O dia que eu arrombei pra valer o cuzinho da minha puta Pt. 2 - Minha Puta levando rola

Um conto erótico de D.M
Categoria: Heterossexual
Data: 18/05/2018 12:54:56
Nota 10.00

Salve, Salve galera, estou de volta pra contar a parte 2.

Nessa parte acontece a foda realmente que está no título, mas tem a parte 1 onde eu conto sobre minha puta e o motivo dessa transa do conto. Aconselho dar uma lida na parte 1, é uma explicação longa, mas é excitante.

Bom, vamos ao conto.

Minha vadia então ficou uns dias sem falar comigo do último ocorrido. Eu tentava falar com ela, mas ela respondia friamente. Já estava começando a pensar que ela ia achar prazer com outro. Porem sei bem que ela não consegue receber aquele prazer completo se não for comigo, afinal, sei bem tudo e do jeito que ela gosta, sendo assim ela não consegue ficar um tempo sem mim. Voltou a falar sem nem pedir desculpa. Apenas falando que tava com saudade e desejo.

No meio das conversas começou a me zuar, claro! Como sempre

As zueras eram assim.. " Meu safado ta fraquinho ultimamente," " não ta aguentando me dar essa rola gostosa ". isso tudo ainda pra me incentivar. Mas o pior mesmo era ela falando que vivia com o cuzinho pegando fogo de tesão. Que fazia tempo que nao sentia arder quando um pau entrava e que tava muito fechadinho, ela gosta de se sentir arrombada. Ficava falando que eu nao estava mais dando conta de foder seu cu, que a deixava com vontade e não comia. Era sempre uma zuera assim. Fora que falava “ De noite enquanto você dorme eu me masturbo pesando em você. Mas eu só coloco a mão na buceta mesmo, pois no cuzinho você não ta conseguindo foder.

Ou fazia pior, pra me deixar bravo mesmo, " Hum, vou ter que sentir prazer anal agora com uns brinquedinhos, meu puto goza só de entrar no meu buraquinho ". Ou mais ainda " Você fode minha boca e minha buceta, mas meu cu é outro que fode, é ? "

Todo dia era falando isso até que eu nao aguentei mais.. " Ah é, vadia! Próxima vez que você vir aqui eu vou te amarrar de quatro, uma posição pra eu foder apenas sua boca e seu cu. Dessa vez eu vou te arrombar como nunca fiz antes. Você vai aguentar meu pau inteiro apenas na sua bunda. Sua buceta vai só sentir vontade " Tenho dó de você quando vou fuder seu cu.. Olha o tamanho do meu pau pra entrar todo na sua bunda... Não vou ter dó mais, vou enterrar meu pau todo na sua bunda e você vai aguentar.

Aquilo a deixou louca na hora, começou a mandar foto da bunda, mandava de quatro ou pelo espelho e ainda ficou me zuando. Se você aguentar, quem sabe!

Ainda mandou áudio “ Hum, então você tem dó de mim, é? Falou que não se gaba do tamanho da rola e agora ta dizendo que é grande demais para entrar na minha bunda? Está me desafiando também “

Comentei “ meu pau é grande mesmo, não é você que fala toda vez que ver. Agora vai receber ate o talo “

Essas palavras, as conversas e e o desejo deixou a gente bem animado. Aproveitei e nem fui trabalhar na parte da noite, e ainda na quinta aproveitei então e comprei umas amarras em um sex shop. Umas amarras bem interessantes que a moça me passou. Tinha um pedestal que deixa pendurado as amarras para colar as mãos, ai só ajustar pra cima e pra baixo pra mulher ficar mais curvada. Tinha umas amarras em baixo para prender as pernas e uma regulagem pra deixar as pernas abertas. Dessa forma, ela ia ficar em pé no chão, com as costas curvada inclinada pra frente. De quatro praticamente com a bunda empinada. Comentei com ela o que a estava esperando e a filha da mãe só me diz " Está me devendo uma noite de puta. Me trata feito vadia e me fode, mas não fraqueja se não eu não quero mais ".

