Procurando emprego - Parte 1

Um conto erótico de Fernanda
Categoria: Homossexual
Data: 09/05/2018 20:16:48
Nota 10.00

Amigas! Me desculpem pelo outro conto, eu vou termina-lo mas surgiu uma nova história na minha cabeça e não quis perde-la, já irei postar vários capítulos e gostaria da opinião de vocês nos comentários, me inspirei em alguns outros contos que li e misturei com o que eu gostaria que acontecesse comigo, estou aberta a críticas e opiniões pois os contos que tenho aqui são os primeiros que escrevi. Bom, já falei muito né? Vamos para o conto...

Olá! Meu nome era Fernando, o pessoal me chamava de Nando, eu sou branco o cabelo claro e pouco comprido chegava pouco abaixo das orelhas, falso magro, na época eu tinha 16 anos e não me dava bem com minha tia, motivo o qual sai de casa, meus pais morreram quando eu ainda era um bebê. Não sabia pra onde ir mas sabia que eu precisava arrumar um emprego logo pra pagar aluguel, me sustentar e continuar estudando.

Aquele dia ao andar pelo centro da cidade vi em uma loja pequena de roupas um cartaz onde nele havia um anuncio de emprego, eu entrei na loja e perguntei sobre a vaga, a moça que me atendeu pediu pra eu conversar com uma mulher mais velha que estava no caixa,, disse que aquela que era a dona da loja, o nome dela era Marta. Fui conversar com a mulher onde me disse que precisava de uma pessoa pra organizar o estoque e cuidar do recebimento das mercadorias e precisava que a pessoa começasse no dia seguinte, eu nunca tinha feito qualquer tipo de trabalho e aquele era informal, não teria muitos direitos mas o que eu ganharia daria pra passar o mês, dona Marta disse ter gostado de mim e que gostaria que eu trabalhasse lá, eu também aceitei o emprego e combinamos que eu começaria no dia seguinte, eu expliquei minha situação pra ela e no fim de nossa conversa ela disse ter um cômodo com banheiro no andar de cima da loja onde eu poderia ficar por até arrumar um lugar pra morar. Eu realmente estava com sorte, no primeiro dia fora de casa já consegui me arranjar.

Aquela noite fui à escola, eu estava no 2º ano do colegial e estudava de noite, voltei pra loja, que já estava fechada, eu tinha a chave do fundo, tomei um banho, me acomodei e dormi. No dia seguinte acordei cedo e quando a dona Marta chegou pra abrir a loja eu já estava a sua espera, aproveitou aquele tempo antes das vendedoras chegarem pra me mostrar o estoque e me explicar como deveria fazer e o que deveria fazer, o trabalho não parecia ser difícil e como eu era um garoto organizado não vi problemas em cuidar daquilo, dona Marta me disse também que estava pensando em ampliar os negócios, ela tinha uma oficina de costura e desenhava roupas, queria lançar sua própria grife e iria começar a vender em breve naquela loja, a loja tinha tanto roupas masculinas como femininas, o estilo era de roupas para o público jovem. Dois meses se passaram e eu ainda morava no cômodo na loja e eu ainda não tinha juntado os meses de aluguel que deveria adiantar no momento de alugar um lugar pra ficar, dona Marta não tinha pedido pra eu sair de lá ainda mas eu sabia que aquilo era provisório, com o tempo eu já tinha uma boa relação com as meninas da Loja, Bianca, Sarah e Jéssica.

Um certo dia pela manhã a dona Marta chegou mais cedo disse que iria chegar sua primeira entrega das suas roupas e que aquele dia seria de muito trabalho. Realmente foi um dia muito cansativo mas no final do expediente consegui organizar tudo, chegou muitas roupas e o estoque estava lotado, Dona Marta disse que uma daqui a um tempo boa parte daquelas roupas iriam para lojas de cidades vizinhas mas que pra isso precisava montar um catalogo pra apresentar suas roupas além de publicar esse catalogo em seu site, Dona Marta me fez uma proposta, me pediu para eu ser seu modelo das roupas masculinas que como eram roupas jovens me serviria bem e com isso eu ganharia um acréscimo no salário baseado no número de fotos que eu fizesse naquele mês, eu topei pois precisava de dinheiro.

Combinamos de fazer as fotos aos Domingos, a loja não abria nesse dia e por isso seria o dia ideal pra isso, Bianca uma das vendedoras tinha o Hobby de tirar fotografia e por isso faria as fotos, passamos o dia tirando as fotos para o catalogo inclusive Dona Marta quis atualizar as fotos das demais roupas que vendia ali, demoramos 3 Domingos para finalizar o catalogo masculino.

