Casa dos Contos Eróticos

Praia do paiva

Um conto erótico de @bolanagata
Categoria: Heterossexual
Data: 07/11/2018 23:01:21
Nota 6.50

Devido o dia a dia de trabalho, eu e minha namorada nos afastamos um pouco, passamos quase 2 semanas brigando e não nos vendo, o tesão foi apagado, nem por mensagem falávamos de coisas quentes....

Resolvi no feriado, fazer algo que nunca tínhamos feito, mandei colocar um biquíni, que iria pra alguma praia longe da cidade, paramos no mercado, com paramos Bacardi limão petiscos botamos no gelo e seguimos sem rumo certo. Peguei o pedágio e logo me lembrei da praia do Paiva, linda deserta, mar pouco violento. Como o clima ainda estava tenso no carro, nem falei da escolha, entrei na praia, pegamos nossas coisas, e fomos para a areia, estendemos a esteira de palha, abrimos o litro e começamos a conversar.... Logo tirou a canga e vi novamente aquele corpão moreno, com um biquíni minúsculo cor limão fosforescente, seus peitões sendo cobertos por minúsculo bojo, e sua gruta quase a pular do biquíni.... e deitando na esteira, pegou o óleo e pediu pra passar.

Não tinha como não se excitar, passava a mão por suas costas, e ao passar nas pernas, ela levemente abriu as pernas, o óleo escorreu para o meio, e tive de conter, sorrateiramente, passei meu dedo em sua xana. Esse óleo sempre tendia a escorrer entre suas pernas, e meus dedos sempre a passar por sua xana. A praia estava meio deserta ainda, mais não insisti naquele movimento. Mais algumas doses, o libido subindo, comecei a falar que minha sunga estava apertada e levantava mostrando meu pau já duro e escorrendo uma baba.

Pouco tempo depois ela se virou e pediu para passar novamente, seus peitões quase saindo, passei logo a mão por eles, no meio e pelos lados, e por dentro no biquíni. E sempre levantava minha sunga para ela ver que meu pau a estava duro. Passei por sua barriga, e devagar adentrei em seu biquíni, senti aquela gruta lisinha, pulsando... passava por suas pernas e sempre e mais forte empurrava sua xana, sempre seguidos de um gemido. Novamente levantei a sunga ela passou a mão, sentido ele rígido e melado, tirou e lambeu de olhos fechado. Já com ele pra fora ela começou a punhetar, tive de conter pra não gozar, e fechei a sunga....

Então resolvemos subir pra parte de cima, onde n tinha ninguém passando, e cheio de arvores. Já meia garrafa tinha ido embora, e sentados, voltei a reclamar da sunga... ela com sua mão veio sentir novamente e claro retomar a punhetagem... novamente fui obrigado a parar pois o gozo estava na porta. Dai ela tão logo, tirou seu biquíni colocou a canga por cima e ordenou pra ver como estava molhada. Obedeci e ao colocar o dedo senti seu grelo inchado, estava tudo tão molhado que mais parecia o mar. Empurrei 1, 2 , 3 dedos, ela se contorcendo, revirando os olhos, sussurrando, se desvairando de prazer. Explodiu num gozo intenso, com gritos contidos, e pele arrepiada.

Meio recomposta, estendeu a canga para mim e por baixo dela veio sentir meu pau... punhetava, alisava, aquilo me deixando ofegante.... tirou a mão e caiu de boca.. nossa, faltava pouco pra eu gozar, ai chega um carro atrás de nós e sai um monte de gente, meninas e meninos som alto, quebrou clima... então ela ainda estremecida, fala: “vamos pro carro?”. Arrumamos as coisas, ela se vestiu e saímos.... colocamos tudo na mala, nos limpamos, e bateu vontade nela de fazer xixi.... hummmm sempre quis ver aquela chuva dourada. Abria as portas do carro fazendo uma barreira, e ela se acocorou, me acocorei pra ver também, ainda com o grelo duro, inicia a chuva dourada, jatos fortes contidos pausados, coloque o pau pra fora e ela viu o quanto estava excitado com aquela visão.

Ao acabar, já tirou o biquíni e entrou atrás do carro me chamando, também tirei a sunga, e entrei. O carro quente de sol, e com vidros escuros, ela começou a cavalgar, o carro pulava, quem passava via o carro subindo e descendo, mas n dava pra ver nada dentro... colocou os peitões na minha boca, rebolava, subia e descia, gozou mais 2 vezes gritos altos.... logo anunciei o gozo e pedi pra beber tudo, assim o fez... mesmo não gostando, botou todo o meu leitinho na boca, abriu a porta e cuspiu.... “iiiiii, acho q aquém viu, kkkkk!”

Voltamos pra casa e passamos a noite toda metendo freneticamente até a exaustão.

@bolanagata

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
08/11/2018 12:02:50
Opa amigo, Belo conto. São de Recife? Sencurtirem um ménage, manda notícia.Vipmaster10@hotmail.comAbracos
08/11/2018 11:37:05
Hehe sei!