Iniciando a minha linda família

Um conto erótico de Marcelle eloisa
Categoria: Heterossexual
Data: 20/05/2018 19:07:26
Nota 10.00
Assuntos: Heterossexual

Iniciando a família

Olá, Meu nome é marcelle e vou lhes narrar um fato que para alguns pode soar como pervertido ou insano, porém para mim abriu um novo horizonte para minha família.

Tenho 33 anos e sou casada a 16 com Thiago, 7 anos mais velho que eu, temos dois filhos gêmeos, Raphael loiro parecido com o pai olhos azuis meus e paola de 15 loira tbm é olhos azuis seios grandinhos e com bastante sardinhas

Até ai uma família normal, eu e thiago trabalhamos como policiais e agora em nosso hotel no litoral norte de São Paulo em São Sebastião onde também moramos, nossa vida financeira é estável e confortável, nossos filhos cursam colégio particular um dos mais caros em campos de Jordão moramos lá de segunda a sexta-feira e vamos ao nosso hotel nos fins de semana , Paola quer ser medica, e Raphael ser piloto de avião é o sonho dele.

O começo de nosso casamento e até antes, eu e thiago tínhamos uma vida sexual muito ativa, onde além de nós dois, envolvíamos terceiros sem outro homem nunca trair o Thiago e mulheres em nosso relacionamento, éramos adeptos de Ménage e curtíamos muito esses momentos.

Quando fiquei grávida dos meus filhos eu parei com esse tipo de relacionamento, porém permiti que thiago ainda participasse de algumas reuniões com amigos nossos que normalmente praticávamos. O tempo passou e e o Thiago se afastou e não teve mais contato com o pessoal que praticava tais programas.x

Anos se passaram, os filhos cresceram e nós continuávamos com nossa vida, agora mais pacata. Com o colegio dos nossos filhos treinos de hipismo da Paola e treino de kart do Raphael além do nosso trabalho, reunião de todos em casa era fato raro, eventualmente um ou outro que nos acompanhava em almoço ou jantar e até os banhos de piscina estavam ficando raros. Namoros e passeios deixavam esses momentos mais raros ainda.

Porém em um feriado prolongado, o qual tanto nós quanto nossos filhos optamos por permanecer em casa, tivemos um momento pleno em família novamente. Já na sexta jantamos todos juntos e no sábado fomos cedo para a piscina, estava eu deitada na espreguiçadeira tomando sol, com thiago ao meu lado lendo um livro, na água estavam paola e Raphael brincando, literalmente, como há muito tempo não os via, paola tentava subir nas costas do Raphael para pular e sempre escorregava ou caia, riam muito, em uma dessas tentativas, paola enroscou seu biquíni na mão de Raphael e ficou sem um sutiã, deixando seus lindos seios graúdos a mostra, sem perceber ela continuou a brincar com o irmão que ria muito, percebi que thiago ficou ali olhando o que estava acontecendo com muita curiosidade, percebi também o volume de seu pau crescer sob a sunga e sua excitação era visível. Paola percebeu o sutiã solto e se cobriu olhando sem jeito para nós, fiz um sinal de sem problemas e ela deu um tapa no braço de Raphael e saiu da piscina.

Olhei para Thiago que a seguia com os olhos, nisso falo.

-Nossa filha esta linda, não é?

-Sim, um mulherão!

-Você, pelo que percebo, gostou do que viu!

-Pare com isso mulher, é nossa filha!

-Mas é uma linda mulher também, e seu pau respondeu por você!

Pronto, ele ficou desconcertado, se cobriu e entrou em casa. Paola voltou e se sentou ao meu lado e perguntou.

-O papai ficou envergonhado com o que aconteceu?

-Não meu amor, digamos que gostou até demais do que viu.

Olhei para ela e dei uma piscadinha. Naquele momento me deu uma coisa estranha e percebi um clima de erotismo no ambiente, percebi que poderíamos ter um feriado muito mais excitante que realmente poderíamos imaginar. Arquitetei um plano e procurei pô-lo em pratica.

Olhei para paola ali sentada a meu lado e falei.

-Filha, não fique encabulada, você é uma mulher linda, com um corpo maravilhoso e o que é bonito é pra se mostrar, mesmo que sem querer. E teu pai só apreciou parte de seu corpo, isso não tem nada de mais.

-Tá mãe, mas ele é meu pai, fiquei constrangida com isso.

-Teu pai e um homem, você deveria ter ficado mais brava com seu irmão que não teve tanta atenção com você.

