O Caçula - Parte XIII (A Primeira Vez)

Um conto erótico de Myneirinha Devassa
Categoria: Heterossexual
Data: 05/05/2018 02:26:40
Nota 10.00

Oi, meus queridos! Desculpem-me ter ficado tanto tempo sem postar, mas a vida ficou corrida esses últimos tempos e não tive como vir até aqui.

Mas vamos em frente! Esse relato ocorreu uns 10 dias após o anterior.

Chegamos ás 19h mais ou menos e, enquanto meu moleque terminava de estudar um resto de matéria, eu fui pro banho. Depois fui fazer o jantar enquanto ele tomava o banho dele. Comemos e fomos direto para a cama.

Como estava menstruada, coloquei uma calcinha mas deitei sem camisola. Como a luz do quarto já estava apagada ele não viu isso e levou o maior susto quando veio me abraçar e sentiu que eu estava só de calcinha. No começo até tirou a perna de cima de mim, eu fiquei na minha.

Conversamos um pouquinho e logo eu "dormi". Fiquei de barriga pra cima. Ele esperou um tempinho e depois colocou o braço em cima da minha barriga e eu não me mexi, continuei quietinha só respirando como se estivesse dormindo. Ele começou a me agradar, primeiro desceu a mãozinha até perto da calcinha e depois subiu bem de leve pela minha barriga até chegar no meu peito. Quase morri de tesão e me arrepiei inteira. Ele sentiu o bico do meu peito endurecer e tirou a mãozinha, acho que com medo que eu acordasse, sei lá. Continuei imóvel, mas com a buceta encharcada.

Ele colocou novamente a mãozinha na minha barriga e continuou me alisando devagar, cada vez que subia a mão, passava numa teta. Eu estava ficando sem ar! Que vontade de pedir pra ele mamar! Eu queria tanto que ele lambesse minha teta, que chupasse o bico, mas ele só me alisava. Ficou deitado de lado e passando a mão. Não ultrapassava a linha da calcinha mas subia até os seios, me deixando toda arrepiada. Aqueles dedinhos atrevidos e cuidadosos me alucinavam de tesão.

Eu comecei a pompoar, me apertava bem devagar pra não me mexer, mas como o tesão estava enorme, logo gozei deliciosamente, bem quietinha pra ele não perceber. Depois acabei dormindo com a mãozinha dele passeando pelo meu corpo.

Foi uma noite deliciosa!

CONTINUAÇÃO

Bom, lamentavelmente acabei perdendo quase 4 meses de relatos que guardei. Não achei de jeito nenhum!!! :-((

Então o que passo a contar é de cabeça, mas vou procurar ser o mais fiel possível aos fatos.

Nesse meio tempo, nós continuamos com nossas brincadeiras. Com o passar do tempo, ele já se soltava mais enquanto estávamos acordados e conversando.

Ele já não fazia cerimônia alguma em me agradar por baixo da camisola enquanto me contava alguma coisa do seu dia. Passava um tempinho, vinha sempre a fatídica pergunta:

- Mãe, quer massagem?

Eu sempre respondia que sim, claro! Virava de bruços e ele sentava sobre minha bunda e ia esfregando seu pauzinho, cada vez mais explicitamente. Para que a coisa progredisse, eu sempre dava sinais de estar gostando, até o ponto de "cair dormindo".

Daí ele sempre tentava descobrir se eu já tinha mesmo dormido. Sentindo-se seguro, baixava a frente da cueca e esfregava o pauzinho diretamente na minha bunda.

No começo terminava se masturbando e gozava na mãozinha. Com o tempo, começou a gozar somente se esfregando no meu reguinho e me lambuzava deliciosamente, ainda que pouco, já que na época não tinha muito volume.

Ficamos assim por algum tempo até que uma noite...

Nos deitamos, mas senti que ele estava irrequieto, ansioso. Tanto que logo perguntou:

- Mãe, a senhora quer massagem?

Eu estava com uma camisolinha curta e sem calcinha. Enquanto respondia, já fui me posicionando de bruços e afastando as pernas. Ele se posicionou como de costume e ao sentar, já pude sentir o pau dele durinho sob a cueca. Acho que ambos estávamos no cio naquele dia, pois no primeiro contato dele com minha bunda, senti um choque percorrer todo o meu corpo e minha buceta encharcou imediatamente!

