A tulipa rosa 6

Um conto erótico de Arthur & Gustavo
Categoria: Homossexual
Data: 19/05/2018 08:45:18
Nota 10.00

A tulipa Rosa 6

Marcus dormiu deitado nos peitos de Guilherme o mesmo ouvia a batida do coração de seu amado.

Os dois estavam apenas de cueca, Marcus estava com as pernas envolvidas nas de Guilherme o mesmo estava com seu braços envolvidos na cintura de Marcus .

__ Bom dia- disse Guilherme acariciado o cabelo de Marcus.

__ Bom dia- respondeu com a cara de sono.

Guilherme puxou o corpo de seu amado, os dois ficaram com os rotos colados, o irmão de Gustavo chegou mas próximo para um beijo e Marcus virou as costas.

__ O que foi? - perguntou sem intender.

__ Aqui não é uma novela que o casal acorda e se beijam.- disse virado de costa.

__ Ei eu não tenho nojo de você não- disse em seu ouvido.

__ Não é ter nojo, e só escovar os dentes e pronto.

__Olha para mim! - falou exigente.

Marcus se virou e Guilherme subio em seu corpo, prendeu seus braços e forçou um beijo, mas o seu amado virou o rosto. Guilherme segurou o rosto de Marcus e mais uma vez tentou outro Beijo, mas dessa vez deu certo.

Guilherme segurou o rosto de Marcus que no começo tentou sair, mas não resistiu e cedeu aos beijos de seu homem, Guilherme se acolheu entre as pernas de Marcus seu pau já duro batia na entrada de Marcus, o mesmo engolia seu homem com a boca, as mãos de Guilherme segurava a cintura de Marcus que abraçava Guilherme com unhas e dentes.

Os dois pararam por um instante e fixasaram o olhar.

__ seu nogento- dizia Marcus esboçando um sorriso.

__ Vai dizer que não gostou?

__ Eu adorei , quero todo dia! - respondeu por baixo do corpo de Guilherme.

__ todo dia é? - disse fazendo uma cara de safado- assim é? - deu um selinho.

__ Eu quero isso Também - disse passando as mãos pelo peitoral de Guilherme até chegar em seu pau , e por cima da cueca Marcus apertou, fazendo com que seu macho desse um gemido.

__ Seu pedido e uma ordem. - disse colocando seu pau para fora, Marcus colocou todo na boca, chupava da base a cabeça da rola. Guilherme segurou sua cabeça e começou a fuder sua boca, fazendo ele engasgar as vezes.

Os dois ficaram completamente pelados , Guilherme virou Marcus de costa e começou a roça seu pau na entrada dele. Marcus revirava os olhos. Guilherme abriu suas nádegas e começou a roçar mais forte.

__ me come logo- disse louco para transar logo. Sem encapar sua rola. Enfiou de uma só vez , arrancando um grito de Marcus. Aumentou as estocadas e o casal passaram a manhã toda transando até gozarem juntos.

(Arthur)

7:00 da manhã quando Gustavo me ligou dizendo que já ia me buscar , não sei porque ir tão cedo; se só iria começar a noite. Como ele sendo um grande advogado tão novo chamaram , para participar de uma palestra que iria acabar com meu fim de semana DROGA- pensei. Ter que dividir o mesmo quarto a mesma cama ninguém merece. A droga desse negócio parece ser bem importante, todos os hotéis estavam ocupado. Que cidade e essa? .E o inferno começou , digo chegou:

__ Vai me ajudar não? - disse com minhas malas na mão.

__ você não merece. E por falar e só um fim de semana e não um mês. - disse olhando para minhas 3 malas grandes.

___ tenho que andar preparado. Se não quiser ajudar não precisa eu consigo. - disse tentando guarda as malas.

__ Eu ajudo princesa- olhei com a cara feia pra ele. Que guardou na hora minhas coisas. Já dentro do carro colocou sua mão por cima da minha perna e disse -mereço nenhum obrigado?

__ Não fez mais que sua obrigação- disse retirando sua mãoAcorda chegamos. Passei a viagem toda dormindo nem acredito.É melhor que ficar acordado olhando para esse tarado do meu lado.

__Graças a Deus.

__ vamos logo. Quero me deitar descansar e depois vamos almoçar.

__ tudo bem- entramos e fomos falar com uma mulher da recepção.

__ Bom dia .Somos do quarto 310.

__ Bom dia- ela respondeu . Até então não estava olhando. E ficou admirando Gustavo dos pés à cabeça. -olhar aqui a chave disse entregando a chave. Quando estávamos saindo ouvir ela comentar " que pena que não gosta".

