Turismo pelo campus. Part I

Um conto erótico de Ninfaa25
Categoria: Heterossexual
Data: 14/05/2018 02:58:00
Nota 10.00

Bem, esse é meu primeiro conto, espero que gostem!

Descrição:

Oi. Eu me chamo Karol (nome fake), tenho 22 anos atualmente, 1,70 de altura, morena, corpo normal, seios médios, bumbum não muito grande mais bem empinadinho, cabelos longos pretos, e um rostinho de boneca como dizem por ai rs.

A história a qual irei relatar, se inicia mais o menos à quatro anos atras. Eu tinha acabado de completar dezoito aninhos, já tinha tido algumas experiências sexuais bem diversificadas(que pretendo contar em outra ocasião), mais nunca tinha tido nenhuma experiência com cara mais maduros, porém sempre tive um grande curiosidade de como seria, as vezes ficava sempre a imaginar, tal acontecimento.

Dois meses após meu aniversário, navegando em uma das minhas redes sociais, recebi um convite que me chamou a atenção, um cara bastante interessante pela foto no perfil, então resolvir o stakear antes de aceitar a solicitação rs.

Olhando perfil dele vi umas fotos bem chamativas, um homem de pele bronzeada, corpo atletico bem definido, pelas fotos com uns amigos dava a impressão de ser o mais alto, cabelos longos negros e alguns fios grisalhos. Também havia várias fotos dele praticando esportes radicais, mas também algumas em programas alternativos, pratos comidas veganas etc... de primeira vista parecia ser um cara ao qual qualquer mulher se interresaria.

Aqui, irei chamá-lo de Paulo, aparentemente ele era bem mais velho que eu, e logo após o stakear-lo, me sentir meio que atraída por ele ser um cara super interessante, então resolvur aceitar a solicitação. Uns dias depois nos tornamos amigos na internet, ele me chama no bate papo:

" Paulo: - Olá.

Karol: - Oi

Paulo: - Tudo bem ?

Karol: - Sim e você?

Paulo: - Estou bem. :)

Karol: - Qbom ;)

Paulo: - Você estuda na UFAM

Karol: - Sim, pq?

Paulo: - Por nada de mais, acho que vi você ontem lá, estou sendo professor substituto no curso de engenharia.

Karol: - Bacana, estou no primeiro semestre lá

Paulo: - Está gostando de lá?

Karol: - Estou, e legal o ambiente e a galera e bem animada, estou tentando me adaptar

Paulo: - Ah, qualquer dia desses posso te mostrar melhor a universidade se quiser, o ambiente é realmente maravilhoso

Paulo: - Pode me passar seu número?

Karol: - Certo, estou mesmo precisando de um guiar para conhece melhor tudo rs****

Paulo: - Depois de LIGO para gente marcar linda, boa noite. Bjos!

Karol: - OK. Beijinhos! "

E foi após essa conversa que descobrir que o cruhs maduro era o professor da minha universidade. E esse fato me deixou mais curiosa ainda, para saber o porque dele estar neste interesse todo comigo. Alguns dia depois, entre o intervalo de uma aula e outra, o meu celular começa a tocar, número desconhecido, no momento nem me lembrava mais dele afinal, fazia alguns dias daquela conversa básica, e atendi:

" - alô...?

- Oi, karol?

- sim, é ela, quem estar falando?

- a é oi, aqui é... O Paulo, lembrar professor ... Do cha..t..?

- a, oi, lembro sim, tudo bem?

- tudo, q bom ,tá em aula? E que eu estou de folga agora, e queria saber se ainda esta de pé aquela tur pelo campus haha?

- a, sim, mais agorinha?

- sim, pode ser?

- éee... Pode sim,onde te encontro?

- estou na biblioteca, esperando por você

- OK. já chegou ai. "

Na hora fiquei meio confusa, mais menos assim fui ao encontro dele, afinal não é todo dia que um gato daqueles da mole, e no fundo estava com uma intuição de que algo iria acontecer.

Então sair da sala sem que o professor que tinha acabado de entrar na sala percebesse, e fui ao encontro dele.

Chegando lá, ele estava sentado de costas para a porta e que costas lindas e largas diga-se de passagem, tudo aquilo que eu tinha visto nas fotos era bem fiel ao real rs. Cheguei mais próximas a ele, e tocando no seu ombro disse:

" - Paulo? certo?"