-Ele é um idiota, já me viu pelada muitas vezes e tá acostumado.

-Como assim, muitas vezes.

-É que nós trocamos de roupa um na frente do outro, sempre fizemos isso, afinal foi assim que você nos ensinou, não é!

-Bem, isso é. Mas quando eram crianças, achei que já tinham passado dessa fase.

-Na verdade, depois de um tempo a coisa mudou de figura e em algumas oportunidades percebo que ele fica de pau duro, mas não ligo. Eu também me excito com ele nu, acho que é normal.x

Ali percebi quanto tempo não parava para conversar com meus filhos, cresceram e eu não acompanhei isso, fiquei meio triste. Continuei com a conversa.

-Filha, vou fazer uma pergunta muito intima, mas entenda, se você não quiser falar sobre isso, fique a vontade.

-Que é mãe, vai perguntar se ainda sou virgem? Nao sou perdi a 1 mês com o Enzo (melhor amigo dela é namorado dela).

Sorri e respondi.

-Não filha, não é isso. Minha curiosidade é sobre você e seu irmão, vocês já tiveram alguma relação?

-Como relação, mãe?

-Sexo filha.

-Não, de forma nenhuma. Ele até tentou uma vez, mas dei um sabão nele. Somos irmãos e isso é errado.

-Bem filha, certo e errado é muito subjetivo. Não existe certo e errado em uma relação, você sabe que eu e seu pai somos muito liberais com relação a isso. Não veria problema em vocês terem atração um pelo outro.

Ela nada falou e ficou pensativa, olhei para meu filho ainda na piscina e pude apreciar o homem lindo que ele era.

Thiago chegou e entrou na piscina com o filho e ficaram ali nadando, eu e a Paola os apreciando.

Resolvi entrar na piscina e me agarrei a thiago que ficou comigo ali, abraçado, Paola entra e fica perto do irmão, começo a acariciar thiago já sendo muito atrevida, passando a mão em seu pau meia bomba que logo responde, agarro e o beijo gostoso como nos velhos tempos de sacanagem, paola e Raphael ficam ali ao lado nos olhando e paola fala.

-Porque vocês não vão para o quarto, heim!

Olho e respondo.

-Porque aqui tá mais gostoso, ora!

Sinto o pau de Thiago muito duro e fico de costas para ele esfregando minha bunda em seu cacete e ele aceita sem constrangimento.

Olho para Raphael e percebo que seu pau também já está duro vendo nós dois nos amassos ali ao seu lado. Digo para Raphael.

-Agarra sua irmã também, filho!

Paola me olha meio sem entender e olha para Raphael com um olhar recriminador, ele vai se aproximando devagar, Paola o olha e diz.

-Nem vem, seu tarado!

Ele riu e pulou sobre ela, que se desvencilhou e saiu da piscina. Ficou sentada na beirada da piscina nos olhando, eu ainda com thiago me enconchando, agora acintosamente. Raphael fica nos olhando e faço sinal para ele se aproximar, ele vem e o abraço de frente, pai e filho fazem um sanduíche de mim, sinto o pau de Raphael apertado contra minha virilha e aquilo me excita.

Abro as pernas e entrelaço com as de Raphael, com isso minha xoxota se encaixa em seu cacete, nossa, era o êxtase, sentia toda sua rola dura me pressionando, ele me olhava com o mesmo olhar de tarado do pai, era o DNA de tarado que estava ali!

Olho para paola que ainda sentada na beira da piscina nos olhava, sua expressão não era de espanto, ao contrario, parecia mais curiosa com o que estava acontecendo.

Thiago pega o laço de meu sutiã e o solta deixando meus seios à mostra para o deleite de Raphael, ele me olha e eu digo.

-Mama na mamãe, mama.

Nem precisei falar duas vezes, ele abocanhou meu seio e o sugou com muita destreza, arrancou gemidos de mim, senti a mão de Thiago em minha xoxota e seus dedos puxando minha calcinha para o lado, em seguida seu pau me penetra, quando senti aquele rola entrando em mim me arrepiei inteira, olhei para paola que nos olhava fixo, agora sim, sua expressão era de espanto, continuou ali olhando enquanto seu pai me fodia e seu irmão me mamava.

Thiago bombava lentamente, com a pressão da água parecia que meu útero ia explodir, pedi a ele para parar, pois estava me machucando e ele fala para Raphael.

-Sai filho, vamos para fora da piscina.

