Meu nude viciou a escola no meu pau/ Parte IV

Um conto erótico de Jolene
Categoria: Homossexual
Data: 10/08/2018 06:30:56
Nota 10.00

Finalmente chegou o sábado, e eu estava extremamente ansioso pela "aula" do Eriberto. Porém, ainda pensava no show de violência e sexo que ocorreu entre Luís e o supervisor. Eu simplesmente ainda estava chocado com toda aquela situação e comecei a cogitar que era muito conveniente o Luís se aproveitar da minha foto para realizar os desejos sexuais dele, será que tinha sido ele a tirar minha foto?

Bem, o pensamento foi guardado para o domingo, agora o mais importante era me preparar para o Eriberto. Tomei um banho caprichado, vesti uma ótima roupa, perfumei até minha alma e pedi o Uber para a casa do professor.

Avisei que estava chegando e ele disse que me esperaria no portão principal, dito e feito, e devo admitir que ele estava lindo, barba aparada, calça apertada e blusa salientado o peito. Saí do carro babando e ele me dirigiu para a sala, disse para sentar e começou a falar:

----Sabe Afonso, eu preparei todo o quarto pra te receber, me preparei pra te receber também ( falou com tom de sacanagem) mas antes eu queria que brincar um pouco, está afim?

Eu estava tão enfeitiçado por aquele homem que só aceitei, mas não me mexi.

Ele veio até mim, ficou na minha frente roçando a bunda em meu colo, enquanto me dava leves beijos, depois me levantou, começou a tirar a blusa e a roçar mais e mais no meu volume. Aquela bunda carnuda cada vez mais na em mim, não tinha como não se excitar.

----Já tá animadinho! Mas vamos com calma. Deixa a selvageria pra daqui a pouco.----Ele falava mordendo o lábio.

Logo, tirou minha camisa e começou a passar a mão pelo meu corpo, meu abdômen e peitoral malhados, então pegou meu rosto e me beijou lentamente, dando mordiscadas no lábio, e passando a língua suavemente.Achei melhor também ter ação e comecei a alisar as costas largas dele, descendo até aquele tesouro de bunda e apertar com força, mas sem pressa. Eriberto então começou a beijar meu pescoço e descer para os mamilos, e lambeu com maestria, molhando, mordiscando e sugando de leve. Antes que continuasse , resolvi retribuir e lambi seu peitoral peludo, passando a língua pela barriga lisa e protuberante dele, fui para os mamilos e mesmo sem jeito ( não tinha o costume de chupar nada que não fosse o cu) conseguiu arrancar alguns gemidos do meu professor favorito. Estava tão feliz em dar prazer a ele que automaticamente me ajoelhei e abri sua calça. Ele falou um pouco surpreso mas com o tom safado de sempre:

----Eu não sabia que você gostava das duas posições.

Respondi abaixando a calça:

----Eu ainda vou faturar esse cuzinho, só quero retribuir da vez na sua sala.

Tirei a cueca e vi uma rola bonita, não gigante, talvez uns 17 cm, mas grossa, cabeça vermelha e dura. Comecei a lamber , da base à cabeça, depois a glande suavemente chupei, para enfim colocar uma parte na boca.

Não ia arriscar uma garganta profunda, era minha primeira vez chupando, mas aparentemente eu tinha jeito, já que Eriberto gemia baixo e concentrado. Voltei a chupar, mais rápido e tentando engolir mais, o gosto salgado era delicioso, acabei me empolgando e engoli mais do que deveria. Me engasguei um pouco e o professor falou brincando:

----Vai com calma campeão! Ainda tem muito que aprender, mas é um bom começo. Agora vamos subir, tem uma cama nos esperando.

Me levantei e fomos ao quarto. Ele ia na minha frente , mostrando aquela bunda linda, peluda e redonda só esperando uma rola. Chegamos no quarto e fiquei impressionado: uma cama de casal grande, toalhas e lençóis brancos, limpos, um banheiro visivelmente grande e possivelmente com uma banheira para dois ou mais. Eriberto indicou que me deitasse na cama, mas antes, tirei a calça lentamente, depois a cueca, sempre fazendo certo mistério sobre o instrumento, mesmo ele já tendo visto e brincado. Tirei e minha rola dura ainda espantava o professor, me deitei na cama, ele veio até mim, beijou-me com vigor ,desceu lambendo todo meu abdômen até chegar no meu pau. Só para provocar, começou lambendo minhas bolas, devagar no início, mas depois com força, sugando elas e babando sem vergonha alguma. Quando foi para a rola, começou pela glande e foi chupando e punhetando, mas sempre aumentando o quanto engolia, de forma períodica, engoliu de pouco a pouco até ter tudo na boca. Era um sonho, estava delirando de prazer com aquilo, cada chupada, garganta profunda , era acompanhada dos olhos azuis profundos do professor, às vezes uma piscada. Depois de certo tempo, ele olhou pra mim e falou:

----Quero todo esse pau dentro de mim. Começa devagar e depois mete sem pena.

