Casa dos Contos Eróticos

[RESPONDENDO COMENTÁRIOS] recebe o entregador de gás na nova casa, e

No domingo mesmo, durante o churrasco e a arrumação da mudança, chegou um cara na casa do Diego. O gay fechação que estava lavando a varando, foi que atendeu o homem. Entrou chamando Diego:

- Diegô... bicha maluca... tem um boy todo gatinho aqui na porta procurando pela senhora.

Diego foi todo sem graça falar com o homem. O homem estava rindo porque o viado chamou ele de gatinho e o jeito que ele saiu chamando Diego [ao menos isso].

- Pois não!

- Tudo bom? – Perguntou ele levantando a mão pra apertar a do Diego.

- Tudo bom sim!

- Me chamo “X” e moro logo aqui na frente. Somos vizinhos. Só quero dizer que qualquer coisa estou ali. O que precisar pode contar comigo. [Diego precisou algumas vezes sim, rss, e a primeira delas foi a senha do wifi pra formatar o celular até instalarem a internet dele, já que formatar aparelho usando pacote de dados, não tem como].

Diego achou muitíssimo estranho, ele tinha certeza que o vizinho estava “se oferecendo”, mas Diego gosta de certezas, não de dúvidas. Mas achou aquilo lindo, diferente, ele nunca havia visto vizinho fazer isso.

- Nossa que fechação! – Um dos gays, amigo do Diego, que ouviu, saiu falando para os outros. – Mal a bicha se muda e já é intimada por um bofe vitaminado.

Diego ficou morreeeeeendo de vergonha.

- Não liga não. Vou matar ela depois. São todas malucas assim mesmo.

- Que nada! Ligo pra brincadeiras não. Cabeça de gelo! Fica friio! Vou aqui. – Ele apertou a mão do Diego novamente e se saiu, balançando a cabeça e se acabando de rir [com certeza estava com o ego cheio, todo se sentindo o gostosão – homens adoram isso].

Mas realmente Diego ficou achando que ele estava dando indireta, paquerando ele [qualquer um pensaria isso].

Os amigos do Diego que estudavam na segunda pela manhã foram embora no domingo mesmo, um que é cabelereiro também foi por conta do trabalho. O órfão, o amigo desse órfão, o gay caso do órfão e a racha namorada do amigo do órfão, que moram na vila que pertence à penúltima cidade onde morava, só foram embora na segunda pela tarde. Desses, só a racha que não trabalha. O órfão e o gay que é caso dele, trabalham, mas faltaram; e o amigo do órfão trabalha viajando [aqui chamamos de “perfumeiro”].

Na quarta-feira mas 11 da manhã Diego teve uma surpresa. O neguinho, que ainda não havia voltado ao trabalho, ligou pra ele:

- Queria te ver, posso ir aí?

Diego saltou de alegria:

- Que pergunta idiota. Claro, bebê! – Diego ensinou direitinho como chegar.

Quando o neguinho chegou a rua estava um pouco movimentada, Diego estava sentado no último degrau da escada, conversando no zap.

Entre as pernas do neguinho havia um buquê de rosas amarelas e uma caixa embrulhada em presente. Ele ficou sentado na moto, apenas tirou o capacete, estava de lupa [visível que não era de marca]. Estava todo bonitinho, raspou os lados da cabeça deixando somente a circunferência de cima com cabelo, ficou parecendo um marginalzinho, mas estava decente.

Diego foi até ele, alegremente.

- Hum! Tá todo gatinho. Isso foi só pra mim ver?

- Claro!

- E essas rosas?

- São para você.

Diego não gosta muito de flores mas achou lindo o gesto dele.

- Então me dá, ué!

- Aqui não. A rua tá cheia e aqueles caras no bar estão olhando.

- Ah, Jackson, para de besteira. Nessa cidade ninguém te conhece. – E Diego pegou as rosas e o presente, e alegre, abraçou Jackson, que ficou rindo todo envergonhado, olhando para o bar, para um lado, outro e para 3 garotas que estavam sentadas na frente de um casa um pouco adiante, e ficaram olhando e rindo.

Jackson saiu da moto e ficou com o joelho direito em cima dela e rindo.

- O que foi? Vamos entrar.

- Calma, deixa eu relaxar. Pensei que você ia me beijar na boca, kkkk. – Disse o neguinho rindo.

- Se você ficar com essa vergonha boba, vou beijar mesmo. – E Diego avançou em cima dele pra beijá-lo.

