Casa dos Contos Eróticos

Um ruivo em apuros - Capítulo 3

Um conto erótico de Henrique
Categoria: Homossexual
Data: 13/09/2018 23:53:21
Nota 10.00

Boa noite, como os capítulos já estão escritos, e são curtos acho que posso postar dois no mesmo dia.

Obrigado pelos comentários, e existem alguns detalhes na história que vão ser explicados capítulos adiante, então não adianta eu fazer qualquer reparo nesse sentido de enredo, eventualmente o que pode ocorrer é a falta de uma maior problematização em algumas questões (sociais), que hoje vejo que eu poderia abordar melhor, mas por favor, acreditem esses "detalhes" como documentos e digitais, vão ter explicação. Beijos a todos e boa leitura!!

***************

III Capitulo – “Empurra Emburra”

Tentei me acalmar o máximo que pude porém foi inevitável um grito abafado. Aquela marca nas costas dele me remetia muita coisa da qual eu não havia vivido na pele, mas que conhecia muito bem. O século vinte tinha fatos irrefutáveis de crueldades atreladas aquela marca. Aprendi que se existia na terra algo mal ou melhor dizendo se na terra já existiu monstro esse seria (um deles) Hitler o arquiteto do holocausto, por alguns instantes suportei ficar ali:

- Eu.. eu... esqueci uma coisa... (corri até meu quarto, despertando dos instantes de inércia)

Não vou negar nem acho que seja preciso, mas estava com muito medo, e a pergunta em questão naquele momento era sem dúvidas “O que eu vou fazer agora?” e de repente, me veio uma ideia à mente, ali em frente ao meu espelho, decidi o que devia fazer, reuni coragem e voltei a sala, ele estava sentado no sofá, fui me aproximando:

- E ai lembrou da tal coisa?(perguntou inocente e pela primeira vez vi a pureza no seu belo olhar avermelhado)

- Bem na verdade... quero que saiba de algo que acabei de descobri...

O ruivo me fitou ansioso , e sua feição de curiosidade me deixou nervoso:

- Vem aqui!?(peguei em sua mão e o levei até o quarto)

- O que está fazendo?

- Confia em mim... agora olha nas suas costas ai no espelho... ( contorceu-se tentando focar a visão no espelho)

Enfim notou mas pareceu não entender o significado da marca, e eu me senti no dever de contar, ainda que o medo dominasse minhas pernas, e minha mente dissesse que eu não devia fazer aquilo no momento achei que devia e foi o que fiz:

- Você sabe o que aquilo representa? (questionei olhando nos seus olhos dele)

- Não... (disse) estou ficando preocupado, o que essa tatuagem tem?

- Bom, ela que dizer que bem... você pode ter sido ou... ou... é um neonazista entende?

De primeira achei sinceramente que ele fosse sorri, porém não foi isso que aconteceu e ainda bem por isso, por que se ele sorrisse de uma situação dessa definitivamente eu estaria morto (engoli em seco). Para minha sorte e alivio ele fez uma cara num misto de confusão e concentração. O grandalhão passou por mim que estava a alguns centímetros de distancia e fitou o nada por longos segundos:

- Não eu... me lembrei de algumas coisas sei o que isso que você falou significa e tenho absoluta certeza de que não sou isso. (Como uma criança pega de surpresa ele me encarou)

Aquilo de algum modo me aliviou, pois acreditava nele, parecia difícil para mim alguém como ele, está mentindo e dai surge a pergunta o que significa “Alguém como ele?” eu não sei a resposta, o que sei é que ninguém nunca havia conseguido minha quase confiança tão rápido assim. Desviei seu olhar do meu:

- Você deve tá com fome né... melhor eu preparar alguma coisa... (saí em direção a cozinha ele vinha logo atrás de mim)

- Sim estou mas preciso usar o banheiro antes( ele falou me fazendo virar para encara-lo)

- Atá! Fica ali no fim do corredor fique a vontade vou pegar uma toalha...

- Eu não seria capaz de fazer mal a ninguém Henrique!...(do nada ele soltou isso e pela primeira vez pronunciou meu nome)

- Eu sei! (afirmei) não sei como sei, mas eu sei... ( essa parte sussurrei só pra mim)

Enquanto ele tomava banho eu liguei para Vinicius:

- Fala viado!!( me saudou ele sempre espontâneo)

- Preciso falar com você! E É SÉRIO!

-Vixe pra falar assim deve ser mesmo, o que foi me adianta o assunto! Pode?

- Não tem que ser pessoalmente...

- Estou indo ai!(desligou antes que eu pudesse falar alguma coisa a mais)

Peguei uma toalha no quarto enquanto a comida esquentava, e um conjunto de moletom que guardo para o frio, era tamanho G mas parecia bem maior achei que ia dar nele então fui até a porta do banheiro:

- Estou deixando a toalha e uma roupa pra você OK!(eu disse)

Voltei para cozinha e a comida estava pronta chegava a cheirar muito bem por sinal. Só que perdi totalmente a concentração do que fazia quando aquele homem sem camisa e só de tolha apareceu na minha frente com o cabelo avermelhado e molhado, os pingos de agua ainda descansavam em seu peitoral, desenhado, fiquei boquiaberto:

- Não precisa de tanta roupa, aquele short já tá suave... (o ruivo me despertou entregando-me a blusa de moletom e pegando o short que havia vindo do hospital)

- Não vai precisar de uma cueca?(indaguei na inocência)

- Oh! (sorriu um sorriso farto e lindo levando a mão para trás da cabeça... FOFO) quase me esqueço... será que você teria alguma nova para me emprestar?

