Finalmente, morando a sos com minha mãe

Um conto erótico de Matheus
Categoria: Heterossexual
Data: 12/03/2019 04:56:26
Nota 10.00

E ai galera, tudo bem? Meu nome eh Matheus e vou compartilhar com voces a minha historia, diferente e maravilhosa. Eu tenho 26 anos, moro em Recife, e o que aconteceu comigo foi quando eu tinha meus 17 anos.

Minha mãe, Cristiane, me teve bem cedo, apenas com 18 anos de idade. E na epoca dos acontecimentos ela tinha 35. Eu nem sei se eu podia considerar ela uma coroa, pois 35 anos nem eh tão velha assim, ela tinha tudo em cima, ela tinha um corpo bonito. Olhos castanhos claros, cabelos lisos ate a metade das costas, 1,61, seios bem avantajados e uma bunda não tão grande, mas bem redonda e empinadinha. Por ser relativamente jovem, desde cedo eu ja cresci sentindo atração por ela, que virou praticamente uma tara um pouco depois da minha puberdade. Bom, desde sempre a gente morava com minha vo, mãe de minha mãe. Apenas alguns anos depois que eu nasci, o relacionamento que meus pais tinham, que apesar de longo, nunca foi de fato um casamento, havia acabado, e então ela continuou morando com minha vo desde então. Minha mãe tentava a sorte na vida, arrumou varios serviços mas nenhum dava muito certo....A essa altura, minha vo ja demonstrava insatisfação com nossa presença ali tanto tempo, eu ja era um adolescente e minha mãe adulta ainda não havia deslanchado na vida. Pois bem, acontece que por causa disso, minha vo e minha mãe começaram a discutir bastante, e isso fez com que eu fosse o unico grande companheiro de minha mãe, para quem ela se abria e tinha o meu apoio. Em algumas ocasiões, paraciamos um casal, eu fiquei bastante maduro com o tempo e fazia questão de fazer companhia a ela e ajudar no que fosse preciso, deixei de sair com meus amigos pra sair com ela, bebia e dançava com ela, passavamos boa parte de tempo de distrações juntos. Na minha cabeça, aquela interação toda, fazia eu pensar nela como mulher, e eu não via nada de errado nisso. Eu não tinha muitas referencias femininas, era virgem, ja havia ficado com algumas meninas mas nunca namorado, então toda a minha atenção foi para ela. Quando moravamos com minha vo, dormiamos juntos numa cama de casal, e minha vo dormia em outra cama do lado. Costumavamos dormir sempre abraçados de alguma forma, e algumas vezes minha mãe dormia apenas com uma blusinha e de calcinha, ou de babydoll...Ja perdi as contas de quantas vezes eu fingia estar dormindo e enfiava minha cabeça debaixo dos cobertores so pra ficar olhando bastante tempo para aquela bunda...Em dias que eu estava bastante atiçado e com bastante desejo, eu dormia colado nela, ainda mais quando ela dormia de costas para mim. Eu tenho certeza que muitas dessas vezes ela percebeu as varias ereções que eu tinha so estar colado com sua bunda, mas nunca se quer falou nada ou me repreendeu. Passou-se um tempo e minha mãe juntou com a amiga dela e conseguiram abrir uma loja de roupas. As coisas foram dando certo e minha mãe finalmente conseguiu alugar uma casa. Ela parecia muito feliz e satisfeita. A parte ruim foi que agora eu tinha meu proprio quarto, e eu não precisava mais dormir com ela. Mas meu tesão por ela so crescia a cada dia, quando passavamos o dia em casa, principalmente em dias quentes de verão, era dificil não ficar vibrado em seu corpo, ela costumava sempre andar e desfilar pela casa de camiseta e calcinha ou sutiã e calcinha. Lembro de ocasiões onde a gente ficava ou na sala ou na cozinha conversando, e eu ficava de pau duro sempre que ficava olhando ela de costas por muito tempo. Algumas vezes ela percebia, outras fingia não perceber, dava umas olhadas mas nunca falou nada. Ate que um dia...Era um dia que não iriamos praticamente sair para lugar nenhum, era manhã e minha mãe preparava umas torradas para a gente... De vez em quando, eu costumava ficar so de cueca, ja que so morava com minha mãe, e não mais com minha vo e aquele bando de gente que frequentava aquela casa todo dia. Era uma maneira que eu me sentia bastante confortavel, pois bem, em dias assim eu costumava controlar bem os meus desejos, afinal de contas seria bastante constrangedor eu ficar de pau duro so de cueca para minha mãe, mas aquele dia eu fui pego de surpresa. Quando terminamos de comer, ela me chamou na cozinha e pediu uma ajudinha. Ela subiu em uma cadeira alta, pois queria guardar algumas coisas dentro do armario fixado na parede, e pediu para que eu a segurasse. Segurei-a de baixo, pela cintura e pela perna, aquela visão que eu tinha, de sua bucetinha carnuda pressionando sua calcinha me deixou maluco de tesão. Eu não consegui impedir uma ereção. Naquele momento fiquei imaginando quão bom seria ter aquela mulher na cama, sentir seu corpo, aquela pele lisinha em minhas mãos so confirmavam as minhas imaginações. Ela desceu e agradeceu. Mas ao se virar de frente, percebeu o volume destacado em minha cueca. Olhou por alguns segundos, por mais tempo do que de costume, fez cara de pensantiva, e saiu dali. Mas eu mal sabia que aquilo de alguma forma, havia acendido ela. Durante o restante da manhã, ela fez uma serie de insinuações pro meu lado , como ficar alisando meu braço enquanto conversavamos, ficar tocando de mais em mim, passar encostando a bunda em mim, enfim. Varias insinuações ate que de tarde, todo um climão ja pairava no ar, eu queria ver ate onde iria aquilo, em vez de ir pro meu quarto como de costume, fui para o dela, fingir querer conversar. Estavamos nos dois sentados na cama assistindo televisão e quando conversavamos coisas comuns, ela dava leves toques em minha coxa, como se fosse uma conjectura no modo de se expressar, mas eu sabia que não era, ela não era assim. Aos poucos aquela mão foi repousando sobre minha coxa, e ela passou a alisa-la, bem suavemente, quase que me seduzindo. Eu tomei coragem e resolvi fazer a mesma coisa, so que com minha mão bem na parte superior da sua coxa, meu coração disparou, minha respiração ficou ofegante, trocavamos alguns olhares, mas não davamos nenhum piu. Meu pau começou a subir e a esticar bastante o tecido da minha cueca. Ela automaticamente fixou o seu olhar para ele e parou de me alisar, se afastou um pouco e deitou de barriga para cima. Eu não conseguia mais conter meus desejos, e so conseguia olhar para aquele corpo e pensar em come-la. Ela fingiu estar assistindo tv, passou uns 3 minutos e o meu pau ja lubrificava a ponta da cueca. Ela sentou na cama, olhou para ele novamente e disse:

