O Caçula - Parte XIV

Um conto erótico de Myneirinha Devassa
Categoria: Heterossexual
Data: 05/05/2018 02:48:00
Nota 9.33

Bom, esse relato já se passa em dezembro de 2013 e já faz parte dos meus guardados.

Uma coisa que não mencionei no relato anterior é que já vinha sentindo um interesse crescente do meu pequeno pelo meu cuzinho. Ele sempre passava o dedinho nele, molhava com saliva e chegava a enfiar, mas nunca havia passado da portinha. No começo fazia isso com todo o cuidado, e apenas depois de achar que eu já estava dormindo.

Depois que ele me comeu de fato, não chegamos mais a ter momentos juntos. Mas a vantagem agora é que não precisávamos mais fingir nada um para o outro. Eu não tinha que fingir que dormia, nem ele tinha mais que esperar por isso.

Assim nossos jogos ficariam bem mais simples...rsss

Nesse dia eu estava tomando banho quando meu machinho chegou da rua. Ele bateu na porta, eu sai do box e abri um pouco a porta nua, molhada, mas fazendo de conta que estava me escondendo e reclamei:

- Oi, filho, vc demorou!

Ele não respondeu nada, só ficou me olhando, acho que nem escutou o que eu falei porque depois só me respondeu:

- Cheguei, tá?

Fechei a porta e continuei tomando banho e ele foi pro computador. Saí do banho e fui pro quarto do meu filho mais velho enrolada na toalha:

- Filho, chega de computador, não tem tarefa não?

- Não, mãe, só revisão.

- Então, desliga isso e vem ver TV comigo.

Ele desligou, colocou comida no prato e foi pra sala.

Eu coloquei a camisolinha, sem calcinha, mas com um shortinho. Ele estava só de bermuda de tecido fino. Comemos vendo TV, depois eu me deitei no colo dele, ele foi logo fazendo carinho no meu cabelo e eu comecei a esfregar a cabeça no pauzinho dele... já estava durinho quando eu encostei.

Ficamos um tempinho assim: eu apertando o pauzinho dele com a minha cabeça e ele ajeitando o pauzinho pra eu encostar ainda mais. Às vezes dava uma puxadinha na minha cabeça pra cima do pauzinho dele e depois de um tempo brincando discretamente, eu o mandei escovar os dentes e ir dormir.

Ele esperou o comercial e foi pro banheiro, eu fui pro meu quarto, esperei ele voltar, ele me deu boa noite com um abraço e um beijo no rosto e foi pro quarto do mais velho, que não estava em casa nesses dias. Confesso que fiquei desapontada, mas também sem nenhuma reação. Dei boa noite, fui pro banheiro, tirei o short e fui pra minha cama, Estava programando o cel quando ele e abriu a porta:

- Mãe, a senhora quer massagem?

- Quero sim. Falei com o coração disparado e a buceta latejando.

Deixei a luz acesa e me ajeitei no travesseiro, queria que ele observasse nossas reações durante a “massagem”. Eu estava de bunda pra cima, pernas afastadas e com certeza com a buceta à mostra. Mas ele deitou do meu lado, apagou a luz e foi montando em mim sem nenhuma reserva.

Ele já estava sem bermuda, só de cuequinha. Eu fico tarada quando sinto o pauzinho duro encostar na minha bunda e ele já não se atrapalha mais: agora vai direto no meio dos meus buracos. Colocou o pauzinho direto na minha bunda e perguntou:

- Parou o sangue, mãe?

- Não, mas pode fazer massagem que eu coloquei um O.B. sabe o que é?

- Eu sei.

Continuou "massageando" o pau na minha bunda, e pra me enlouquecer de tesão ele enfiou a mão, tirou o pauzinho e com o dedinho começou a procurar meu cu… Esfregava o dedinho, quase gemi alto, eu pensava: “hum, meu machinho vai meter no meu cu…que tesão!!!"

Sentia o dedinho dele procurando meu buraco, até que encaixou o pauzinho no meu cu…ahhhhhhhhhh, que tesão sentir o pau dele na minha pele, comecei a gemer baixinho, mas deixei ele ver que eu estava amando, e gozei, senti meu corpo de cadela vadia arrepiar, com meu filhote tentando foder meu cu, mesmo que eu quisesse não ia conseguir segurar, o pauzinho soltava uma babinha, nada absurdo, mas me dava uma sensação tesuda, minha cabeça só pensava: “hum ele vai gozar no meu cu, meu pequeno vai gozar no cu da mãe dele” …

Ele parou por um momento, imaginei que ele tivesse se perdido nos movimentos, porque eu acelerei quando gozei, então ele abriu bem a minha bunda com as duas mãozinhas e recomeçou a se esfregar. Coloquei minha mão em cima da mãozinha dele e comecei a fazer carinho. Eu queria que ele entendesse que a mãe dele estava adorando aquilo tudo e queria mais. Então eu empinava a bunda de encontro ao pauzinho dele e rebolava. Ele tirou a mão e segurou minhas tetas...com as duas mãozinhas!!!

Meu machinho faz gostoso… gozei de novo... e ele também gozou... mas não foi muito, e depois que parou de se mexer, passou o dedinho no meu cu pra sentir a porra dele… Senti um frio na espinha, achei que ele fosse enfiar o dedinho no meu cu, não sei se pra me limpar ou se pra sentir meu cu melado com a porra dele, mas esfregou o dedinho e quase me matou de tesão… Me deu um beijo, nas costas e falou que ia pro quarto do mais velho… Só respondi:

- Durma com DEUS.

Assim que ele saiu, eu procurei a porra dele no meu rabo, esfreguei o dedo, lambi, enfiei o dedo no cu e chupei, eu queria sentir a porra do meu filhinho… não consegui nada, mas nem precisava…eu tinha sentido tudo, o contato do pauzinho dele com o meu cu foi demais!!!

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
14/09/2018 03:47:41
o conto ta muito bom vc ainda pretende conta mais ? quero continua lendo
06/05/2018 07:20:05
continue, muito bom
05/05/2018 23:52:22
Que delicia de mamãe!