__ Ele tá solteiro e gosta de comer qualquer coisa- disse fitando a mulher que pareceu assustada.

__ Desculpas pensei que vocês namorava- a sinica ainda tem coragem de responder.

__ Deus me defenderay. Se quiser ele é só subir no nosso quarto que eu saio- disse secamente

__ vamos logo - disse me puchando pelo braços- Como você pode falar essas coisas e ficar me jogando pra todo mundo? - perguntou autoritário.

__ solta meu braço ; tá machucando- ele soltou e ficou me encarando esperando uma resposta- só respondi o que ela falou ou você não ouviu?

__ Ouvir mas não precisa ficar me jogando pra cima de ninguém. - seguimos até o quarto que ficaríamos. Um quarto muito grande e bonito, paredes pitada de branco e cortinas em tons pastéis, a cama grande, graças a Deus.

__ Ainda bem que chegamos estou morto- disse caindo na cama.

___ Vou já dormir - disse Gustavo se livrando das suas roupas ficando apenas de box preta.

Me ajeitei na cama deitando de bruços e Gustavo de barriga para cima. Dormíamos até meio dia fomos almoça passemos pela mesma mulher. Que encarava e ficava sorrindo que nem uma piranha. Seguimos para um restaurante que não ficava muito longe dali, Gustavo disse que sempre ia lá.

O lugar muito lindo a comida maravilhosa. O dono veio conversar . Parecia grandes amigos.

__ Gustavo vamos dar uma voltar na cidade?

__ Deixar pra amanhã.

__ Ahhhh não vamos hoje? . Faço qualquer coisa! . Por favor. - disse suplicando.

__ qualquer coisa? - perguntou com um sorriso malicioso.

__ Mas também depende.

__ ok, quero que você fale para a mulher do hotel que estamos namorando. Você viu como ela tá agora fica só dando encima de mim e mandando Beijo.

___ kkkkkkkk, bem feito. Tá bom eu prometo. Mas não inventar nenhuma gracinha tá ouvindo?

__ tá bom- respondeu com um sorriso malicioso.

Andemos em vários lugares que por sinal muito bonita. Gustavo parecia um cão de guarda, não deixava ninguém conversar comigo. E quando um rapaz pediu meu número virou o cão de raiva. Voltamos pro hotel e como minha parte do acordo livraria ele das mãos daquela biscate. Gustavo foi na frente se corroendo de raiva só por que dei meu número pro rapaz. Lá estava ele conversando com a piranha que estava se jogando em cima dele. O coitado queria correr e não conseguia, cheguei próximo e disparei.

__ Oi amor vamos subir- disse dando um selinho nele, o mesmo segurou minha cintura e intensificou o beijo , que não demorou muito e terminou em alguns selinhos. Não tinha muitas pessoas , na verdade a recepção parecia um deserto- O que estavam conversando? - perguntei sinicamente a coitada ficou com cara de tacho.

__ Nada não estava só explicando que você estava extressado hoje mais cedo e falou aquelas coisas- disse com o braços envolta da minha cintura .

__ tá bom. Vamos subir. Para fazer aquilo ....- disse limpando sua barba muita bem cortada.

__ vamos- respondeu com um sorriso malicioso. A coitada ficou parecendo uma pateta. Quando cheguemos no elevador tirei suas mãos de mim.

__ Era pra ser só um selinho. Só não te dei um chute. Por causa do acordo- disse irritado.

__Eu me empolguei. Mas você viu a cara dela?. Kkkkkkkk

__ Eu vi, estava me segurando pra não sorrir.

__ O que nos iríamos fazer mesmo? - disse com aquela cara de safado dele.

__ Larga de ser besta . Eu vou assistir não sei você.

__ pois eu também vou .tá passando uns filmes de terror- disse empolgado.

__ Nós viajamos para assistir! .que mundo eu estou vivendo- disse deitado na cama enquanto Gustavo escolhia um filme.

__ Tá passando da anabele, pode ser?

__ Não tem nenhum que não seja de terror- vou confessar eu morro de medo.

__ Vai dizer que estar com medo?

__ Eu com medo nunca- conversamos tanto que ele nem parecia meu chefe.

__então ok- disse se sentando do outro lado da cama.

Ficamos assistindo eu sentado de um lado e ele do outro. No começo estava ótimo mas a miserável da boneca ficava se mexendo na cadeira. Eu morro de medo, se fosse mulher nunca iria brincar de boneca, jamais . Uma hora apareceu um espírito atrás da boneca fiquei muito apavorado eu enfiei meu rosto no colo do Gustavo, o mesmo ficou sorrindo de mim. Ficou acariciando meus cabelos e pedir para ele desligar.