- Não, seu doido. Tá maluco! – Disse ele segurando a moto e dando um passo pra trás.

- Coloca a moto aqui na área. – Disse Diego.

- Ninguém mexe não?

- Não. Aqui a rua é tranquila. Mas se preferir, a gente levanta ela e coloca em cima do passeio, do lado da casa.

- Não. Tudo bem!

[Alguns dias depois, com a construção do muro dos fundos, Diego pediu pra construírem uma rampa na frente da casa, pra acesso de motos até o passeio].

Diego estava pouco se lixando com os olhares. Ele já não tinha preocupações em as pessoas saberem sobre sua sexualidade, imagine morando sozinho.

O neguinho tirou o sapato, entrou e sentou-se.

Diego colocou as rosas num vaso com água, abriu o presente e era uma caixa de bombom. Não sei porque os homens só sabem dar flores e bombom. Rss. Mas tudo bem! O gesto foi lindo.

Diego foi até ele, ajoelhou-se em cima do sofá e sentou-se no colo dele.

- Saudade de mim, gatinho?

- Gatinho... kkkkk! – Disse o neguinho achando engraçado [também cheio de gosto]. – Estava sim. E você?

- Doidinho pra te ver. – Respondeu Diego pegando no rosto dele e arrancando-lhe um beijo demorado e gostoso. – Mas vamos conhecer a casa. – Saiu Diego, puxando ele pela mão, todo empolgado.

Depois que Diego apresentou toda a casa, o neguinho disse:

- Me interessei mais por essa parte da casa. – Disse ele puxando Diego para o quarto.

- Nan, nanin, nanão! Você está todo suado. Primeiro tome banho antes de deitar na minha cama.

- Rapaz...! É verdade? Ainda tira onda com minha cara. É mole? – Disse ele rindo e agarrando Diego, levantou-o, prendeu Diego na parede; Diego o abraçou com as pernas. Jackson arrancou um beijo do Diego.

- Aquele dia você me chupou todo suado, hoje está tirando onda com minha cara. – Disse Jackson arrancando outro beijo.

- Adoro chupar você suado, mas pra deitar na cama não. Então, vá tomar logo banho, mocinho, que hoje você vai ser inteirinho só meu. – Disse Diego dando um beijo na boca dele e um tapa com as duas mãos, no peito dele.

- Só tomo banho se tomar junto comigo. – Disse o neguinho dando leves beijos na boca do Diego [só em lembrar, quase dou um ataque glicêmico com tanto mela-mela. Eu hein!].

Diego levantou a camisa dele, arrancou e jogou no chão.

- Só se me levar assim, nos braços.

O neguinho levou Diego aos beijos loucos para o banheiro. Ele estava de calça jeans, muito suja por sinal. Kkkkk [é que enquanto não voltara ao trabalho, ele foi fazendo outros trabalho, e vestiu-se daquele jeito pra mulher pensar que ele ia trabalhar].

Diego foi colocado de joelhos em cima do sanitário [não corre risco de quebrar porque Diego é uma palha . Rss], o neguinho baixou a bermuda dele expondo a bunda, colocou o pau pra fora da calça, e como sempre, mandou cuspe no rabo do Diego e colocou a rola pra meter.

- Neguinho, deixa eu pegar uma camisinha.

Jackson mostrou-se revoltado:

- Qual foi, cara, está me achando com cara de doente é? Você não já me deu essa porra sem camisinha?

- Não, nego é que fiz exames e deu tudo certo, e quero me manter assim, limpo.

- Acabou de me chamar de doente, cara. Se eu tivesse alguma doença você também teria, já que você fez exames. Ou deu algum problema e você não quer me dizer nada?

- Não, nego, me desculpe. Estou falando a verdade. Estou com uma cópia aí, posso te mostrar. Tudo bem então, mete assim mesmo.

- Então chupa aqui, sacaninha, porque você me fez broxar.

Diego mandou boca na rola no neguinho, que deu um certo trabalho pra ele voltar a ficar excitado, mas Diego conhecia seu ponto fraco. Levantou uma perna do neguinho [que perna pesada!], e chupou suas bolas. O neguinho botou o pé em cima do sanitário, encostou as costas [altura do ombro] na parece de Diego explorou com volúpia e gulodice, o saco do neguinho. A rola reavivou, cheia de tesão. Foi uma loucura deliciosa. E Diego chupou seu caralho com ferocidade.

- Para, sacana, senão vou largar tudo na sua boca.