No começo do mês fiquei feliz com a bonificação, pena que não tinha mais roupas para introduzir no catálogo, pensei que no mês seguinte eu já poderia alugar um lugar pra ficar pois eu já tinha conseguido juntar uma boa parte do que precisava.

Dona Marta estava com dificuldades para achar uma modelo para as roupas femininas, nos disse que tinha investido muito dinheiro em seu negócio e que uma modelo feminina estava saindo muito caro e que não sabia o que fazer já que as roupas femininas além de ter mais variedade vende muito mais, as roupas masculinas já tinham sido enviadas para outras lojas e as vendas das roupas femininas para os lojistas e na internet não estavam rendendo o esperado já que não tinha a modelo e as fotos. Das vendedoras a única que ficaria bem era a fotografa, mas não tinha como ela fazer os 2 trabalhos ao mesmo tempo. Todos ficaram um pouco chateados, dona Marta era uma boa chefe, não atrasava nossos salários, conversava com todos e todos gostavam dela.

Uns dois dias depois, dona Marta chega mais cedo na loja sorridente e me diz que tem um plano e que eu poderia ajudar, eu falei que tudo bem que ela contasse comigo e então ela começou a explicar, disse que eu também poderia servir de modelo para as roupas femininas que por eu ter um corpo legal o desenho das roupas ajudariam a mostrar um contorno feminino. Eu não sabia o que pensar mas disse pra ela que aquilo não seria possível, que eu era homem, não poderia me vestir com roupas de mulher que aquela ideia estava fora de cogitação. Dona Marta então baixou a cabeça e pensou um pouco, disse que se eu aceitasse ser sua modelo e se tudo desse certo eu poderia continuar morando na loja e não teria que pagar aluguel e além disso o dinheiro que eu tinha juntado sobraria pra eu gastar como quisesse que me vestir com aquelas roupas pra tirar as fotos não me faria menos homem e que o rosto não apareceria nas fotos. Realmente era uma oferta muito boa economizar o aluguel do mês já que sempre teria roupas novas pra fotografar e realmente vestir as roupas não me tornaria menos homem, então eu aceitei mas com a condição de que quem saberia disso seria apenas as meninas da loja já que elas deveriam ajudar, dona Marta aceitou, me abraçou e agradeceu, disse que ia explicar a situação pras meninas e no próximo Domingo já começaríamos as fotos, iriamos fazer um teste.

Os dias passaram e Domingo de tarde elas estavam na loja, montamos o espaço para tirar as fotos e as meninas junto com dona Marta escolheram as roupas.

