Diego: a primeira relação sexual consentida e o desfecho com o cara careca [parte 2].

Quase todo fim de semana um grupo de gays iam para o vilarejo e faziam farra. A presença do careca na casa tornou-se frequente quando Diego estava. Vez ou outra ele levava Diego pra foder no mato mas o comia mais na casa. A relação entre Diego e ele ficou aberta entre os amigos. O povo do vilarejo comentava que o careca estava pegando Diego, mas ele não se importava, ninguém tinha prova, mas ninguém mexia com Diego, tinham medo dele.

Certo fim de semana Diego não voltou no domingo pra casa porque não teria aula na segunda, seria reunião dos professores. Assim Diego foi comido no sábado de madrugada e no domingo à noite.

Na segunda, Diego estava na companhia de dois amigos que também não teriam aula. Os outros gays haviam ido embora no domingo à noite porque trabalhariam na segunda. Wesley na segunda cedo pegou seu coletivo e foi trabalhar, Diógenes também foi cedo para seu trabalho de aprendiz e lá mesmo ficaria pra aula à tarde já que ele passou estudar em outro colégio.

No horário do meio-dia, após o trabalho na roça, o careca ainda passou lá na casa e deu um ótimo trato na bundinha gulosa do tampinha.

Pela tarde estavam os 3 gays na varanda conversando besteiras. Na frente do bar que estava fechado, havia dois rapazes magros, da mesma faixa etária que eles. Eles estavam sentados num banco de madeira, conversando, olhavam para os gays, olhavam um para o outro falando alguma coisa, riam e baixavam a cabeça.

Os gays que não são flor-que-se-cheire, percebendo começaram logo dar bola para os rapazes.

Os rapazes riam, faziam comentários entre si, apertavam o caralho, e riam novamente. Um deles chegou desabotoar a bermuda e descer o zíper mostrando a cueca. Um dos gays fez sinal pra eles entrarem.

Os 3 entraram e os rapazes foram atrás. Já entraram dizendo que por 20 reais eles comiam os 3.

- Tudo bem! Mas estamos em 3 e vocês são 2. Como fica isso?

- Diego, amiga, acho que a senhora não tem necessidade de dar mais essa cuceta hoje. – Disse um dos amigos querendo insinuar que Diego já havia dado a bunda no meio-dia.

- Nada, amiga, esse aqui já é meu. – Disse Diego puxando um gatinho pela mão.

O outro rapaz falou:

- Acho que posso trazer outro brother.

- Quem, Fulano? – Perguntou o amigo.

- Fulano, pow. Se chamar e os veados der grana, ele vem.

- Ah eh! De boa!

- Vou lá chamar ele.

O outro rapaz foi chamar o amigo e o que Diego arrastou entrou para o quarto do Diógenes.

O rapaz não sabia fazer praticamente nada. Ele estava sem camisa, ficou em pé e já colocou a rola dura pra fora da bermuda. Diego ajoelhou-se e se deparou com um caralho comprido, uma cabeçorra toda descoberta, a pele bem esticada. Diego abocanhou a rola do rapaz mas estava com forte odor e gosto horrível. Diego levantou-se, abriu a janela e cuspiu.

- Gato, se importa se a gente for logo para a parte da foda?

- Não. Deita aí.

Diego desceu a bermuda só no lugar da bunda, deitou-se de ladinho bem na beira da cama e empinou pra trás. O rapaz ficou em pé do lado da cama, encostou o caralho no cu dele e já foi pra querer meter. Diego empurrou ele de leve, cuspiu nos dedos e passou no cu. Pegou o pau do rapaz, colocou no cu, segurou na bunda do rapaz e puxou ele pra dentro. Facilmente o cu do Diego deu uma engolida no peru do rapaz.

Ele ficou socando no cuzinho do Diego que gemia igual uma menina, mas não de dor. Diego já estava todo aberto pelo careca.

Diego tirou o cu da rola do rapaz e foi mais para o meio da cama. O rapaz subiu, ajoelhou-se e meio que se deitou para enterrar a rola em Diego. Socou, socou, socou a piroca em Diego, deitou-se atrás dele e segurando no quadril mandou rola pra dentro. O rapaz não gemia nem fazia nada, apenas comia o cuzinho do Diego.

Sem nenhum gemido, sem nenhuma pulsação, sem estocadas fortes no fundo, o rapaz gozou dentro. Diego só percebeu que ele havia gozado porque ele sentiu os jatos quentes dentro do cu. O rapaz gozou fodendo normal.

Ele tirou a rola de dentro de Diego, ficou apertando pra sair toda gala, dava balançadas no caralho lançando sobre o quadril de Diego o resto de esperma que ia saindo. Nenhum gemido, nenhum chio. Ele meteu a rola novamente no cu do rapaz, ficou comendo mais um pouco, tirou e ficou passando a cabeça no rego da bunda do Diego enquanto um esperma sem consistência, meio líquido, escorria pra fora da bunda.

