Casa dos Contos Eróticos

O Engenheiro Brutamontes 7

Naquela quarta-feira era conselho de classe ou seja sem aula para o Guilherme, então eu pude me dar ao luxo de acordar um pouco mais tarde.

Depois de fazer a minha higiene matinal eu vesti uma roupa confortável e deixei meu cabelo loiro solto.

Nesses dois meses o meu cabelo cresceu e eu acabei não cortando e ele já estava na altura dos ombros e eu havia engordado um pouco também,mas não muito, na verdade eu tinha engordado mais da cintura pra baixo.

Eu fui até na padaria comprar pão e ao voltar eu vi o carteiro deixando uma correspondência e ao olhar eu fiquei chocado com o que eu vi.

Eu - Uma intimação?

Eu entrei em casa pela porta da cozinha e depois de deixar o pão na mesa eu abri a carta e nela dizia que Rodrigo e eu teríamos que comparecer até o forúm para discutir sobre a guarda do Guilherme.

Eu - Filha da puta, que absurdo, eu vou matar o Rodrigo.

A nossa audiência no fórum seria em cerca de 1 mês, até lá daria tempo de conversar com um advogado e montar uma estratégia, mas acontece que sábado eu tiraria uma pequena férias de uma semana e na sexta-feira de noite eu pegaria estrada com o Alessandro e as crianças para passarmos esses dias na casa de campo dele em Petrópolis e o Alê também tinha se dado uma folga da construtora e as começaria o recesso escolar das crianças, eu não iria estragar tudo isso por causa do louco do Rodrigo, então eu decidi que hoje ainda eu iria conversar com o Rodrigo e também iria até um advogado.

Eu coloquei a ração do Shadow e comecei a preparar o café da manhã e logo o Guilherme chegou na cozinha, ele estava de pijama e com o seu ursinho de pelúcia na mão.

Guilherme - Bom dia papai.

Eu - Bom dia meu anjo. Disse beijando o rosto dele.

Eu - Já lavou o rosto e escovou os dentes?

Guilherme - Já sim.

Eu - Então senta que eu vou preparar umas panquecas pra você.

Eu fiz umas panquecas com mel que ele adorava, eu sei que não é muito saúdavel, mas de vez em quando não faz mal.

Guilherme - Papai, o Tio Alê é seu namorado?

Ele me pegou de surpresa com essa pergunta e quase me fez engasgar com o café.

Eu - De onde você tirou isso filho?

Na verdade eu não podia responder aquilo, pois nem eu sabia a resposta para aquela pergunta.

Guilherme - É que vocês estão sempre juntos, igual o senhor ficava o papai Rodrigo.

Logo eu tratei de mudar de assunto, eu iria conversar sobre isso com o Gui, mas não agora.

Eu havia conseguido marcar uma hora com o Dr Paulo que foi o mesmo advogado que me auxiliou no meu divórcio com o Rodrigo, então eu levei o Guilherme para a casa da minha mãe um pouco mais cedo do que de costume.

Mãe - Oi meu filho, deixou o Gui mais cedo hoje.

Pela minha cara ela viu que o assunto era sério, então disse.

Mãe - Escuta Guilherme, espera a vovó lá na cozinha, enquanto eu converso com o seu pai.

Ele obedeceu indo para a cozinha e eu disse.

Eu - O Rodrigo decidiu brigar pela guarda do Gui, eu recebi uma carta avisando a data da primeira audiência.

Mãe - Meu Deus que absurdo. Disse hororizada.

Eu - Eu tô indo conversar com o meu advogado agora, eu até queria falar com o Rodrigo antes, mas ele deve estar na construtora ainda.

Mãe - É melhor não conversar com o Rodrigo agora de cabeça quente, espera um pouco, esfria a cabeça e depois você conversa com ele.

Nós conversamos mais um pouco e eu me despedi dela que me deu um abraço e me desejou boa sorte.

Ao entrar no escritório do Dr Paulo ele me comprimentou com um aperto de mão.

Paulo - Boa tarde Daniel, ao o que devo a sua visita?

Eu expliquei toda a situação para o Paulo e ele disse.

Paulo - Realmente o Rodrigo só pode ter enlouquecido, mas as circunstâncias estão do seu lado Daniel, pode ficar tranquilo.

Depois de sair do escritório do Dr Paulo eu fui dirigindo para o restaurante, mas eu acabei passando em frente ao prédio onde ficava o apartamento do Rodrigo e não resisti, acabei descendo do carro e indo até a portaria.

Eu perguntei ao porteiro se o Rodrigo estava em casa e ele confirmou sem questionar a minha subida, pois ele já me conhecia das poucas vezes em que eu fui levar ou buscar o Guilherme lá.

