Casa dos Contos Eróticos

A garota da casa de campo parte 1

Um conto erótico de Becca
Categoria: Homossexual
Data: 15/05/2018 00:31:44
Nota 9.67

Eu havia acabado de completar 16 anos, foi uma festa simples com poucos amigos, meus pais e meu namorado, o Lucas. Começamos a namorar quando eu tinha 15 anos e estava decidida a perder minha virgindade, esperei minha família ir dormir e meus amigos decidirem ir embora e então subi com o Lucas para meu quarto.

A propósito eu me chamo Rebecca mas todos me apelidaram como Becca.

Lucas:- Becca porque me trouxe para seu quarto? -ele sabia o que era, estava com uma cara de safado e já dava para notar o volume em seu short de pano fino aumentar.

Sorri para ele e o empurrei na cama, subi por cima dele e comecei a beija-lo, ele no ato desesperado de perder sua virgindade também, arrancou minhas roupas e jogou no chão, estava pegando fogo e excitada, sentia que minha boceta estava tão molhada e quente que sabia que era o que eu queria, Lucas então desajeitado pega naquele cacete duro e molhado na extremidade da cabeça e começa a roçar na minha boceta, confesso que senti muito tesão na hora e queria muito aquilo dentro de mim, e então aconteceu, ele enfiou seu pau grande e não muito grosso em mim;suspirei fundo tentando abafar meu grito de dor.

Lucas começou a bombar na minha boceta e hoje percebo que nem ele sabia o que estava fazendo, não demorou muito e ele gozou e caiu do meu lado exausto com um sorriso enorme no rosto.

Olho o relogio e marcava 23:40, então disse:

-Lucas cai fora da minha casa, meus pais vão pegar você aqui.

Ele sorri, se arruma rapidamente e cambaleando vai embora, fico sentada por um tempo pensando no que acabei de fazer e me senti frustrada, vejo meus lençóis sujo com um pouco de sangue e os jogo no chão e vou dormir.

Na manhã seguinte, acordo com minha mãe Cecília me chamando e apontando para os lençóis

- Rebecca o que é isso?

- Eu estou menstruada mãe, sujei os lençóis sem querer.

Ela engole minhas desculpas e diz para eu me arrumar que iríamos viajar para o sítio que meus avós tem, e que seria naquela noite.

Eu odiava aquele lugar, tudo monótono e sem nada para fazer.

Passou o dia e fizemos uma viagem de 4 horas até o local. Chegando lá meus avós e o caseiro com sua filha veio nos recepcionar, comprimentei todos e ao chegar na garota meu coração parou, era a garota mais linda que eu já tinha visto, ela era morena provavelmente do sol e tinha os cabelos loiros e usava um macacão com umas botas pretas sujas de terra que iam até seu joelho.

Não sei dizer o que houve mas quando ela me cumprimentou no rosto, eu fiquei tão excitada e molhada que fiquei envergonhada quando ela notou que fiquei reparando nela.

Ela sorriu e disse:

- Meu nome é Luana, estou aqui com os seus avós faz um tempo e tudo que precisar pode me chamar.

Eu queria era beija-la pensei, isso ela poderia me ajudar?

Sorri de canto e com uma cara de safada. Luana pega em uma mala da minha mão passando com sua mão pela minha, senti um arrepio gostoso e comecei discretamente esfregar minhas pernas uma nas outras por sentir minha boceta estar molhada, ela disse que iria me ajudar com as malas e assim fez, me levou até meu quarto e disse que ela morava numa casa pequena no mesmo quintal dos meus avós e se eu quisesse algo era só chamar.

Ficamos conversando a noite toda e fizemos uma amizade a princípio, tinha momentos que eu parava pra olhar ela falar e ficava reparando nos seus seios por debaixo daquele macacão justo, imaginando como seria eu tocando eles.

Quando Luana foi embora eu não conseguia parar de pensar nela, aquela boca, os olhos castanhos e seu corpo.

Me peguei descendo a mão por entre meus seios até chegar entre minhas pernas, eu estava tão enxarcada que sentia minha boceta pulsar de desejo, fechei os olhos e comecei a me masturbar, coloquei um dedo na boceta e logo foi entrando mais outro, estava tão úmida que entrava com facilidade, comecei a gemer baixinho e chamar por Luana... Até ter um orgasmo.

No dia seguinte eu desci para o café da manhã e vi que meus pais nem meus avós estavam, só Luana, ela havia me dito que eles tinham ido no centro e que iriam demorar por ser longe.

