Casa dos Contos Eróticos

A leitora que quer ser puta

Um conto erótico de Victor Lionheart
Categoria: Heterossexual
Data: 08/11/2018 15:30:29
Nota 10.00

Foi em 2013 quando resolvi escrever meu primeiro conto, as coisas eram bem diferentes de como são hoje em dia. Na época, ainda estava preso a um casamento que não ia bem, perdi contato com todos os meus amigos de infância e de putaria (felizmente estou retomando contato com todos aos poucos!) e no lugar desses, estava cercado por pessoas que nada tinham a ver comigo. O start de tudo isso foi uma aventura com meu amigo Charles em um barzinho que fui convidado a tocar contrabaixo por uns trocados (Isso pode ser acompanhado no conto Fodendo a gordinha safada no forró!) e de lá para cá, me sentia cada vez mais tentado em compartilhar algumas histórias que vivi, criar alguns contos com minhas fantasias e fetiches, conhecer pessoas parecidas comigo e aprender muitas coisas interessantes no que se diz respeito a sexo e saber que de alguma forma, meus relatos serviam de inspiração para outras pessoas que viam neles novas possibilidades para aquecer a relação com seus parceiros!

De muitos contatos que recebi em todos esses anos, teve um recentemente que me surpreendeu e por um tempo até custei a acreditar que se tratava de algo sério. Recebi um e-mail parecido com o que costumo receber normalmente, elogiando os contos e dizendo que se excita e incentivando a continuar com eles. Disse-me que acompanha meus contos desde 2014 mas nunca teve coragem de fazer um contato direto, comecei a dar corda e tentar pegá-la em alguma contradição e posso dizer sem medo de errar que ela conhece meus contos melhor até mesmo que eu além de toda a minha trajetória pelos sites que publiquei meus relatos. Minha curiosidade foi ficando mais aguçada, trocávamos mensagens várias vezes por dia e passamos a conversar pelo whatsapp!

Acho incrivel algumas histórias que recebo de alguns leitores, na maioria de mulheres casadas ou divorciadas (homens só me mandam mensagem para me pedir o contato delas…) falando sobre suas limitações sexuais, seja por não ter parceiros que a satisfazem ou realizam suas fantasias. No caso dela, teve apenas quatro homens em sua vida e 3 deles eram religiosos conservadores, logo, certas coisas que para mim são completamente normais para ela eram um tabu e nos contos se imaginava no lugar das personagens tendo dessa forma o prazer que sempre quis. Disse que sexo oral não fazia e nem recebia, anal então, nem pensar e coisas mais hardcore como DP e fisting eram algo que a excitava muito mas não tinha a menor esperança em um dia realizar… bem, sorte a minha! Lia nos contos (não só nos meus!) as mulheres fodendo forte e tendo orgasmos maravilhosos e intensos, dizia que queria que com ela fosse da mesma forma e por isso resolveu me mandar mensagem!

Por motivos irrelevantes, nos encontrar foi algo bem difícil mesmo ela sendo de SP (Olha a sorte do meu lado outra vez…) e sempre que marcávamos, algo dava errado e tínhamos que desmarcar… até esse feriadão. Confesso que não vai ser fácil detalhar tudo o que aconteceu no dia que nos vimos, mas vamos lá...rs!

Na sexta feira de manhã, ela me chamou no whatsapp sendo bem direta, o que não era muito comum:

- Vai sair hoje a noite?

- Tenho que confirmar, um pessoal vem aqui em casa e não sei que horas vão embora! Por que?

- Hoje estou a fim de foder com você!

Causou-me estranheza ela ser direta desse jeito, apesar das vezes que conversamos sobre todo o tipo de putaria e de como gozamos quase todos os dias! Como realmente tinha um monte de gente em casa, só pude confirmar a ela no meio da tarde que estaria livre, e isso pela curiosidade que tinha em foder com aquela pessoa que se auto declarava minha fã numero um e que interagia comigo a tanto tempo! Nos encontramos e já fui recebido com um delicioso e safado beijo, deixando bem claro ali que as formalidades e a necessidade de pegar leve e fazê-la relaxar eram completamente desnecessárias… poderia ser eu mesmo desde o começo!

Entramos em casa e tratei logo de começar a realizar seus desejos, apertando seu corpo e a pensando na parede puxando seus cabelos pela nuca e tendo todo seu pescoço para morder e passar a língua. Suas mãos corriam pelo meu corpo cravando as unhas e descendo até chegar ao meu pau já duro, apertando forte. As roupas foram ficando pelo caminho até a cama onde a coloquei sentada e mandei que abrisse o zíper da calça e me chupasse como sempre disse que faria! Minha pica saltou dura, pulsando e melada, sua mão pequena e macia o segurou firme e depois de passar a língua por toda a extensão começou a chupar devagar, saboreando e satisfazendo toda sua vontade!