Eu toquei a campainha insistentemente com raiva e o Rodrigo gritou do outro lado.

Rodrigo - Já vai!

Ao abrir a porta ele me olhou e deu um sorriso sínico.

Rodrigo - Olha só que visita mais ilustre.

Eu - Me poupe do seu sarcasmo.

Rodrigo - Entra por favor.

Eu - Eu não quero entrar coisa nenhuma, eu quero é que você deixe de ser mau caráter!

Rodrigo - Pelo visto você já recebeu a minha cartinha.

Eu - Não queira entrar em uma briga que você que irá perder.

Rodrigo - Você fica bonitinho assim com raiva, aliás você tá mais lindo do que da última vez que eu te vi, tá com os cabelos longos, engordou um pouquinho.

Eu - Me poupe da sua falsidade, eu só espero que você não insista nessa história de tentar tirar o Guilherme de mim, você ainda não sabe do que eu sou capaz. Disse apontando o dedo pra cara dele e indo embora logo em seguida.

Alguns Dias Depois...

Alessandro Narrando

Já haviam se passado dois meses e Daniel e eu estamos cada vez mais próximos, o meu filho Enzo também adora o Daniel a quem ele chama de Tio Dani.

Hoje nessa sexta-feira logo após o trabalho eu irei buscar o Dani e o Guilherme junto com o Enzo para passarmos uma semana inteira na minha casa de campo em Petrópolis.

Depois de fazer a minha higiene matinal eu vesti meu terno e alisei a minha barba por fazer, eu havia deixado ela crescer um pouco,pois o Dani disse que gostava. Eu nunca estive em um momento tão feliz da minha vida, a construtora estava lucrando mais do que nunca, a minha relação com o Enzo estava ótima e finalmente eu estava conseguindl ser um pai de verdade e ainda ganhei um segundo filho que é o Guilherme, e o Daniel era um companheiro perfeito, atencioso, carinhoso, fogoso na cama, lindo e sem falar que ele cozinha perfeitamente bem, o que tem feito até com que eu passesse mais tempo na academia. O Dani estava cada vez mais lindo, ainda mais agora que seus cabelos estavam quase na altura dos ombros e ele tinha engordado um pouco e a sua bunda que já era grande havia ficado ainda maior.

Eu tomei café da manhã junto com o Enzo e em seguida o levei para a escola, aquele seria o seu último dia de aula antes do recesso.

Eu trabalhei querendo que as horas passassem logo, pois antes de passar na casa do Dani para busca-lo com as crianças, eu iria até uma joalheria pegar as alianças que eu havia encomendado, acontece que eu estava planejando pedir o Daniel em namoro nessas nossas mini-férias.

Quando deu por volta das 5 da tarde foi quando eu consegui sair da construtora, então eu fui direto até a joalheria onde eu peguei as nossas alianças que eram de ouro branco, bem bonitas e discretas ao mesmo tempo. O Daniel já havia buscado o Guilherme e o Enzo na escola, eles já estavam de malas prontas.

Eu estacionei em frente a casa do Dani e sair do carro e ela já devia ter me visto chegando, pois abriu a porta antes que eu batesse. Ele estava lindo com um short de malha preto curto que deixava as suas coxas grossas de fora, uma regata também preta e estava com os cabelos soltos divididos no meio.

Daniel - Oi amor. Disse me dando um selinho rápido.

Eu - Oi lindo, vocês já estão prontos?

Daniel - Estamos sim, as crianças estão na cozinha fazendo um lanche, vamos.

Depois de termos lanchado nós nos preparamos para sair e lá veio o Guilherme com aquele gato na mão, os dois não se desgrudavam.

Eu - Esse bicho vai com a gente?

Daniel - O nome dele é Shadow e ele vai com a gente sim, até porque ele não pode ficar tanto tempo sozinho.

Enzo - É pai, o Shadow é legal.

Eu - Se vocês dizem...

Eu não gostava de gatos, mas já que os três gostavam não havia nada que eu pudesse fazer.

Até Petrópolis eram bastante horas de estrada Dani e eu dividiriamos a direção.

Depois de quase 5 horas de estrada nós finalmente chegamos na casa de campo e já era por volta das 11 da noite e as crianças já estavam dormindo no bancode trás.

Daniel - Ai, finalmente chegamos.

Eu - Nem me fale rsrs.

Ao descermos do carro nós fomos recebidos pelo casal de caseiros Marta e Adair, eles ajudaram o Dani com as malas, enquanto eu pegava as crianças no colo e as colocava no quarto.