A vadia sabia como me fazer comer ela do jeito que ela bem entendia. Ela sabe que eu gosto quando ela provoca, quando ela pede.. Ela me conhece mesmo; e eu só aguardei a chegada dela. Ela ia receber do jeito que ela gosta.

Ela chegou, tava escurecendo ja o dia, era uma sexta feira, no meu quarto estava montado as amarras, Assim que entrou, ficou toda maluca, já começou me beijando e passando a mão em mim a procura de sentir meu pau duro. Eu a aperto toda, dou um tapa na sua bunda e falo pra ela esperar, vou no canto e pego uma venda e cubro seus olhos e vou arrancando sua roupa, ao mesmo tempo beijando seu corpo.

Logo ja começa os xingamentos, ela me chamando de cachorro, vadio, puto e começando a falar pra foder ela com força, dar uns tapas, colocar meu pau inteiro nela.

Eu só retribuiria," vou te rasgar toda, vadia!

Pediu pra eu dar uns tapas na sua cara, deixar sua bunda vermelha e morder seus peitos, mas eu só tava ali mesmo era preparando as amarras.

Ela ja toda nua, cheia de tesão e ainda com a venda nos olhos, deixo ela em pé. Pego as amarras, coloco em seus pés e deixo ela com as pernas abertas, curvo seu corpo e prendo suas mãos. Ela já sabendo como estava fica até apreensiva e dizendo " hum, estou adorando isso "

Tiro sua venda, ambiente está levemente escuro, as luzes apagadas, porém com umas lanternas de led em alguns pontos do quarto pra deixar um pouco iluminado. Ela de quatro com as pernas em pé ao chão. Eu segurando meu pau de frente ao rosto dela. Ela olha, dar uma mordidas nos lábios dizendo " hum.. estou adorando a surpresa que... " Ela não termina a frase e recebe um tapa... É assim que você gosta, vadia? "

Ela vira o rosto me olhando com uma cara de safada. Acho que foi a cara mais safada que ela fez. Ela me olhou e disse, bate de novo...

Eu fiz, mais um tapa estalado fazendo ela virar o rosto. Na era tapas fortes, mas era aqueles que fazem barulho e ela sente a mão pelo menos. Ela adorava aquilo.

Eu estava nu, em pé a frente dela, ela curvada com o rosto na altura do meu pau e de quatro com a bunda para outro lado. Ela me olhava e depois voltava a olhar meu pau. Ele tava durasse ali de frente pra ela, toda aquela rola. Ela sempre já o recebia assim que estava pro fora da cueca, mas dessa vez a deixei admirando meu pau.

Ela me olhou ali me vendo duro e comentou “Você é gostoso demais.. As vezes ainda não acredito que você tem tudo isso de rola.. E é tudo meu.. Bate com seu pau na minha cara!

Eu dei mais um tapa, só que dessa vez seguro seu cabelo pra ela não virar o rosto tanto assim. Eu seguro meu pau e esfrego na cara dela. Em seguida dou uns leves pacandinhas com ele eu seu rosto. Ela rir e meio que vira o rosto pra passar a boca na cabecinha. Eu vou mais pra frente e ela lambe. Mas eu retiro logo e dou um tapa outra vez na sua cara. Dessa vez já dou outro seguido e mais e mais um. Virando o rosto, ela ia dizer algo como " bate seu puto... ", mas nao teve tempo, pois eu agarrei sua cabeça e coloquei todo meu pau na sua boca. De uma vez, pega de surpresa. O engasgo veio logo em seguida pois já coloquei bem mais da metade, sem ela poder retirar, pois estava com as mãos amarradas, deixei meu pau inteiro na boca dela ela só conseguia mesmo era manter a boca aberta, sentindo a cabecinha em sua garganta, notei que ela perdia o folego e a baba escorria pelo canto da boca, então eu disse " Minha putinha está fraca, não aguenta meu pau inteiro. " Empurrei mais ainda em sua boca, notei seus olhos lacrimejar e continuei " Hoje seu queixo encosta nas minhas bolas. Hoje você aguenta por inteiro. "

Ela me olha com uma cara de vadia, mas ao mesmo tempo de que nao estava aguentando e precisava respirar, então retiro da sua boca de vez, sai um pouco de baba da sua boca, meu pau molhado pingando saliva e ela abaixa a cabeça pra respirar.