Concordei com a cabeça e fiquei olhando Luana de canto de olho, ela estava com um vestido azul e estava me olhando, disse:- quer fazer algo?

- tipo o que? -perguntei querendo nao dar importância para o que ela falava.

Na verdade eu estava com vergonha e desejo de me masturbar pensando nela de novo.

- Vamos dar uma volta, aposto que nem conhece tudo daqui.

Concordo com a cabeça e então Luana passa o dia todo me mostrando coisas que eu nem prestava atenção.

- Aqui tem um lago enorme-disse sorrindo- podemos vir nadar se quiser um dia.

Concordo com a cabeça e ela continua me mostrando os lugares, até que chegamos em um estábulo que não tinha cavalos nem animais, só havia feno e ferramentas velhas, eu entro e ela fecha uma porta de madeira atras de nós, então ela tira um baseado do bolso e diz: -espero que nao se incomode, tenho que fazer isso escondido.

Viro as costas para ela e digo que tudo bem, me sento em um punhado de feno e a fico observando encostar na porta e fumar seu baseado, ela então me olha e diz: -ninguem pode ser uma boa garota não é mesmo? -sorri maliciosamente

Eu olho para ela sem entender, até que me observando ela sorri e continua:

- ontem depois que deixei seu quarto eu vi que tinha um lenço seu na escada, fui devolver e quando eu abri a porta devagar por estar entreaberta eu vi você se masturbando...

- Como pode ficar observando os outros através da porta? - me levanto para ir embora e ela me segura e fica atras de mim e começa a sussurrar no meu ouvido

- Se eu não tivesse parado para observar teria perdido a melhor parte em ve-la gozar chamando pelo meu nome...

Ela então começa a beijar meu pescoço por trás, fico toda arrepiada então ela coloca sua mao em minha cintura e vai descendo por meu quadril, coloca sua mão devagar por dentro da minha calça de moleton e começa a acariciar minha boceta por cima da calcinha, que por sua vez estava enxarcada,ela coloca minha calcinha de lado e começa passar seus dedos por meu clitóris, eu estava indo a loucura, nunca havia sentido algo assim, nem quando perdi a virgindade.

Ela me vira para ela e então me beija, entre o beijo ela começa a sussurrar que eu sentia desejo nela e eu só sabia concordar, coloquei minhas mãos em sua bunda e apertei forte fazendo seu corpo subir contra o meu, aquele vestido era bem fino e deu para perceber que ela estava sem calcinha, fomos então para o feno, me sentei e ela tirava minha calça sem tirar os olhos de mim, não senti vergonha quando me abri completamente pra ela, ela ficou olhando minha boceta até que enficou a cara nela e passou a língua devagar, fiquei toda arrepiada e ofegante, ela começou então a lamber envolta de minha boceta até chegar no meu clitóris, ela massageava ele com a lingua e dava chupoes que me levava a loucura, então ela penetrou dois dedos na minha boceta molhada e começou a meter enquanto chupava meu clitóris, logo ela tirou seus dedos da minha boceta lambeu e perguntou: -já chupou uma boceta antes?-neguei com a cabeça e ela sorriu- então hoje é seu dia.

Ela me deitou no feno e ficou por cima de mim num 69, ela abriu bem minha pernas e começou a me chupar novamente, ergui seu vestido enquanto ela esfregava aquela boceta enorme com poucos pelinhos loiros na minha cara, coloquei a lingua para fora e lambi sua boceta e foi o melhor gosto que eu poderia imaginar, comecei a chupar com vontade, abrindo sua boceta e a penetrando com minha lingua enquanto ela socava seus dedos em mim, ela rebolava aquela bunda e esfregava aquela boceta na minha boca, comecei a dar tapas e agarrar a bunda dela

- Ai porra assim eu vou gozar- disse enquanto eu sentia que meu orgasmo estava se aproximando também.

Luana urrava de tesão e gozou gostoso na minha boca, chupei todo aquele melzinho que escorria até minha garganta, ela saiu de cima de mim e sentou na minha frente, colocando uma perna por baixo e outra por cima da minha, começando a esfregar sua boceta na minha, confesso que aquilo era tão gostoso que me fez gozar rapidinho, nossas bocetas melecadas e grudando uma na outra enquanto ela esfregava em mim, me deixou com muito tesão.

Continua

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
09/06/2018 23:44:47
Adorei ! ansiosa para o próximo CP
17/05/2018 15:39:49
Caralho q delícia de conto não demora!!
15/05/2018 12:28:43
Ótimo
15/05/2018 09:31:03
Ótimo conto! Delícias da juventude muito bem relatadas