A roupa foi uma camisa branca com mangas compridas e com botões na frente e uma calça jeans, coloquei primeiro a calça e estava enfrentando dificuldades pois a calça subiu justa em minhas pernas e foi muito difícil fechar o zíper, uma boa parte da minha cueca ficou pra fora e na calça ficou o volume na frente do meu pinto, as meninas me ajudaram a colocar um sutiã preto com bojo e não sei o porquê mas ao sentir a pressão das alças no meu ombro e as tiras que se fechavam atrás me senti diferente, aquilo incomodava mas era bom sentir aquilo, aquela peça me “segurando”, depois disso coloquei a camisa branca, ela prendia bem nos braços e era mais solta no corpo, na parte do busto ficou boa com o sutiã com os enchimentos que eram meias dobradas que colocamos, nesse look eu deveria colocar a camisa por dentro da calça na parte de frente, onde não ficou legal e eu estava com vergonha, as vendedoras começaram a dar risada da situação, além disso eu calcei um sapato que me deram, eu calçava 37 mas era difícil ficar relaxado em cima daquele salto e percebi que quando eu ficava reto minha bunda dava uma empinada, dona Marta vendo aquilo ficou pensativa, perguntou pra Bianca se seria possível consertar a foto no Fotoshop, Bianca disse que não ficaria bom, dona Marta me pegou pela mão e me levou na parte da frente onde havia a loja e me pôs em um provador, fechou a porta e disse que já viria e enquanto isso era pra eu tirar a calça, quando chegou abriu uma parte da porta e me alcançou uma calcinha, era uma calcinha de Lycra preta e na parte de trás era bem cavada, tinha também um lacinho na frente com uma bolinha no meio, ela me disse pra colocar essa calcinha que por ser menor não ficaria pra fora da calça e ajudaria a conter o volume, eu perguntei como ajudaria com o volume, ela disse pra seguir as instruções que tinha no meu celular, me deu um sorriso e fechou a porta do provador ficando do lado de fora, peguei meu celular e lá tinha um link que dona Marta me mandou por mensagem de um vídeo onde mostrava uma pessoa fazendo o Tucking, eu fiquei confuso e até me perguntei o porquê eu faria aquilo e logo lembrei da minha bonificação, respirei fundo, tirei minha cueca e comecei a vestir a calcinha, um pé depois o outro, puxei ela até os joelhos puxei meu pênis pra trás ajeitando os testículos dentro do corpo, fechei um pouco as pernas para segurar tudo no lugar comecei a subir com a calcinha pelas minhas coxas, que sensação estranha, conforme eu subia com a calcinha ela ia se apertando ao meu corpo e ia juntando mais as minhas pernas, quando vesti ela por completo vi que ela se moldou perfeitamente à minha cintura e por ser cavada na parte de trás entrou na minha bunda pressionando meu cuzinho e segurando meu pênis no lugar correto, eu gostei daquela sensação, daquela pressão, eu senti meu pinto endurecendo um pouco mas por estar bem preso ele não saiu do lugar, estranhei aquele prazer, desabotoei a camisa que eu ainda vestia e me olhei no espelho com a camisa aberta e de lingerie e ignorando meu rosto, percebi que a calcinha era do conjunto do sutiã, parecia que eu estava vendo uma mulher no espelho, fiquei alguns segundos parado me olhando e tentando entender aquela sensação que era indescritível, fiquei de costas para o espelho e me curvei pra frente pra colocar a calça e naquela posição virei meu rosto pra trás e ao olhar no espelho vi a polpa da minha bunda aparecendo com a calcinha, eu estava anestesiada com aquela imagem, virei novamente a cabeça e continuei a colocar a calça subindo com ela pelas minhas pernas, quando chegou na bunda senti ela deslizar pelo tecido da calcinha, isso me deu um arrepio, puxei ela pra cima onde a costura encostou no meu pinto ajudando a prender mais ainda, fechei o zíper e fechei o botão. Nossa, nem parecia que eu tinha pinto, aquela roupa me prendendo me deixou com muito tezão, deixei a parte da frente da camisa dentro da calça, quando eu calcei os sapatos e fiquei ereto dei aquela empinada novamente e senti a calcinha entrando um pouco mais na minha bunda, me olhei no espelho, me admirei, me comi com os olhos, eu estava gostando daquilo ao abri a porta do provador dona Marta me olhou sorriu e disse que eu estava linda e que tinha ficado perfeito, fomos para o estoque e no caminho dona Marta me deu umas dicas de como andar com o sapato com isso melhorei bastante o meu andar mas ainda era difícil pois eu tinha que me manter sempre ereta e empinada mas o bom é que a cada passo que eu dava eu sentia a calça roçando pela calcinha e a calcinha pressionando a minha bunda, chegando lá as meninas me olharam com cara de surpresa, me elogiaram e perguntaram pra dona Marta o que tinha feito e dona Marta disse que era segredo e piscou pra mim. Tiramos algumas fotos, troquei de roupa mais algumas vezes e sempre no provador, eu colocava a roupa e me admirava, as meninas até me falaram que eu já estava incorporando uma mulher pois demorava pra trocar de roupa rsrsrs. O bom é que todas as roupas que elas escolheram eram calças e blusas comprida mas todas as combinações eram de ótimo gosto.

Enfim anoiteceu e eu confesso que nem vi o tempo passar, dona Marta disse que já estava bom e que a Bianca trabalharia as fotos pra ver se tinham ficado boas e que semana que vem teríamos mais trabalho, fui para o provador colocar minha roupa de homem e até me senti um pouco triste rs, vi que não tinha tanta graça vestir aquela roupa tão normal de homem e que as mulheres se divertiam muito, dona Marta ali fora do provador pegou as roupas que eu a alcancei, de repente eu tive uma surpresa ela me devolveu a lingerie e disse que eu deveria lavar e ficar pra mim que aquilo era um presente e que eu deveria usar nas próximas sessões de fotos, eu fiquei vermelha e deixei separado em um canto para levar para meu quarto quando não tivesse mais ninguém ali.

Nós pedimos pizza, e logo depois Dona Marta e as meninas foram embora, eu subi para o meu quarto e lavei a calcinha para usar na próxima semana, deu um pouco de trabalho lavar o forro pois estava toda melada rs. Deixei secando no banheiro, deitei na minha cama e lá fiquei lembrando daquela tarde e tive muitos sentimentos de dúvidas excitação, emoção, demorei pra pegar no sono mas finalmente dormi.

Continua...

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
13/05/2018 05:18:48
Muita sorte p/ um dia só, mas amei.
12/05/2018 00:41:47
Uaaaau... interessante
09/05/2018 22:31:39
gostei. continua

Listas em que este conto está presente

Feminização-Sissy
Melhores contos de feminização