__ você é muito medroso - disse sorrindo.

__ Eu não gosto desse tipo de filme- mentir.

__ hurum sei- disse desconfiando. - tá passando um aqui A culpa é das estrelas, pode ser?

__ Eu amo esse filme. - na verdade eu já tinha assistido várias vezes.

( autor)

Passaram a tarde assistindo até pegarem no sono. Arthur dormiu nos braços de Gustavo, o mesmo se encontrava apenas de box e Arthur de short. O garoto estava abraçado no peitoral malhado , mas não como aqueles homens muito forte. Gustavo gostava de deixar seu corpo em dia. O rosto de Arthur estava entre o pescoço de Gustavo .Então sua barba batia no rosto do garoto, a respiração dos dois muito calma. Gustavo abriu os olhos lentamente sem se mexer e ver a cena dos seus sonhos, Arthur entregue em seus braços. Gustavo apenas abraçou o corpo de Arthur e sentia a respiração dele em seu pescoço. Gustavo começou a mexer a cabeça roçando sua barba no garoto fazendo ele acordar. O mesmo apenas virou o rosto fazendo com que os dois encostarem os rostos. Arthur ainda em silêncio passou a mão na barbar do seu chefe.

__ O que foi ?- perguntou Gustavo vendo à ação do garoto.

__ sua barba- disse com voz de sono.

__ O que tem ela?

__ faz cócegas- disse tocando a barbar de seu chefe, enquanto ele segurava sua cintura. Os dois ficaram em silêncio por uns minutos, apenas se encarando .

__ faz cócegas é? - perguntou Gustavo com cara de malícia.

__É , faz.- Gustavo começou a roçar seu rostos no pescoço do garoto. Ele aproveitava dava uns Beijos e cheirava fazendo o mesmo sorrir de cócegas. Arthur se contorcia de cócegas .

__ para, para. ...- dizia sorrindo. Aos poucos Gustavo foi parando e seus olhares se encontraram novamente o silêncio reinou no local. Gustavo levantou as mãos tocando o rosto de Arthur, passou seus dedos nos lábios rosados do garoto, o mesmo não fazia nada apenas deixava e ficava olhando em seus olhos.

__ Eu gosto tanto de você- disse Gustavo tocando os lábios de Arthur.

__ Eu não sei o que sinto. Eu também gosto de você, mas tenho medo- disse com a voz calma para seu chefe.

__ medo de que?

__ Eu não sei. Como um homem como você pode ficar com um garoto como eu?

__ Tem algo em você que nunca achei em ninguém- disse com a voz calma e rouca- Desde o dia que vir você na floricultura e depois no meu escritório nunca consegui pensar em ninguém. Até tentei ficar mais meu pau não queria subir.

__ Hahahahah e comigo sobe? - perguntou provocando e mordendo os lábios. Gustavo tocou as mãos do garoto o fazendo tocar no seu pau.

__ tá respondido sua resposta- falou fazendo o garoto pegar em sua rola.

__ Talvez - disse com sorriso malicioso e apertou o pau do seu chefe. Suas testas se encostaram, um ficou olhando pro outro.

__ Posso - perguntou Gustavo, querendo sentir os lábios de seu garoto.

__ Deve- os dois encostaram seus lábios lentamente, Gustavo ficou com uma perna entre as do seu garoto e seu corpo por cima do mesmo.

O chefe guiava seu amado que era engolido, Gustavo enfiava sua língua em Arthur o mesmo mordia os lábios do seu homem. Os beijos foram ficando mais quente, Gustavo com seu pau pesado e duro roçava em Arthur .o chefe apertava o corpo e a bunda do seu garoto que gemia na boca dele. Gustavo beija pescoço boca e mordia a a orelha de Arthur. Desceu o shorte do garoto deixando apenas de cueca.