- Não, painho, come minha bunda, minha delícia.

- Então vira essa bundinha pra cá, pra ela comer pau, sacana.

Diego voltou ficar de joelhos em cima do sanitário, e, como sempre, o pau não entrou fácil. Diego foi até o quarto rapidamente e pegou hidratante, e entre uma lubrificada e outra, a rola entrou. O neguinho meteu as mãos por baixo e começou apertar os peitos que Diego não tem, e começando os soca-soca, e os dois começaram gemer gostoso pra porra, e falar palavrões, alto e descontrolados. Enquanto o neguinho xingava Diego, sem receios de vizinhos ouvirem, Diego o chamava de “painho”, “gostoso”, “meu neguinho”, “safado”, “depravado”, etc, também sem receios dos vizinhos ouvirem. Diego e o neguinho perderam totalmente o senso de pudor. Enquanto socava o rabinho do Diego, o neguinho começou dar-lhe tapas na bunda. Diego enlouquecia. Seus “ai, ai, ai...” era alto, intenso e demorado.

O neguinho [todo forte] pegou Diego [que é baixo e leve], levantou-o e colou as costas dele na parede, meteu os braços por baixo das pernas do Diego, dobrando elas e fazendo seus joelhos chegarem ao peito; o cuzinho do Diego ficou direcionado para a outra parede, e ali mesmo o neguinho socou seu buraco que já estava bem largo. Nessa posição o cuzinho do Diego ficou bem exposto, o pau do neguinho foi fundo, inteiriço no cu do Diego, ele podia sentir a base da rola do neguinho, podia sentir o saco na borda do cuzinho, sentia perfeitamente seu pentelho mal-feito, espetando as bordas do seu cuzinho e furando sua bunda. Diego perdera o juízo [já não tem – rss].

Foi nessa posição que o neguinho gritou:

- Puta, vou gozar, sacana.

Quando Diego sentiu a primeira quentura dentro do cuzinho, o neguinho tirou a rola por baixo, batia punheta deixando a porra espirrando na porta do cuzinho do Diego, e depois socou a rola novamente, e ficou fodendo o cu do Diego por uns segundos. Até que ele começou ter espasmos e se tremer, e acabou arriando-se no chão, deitou-se relaxando no chão do banheiro com Diego sentado na rua rola.

- Ai painho, adoro te ver e te sentir gozar.

- Carinha, você ativa um animal dentro de mim que até eu mesmo desconheço. Minha gozada contigo é espetacular, nem tenho palavras.

- Posso gozar também? Já estou perto.

- Claro que sim, sacaninha, mas vira pro outro lado.

Diego virou-se com a rola dentro do cu, passou a mão no cuzinho pegando o excesso de esperma do neguinho e bateu uma punheta nervosa, enquanto apertava o saco do neguinho e alisava as bordas do cuzinho esticado. Com o cuzinho todo socado Diego largou uma gozada líquida porém extremamente prazerosa. Sentindo o cu do Diego contraindo, o neguinho segurou firme na cintura do Diego e dava umas socadas. Diego gritava de tesão e começou se tremer. Perdendo o movimento das pernas, Diego foi arriando-se de joelhos, tirando o cu da rola do neguinho e deitou o lado das costas na parede do banheiro, leve e excelentemente satisfeito. Diego estava todo lerdo, e deitou-se no peito do neguinho.

Não foi uma foda daquelas demoradas, cheias de posição, mas foi extremamente perfeito, tenso e intenso. Os dois estavam num fogo só.

Foram para o banho, mas namoraram mais do que tomaram banho. Parecia casal de namorados apaixonados. Diego estava tão viajando na do neguinho que estava quase perdendo a paixão ardente pelo padrasto.

Após o banho foram pra sala, conversaram e brincaram muito, jogaram game [o neguinho era péssimo no game. Kkk].

Deitaram-se no chão da sala. O neguinho virado pra cima e Diego em cima dele. Foi tanto namoro, tanto beijo, tanto carinho que até fazia nojo.

Enquanto Diego foi comprar um lanche, que voltou, o neguinho estava dormindo, com as mãos atrás da cabeça. Diego não quis acordá-lo. Apenas deitou-se colado a ele, de bruços, colocou a cabeça no braço do neguinho e ficou observando ele dormir e alisando seu rosto [o neguinho ronca, aff]. Diego também pegou no sono. Só acordou quando o neguinho despertou [já que o sono não fora provocado por medicamentos].

