Casa dos Contos Eróticos

Ganhei um boquete da colega e virei refém 9

Autor: Kurioso sub
Categoria: Sadomasoquismo
Data: 15/05/2018 23:48:43
Nota 10.00
Ler comentários (3) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

... Continuando

Enquanto eles tomavam o café da manhã eu ficava ali sentado no chão. Ela pegou a guia que estava engatada no meu pescoço e prendeu ao pé da mesa para que entendesse que deveria ficar ali em volta. Querendo mostrar o poder que ela tinha sobre mim aos seus amigos, pediu para eles observarem.

Serviu uma xícara de café bem forte e bem quente, cuspiu dentro e pediu que os cada um dos amigos cuspissem dentro. O motoboy como já sabia como as coisas funcionavam cuspiu algo que deve ter puxado fundo do pé, algo muito nojento e o novo amigo meio sem graça apenas cuspiu. Ela olhou pra ele e pediu para caprichar. Ele meio sem jeito aceitou e fez o mesmo que amigo havia feito.

Não satisfeita pegou um cinzeiro que tinha em cima da mesa catou umas cinzas e jogou dentro daquela xícara de café. Me entregou e disse: – BEBE!

Olhei para a xícara e observava a fumaça saindo com bastante força. Realmente estava quente. Os dois amigos ficaram me olhando atentos. Respirei fundo peguei a xícara. Bebi tudo muito rápido. A dor e ardência na boca e garganta me fizeram lacrimejar. Quando acabou ela me olhou e ergueu os olhos franzindo a testa esperando eu dizer algo.

- Obrigado minha princesa.

Ao meu lado tinha um pote de cachorro com água, bem ao menos era o que pensava ser, fui rapidamente e enfiei a cara e beber um pouco para aliviar a ardencia da boca. Aquela água estava suja e provavelmente tinha urina que ela havia deixado pra mim, mas minha dor era tanta que pouco me importei. Me recompus e voltei pra posição observando a cara de prazer e sarcasmo dela. Perguntou se eu tinha fome, eu respondi que não acenando com a cabeça. Para ela não importava, ela queria era mostrar o poder que tinha sobre mim para seus amigos. Começou a encher a boca com tudo que tinha na mesa, mas tigava e cuspia na tijela da água que estava ali. Pediu para os amigos fazerem, o motoboy fez prontamente, o outro disse que não tinha curtido a idéia e ficou só observando. Logo aquilo se tornou uma nojeira parecendo uma lavagem. Debochadamente ela me olha e diz:

- COME TUDO PORQUE FIZ COM CARINHO E PRECISO DE TI COM ENERGIA.

Comecei a comer aquilo com muito nojo, e relutando para nao fazer aquilo, foi quando senti  o pé dela no meio do meu estomago me fazendo rolar pro lado e cair de barriga pra cima. Ela montou em mim e começou a me bater no rosto com tapas muito fortes, uma sequencia de uns 10 tapas no minimo. Enquanto eu estava deitado com ela sobre mim, ela pegou o prato de cachorro com os restos abriu minha boca e começou a despejar. Depois que engoli a ultima parte nao aguentei e vomitei. Não devia, pois ela esfregou meu rosto no meu proprio vomito e mandou eu terminar e não deixar um grão que fosse. Comer o vômito não é nada agradável, mas eu não tinha escolha. Os amigos dela riam e filmavam tudo. Quano terminei de comer mandou eu me sentar e ficar aguardando. Eles terminaram de comer ela me olhou e disse:

- QUE FEDOR. TEMOS QUE LIMPAR.

Me arrastou até a rua pela guia e amarrou-me ao vai e vem novamente. Foi até uma mangueira que estava ali, a ligou e começou a me molhar. Deixava o jato mais forte que podia e depois que terminou me levou para dentro, jogou um pano no chão e mandou que eu rolasse até me secar. Tudo isso enquanto aquele plug parecia me rasgar todas as pregas a cada movimento que eu fazia.

Ela me levou para a sala e mandou-me sentar na cadeira, entendi que era para me ver sofrer já que eu estava com aquele treco enfiado no rabo. Mandou eu ficar ali observando enquanto ela começava a se divertir com os dois amiguinhos. Começaram uma verdadeira farra. Ela mamava os dois ao mesmo tempo e olhava para mim. Naquele momento ela virou uma cadela dos dois. De joelhos chupando os dois cacetes e dedicava-se muito aquilo. Pediu para que os caras fizessem o que quisessem com ela durante 1 hora que era o tempo que eles tinham. Começaram a foder com a boca dela. Se revezavam

puxando ela pelos cabelos umn de cada vezes e metendo muito forte e rapido na boca dela. Olhar aquilo de perto era algo que dava um tesão incrível. Enquanto ela mamava os dois cacetes, o motoboy parou e disse: - Vai lá e beija ele! – Ela se aproximou me agarrando pela cabeça e me beijou. Consenti pois eu não podia sequer esboçar qualquer oposição as idéias dela. Sentia aquela boca com Permaneceram assim por uns 15 ou 20 minutos com ela se revezando no boquete para os dois e me beijando até que ambos gozaram na boca dela e ela fez questão de me beijar com a boca cheia de porra e fazer com que eu engolisse cada gota. Logo após me fazer engolir a porra dos dois ela disse:

- TIVE UMA IDÉIA. SEGUREM ELE AI PRA MIM. – Os dois me seguraram firme na cadeira enquanto ela tirou a calcinha e socou na minha boca dizendo: – NÃO QUERO OUVIR UM AI!

