Minha enteada como moeda de troca pra comer a vizinha

Um conto erótico de Binho
Categoria: Heterossexual
Data: 28/07/2018 10:49:50
Nota 9.50

Como no ultimo conto ficou engatilhado duas histórias, pra nao me perder vou contar uma delas, já tinha deixado no ar em outro conto além do ultimo e hoje vou falar sobre Morena a minha vizinha, mas vou ter uma abordagem diferente, até mesmo porque eu nunca a desejei loucamente, nem faz o meu tipo, mas enfim é mulher e tem buceta além disso nao ia deixar Vander seu marido comer Emily de graça.

Nesse caso o sexo foi normal, não aconteceu nada que na minha opinião valha a pena ser relatado aqui, o que vale ressaltar é que fiquei comendo ela por mais de 6 meses, claro, só a primeira foi resultado da troca por facilitar e de certa forma permitir que Vander comesse a Emily.

O que eu já disse no conto anterior e que Morena dava seus pulos (aliás sugiro sempre que leiam os.contos anteriores pois faz parte de uma história pessoal que durou 10 anos), Vander sabia, mas fingia não saber, Morena sabia que ele era putanheiro e tbm fingia não saber e assim levavam sua vida.

Como disse fiquei por mais de 6 meses comendo Morena, raramente ficávamos mais de uma semana sem meter, as vezes saíamos mais de uma vez por semana, acabamos nos tornando ótimos amigos, amigos de foda como se diz, e eu não era exclusividade dela e nem ela minha, mas não escondiamos nada um do outro a não ser as histórias sobre Emily, o sexo era ótimo mas nao substituia o tesão que eu sentia pela biscatinha da minha enteada.

Vou descrever Morena, mulher de coxas grossas, ancas largas, cintura fina, barriguinha saliente, peito pequenos e um pouco caídos, rosto normal, nem linda nem feia, baixinha 1,55 m de altura mais ou menos, pele morena como naon poderia deixar de ser, bem safada e com uma tara louca por rola grande, bem na minha opiniao qualquer rola maior que a de Vander kkkkkk ele tinha um pau pequeno nunca vi mas deveeia ter pelo relato dela e de Emily uns 14 cm. Como diase antes nao vou falar da sedução nem da minha historia com ela porque pra um conto nao teria graça, por isso decidi contar a história dela, que no tempo em que saímos pra meter ela me contava detalhadamente, vou contar na pessoa dela, como não sou escritor será mais fácil assim, acredito que muitas das mulheres daqui se sentirão na pele dela. Nunca perguntei que idade ela tem nem à Vander, mas pela história deles e pela idade do filho mais velho deles o Tito acredito que atualmente tenham ambos em torno de 35 a 37 anos.

"Conheci Vander na escola quando ainda éramos criança, morávamos no mesmo bairro e estudamos na mesma classe por mais de 3 anos letivos, tive uma criação rígida, minha mãe e meu pai nunca convesaram sobre sexo, nunca vimos nem ouvimos eles tendo saliência, talvez por isso minha vida se tornou uma rotina sem sal e sem açúcar, na adolescência comecei namorar Vander acho que com menos de 13 anos, tanto eu quanto ele éramos cabaço, começamos descobrir as coisas juntos, aos poucos e sozinhos descobrimos nossa sexualidade e antes de fazer 15 anos metemos pela primeira vez, eu não senti nada além de dor apesar de seu pau pequeno, já ele com duas bombadas na minha bucetinha acabou gozando, bem como era de se esperar não demorou comecei notar algo estranho, de forma que descobrimos que eu estava grávida, não vou entrar nos detalhes mas nossos pais foram conosco, e pra não citar outras coisas terríveis nos obrigaram a casar, ao menos estávamos apaixonados.

Casamos e fomos morar na casa da minha família, aliás, Vander é que foi eu já morava lá kkkkkk apenas mudei de quarto pra uma maior, nossas famílias eram de católicos rígidos, vivemos lá por uns 4 anos Tito nasceu e como o quarto apesar de maior não cabia um berço, dormiu no carrinho de bebê, mas logo tornou se desconfortável, a alternativa foi colocá-lo na cama conosco, mas por que digo isso? Porque já depois de casada meu sexo com Vander era muito fraquinho, eu não sentia prazer, quando muito uma excitação que era suprimida por um coito de no máximo 2 minutos quando ele gozava, mas na época não incomodava, pois eu não sabia o que era gozar ou ter um orgasmo, só.ttansava papai e mamãe, calados, luz apagada, e quando Tito já com quase 2 anos teve de dormir conosco na cama as coisas pioraram, sexo a cada 15 ou 20 dias e olha lá, depois de pouco mais de 3 anos sentimos necessidade de sair da casa dos meus pais.

