Casa dos Contos Eróticos

#6: MEU PRIMO me jogou na CAMA, me colocou de QUATRO e COMEU meu CUZINHO GOSTOSO.

Olá pessoal do Casa dos Contos!!!

Quando dei por mim, ele me beijou ali mesmo, no elevador! Eu fiquei super surpreso! Fiquei parado, em choque! Minha reação foi apertar o botão do elevador e sair correndo dali, assustado! Não sei o porquê de isso ter acontecido! Foi o nosso primeiro beijo! Mas, porque ele me beijou? Motivado pelo que? Acho que eu sei da resposta! Só pode ser por isso...

Muita coisa aconteceu conosco nessas semanas. Coisas que até então, nunca tinha passado pela minha cabeça fazer ou sentir vontade de algo. Ao ser surpreendido com essa atitude do Felipe, fiquei tremulo e parado ali mesmo. Sem pensar duas vezes, apertei o botão do elevador e sai correndo. Sem sombras de dúvidas, algo começava a passar por minha mente naquele instante. Eu não sabia explicar o porquê de estar correndo do elevador em direção a porta do apartamento onde resido! Ao chegar perto dela, por um instante, olho para trás e vejo o semblante do Felipe... Um semblante assustado e distante. Será que fui eu quem causou isso nele? Não sei ao certo... Resolvi dar tempo ao tempo para nós dois.

Alguns dias se passaram e eu fiquei realmente um pouco distante do Felipe. Na escola, passamos um do lado do outro sem ao menos nos olharmos direito. Eu, pelo menos, não olhei para ele. Não sei se ele olhou para minha pessoa.

Eu chegava em casa e ficava na minha. Encontrei refúgio na internet. Ficava navegando por aí, olhando a vida dos outros no Facebook... Tipo como se fosse um vazio que tinha acabado de deixar de ser preenchido por algo. Nada fazia mais sentido. Quando eu estava sem nada o que fazer, eu, particularmente, ia para a casa do meu primo, que é meu vizinho e, juntos, jogávamos até dizer chega! Mas estava tudo diferente. Resolvi ficar deitado em minha cama sendo devorado por meus pensamentos. “Porque será que ele me beijou? Porque será que ele fez isso? Será que ele sente alguma coisa por minha pessoa? Como será que vou saber...?!”... Essas dúvidas ficavam em minha cabeça e o pior é que, quando estamos desse jeito, com esses pensamentos em nossas mentes, e ficamos martelando durante todo o dia, acabamos desperdiçando nossa energia com isso.

Não sei se você, que está me lendo agora, é assim, mas eu fico pensando sobre tudo. Posso até me desgastar por pensar demais nas coisas. Muita coisa aconteceu comigo. Eu estava com minha vida feliz de pessoa hétero. Nunca tinha passado por minha mente fazer algo que estou fazendo esses dias com o Felipe. Mas será que é estranho uma pessoa, que até então não curtia, gostar de gostos diferentes? Alguém pode até tentar te chamar de Gay ou viado, ou, até mesmo, prostituto voluntário, como escutei uma colega evangélica falar com outro colega nosso na escola. Mas, eu me decido: eu sou hétero com gostos diferentes e ponto final! Ou, se for conversar com algum psicológico algum dia, posso até tentar descobrir se sou um bissexual...

Vários dias se passaram. E ainda nós não tínhamos nos falado. Quando fui olhar meu celular, não tinha nenhuma ligação dele, nem mensagem no Whatsapp, nem no Facebook, nem email, rapaz! Nem nada! Minha ânsia me consumia! Até que, um dia, eu acordei com atitudes, pois, gosto de dormir com ideias e acordar com atitudes. Tinha tido um sonho maravilhoso! E eu acredito que eu estou com um grave problema! Um problema daqueles bem grandes! Todos esses dias, ao ficar pensando em como tentar resolver esse problema, eu não sabia o que estava acontecendo comigo! Será que o problema todo era comigo e eu não sei? Ou será que é com ele e está me afetando?

Engraçado que existem muitas pessoas em nosso mundo que se fazem de difícil ou não dão importância as outras pessoas. Aquelas pessoas que não demonstram interesse, mesmo estando complemente interessadas. Vejo isso de forma estranha, pois sou o tipo de pessoa que gosta de tudo de forma transparente, de forma direta, de forma que não se possa esconder nada de ninguém. Não demonstrar interesse não te torna uma pessoa interessante do que a outra.