-Nossa, ainda esta duro?

Eu arregalei os olhos ao ver ela entrando naquele assunto. Ela continunou

-Deve ser por que voce esta na presença de uma mulher por muito tempo, por isso esta assim, igual quando voce costumava dormir comigo...

Me perguntou se eu tinha saudade, de dormir com ela e eu disse ''Aham'' sem pensar muito, então ela disse:

-Eu tambem, eu lembro que varias vezes eu ja senti esse mocinho ai me incomodando por tras...Filho, quero te pedir uma coisa.

-O que mãe? - Disse bem nervoso.

-Se importa de tirar ele um pouco pra fora? Faz tempo que eu não vejo ele, ainda mais nesse estado.

Sem pensar muito abaixei minha cueca so um pouco e ele pulou pra fora, no que ela demonstrou um certo espanto.

-Nossa Matheus, o que eh isso? Quantos cm isso deve ter? Voce eh um monstrinho menino.

Meu pau bem duro e vermelho aquele ponto ja estava pulsando e eu não fiz questão de esconder isso.

-Eh melhor voce guardar... - Disse ela meio que sem querer.

Guardei mas as brincadeirinhas não pararam por ai, mais uma vez tomei liberdade e voltei a alisar sua perna, depois de alguns movimentos, ela disse:

-Ui, tu ta me deixando arrepiada. Eh melhor parar se não isso não vai prestar.

-Por que?

-Eu tambem não sou de ferro Matheus. Quer que eu fique assim, que nem voce?

Falou se referindo ao estado da minha excitação.

-Voce tocando no meu corpo ele nunca vai abaixar.

Me ousei e disse:

-A senhora quer ver ele de novo?

Ela ficou muda e pensativa

-Quer ou não quer? Pressionei.

-Ok, so mais uma vez.

Abaixei novamente minha cueca e ela dessa vez não resistiu e começou a elogia-lo

-Eh mesmo lindo. Nunca vi um ''treco'' tão bonito assim...Ja enfiou em alguem?

-Não

-Mas vontade eh que não ta faltando ne Matheus?

