Virei escrava do meu tio, com o consentimento da minha tia. (Parte 2)

Um conto erótico de Submissa@dor
Categoria: Heterossexual
Data: 15/05/2018 13:44:25
Nota 8.50

Minha tia entra no quarto e me vê lá imóvel, chorando, mas não se comove ela se aproxima dizendo que esperava que com isso ela não fosse obrigada a dar pra ele todo dia. E nem aguentar o que ela aguentava todos esses anos.

Não compreendi o que minha tia quis dizer com aquilo fui chorando para meu quarto sentindo a porra escorrer por minhas pernas. Depois de algum tempo fui me lavar me sentia suja, culpada, envergonhada e dolorida. Durante três dias mal sai do quarto, tinha crises de choro e sentia uma profunda tristeza.

Acordo assustada com o barulho de chave abrindo a porta do meu quarto era ele meu tio. Após três ele perdeu a paciência e foi até lá, me encolho na cama com medo. Ele entra encosta a porta e se coloca diante da minha cama, tira seu pau pra fora e começa a se masturbar, em um momento de coragem tendo fugir mas sou agarrada pelos cabelos e jogada na cama. Começo a chorar ele se aproxima do meu rosto e passa a língua lambendo minhas lagrimas e sorri. Ele coloca diante de minha boca seu mastro e me manda chupar como não abro a boca ele tapa meu nariz me forcando abrir a boca para respirar. Sinto minha boca preenchida e uma enorme falta de ar tento empurra-lo preciso de ar, mas não consigo, começo a me debater então ele me permite respirar. Ele me segura pelos cabelos e novamente me oferece seu membro desta vez não resisto e coloco na boca, ele seca minhas lagrimas segura minha cabeça e começa um vai e vem forçado. Entre gemidos ele diz como minha boca é quente e úmida e que está doido pra gozar nela. Não sei a quanto tempo ele fodia minha boca mas fazia com tanta violência que eu me engasgava e já estava dorida. Ele começou a foder minha boca com menos forca e mais ritmado gemendo feito louco e dizendo que iria gozar. Não demora muito e sinto seu leite encher minha boca e escorrer pelo meu pescoço. Cuspo sinto nojo corro até o banheiro e enquanto lavo minha boca sou puxada pela camisa e levada de volta ao quarto. Ele me manda tirar a roupa como demoro muito ele rasga e me atira na cama amarra minhas mãos na cabeceira ergue minhas pernas que também é amarrada a cabeceira me deixando toda arreganhada, totalmente exposta.

Ele tira sua roupa se ajoelha no meio das minhas pernas e começa a me tocar dizendo que esperou muito tempo até que meu corpo estivesse no ponto pra aguentar suas fantasias, deu um sorriso acompanhado de um olhar assustador que me fez estremecer. Hoje começa o seu suplicio e o meu prazer...

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
05/11/2018 02:04:48
Gostaria ser tu dono
25/07/2018 12:18:29
manda a parte 3
15/05/2018 19:41:28
Ficando melhor