O rapaz apenas colocou a rola pra dentro da cueca, nem se preocupou em lavar. Pediu o dinheiro, Diego deu. Ele foi e sentou-se no sofá, esperando e olhando os amigos que estavam comendo os outros gays que estava de quatro, ali mesmo na sala.

Um deles estava comendo o gay do mesmo jeito que o rapaz que comeu Diego... só com a rola pra fora da bermuda; a diferença foi que ele estava de camiseta e segurou a ponta dela entre os dentes; ele era magro, coxas meio grossas, gostosas, as curvas da bundinha eram lindinhas; apesar de estar dentro da bermuda dava pra se ter uma noção.

Só o outro rapaz estava todo pelado. Ele era moreno, seco, alto, pernas finas e todo chulado, mas dono de um caralho grosso e gigante. Dava pra ver que minha amiga não estava gemendo só de prazer, mas também de dor. Esse foi mais safado. Comia a puta dando tapas na bunda dela, nas metidas-e-tiradas ele tinha gosto de tirar a rola quase toda de dentro e levar até o fundo com movimentos rápidos; dava pra sentir e perceber que ele estava sentindo prazer no sofrimento do gay. Aquele achei perfeito.

O que estava de bermuda gozou dentro. O que estava pelado, quando sentiu que estava gozando, tirou o caralho de dentro, puxou o gay para ajoelhar-se, meteu um ovo grandão na boca dele e gozou batendo a parte de baixo da rola na cara. Após melar a cara do gay, o rapaz meteu a rola na boca dele e largou ele chupando.

O outro guardou a rola, o outro se vestiu, pegaram o dinheiro e saíram.

Eles ouviram perfeitamente o rapaz que comeu Diego, falando baixinho para os outros dois quando já estavam na calçada:

- Cara, o cu daquele viado parecia uma buceta, velho. Grandão.

Os rapazes foram embora rindo.

Mais tarde os 3 voltaram para frente do bar, ficaram fumando maconha sem nem importarem-se com as pessoas que passavam e viam.

Os 3 ficaram conversando, olhando para a casa onde os gays estavam e se acabando de dar risada.

À noite resolveram ficar pra irem embora na terça pela manhã.

Estavam todos na porta umas 7 da noite quando o careca passou, baixou a cabeça, não entrou nem falou com ninguém.

Diego saiu gritou ele. Ele não se importou e seguiu mas Diego insistiu e ele voltou.

- O que você tem? – Perguntou Diego.

- Vou ser franco. Os caras que comeram você e seus amigos hoje a tarde, contaram tudo no bar do Fulano. Está o maior falatório pela vila. O que te comeu disse que que nem sentiu a rola entrar no seu cu, que seu cu é tão grande que parece buceta de jumenta.

- Como ele pode comparar meu cu com buceta de jumenta? Por acaso ele já comeu alguma?

- Acorda! Isso aqui é praticamente uma roça. Sabe que maioria dos rapazes da roça come jumenta, égua, cabra, cadela, galinha...

- Eu não sabia disso.

- Então fique sabendo.

- Então você também já comeu.

- Eu já fui rapaz um dia.

- Entendi.

- Mas é isso. Valeu te conhecer e a gente para por aqui mesmo.

- Não precisa ser assim.

- Cara, se você tiver um pingo de vergonha na cara, nem fale mais comigo porque eu farei mesmo.

- Tudo bem! Você quem sabe.

- Ok!

O careca foi se saindo.

- Ele não foi primeiro.

O careca voltou.

- Como?

- Eu disse que ele não foi o primeiro aqui da vila pra quem eu deu meu cu. Enquanto tinha você dei pra mais dois. [E não foi mentira]

- Sem problema. Isso só prova que você realmente não presta. Só podia ser viado mesmo.

- Viado que te fez gozar horrores enquanto dava bunda pra outros.

O careca olhou Diego da cabeça aos pés com cara de repugnância e foi embora.

Diego ficou conhecido no vilarejo como “buceta de jumenta”.

Daquele dia em diante Diego via sempre o careca no bar com outros homens, conversando, rindo, bebendo e ele agia como se nem conhecesse Diego.

Quanto aos rapazes, certo dia voltaram dando em cima dos gays para comerem eles novamente e conseguirem mais dinheiro. Os gays botaram eles pra correr. Sempre que tem um bando de gay na casa, eles ficam por ali rondando, pela frente do bar, pra ver se os gays mudam de ideia e os chamam pra foder. Mas os gays simplesmente tomaram aversão aos rapazes tomando as dores de Diego e por terem comido e espalhado que comeram.