Foi aí que ocorreu o divisor de águas na minha vida, em todos os sentidos mas principalmente no sexual.

Pra conseguir pagar aluguel em outro lugar tive de começar a trabalhar, e nesse trabalho conheci uma amiga e não demorou tornarmos íntimas, ela era uma safada, putinha, biscate mesmo, dava pra todo mundo, e nas nossas conversas comecei desabafar com ela, ela me aconselhava e através de suas dicas comecei a descobrir com Vander um sexo melhor, comecei a sentir tesão, começamos a meter de outras formas, pelados com a luz acesa, no banho, imagina como fiquei horrorizada quando ela sugeriu que eu metesse de quatro, depois de muito relutar resolvi experimentar, Vander estava começando.a quere sexo todo dia, já conseguia meter por mais de 5 minutos sem gozar, mas ainda sem preliminares, eu já conseguia sentir muito prazer, mas gozar de verdade ainda não havia acontecido.

Após 4 anos morando de aluguel, Vander já havia conseguido comprar uma moto, a casa mobiliada, tínhamos uma reserva economias, Tito com mais de 9 anos de idade, eu no entanto apesar de já meter demais, e já não ser inocente no sexo ainda não havia tido um orgasmo, mas como eu não sabia o que isso era ainda, confesso que não fazia falta, tudo ia muito bem até o dia que descobri que Vander estava comendo aquela minha amiga, aquela mesmo eu não estava mais naquela empresa onde havia conhecido ela, mas a amizade e as conversas continuavam, até que ela quis meter marido, fiquei arrasada, mas não demonstrei, ele nunca soube que eu descobri, aliás fiz vista grossa a vida toda de suas puladas de cerca.

Foi num dia de profunda e introspectiva tristeza que Jacques um encarregado do meu atual trabalho veio conversar comigo:

Oi Morena voce é sempre tão alegre, e hoje está amuada aí que houve?

Algo estranho aconteceu, pois indo totalmente contra meu jeito de ser e meus princípios me abri totalmente com Jacques, à ponto de ele me convidar pra sair tomar um café depois do trabalho numa padaria perto da empresa, só pra continuar a conversa, como Vander trabalhava na parte da tarde e só voltava tatde da noite e Tito ja ficava em casa sozinho, rasguei o verbo com Jacques, ele me abraçou aparentemente até aí sem maiores intenções, quando isso aconteceu senti um calafrio, do dedinho do pé até as pontas dos cabelos, tremi por dentro, quando ele sussurrou no pé do meu ouvido algo que confesso nem ter entendido o que era, meu corpo explodiu num calor, numa sensação que não consigo nem descrever, afinal nunca na vida tinha sido tocada por outro homem que não o Vander, tudo se transformou num tesão tão grande numa excitação tão absurda e sem explicação, que minha buceta a essas alturas já escorria pelas pernas, acabei contando tudo pra Jacques, tudinho nessa hora ele ativou o modo caça, e começou a me cantar na cara dura, quando disse a ele qua não havia tido o tal do orgasmo que as mulheres falavam, ele incrédulo e sem rodeios soltou a boa:

Morena me deixa te fazer gozar, me deixa te dar um orgasmo?

Respondi sem titubear:

Só se for agora, porque se meu tesão acabar amanhã nem te olhar na cara eu consigo, fomos pra um hotel barato bem perto, chegamos e não teve embromação, ele ergueu meu vestido e pareceu não acreditar no corpo que via na frente, sem exageros à essa altura meu melzinhojá chegava nos joelhos, minha buceta estava ensopada, quando ele tirou a calça já com a cueca junto e expos aquele pau afff, minha buceta piscou involuntariamente, nunca houvera desejado um pau me penetrando com o naquela hora,

Era uma pau respeitável, não saberei descreve-lo em cm. Mas com certeza era quase dois de Vander em comprimento e grossura.

