Casa dos Contos Eróticos

Taras e Trapassas

Um conto erótico de Renata
Categoria: Heterossexual
Data: 11/07/2018 19:14:57
Nota 10.00

Olá me chamo Renata

Posso dizer que hoje sou uma mulher realizada em todos os sentidos.

Há oito anos casei-me com Mauricio um homem maravilhoso e tivemos uma filha Ingrid hoje com cinco aninhos.

Em nosso tempo de namoro éramos um casal muito apaixonado e muito saidinho, era só pensar que já estavas-mos transando, não importava à hora ou lugar.

Para conter todo esse fogo decidimos nos casar, assim teríamos todo o tempo juntos para nos satisfazer, e assim fizemos.

Éramos um casal muito realizado, na vida pessoal e financeira, em nosso primeiro ano de casados abrimos o nosso próprio negocio uma floricultura em nossa cidade, que deu tão certo que no segundo ano decidimos abrir outra loja em outro bairro da cidade.

Estavas-mos muito empolgados com o novo empreendimento, mais tivemos que adiar um pouco nossos planos, pois fiquei grávida de Ingrid.

Após o nascimento e fase de amamentação de Ingrid retomamos o nosso projeto e abrimos nossa primeira filial. Contratamos dois funcionários para tomar conta da nova loja enquanto ficávamos na primeira.

Nossa vida estava indo de vento em polpa até que Mauricio decidiu que deveríamos ficar um de nós na loja nova e trazer uns funcionários para primeira loja.

Como tinha um rapaz e uma moça na loja nova, Mauricio foi para esta loja e o rapaz Thiago veio para a primeira loja. Então Thiago passou a trabalhar comigo e Mauricio com Letícia na outra loja.

Um dia pedi para Mauricio levar nosso álbum de casamento para fazer a digitalização então ele o levou consigo para a loja e na hora do almoço levaria para digitalização.

Mauricio saiu para almoçar, porém esqueceu-se do álbum, então ligou para Letícia e pediu que arrumasse alguém para levar o álbum para ele no centro da cidade, Letícia chamou seu primo Marco, nada menos que um cara com quem fiquei antes de Mauricio, fizemos muita putaria e ele contou tudo a Letícia, depois pegou o bendito álbum e levou para Mauricio como se não soubesse de nada.

No final da semana quando Mauricio foi fazer o fechamento, faltou no caixa uma quantia razoável e logo ele desconfiou de Letícia, mais para não fazer falsas acusações ele foi verificar as fitas de segurança da loja e quando viu o rapaz vendo nossas fotos, ele ficou curioso e assistiu e ouviu cada palavra que ele disse sobre mim e depois viu que ele mesmo tinha pegado o dinheiro para pagar um fornecedor e não tinha lançado nas despesas.

Nesse dia Mauricio chegou em casa mais quieto que de costume mais não me perguntou nada, perguntei se tinha algo errado e ele disse estar com um pouco de dor de cabeça.

Fora o silencio de Mauricio estava tudo normal, inclusive o meu tesão, então vesti aquela micro camisola e fui me oferecer a Mauricio, ele tentou não se empolgar mais não resistiu e começamos a transar.

No meio da transa Mauricio me perguntou se eu já tinha transado dado o cuzinho pra outro homem antes dele, eu disse que não ai ele perguntou se eu teria coragem de transar com dois homens ao mesmo tempo eu disse que não. E o perguntei por que estava perguntando tudo aquilo e ele disse era só curiosidade em saber do meu passado e novamente disse você tem certeza que nunca fez nada do que estou perguntando e eu disse que tinha terminamos a transa de uma forma meia estranha e assim foi o final de semana, Mauricio meio inquieto e silencioso.

Na segunda-feira quando chegou em casa, Mauricio ainda estava do mesmo jeito. Quando fomos nos deitar ele novamente me fez as mesmas perguntas, fique um pouco irritada e respondi com certa rispidez. Não Mauricio eu nunca dei o cú pra outro antes de você e nunca transei com mais de um homem.

Nesse momento Mauricio pegou o celular colocou em um vídeo e deu na minha mão e disse:

- E esse cara não conhece também?

