MADAME BUNDUDA SUBMISSA V

Um conto erótico de Cesar
Categoria: Heterossexual
Data: 11/05/2018 17:29:33
Nota 10.00

MADAME BUNDUDA SUBMISSA V

(continuação..)

Os dias passaram normalmente, com Lucia desenvolvendo suas atividades corriqueiras sem qualquer incidente em relação a mim. Devido ao meu sumiço, estava convicta que o problema que se avizinhou havia sido completamente solucionado.

Seu marido não fazia ideia do ocorrido. Lucia tentava não lembrar daquela noite em que fora humilhada e arrombada feito uma cadela, tratada como uma verdadeira puta. Não teve muito problema em esconder seu corpo branco de seu marido para não revelar as marcas deixadas pela aquela noite, pois além de Roberto ficar muito tempo fora, ora em viagens longas a trabalho, ora trabalhando até tarde da noite em seu escritório, ambos já não mais tinham relação sexual com frequência, passando Lúcia semanas, até meses, sem ser fudida.

Passaram-se em torno de 20 dias desde o episódio do motel, quando por volta das 16 horas de um domingo Lúcia retorna para a sua casa de um almoço que tinha ido junto com Roberto no clube em que eram sócios.

Roberto à acompanhou, no entanto, almoçou e logo retornou para casa pois tinha serviço a fazer no escritório.

Lúcia entra em sua casa, joga as chaves na mesinha da sala de visitas e, ao escutar a televisão ligada na sala de televisão, se dirige até ela dizendo:

Lúcia: - Roberto, você tinha que ver o estado que o Fernando estava quando sai de lá!

Ao entrar na sala se depara com Roberto sentado em um dos sofás e à sua frente estava eu sentado com as pernas cruzadas e com um envelope em mãos.

Lucia se assusta, indo do sorriso à seriedade em minutos.

Lucia: O que foi?

Roberto desconfiado diz: Lucia, o Cezar veio até aqui dizendo que tinha marcado com você as 16 horas para ajudá-lo com um trabalho de faculdade.

Lucia fica prostrada na porta de entrada da sala sem reação e calada. Ela está com vestido branco até os joelhos revestido de detalhes cinzas, com um casaquinho fino na cor azul aberto, com sandálias salto alto na cor dourada.

Lucia: - eu não...

Eu rapidamente a corto dizendo:

Eu: Não se lembra Dona Lúcia? Nós conversamos outro dia na faculdade. Eu acabei de enviar uma mensagem para a senhora no celular perguntando se estava tudo confirmado, como a Sra. não viu eu decidi vir assim mesmo?

Com o celular em mãos Lúcia acessa o aplicativo Whatsapp e vê várias mensagens minhas, as abre e vê diversas fotos suas tiradas daquela noite enquanto estava com os olhos vendados. Fotos de sua bunda, peitos, rosto...Em uma das mensagens está escrito, “além dos documentos tenho mais isso, agora dispensa logo este merda do seu marido para a gente conversar ou a Sra. quer que eu mostre para ele as fotos?”.

Roberto: - aconteceu alguma coisa Lucia?

Lúcia: - não, é que eu tinha esquecido completamente que realmente tinha marcado com o Cezar..vou com ele até o escritório lá em cima, rapidinho a gente termina..

Roberto faz uma cara de quem não está entendendo nada e então diz:

- Bom, então vou deixa-los a sós. Vou até o quarto tomar um banho e depois vou dar uma passada no escritório..

Roberto se levanta, de mim se despede, e se dirige para o seu quarto.

Lucia sem me olhar diz para acompanha-la. Nos dirigimos a uma escada íngreme que tem em sua casa que se inicia por uma porta da sala de televisão e que leva até o escritório da casa. Ela sobe na minha frente pelas escadas rebolando aquele rabo grande, que toma conta de toda a extensão do vestido.

Ao entrar no escritório ela diz:

Lúcia: Você ficou louco! Quem você está achando que é? Achei que nós tínhamos combinado naquele dia a por fim a tudo isso..eu fiz tudo o que você quis...e que fotos são essas?