Obedeci na hora, mas antes virei aquele monumento pra minha cara, dei uns tapinhas de leve e meti a língua naquele cu. Chupava com gosto, melando e fudendo com a língua, poderia gozar só com aquele cunete, mas tinha um compromisso em fuder aquele puto. Lambuzei muito a bunda do professor, cuspi, lambi, meti a língua sem pudor e dei chupadas fortes quando notei que ele adorava aquela certa violência ( mas sem exageros pessoal).

Depois, coloquei uma camisinha(segurança sempre), a rola na entrada,e ele estava de quatro, empinado e sedento. Coloquei só a cabeça, devagar e com cuidado, depois tirei e coloquei ela várias vezes só pra ver o cu piscar, implorar por rola, a minha rola. Como seu boquete, fui colocando de pouco a pouco, tirando e colocando mais, quando chegou na metade, vi que ele já estava preparado e meti o resto de uma vez. Soltou um gemido gostoso de puto, abraçei por trás e falei pra provocar:

----Pede mais vai! Eu sei que tu quer mais, mas tem que pedi pro aluno gostoso!

----Eu quero... Mais ... Fode teu professor... Mostra tuas habilidades... Safado...----Falava com um prazer, arrastando cada frase enquanto mordia o lábio.

Comecei a fuder leve, tirando e colocando, depois acelerei, ele gemia muito , adorava saber que os dois estavam aproveitando ao máximo. Tirava metade e socava de novo, mais forte, com mais vigor. Depois fiz uma parada que eles adoram. Fudia forte, com vigor, sem dó.Parava.Dava um tapa em cada banda. Beijava o rosto. Fudia com mais força. Era incrível ver os gemidos altos e baixos.

Depois, fudia muito forte por um tempo, de forma que cada estocada era um barulho de tapa. A bunda branca e peluda estava vermelha.Puxava o cabelo e xingava:

----Eita puto do cu gostoso. Aperta pra mim cachorro, vai, deixa minha rola apertada!

Eriberto obedecia e respondia:

----Que rola! Fode forte , me fode olhando na minha cara!

Atendi o pedido e coloquei ele olhando pra mim, ele estava um pouco vermelho e trazia um semblante de felicidade. Estava amando aquela rola. Fudia rápido, parava pra beijar, depois fazia os dois ao mesmo tempo. Era intenso, carnal, puro prazer.

Logo ele, com cuidado, me virou de lado e começou a calvagar, quicava com força, depois pedia pra eu fuder junto, iniciou um foda animal. Eu dava estocadas fortes e ele sentava sem dó, então começou a punheta pra acompanhar o ritmo. Não deixei de ajudar a masturbar-lo. O ritmo estava muito intenso, logo iria gozar. Ele foi primeiro, jatos espalharam-se pelo meu corpo, e eu gozei forte logo após. Se não tivesse de camisinha, teria inundado aquele buraco de gala. Enquanto eu urrava, Eriberto, respirava forte e gemia como um puto em êxtase. Mal eu relaxei,o professor levantou-se. Tirou minha camisinha e começou a limpar meu pau. Lambia toda a gala,as bolas , estava completando os serviço. Eu só assistia delirando. Ele terminou, deitou-se ao meu lado e disse arfando:

----Sabe, eu liguei pro seu pai ontem, e disse que você ia ficar algumas horas a mais, por conta de "exercícios extras necessários".

Eu só olhei com e sorri. Ele continuou:

----Eu tenho uma banheira, e adoraria tomar um banho com você. E quem sabe fazer as atividades extras. Que tal?

Respondi da melhor maneira, beijando aquela boca e abrançando aquele homem o qual eu adoraria fuder pra sempre.

Continua...

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
30/09/2018 11:57:39
Mas esse aluno quem não queria fazer umas aulas extras de reforço com ele....
26/08/2018 21:41:34
Muito bom! Este personagem fode muito, muito, muito bem. Consegue misturar dominação e carinho numa só transa! Deu vontade de dar pra esse menino e lamber o rabo desse professor safado!
11/08/2018 01:23:04
Queria ver alguns entre o Afonso e Luis, algo sem sentimentos, mas intenso e sexo por sexo.
10/08/2018 22:05:17
Muito bem escrito, hein. Parabéns!
10/08/2018 17:11:13
Maravilhoso
10/08/2018 12:25:20
Muito bom.
10/08/2018 11:47:14
Muito bom
10/08/2018 11:36:59
QUE BOM QUE QUIS RETRIBUIR O CARINHO DO SEU PROFESSOR E CHUPOU ELE. MUITO BOM. GOSTEI DA FORMA COMO VC TRATOU ELE, CHAMANDO NO MASCULINO DE PUTO E NÃO NO FEMININO COMO PUTA, VADIA, VIADINHO ETC ETC ETC DETESTO ISSO. HOMEM MESMO TRANSANDO COM OUTRO HOMEM TEM QUE SER TRATADO NO MASCULINO.
10/08/2018 09:05:28
Bem excitante.
10/08/2018 06:59:19
Um tesão esse desejo de vocês dois. Continue...