Ela levanta pronta para falar alguma coisa quando é novamente calada com um tapa, um puxão de cabelo e novamente meu pau em sua garganta.

Outra vez pega de surpresa sem nem esperar receber minha rola outra vez na boca;

E eu nao metia na sua boca, eu simplesmente colocava meu pau de uma vez só por inteiro e deixava ele la dentro em sua garganta. Um pouco menos da metade ainda pra fora, uma pequena distância do seu nariz a minha barriga; Mas hoje ela ia aguentar tudo.

Eu dava mais uma empurrada, forçando pra entrar mais e seu ollhos enchia de lagrima. Aquela maquiagem borrando em seu rosto, sua boca presa ali ao meu pau, eu dava uns tapas no rosto e dizia " É assim que uma puta tem que ser tratada? levando pau até no fundo? Sua boca ta aguentado bem e seu cuzinho vai aguentar também "

Tirei da sua boca, muita baba escorreu agora, aproveitei e retirei todo o excesso e esfreguei na cara dela com dois tapas seguidos deixando a cara dela toda molhada, puxei seu cabelo pra ela olhar pra mim e solto meu pau em sua cara, esfregando ele na cara dela deixando mais molhado e ela ainda ela totalmente ofegante.

Ela me olha, respirando bem ofegante, com meu pau em sua cara e me diz "Vadio! olha o tamanho dessa rola e você empurrando na minha garganta"

Realmente, meu pau ali no rosto dela, as bolas estava encostado no seu queixo e meu pau no rosto dela. a cabeça do meu pau passando ali da sua testa. Praticamente meu pau mais cumprido que seu rosto.

Eu só respondo " Ué, achei que fosse minha puta! E ainda amarrada desse jeito, nao tem do que reclamar não. Vadia vai engolir tudo e vai apanhar ainda e vai adorar tudo isso "

Ela dar uma risada de puta mesmo com um olhar pra mim " Empurra mais então... Me bate.. fode minha garganta "

Eu olho pra ela dando uns tapinhas e falo " Agora você engolir... "

Seguro sua cabeça na direção do meu pau, aponto ele pra seu rosto e ela entende bem, Abre bem a boca. Ela se tocou que eu ia colocar ate o nariz dela encostar na minha barriga e eu enfio totalmente em sua boca. Ela tenta abrir mais pra respirar e tentar engolir mais ainda, só que ela não contava que dessa vez eu ia meter. Na hora que ela abre a boca achando que eu ia continuar empurrando, eu retiro e coloco de novo bem rápido e passo a meter forte como se estivesse em sua buceta.

Aquele barulho de saliva, boca molhada, pau entrando e saindo da sua boca, tava uma delícia, Eu tava fodendo a boca dela muito forte e colocando o máximo que conseguia. Muita baba escorria, ainda mais quando eu tirava da sua boca só pra dar uns tapas em sua cara. Era gostoso meter em sua boca com ela totalmente amarrada e toda babada daquele jeito.

Realmente eu estava acabando com ela apenas com meu pau em sua boca, eu fodia muito forte e ela mal podia respirar, porém, eu apenas sentia vontade de fazer mais e mais, e ate mais forte, pois quando eu parava pra deixar ela tomar um folego, dar um tapa ou molhar sua cara com baba. Ela apenas respirava fundo e ria. Ela estava adorando aquilo.