-Eh. Falei de forma incisiva e ate um pouco ironica...A partir dai começamos uma conversa reveladora.

-Então quer dizer que toda vez que ele ficou assim perto de mim, era na pretensão de enfiar em mim?

-Mãe!

-Hein Matheus?

-Pretensão não, mas vontade...

-Meu deus, voce teria coragem de comer sua propria mãe?

-Po mãe, logico que sim. A senhora eh gostosa, deve ser muito bom.

-Não acredito que voce tem noção dessas coisas assim, e não acredito que voce pensa em mim desse jeito.

-Poxa...

-Voce eh muito espertinho. Sabe Matheus...De um tempo pra ca eu tambem tenho sentindo umas coisinhas por voce..

-Serio mãe?

-Sim, voce sempre foi meu companheiro, meu amigo, e entendo bem o que voce deve sentir.

Abri um sorriso, ela tomou iniciativa e colocou minha mão sobre minha cueca.

-Eu não sei se teria coragem de dar para voce, mas essa vontade ta me matando...

Meu corpo esquentou, olhei pra ela e falei de um jeito bem ousado

-Esta com vontade?

-Estou...Vamos matar a vontade?

Puxei ela pra perto de mim e beijei sua boca com muito impeto, ao que não resistiu e correspondeu, mas logo parou de me beijar, comentou ''que estranho''. beijamos novamente, duas ou tres vezes ate finalmente entrar em um clima, ela me jogou na cama e montou em cima de mim, se esfregando no meu corpo, comecei a apertar aqueles seios, e a tirar a sua blusa, puxando de baixo para cima, ela tirou o sutiã, posicionou os peitos na minha cara, e eu comecei a chupa-los. Que sensação maravilhosa de poder sentir o calor de suas pernas e sua calcinha em meu pau enquanto eu sugava os seus peitos, beijei o seu pescoço e desprendi o rabo de cavalo, soltando os seus cabelos, agora ela estava mais sensual do que nunca. Ela foi abaixando o seu corpo beijando minha barriga ate chegar nos pes da cama, e começou a acariciar o meu pau. Com a cabeça bem pertinho dele, ela olhou pra mim e perguntou:

-Alguem ja te chupou?

Balancei negativamente com a cabeça e ela não perdeu tempo em abocanha-lo, cara que sensação maravilhosa, mais gostosa do que o nosso beijo. Ela chupava da cabeça ate a base, fazendo movimentos bruscos com seu pescoço, era uma chupadora profissional. Chupava com safadeza, mas com muito amor e capricho a minha pica que estava bem quente em sua boca, por ultimo ela lambeu minhas bolas, uma sensação diferente, mas tambem maravilhosa.

De repente, ela tirou a calcinha e aquela bucetinha com pelos cobrindo se revelou. Sentou em mim novamente so que dessa vez o introduzindo bem dentro dela. Meu primeiro sexo, que sensação indescritivel! Ela conseguiu engolir praticamente ele todo com sua buceta. E começou a se esfregar, num vai e vem gostoso, me segurando pela barriga. Ao passo que aumentava o ritmo, ela começou a gemer, foi lindo ver pela primeira vez a cara de tesão de minha mãe.

Ela se levantou e se posicinou de costas na cabeceira da cama me puxando logo em seguida...Se posicinou de quatro, abriu as pernas e empinou bastante o seu rabinho e com a ajuda de suas mãos ela colocou meu pau pra dentro. Comecei a bombar, com força e violencia, matando toda minha vontade de fode-la. Nos dois ali nus, aquela posição, aquela cena maravilhosa, e meu pau dentro de sua buceta, eu podendo sentir como nunca a sua bunda no meu pau e na minha virilha, foi demais para mim, senti o gozo vindo, segurei ela com ainda mais firmeza e bombei com força e intensidade total, gozei dentro bastante e alguma quantidade de porra escorreu pela sua buceta ate sua perna. Ela me abraçou e ficamos deitado ali um tempo. E desse dia em diante as nossas vidas se transformaram pra sempre...

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
17/03/2019 14:45:05
Muito bom
14/03/2019 21:18:37
Muito bom!!
13/03/2019 20:51:37
Top demais , que delícia 🤤🤤🤤🤤
12/03/2019 16:56:00
Que delícia de relacionamento seu conto me deixou com muito tesão, parabéns.
12/03/2019 08:13:48
Muito bom
12/03/2019 06:11:00
Excelente nota 10 parabens le as minhas tbm se vc quiser bater papo meu email e thiago.raso2017@gmail.com