__ Para- disse com a voz ofegante no ouvindo de Gustavo enquanto o mesmo chupava seu pescoço.

__ O que foi ? -Disse ofegante sem para de beijar seu garoto.

__ Eu nunca fiz isso- disse envergonhado. Gustavo fixou seu olhar em Arthur.

__ Eu sei você me disse que era virgem.

__ Quando eu disse isso? - perguntou assustado.

__ Quando você estava bêbado.

__ Oh vergonha- disse se virando de bruços enfiando o rosto no travesseiro.

__ Eu não vou te machucar tá- falou beijando o pescoço e dando uns selinhos.

__ Eu confio em você mas não estou preparado- disse virando seu rosto e encarando seu chefe novamente.

__ Eu espero quanto tempo você quiser - disse puchando o corpo do garoto para próximo ao seu.

__ Tá bom- disse dando um selinho. Com os braços de seu chefe envolvidos em seu corpo.

__ Por que você deu seu número pra aquele otario? - falou em seu ouvido roçando sua barba no garoto fazendo ele se arrepiar todo.

__ Eu dei errado - disse sorrindo. - Por que me beijou naquela hora?, era pra ser só um selinho de mentira.

__Eu tinha que aproveitar, eu sou louco pra ficar beijando essa boca- disse segurando seu queixo e iniciando outro Beijo leve e calmo. Gustavo ia saboreando os lábios de seu garoto que subio sobre seu corpo sentando em seu pau, por cima da cueca. Os dois pararam os beijos, Arthur pegou as mãos de Gustavo e levou para sua bunda, que no mesmo momento segurou firme e voltaram a se beijar os dois passaram a tarde inteira namorando.

__ Vamos banhar? - perguntou Gustavo.

__ Vamos, eu vou primeiro e depois você toma seu banho.

__ Assim não vale- respondeu indignado.

__Você falou que ia esperar.

__ Claro. Mas também eu falei banhar não transar .

__ ah não eu tenho vergonha- disse de pé, um em frente pro outro.

__ Vergonha de mim? .A gente passou a tarde namorando de boa. Vamos amor? - Disse abraçando seu garoto depois de dar um beijo na sua testa.

__ Me chamou de que? - perguntou surpreso.

__ Amor, eu nunca falei para ninguém , porque antes era só transar. Mas agora não é, vamos deixar eu te lavar, ver seu corpo, por favor?

__ tá bom- Arthur se livrou de sua cueca expondo seu corpo completamente. Que era analisando por Gustavo- Agora é sua vez. Gustavo tirou sua box, fazendo com que seus 22,5 cm pule para fora.

__ Então gostou- perguntou Gustavo para Arthur que arregalou os olhos quando viu a rola de seu chefe.

__ Meu Deus isso é uma braço? . nunca, jamais vou dar a bunda pra você.- disse impressionado com a jeba de seu chefe.

__ Eu não vou te machucar, vai ser com calma- disse alisando a bochecha de Arthur. - vamos banhar disse puxando sua mão.

Os dois entram e a água do chuveiro descia em seus corpos. Gustavo passava sabonete nas costa de seu garoto, sua mão percorreu por todo lado, pegou em sua bunda seu dedo chegou próximo em sua entrada e ficou acariciando. Fazendo Arthur gemer.

__ Para - disse ele tirando a mão de Gustavo, e começou a lavar a barriga de seu chefe, que de frente um para o outro não tirava os olhos do garoto , o pau do chefão começou a dar sinal de vida.

Gustavo chegou próximo ao garoto e o abraçou, seu pau batia na barriga do garoto, envolveu os braços no mesmo. O garoto ficou com o rosto colado no pescoço de Gustavo.

__ Você sentir isso? - perguntou Gustavo.

__ O que? - falou olhando para cima fitando os olhos de seu chefe.

__Algo forte, que a gente sente na barriga?

__Sim . Isso significa o que Gustavo? - perguntou inocentemente.

__E amor, isso que você tá sentido e o mesmo que eu- disse sorrindo para seu pequeno.

__ Pois eu te amor Gustavo. - disse meio tímido. Gustavo apertou o Abraço e disparou:

__ Eu também te amo, meu amor- disse com um largo sorriso, Arthur se aproximou e tocou seu lábios nos de Gustavo e iniciaram um beijo em baixo do chuveiro. A barba de Gustavo deixava o garoto todo arrepiado. Ficaram mais um tempo namorando no banheiro...

( obrigado pelos comentários)

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
19/05/2018 23:06:13
Boa garoto. Mas que patrão gostoso, você deve dar duro no trabalho. Com essa paixão toda eu já tinha embarcado.
19/05/2018 15:41:02
MUITO BOM. ISSO MESMO ARTHUR, SEGURE ENQUANTO PUDER. DEIXE GUSTAVO CADA VEZ MAIS APAIXONADO POR VC. DEPOIS É SÓ FELICIDADE.
19/05/2018 13:50:29
Muito bom adorando.