Não sabia ao certo no que eu irei fazer. Porém, com essas considerações, acredito que eu cheguei a uma resposta! Possa até ser difícil imaginar nisso, mas, meu pensamento está todo nele! Ou em como resolver isso. De tanto eu colocar ele em minha mente, e colocar nossos momentos juntos, acredito que meu corpo está sentindo falta dele. Pois é amigos: acho que eu estou gostando dele. Será que isso pode? Será que isso é pecado? Tenho que começar a resolver isso! Mas, como falei, eu tenho um problema grave! Eu falei a vocês, em contos anteriores, que eu tenho uma namorada? Acho que isso eu não tinha contado... Ou se foi contado, me perdoem pela falta de memória! Sou um rapaz jovem, bonito, sou hétero e sempre me relacionei com meninas. Só que, depois de todas essas aventuras, de alguns meses pra cá, acho que estou começando a sentir uma atração, que não sei explicar ao certo, por um amigo meu, que, no caso, é o meu primo Felipe, que também tem namorada! Tudo isso pode fazer sentido, pois, como falei, acredito que coloquei tanto a imagem dele em minha cabeça que eu fico pensando nele até involuntariamente! Quando não estamos juntos, ou quando ele me abraça quando fazemos sexo, ou quando ele olha para minha pessoa com aquele olhar estranho, acredito que todos esses momentos eu meio que acabava sentindo alguma coisa estranha também. Se as circunstancias fossem outras, em nossa sociedade, e dependesse de minha pessoa, eu falava uma do tipo: cara, não é por nada não, mas “cara, eu te amo” pra ele toda hora que nós fossemos nos encontrar! Estranho, não é? E também não sei como isso se formou de forma concreta. Pois é, cheguei a essa conclusão depois do meu sonho! Que sonho foi esse, cara? kkkk

Com toda essa minha ânsia, de tudo o que passou por meu pensamento nesses dias e nesses momentos, resolvi ir até a casa dele, para falar com ele. Ao chegar lá, toco a campainha do apartamento dele. A empregada vem atender. Ela pede para eu entrar e diz que o Felipe está no quarto. Corro pela casa até o quarto dele. Ao chegar lá, percebo que ele está acompanhado com a namorada dele. Resolvo não atrapalhar. Ele externa um olhar estranho e fala algumas coisas.

- Gabriel, o que você quer por aqui? Não marcamos nada!

- Eu queria conversar contigo! Pode ser?

- Acredito que, agora, não seja uma boa hora. Quem sabe no dia 30 de Fevereiro... Pode ser?

- Entendi a referência. Foi mal. Pode ficar aí com sua namorada... – falei com um sorriso amarelo. - Olá, Débora, tudo bom?

- Tudo bem, Gabriel! E com você? – indagou ela.

- Estou indo mais ou menos... Bem, tenho que ir! Até mais para vocês! Aproveitem o dia...

Saí de lá, correndo, querendo ficar triste ou chorar, sei lá. Saio de dentro do apartamento e, sem querer, bato a porta forte. Fico no corredor, triste. De repente, escuto a porta do Felipe se abrir. Ao olhar para lá, percebo que é a Débora. Ela toca no meu ombro e diz que o Felipe quer falar comigo. Eu agradeço a ela e fico pensativo sobre entrar ou não. Depois de alguns segundos, Débora pergunta se eu não irei entra. Eu balanço a cabeça e entro na casa dele. Ao chegar ao quarto, ele está deitado, assistindo “Todo Mundo Odeia o Cris”. Fico na ponta da cama, olhando para a televisão.

- Gabriel, o que você quer aqui? Porque você veio aqui sem termos nos falado durante algum tempo?

- Mas, foi você quem me chamou...!

- Eu só te chamei porque você queria falar comigo! Logo, você veio primeiro para falar comigo e eu só te chamei, pois você veio primeiro mais rapidamente do que eu ter te chamado agora para perguntar isso...

- Felipe, eu gostaria de te pedir desculpas...

- Desculpas pelo que, pow?

- Pelo jeito que eu sai do corredor naquele dia. Eu não deveria ter feito aquilo contigo... Você não mereceu aquilo que te fiz...

- E o que foi que você fez?

- Saí correndo do elevador depois que você...

- Eu sei disso, cara! – disse Felipe cortando minha fala. - Você fez aquilo, pois me rejeitou de forma assídua! Fiquei muito mal com isso! Eu até passava olhando para você na escola, mas você não olhava para minha pessoa...

- Foi mal! Eu também fiquei triste, Felipe! Muito triste mesmo! Mas porque você fez aquilo?

- Eu não sei explicar ao certo. Quando estamos juntos, eu fico feliz! Quando estamos fazendo sexo, nos tornamos uma pessoa só. No calor do momento, às vezes, fazemos coisas que nós não sabemos explicar e tudo vai acontecendo de forma tão natural... Aí, quando você saiu correndo, eu fiquei com muita raiva e muito triste, pois eu pensava que você iria reagir de outra forma!

- E de que forma você queria que eu reagisse?

- Acredito que eu esteja gostando de você, Gabriel!