A Dona Marta fez um jantar pra gente bem rapidinho, pois já estava tarde e logo nós fomos para o quarto descansar, eu até estava com vontade de fazer amor com o Dani, mas o meu cansaço era maior o que fez com que eu dormisse direto.

No dia seguinte eu acordei com o barulho da risada dos meninos, provavelmente eles já deviam estar brincando na sala e ao ver as horas no meu celular eu me surpreendi ao ver que já passava do meio-dia.

Eu levantei e depois de fazer a minha higiene matinal eu desci apenas com um short preto e sem camisa e logo vi Enzo e Guilherme correndo pela sala.

Eu - Eita que a bagunça tá boa hein rsrs. Cadê o meu abraço de bom dia?

Logo os dois vieram me abraçar e eu perguntei.

Eu - Cadê o Daniel?

Guilherme - Tá na cozinha.

Ao chegar na cozinha lá estava ele de costas mexendo na panela, ele estava vestindo um short curto branco que mal cobria todo o bundão dele e usava uma regata também branco e os seus cabelos estavam úmidos e soltos, o que indicava que ele tinha acabado de tomar banho. Eu cheguei de fininho lhe abraçando por trás.

Daniel - Ai que susto.

Eu - Huumm que cheirinho bom, o que é isso ai?

Daniel - Estrogonofe de frango, você dormiu mais que a cama hoje hein.

Eu - Eu estava muito cansado, mas agora eu já tô cheio de disposição pra te comer todinho mais tarde. Disse mordendo a orelha dele e ele se arrepiou.

A essa altura o meu pau já estava todo duro por baixo do short.

Daniel - Você é um tarado sabia?

Eu - Eu não sou tarado, você que está a cada dia mais gostoso. Disse apertando a bunda dele.

Depois do almoço nós descansamos mais um pouco e fomos passear um pouco por Petrópolis, pois Daniel e Guilherme ainda não conheciam a cidade. Por volta das 5 da tarde nós chegamos em casa e eu disse para o Dani.

Eu - Mais tarde de noite nós iremos dar um passeio só nós dois, a Marta vai ficar com as crianças.

Daniel - E pra onde nós iremos?

Eu - Ainda não posso te falar, é uma surpresa, mas tenho certeza de que irá gostar.

Eu tinha feito uma reserva em um restaurante frutos do mar aqui de Petrópolis e de lá nós iriamos para um hotel, pois eu tinha reservado um quarto pra gente na suíte presidencial e tinha pedido para que eles fizessem uma decoração especial.

A nossa reserva no restaurante estava marcada para as 22 horas, então as 21 horas nós tomamos banho em banheiros separados e fomos nos vestir. Eu coloquei uma calça jeans lavada, uma polo preta que destacava os meus músculos e braços tatuados, coloquei um relógio de ouro no pulso e um par de sapatos sociais preto. Eu fui até o carro esperar o Daniel terminar de se arrumar e menos de 5 minutos depois ele veio.

Ele estava extremamente lindo e gostoso vestindo uma calça skinny branca bem colada que destacava as suas coxas grossas, bunda grande e seu quadril alargado, ele também calçava um par de tênis de cano longo vermelhos,uma regata branca e uma jaqueta de couro vermelha e seu cabelo estava solto e dividido no meio.

Eu - Nossa você tá lindo. Disse me beijando.

Daniel - E você mais ainda.

Então eu abri a porta do carro para que ele entrasse, o Daniel odiava que eu fizesse isso, mas eu fazia mesmo assim hahaha.

Eu dirigi mais ou menos 20 minutos até o restaurante e nós fomos guiados pela recepcionista até a nossa mesa que ficava ao lado de um grande janelão de vidro com vista pra toda a serra.

Daniel - Nossa que vista linda.

Eu - Magnífica mesmo, mas eu conheço uma coisa bem mais bonita que essa vista.

Daniel - O que?

Eu - Você. Disse fazendo ele corar de vergonha.

Nosso jantar foi extremamente prazeroso, estar na companhia do Daniel era incrível, nós poderíamos ficar horas e horas conversando sem parar, mas ainda tinhamos muito o que fazer essa noite.

Depois do jantar eu paguei a conta, mesmo com os protestos do Daniel que se recusava a me deixar pagar sozinho, mas no fim acabou cedendo. Nós entramos no carro e eu comecei a dirigir.

Daniel - Ué, essa não é a direção da casa...

Eu - Nós estamos indo para outro lugar, um lugar especial.

Logo eu estacionei do hotel.

Daniel - Um hotel...

Eu - Não é um hotel, é O hotel, você vai ver.

