Casa dos Contos Eróticos

Eu e minha irmã gêmea anne

Um conto erótico de Marcelle eloisa
Categoria: Homossexual
Data: 11/07/2018 08:21:10
Nota 10.00

😈 marcelle e Anne 😈

Essa minha transa com minha irmã gêmea

Foi antes do Thiago

Tínhamos 13 anos

-- Venham tomar café queridas – chamou mamãe após ter batido na porta.

Levantei cambaleando, a visão embaçada por causa do sono e mesmo assim fui até a cama de Marcelle e a chamei.

-- Marcelle levanta, a mamãe está chamando pro café. Dei alguns chacoalhões até ela despertar.

-- O quê ...? – Disse desorientada

-- Vamos Marcelle -- Ajudei ela se levantar e fomos juntas pra cozinha. Todos os dias mamãe nos chamava para tomar café, e em seguida saía com papai para trabalhar. Estávamos nas férias de verão e como já tínhamos 13 anos eu e a Marcelle ficávamos sozinhas sem problemas. Além de irmãs, somos melhores amigas e sempre fazemos tudo juntas, mesmo antes de nascer já dividíamos a barriga da mamãe e agora dividimos tudo, quarto, pertences, segredos e risadas.

-- Estamos indo, comportem-se meninas – Disse papai, enquanto a mamãe jogava um beijo pra gente.

Dei uma risadinha até que Marcelle me chamou:

-- Anne, vem vamos assistir TV.

E assim fizemos. Mamãe não gostava que a gente comesse na frente da TV, muito menos no sofá dela, mas eu e Maria adorávamos fazer isso, era a combinação perfeita: Comida + televisão. Começamos assistir nossos desenhos favoritos quando a televisão começou a falhar. Tentei de tudo para arrumar e não consegui.

-- Acho que deu problema – Disse.

-- Vamos assistir algum DVD –Sugeriu Marcelle. Reparamos que o aparelho já estava ligado então Marcelle se levantou para escolher um filme enquanto eu colocava no canal de vídeo. Assim que o fiz percebi que já tinha um filme pausado.

-- Olha Marcelle – chamei – Que vídeo será esse?

Ela se levantou e veio pro meu lado.

-- Aperta o play Anne.

O filme começou com uma mulher em pé usando uma lingerie vermelha, sensualizando, enquanto um homem que estava deitado a observava. De repente ela retirou o sutiã e foi subindo devagar na cama enquanto o homem veio de encontro com ela e começou a alisar sua pele. Começou a lamber seus seios e ela se deitou enquanto ele retirou sua calcinha – com a boca - e colocou a boca em sua vagina e começou a lamber. Eu congelei. Fiquei horrorizada com a cena pois era a primeira vez que tinha visto isso e pelo jeito era a primeira vez da Marcelle também já que aparentava estar tão surpresa quanto eu. Olhei pra ela boquiaberta e sussurrei:

--Marcelle...

Ela não respondeu e continuou olhando. O homem continuava passando a língua na vagina da mulher enquanto ela gemia com calma. Senti meu corpo estranho, uma vibração... Imediatamente peguei o controle e tentei desligar, mas acabei passando bem mais pra frente e parou em uma cena onde a mulher estava com a mão na vagina fazendo movimentos circulares enquanto o homem estava com o pênis na vagina dela em uma velocidade absurda e ela gemia loucamente. Arregalei meus olhos e o controle caiu no chão. Olhei novamente pra Marcelle e ela estava sentada no sofá cruzando as pernas com mais força que o necessário. Parecia com vontade de ir ao banheiro mas não desgrudava os olhos da TV. Senti uma onda de vibração ainda mais forte do que da primeira vez e dessa vez em um local específico. Peguei o controle novamente e desliguei. Marcelle me olhou parecendo ter saído de uma hipnose. Eu não devia estar muito diferente. Nos olhamos durante alguns minutos procurando palavras para descrever o que tinha acabado de acontecer. Ela foi a primeira a falar.

-- Isso foi...

-- Estranho? Continuei

-- Com certeza era algo que a mamãe e o papai não gostariam que tivéssemos visto.

Ela tinha razão, então a fiz prometer:

-- Nós nunca vimos isso ok?

-- Ok! – Respondeu.

Em vez da TV nós resolvemos ir para o quarto assistir no computador. Enquanto Marcelle procurava algo, resolvi tomar um banho. Tirei minhas roupas e fui para o chuveiro. Eu estava tão distraída depois do episódio do filme que tinha até esquecido que estava no meio do banho. Peguei o sabonete e comecei a me lavar, o rosto, os seios e fui descendo até minha vagina, quando a toquei, meu corpo estremeceu, mas de uma forma boa. Fiquei curiosa mas com medo de continuar então parei por ai , me troquei e saí do banheiro. Passamos a tarde vendo séries e terminamos o dia tranquilo, sem tocar no assunto. Papai e mamão chegaram á noite para o jantar, conversamos um pouco e logo eu e Marcelle fomos pro quarto. Acordei de madrugada para ir ao banheiro quando percebo que Marcelle estava se mexendo demais na cama. Acho que ela está tendo um pesadelo. Melhor acordá-la. Me levantei e fui até a cama dela e puxei seu cobertor, ela se assustou dando um sobressalto e tentando esconder a mão que segundos atrás estava dentro da sua calcinha.

