Casa dos Contos Eróticos

Um Hetero Irresistível: Faz Tudo Parte 1

Autor: DuqueChaves
Categoria: Homossexual
Data: 30/06/2018 01:23:05
Última revisão: 11/07/2018 18:43:32
Nota 8.40

Bufei frustado com minha atitude e resolvi comer meu cafe da manha.  Olhei para a cozinha atras de mim e ele não estava mais lá. A cozinha brilhava e não ouvia mais nada, apenas sentia o vento que entrava pela sacada do apartamento.

Assim que acabei de tomar café, fui andar pela casa. Daniel fazia sempre a rotina de sempre, fazia meu cafe, logo depois arrumava minha bagunça, lava a roupa e algumas colocava na varanda,  depois fazia meu almoço, quando eu ia treinar ele deixava já meu cafe da tarde pronto e minha janta.

Parei e de longi vi ele com os fones de ouvido, ele dançava e rebolava, ate seu jeito atrapalhado fazia sentido.

Peguei meu celular e fui começar a caçar, passei por varias mulheres e até mesmo as que eu já pegava, mas algo em minha mente estava batendo e martelando. Era ele, alguma coisa que aquele garoto estava fazendo, me deixou intrigado.

Mesmo parado e olhando de longe, ele era simples.

Ele me lembrava um garoto que estudei junto com ele. Um garoto que torturei quando mais novo dentro de sala de aula, eu era um peste. E aprontei umas boas com ele, já que eu e os meninos apostamos que se eu conseguisse fazer ele se apaixonar por mim, e depois bagunçar com ele para toda a escola ver, ganharia umas coisas.

E eu ganhei, lembra do garot que tinha o mesmo nome me trazia uma nostalgia não muito agradavel.

- O que foi? Esta querendo algo? - a voz do garoto me fez sair do meu lopin. - Esta me olhando como se quisese algo.

- Não, so termine e pode ir, hoje vou sair e não vou voltar cedo.

- Então, eu vou chegar amanha no mesmo horario ja deixo tudo pronto e não vou te pertubar. - Daniel me olhou, e comecei a ver o quão brilhosos e vivo aqueles olhos eram.

- Claro, pode fazer isso.

Entrei e me joguei de volta na cama, jogando o celular por algum lugar pela cama.

Meu quarto era grande, uma cama gigante no meio e a cada lado tinha uma escrivaninha, na frente da minha cama, coloquei a minha tv bem em frente, comprei uma que era curva, e tinha minha coleçao de jogos, desde do nitendo antigo ate o ps4 todos bem enfileirados e colocados num armario de vidro.

nao tive nem vontade de ligar meu ar ou ate mesmo abri as cortinas das grandes janelas. meu macbook estava num canto pelo quarto. Não consegui dormi, até que uma ideia surgiu em minha mente, iria brincar com eles.

Peguei meu celular e mandei uma mensagem para Lucas, o convidando para minha casa.

- Daniel, faça comida para mais uma pessoa. estou chamando um amigo meu para almoçar comigo.

Ele apenas afirmou com a cabeça.

Coloquei minha bermuda, um calçao de jogo e uma camisa. Thiago disse que chegaria em menos de alguns minutos e queria ver como os dois reagoriam. Estava na hora dos jogos sujos.

A campainha tocou.

- Atende para mim Richard...

Andei devagar estava tentando não mostra em meu rosto e ações o quão estava ansioso para ver a cara do pequeno.

Cheguei bem a tempo de ver Daniel olhando estupefato para Lucas enquanto o garoto o olhava e tentou falar alguma coisa, mas ao me ver escorado na parede sua coragem morre.

- Entre Lucas. Deixa eu te apresentar o meu escravo por um mes. O garoto chamado Daniel. - O garoto o olhou e apertou a não de Lucas. - Ele é incrível. Não sei se ele deve ser bom em outras coisas.

Lucas solta um sorriso amargo e forcado. Enquanto Daniel estava nervoso, colocou sua mão que suava nos bolsos, mostrando sua incerteza daquele encontro.

- Vamos sentar. Vamos almocar. Daniel sirva a mesa.