Comecei a foder mais sua boca, e cada metida, parecia que estava indo mais fundo, As engasgadas eram constantes. Ela começou a babar mais e mais, Seu rosto estava acabado, cansado, molhado demais, seus cabelos grudados na cara. Passei a retirar o excesso de baba que escorrida da sua boca e guardava ali na mão. Anteriormente, pegava essa mesma baba e esfregava em sua cara junto com um tapa em seguida. Mas dessa vez eu enchia a mao de baba pra dar a volta por tras dela e passar em seu cuzinho. Como ela tava arqueada pra frente, sua bunda estava aberta e exposta, eu enchia a mão com a baba que escorria, tirava meu pau da sua boa, dava a volta por tras e passava a baba que escorria em seu cuzinho, molhando ele e dando umas dedadas. As vezes dava uns tapas em sua bunda pra deixar marca ou passava a cabeça do meu pau em seu cuzinho. Só pra deixar ela louca.

Sua buceta pingava e isso era literalmente. A buceta dela escorria mel e não era de seu cuzinho, afinal toda a baba que escorria da sua boca eu levava a seu cuznho e escorria na sua perna. Mas aquele mel era de sua buceta, que devia está com muito tesão de receber meu pau ali.

A sequência era essa, eu fodia sua boca, escorria baba pelo seu queixo e eu retirava com a mão, quando ela ficava sem ar, eu tirava de uma vez e mais baba escorria. Eu passava a mão em sua boca pra retirar o excesso, deixava ela ali ofegante, ia pra tras dela e lambuzava seu cuzinho com aquele baba ali. Masturbava colocando do dedo em sua bunda e arrancava uns leves gemidos, passava então a cabecinha do meu pau ameaçando colocar e tirava de novo, pra provocar, passava em sua buceta, mesmo sabendo que ali ela nao ia levar rola.

Voltando de frente pra ela e ela me olhava cansada, ja conseguia ouvir os primeiros " me fode ", " coloca seu pau em mim " e eu puxava eu cabelo só pra sua cabeça levantar mais ainda, dava uma tapa, esfregava minha mao molhada e dizia " Só quero ouvir minha puta gemer. Só isso! Eu faço com você o que eu quiser "

Ela dava risada bem safada e acrescentava " Então me fode, ou nao aguenta? "

Recebia mais um tampa e mais uma vez meu pau em sua boca. Dessa vez parecia entrar mais eu forçava mais ainda. Eu mandava ela calar a boca e guardar o folego pra aguentar meu pau, notava-se que ela estava cansada demais de receber na boca, essa brincadeira ja fazia mais de horas. Mas eu não ia parar ainda. As vezes tirava meu pau e batia em sua cara só pra respirar e ouvir eu chamar ela de puta.

Então chegou uma hora que seu nariz quase encostou na minha barriga, faltou pouco. Fodi tanto sua garganta que ela ja estava ate acostumando. Eu conseguia agora empurrar tudo. Sim, literalmente completo. Seu nariz encostava na minha barriga, minha vadia tinha ali todo a extensão do meu pau, dava ate pra ver meu pau através da sua e e ela ali aguentando. Retiro da sua boca, dou um tapa em cada lado e coloco cada vez mais. Retirando tudo e colocando ate a hora que eu falo “parabéns, vadia... aguentou tudo mesmo.” Da sua boca estou satisfeito.

Eu retiro meu pau, completamente pigando de molhado, minha vadia estava exausta, deu pra ver o cansaço que estava de tomar na boca. Eu seguro seu rosto e começo bater uma mais rápido e falo, “ está na hora do seu presente “

Quando ela ia perguntar o que. Eu volto a foder sua boca, mas dessa vez mais forte como se tivesse fodendo sua buceta, só que não tão fundo, deixava mais da metade do meu pau pra fora e eu punhetava pra mim enquanto metia em sua boca, ela babava muito e abria a boca pra tentar respirar, a baba ia ate o chão em uma esticada que parecia uma linha, o chão completamente molhado. Começo a meter mais rapido e bater mais forte e então meu pau incha mais ainda, eu retiro da sua boca e gozo na sua cara

Eu gozei muito, não lembro quantos jatos saíram em direção ao seu rosto, eu tava com muito tesão mesmo pra gozar tanto. Sei que saiu muito, melou a cara dela inteira. Da testa, olho, nariz, boca. Fora o queixo que ainda ficou um monte ali pingando. Ela estava ofegante pra falar algo, mas conseguia rir. Dei um tapa na sua cara e chamei de vadia mais oura vez e esfreguei a mão na sua cara pra espalhar o gozo.