No mesmo instante, aquele homem escultural levanta-se e olha para mim abrindo um sorriso de leve, e responde:

" - sim, sou eu. Pelo menos esse o nome que consta nos meus documentos" diz ele fazendo uma piadinha. Parecia que já nos conhecíamos a tempos pela intimidade que criamos Em menos de 3 conversas. Saimos da biblioteca, para que ele me apresentasse o campus, ele me conta durante toda a caminhada a sua trajetória, suas estórias de quando era universitário, era a noite e campus estava com pouca iluminação e chegando ao último bloco, ele dispara:

" - Ai gostou de conhecer o campus na minha compania? Sou ou não o melhor guia? - então falava percebia a irônia na sua fala.

- Gostei, você é um ótimo guia. Se algum dia não quiser mais lecionar, já tem outra profissão garantida haha...

- Engraçadinha."

Ficamos em silêncio por um tempinho olhando pro nada, como se tivéssemos esperando algo acontece e não é que de fato aconteceu. Após o último bloco tinha uma imensa área verde, a qual durante a noite ninguém ficava, por não ter uma iluminação tão boa, apenas os casais que queria se sentir mais avontade que ia lá com frequência.

Enquanto eu esperava ele dizer mais alguma de suas piadinhas, ouvirmos um pequeno gemido distância, continuamos e em silêncio e apenas nos olhamos com aquela cara de vergonha e mais ao menos tempo curiosos, andamos mais um pouco pra ver o que estava rolando, e ao chegamos mais perto vimos um casal de onde transando em baixo de uma mangueira, só identificamos quem era por conta pois a moça estava com a lanterna do celular ligado.

Naquele instante fiquei um bastante vergonha e incomoda com a situação, mas o Paulo achava graça daquilo e parecia não estar nada incomodado, parecia bem familiarizado. Ele olhou pra mim e disse :

" - Acho melhor e ir se acostumando, isso sempre acontece isso kk. "

De alguma forma aquela situação me pareceu premeditada. Logo apos Paulo dizer isso, o casal parou por um momento e reparou a nossa presença, a moça imediatamente e na intenção de se cobrir, pois ela estava completamente nua, se agachou e começou a se vestir rápido, e o rapaz querendo saber quem estava ali apontou em nossa direção a lanterna que refletiu em nossos rostos, fiquei sem ação, só sentir a mão de Paulo pegar a minha e sair me puxando e então a gente correu e se escondeu.

Quando dei por mim, estavamos em uma espécie de beco, muito estreito que mau cabia a gente, então Paulo me olhou no fundo dos olhos, me constou mais um pouco na parede e sem dizer nada e me deu um beijo.

E que beijo, eu sem dúvidas retribui, ele continuo o beijo e foi descendo a mão da minha nuca até a minha bunda e pegou a firme com as duas mãos, começou a apertar-la e enquanto isso continuava em um ritmo frenético de beijos, eu já estava quase ficando sem fôlego quando ele disse: " - era isso que você queria quando aceitou andar pelo campus comigo. Né? " e eu apenas acenei que sim.

No mesmo instante ele volta a me beijar freneticamente, com a aquela língua deliciosa invadindo minha boca, com uma pegada mais forte, me contraindo contra a parede e agora com a mão nos meus seios apertando-os e isso já estava me deixando louca e com calcinha toda encharcada de tesão, então pedi que parasse. Fiquei com medo de não aguentar a vontade de dar pra ele ali e alguém nos pegar no flagra, igual tinhamos visto o casal a poucos minutos e ainda mais por eu ser aluna e ele professor. Então apenas dei outro beijos nele e sair dali.

Quando estava saindo ouvir ele dizer, " quando vamos fazer outro tur pelo campus? " e eu apenas respondi, "em breve. "

Continua...

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
15/05/2018 16:45:35
Ninfa, pode deixar! Se puder, leia os meus tb! Bjs
15/05/2018 15:43:57
Que bom que gostaram! Continuem acompanhando;) @anjodiscreto @sergioods
14/05/2018 15:49:31
Quero essa continuação!
14/05/2018 13:48:55
Ótimo!