- Cara, já são 7 e 18. Tô fudido. – Disse o neguinho se vestindo rapidamente pra ir embora.

- Desculpe, nego, eu também acabei dormindo. E te vi dormir tão gostoso que não quis te acordar quando cheguei.

- Que nada! Não foi culpa sua. – Disse ele pegando Diego pelas bochechas e dando alguns beijinhos na boca.

- Ao menos faz um lanche. Comprei torta.

- Cadê?

Diego deu uma torta que ele havia comprado e o neguinho praticamente engoliu.

Ao sair, as pessoas observavam, mas o neguinho já não se importava mais. Deu a volta rapidamente com a moto, olhou pra Diego, buzinou e saiu panhando quente. [PS = a palavra “panhando” marcou como errada, procurei no dicionário e realmente não existe, mas como as pessoas têm costume de falar essa palavra, deixarei aí].

Como falei, Diego estava balançado pelo entregador de gás. Ele tratava Diego de um jeito muito gostoso, leve, aconchegante, amigável, carinhoso; os dois não brigavam, o neguinho sempre legal, sempre presente, todo dia mandava mensagem, ligava, tratava Diego como pedra de ouro. Era muito gostoso estar com ele. As poucas vezes que fizeram sexo era perfeito, com muito tesão, química recíproca, cheio de beijos, muita safadeza, comprometimento, entrega total, tesão, sacanagem. Até os momentos de sexo selvagem era prazeroso e com muito carinho. O neguinho sempre gozava gostoso e ele queria que Diego gozasse também, coisa que quase homem nenhum permite; ele não deixava Diego a “ver navios”. Quando gozava, ele não largava Diego lá e ia embora como 99% dos caras fazem. Com o neguinho era diferente, e as gozadas do Diego eram espetaculares. Diego achava o neguinho excelentemente perfeito.

Mas quase 2 meses depois de namoro, Diego fora convidado para o aniversário de um amigo e levou o Jackson. A festa foi numa fazenda. Aquela festa trouxe grandes surpresas no romance dos dois.

[Continua...]

*****************************

Túlio e Healer, depois respondo a vocês, amores. Tive um dia corrido, resolvendo um monte de coisa. A "independência" é boa mas também traz "consequências" e "obrigações". Rss. Responderei assim que der. Abraços! Não me abandonem. Rss.

******************************

RESPONDENDO OS COMENTÁRIOS DOS CONTOS ANTERIORES:

Oi HEALER, tudo bem sim. Apenas meio perdido em saber resolver algumas coisas, mas breve conseguirei facilmente. Rss. Pense num bando de bichas realmente loucas, mas 99% amigáveis, então juntas para o que der e vier. Também não há o que reclamar das amigas rachadas nem dos rapazes héteros. Quando ao órfão, ele sempre se mantém presente desde sempre, ele adora Diego, ainda está com relacionamento com a mesma bicha, moram na mesma vila e na mesma casa. Amizades que foi ampliada. Pense num rapaz gente boa. Você já conhece bem o TG, pelo visto, já sabe até o que ele vai dizer. Kkkk. Hum! A coisa está séria entre vocês [2 loucos e/ou loucas – rss]. Quanto ao Diego, o conheço há muitos anos. E quanto aos leitores, realmente seria legal se eles comentassem, mas não comentam, também não tem problema. Frustrante seria se houvesse poucos leitores. Rss. Estou satisfeito com você, o Túlio_Goulart e alguns que comentam de vez em quando. Rss. Mais uma vez, meu muito obrigado! O entregador de gás realmente foi prejudicado, mas ele teve a vida de volta, ao menos isso. Eu quase me mijo de rir com você levando uma carreira de um bêbado, drogado. Tem certeza que não foi TG? Kkk. A corda que o Diego comprou te deu altas ideias com o TG? Misericórdia! Imagino o que vem por aí. Rss. Só não valeu os 2 gostosos de pau grosso [imagino comendo vocês] e eu assistindo. Ah que sem graça! Não vale! Kkk. Ah, amigo, realmente a rua, o bar estava cheio de gostosos, homens de todo tipo e idade, mas tinha muito homem bom. Eu pensei que teria uma enchente de lágrimas pelo fato do Brasil ter perdido, mas o que ouvi muito foram fogos. Kkkk. Eu hein! Pra mim tanto faz Brasil perder ou ganhar, não gosto de futebol nem ganho nada Brasil ganhando, nem perco nada Brasil perdendo.