Bati com meu pau em sua cara e falei " Agora vou foder seu cu, vadia! Só que eu quero te foder assim, com sua cara toda gozada. E ainda Quero ficar te olhando. "

Ela me olhou com cara de dúvida, mas tava cansada pra falar algo agora, fora que ainda estava com meu pau ali encostado na sua boca ficando com os labios melado. Ela não reparou pois aquele canto estava meio escuro, então liguei ai na frente dela outro led onde mostrava um espelho, ela podia se ver amarrada agora com a cara toda gozada. Me aproximei atras dela e estava uma visão otima, aquela bunda ali para mim e no espelho via seu rosto gozado.

Ela então falou “ Safado, preparou tudo isso, né? Sabia que ia gozar na minha cara e me deixar nesse estado. E o espelho aqui pra eu me ver acabada e você ai atrás me fudendo.. “

Eu não respondi, fiquei ali por trás dela olhando aquela bunda maravilhosa; Seu cuzinho estava pronto pra mim, eu havia já deixado bem molhado e já tinha colocado dois dedo antes pra deixar ela pronta. Olhei pra ela e vi ela se vendo pelo espelho. Seu rosto escorria gozo, a cara toda melada.

Eu ainda estava louco de tesão, meu pau pulsava ali louco pra entrar naquele rabão gostoso, voltei a olhar pra sua bunda, Seu cuzinho ainda ali todo molhado do jeito que eu deixei, eu sabia que se colocasse dois dedos ali ai entrar fácil, afinal, ja havia feito isso várias quando eu parava de foder sua boca. Sua bunda tinha várias marcas de mão de cada tapa que levou, as pernas abertas ali amarrada em baixo e sua buceta escorria o mel que dava pra ver como uma linha escorrendo da sua buceta pra pingar no chão. Passei a cabeça do meu pau na sua bucetinha e ela estremeceu, ouvi um me fode ainda, porém não dei a mínima, era seu cu que que eu queria. Apontei a cabeça do meu pau em seu cu, meu pau estava duraço, a cabecinha ainda enorme, pau ainda todo melado de baba e gozo e aquele cuzinho meio fechado, molhado me esperando, ela deu uma piscadinha quando sentiu a cabeça encostar, encostei o pau em seu buraquinho e forcei. Eu estava olhando bem atento aquela bunda, eu vi a cabeça do meu pau entrando, rasgando aquele cuzinho, enlanguescendo, deixando aquele buraco se adaptar a cabeça da minha rola.

Ah, aquilo foi gostoso. Seu cuzinho abriu de um jeito que parecia está rasgando. Meu pau entrou com uma certa dificuldade ainda, parecia esta mais grosso e aquilo gostoso de ver. Ela deu um gritinho, aquele grito que eu ja ouvi várias vezes quando ela sente o cuzinho arder. Fui entrando devagar pra ela sentir meu pau centímetro por centímetro entrando. Quando chegou na metade eu parei, como sempre faço quando coloco em sua bunda e então deixei ele la dentro pra seu cu acostumar. Eu conseguia ver aquele buraquinho em volta do meu pau se adaptando. Olhei no espelho e ela mordendo os lábios de tesão. Como sempre fazia, meu pau ficava ali até a metade, deixava um pouco e retirava. Aquilo era bom pra ela pois ela relaxava e se preparava pra receber de novo. Mas dessa vez eu não tirei, eu enfiei mais, ela arqueou o corpo e então gemeu. Eu coloquei mais e dessa vez sua bunda encostou em mim. Primeira vez e meu pau estava inteiro em seu cuzinho. Aquele pau que nao me gabo pelo tamanho, mas dessa vez eu pude falar " Vadia! Tem uma rola enorme enfiada no seu cu ". Ela gemeu, E eu nao tirei, dei umas giradas com ele la dentro e isso acabou com ela. Sentir ate seu corpo amolecer.