Engoli a seco, não sabia onde enfiar a cara, Marco no vídeo estava dizendo para Letícia tudo o que fizemos quando ficávamos juntos, falou até da vez que fiquei com ele e o irmão dele e eles fizeramdupla penetração em mim.

Comecei a chorar de desespero, achei ser o fim do meu casamento, aquilo era tudo que não queria que ele soubesse.

Enquanto estava sentada de cabeça baixa na cama, Mauricio se pôs em pé a minha frente e passou a mão em minha cabeça, levantei os olhos envergonhada e me deparei com a rola dura de Mauricio na minha frente.

Levei minha mão ao seu pau e logo passei a chupá-lo, ele fodia a minha boca como se fosse uma buceta, depois com certa rispidez tirou minhas roupas e começou a pentra-me com força dizendo: Renata você é uma puta e pedia para eu falar tudo que fiz com Marco, fiquei um pouco sem saber o que fazer e ele insistia e aos poucos comecei a falar.

Quanto mais eu falava, com mais vigor ele me fodia. Aquilo foi me dando um tesão tão intenso que falei cada detalhe das minhas transas com Marco e como ele o irmão comeram o meu cuzinho.

Mauricio gozou três vezes sem tirar a rola da minha buceta e eu quatro vezes no pau dele. Com certeza foi a transa mais intensa que tivemos.

Após gozarmos Mauricio disse que não precisava esconder nada de mim, pelo contrario que era isso que ele gostava em uma mulher e que toda mulher deveria ser uma puta no sexo.

A partir desse dia nossa vida mudou muito.

Começamos a freqüentar grupos de swing e transei com vários caras na frente de Mauricio, ele permitia que eu fizesse tudo o que eu quisesse com quem quisesse dês de que fosse conversado entre nos e assim foi por um longo tempo.

Mas um dia Thiago o nosso funcionário faltou por motivo de doença e tive que fazer as entregas que seria por sua conta, neste dia perdeu um pouco em vendas, pois a cada entrega tinha que fechar a floricultura até retornar.

Uma das entregas era em um restaurante que toda semana renova os vasos com flores novas. O restaurante ainda estava fechado e uma senhora muito simpática veio atender-me. Ela abriu a porta e pediu que deixasse as flores nos fundos do restaurante.

Quando levei a primeira remessa, deparei-me com um rapaz bastante atraente. Ele me cumprimentou e perguntou por Thiago, lhe disse que ele não estava bem e que por isso estava encarregada das entregas naquele dia.

Ao perceber a minha falta de afinidade em carregar as mercadorias, logo se prontificou em me ajudar. Não me fiz de rogada e aceitei sua oferta.

Levamos todas as encomendas para os fundos do restaurante e quando estava indo embora, estendi minha mão para agradecê-lo. Ele pegou minha e segurou por um tempo maior que o normal e me olhou nos olhos,

fiquei um pouco sem jeito, seu olhar era extremamente penetrante e sedutor. Em seguida saí meio sem saber direito o que pensar.

Ao longo do dia aquela cena não saia da minha cabeça, o olhar, o toque em minha mão a suavidade em seu falar me deixaram um tanto confusa e excitada.

No decorrer da semana com a volta de Thiago voltou tudo ao normal, mais às vezes lembrava da cena, não tão fortemente como antes mais lembrava.

Na segunda-feira quando atendi a ligação daquela agradável senhora que fazia os pedidos de rotina para o seu restaurante, meu coração disparou, lembrei fortemente do belo rapaz que me ajudou naquele dia.

Pensei por alguns minutos e ao invés de passar a entrega para Thiago fazer, disse que tinha que passar em uma loja lá por perto do restaurante e aproveitaria e eu mesma faria a entrega. Thiago separou todas a plantes e as colocou no carro, me arrumei um pouco mais que de costume e parti para fazer a entrega. Minhas mãos suavam e eu dizia para mim mesma. - Renata o que você está fazendo.

Quando estava estacionando o carro, via a simpática senhora do outro lado da rua entrando em taxi, e imaginei que ele estaria só no restaurante.