Escolheu os lugares que eu estava já com marcas de mordidas e chupões que minha esposa havia deixado e começou a morder um por um até eu sentir os dentes dela entrando na minha carne.

Não conseguia me mexer e não conseguia gritar e mal respirar pela calcinha enfiada na boca. A cada mordida que ela dava ela levantava-se e me dava tapas fortes na cara e finalizava me lambendo o rsto de cima a baixo. Ela sabia ser sádica. Me causava pânico e ao mesmo tempo tesão.

Foi quando ela disse:

- SEGURA FIRME AI! Ela se ajoelhou e abraçou minhas pernas contra os pés da cadeira e abocanhou meu pau, so que com os dentes. Mordia e me olhava e só parou quando viu que saia lagrimas dos meus olhos. Achei que ela havia arrancado meu pau. Ao se levantar deu um tapa forte no meu pau empurrou a cadeira fazendo com que eu caisse para trás. O plug firme e me rasgando.

Chamou os amigos pro sofá e começaram de novo. Ela chupou um e rapidamente o cara estava de pau duro, e ela largou ele ficou de quatro e começou a mamar o outro. O primeiro começou a meter

e assim ficaram revezando até ela gozar algumas vezes. Ela era uma cadela gostosa, sabia foder e gozava diversas vezes. Entendi porque mesmo sendo uma mulher de 1,85 e 120kg os homens sempre a queriam. Depois de algumas gozadas ela grita:

- QUERO OS DOIS DENTRO DE MIM. – Um dos caras deitou e ela montou enquanto o outro posiciounou o pau no cú e começou a meter. Ela estava enlouquecida. Gemia alto, suava feito uma porca mas nao parava de cavalgar com aqueles dois cacetes enterrados nela. Parecia insaciavel, e estava mesmo, pois quando me olhou disse: – VEM AQUI AGORA! – Parei na frente dela, ela me puxou pelas bolas e começou a mamar meu pau. Apesar de ela estar naquela movimentação e as vezes morder meu pau ela sabia mesmo como mamar. A coisa foi tão intensa que não me segurei por muito tempo e gozei na cara dela. Ela estava tão empolgada que bebeu o que caiu na boca dela e ficou toda esporreada, mas me olhou e disse: – NÃO DEIXEI TU GOZAR, MAS DEPOIS A GENTE CONVERSA. VEM AQUI. – Abocanhou meu pau e continou a mamar, era bom de ver aquilo, uma mulher sedenta cacete, toda esporreada e pedindo mais. Começou a mamar com mais vontade e punhetar meu pau junto, aquilo me deu muito mais tesão e logo eu tava com o pau pulsando de novo. Os dois continuavam até que ambos disseram que iriam gozar, ela vendo isso ficou mais eufórica e começou a mexer mais forte até que o primeiro gozou no cú dela. Ela continou mexendo e pediu para que ele não parasse e então ela gozou novamente e continuou até o cara que estava em baixo gozar também. Vendo aquela cena acabei gozando mais uma vezes na cara dela. Ela sugou até que saisse a ultima gota de porra do meu pau, parou me deu um tapa e mandou eu voltar pra cadeira.

O cara saiu de cima dela e ela saiu de cima do cara que estava em baixo e se deitou no sofá.

- Temos que ir – disse o motoboy.

- Ta bom amores. Obrigado pela foda gostosa. Agora vou me divertir com meu cachorrinho aqui.

- Preciso ir no banheiro antes, disse o amigo do motoboy. Quero dar uma mijada.

Ela olhou pra ele e disse: - Tem uma privada aqui na sala. VEM AQUI MEU CACHORRO E ABRE A BOQUINHA! – Hesitei e não fui. – TU NÃO TEM ALTERNATIVA. OBEDECE SENÃO VAI SER PIOR PRA TI.

Me aproximei do cara me ajoelhei e abri a boca. O cara começou a mijar e ela disse: – Cuidado pra não pingar no chão – Não teve jeito, acabei tomando um banho de mijo, pois aproiveitando a situação o motoboy tirou o pau pra fora e mijou também. Eles se ajeitaram, beijaram ela e se foram. Ela continuava no sofá e eu ali no meio da sala de joelhos e fedendo a mijo.

- AGORA TU VAI VER SÓ, NÃO MANDEI TU GOZAR CACHORRO MALDITO. AGORA QUE ESTAMOS SOZINHOS TU É MEU. E TEMOS HORAS PRA BRINCAR. – Ela ria sadicamente.

Levantou-se e se aproximou encaixou a minha cabeça bem no meio das pernas e começou a abrir o cú e contrair a buceta, em segundos começou a escorrer a porra que estava dentro dos seus buracos, um pouco corria acima dos meus olhos e o restante direto na minha boca. Uma mistura de gosto de porra, com algo que devia ser merda, algo nojento. Eu bebi cada gota. Quando terminou ela me olhou me beijou e disse: – ISSO É PORQUE TU GOZOU NA MINHA CARA. – Um tapa forte ardeu no meu rosto.

Foi até outro comodo e voltou com algumas cordas e uma luva de boxe. Colocou as luvas nas minhas mãos, mas depois amarrou elas e também minhas pernas.

Saiu do comodo e disse:

- JÁ VOLTO!

Continua...

Comentários

16/05/2018 14:55:27
agora na mão dos dois que te gravaram também ta ferrado
16/05/2018 14:25:35
Delicia de conto, parabéns !! Minha esposa tb é bem putinha safada, confira nossas aventuras... Temos um blog para maridos liberais, esposas putinha e comedores de casadas: https://clubedosmaridoscornos.blogspot.com.br/
16/05/2018 00:16:02
Nosssa.... uau

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.