Casa dos Contos Eróticos

A Família Silva - Capítulo 3 - Apimentando o Casamento

Um conto erótico de Bruna Camila
Categoria: Heterossexual
Data: 10/08/2018 00:51:43
Nota 10.00

Cap. 3 – Apimentando o Casamento

Bom. Eu não era bem sucedido em tudo.

Se tinha uma coisa que ia mal na minha vida.

Era o meu casamento.

Nossa vida sexual estava indo de mal para pior. Eu sentia que a gente tinha arrastado aquela relação apenas pelo bem de nossos filhos. Já não havia quase nenhum tesão entre nós.

E um dia eu tenho uma ideia meio que no desespero para salvar nossa relação.

Ideia essa.

Que viraria tudo do avesso na minha vida.

Então um dia eu chamo minha esposa para conversar. Depois de sentar com ela no sofá da sala, eu tento dizer para ela o que eu tinha em mente.

- Amor... É... Eu queria conversar... Fazer uma proposta para você...

Foi o máximo que consegui dizer naquele primeiro momento.

- Oi. Pode falar. Qual é a proposta?

- Lembra do Jamal?

- Aquele seu amigo negão? O que parece um armário?

- Esse mesmo. Meu amigo de infância.

- Lembro. O que tem ele?

- Então... É... O que você acha de... Eu... Eu... Trazer... Ele para conhecer você?

Meu rosto fica vermelho como um tomate.

Eu jurei que ela ia rir da minha cara.

Mas não.

Ela apoia sua mão no meu ombro.

E diz.

-Amor, você tem certeza disso?

- Acho que sim. Seria bom apimentar nosso casamento. Eu sinto que eu já tentei de tudo e não sei mas o que fazer para voltar aquele fogo que tínhamos antes.

Minha mulher me olha nos olhos. Com uma feição curiosa. Como se estivesse pela primeira vez vendo quem eu realmente era.

Ela abre um sorriso tímido.

E pergunta.

- Mas você está pensando em ligar para ele? Vai fazer isso quando?

- Amor, você topou?

- Sim. Se isso fizer bem para você. Eu aceito esse sacrifício.

Eu sentia um tom diferente dela ao dizer a palavra ‘’sacrifício’’.

Como se não fosse ser sacrifício algum.

Muito pelo contrário.

- Tudo bem. Eu vou ligar para ele.

__________________________________________

Mas tarde naquele dia eu decido ligar para o Jamal e fazer a proposta.

Eu digito o número dele e espero.

Chama.

Chama.

Alguém atende.

- Alô? Alberto? É você?

- Oi, Jamal! Quanto tempo!

- Eai, chefia. Como anda a família?

- Vai bem, vai bem. E como anda aí?

- Sê sabe. Sou solteiro e não tenho filhos, só irmãos. Tô sobrevivendo. Um dia de cada vez. Sabe como é.

Na realidade eu não sabia. Não tinha a menor ideia de como era o dia a dia sofrido do meu amigo.

Mas eu entendia e sentia um pouco de pena por ele.

E a conversa empaca.

Eu só tinha pensado até aquele momento.

Como eu faço para dizer isso ao Jamal?

‘’Jamal, está afim de foder a minha esposa?’’

Não.

Eu tinha que fazer a proposta mas de uma maneira mais discreta.

- Jamal... Na realidade... Eu... Liguei porque queria te propor algo.

- Oi. Pode falar, Alberto.

Eu começo a sentir a minha testa derreter. Estava muito nervoso.

- Você... Bom... A minha esposa... A gente... Queria... Conhecer... Você.

Saiu pior do que eu imaginava.

Ela claro que eu e a minha mulher já conhecíamos ele.

Mas como eu tinha conseguido falar ‘’Minha esposa’’ e ‘’Conhecer’’ era provável que ele tivesse captado a mensagem. O que eu realmente queria dizer com tudo aquilo.

E ele captou.

Depois de alguns segundos Jamal responde.

- Atah. Entendi. Bom, claro. Me parece uma proposta muito legal. Da última vez que eu vi sua esposa foi no aniversário de 17 anos de seu filho. Ela me pareceu bem simpática e cativante na festa.

Por simpática e cativante.

Eu sabia que o Jamal queria dizer cavaluda e gostosa. Mas por educação ele não teve essa ousadia de chamar minha esposa de gostosa. Mesmo ela sendo. E mesmo eu fazendo aquela proposta inesperada para ele.

- Sim. Então, podemos marcar com você algum dia, Jamal? Eu até te busco aí.

- Claro. Vamos ver isso aí. Vou ficar no aguardo.

- Tá bom, até mais.

- Até.

E eu desligo o telefone.

Minha mão tremia.

Porque eu sabia o que eu tinha feito.

E principalmente.

O que aquilo significava.

Jesus Cristo.

Isso está acontecendo.

Não há mais como voltar atrás.

Era um futuro certo.

Daqui a alguns dias.

Jamal comeria minha esposa.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
10/08/2018 09:25:46
Bruna, vc possui uma ótima escrita, um jeito diferente e original de propor o texto e insere dramas da vida e impõe características marcantes na personalidade dos personagens. Embora eu considere meio esdrúxula uma proposta dessa, o mais importante é a história andar. Sugestão? Se o garoto de 17 anos não for viado, coloca uma namoradinha na série para o poder de Jamal sobre a família ser mais soberano
10/08/2018 03:28:50
Excelente
10/08/2018 00:56:00
O próximo será: Capítulo 4 - A Primeira Vez
10/08/2018 00:55:20
A partir daqui serão só momentos picantes um atrás do outro ^^