Ele saiu e ficou do lado oposto ao da paola que ainda nos olhava, Ângelo falou para Raphael se sentar na cadeira em baixo do guarda-sol, ele o fez, thiago saiu da piscina e me puxou pela mão, olhou para mim e disse.

-Você começou, agora vamos terminar.

Raphael! Tira essa rola pra fora pra tua mãe chupar.

Raphael ficou meio sem saber o que fazer, olhei para ele e fiz um sinal de sim com a cabeça, ele a tirou, me coloquei de quatro, pois sabia o que thiago queria, abocanhei a rola de Raphael e thiago enterrou sua rola em minha boceta. Confesso que as coisas aceleraram mais rápido do que eu poderia imaginar, mas estava muito melhor do que planejara, de rabo de olho vejo paola ainda na beira da piscina, agora de pé, se posicionando ao nosso lado, a certa distância, e vendo seu pai me foder e seu irmão sendo chupado por mim.

Thiago bombava sem dó, socava com violência e me arrancava gemidos de prazer, gemidos altos e abafados pela rola de Raphael. Mais uma bombadas e thiago anuncia que vai gozar, tira e me faz virar rápido para ele, goza em minha boca com um gozo grosso, delicioso que engulo sem pestanejar. Sinto Raphael enfiar os dedos em minha boceta e digo.

-Vem filho, fode tua mãe.

Ele se levanta e enterra sua rola em mim, sinto que seu pau é mais grosso que de thiago e digo.

-Isso filho roludo, me fode.

Olhei para o lado e Paola não estava mais nos olhando, tinha entrado. Thiago ainda meio mole, põem seu cacete meia bomba em minha boca e o chupo, retirando o resto de porra que ainda tinha, Raphael bomba feito louco em minutos anuncia que irá gozar e peço pra ele me encher de porra, o faz em esguichos que sinto preencherem meu útero, quando tira sua rola minhas pernas ficam toda melada de seu esperma escorrendo. Me deito na espreguiçadeira e fico ali, olhando meus dois machos.

Thiago se levanta e fala.

-Vou falar com paola.

-Deixa amor, eu vou. Isso tem de ser entre eu e ela.

Ele vai até o cooler e pega duas latas de coca cola, da uma para Raphael e se sentam ainda nu para tomá-la.X

Me levanto, vou até o chuveiro da piscina, me lavo e entro para casa para procurar paola.

A encontro deitada em seu quarto, peço pra entrar e ela concorda, percebo que ela tinha se masturbado pois sua calçinha do biquíni estava jogada de lado toda melada e tinha posto um shortinho de tecido bem curto. Me sentei e perguntei.

-Ta tudo bem?

-Você que deve me responder, mãe.

-Pra mim está tudo ótimo. Mas e com você.

-Olha, nem sei o que dizer! Primeiro sua atitude com papai, depois com Raphael e a foda, foi demais para mim.

-Desculpe filha, não achei que ia te ofender. Simplesmente nos entregamos ao momento e rolou. Só isso. Foi o que disse mais cedo, não devemos ter preconceitos entre nós e sim curtimos o momento e aproveitarmos ao máximo.

-Mas daí a trepar com seu filho.

-Trepar com um homem delicioso e pra dizer a verdade, muito gostoso, assim como seu pai. Fazia tempo que não dava uma trepada assim, com certeza.

-Então tiveram outras?

-Digamos que sim, eu e teu pai sempre fomos muito liberais e sempre experimentamos de tudo sobre sexo.

Percebo ela se excitando de novo, seus biquinhos sobre o sutiã do biquíni já estavam durinhos, suas pernas bem juntas se esfregando mostravam sua excitação, acaricie seu rosto e fiquei fazendo carinho em sua bochecha e fui chegando perto de sua boca, ela me olhava com um olhar assustado, mas pidão. Cheguei minha boca próxima da dela e em segundos estávamos nos beijando, sentia sua língua percorrendo a minha e o sabor de sua saliva preenchia minha boca, acaricia seus braços enquanto a beijava e senti sua mão tocar meu seio, seus dedos percorriam as bordas do sutiã que liberei soltando o laço ela preencheu sua mão com meu seio, saiu de meu beijo para sugar meu mamilo, levemente, com carinho, me olhou e disse.

-Quando vi o Raphael que chupando o peito, queria estar no lugar dele.

-Agora você está meu amor.

Voltou a chupar lentamente, me empurrou na cama e puxou minha tanga me deixando nua, sua boca alcançou minha xoxota e ela foi lambendo lentamente, sugando devagar minha boceta, me olhou e disse.