Peguei Lucas pelos ombros e o levei até a mesa. Enquanto andava o olhava de rabo de olho e ele olhava direto para o garoto e engolia em seco. Como se estivesse sendo levasse para o matadouro.

Onde sua forca se chamava Daniel.

- Ele é bem Prestativo. Gosto desse garoto. - o olho e ele para e me encara.

- Quem não gostaria de alguém que faz tudo na sua casa e não tem que pagar nada? - sua ironia era uma forma de mostra o quão nervoso ele estava.

- Vendo por esse lado. Mas bem, Eu gosto dele. Só que deixa eu te falar uma coisa.

- Conta. Fala aí, Sabe que pode contar comigo para tudo.

- Eu sei disso. Meu melhor amigo. Queria te falar uma coisa. Sabe que sou um puto, de um tempo para cá eu quero descobri uma coisa.

- De puto já sabia e nem ligo mais. O que quer dessa vez? - ele tentava quebra o gelo. Se colocar como distraido.

Daniel voltou e começou a colocar a mesa.

- Eu queria um faz tudo. Queria FUDER um cu de um garoto.

Daniel por milésimos de segundos passou de assustado, deixando esse garoto de lado e abrindo um sorriso malicioso no rosto e olhou de rabo de olho para Lucas.

- Desde de quando e viado em?

- Desde de quando sexo se refere a genero? Sou um cara que gosto de viver a vida e descobri um lado meu ultimamente que está me deixando louco de tesao. O lado que gosta de meninos ainda mais os que têm vida dupla.

Meus olhos sultimente foram de encontro para Lucas.

Daniel tinha saido. Mas vi o brilho malicioso em seus olhos e isso me deu mais certeza que ele estava adorando aquela cena.

- Eu não sei do que está falando.

- Lucas. Somos amigos não somos? Claro que somos. O que estou querendo dizer com tudo isso, que estou afim do Daniel. E queria saber se tenho permissão de FUDER sua puta na sua frente?

O rosto de Lucas ficou vermelho. A raiva rugia em seu rosto e por milésimos de segundos ele ia parti para cima de mim. Até eu pegar uma faca bem afiada e colocar no seu pescoço.

- Calminha meu anjo. Descobri isso a pouco tempo.

- Me solta. Você não vai fazer isso com meu Daniel. Você não sabe...

- Não sei o que? Que ele é uma bela de uma puta que faz programa á noite e que está apaixonado pelo meu melhor amigo? Sabe de uma coisa. Eu sou um grande filho da puta, mas sempre gostei daquilo que me deixa ainda mais intrigado a ter e o seu garoto me deixou assim.

- Não pode... Ele...

- Eu posso sim. E além do mais se ele me pagar eu posso ficar com os dois!

Daniel estava parado em nossa frente e pegou uma cadeira, arrastou a perto de nós dois e isso me fez tirá a faça do pescoço de Lucas. Sempre tive sérios problemas com raiva e meu extinto sempre foi querer pegar algo para me defender.

Daniel pegou a faça de minha mão e cortou a maçã em cima da mesa, cortou ela é pegou com a faca o pedaço cortado e colocou na boca.

- Qual seu preço?

- Faz tudo, nao! - repreendeu Lucas.

- Quem é faz tudo, E o nome dele de guerra?

Daniel sorriu do comentário, ele colocou novamente a maçã na boca, agora com uma ponta fora. Ele me chama com o dedo indicador e fui ao seu encontro, mordo o pedaço e beijo o garoto , Ele tirando um gemido meu, logo apertando meu pau.

- Podemos fazer a tres, o que acham?

Comentários

01/07/2018 09:32:12
Confuso demais.
30/06/2018 22:50:11
Quero só ver no que vai dar essa situação kkkkk.
30/06/2018 11:08:40
Essa parte ficou um pouco confusa sobre quem era o dono de quem . Estou gostando de ler essa história cheia de segredos,desejos.
30/06/2018 07:10:48
ÓTIMO
30/06/2018 01:37:31
UAU. NÃO GOSTO DE NENHUM DOS PERSONAGENS. TODOS MUITO MAU CARÁTER. MAS VEREMOS QUEM DOS PIORES SE SAI MELHOR.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.