Eu: (rio) A Sra. realmente acreditou que eu ia te entregar todos os documentos naquele dia sua puta burra e deixar esse rabo branco gostoso para só o seu marido fude-lo, se é que ele o fode ainda..

Abri o envelope que estava em mãos e joguei em cima da mesa várias fotos reveladas de Lúcia daquela noite. Ela pós a mão na boca, fazendo cara de espanto, assustada e perplexa.

Eu: acho que seu marido não sabe a esposa depravada que tem!

- Tenho vídeos também de você chegando no motel com seu carro e também indo embora. Tenho vídeos da Sra. descendo do carro e caminhando de forma arrogante para o quarto, rebolando esse cu enorme seu. Antes da Sra. chegar no motel eu fiquei na sua frente, dentro do carro, com uma câmera e filmei sua chegada de carro...filmei a placa de seu carro e ele entrando no motel..igual procedimento fiz após gozar nesta sua cara arrogante..sai do motel e fiquei aguardando a Sra. sair com o seu carro..está ai tudo registrado..

Nisso ponho no meu celular os vídeos e entrego a ela.

Enquanto ela olha eu continuo dizendo:

- A partir de agora a Sra. tem dono. Eu sou seu dono! A Sra., sua puta, vai fazer tudo o que eu mandar, desde a roupa que vai vestir no dia a dia até, se duvidar, o que vai comer. Essa bundona gorda, branca e grande que a Sra. tem de agora em diante é minha e só vai ser fudida por mim. Ou é assim ou encaminho todos os documentos que tenho acerca de suas falcatruas para a policia, enviarei os vídeos e as fotos para seu marido e as postarei na internet, para todo mundo ver a puta que a Sra. é. Já pensou essa bundona branca na internet? E essa cara larga e nojenta? Garanto que seus alunos e filhos iam adorar vê-las..

O silencio toma conta do escritório. Ela termina de ver os vídeos.

Lúcia: Meu deus!!

Eu: A Sra. não tem saída. Portanto, de agora em diante, a Sra. é minha cadela! Eu vou comer esse rabo a hora e o dia que eu quiser, vou fazer com ele o que bem entender...tudo o que eu mandar fazer a Sra. terá que obedecer. Na minha frente, não importa onde estejamos, a Sra. sempre vai ter que estar impecável e sempre vestida de forma sensual, valorizando esse rabo grande que tem! E sempre, doa o que doer, estará de salto alto, para valorizar ainda mais esse rabo!

- um erro da senhora, uma desobediência que seja a Sra. sofrerá as consequências! Eu já larguei meu emprego e transferi a faculdade para o matutino para poder desempenhar esta tarefa com mais afinco (Rio)...

Lucia fica em choque.

Eu me aproximo, a seguro pelo queixo e digo:

Eu: A Bunduda entendeu?

Lucia faz que sim com a cabeça.

Eu: agora eu quero algo que não tive naquele dia. Deite-se!

Lucia: - o que você vai fazer, o meu marido está lá embaixo!

Dou um tapa forte em sua cara e digo:

Eu: A Sra. não entendeu o que eu disse. A partir de agora eu sou seu dono, a Sra. não tem que questionar nada, está me ouvindo. Se a Sra. quiser ter vontade própria vai ter na cadeia! Quem manda aqui sou eu e é melhor a Sra. rezar para O SEU MARIDO CORNO não subir aqui porque se não ele vai ver eu fudendo esse seu cú branco. Agora deite-se no chão com esse rabo leitoso para cima.