Eu a segurei pela bunda e empinei, sua bunda havia engolido meu pau todo, minha rola estava toda ali e isso estava sendo gratificante pra mim. Afinal, ainda não tinha colocado por inteiro. Meu pau sumiu naquele buraco e eu estava adorando. Eu dava umas giradas com meu pau dentro dela e era gostoso ouvir ela gemer com aquela sensação de que ela ta sendo arrombada. Eu a olhava e ela tava com aquela cara de puta recebendo uma pica inteira na bunda.

Eu retiro devagar pra ela sentir raspando em seu buraquinho, centímetro por centímetro voltando, Quando a cabeça ta quase pra fora, coloco tudo de novo e mais um gemido eu escuto. Começo a fazer isso e quando o pau ta la inteiro dentro, eu dou uma giradinha que parece que ta rasgando seu cuzinho. Fodendo seu cu desse jeito, sinto o melhor. Ela gozar! Seu corpo estremece toda e eu sinto ela gozando. Gozando apenas com minha rola inteira na sua buda. Conseguia ouvir ela gemer e dar uns gritinhos, olho e vejo mordendo os lábios, dava pra notar que ela estava se segurando o máximo ali e aguentando por completo. Eu metia , agora ao invés de empurrar tudo, parecia que seu cuzinho estava se acostumando, agora entrava com um pouco mais de facilidade. Passei a meter por trás devagar, mas colocando bem fundo.

Depois, comecei então a foder de outro jeito, dessa vez eu tirava meu pau todo de seu cuzinho, deixava todo o pau pra fora e colocava de novo de uma vez. Aquela entrada completa como se fosse uma estaca, fazendo mais pressão na hora que entrava a cabecinha, era a parte mais grossa e eu forçava ainda mais como se fosse pra rasgar. ai quando entrava metade eu metia mais rapido, dava umas metidas com força, empurrava tudo e retirava outra vez.

Retirava tudo de uma vez e colocava de novo. Quando eu ia por a cabecinha, eu demorava e dava umas giradas forçando mais ainda a entrada do cu, assim que entrava, metia com força e ficava ali metendo. Parava e retirava de novo e coloca mais uma vez. Comecei a reparar em seu cuzinho e ele tava estava bem arrombado, então falei " Olha só como ta seu cu, vadia.. Aguentou meu pau todo. A cabeça do meu pau está até entrando fácil.. está toda arrombada, vadia " Então passei a por dois dedo em seu cu e disse " entra fácil, né ?", coloquei três " três dedos em sua bunda " e então 4 dedos ali em seu cu " ja tinha imaginado isso, vadia?"

Passei o dedo em volta só pra ela sentir, segurei sua bunda, mirei meu pau e entrei de novo.

Agora passei a meter forte e rapido, sem parar, aquelas metidas que fazinha barulho da bunda batendo na perna. Eu metia como um animal fodendo aquele cu, seu corpo inteiro balança e ela gemia alto, aquele barulho de corpo te batendo e das amarras que prendia suas mãos.

Ela gemia muito e me olhava pelo espelho pra ver eu ali fodendo. Já dava pra notar seus sinais de cansaço.

Eu parei então de foder rapido e tirei meu pau de seu cu, ela deu uma suspiro e então me olhou quando eu passei pra frente dela, eu dei um tapa na sua cara e disse “ Eu ia pedir pra você babar meu pau, mas ta entrando tão facil no seu cu, olha só “

Fui pra trás dela, dei um tapa na bunda e coloquei meu pau ali que entrou de vez, Entrou tudo e entrou facil, facil. O cuzinho dela tava laceado e então eu falei “ Deixei seu cuzinho tão arrombado colocando de ladinho, que aposto que cabem até dois paus “ Nessa hora, eu retirei minha rola e coloquei depois dedos em seu cu, ela tava aberto então posicionei ali no meio e coloquei meu pau junto, de uma vez.

