Casa dos Contos Eróticos

A tulipa rosa 5

Um conto erótico de Arthur & Gustavo
Categoria: Homossexual
Data: 14/05/2018 21:00:32
Nota 10.00

A tulipa rosa__ Bom o que você queria conversar- disse Marcus sentado no sofá de Guilherme.

__ Queria pedir desculpas por tudo- falou sentando do seu lado e pegando na sua mão- Eu nunca consegui te esquecer. Marquei de sair com o Gustavo na mesma boate que vocês. Como eu sabia que ele é louco pelo Arthur , foi fácil inventar uma mentira. Mas quando cheguei lá você estava com outro nem me deu bola. Comecei a pegar uma e outra é você nada- disse fitando seus olhares.

__ você queria que eu fizesse o que? . Não lembra da humilhação que você me passou. -escorregou uma lágrima do seu olho e o Guilherme limpou.

__ Por favor não chore- disse Guilherme comovido. O mesmo se aproximou e encostou sua testa na do seu amado- me perdou.

__ Eu acho que sou um imundo como você disse- falou com a voz pesada de choro. Continuo com dificuldades falando- Eu perdou! - seus lábios foram se encontrando e começou um maravilhoso Beijo. Como se tivesse uma vida sem beija, Guilherme segurava a cabeça de Marcus e guiou o beijo, que começou a se intensifica mostrando a saudade que um tinha pelo outro. Com a respiração ofegante Guilherme disse.

__ Eu te amo. Você sabe disso? - falou com um sorriso no rosto.

__ Sei não- disse mordendo os lábios.

__ Amor estou cansado vamos dormir. Amanhã nos tiramos o atraso. - disse já de pé , puxando Marcus para a cama.

__ tá bom- falou coçando os olhos__ Vamos sair do carro? - já era a décima vez que eu brigava com Arthur para ele entrar na minha casa.

__ Vou não- dizia com dificuldades por causa da bebida. Peguei ele é levei no meu colo. O mesmo ia protestando. E o fim lidar com um bêbado.

__ vamos, vou te dar um banho- disse assim que cheguei no meu quarto.

__ E .E...Eu banho sozinho, tá ouvindo falou apontando o indicador no meu rosto.

__ tá ok. O banheiro e ali - disse e o mesmo tentou tirar a calça e levou uma queda.

___ hahahahah.

__Para de sorrir e vem me ajudar- tirei sua camisa e calça e deixei apenas de cueca. O mesmo seguiu o banheiro e fiquei admirando sua bunda. Derrepende ouço um barulho do banheiro.

__ sabia. - Arthur estava no chão. Levantei , liguei o chuveiro. O mesmo me molhou todo enquanto eu banhava ele. - para de me molhar.

__ aí aí .vai dizer que não gosta de banhar- Arthur se livrou dos meus braços tirou a cueca. Eu fiquei doido na hora. Deixei a água escorre em seu corpo- tira sua roupa também. Já estar todo molhado mesmo. - disse jogando água em mim. Tirei minha roupa fiquei apenas de cueca se eu tirasse tudo não iria me controlar- deixar eu passar sabonete em você- falou com a voz embargada. Ele deslizava suas mãos no meu peitoral, estava indo ao delírio, suas mãos passaram por minhas costas. Cheguei junto a ele e ficamos abraçados debaixo do chuveiro- Eu tô morrendo de sono Gustavo. Disse meu garoto me abraçando, pena ele estar bêbado , amanhã não ia lembrar de nada. Peguei ele no meu colo e levei para o quarto .enchuguei seu corpo com uma toalha.

__ espera aí vou procurar uma roupa minha que sirva em você.

__ espera deixar eu secar você também- veio com toda dificuldade , e começou a me secar. - pega a toalha e tira essa cueca tá molhada.- virei de costa , tirei e coloquei a toalha enrolada na cintura.

Vestir uma cueca box branca. Coloquei uma nele, mas ficou grande. Procurei meu menor short aconteceu a mesma coisa. Então vestir nele uma camisa que ficou grande . Ele estava deitado de lado na cama eu de barriga para cima.