-- O que está fazendo? – Questionei.

--Bom, é que eu estava lembrando do filme de ontem e me deu vontade...sabe...não sei explicar – Disse. Não sabia o que pensar.

--Melhor você dormir Marcelle.

Voltei pra minha cama e pelo jeito minha irmã estava tentando dormir pois estava quietinha novamente. Tentei seguir seu exemplo e me cobri.

Acordamos para tomar café cedo, estava tudo tranquilo, mamãe e papai não devem ter percebido nada sobre o vídeo. Nos despedimos quando eles saíram e fomos pra sala. Marcelle pegou o controle da TV e sentamos no sofá. Assim que ligou, ela foi direto pro canal de vídeo.

-- Marcelle, o quê você ...

--É rapidinho Anne – pediu -- Só quero dar mais uma olhada.

Eu não disse nada então pra ela foi como se eu tivesse aceitado. Estava na mesma cena que vimos ontem, Marcelle começou a passar o vídeo mais rápido e parou quando começou uma cena nova, com personagens diferentes: Duas mulheres. Deu play.

As mulheres estavam em uma casa normal, conversando uma com a outra mas com muita intimidade, uma mexendo no cabelo da outra e alisando seus braços e pernas e dando risadinhas. Elas foram chegando mais perto, se abraçando até que começaram a se beijar enquanto a outra ia subindo com a mão por dentro da saia da parceira, apalpando sua bunda. Marcelle estava com as pernas inquietas novamente. Logo, uma abaixou a blusa e a outra começou a chupar seus peitos. Ela passava a língua de leve enquanto a outra estava com os olhos fechados e sorrindo, como se estivesse sonhando. A lambida virou uma chupada bem de leve em seu biquinho quando Marcelle me chamou:

-- Anne, será que isso é bom ? – Perguntou

Isso me pegou de surpresa, mas também estava curiosa.

-- Acho que sim, a outra está gostando...

-- Vou tentar aí você me diz como se sente ok?

Isso foi repentino demais pra mim responder, então ela abaixou minha blusa e começou a apalpar meu peito, sua mão era macia e suave, logo aproximou sua boca e senti sua língua quentinha lambendo o biquinho do meu peito e começou a fazer o mesmo que vimos no vídeo ainda pouco, passando a língua de leve, nisso meus olhos já queriam se fechar, quando ela começou a chupar o biquinho, meu corpo vibrava em resposta. Ela abocanhou meu peito inteiro e eu soltei um gemidinho. Ela mamava e invertia com lambidas, o vídeo ainda rodava na TV e o gemido da mulher deixava o momento ainda mais gostoso. Mas Marcelle parou.

-- E Então, está gostando?

-- S-Sim, continue – Pedi.

Eu sentia minha vagina dando uma leve piscada e no vídeo uma das mulheres estava beijando o pé da parceira e subindo pelas coxas. Maria se levantou do sofá que estávamos sentadas e ajoelhou na minha frente. Começou a beijar meu pé, subindo para minha coxa. A mulher do vídeo retirava a calcinha da sua parceira e Marcelle fez o mesmo comigo: Retirou meu short e minha calcinha. Continuou em minhas coxas e ouvi um gemido alto na TV e viramos para olhar: A mulher tinha passado da coxa para a vagina da outra e começou a chupar. Marcelle deu de ombros e aproximou sua boca da minha xota e senti seus lábios roçarem de leve. Fiquei molhadinha na hora e suspirei. Minha xana era lisinha e fechadinha, então ela começou a lamber meu capu, e devagar ia entrando com a língua até o buraco da vagina e subia, contornando o meu grelo, ela continuava com movimentos suaves pressionando a língua de leve enquanto eu me contorcia e gemia baixinho.

-- Ahhhh Marcelle!

Sentia meu rosto queimar de vergonha e prazer.

-- Isso é tão bom – Gemia.

Do meu clitóris ela desceu e começou a enfiar a língua no meu buraquinho. No vídeo a mulher enfiava o dedo na xana da outra então Marcelle me olhou:

-- Tudo bem pra você? – Perguntou

-- Faça o que quiser – Respondi – Mas vá devagar porquê ... Ahhhh!

Antes deu terminar ela estava atolando o dedo médio em mim, minha xota estava toda babada e o dedo escorregou pra dentro. conforme ele entrava eu sentia meu buraquinho se abrindo pela primeira vez. Ela parou no fundo e me olhou, quando fiz sinal para continuar ela começou um vai e vem demorado, percebi um dedo a mais entrando na xotinha e ela socou no fundo e começou a girar seus dedos, eu gemia com gosto enquanto minha irmã me comia com os dedos.

-- Anne, fica de 4 igual a mulher está fazendo.