Com a respiração ofegante apertei a companhia, e ele veio atender a porta. Ele ficou surpreso a me ver novamente e um ar de felicidade tomou conta do seu semblante. Ele logo se prontificou a me ajudar, oferta que aceitei de imediato.

Perguntei pela senhora, sem mencionar que a tinha visto entrar no taxi, e ele me falou que ela havia ido á uma consulta médica. Rapidamente terminamos de descarregar as encomendas, e novamente quando fui agradecê-lo, ele segurou em minha mão e olhou-me nos olhos. Olhei por um instante e desviei o olhar para baixo e voltei a olhar e desviar. Nisso sem soltar minha mão ele aproximou-se com o seu corpo junto ao meu, fiquei sem ação e quando meus olhos voltaram para os dele, ele encostou seu lábios nos meus e beijou-me suavemente, fui aos poucos correspondendo e ele foi beijando-me mais intensamente e me abraçando, trazendo meu corpo junto ao dele, com suas mão hábil tirou de lada uma das alças de meu vestido deixando meu seio à mostra e passou a acariciá-lo e logo caiu de boca o chupando enquanto sua mãos apertavam a minha bunda.

Perdi totalmente a noção, ele despiu-me por inteira, percorreu todo o meu corpo com suas mãos e língua, depois me sento em uma pilha de fardo de arroz, abriu minhas pernas e passou a chupar minha bucetinha, enquanto livrava-se de suas calças, em seguida foi subindo me chupando e lambendo a minha barriga seios e pescoço até chegar em minha boa e beijar-me loucamente enquanto seu pau alcançava a minha grutinha.

Sentia a cabeça de sua rola entrar e aos pouco foi enfiando toda aquela vara nas profundezas da minha buceta. Seus movimentos eram intensos e continuou. ele me fez ficar em todas as posições que conheço e me fodeu de todas as formas, me fazendo gozar varias vezes.

Mais quando ele foi gozar, pediu para eu ajoelhar em sua frente e abrir a boca, e mandou ver num gozo farto de porra que melou toda o meu rosto.

Após gozar ele mudou rapidamente seu comportamento me apressando para me limpar e ir embora antes que a patroa voltasse, nem parceria aquele rapaz galanteador de minutos atrás. Então rapidamente me recompus e ele acompanhou-me até a porta e se despediu sem ao menos um beijo final.

Voltei para o floricultura meio confusa, estava com tesão pelo ato sexual acorrido e me sentido usada pela forma com fui descartada após satisfazê-lo. Esse sentimento ficou remoendo dentro de mim por todo o resto do dia.

Somente no dia seguinte cai na real do tamanho da besteira que tinha feito. Tendo um marido maravilhoso que me satisfaz e ainda me da total liberdade de transar com outros homens se assim desejar e lhe falar, decidir fazer a única coisa que não deveria, traindo então a confiança que Mauricio depositará em mim. E pra piorar minha culpa, dias depois vi o tal rapaz com uma linda garota andando de mãos dadas e felizes. Sou uma bela mulher para a minha idade, mais aquela garota dava de 10 a zero em mim. Nesse momento me senti uma total idiota me deixando levar como se fosse uma adolescente de primeira viagem.

Minhas transas com Mauricio ficaram um pouco diferentes pois a culpa me consumia,ele sempre perguntava se havia algo errado comigo e eu sempre desconversava.

Em uma de nossas transas quando Mauricio me pediu para lhe contar uma de minhas aventuras, comecei a relembrar das transas na casa de swing, mais ele pediu para eu contar algo que não tinha dito antes, mesmo que fosse antes de nós.

Notei que Mauricio estava muito excitado e louco para ouvir um putaria, então lhe contei o ocorrido com o rapaz do restaurante. Eu ia contando e Mauricio ficando mais excitado e me fodia cada vez mais gostoso então fui contando todos os detalhes e Mauricio já não mais resistindo gozou como louco.

Após gozarmos, tentei reverter à situação dizendo para ele que tinha inventado tudo aquilo só para que gozasse gostoso, mais ele me conhece como a palma de sua mão e disse que tudo que eu o tinha dito era verdade.

Tentei insistir na mentira mais ele continuou firme na sua convicção que tive que confessar a traição.