__ Gustavo?

__ OI?

__ por que não me comeu?

__ O que? - perguntei assustado. Claro que eu queria, mas ele está bêbado.

__Isso mesmo. Eu sou tão feio assim? - jamais pensei, você é perfeito. Então ele se virou, e sentou encima do meu pau. Fiquei só assustado, mas as pessoas dizem que os bêbados falam só o que querem falar de verdade.

__ para garoto- meu pau pulsava .Quando ele sentou encima da minha rola, a mesma ficou dura na hora. Arthur começou a passar as mãos na minha barriga, peitos e braços.

__ Até que você é gostoso- disse passando as mãos na minha barriga. Não acredito ele me achar gostoso- sabe até que eu gosto de você- disse com dificuldades por causa do álcool. - mas você veio querendo me beijar a força. Me beijar? - chegou próximo ao meu rosto e seus lábios tocaram os meus, segurei seu rosto e guiei o beijo que não demorou e se desfes rápido, - pode pegar na minha bunda eu seu que você quer- falou segurando minha mão e passando sobre sua bunda, meu pau vibrou. Acho que gozei.- me come logo e tirar logo a desgraça dessa minha virgindade- disse meio alto.

__ você é virgem- perguntei alegre.

__ claro; você achava que eu era algum ninfentomau terminou a frase e caiu de sono nos meus braços, fiquei com uma mão fazendo cafune e a outra abraçando sua cintura. Agora tinha certeza eu estou morto de apaixonado por esse garoto.

( autor)

Gustavo ficou fazendo carinho nos cabelos de Arthur, suas mãos percorriam as costa do garoto e o abraçou como forma de proteção.

__ oh meu garoto será se você vai lembrar de alguma coisa amanhã? - disse assim que lembrou que o mesmo falou que gostava dele. Ficou acariciando até pegar no sono.

Pela manhã a cena que se via era Arthur com a camisa acima do humbigo ou seja estava pelado. Gustavo agarrado em sua cintura apenas de cueca box branca, com uma perna sobre a do garoto, acobertou Arthur sobre seus ralos pelos do peito. E sua barba por fazer batia no rosto do garoto. Que dormia apenas com uma camisa que no meio da noite subiu um pouco deixando sua bunda esposta.

Arthur ainda com os olhos fechados, sentiu uns braços envolta de sua cintura o mesmo passou a mão sobre esses braços e relaxou, sentiu um certo conforto. Quando se tocou que não estava dormindo e tinha um homem com 1,80 atrás dele. Sentiu algo duro batendo na sua bunda. Arregalou os olhos e viu que estava completamente pelado, seu coração começou acelerar. Deu uma breve observada no quarto grande , com paredes brancas e uma cinza. Ouviu a respiração pesada de Gustavo no seu ouvido, foi virando lentamente seu rosto de encontro ao de Gustavo e viu que era seu chefe.

__ Meu Deus o que aconteceu- tentou de lembrar o que aconteceu na noite passada e nada. Saiu dos braços fortes de Gustavo fazendo o mesmo acorda.

__ bom dia- disse Gustavo se espreguiçando. Arthur apenas tentou se cobrir.

__ Eu não acredito. A gente transou? - perguntou asustado. Gustavo estampou um sorriso no seu rosto.

__ Você estava com um fogo ontem, quase não dei conta- mentiu.

__ Meu Deus isso não pode ter acontecido. E sério?

__ hahahahah e brincadeira. Você estava muito bêbado na festa ontem se não fosse

eu você ia dar para um cara lá dentro. - disse com cara de safado.

__ Graças a deus- suspirou de alívio.

__ Você não tinha nenhuma roupa tem que dormir assim- disse apontando para Gustavo.

__ A casa é minha eu durmo como eu quero - disse cruzando os braços.

__E verdade sua casa vou embora. Estou até atrasado, tenho que ir trabalhar. - disse se levantando da cama e ajeitando a camisa.