Não tinha reparado mais no vídeo pois estava muito ocupada sentindo tesão, me virei e não conseguia mais ver na TV oque ia acontecer a seguir. Senti novamente sua língua chupando o buraco da minha xana, parecia um desentupidor de pia e assim era mais gostoso ainda.

-- Ahhh irmã, não para! - Ela estava mamando igual um bebê, e meu corpo começou a vibrar, quando percebeu, parou e subiu com a língua pro meu cuzinho. Ué, por que isso?

-- Marcelle aí não precis... Ahhh – Pra minha surpresa, era ainda mais gostoso, ela estava dando linguadas no meu cú e o tesão por cada linguada era maravilhoso! Começou a chupar e automaticamente eu estava rebolando em sua cara, ela sabia que eu queria mais que isso. Não sei se era algum tipo de telepatia entre irmãs, mas como se tivesse lido meu pensamento, foi para debaixo de mim e começou a mamar minha xotinha e colocou o dedo médio na portinha do meu cú. Que tesão da porra! Enquanto ela brincava com os dedos, ouvia os barulhinhos da baba que ela tinha deixado, ela colocava a pontinha do dedo e forçava a entrada, mas sem entrar.

-- Vai Marcelle, soca esse dedo logo – Implorava – Não estou aguentado tanta tortura!

Minha voz já estava ofegante e eu não parava de gemer, vez ou outra chamava seu nome, e ela ficava de palhaçada com aquele dedo, que mal abriu minhas pregas mas meu cuzinho já piscava. Sua língua trabalhava incansavelmente na minha xana e sentia a pressão aumentar, eu achei que ia morrer com tanta excitação então sem me controlar, abaixei minha bunda e seu dedo entrou com tudo no meu cuzinho, mas não parei por aí e comecei a mexer, subia e descia sentando no seu dedo, mesmo assim ela não tirou sua língua de mim e manteve seu dedo parado enquanto eu sentava nele, sentindo cada centímetro.

-- Nossa Anne, você é tão apertada! Fica parada – Mandou. Seu dedo começou a ir de encontro com minha bunda e cada vez que eles se chocavam fazia um barulho delicioso! Sua boca voltou a me mamar desesperadamente e seu dedo socando na mesma velocidade

-- Isso querida! Arrebenta esse cuzinho, não precisa ter dó dele – Eu suplicava.

Ela acrescentou mais um dedo e ia com tudo, eu comecei a gritar, não estava mais aguentado e meu corpo ia explodir, aquela mamada na xana com a socada no cuzinho era a combinação perfeita!

-- Goza na minha boca Anne – Pediu.

Ela começou a girar os dedos no buraco do cuzinho lentamente e eu choramingava:

--Me fode Marcelle! Por favor...

Ela continuou devagar enquanto eu virava os olhos, então acelerou a mamada, num grito de tesão, sinalizei que ia gozar e ela voltou a socar no meu cuzinho e isso foi o suficiente pra mim gozar gos-to-so na boca dela.

-- Você acabou comigo irmã! Desmoronei no sofá. Ela limpava a boca e sorria.

-- Na próxima será minha vez ok?

-- Ok. Concordei. Nos ajeitamos para assistir TV, ela deitou no meu colo enquanto eu lhe fazia cafuné. Ela precisava saber como era sentir seu corpo flutuando assim como eu senti, e eu queria proporcionar isso a ela. Mas só a noite, quando papai e mamãe já estiverem dormindo ;)

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
17/09/2018 12:17:34
Muito excitante E gostoso
16/09/2018 00:22:42
Perfeito!
14/09/2018 20:47:25
Tato, grato pelo comentário deela fode com cuidado, seu alvo .....
12/09/2018 20:42:21
Tato o erotismo nos teus contos se misturam ao incesto nota 10
07/09/2018 16:21:51
Se a titular do conto for tua esposa, parabéns a ela, erótica e sensual
02/09/2018 13:54:07
Bah, que tesão de conto, tchê! Excitante de laço a laço essa galinhagem da duas gurias. Dou nota máxima pro relato e nota mil pras gêmeas. Se tiveres tempo, leia minha aventura com um casal em Gramado. Abs calientes.
01/09/2018 13:39:25
Marcelle Eloisa, que delicia! Histórias dessa fase são muito boas mesmo. Me deixou cheio de tesão, imaginar essas gostosinhas em dose dupla... Parabéns! Bjs e leia o meu tb.
20/08/2018 00:33:56
Desculpas aceitas, continue a escrever ok?
24/07/2018 21:02:44
Dizem que devemos experimentar de tudo na vida. Como fizeram, estimuladas por esse filme. Rs. Fez lembrar a minha adolescência quando vivi coisas parecidas e tão intensas quanto. Gostei da narrativa. Parabéns. Acabei de publicar um novo conto e adoraria tua opinião. Bjs.
12/07/2018 10:24:31
Excelente conto!! Muito excitante!!! Continuem!!
11/07/2018 15:34:04
Nota 10
11/07/2018 11:35:32
Safadinhas vcs quero continuação