Ela se ajoelha de costas para mim com dificuldades, ficando de quatro no chão. Com os pés eu dou um pequeno empurrão ela deita. Eu a ajeito de bruços no chão duro do escritório, com o bundão para cima...levanto seu vestido, revelando aquela bunda branca, carnuda e larga com uma calcinha grande da cor bege. Me ajoelho entre suas coxas, dou um tapa forte na nadega direita, que estrala alto e balança... puxo a calcinha de lado, abro suas nádegas com as mãos e caio de língua em seu cú...enfio a língua até onde consigo, babo bastante...enterro um dedo em seu cú que é bastante apertado. Logo enfio 2 dedos. Ela está toda apreensiva, com medo de seu marido aparecer. Percebo que ela não tem muita intimidade no sexo anal. Tiro os dedos e começo a enfiar o meu pau devagar..ela se mexe...reclama, bate os pés com as sandálias no chão...logo meu pau entra inteiro...ela morde sua mão para não gritar... “trate de se acostumar que a Sra. vai dar muito esse cu vermelho que tem Bunduda”..deito sobre suas costas com o pau enterrado em sua bunda branca soltando o meu peso...começo a fude-la com movimentos rápidos e fortes...o seu gemido é abafado por suas próprias mãos...meto forte por uns 10 minutos e sem tirar o pau de seu cu começo a gozar, sinto sair 4/5 jatos de porra que são arremessado em seu reto...relaxo em cima dela...

Me ajoelho entre suas coxas abertas e reparo que meu pau está um pouco sujo de merda e sangue...seu cu está escorrendo porra e sangue...”sua nojenta, cagou no meu pau” digo. Limpo-o em sua calcinha e nadegas brancas..dou outro tapa na sua bunda e levanto..

Ela fica imóvel na mesma posição, testa encostada nos pulsos cruzados, olhos fechados como se estivesse dormindo...com vestido erguido até a cintura, revelando as pernas grossas e extremamente brancas, pés com sandálias douradas e o rabo branco carnudo e esparramado, com as nadegas um pouco sujas, com a calcinha grande e bege de lado, revelando o cu sujo de porra e sangue..

Me ajeito e saio. Antes, porém, digo: Tchaw Bunduda, amanhã nos veremos!

Desço as escadas e sem avistar ninguém saio de sua casa. Lucia, após ouvir o barulho de eu fechando o portão, volta si, se levanta, sente as pernas fracas e tremulas, arruma sua calcinha e vestido. Pega as fotos, coloca dentro do envelope, o esconde dentro de um livro e desce. Enquanto desce sente a porra escorrendo de seu cu e lambuzando sua calcinha..também sente dor em seu anus, que parece estar rasgado...

Entra em seu quarto e se depara com seu marido terminando de se arrumar. Lucia senta na cama para tirar as sandálias, mas logo se levanta pela dor que sente. Para disfarçar põe os pés na beirada da cama e começa a desabotoar as sandálias.

Roberto: - Achei estranho você ajudar aquele menino. Além de não ser muito o seu feitio, achei que você não gostasse dele.

Lucia: Ele é amigo de nosso filho e está com um trabalho difícil na faculdade. Resolvi ajudá-lo. Pode ser que ele precise vir mais vezes aqui...vou tomar banho...

Lucia, terminando de tirar totalmente as sandálias, sem tirar o vestido porém, se dirige ao banheiro.

Roberto: - Vou dar uma passada no escritório, vamos sair para comermos algo?

Lucia nada responde, está com a cabeça em outro lugar. Entra no banheiro e tranca a porta. Roberto sai.

No banheiro, tira o vestido, se vira no espelho e vê sua calcinha toda melada de porra e sangue. Repara que seu vestido também está sujo, assim como suas nadegas. Suspira e entra debaixo do chuveiro.

Fica 1 hora embaixo do chuveiro, pensando em tudo o que estava acontecendo e nas coisas que de mim escutou. Não consegue encontrar saídas para a situação..

Sai do banho, coloca uma camiseta velha branca, um pouco curta, mostrando o começo de sua barriga branca e um shorts de seda da cor nude, que gruda em seu rabo. Não põe calcinha, temendo desconforto pelo cu que ainda dói. Pega seu celular, olha as fotos que eu enviei e as apaga.

Deita de bruços em sua cama e dela não sai até o outro dia.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
13/05/2018 04:09:06
Excelente conto continue

Listas em que este conto está presente