__ Espera - disse de pé. Um de frente pro outro. Como Gustavo e maior Arthur olhou para cima, o chefe se ajeitou e segurou a cintura do garoto .o coração dos dois começou a acelerar, o calor começou aumentar. Gustavo cravou suas mãos na cintura de Arthur o impedindo de sair, os dois foram aproximando os rosto e um leve Beijo se iniciou, Gustavo prendeu Arthur e o mesmo sentiu o pau do seu chefe batendo em seu corpo, Gustavo apertava a bunda de Arthur e o mesmo gemia próximo a sua boca, modeu de leve os lábios de seu garotinho. A todo custo enfiava sua língua na boca de Arthur. Os Beijo foi finalizado com alguns selinhos. Encostaram sua testa e Arthur disse:

__ Acabei de comprovar- falou com a respiração pesada.

__ O que ?- disse com as mãos em volta da cintura do garoto.

__ você beija mal e ainda tem bafo. - disse saindo dos braços do Gustavo.

__ Droga garoto , você tem que estragar tudo. Me espera vou te levar para casa.

__ Cadê minhas roupas? .Não dava pra você me vestir que nem uma pessoa descente, eu tinha que ficar igual sua putas? - disse mostrando a camisa.

__ tá por trás da cama. Quem manda tu ser pequeno. - respondeu estressado

__ vira de costa que vou me trocar.

__ Aí não tem nada que eu não tenha visto. - falou com um sorriso safado.

__ olhou mas não pegou. - disse provocando.

__ você que pensa- Arthur arregalou os olhos.

__ você não presta, sabia? - disse meio triste.

O mesmo tirou sua roupa queto e calado no maior silêncio. Gustavo até estranhou, ficou completamente pelado na frete de seu chefe e vestiu sua roupa de voltar. Abriu a porta do quarto e saiu. Gustavo ficou observando sem entender nada, foi atrás do seu garoto que estava sentado no sofá a sua espera.

__ Se vestir logo. Eu quero ir pra casa- disse olhando para baixo.

__ O que aconteceu, não entendi nada? - perguntou preocupado.

__Você disse que não aconteceu nada. E depois fala que tocou em mim. A gente transou mesmo?

__ não transemos. Você só pediu pra mim pegar na sua bunda.

Gustavo se vestiu e levou Arthur para casa, que foi o caminho em silêncio.

__ sobre aquele Beijo não quero que se repita. Se não vou ter que procurar outro emprego- disse olhando para fora do carro.

__ Mas você correspondeu!

__ Isso não pode se repetir , você é meu chefe. Tá ok. E não vou trabalhar hoje tenho que descansar, amanhã tem essa viagem, vou ter que te aguentar esses dias todos.

Gustavo apenas fechou a cara e seguiram a viagem calados.

__ pronto chegamos- disse parando em frete a casa de Arthur.

__ Vlw , a carona.

__ Amanhã eu venho cedo. Não quero me atrasar. - disse com o olhar fixo na rua.

Arthur adentrou sua casa e novamente ouviu seu pai tossindo. Mas o mesmo entrou no banheiro e ligou o chuveiro. A água corria por seu corpo seus pensamentos só vinha o beijo em seu chefe, tocou seus lábios com a mão direita.

__ Ainda bem que eu mandei ele para se não ia aguentar mais me segurar- pensou.- será se eu estou gostando daquele ogro meu Deus. Nunca jamais.

Começou a passar sabonete em seu corpo e lembrou das mãos pesadas do seu chefe agarrando sua bunda. Deu um suspiro e continuo se lavando . Parou um pouco e lembrou dos braços de Gustavo agarrado em sua cintura, o pau do seu chefe batendo em sua bunda e sua barba por fazer coçando seu rosto, no mesmo instante viu que estava excitado. Bateu uma punheta pro seu amado e terminou o banho.

Deitou na cama e só vinha seu chefe em mente.

__ Droga... será se eu gosto daquele cafajeste mesmo. - o mesmo se vestiu e foi onde seu pai.

__ Essa é hora de chegar- disse bravo.

__ Pai eu estava na casa da Jessica. - mentir.

__ Hurum sei. Mas você chegou de carro. - arregalei meu olhos quase engasguei com a água que estava bebendo.

__ Ahh pai era ninguém não. O senhor deveria ir no medico você anda tossindo demais.

__ Isso é nada não meu filho. Vamos almoçar- disse mudando de assunto.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
16/05/2018 01:16:20
Está legal.
15/05/2018 14:29:52
mto bom !!!!
14/05/2018 21:44:33
ISSO AI ARTHUR, MANTENHA GUSTAVO NA SUA RÉDEA. DEIXE ELE SE APAIXONAR POR VC PRIMEIRO. NÃO SEJA MAIS UM A CAIR NA TEIA DELE.
14/05/2018 21:28:08
eita