-Ta com gostinho de porra, é do papai?

-Não, e de seu irmão!

Parece que potencializei seu tesão, voltou a sugar, agora com mais vontade, sentia sua língua me penetrando e mamando meu clitóris, não demorou e tive um orgasmo alucinante, sentia meu corpo tremendo e a boca de Paola ainda me chupando, tirei sua cabeça e a trouxe para outro beijo longo e prazeroso, a deitei e retribui a chupada, senti o néctar de sua boceta em minha boca, a sugava sem pudor e com prazer, mamei até sentir seu gozo invadir minha língua, minha boca e escorrer pelos meus lábios. Deitamos-nos em sua cama e ali ficamos por um longo tempo.

Quando thiago me chamou, Paola estava adormecida, a deixei ainda nua dormindo, me vesti e sai de seu quarto, thiago me olha e pergunta.

-Como ela está? Esta tudo bem?

-Sim, conversamos e está tudo ok. Só de tempo a ela.

Desci e Raphael estava na sala vendo TV, cheguei perto dele e lhe dei um beijo no rosto, falei.

-Hoje você e seu pai me satisfizeram muito. Obrigado filho!

-Mãe, jamais poderia imaginar algo assim, sempre tive um tesão grande por você, mas chegar a transar com você e com o papai junto. Surreal.

-Nem preciso falar que isso é somente para nossa família e que ninguém fora dessas quatro paredes pode saber.

-Claro, de boa.

Thiago nos olha e diz.

-Acho que assim teremos um novo relacionamento em família, não acham?

Fiz um afirmativo e Raphael também, me sentei ao lado dos dois e ficamos vendo TV.

Chegou à noite e Raphael disse que iria sair com alguns amigos, se arrumou e foi. Já eram 9 da noite, estava fazendo alguns lanches e vejo paola descendo as escadas, ela me olhou, veio me deu um beijo, foi até o sofá deu um beijo em seu pai e se sentou deitada em seu colo.

Levei os lanches, comemos e ficamos vendo TV. Lá pelas 11 da noite, eu sentada ao lado de thiago, paola deitada no sofá menor, comecei a cariciar as pernas do Thiago, ele abriu as pernas e deixou livre seu cacete já endurecendo no short, enfio a mão por dentro e apanho aquele mastro enorme e duro a essa altura, Paola nos olha atentamente, puxo para baixo o short e deixo a mostra o cacete enorme e duro de thiago, o abocanho e fico ali mamando lentamente, fixo meus olhos em paola que continua a nos olhar, vou acariciando suas bolas, engolindo seu cacete e vejo paola levar a mão para dentro de seu short, ela começa a se tocar lentamente, thiago a olha e faz um sinal para ela se aproximar, ela se levanta, fica ao nosso lado, olho para ela e ofereço o cacete de seu pai. Ela se abaixa e o abocanha de uma só vez, engole o máximo que pode e tira de sua boca, repete e thiago vai ao delírio, levanto e vou até atrás de Paola, tiro seu short, puxo sua camiseta e a deixo nua, acaricio sua xoxota que já estava muito molhada, enfio dois dedos nela e vou mexendo lentamente, ela geme baixinho, levo minha boca até sua xoxota e começo a lambê-la lentamente, ela se vira de forma a deixar sua boceta exposta para mim, seu pai ficou apreciando aquela xoxota graúda, maior que a minha, seu grelo grande e suculento, ela continuava a mamar a rola do pai e eu enchi a boca em sua boceta, mamava e atolava três dedos em sua boceta, ela delirava, seu pai anuncia seu gozo, mas ela continua e acelerou as mamadas, ele goza em sua boca, ela suga toda sua porra sem desperdiçar uma gota, nos olha e a engole toda. Seu pai fica ali de lado olhando eu mamar minha menina, a chupa com carinho e mexo meus dedos em sua xoxota suculenta.

Enquanto mamava sua boceta, ela começa a lamber o cacete de seu pai ainda mole, em pouco tempo já estava novamente em riste e ela pede para ser fodida por ele. Me retiro e fico ali olhando ele fodendo gostoso Paola, ela geme alto e me puxa para perto dela, me beija longamente a boca e me deita em sua frente, agora ela me chupa loucamente, enfia quase sua mão inteira em minha xoxota, empurrando e me fodendo gostoso, assim como ela gemo alto e nossos gemidos se confundem com thiago ali, histérico bombando a boceta de Paola, não demora thiago goza dentro do monte de Vênus da nossa filha e Paola goza junto com o pai gostoso, se joga de frente em minha boceta e fica ali, deitada ainda passando a língua em minha xoxota. Acaricio seus cabelos, thiago vem até mim, me beija longamente e paola se junta ao nosso beijo com nossas línguas se perdendo uma na outra.