OI TÚLIO, fiquei sabendo que você correu atrás do Healer, não no sentido pejorativo [já te conheço], sim no sentido real. Rss. Ufa! Ao menos você viu duas coisas boas no Diego. Nossa! Wesley não sabe nada sobre o amigo que partiu, só sabe mesmo que foi envenenado. Você falando assim me assusta, mas pode ser verdade, a parceria e irmandade entre os dois, parecia coisa de outras vidas, não sei o que seria do Diego se o órfão soubesse. Amizade realmente é muito bom. Quanto não comentar outros contos, fico com receio de que alguém não goste, mas vou tentar fazer isso. Ler, até leio alguns, mas comentar fico com receio. Tem contos que eu vejo até briga. Rss. Nossa! Do jeito que você fala, parece gostar e entender de futebol, isso é raro no meio gay, eu mesmo não entendo nada [nem faço questão - rss], se bem que você parece que é “pau pra toda obra”, que não recusa nenhum tipo de órgão sexual ou órgão que não foram feitos pra fazer sexo mas fazem assim mesmo. Kkkk. Você sempre nas “farras doidas”. Você não tem medo? Vocês ficaram cheios de ódio e “estragam” a própria vida porque o Brasil perdeu. Me poupe! Você perdeu o que com isso? Rss. E você pelo visto deve estar “estudando” [será? – Rss – Sumiram você e o Healer juntos. Já imagino. Kkk].

OI BOBOY, tudo bom? Quanto tempo! Olha, só me deixa antemão discordar de uma coisa que você falou. Eu não acho tanto assim os gays falsos uns com os outros. Falsidade existe em qualquer meio, mas também não acho que seja exagerado. Digo isso por experiência própria. 99% de meus amigos [homens, mulheres e gays] são perfeitos, claro que houve exceção, mas maioria não pode sofrer por causa de 2 ou 3 falsos. É só minha opinião. Rss. Quanto ao Jackson ser bissexual, pode até ser, mas o mundo é bem mais suave “sem rótulos”. Rss. Mas nada contra “tratamento”. Rss. Que bom que você também acompanha. Rss. Obrigado! Quanto a comentar em outros contos, até mencionei na resposta ao TG, tenho receio que não gostem, mas vou tentar passar por cima disso e comentar. Realmente isso incentiva o autor. Quant terem inveja do Diego, não acho muito não, acho que é mais raiva. Mas tudo bem! Nada é perfeito. Rss. Não tem problema não. Exclui alguns contos por segurança. Como futuramente excluirei alguns que irei publicar. Rss

Abraços a todos e meu muito obrigado! Ótimo fim de noite e ótima quinta-feira!