Diego continuou ficando com alguns, mas não aqueles que acabaram com o nome dele. Os outros comiam escondido.

O careca certo dia, bêbado, deu em cima de um amido do Diego, também magrinho e meio baixo. Mas ele não quis dizendo que não gosta de ser usado pra fazer ciúmes a outro. O amigo foi e contou para Diego. E ficou por isso mesmo.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
22/05/2018 01:42:50
Kkkk né Dyguinho2000, o careca já deve estar em outra. Acho que aí, os "machões" que pegam os gays estão distorcendo o sentido de bissexuais ou gays ativos em prol de sua "heterossexualidade", para dizer que gay é quem dá e hetero é quem come, para se sentirem mais superiores e machos. O que não deixa de ser uma relação homossexual por se relacionar com pessoas do mesmo sexo. Essa distorção do sentido da coisa que eles fazem para se sentirem "melhor", não altera o seu significado, portanto é gay ou bissexual com muito grau de machismo. Não aceitar essa verdade é tão estranho, quase irracional.
18/05/2018 23:04:44
Você fala como se estivesse na putaria, sacaninha 😎😎😎😎😎😎
14/05/2018 11:30:34
Vou colocar o careca na sua mão, Healer. Rss.
14/05/2018 11:29:52
Obrigado Túlio_Goulart! Diego teria de ser frio mesmo. Acho que não teria porque Diego ficar insistindo. Não quer... deixa lá. Realmente a putaria com os rapazes foi gostoso, mas foi sacanagem saírem espalhando.
14/05/2018 11:26:52
Ou Valtersó, tudo bom? Diego não é ma pessoa, ele apenas se mete em encrencas. Mas não é mau. Rss. Abraços, querido!
14/05/2018 11:25:57
Rss. Oi amigo, tudo bom? Entendo sua opinião. É que aqui na cidade todos acham que quem come é o homem e quem dá e chupa é o gay. Mas é assim mesmo, cada local há sua cultura. Tem homem aqui mesmo que come, se disser que ele é veado é capaz do outro apanhar ou morrer. Rss. Eles não se importam se for brincando, mas se falar sério eles não gostam. Cada cena do Diego com alguém é uma tensão? Kkkkk. Não é pra tanto. Rss. Seria delicioso esse jantar com os quatro, Healer. Huuuum.
13/05/2018 22:34:40
Espera faltou comentar uma coisa kkk, o careca chamou Diego de viado, mas quem "come" também é, não entendi esse raciocínio dele de sair por cima com essa "ofensa", é tipo um tiro no próprio pé, kkk. Mas concordo com Valtersó e Túlio_Goulart era paixão. Ou tadinho, Diego partiu a cara da ex do careca e agora partiu o coração dele, não literalmente. Ele tem uma aura caótica. O bichinho careca, vem aqui que faço carinho em você para esquecer esse menino mau. Diego, vai botar esse cu para engolir uma torre de telefonia e se aquietar.
11/05/2018 17:10:46
Parece que realmente o careca estava se apaixonando, como diz o VALTERSÓ.
11/05/2018 17:09:10
Finalmente continuou, parça. Cara, a foda com os pivetes foi simples mas gostoso pra porra. Achei sacanagem os pivetes comerem e saírem falando. Como disse o Healer, sorte eles estarem vivos. Os mendigos que estupraram Diego não tiveram a mesma sorte. Sinal que Diego mudou um pouco e deixou de ser imaturo. Mas achei sacanagem também o Diego ser tão frio com o abandono do careca. No final ele ainda tenta menosprezar. Caraça!!!! 😂😂😂😂
11/05/2018 13:59:11
MUITO INTERESSANTE. MAS CREIO DE FATO QUE DIEGO NÃO PRESTA MUITO. NÃO SE DÁ O DEVIDO VALOR. LAMENTÁVEL. POBRE CARECA APAIXONADO.
10/05/2018 23:54:37
Olha depois dos contos anteriores, cada cena de diálogo de Diego com alguém que pareça causar um conflito, me deixa tenso e esperando o pior para a pessoa com quem ele fala. Como dizem os mais velhos, com doido a gente não discorda, só confirma, kkk. Esse puto que espalhou o que ocorreu na casa, teve sorte de sair vivo e Diego não aprontar. Me desculpe, mas eu ri com o apelido. Será que Diego adota Buceta de Jumenta, tipo o Coringa em Batman e vira vilão? O careca foi bem hipócrita, usou, abusou e depois jogou fora. Não sei como Diego não chamou os 3 putos e o careca para um jantar de despedida. Estou me surpreendendo com ele, será que vai seguir para o bom caminho, espero. Dyguinho2000 estava com saudades de tu, não demore a aparecer, um abraço.