Como eu já estava com a chave do quarto nós passamos direto pela recepção e entramos no elevador.

Ao abri a porta do quarto e deixei que ele entrase primeiro e percebi que ele ficou surpreso, o quarto estava iluminado a luz de velas e a cama repleta de pétalas de rosas vermelhas.

Daniel - Nossa amor...que lindo...

Então eu tirei a caixinha do bolso e me ajoelhei diante dele.

Eu - Eu sei que parece clichê, mas esse foi o melhor jeito que eu encontrei de te perguntar isso...Daniel aceita namorar comigo? Disse abrindo a caixinha de veludo que continha as duas alianças.

CONTINUA...

Tá ai mais um capítulo pessoal, o que acharam da surpresa do Alessandro, eu acho que esse foi o capítulo que ele mais narrou até agora. Muito obrigado a todos os meus leitores em especial hoje para o Grilo Falante que em meio aos seus comentários acaba me dando insights maravilhosos. Amo muito vocês.

Gordinho Gostoso: Que bom que está gostando, em breve tem muito mais.

Geomateus: Ele é um babaca mesmo.

Arrow: Você terá muito mais logo logo rsrs.

Henrinovembro: Até eu que sou ator estou ficamdo com ranço dele kkk.

Tozzi: Obrigado querido, sempre tentarei trazer capítulos de qualidade para vocês o mais rápido possível.

Valtersó: Pois é, o Rodrigo achava que por estar solteiro o Daniel ainda gostasse dele e Daniel irá contar para o Alessandro sim.

Magus: Fico feliz que esteja gostando querido. Tentei alongar um pouco mais esse capítulo, espero que tenha gostado.

Alex Curte Peludo: Nem judiei de vocês hoje kkkk. Bjs querido.

Nayarah: Ele irá falar sim.

Muito obrigado a todos

BEIJOS

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
13/08/2018 03:05:38
PPPPOOOORRRRAAAAA Que show de conto!
12/08/2018 01:56:34
Realmente esse Rodrigo está surtado... Como ele pensa em conseguir a guarda do Guilherme??? Só se for através de alguma armação suja tentando denegrir a imagem de pai dele... Mas isso não seria uma tarefa muito fácil tendo em vista que o Daniel é um pai excelente. Não consigo enxergar outra forma. Alessandro está me saindo melhor que a encomenda... Que forma linda de pedir alguém em namoro, não há como dizer não. Mas infelizmente sinto que essa felicidade deles quatro (Daniel, Alessandro, Guilherme e Enzo) ainda vai sofrer alguns abalos.Quanto ao seu comentário, me deixou muito feliz saber que de uma forma indireta e completamente sem intenção colaboro com alguns "insites" como você disse. Fiquei muito lisonjeado e te digo que quem tem que agradecer aqui sou eu, por ser um dos privilegiados em poder ler seus contos, que são muito bem elaborados e fantásticos de se ler, e ter uma pontinha de participação. Por favor NÃO PARE DE ESCREVER!!!!! Abraço forte!
rsm
11/08/2018 09:06:38
Ansioso para ler o próximo
10/08/2018 15:35:38
Como sempre super legal romantico e mega fofo! Adoraria ver o Rodrigo se ferrendo por ser tao ordinario
10/08/2018 13:58:06
muito bom volta logo aew^^
10/08/2018 12:27:02
Só o Alessandro para alegrar o Daniel.....
10/08/2018 12:08:19
Muito bom hahahaha, mete a mão na cara do Rodrigo
10/08/2018 09:38:25
Que lindo....to precisando de um amor assim.....logico que você vai aceitar ne.....se nao aceitar....eu aceito.kkkkkkkk
10/08/2018 01:19:01
Daniel merece ser feliz com alguém que goste dele. Que Alessandro o ame e o proteja de Rodrigo.
10/08/2018 00:30:51
Nossa q lindo... Imaginei cade detalhe do conto hj, nossa me levou para o universo de vcs... Adorei o apartamento com as velase as pétalas sobre a cama... Imergir de uma tal forma obrigado de coração.
10/08/2018 00:21:56
Capítulo perfeito. Tô com um ranço tão grande do Rodrigo queria que ele se intalasse com ácido sulfúrico.
10/08/2018 00:15:28
ACHO QUE DURANTE O JANTAR SERIA MAIS APROPRIADO OFERECER AS ALIANÇAS. EM UM HOTEM PODERIA PARECER QUE SERIA APENAS SEXO. MAS DE QUALQUER FORMA FOI BEM ROMÂNTICO. NA VERDADE QUERO QUE RODRIGO SE DANE.
10/08/2018 00:10:49
Uma nova família abençoada. Amém.