J&E - Meus dois amigos ''heteros''

Um conto erótico de Teen
Categoria: Homossexual
Data: 13/05/2018 13:57:34
Nota 9.00

No ensino médio já com meus 17 anos eu conheci um garoto ‘’hetero’’ de nome ‘E’ por quem logo fiquei vibrado. Uns centímetros mais baixo que eu, cabelo preto num moicano e um corpo simples. Ele me tratava como se eu fosse um príncipe mano. Era uma pessoa carinhosa e super gente fina. Me lembrava um pouco meu ex na personalidade e acho que foi isso que ajudou um pouco a eu me aproximar dele. Ele era da mesma sala que eu e sempre que ficávamos a sós conversamos como se fossemos um casal de namorados, eu sempre sentado em cima de uma das mesas com os braços volta do seu pescoço, ele em pé na minha frente com os braços envoltos na minha cintura e nossos rostos bem pertos um dos outros, mas nunca rolou nada além disso. Ele segundo eu soube tempos depois tinha a curiosidade, mas ao mesmo tempo tinha medo. Uma noite quando saímos para beber com amigos por diversas vezes ele beijava meu rosto e ao longo da noite começou a me dar selinhos.

Descobri que o medo dele só iria embora com o álcool (assim como quase todo hetero). Na resenha de fim de ano, último dia de aula toda a turma foi beber e junto com a gente foi um dos seus amigos, J. J era uma delícia de macho. Alto, cabelo curto loiro, um corpo simples, mas definido e uma cara de safado que deixaria qualquer um molhado só com um olhar. Ambos namoravam, mas naquela noite a namorada de J me chamou em um canto e pediu para mim o pegar já que ela queria pegar uma menina que estava na resenha (pode parecer irreal, mas isso realmente aconteceu). Sem nenhuma cerimônia eu o beijei e depois ainda desfrutei de um beijo quadruplo com ele, a namorada dele e a outra menina.

J tinha uma pegada que me deixava de pernas bambas e pau duro, eu o beijava e apertava sua bunda que era durinha graças aos exercícios, mas apesar de ele ser uma delícia, não era ele meu alvo naquela noite e ele percebeu isso bem rápido. Ele e E tinham uma amizade de longa data já e talvez a minha falta de descrição o tenha feito perceber quem eu queria de verdade. Ele chamou E num canto e depois de um tempo me chamou. Assim que cheguei ele só me disse para dar um selinho em E e quando o fiz o mesmo me puxou para um beijo mais gostoso ainda. Ele terminou o beijo com um sorriso fraco no rosto e envergonhado por ter amigos por perto. Naquela noite ainda peguei J algumas vezes pois E só era gay quando não havia ninguém perto dele. Depois dessa noite ainda vi uma foto de E pelado que o mesmo me mostrou, um pau que aparentava seus 19 cm e na mesma grossura que o meu, mas esse foi o ultimo contato ‘intimo’ que tivemos.

Tempos depois (a resenha foi em dezembro) em fevereiro uma semana antes do carnaval, J me chamou para ir em sua casa, eu que morava relativamente perto dele aceitei já sabendo que iria rolar pelo menos uns beijos. Ele me buscou na metade do caminho e fomos conversando amenidades até lá. Me apresentou seu irmão que nem notou minha presença pois estava totalmente imerso num jogo no computador e subimos para o primeiro andar. Ele me mostrou a casa, foi no lajem comigo, usou alguma droga lá que se cheirava (eu não conheço nada disso) e sim, ele usava drogas, mas não traficava. Me ofereceu e eu recusei, fomos para o quarto, ele se sentou na cama e perguntou logo se eu queria relembrar aquela resenha. Pulei em cima dele e o beijei, ele usava um short desses que surfistas usam e seu pau estava quase rasgando o tecido, eu parei o beijo, olhei para baixo e foi para lá mesmo que eu me dirigi. Retirei toda a sua roupa e vi seu pau duro (Já o tinha visto pelado outra vez, mas ele não estava excitado na ocasião), seu pau era algo inacreditável! Tinha no mínimo 20cm e era tão grosso quanto meu pulso, mas antes de me deliciar com seu pau eu lambi seu peito enquanto ele gemia, beijei toda a sua barriga sarada e por fim cheguei naquele pau, não me fiz de tímido e coloquei logo na boca e tive dificuldades devido a grossura, mas era um pau muito gostoso que eu poderia chupar por horas sem parar. Devido ao tamanho e grossura era impossível eu engolir aquela rola toda, mas era o que ele queria. Forçava minha cabeça contra seu pau e sempre que eu tirava seu pau da boca sem folego ele me dava um tapa na cara...PUTA QUE PARIU!!! Que mão de macho! Grossa e pesada, meu pau já babava com toda a situação e eu fazia questão de parar de chupar só para que ele me batesse (nunca gostei disso, mas nesse dia...) ainda tentou me penetrar, mas era impossível com algo daquele tamanho e eu virgem. Voltei a chupar ele e depois de um tempo senti seu pau pulsar, tirei a boca a tempo, mas meu rosto ficou totalmente lambuzado de porra grossa. Ainda chupei ele mais um pouco, tomamos um banho e eu voltei para casa com o maxilar doendo e o rosto um pouco vermelho.

J foi a única experiencia boa que eu tive depois do namoro, bissexual assumido ele não precisava beber ou algo do tipo para se relacionar comigo e isso era foda. Já E soube tempos depois que eu tinha chupado seu amigo e nossa relação meio que esfriou e tempos depois ele mudou de turno.

P.S - Meus contos sempre serão apresentados de maneira simples e fiel ao ocorrido na vida real. Escrevo assim com detalhes por motivos que já expressei no meu primeiro conto. Boa leitura :3

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
13/05/2018 19:30:08
PENA QUE NÃO CONSEGUIU NADA COM E. PENA QUE ESSE RELLACIONAMENTO COM J NÃO SEGUIU.