Não teve beijo, não teve chupada, não teve nada, pelo menos dessa vez nao, não sei o me que deu,.mas só fui em sua direção e sem tirar ao menos o vestido, empurrão ele na cama e montei em cima, segurei a jeba com a mão, encaixei na buceta e soltei meu peso, entrou de uma vez até as bolas, num instinto selvagem e reprimido, comecei a pular em cima daquele pau que grande me preenchia toda, o som da minha buceta ensopada, batendo em seu ventre era só o que eu ouvia, saí de mim, ele sem reação só o que fez foi ficar imovel com seu pau explodindo, enquanto eu comandava aquela foda maravilhosa, até que após alguns minutos cavalgando descompassada em cima de Jacques, comecei a sentir uma sensacao maravilhosa, não distinguia onde começava e onde terminava, só sei que foi aumentando até que, quase perdendo os sentidos minha buceta começou a piscar com tanta força que meu ventre doia a cada contração, e explodiu numa sensação até entao desconhecida, enfim, pela primeira vez eu gozava, pela primeira vez eu tinha um verdadeiro e arrebatador orgasmo. Na sequência, aliás eu demorei algum tempo pra me recuperar enquanto ele nem havia gozado, ele ficou me olhando incrédulo, e depois de algum silêncio ele perguntou se elemppdia gozar comigo ou teria de bater uma, então eu disse que poderia gozar comigo, desde que me fizesse gozar de novo, aí sim dessa vez já sem aquela fome de rola que eu nem sabia que tinha nos beijamos, ele deu inicio à ineditas preliminares pra mim, ahhhhh que delicia uma lingua bem esperta me tocando no grelo, pasmem ate ai ja com 20 e tantos anos eu não sabia o que era nem uma siririca, fui as nuvens com as chupadas dele, começou a vir aquela sensação novamente, quando ele com.sua experiência de macho comedor percebeu e veio me comer, veio me empalar com aquela rola, enquanto chupava meu peito, com delicadeza, e logo anunciou a gozada eu falei pra ele gozar dentro já que me previnia, ele não obedeceu e gozou na minha cara, pela primeira vez vi uma pau gozar, e confesso que viciei naquilo, ja que tava toda esporreada coloquei um pouco da porra na boca e o tesão me fez adorar aquele gosto meio ácido, ahhhh ali naquele momento eu soube porque era que eu tinha uma buceta no meio das pernas, era pra meter, gozar e sentir prazer, naquele dia foi isso saímos de lá fui pra casa, e a partir daí começamos a sair com.certa frequência, ele me ensinou muito sobre mim mesma, e eu como Bboa aluna fiz questão de aprender as lições sexuais.

A alegria no entanto durou pouco já que ele foi transferido pra outra filial e acabamos perdendo contato, eu comecei a tentar achar no meu marido Vander o tesão, sabe, melhorou muito nossa vida sexual, eu passei a gozar com ele, a ter timidos orgasmos mas foder de verdade, perder o fôlego em cima de uma pica de verdade começou a me fazer falta de verdade, até que eu numa confraternização da empresa, acabei ficando com um rapaz mais novo, e depois dentro.do seu carro voltei a sentir aquele tesão de novo dessa vez em cima de uma rola Grossa e cabeçuda mesmo, e foi nessa rola que eu criei coragem de mamar feito uma Bezerra, mamei até ele gozar na minha garganta, e foi porra que saiu de lá viu, afff quase engasguei, mas o melhor que ele mesmo meia bomba não dispensou comer minha buceta, que molhava muito de escorrer, e foi nesse dia que eu percebi a minha tara por rola grande, tanto que como antes voltei a não gozar mais com Vander e seu pequeno pau de criança.

Esse foi o começo da minha busca desenfreada por sexo, hoje em dia nao me considero uma ninfomaníaca, por que eu preciso de sexo pode prazer, adoro meter e gozar muito, por isso pilo.a cerca mesmo."

Então tentei colocar aqui o que ao longo de uns 6 meses morena me confidenciava, uma mulher que desde a infância foi retraida, recatada, mas tinha à oferecer, e quando descobriu não perdeu tempo.

Essa historia, talvez não seja tão picante, porque tudo que relato aqui é baseado em fatos reais, e procuro ser o mais fiel possível de acordo com minhas lembranças.

Tenho recebido elogios e vou continuar nessa abordagem.

Continua

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
31/07/2018 06:55:45
Muito bacana ...
29/07/2018 18:00:22
Quem é que não tem curiosidade em saber sobre histórias da vida sexual de outrem? Este conto foi um prato cheio para conhecer esse casal. Sou garota de programa e escuto muito os maridos em histórias parecidas. A infidelidade está bem mais arraigada do que muitos supõem. Parabéns por este. Se não tiveres preconceitos, conheça os meus relatos. Nota dez e beijocas.