Agora tinha enfiado no seu cu meu pau e dois dedo meu, seu cuzinho se abrir ali pra mim e eu metia forte e ela gemia, gritava e urrava ai bem alto. Depois de uns minutos, eu tava metendo sem parar mesmo. Ela então gemeu " mete na minha buceta... eu nao aguento mais, meu cu ta ate queimando, seu vadio... retiro o que disse, vc me arrombou, você aguenta sim "

" fode minha buceta, fode "

Eu parei de meter no seu cu, tirei meu pau e meus dedos, seu cuzinho tava bem aberto, escorrida uma mel na perna dela que vinha de sua buceta. Passei meu pau em sua buceta ela estremeceu, eu disse " pede de novo "

" Fode minha buceta "

Então eu coloquei meu pau em seu cu de novo e falei que só o cuzinho dela ia levar, a bucetinha ia desejar meu pau mas não ia receber ".

Ela me xingou e disse, coloca esses dedos na minha buceta então, me dá uma dupla penetração..... eu vou gozar “

Eu então fiz, passei os dedos pra sua buceta e continuei metendo no seu cu, ela gemia alto demais e eu sentir ela gozando de novo. Ela estremeceu, senti sua buceta apertar ali com meu dedos dentro, senti seu cuzinho apertar ali também e notei que ela estava acabada.

Retirei meu pau e meus dedos dela e ela amoleceu o corpo, fui pra frente dela e ela achou que tinha acabado quando eu disse “ Olha pro meu pau.. olha como ta duro ainda.. Quero foder mais.. Quero encher seu cu de porra. “ Ela me olhou com uma cara de “ Não aguento mais “, porem fui pra trás dela, posicionei sua bunda e coloquei de novo por tras. Ela gemeu e passou a rebolar, aposto que forçando pra eu gozar logo. Acho que se passaram mais do que umas tres horas, ela devia ta cansada mesmo de ficar naquela posição, pelo menos ela recebeu o que merecia. Mas eu ainda queria mais pois o pau tava durasso ainda. Retirei metade do meu pau e omecei a foder seu cu só colocando a cabecinha e segurando meu pau ao mesmo tempo, meio que batendo pra mim, pra ver se o gozo vinha logo. Fiquei uns minutos assim ate chegar a vontade e gozei. Quando forço assim sai bem pouco, eu sabia que ia demorar ainda pra gozar, já havia gozado uma vez e a segunda quase nunca nem vem, só forçando e batendo forte mesmo. Ela realmente estava cansada e eu ja estava começando a ficar tbm. Logo veio a vontade de gozar, enchi seu cuzinho de gozo. Saiu pouco, mas ainda o suficiente pra eu ver escorrer de seu buraquinho, o que... olhando assim, tava bem aberto e brincando um pouco, aposto que caberia uma bolinha de golfe.. kkkk

Fui na sua cara e bati com meu pau e disse “ gostou, vadia? “.

Ela ainda deu umas lambidas no meu pau e falou “ Estou acabada “ Sua cara estava com o gozo já seco, todo branco.. Dei uma risada e disse: acho que vou te deixar ai. "

Ela me olha com cara de safada e de pena ainda " Não! Me tira daqui.. Estou cansada! Seu puto, você acabou comigo. tenho nem forças pra me manter aqui "

Eu dei risada e falei " E você achando que eu não aguentava, tinha que ver como seu cuzinho ficou "

" Seu puto.. Você me arrombou, isso sim.. me desamarra daqui que eu vejo "

Eu a soltei, mas ela se jogou foi na cama, exausta. Passou a mão na bunda e disse " Me arrombou, vadio! " Seu desgraçado.. Olha como ta minha bunda... "

“ Não estava duvidando de mim?”

“ Duvidei mesmo, só assim pra você me detonar? “

Eu olhei pra ela fazendo cara de mal e ela respondeu “ to brincando, vc sempre acaba comigo.. Mas dessa vez.. Nossa senhora! To morta, deita aqui comigo “

Deitei com ela, que acabou dando um cochilo, eu levantei e fui assistir algo ate ela acordar “

Essa noite ela dormiu comigo!

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
18/05/2018 23:54:02
Sonho de consumo é ter um macho assim! Belíssimo conto, me encheu de tesão.