Mauricio ficou arrasado, pois confiava cegamente em mim, e eu novamente joguei toda a sua dedicação e confiança na lata do lixo, e fui enganada por um jovenzinho sedutor, Estava me sentido a pior e mais idiota mulher do mundo cheguei a sentir ódio de mim mesma e se perdesse Mauricio estava disposta a fazer uma loucura.

Ele ficou por alguns dias meio afastado e cabisbaixo. Não agüentava em velo daquele jeito, decepcionado, me partia o coração. Só consegui pensar em uma maneira de tirar Mauricio daquela situação e voltar a ter o meu homem do jeito maravilhoso como sempre foi.

Pra isso tive que usar os poderes femininos, pois uma coisa que sei de Mauricio é que não importa a situação, mais uma coisa que ele não rejeita é uma buceta. Então vesti uma camisolinha bem sensual e fiquei andando pela casa, fazendo todas as tarefas, principalmente nos lugares onde ele estava. Ele tentava se manter indiferente mais em varias ocasiões o flagrava me olhando e disfarçando.

Fiquei um longo tempo nesse joguinho até perceber o volume em suas calças. Ai me aproximei e sem mencionar uma só palavra comecei a acariciá-lo, ele permitia as caricias sem retribuir, mais sentia seu sangue ferver nas veias,

Passei a mão no seu pau e senti a rigidez, logo o pus para fora das calças, ajoelhei-me entre sua pernas e fiz a chupeta mais babada que ele já teve na vida. Nesse momento ele não conseguiu mais ficar indiferente, e me puxou para si e começou a me beijar, me agarrar me chupar e percorrer todo o meu corpo com suas mãos. Mauricio me colocou de quatro e em uma só estocada enfiou toda a rola na minha buceta e fodeu forte, dando vários tapas na minha bunda, depois me colocou na famosa posição de frango assado e continuou-me fodendo como louco.

Gozei como uma cadelinha e ele continuava insaciável, Ele mandou que ficasse quatro no chão, lambeu meu cuzinho por algum tempo e socou a rola no meu rabinho. Ele fodia minha bundinha e masturbava o meu grelinho e mordia o meu pescoço, fui até as estrelas e gozei perdendo as focas com a rola de Mauricio socada no meu rabo, ele continuou-me fodendo por mais um tempo até inundar meu cuzinho com a sua porra quente.

Após esta transa maravilhosa com um homem de verdade, o Meu homem, ficamos abraçados por um longo tempo apenas sentindo o calor do corpo um do outro.

Em dado memento Mauricio me disse:

- Renata, não foi você ter transado com aquele sujeito que me magoou, o que me deixou realmente triste foi você ter novamente mentido pra mim. Errar todos erramos, mais não se mente para quem ama. Bota uma coisa em sua cabeça, eu adoro mulher puta e é isso que gosto em você, é isso que eu quero em você, seja puta, a minha puta, mais jamais me negue as suas putarias.

Hoje entendo que se tivesse falado das minhas aventuras para Mauricio sem tentar enganá-lo tudo aquilo seria apenas combustível para nossas transas. E é como ele mesmo diz todo homem gosta de uma mulher puta só que poucos tem a coragem de admitir. Mais nenhum homem gosta de mentiras.

E esse é o conselho que dou a todas as minhas amigas e leitoras, se você tem um marido liberal como o meu e tem algo que esconde, tenha coragem e conte tudo a ele, pois vida da sua boca será apenas mais uma fantasia sexual realizada, mais se ele descobrir sozinho pode ser o fim de um relacionamento de muita putaria e amor.

Beijo a todos.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
18/07/2018 10:26:32
Excelente
12/07/2018 08:48:15
Conto ótimo, bem detalhado, e com várias lições inseridas no texto. De fato, mentira tem perna curta, mas vc parece curtir muito mais do que ele, mesmo enganando. Fiquei com a sensação de que apesar dos sustos, vc saiu vitoriosa em todos os seus erros
12/07/2018 03:52:05
Muito bom continue
11/07/2018 22:29:53
Excelente conto adorei me add silvajunioredu@gmail.com ou
11/07/2018 22:28:10
Adorei...