Ao escutar aquilo, foi como uma chuva que chega para dar alegria a quem está querendo dias mais frios. Essas frases, juntas, me trouxeram uma imensa alegria por dentro de mim. Talvez seja porque eu queria escutar aquilo... Não sei ao certo...

- Eu fiquei me martirizando por isso! Peço desculpas! Tem algum jeito de eu me redimir?

- Só se for assim!

Quando ele terminou de falar, ele veio logo para cima de mim e me deu um mega beijo daqueles que, até o meu pau endureceu na hora. Ao terminar de me beijar, ele foi até a porta e fechou ela de chave. Assim, ele começou a tirar sua roupa e trouxe a minha vista seu gostoso pau que estava super duro querendo algo! Felipe sussurra em meu ouvido dizendo que me quer ali, na cama! Sem hesitar, eu tiro minha roupa e fomos juntos, para a cama!

Ele me pegou de jeito e fizemos um famoso frango assado. Essa posição é tão poderosa que eu me senti como se fosse um automóvel sexy e gostoso com aquele homem me pegando de jeito e de forma bem gostosa! Ele começou a incrementar de formas variadas durante a penetração, onde o Felipe começou a segurar os meus pés delicadamente, enquanto foi me fodendo inteiro! De tanto me penetrar, Felipe apoiou suas mãos sobre a parte posterior das minhas coxas, e fez com que a minha bunda ficasse muito bem posicionada e parada para receber o gostoso do Felipe e seu gostoso pau para me foder!

Eu estando todo preparado e gostando dessa posição, esse nosso encontro foi uma das minhas partes preferidas porque permitiu a nós dois nos inclinarmos e, assim, nos beijamos de forma deliciosa! Foi bem gostoso sentir a língua dele em minha boca! Delícia! Assim o Felipe começou a dobrar o corpo, tomando a iniciativa de, além de beijar, poder me acariciar com sua língua pela nuca, esfregando seus dedos em meus mamilos, garantindo um prazer total no nosso sexo gostoso!

Depois de tanta penetração, Felipe olha para a minha cara e me pergunta se eu estou gostando de dar o meu cú para ele. Quando eu ia responder, ele passa sua mão por meu rosto e contempla os meus olhos, me dando uma leve tapinha. Ele nunca pediu minha permissão para nada disso, porém, foi bem leve e bem quente sua mão em meu rosto. Acredito que o que acontece entre quatro paredes vale tudo, onde nem o Felipe nem eu temos que fazer o que não queremos e o que não sentimos tesão! Realmente, é uma grande forma de sentir um novo tesão fazer sexo com outra pessoa que se parece com você, com outra pessoa que você goste de estar por perto, seja homem, mulher, travesti, e sendo gostoso como ele é, eu quero demais!

Vou dizer uma coisa para você, que está me lendo agora! O sexo estava tão bom que estava funcionando como se fosse um tipo de comunicação entre nós dois, em uma mesma sintonia! Algo mágico e repleto de coisas boas! Como se fosse um tipo de comunicação entre nós dois, homens, nos comunicando em uma língua, trazendo uma grande sintonia. Fazemos o que temos vontade, mas ninguém é obrigado a aturar ignorância de seu ninguém, principalmente daqueles que ficam perdendo tempo com pré-conceito, por mais que o pau dele seja gostoso ou um cu seja bem apertadinho!

Depois de tanta penetração e movimentos, terminamos nosso sexo com ele, como praxe, gozando dentro de mim. Ficamos nos olhando durante um tempo na cama. A empregada da casa dele bate na porta, perguntando se queremos lanchar alguma coisa. Ele diz que faça um lanche super caprichado, pois precisávamos nos recuperar para “jogar” mais! E, assim, fiquei na casa dele durante a tarde inteira “jogando” e beijando ele até não querer mais! Sentia-me bem nos braços dele. Não queria sair dali, por nada nesse mundo...

Pois é pessoal! Essa foi mais uma história das várias que eu tenho com o Felipe! Espero que tenham gostado! Em breve, teremos mais histórias! Uma melhor do que as outras!

Se você gosta das minhas histórias, deixe seu comentário, seu like, seu gostei e me indique para seus amigos, pois gosto muito de fazer novas amizades!!! Agradeço a atenção de todos vocês!!! Beijinhos do menino do blog! Flw!!

Comentários

11/07/2018 06:41:04
Adorei.
10/07/2018 20:26:17
Estou gostando muito do teu conto e esse foi excelente. Você não é ativo com o teu primo, é só ele em você? Gostaria também de saber isso que o Danniel falou.
10/07/2018 17:02:04
Que conto gostoso... Gostei da atitude do seu primo.
10/07/2018 16:52:57
Muito bom. Quero continuar lendo e saber oque tem acontecido com vocês. E o que aconteceu com aquele grupo. e por que o Felipe não deixou você participar. 10

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.