça de champanhe. O cliente foi de encontro a ele para dar um beijo.

Gabriel havia decidido que não beijaria mais seus clientes, isso por causa do Marcelo. Ele achava que o amigo ficaria feliz e mais disposto a ficar com ele. Mas depois de ser dispensado mais uma vez ele pensou: “Foda-se”. Ele se entregou naquele beijo e se deixou ser puxado para o colo do cliente que também estava duro, sentia aquele pau também grosso entre as suas pernas e gostou daquela sensação. O cliente passava o dedo no anus do Gabriel que deixava e gemia de prazer. Gabriel gostava de olhar nos olhos azuis do gringo. Que a todo o momento o beijava.

Gabriel resolveu sair daquela situação, corria o risco de não se aguentar. Sentou-se de frente para o homem que pegou os pé do rapaz e começou a beija-lo. Gabriel sentia cocegas e o gringo gostou da reação. Enquanto continuava beijando o pé do Gabriel ele pôs o seu próprio pé no pau do rapaz e o masturbava. Ambos sorriam. O cliente inverteu a situação, usou os pés do Gabriel para masturba-lo, gozou gemendo nos pés do Gabriel.

Tiraram a espuma do corpo se enrolaram em um macio e felpudo roupão e foram para a cama. Gabriel nunca havia deitado em um colchão tão macio, nem mesmo nos hotéis de luxo que ele passou a atender seus clientes mais abonados. Quase gozou se esfregando naqueles lenções. O cliente voltava o ficar excitado apenas vendo Gabriel se esfregando de bruços na cama. Caiu de boca na bunda do Gabriel e começou a chupa-la. Tentou enfiar todo o seu dedo, mas Gabriel se virou mostrando o seu pau rijo para o cliente que começou a chupa-lo até Gabriel gozar em sua boca.

Ficaram deitados lado a lado, Gabriel queria conversar, saber mais dele e da casa. Se ela ficava abandona enquanto ele estava fora. Como ele a deixou toda conectada. Eram muitas perguntas sem um vocabulário para se comunicarem. O homem vestiu o roupão e pediu Gabriel para segui-lo. A cada cômodo que passavam mais Gabriel ficava fascinado. Entraram em cômodo no subsolo da casa. Um quarto escuro que mais parecia uma masmorra dos castelos medievais. Nada ali era moderno. O cliente acendeu uma vela, e depois outra e outra. Gabriel pode ver equipamentos de tortura, de masoquismo. Ele se assustou, não tinha prazer nenhum em sofrer e sentir dor. Por sua sorte quem tinha era o próprio cliente.

- Se eu falar “STOP” você parar, ok? – O cliente disse.

- Ok. – Gabriel respondeu.

- Repete. – O cliente disse.

- Ok. –Gabriel respondeu.

- Repete eu falar. – O cliente insistiu.

- Se você falar STOP eu paro. – Gabriel repetiu gesticulando como o homem fez.

- Ok. – O cliente ficou satisfeito se prendendo com algemas nos pés e nas mãos.

Gabriel entendeu o que deveria fazer, olhou em volta todos os instrumentos que poderia usar. Ajudou o cliente a se prender o pulso que ainda estava solto e pegou um chicote. Bateu pela primeira vez no cliente que pediu para bater ainda mais forte. A cada batia o pau do cliente pulava ficando cada vez mais maior. Gabriel resolveu trocar os brinquedos. Pegou pregadores e prendeu nos mamilos e no saco do cliente, que gemia de dor e prazer. Havia consolos de vários tamanhos, todos de aço. Gabriel pegou o menor, quando mostrou para o cliente ele fez um sinal negativo com a cabeça.

- Quer um maior safado? – Gabriel disse pegando um outro, procurou lubrificante, mas ali não tinha.

Começou a pincelar aquele consolo gelado na bunda do cliente que se afastava e gemia. Gabriel não desistiu de tentar penetra-lo afinal ele não havia dito “stop” ainda. Com muita dificuldade e relutância Gabriel conseguiu enfiar todo aquele aço em seu cliente e o deixou lá. Voltou para o chicote e o cliente gemia. Se aproximou dele e o beijava, atolava ainda mais o consolo e apertava o seu pau com força. Retirou os pregadores das bolas e colocou um anel peniano com muita dificuldade pois o cliente estava de pau duro.

Para provocar ainda mais Gabriel relava a sua bunda no pau do cliente que estava muito duro e babado. O homem gemia e tentava penetra-lo sem conseguir. Gabriel se afastava quando ele chegava perto de mais do seu cu. Sentia o pau do homem pulsando. Pegou uma luva áspera e usou para masturba-lo. O cliente gemia muito, seu pau estava vermelho. Gabriel batia mais rápido e segurando firme fazendo o cliente gozar. Gabriel continuou na punheta até escutar o barulho do consolo de aço caindo da bunda do seu cliente.

