Familia de putas e putos 36

Um conto erótico de gost46
Categoria: Homossexual
Data: 14/05/2018 10:06:36
Nota -

Saímos da sauna, exaustos e fomos direto para o hotel, onde demos continuidade a essa maravilhosa estadia do Guima no Brasil, mas isso, conto depois.

DANDO CONTINUIDADE:

Fomos a cinemas, saunas, clubes de LGBT e por fim, fomos a Santos no fim de semana, para um clube depois de Angra, onde teve uma festa LGBT animadíssima, no sábado o dia todo. Nessa festa em um determinado momento, Guima ficou muito excitado, quando um rapaz bem bonito veio ate a mim, exatamente quando ele tinha ido ao banheiro e como estávamos nus na beira da piscina, esse rapaz estava de pau duro e me abraçou por trás, mostrando que já fazia horas que ele estava me desejando, mas como estava acompanhado, não teve coragem de se aproximar, por receio do meu companheiro não gostar. Coversamos um pouco e falei que não tinha problema nenhum em conversarmos, mas nesse exato momento ele passa a mão e minha bunda e Guima que já estava vindo, viu.

Guima se aproximou e eu apresentei a ele o rapaz (Jorge), que com muita simpatia, ficamos conversando. O rapaz e nós já estávamos bem animados pela bebida e sem rodeios, disse que estava com muita excitação em me ter em seus braços. Guima deu um sorriso e falando que se eu quisesse não teria problema, mas ele teria que estar presente.

Isso foi a senha para meu cu piscar de tesão e meu corpo pedir sexo.

Fomos para um dos quarto da chácara, e ao entrar, ele já foi me beijando e se ajoelhando bem na minha frente, abocanhou minha rola e iniciou uma excelente chupada.

Fomos para a cama e de ladinho, ele depois de colocar a camisinha, enterrou sua rola no meu guloso cu, que já sem resistência nenhuma, acomodou rápido. Guima deitou com sua rolona na minha frente e eu fiquei com dois machos gostosos e suas rolas grande me comendo deliciosamente. Gozei umas duas vezes em varias posições, ate que o Jorge gozou e foi descansar um pouco, enquanto ficou observando o que é levar uma verdadeira estaca no cu, pois Guima assumiu o lugar deixado por ele e me fez gozar alucinadamente, mais uma infinidade de vezes.

Foi um dia maravilhoso, ate que voltamos para São Paulo e já tarde da noite, fizemos amor quase à noite toda, onde dormi com Guima atolado no meu já triste e saudoso cu, pois ele voltaria para Angola, no domingo. Acordei mais uma vez numa seção de enterradas do Guima, onde ele mais do que alucinado, me deu literalmente uma surra de rola, que depois de mais de uma hora de trepada, eu estava completamente destruído de tanto gozar e esfolado de tanto levar rola.

Ele voltou num voo quase no mesmo horário do meu, onde retornei a Fortaleza. Cheguei de madrugada num voo direto e assim que desembarquei, vi Neuma me esperando.

Beijamos-nos saudosamente e com muito amor. As crianças já estavam dormindo e assim que acabei meu banho, ao entrar no quarto a mulher estava completamente nua me esperando. Cai de boca naquela suculenta buceta, cheirosa, depiladinha por completo e sem vestígio de rastro de pica, no que me deixou surpreso.

Ela pediu para que eu virasse e ficando de peito pra cima e rola empinada, ela virou e iniciamos um belo 69. Amigos, assim que ela afastou minhas nádegas, deu de cara com aquela caverna que tinha passado ate poucas horas antes, trânsito intenso de rola do Guima e lógico, estava completamente esfolado e vermelho de tanta fricção de uso.

Ela simplesmente explodiu em excitação, no que já iniciou uma gozada forte, tremendo toda e eu com acara enfiada em sua buceta aumentei mais ainda a chupada. Quando ela parou de tremer indicando o fim da gozada, eu a virei e imediatamente me posicionei entre suas pernas e mandei minha rola pra dentro e iniciei umas estocadas bem forte, no que ela imediatamente deu continuidade ao gozo. Enchi sua buceta de gala quentinha, e ficamos deitados desacelerando e descansando. Ela ficou com sua cabeça em meu ombro e abraçados iniciamos, depois de um tempo de repouso de muito carinho e beijos, uma conversa que confesso, não imaginava que teríamos naquela hora e circunstância.

N – amor, pelo que vi você fez muito sexo em São Paulo e pelo estado do seu cuzinho...não foi pouco.

Eu – como te falei, Guima veio passar uns dias e aproveitamos bastante, ele para conhecer outra cidade de outro pais e também para ficarmos juntos...mas isso não muda nada, pois eu te amos muito. E você? Cadê o personal?

N – não quero mais...rsrsrs...

Eu – o que foi que houve?

N – eu não quero mais. Ele é muito afobado e a maioria é assim como ele, é só meter, meter, meter... e tem mais...eu amo você mais e mais...estou morrendo de amor por você, não quero ninguém no meio...se eu tiver vontade, tenho a mana e Marcelo e assim, não me sinto com a consciência pesada de estar te traído com outro homem ou mulher, já que estamos em família, afinal, sei que você também não me trai com mulher, que não seja nós em família.

Eu – isso é verdade, eu jamais trocaria você por ninguém...

N – nem por Guima?

Eu – nem por ele, apesar de ama-lo como homem, do mesmo jeito que você ama sua Irmã.

N – ai amor...te amo muito. Não! Esses homens só querem me comer, vem pra cima e só mete, mete, deixa a buceta ardida, ate gozo algumas vezes, mas fica um vazio enorme por dentro. Não quero isso.

Essa nossa conversa me deu uma sensação enorme de carinho e amor por ela e imediatamente, em razão da conversa, minha rola endureceu e ela montou, iniciando mais uma trepada deliciosa.

Acordei tarde, pois não ia trabalhar na segunda feira, já que estaria de folga e notei que ela já tinha levantado. Fiquei na cama pensando na recepção da madrugada e enrolado no lençol ainda nu, peguei no sono novamente. Acordei com ela nua se esfregando em mim e examinando o esfolado cu, onde imediatamente, minha rola endureceu.

N – oi amor...bom dia!

Eu – bom dia! Pelo visto, você esta se aproveitando de mim...rsrsrs

N – estou mesmo e minha bucetinha esta encharcada de tesão...quero amar você, quero você dentro de mim...

Eu – isso você terá sempre, pois amo você....muitoooo, vem, senta aqui na minha rola amor.

N – hummmm...delicia ter você dentro de mim por inteiro, mais ainda no meu coração.

Eu – Sandra me falou que depois daquele dia na casa de swing, você não quis mais sair e ate achava que não tinha mais saído com o personal.

N – foi mesmo. Naquele dia eu fiquei estragada no corpo todo, mas fiquei pior no coração. Sai na semana seguinte com ele, mas também não quero ser só comida, quero ser amada e isso eu sei que você me amaaa...issss...delicia.

Eu – também te amo muito e vamos deixar de conversa e vamos amar.

Ficamos a manhã toda amando, onde meti minha rola na buceta, no cu (ela adora) e na boquinha e também, ela me comeu varias vezes, com os consolos que temos.

Eu amo essa mulher.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.