Familia de putas e putos 37

Um conto erótico de gost46
Categoria: Homossexual
Data: 14/05/2018 10:12:57
Nota -

Ficamos a manhã toda amando, onde meti minha rola na buceta, no cu (ela adora) e na boquinha e também, ela me comeu varias vezes, com os consolos que temos.

Eu amo essa mulher.

DANDO CONTINUIDADE:

Passei um mês sem viajar, mas tivemos um problema no escritório de Belém e fui obrigado a passar 15 dias, pois alem de selecionar outro gerente de área, tinha que treina-lo.

Cheguei segunda feira e o Airton já tinha feito a limpeza do apartamento. Almocei no centro e já fui para o escritório.

À noite eu já estava a mil, com vontade de gozar bastante e já ia sair para a sauna, quando saio do banheiro e já me preparava para passar o hidratante, o interfone toca e ao atender, era o Airton. Ate me surpreendi, pois nesse horário ele deveria estar na sauna trabalhando.

Ele subiu e o recebi, num abraço forte e um longo beijo.

Ele estava de short moletom bem justo, onde marcava o volume de sua rola, camiseta regata e tênis, como se fosse malhar e me falou que estava de folga, pois tinha trabalhado o dia todo no domingo.

Rapidamente tirei a toalha e deitei na cama de bruços, entreguei o creme hidratante e esperei ele vir passar e logicamente, uma boa massagem no corpo e retal. Ele ficou também nu e iniciou a passagem do creme, mas nem deu tempo de passar no corpo todo, pois senti a cabeça da rola já duríssima, encostar-se à portinha do meu surrado cu e na primeira forçada, escorregou toda pra dentro, enchendo o espaço vazio que já estava me incomodando, já que estava saudoso. Ele estava realmente com fome, pois bombou com tudo e como a tala do cu tem capacidade de retenção maior do que a ocupação rolal do Airton, ela deslizava num entra e sai que já me deixou excitadíssimo. Virei de lado e sem tirar a rola de dentro, ele continuou a bombear forte, no que mais do que depressa, comecei a ter meus espasmos de quem estava perto de gozar. Gozei forte, com aquela rola frenética e duríssima, inchando mais ainda já anunciando que esporraria a qualquer momento, no que senti os primeiros jatos, fazendo a rola deslizar mais ainda. Ficamos parados por um bom tempo, até que ao sair do guloso cu, escorreu um rio de gala, misturado ao meu suco do delicioso gozo.

Ficamos ate tarde da noite fudendo de todas as formas, no que ele se despediu de mim e foi para sua casa, me deixando temporariamente satisfeito.

Como adiantei o trabalho, voltei para Fortaleza sem avisar, no que me deu uma surpresa enorme.

Era quarta feira e na quinta era feriado, como o voo atrasou, cheguei às 22 horas e ao entrar em casa, ouvi uns gritinhos vindos da sala de TV, onde a porta e as paredes têm proteção acústica e o som, por mais alto que seja, diminui muito. As crianças já dormiam e notei que as roupas de Sandra e Marcelo estavam no meu quarto e as crianças de Sandra, também dormiam no quarto das crianças, Nilda estava na poltrona que tem para acompanhante que vira cama e dormia profundamente, toda enrolada por conta do ar refrigerado.

Fui bem devagar e entreabri a porta da sala e como a luz estava acesa, deu perfeitamente para ver o Marcelo agarrando minha mulher por trás, como a prendê-la e ela tentando se livrar, com Sandra segurando suas pernas abertas, tentando chupar sua buceta, pois todos estavam nus. Não entrei e resolvi esperar mais um pouco e admirar a brincadeira deles que por sinal, me excitou na hora. Marcelo cai sentando na poltrona e como a mulher estava sendo agarrada por trás, ela cai sentada no colo dele e como sua rola estava bem dura e na posição de esfregação na porta da buceta, ela escorregou pra dentro de minha mulher. Não deu para vê-la entrar, mas pela posição que ela sentou e pelo gritinho, estava obvio que tinha entrado tudo. Sandra o mandou segurar a irmã e falou: Segura amor que vou chupar essa buceta junto com seu pau.

Nesse momento, minha mulher relaxou e a mana caiu de boca, enquanto minha mulher iniciou um rebolado em cima do caralho do Marcelo. Que maravilha, saber que minha mulher agora se divertia na rola do cunhado e acompanhado da irmã.

A mulher levantou mais ainda as pernas e rebolando na rola do cunhado, ficou entregue completamente a boca de Sandra, que chupava, lambia e às vezes, tirava a rola de dentro da buceta da Irma e dava uma bela chupada, para depois colocar novamente na porta da encharcada buceta e via-a sumindo dentro. Isso me excitou muito e eu tirei minha roupa e já nu, fiquei a observar a putaria.

Mas tomei um susto enorme, pois ouvi passos atrás de mim e quando me virei, vi Nilda só de calcinha e uma camisola bem fina e transparente que mostrava aquela gostosura de mulher. Fiz sinal de silencio e ela ao se aproximar falou:

- hummm....parece que D. Neuma esta se divertindo com a Irmã e Marcelo...heimmmm...