Empurrei-a na cama e me ajoelhei no chão entre suas pernas, o cheiro delicioso de sua buceta me deixou ainda mais excitado e passei a língua ainda por cima de sua calcinha completamente encharcada. Puxei-a para que entrasse entre os lábios e os suguei sentindo o gostinho com seu mel, usando a calcinha para esfregar seu grelo e antes mesmo que a tirasse, quebrei a sua primeira barreira… Nunca havia gozado com sexo oral!

Apoiei dois travesseiros embaixo de seus quadris e segurei suas tornozelos, apoiando-os no meu peito, seus pés macios e pequenos encaixavam nele e passei a chupar seus dedos enquanto pincelava e ia colocando meu pau em sua buceta escorrendo mel. Mal tinha o colocado e me veio mais um pedido e a quebra de uma nova barreira:

- Aí não, quero que você coma meu cú, ele é todo seu!

Mais uma vez me pegou no contrapé, mas não exitei. Fui até a gaveta e peguei um tubo de lubrificante, derramei uma grande quantidade em sua buceta e em seu cuzinho e fui espalhando e penetrando os dedos. Nos vídeos que trocávamos, ela sempre se masturbava e enfiava seus dedos e alguns brinquedos nele sempre dizendo que o estava preparando para mim! Na mesma posição, fui penetrando minha pica devagar sentindo ele abrir, abria bem as suas pernas apertando seus tornozelos e empurrando ate que estivesse todo dentro! Comecei a acelerar os movimentos vendo que já estava acostumando, com um polegar esfregava s eu grelo e olhava safado para sua expressão de tesão a cada vez que gozava e fazia seu caldinho escorrer por sua buceta e deixar ainda mais lubrificado para que pudesse foder ainda mais forte. Aumentei a força das estocadas e seus gritos descontrolados misturados a gemidos e xingamentos aumentavam o volume e então comecei a gozar dentro dela! A segunda barreira acabara de ser quebrada e foi repetida até madrugada…

Fui até o banheiro para me lavar, olhando pelo espelho ela ainda deitada na cama me observando com cara de safada. Foi o suficiente para me deixar novamente com meu pau em riste, mas dessa vez seu pedido foi outro e mais uma de suas vontades seria realizada:

- Vem aqui, quero sentir a sua mão dentro da minha buceta!

Sentou-se na beirada da cama abrindo as pernas e ainda via extremamente melada. Apertava seus seios enquanto me olhava mordendo os lábios, novamente passei bastante lubrificante em sua buceta e em minha mão e passei a masturbá-la e penetra um dedo após outro! Com quatro dedos passei a torturá-la, girando-os dentro dela e abrindo e fechando os dedos, com a outra mão eu massageava seu grelo e logo depois usava a língua. Os gritos de tesão novamente estava em um volume alto (e delicioso!) e tive que suprimi-los dando meus dedos lambuzados para chupá-los! Não sei dizer precisamente por quanto tempo ficamos nisso e quantas vezes ela gozou, mas não foi mais necessário usar o lubrificante quando passei a forçar meu ultimo dedo, tirava e colocava devagar, via as marcas de suas unhas cravadas em meu braço e em seus seios com a força que os apertava, seu corpo arqueava para trás e novamente sentia seu mel morno molhando meus dedos e seus gemidos abafados pelo travesseiro. Infelizmente não foi dessa vez que coloquei minha mão toda como pediu, mas certamente ainda teremos novas oportunidades e muitas das suas fantasias serão realizadas por mim, e com muito prazer!

Esse ciclo continuou por toda a madrugada e fodemos de várias formas diferentes, quando me dei conta e olhei no relógio, passava das 2:00 e nossa brincadeira começou antes das 22:00. Acordei por volta das 6:00 no dia Sábado e ela já estava de pé ainda nua, assim que me viu já começou a me beijar e novamente já estava pronto para mais uma foda. Segurei seus cabelos e dessa vez fodia a sua boca fazendo-a engasgar com ele e o deixar ainda mais molhado. Batia em seu rosto falando que a transformaria na minha puta e ela começava a chupar com mais vontade, dizendo que seria o que eu quisesse desde que a fodesse sempre daquele jeito! Puxei-a para cima de mim e coloquei meu pau de uma vez em sua buceta, apertei seu quadril e puxava cravando os dedos para que cavalgasse sempre forte e rápido, seu corpo tremia e suas unhas arranhavam meus ombros e meu peito (Até hoje ainda tenho as marcas!). Queria gozar em sua boca, mas essa é uma vontade que não quer realizar por enquanto por motivos particulares, então coloquei meu pau entre seus seios e fazendo uma espanhola dei um belo colar de perolas a ela!

Por volta das 8:00 nos despedimos completamente satisfeitos, já fazia um bom tempo que não sentia tinha uma maratona tão intensa. Nesse momento estamos conversando via mensagens e já planejando nosso próximo encontro e as próximas barreiras que serão quebradas e em algumas delas, vamos precisar de ajuda...rs

Espero que tenham gostado!

E-mail: victor.lionheart@hotmail.com

Skype: victorlionheart

Twitter: victorlionhear2

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
08/11/2018 16:32:54
Q delicia de conto ... Como qria ser essa putinha e poder realizar todas minhas fantasias