Ele começou a se esfregar e eu balbuciei:

- Que gostoso, filho! Mas a mãe nem vai poder aproveitar muito pois acordei cedo demais hoje e estou exausta!

- Dorme, mãe, que eu cuido da senhora - respondeu o taradinho, cheio de segundas intenções.

Dali um tempo relaxei todo o corpo e comecei a respirar compassadamente, como se já estivesse dormindo profundamente. Como de costume, ele procurou verificar se eu estava mesmo dormindo. E dessa vez até fez diferente: aproximou o rosto muito, muito perto do meu, provavelmente para ver se estava de olhos fechados e se reagiria de alguma forma. Eu não me mexi, mas senti o calor dele bem pertinho de mim. Achei que ele fosse beijar minha boca e um arrepio gelado percorreu minha espinha, só de pensar nessa possibilidade.

Mas ele não ousou. Ficou mais um pouquinho daquela forma e, convencido de que eu dormia, levantou-se, baixou a frente da cueca e tornou a sentar sobre minha bunda, colocando seu pauzinho bem no meu rego. Meu coração estava mais do que disparado! Quando ele começou a se esfregar, minha buceta gritava por aquele pauzinho! Não pude conter um suspiro de tesão. Achei até que ele fosse parar assustado, mas que nada! Ele se esfregava cada vez mais rápido e sua respiração acelerada mostrava que ele logo ia gozar.

Então eu não me contive mais: num movimento suave, mas determinado, levei meus braços para trás e com as mãos abri minha bunda pro meu próprio filho!

Agora sim, ele tomou um baita susto! Parou, perdeu o rítmo, e quase caiu de cima de mim. Foi o suficiente para eu ganhar um pouco mais de espaço e flexionar levemente os joelhos. Estava me oferecendo toda pro meu pequeno. Aberta e arrebitada, não tinha como ele recusar! E ele não se fez de rogado: sentou-se um pouco mais pra baixo e com a minha bunda aberta, roçou o pauzinho desde o meu cuzinho até a entrada da buceta.

Eu sentia que o pau dele ia ficando cada vez mais molhado com meu mel e eu ia dobrando cada vez mais os joelhos, pra facilitar a vida dele, até que aconteceu! Ele desceu o pau pelo meio da minha bunda e, na hora de voltar pelo mesmo caminho, dei uma empinadinha e ele foi direto pra dentro de mim!

Meu pequeno estava finalmente me comendo! Eu não podia conter minha felicidade, muito menos o meu tesão!

Poucos movimentos depois ele escapou, mas já tinha aprendido o caminho. O menino tinha agora um objetivo definido. Me agarrou pela cintura me colocando quase de quatro e meteu novamente, bem gostoso! O pauzinho dele de menino, não era grande, mas me dava um tesão como nunca tinha sentido antes!

Sentia ele indo e vindo, agora menos afobado, tomando mais cuidado pra não sair e ia me agarrando cada vez mais forte pela cintura! Aaaahhh, eu gozei forte, gozei profundo! E fiz questão de deixar ele perceber isso.

A respiração dele ficou ainda mais rápida e numa puxada forte que quase me colocou no colo dele, senti o pauzinho pulsar e me encher com sua gala deliciosa! Meu machinho tinha gozado dentro da mãe pela primeira vez! Eu era a primeira mulher da vida dele! Estava saciada, orgulhosa de mim mesma, dele e profundamente feliz com aquele momento nosso!

Ele ainda ficou um pouquinho dentro de mim, com o pauzinho durinho, durinho. Depois foi tirando lentamente, como quem quer saborear até o último momento. Deu um beijo no alto da minha cabeça e disse:

- Boa noite, mãe!

- Durma bem, meu filho.

E foi pra cama dele.

Eu imediatamente enfiei dois dedos na minha buceta, melei o quanto pude e levei até minha boca. Sentir o gosto dele misturado com o meu foi extraordinário!

Dormi profundamente.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
06/05/2018 07:17:34
delicioso. continue
05/05/2018 23:38:38
Nossa que delícia, que tesão!