- pois é e pelo visto, você vem observando escondida...

- posso ver um pouquinho?

- venha olhar e encharcar essa buceta gostosa...

Ela se posicionou na minha frente e, se curvou um pouco pra frente, mostrando aquelas ancas linda e gostosa. À medida que ela observava eu falava bem baixinho ao seu ouvido.

- e ai...esta gostando de ver sua patroa sentada na rola do cunhado e tendo esse corno aqui atrás de você?

- corno? Já vi que todos são cornos um do outro...rsrsrs mas que D.Neuma esta gostando da rola do Marcelo...

- se não fosse ele terminarem logo, eu ia aproveitar aqui...

Ao falar isso, tirei sua calcinha e posicionei minha rola duríssima na porta da buceta e enterrei ate o talo e ela olhando sem parar se segurou o Maximo. Eu a puxei ao meu encontro e eu iniciei uma enterrada mais frenética, a fazendo gozar imediatamente, num gozo intenso, mas controlado, pois não poderia fazer barulho. Senti suas pernas ficarem moles, onde eu a agarrei com mais força e segurando ela pela cintura, a deixei terminar a gozada. Ela se virou de frente pra mim e desacoplando de minha rola, falou:

- aiii...seu Fabio, que delicia, eu estava precisando disso, estava seca faz tempo.

- hummm...senti isso, pois você estava encharcada e gozou logo, adorei...

- mas você não gozou...vamos aliviar? Pelo visto ai, essa turma começou agora e geralmente Marcelo goza e elas duas ficam se comendo por horas...rsrsrs

- já vi que você vem se masturbando olhando eles...imagino que já me viu também na putaria??? Heimmmm...mocinha...???

- rsrsrsr...varias vezes, mas também...vocês fazem a maior suruba...não da para não ver, né!!!

- vá para seu quarto, não se preocupe, pois essa semana eu vou tirar seu atraso...

- tá bom, eu vou querer e realmente estou satisfeita, por hoje...rsrsrs

Nilda pegou a calcinha e voltou para o quarto e eu de pau duro e tesudo, voltei a observar os três que nesse momento, tinha minha mulher de quatro, com Marcelo acoplado na sua traseira e com sua rola, atolado no seu cu, pois minha mulher adora dar o cu. Sandra estava deitada na sua frente de pernas abertas e minha mulher com a cara atolada na sua buceta, chupando vigorosamente. Amigos, que visão excitante!

Não demorou muito e Marcelo anunciou seu gozo e saindo de seu cu, deixando minha mulher com a irmã. Sandra se virou por baixo e as duas iniciaram um belo 69, com Marcelo já sentado na poltrona observando as duas. Nessa hora, já com minha rola ao Maximo, abri a porta e entrei no recinto, onde eles me olharam assustados e imediatamente ao ver que era eu, sorriram e Marcelo veio me abraçar, mostrando a alegria de me ver e onde minha rola ainda dura, encostou em sua barriga. Sandra e a mulher se separaram e também vieram me abraçar:

N – amor...você nem avisou que chegaria hoje...safadinho...surpresa boa!

S – meu cunhadinho lindo, que bom você de volta e que rola é essa já durona? Estava olhando né safado! Mate a saudade da mulher beijando ela, pois ela esta saudosa e eu já vou iniciar o trato nessa rola...

Sandra se ajoelhou na minha frente e caiu de boca na minha rola, enquanto eu beijava minha mulher, naquela boca saudosa e com gosto de rola do Marcelo, denunciando, que ante de chegar para observar eles, ela já tinha dado um trato na rola dele. O gosto era uma mistura de pica e buceta, uma delicia. Beijar a boca de sua mulher, com o cheiro e gosto de buceta e rola, não tem preço.

Deitei no sofá cama e minha mulher veio por cima e sentou na minha rola, iniciando uma cavalgada deliciosa, mostrando a facilidade com que minha rola escorregou pra dentro, já aberta pela rola de Marcelo. Enquanto fodiamos, Sandra veio em pé na minha frente e se agachou na minha cara, onde sua buceta ficou a disposição de minha chupada.

A mulher gozou que estremeceu e saindo de cima, deu o lugar para Sandra sentar e eu a virei de lado e ficamos numa trepada de ladinho, com Neuma e Marcelo sentados ao lado, olhando Sandra se acabar na minha rola.

Mais uma vez, fiquei sentado na poltrona e Sandra veio iniciando uma cavalgada frenética ate que a senti se esticando e tremendo num belo gozo, no que acompanhei e enchi sua buceta de porra.

Foi maravilhoso!!!

Ficamos bebendo e conversando, e assistindo ao canal SexHot, onde fomos dormir, já que o fim de semana com o feriado prolongado, prometia.

Mas como tínhamos combinado de irmos à chácara de meu pai, que ele nos emprestou, pois estaria viajando, saímos por volta das 9 horas, já que eles já tinham arrumado tudo.

Isso eu conto depois.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.