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
16/07/2018 22:15:04
Coitada da Bahia quando receber Túlio. Misericórdia!
12/07/2018 23:11:00
Huahuahuahua... ah foi man. Escarrerei Healer mas não foi como ele disse lá no conto não. Ele só fez charme pra eu acabar estuprando ele. Corri atrás dele dos dois modos 😋😋😋😋😋😋😋😋😋. Pense numa socada filé, Healer gozou pelo cu igual uma égua maluca e parou grudado no teto igual uma lagartixa 😂😂😂😂😂😂😂😂😂. E interaja com os outros autores mesmo, vai ser legal. Acho que vão te dar mais atenção, mais do que você já tem, afinal sempre está com inúmeras leituras 😆😆😆😆😆😆😆😆. Gostei do meu emblema: pau pra toda obra 😎😎😎😎😎😎😎😎. Venha cá meu parça, medo de quê sacaninha??? Huahuahuahua. É bichona, realmente não perdi nada com o Brasil sendo eliminado, mas é gostoso ter um motivo pra festejar, igual os baianos que tudo acaba em festa 😆😆😆😆😆😆😆😆😆 Por falar nisso, nas férias da universidade estarei lá todo, todo 😎😎😎😎😎😎😎😎😎. Vou até fazer uma faixa e colocar na divida do Estado da Bahia com o Espírito Santo: segura o cu e a rola porque Túlio tá na área 😎😎😎😎😎😎😎😎😎😎
12/07/2018 23:08:16
Porra sacaninha, sumi porque Healer e eu estávamos em uma viagem numa ilha do Pacífico 😎😎😎😎😎😎😎😎. Porra, parça, eu li dois livros pelo computador pra fazer dois resumos. Não tava mais com saco pra comutador, celular nem ler nada. Huahuahuahua. Dormi ontem morrendo de dor de cabeça, mas já tô todo filé, como sempre 😎😎😎😎😎😎😎😎😎😎. Sacaninha, tá na cara que esse maluco tava dando em cima de você. Não é normal o cara chegar assim e se apresentar. Quando me mudar daqui espero ter um vizinho que faça isso comigo também 😋😋😋😋😋😋😋😋. Caraca man, da hora esse neguinho aí. Sacana, pegada boa gostosa do caralho. Vou aí conhecer esse pivete. Não fica com ciúmes não Healer, sabe que nós é federal, o restante é petisco 😆😆😆😆😆😆😆😆😆. Diz uma coisa mano, a gozada do Diego ainda é ralinha? 😋😋😋😋😋😋😆😆😆😆😆😆😆. Porra, quero ver 😆😆😆😆😆😆😆. Healer me disse que a tua ainda continua ralinha, ele disse que bebeu ela onteontem depois que tomou metade no rabo. Ontem foi minha vez de pegar o Healer 😎😎😎😎😎😎😎😎😎. Ele não sabe dizer se a do Diego ainda é rala porque ele disse que quando foi pegar Diego, o sacana levou um suco pra ele, e Healer saiu em disparada, quase para no Polo Norte. Fico no aguardo qual foi a surpresa no romance do preto com o Diego 😎😎😎😎😎😎😎😎😎 .
12/07/2018 18:26:11
Hum! Gostei. Vc pelo visto tem opinião própria e sabe discordar de alguém sem ofender. Gostei da sua visão sobre falsidade mas acho q vc pensa assim tvz pq nunca passou por problemas e decepções com amizades, e torço q nunca passe por isso. Já passei por mtas, e por amigos q nunca diria me trair. Infelizmente nosso inconsciente faz a gente achar q os outros são iguais àqueles q nos traíram. Gostei também da sua opinião sobre rótulos. Vc tem razão. Comente em outros contos, seja sociável, e sempre franco, sem se importar se alguém vai gostar ou não. ABC!
12/07/2018 01:58:12
Dyguinho muito bem, resolva essas paradas aí e fique livre para escrever mais, a gente agradesce kkk. Curti as bichas loucas e essa galera de modo geral. Ainda bem que Jackson não ficou no prejuízo. De nada por estar satifeito comigo, sou magnificamente excelente, TG e os outros também kkkk. Meu querido as coisas entre eu e Túlio_Goulart estar séria!? Kkkk só tu para me fazer rir a essa hora. Eu estou bem assim, hoje quero, amanhã já não sei. Espero que TG não se sinta usado, kkkk. A carreira que tomei kkkk, bem que podia ser, a manguança e o cheiro era bem semelhante kkkk. Eu penso sobre futebol parecido com você Dyguinho, mas curto futebol em Copa, até assisto os jogos sem ser da seleção brasileira kkk. Sumi, mas estou aqui meu fofinho kkk. Sobre o conto a transa de Diego e Jackson se tratam foi boa, curti essa química dos dois, porém camisinha sempre. Não deve dar confiança à isso, ainda mais um cara que traí a esposa e depois deita com ela, pode até passar DST abusando da confiança da esposa e ela descobrir tudo depois de exames, é complicado. Esse vizinho novo parece interessante kkkk. Um abraço.
11/07/2018 19:08:57
Eh raro héteros q bjam na boca. Esse negro está mais pra bissexual ativo. Adorei assim msm. Putaria deliciosa, kem me dera um namorado q bje na boca e me pegasse desse jeito, ñ dxaria ele mais nunca. Eu acompanho seu conto, Dyguinho2000, só ñ sou de andar comentando, o q eh um gde erro meu. Eh bom os autores saberem q tem gente q além de acompanhar, comenta com nota ou sem nota, msm q reprove a história. Acho q o povo ñ comenta muito aki por raiva do Diego q apronta tanto mas está sempre se dando bem, msm de um jeito torto e turbulento. As pessoas devem ter raiva misturado com inveja. Mas vc deveria cometar outros contos, mtos retribuem o comentário e a nota. O q acho decepcionante eh q os contos héteros q leio, as pessoas comentam, dão nota, já os gays tem essa deficiência, o q se supõe é q vivemos num meio onde os próprios gays são falsos um com o outro. Continue, lindo, fora os contos violentos q vc excluiu, gostei de todos. Bjs!
10/07/2018 20:57:14
Diego como sempre aprontando ......