Ficamos deitados no sofá, nus e satisfeitos, algum tempo depois olho e vejo Raphael parado olhando os três nus e diz.

-Poxa, perdi alguma coisa, né?

-Vem aqui maninho, vem me foder você também, sei que sempre quis isso.

Paola se põem de quatro apoiada no sofá e Raphael já chega sem roupa, com sua vara em riste a enterra de uma vez na irmã que geme alto, ele bomba e ela procura o pau do pai ali perto, ele se posiciona e ela continua a mamar sua rola enquanto Raphael a fode gostoso, eu ali olhando e me tocando vendo aquela cena maravilhosa, minha família agora completa em todos os aspectos.

Fodemos por toda a noite e nos dias seguintes também, tivemos um feriado único e maravilhoso, que abriu novas possibilidade e as quais aproveitamos até hoje.

Dado momento eles terão suas próprias famílias, mas até lá, nós teremos um ao outro!

Em outra oportunidade relatarei o que ocorreu em nossas vidas depois desse feriado maravilhoso.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
03/05/2019 20:27:41
Muitíssimo bom.
09/06/2018 01:44:52
Uaaaaaaaau!!!! Incrível
31/05/2018 21:49:33
Muito bom conto eu ja sou sua leitora , ha tempos
31/05/2018 12:47:46
Dizem que entre quatro paredes, havendo consenso, tudo é valido. Como iniciar os filhos para que tenham uma vida sexual plena, livre de tabus. Eu de minha parte, gostei do conto, além de tudo bem desenvolvido e muito excitante. Parabéns. Sugiro a leitura do meu relato recente com um vizinho podólatra. Bjs.
30/05/2018 20:48:15
Querida! Este foi um dos contos mais inusitados que li. Porém, se pensarmos direito, antes estender o amor fraternal para o carnal na segurança do lar, do que se arriscando fora. Lógica considerada tabu pela sociedade. Mas entre quatro paredes, ninguém tem nada a ver com isso, desde que haja consenso. Poucas autoras são tão explicitas, todavia, a narrativa flui e é tesudo. Muito tesudo. A nota só pode ser 10. Visite-me quando quiser e deixe seu comentário. Bjs babados.
27/05/2018 16:48:58
Excelente, uma vizinha fodia com seu filho(lindo) que eu e meu marido escutávamos e também fodiamos
24/05/2018 17:31:11
Narrativa deliciosa, Marcelle. Sei da tua história com o Thiago, visto que li os contos dele. Neste, o enredo excitante de iniciação dos filhos, sem quaisquer pudores ou preconceitos. Nota máxima com louvor. Quando puderem, leiam meu relato mais recente. Beijos.
22/05/2018 10:21:15
Querido, tesudíssimo! O que mais dizer. Concordo com os comentários dos colegas. Quando existe amor, é possível o sexo bem feito em família. Fica aqui meu comentário e nota. Sem dúvida dez. Visite-me quando quiser. Bjs babados.
22/05/2018 10:17:20
Excelente! Continue assim, alimentando essa intimidade familiar. Tambem sou bem liberal e gosto muito de ver familias se liberando de preconceitos e tabus idiotas. Parabéns!
22/05/2018 01:43:54
Excelente conto continue
21/05/2018 11:37:13
Muito bom esse conto. Deu um tesão lendo isso!
21/05/2018 11:24:19
Maravilhoso!!! Continue por favor!!
21/05/2018 11:06:37
Dizem que entre quatro paredes, tudo é válido. O importante é o prazer. Com certeza essa família estará muito mais unida. Além de tudo o relato foi perfeito e bem excitante. Merecia mais que a nota 10. Como notei que vcs não tem preconceitos, dá uma lida nos meus. Bjs.
21/05/2018 09:22:36
Excelente ! Narrativa perfeita .
21/05/2018 05:23:09
Muito bom. Isso q é uma família. Chega dessa hipocrisia judaico/Cristã. A verdadeira elevação do ser humano. Desperta povo. A Kundaline tem de ser ativada
21/05/2018 00:27:05
Muito interessante tua narrativa, Marcelle. Entre em contato conosco para receber nossos video contos e publicar seus contos na nossa comunidade também. Beijo do MOD (Secret Island) E-mail: modfant@gmail.com