- Stop – O cliente disse.

Gabriel o libertou das algemas e voltaram para o quarto. Gabriel caiu na cama e pegou no sonho enquanto o homem foi para o banho. Acordou de manhã com o homem chupando o seu pau. Gabriel colocou o homem de quatro encapou o seu pau e o fudeu até ambos gozarem.

Somente quando as cortinas se abriram Gabriel pôde ver como era ainda mais linda aquela propriedade. Percebeu que no quarto havia uma varanda e de lá ele viu que havia uma outra casa menor com um certo movimento de pessoas. Provavelmente onde o piloto e alguns funcionários da casa dormiram.

O café da manha foi levado por um jovem até aquela varanda. Um jovem bonito que conversou em inglês com o patrão e lhe cumprimentou com um sorriso.

- Tome o café da manhã, em 30 minutos vocês voltarão para a cidade. – O jovem transmitiu a mensagem do cliente.

- Obrigado. – Gabriel respondeu. Pensou em conversar com o rapaz, mas achou que aquilo poderia ser deselegante com o seu cliente que não iria entender muito bem o papo.

- Aqui está o seu cheque. – O rapaz entregou para Gabriel e saiu do quarto.

- Esta em branco. – Gabriel constatou. Em branco mais assinado. Junto havia um bilhete. “Gostei muito da noite. Esta conta tem o valor que eu acredito que você vale. Cabe a você saber o seu verdadeiro valor. Coloque o seu preço no cheque”.

Gabriel não sabia o que dizer ou o que fazer. Se ele ira participar daquela brincadeira ou apenas preencher os 5.000,00 reais. Resolveu pensar melhor naquilo. Tomou seu café da manhã, um banho, vestiu as suas roupas e guardou o cheque ainda em branco.

Marcelo chegou ao restaurante do Ariel, correu até a sala onde era o escritório da TOP Secret.

- Célia o Gabriel sumiu. Com quem ele saiu? – Marcelo perguntou preocupado.

- O que esta acontecendo. – Ariel entrou na sala, ele viu como Marcelo desesperado passou por ele na entrada do restaurante.

- O Gabriel sumiu, pode ter sido sequestrado, morto, qualquer coisa. Quem era o cliente dele ontem? Célia me fala que vou procura-lo. – Marcelo disse.

- Estou olhando. – Célia respondeu.

- Já ligou para o celular de Gabriel? – Ariel perguntou.

- Sim estava fora de área. – Marcelo respondeu. Tentando ligar novamente. – Agora chama e ele não atende.

Célia mostrou para o Marcelo quem era o cliente.

- Cliente importante. – Ariel disse – Não acho que seria bom para a TOP Secret, ligar para um cliente assim. Vamos esperar até a hora do almoço. Os filhinhos de Ariel também não chegaram e eu não estou preocupado assim.

- Você não se importa com ninguém. Vamos ligar sim, mais tarde pode ser tarde. – Marcelo disse.

- Ligar pra quem? – Gabriel perguntou.

- Olha ele aí. – Ariel disse.

Marcelo correu e abraçou Gabriel.

- Porra, estava preocupado com você. Não dormiu em casa, não avisou nada. – Marcelo disse.

- Estava com um cliente. – Gabriel respondeu sem entender.

- Então tudo resolvido, Ariel vai deixar o casal se resolver. – Ariel disse saindo da sala, Gabriel ainda perdido no assunto e Marcelo pela primeira vez ignorou a provocação de Ariel.

- Como você faz isso Gabriel. Não dormi nada, acordei desesperado, não atendeu o telefone. – Marcelo disse.

- Devia está voando. Quando me ligou agora desliguei porque já estava aqui na porta. – Gabriel respondeu. Ele não queria dar muita explicação para o Marcelo, ainda estava magoado.

- Voando? – Célia perguntou.

- Não tem ideia do que foi esse programa Célia. – Gabriel disse contando um pouco da sua noite. Marcelo estava nitidamente com ciúmes. – E agora estou com esse cheque em branco.

- E você vai preencher com quanto? – Célia perguntou.

- Eu não sei. – Gabriel respondeu.

- Isso está com cara de golpe. – Marcelo disse com despeito. – Não deve ter nada nessa conta.

- Só tem um jeito de saber. – Célia disse.

- Não acho que um homem daqueles iria dar um golpe. – Gabriel disse. - Qual o meu verdadeiro valor? Eu não sei responder isso, a meses a trás seria um prato de comida, depois foi pra 150,00 depois 300,00. Já me pagaram 10.000,00. Eu não sei.