Afirmei com a cabeça, e voei até o quarto peguei uma nova e dei a ele que agradeceu e voltou para o banheiro, eu por minha vez me abanei com uma tampa de panela, pois aquele boy estava mexendo comigo... e esse era só o primeiro de talvez muitos dias “Que merda eu estava fazendo??” :

- Rique!!!(gritava o afobado do Vinicius do outro lado da porta de casa)

Eu fui abri a porta, já estava com a mão na maçaneta quando:

- Sabe quem é??(perguntou o ruivo que estava atrás de mim)

- Sei eu que chamei...

- Ah então eu vou ficar lá dentro é melhor né?

- Não pode ficar ai mesmo...

Ele ficou mais parecia temeroso, com algo, eu abri a porta pois os gritos agudos de Vini já estavam insuportáveis, abri a porta e ele saltou para dentro:

- Po...(acho que sua voz parrou no momento em que viu o ruivo sentado no sofá olhando pra gente)... a com licença um minuto...

Vini me puxou pelo braço pra fora do AP, deixando o meu hóspede só e me encostando na parede do corredor do prédio onde moro:

- Quem é aquele delicia que eu vi ali?

- Nem te conto é uma longa história...

- Aihn conte sim e conte tudo...

- Vini para! o caso é sério eu te disse.

- Ah amigo com um desse se o caso não for sério... Você tá vacilando.(brincou ele entre gargalhadas estridentes que com certeza dava para ser ouvidas a distancia)

- Olha Vini a Luana não pode saber de nada do que eu e ele vamos te contar, ok?

- Eita! Porque você e ele são adultos e a Lu é super...

- Não é nada disso espere e vai saber, agora vamos almoçar porque estou com muita fome vem... ( o puxei de novo para dentro encontrando um Ruivo bem a vontade no sofá assistindo alguma coisa da qual nem prestei atenção)

- Então bonito como é teu nome? (Vinicius perguntou assim sem mais nem menos)

E ele não respondeu parecia que nem tinha ouvido nada, o que fez meu amigo pirar de ódio pois ele amava ou melhor necessitava ser notado, o grandalhão por sua vez apenas olhou-o sério e não disse, nem fez mais nada. Eu senti seu olhar meio pesado para o Vini e me adiantei:

- Vem migo vamos comer... Ruivo vem comer também!(chamei )

- Perdi a fome... se não se importar depois eu almoço...(ele se virou para mim falando diretamente comigo)

- Ok! (foi só o que saiu da minha boca)

Vinicius por outro lado estava fulo da vida, era possível ver em seus olhos a raiva pois ele realmente não suportava o fato de alguém o desprezar, e eu também fiquei meio besta com essa atitude do grandalhão. Depois teria uma conversa com ele com certeza.

Na minha mente passavam mil coisas, e é claro no meio dessas mil coisas o centro de tudo (como não podia deixar de ser no momento) era ele.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
22/09/2018 04:34:13
Quanto mistério
18/09/2018 13:07:04
Cada vez mais essa trama deixa interrogações... Mas vamos seguindo...
17/09/2018 08:49:32
Ai que barra, o ruivo ignorou o carinha
15/09/2018 00:13:29
Minha nossa Túlio_Goulart, é tu mesmo 😲!? Meu coração se encheu de alegria quando vi teu nome 😃, até pisquei os olhos duas vezes de surpreso que fiquei 😢. Estou bem e sim aqui nesse conto estou filé 😉, já em outro que acompanho não 😎 kkkkk. Dyguinho sumiu não postou mais nada ☹. Mas fico feliz que tenha se lembrado de mim 😚. Um abraço TG, vê se aparece mais meu "piranho" preferido 🤗.
14/09/2018 18:16:00
Hum...
14/09/2018 14:22:42
Henrique é judeu? Tem cara de q recebe toda humilhação calado aff
14/09/2018 13:03:32
Que mistério acerca do ruivo,quem é ele e o que ele faz ou fez que o deixou a perigo na rua???
14/09/2018 10:36:52
.
14/09/2018 09:51:10
E aí Healer, como tá você minha patroa???? 😆😆😆😆😆😆😆😆😆. Passando pra dar um alô e ver o que Dyguinho postou mais. Gostava das histórias do sacaninha, mas ele sumiu. E você tá todo filé, não é????? Não li o conto do autor mas vou largar um dez aí pra ele já que estou usando o conto do pivete pra falar contigo 😋😋😋😋😆😆😆😆😆😆😆. Flw aí parça!!!!! 😉😉✌✌✌✌✌✌
14/09/2018 07:05:57
continua
14/09/2018 00:44:18
É bem divertido esse amigo do Henrique e essa atitude do Ruivo foi curiosa. Ok autor, aguardo a continuação.