- Por que não coloca logo? – Marcelo sugeriu ainda irritado.

- É muito. – Gabriel disse.

- Acho queé uma boa quantia. – Célia disse.

- É. – Gabriel disse, mas achandopouco. – Acho que é isso. – Gabriel já estava com outra coisa em mente.

-Vai colocar só 10.000? – Marcelo questionou.

- Não. – Gabriel respondeu. – É isso que temos que fazer. Vamos tirar o preço do site. Antes 3.000 achávamos que era muito, mas aumentamos para 5.000 e tivemos ainda mais clientes. Este gringo mostrou que podemos valer ainda mais. Só que não sabemos o quanto. Mas ele sabe ele deixou o saldo lá.

- Você não está falando que devemos brincar de roleta russa com cliente né? – Marcelo questionou.

- Não é isso. Estou falando que não devemos dar preço e sim que o cliente pague o quanto achar que merecemos. – Gabriel disse.

- Acha que eles vão nos pagar? – Marcelo perguntou.

- Claro que vão. Não estamos mais na rua que combinamos preço antes de entrar em um carro. Podemos ter programas de 5, 10 ou 20 mil, depende do que o cliente achar. – Gabriel disse.

- Isso pode dar certo. – Célia disse.

- Claro que vai. Vamos tirar o preço do site, vamos reunir todos os rapazes e explicar o novo método de cobrança. – Gabriel disse.

A partir deste dia começaram a deixar o cliente dar o preço, a média dos seus programas passaram a serreais. Todos estavam felizes com o dinheiro que ganhavam e com o que entrava na conta da TOP Secret.

- Acho que podemos abrir o nosso club. – Gabriel disse para Ariel meses depois.

- Então vamos procurar casas. – Ariel respondeu.

CONTINUA...

xxx ----- xxx

Gostou deste conto? Por favor, vote e comente. Não deixe de votar nos capítulos anteriores. Quero escutar a opinião de vocês. Se ainda não está cadastrado no site se cadastre é bem simples e rápido. Seus votos e comentários são muito importantes para mim é através deles que consigo ver se estou fazendo um bom trabalho e me incentivam a continuar escrevendo esta história. Enquanto não sai o próximo capítulo aproveite para ler os meus outros contos aqui na casa. Acesse o meu perfil https://www.casadoscontos.com.br/perfil/242797

Respondo a todos os comentários dentro do próprio conto após a publicação do novo capítulo. Ou seja, a resposta aos comentários do capitulo anterior já estão lá (no espaço destinado aos comentários).

Obrigado

Obrigado

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
17/03/2019 00:50:59
Pessoal saiu a continuação: https://www.casadoscontos.com.br/texto/ Lamento se o conto ficou pequeno, não é todo dia que consigo escrever muito. As vezes gasto mais de 4 horas para escrever um capitulo, então não é facil. Mas fico feliz que estão curtindo e acompanhando. @Novoleitor - Muito obrigado. Fico feliz que voltado a voltar e comentar nos meus contos. abs @Mr Rony18cm - Muito Obrigado. Infelizmente não é todo capítulo que vai acontecer algo entre o Marcelo e Gabriel. Mas garanto quem ainda tem muito pra acontecer. @MarceloCR7 - Mais uma vez muito obrigado. @Lebrunn - Concordo com você, isso pode gerar consequências. @Geomateus - Toda hora o jogo vira para o Marcelo e ele faz questão de desvirar. Sei que é chato isso. Vamos ver se uma hora ele aprende. @tiopassivo - Mais uma vez muito obrigado. Entendo que possuímos nossas preferências, fico feliz em tê-lo conquistado em alguns dos meus contos. Continue acompanhando minha intenção é criar uma bela história. @@@ Pessoal lancei um novo conto na casa se chama o Conde ( https://www.casadoscontos.com.br/texto/
15/03/2019 22:35:37
Cara, gosto da maneira como você desenvolve a história. Não é todo tema que me chama a atenção, por isso algumas histórias não estou acompanhando. Mas essa história aqui está me deixando hipnotizado, ansioso pelo que vai acontecer na continuação; imaginando o futuro do casal protagonista e como vão desenvolver a questão profissional. Muito legal!
14/03/2019 18:02:39
o jogo virou ne Marcelo!
14/03/2019 09:50:24
Hum... Será que estão indo longe demais antes do tempo certo!?
14/03/2019 04:53:12
Muito legal, amigo escritor voce está de parabéns.
14/03/2019 02:40:24
Hj faltou acontecer algo entre Marcelo e Gabriel, mas entendo q vc deve estar c o tempo curto, corrido...de qlqr forma ta valendo!
14/03/2019 01:14:55
Gostei bastante. Achei um pouco curto mais com certeza vale 10.