Enterrar o Passado - Claudio- Capitulo XXVI

Um conto erótico de de Porto alegre
Categoria: Homossexual
Data: 07/05/2018 22:31:15
Nota 10.00

Capitulo XXVI

NICOLAS

Quando entrei na empresa no outro dia vi que a notícia tinha se espalhado o Nicolas estava do meu lado e até o pessoal da recepção me tratava diferente.

- Tá tudo bem Claudio?? – o Nicolas me olhava preocupado, para mim tava tudo tranquilo eu não conseguia entender por que isso tudo. De ontem pra hoje eu era a mesma pessoa, pra mim não tinha mudado em nada o fato de eu e o Nicolas estarmos juntos, minha personalidade continuava a mesma, eu achava tudo muito engraçado.

Quando entramos no elevador que dava acesso aos andares todos estavam nos olhando, abanei pra todos e comecei a rir...enquanto a porta fechava ... gente louca.

Desci no meu andar, e ele foi pra sala dele, até ai eu não via diferença nenhuma. A coisa pegou assim que eu abri a porta.

Era um tal de seu Claudio pra cá e seu Claudio pra lá, fiquei escorado na porta e cruzei os braços, até o Ramirez e o Júlio não me olhavam. Nosso chefe estava com a porta aberta e ficou olhando tudo que tava acontecendo. Fiz sinal pra ele perguntando se podíamos conversar ele me chamou pra sala dele.

Sentei na frente dele que ficou me olhando.

- Seu Reinaldo sei que o senhor já sabe o que aconteceu eu só queria explicar por mim mesmo, acho que eu devo uma explicação.

- Claudio antes de mais nada o que aconteceu foi fora da empresa então não me diz respeito. Claro como envolveu um dos diretores isso virou fogo de palha e se espalhou pela empresa. Tem muita informação desencontrada e agora com o relacionamento teu e do Nicolas sendo de conhecimento de todos, as coisas podem complicar um pouco.

- Como assim? O senhor vai me despedir? Mas eu não fiz....

- Calma Claudio eu não quis dizer isso, até por que eu não tenho motivo pra isso, a questão pelo que tenho notado desde que entrei nessa empresa hoje é que...bem...ninguém tinha percebido ou tinha notado que tu...bem e o Nicolas...tu sabe..- ele tava vermelho. –

- Mas chefe isso muda alguma coisa? Acha que isso pode atrapalhar o meu serviço, eu sempre fiz o melhor que pude e...

- Claudio não precisa ficar na defensiva, para mim está tudo bem, tu é um dos meus melhores funcionário, teus colegas e as pessoas da empresa é que podem e vão te tratar diferente...

- Mas por que? O que mudou??

- Claudio conversa como Nicolas ele vai conseguir te explicar melhor que eu ...

- Seu Reinaldo eu continuo o mesmo.

- Eu sei guri, a questão é que para todos tu não é mais o mesmo, agora tu é... quer dizer eu nem sei como se fala ...marido, parceiro...companheiro. – ele foi tentando me encaixar no relacionamento com o Nicolas eu achei engraçado e comecei a rir. –

- Da para me ajudar aqui eu não sei qual é o modo politicamente correto de falar essas coisas Claudio...

- Chefe deixa por parceiro ... somo parceiros – até ele começou a rir da situação.

- Melhor ... Então tu é o parceiro do dono da empresa, e se isso já não fosse o suficiente, tu ainda por cima não sei de que forma causou a demissão do Diretor de Marketing...o que vamos dizer era um dos cargos mais importantes da empresa...enfim....todo mundo tá com um pé atrás com tudo que aconteceu, se tu mandou demitir ele, imagina o que pode fazer com os outros e...

- Espera seu Reinaldo eu não demiti ninguém eu não fiz nada ...quer...dizer...o senhor deixa eu explicar o que aconteceu...- ele fez sinal que sim. –

Comecei a contar o que tinha realmente acontecido desde as tentativas dele dentro da empresa até a briga no banheiro, seu Reinaldo tava nervoso e ficou extremamente envergonhado quando contei os detalhes...

- Mas Claudio como ninguém denunciou ele antes? Isso é assedio...

- Chefe não tenho ideia, os meninos já comentavam isso, mas todo mundo tinha medo de ser demitido...assim como alguns com certeza foram.

Nossa conversa demorou mas no final tudo ficou esclarecido, foi mais fácil do que eu imaginava, quando sai o silencio era geral.

Quando voltei pra minha mesa achei que tava na hora dessa merda toda acabar...

- Então vocês têm algo a perguntar ou falar .... ou sei lá ... cantar talvez ...

Todo mundo ficou me olhando. Éramos quase 10 pessoas no meu departamento.

- Gente olha só, eu continuo igual, se é tão importante assim com quem eu vou pra cama eu só posso dizer que lamento, minha vida vai continuar igual.

- E não...eu não vou mandar ninguém pra rua ....não eu não vou mudar por que estou com o Nicolas e sim dei uma surra no Edgar ...quer dizer ele mereceu ....

Eles começaram a gaguejar...

- Dá pra falar mais alto?? – tava tudo muito confuso. -

- A quanto tempo tu é...bem assim... – o Ramirez olhava pro chão e o Júlio tava vermelho. -

- Gay??

- É .... isso ...

-Desde que me conheço por gente... – todo mundo ficou prestando atenção, parecia uma conversa de loucos. -

- Mas tu joga futebol e bem ... a gente toma banho e ... – eu tava entendendo. -

- Cara só posso te dizer uma coisa, tu não faz meu tipo e não nunca pensei em ir pra cama contigo e não ... isso não passa pela minha cabeça ... aliás com ninguém dessa sala...- olhei pros outros homens da sala, as meninas começaram a rir...o que será que imagionavam que eu queria atacar eles todos...tenha dóJá digo pra todos, gente vocês são muito feinhos pro meu gosto eu cirto homens bonitos – ele ficaram me olhando. –

- ...e cara...vou dar a real... tudo piruzinho.. – fiz sinal com os dedos de que eles tinham pau pequeno ...

Pronto foi o suficiente pras meninas começarem a rir e os meninos começarem a falar alto.....gente eu não entendo essa relação do homem com o tamanho do pau...mas cara pelo menos eles tinham outra coisa agora pra falar. –

O griteiro foi tanto que o seu Reinaldo foi obrigado a mandar o pessoal começar a trabalhar...

O Ramires que estava perto de mim falou baixinho...

- A minha namorada nunca reclamou ...- ele falou e começou a rir. -

- Bom ... é que ela não deve ter experimentado coisa melhor...- as meninas caíram na risada de novo e eu levei um soco no braço .... acho que por agora eles iam parar de ficar me olhando de lado.

...

Nossa vida estava voltando ao normal, minha relação com o Nicolas sendo conhecida por todos de uma certa forma me ajudou a entender que no começo o povo estranha mas depois todos levam de boa, e se alguém não levasse de boa...bem acho que a maioria entendeu que eu sabia me defender...consegui que os meninos que foram demitidos tivessem uma nova entrada na firma e a certeza de que tudo estava tranquilo agora.

O Nicolas andava estranho, não comigo, ele era sempre atencioso e querido mas algo andava incomodando, eu achei melhor esperar ele vir conversar, mas quando vi que isso tava demorando muito resolvi que era hora de ter uma conversa séria com ele, se o problema era eu, tava tranquilo eu podia voltar a morar com as meninas e seguir minha vida, o que eu não queria era atrapalhar ele.

Esperei um dia que estávamos na cama, relaxados.

- Nicolas sabe que eu sou direto e não tenho por habito enrolar muito não sabe?

- Claro isso foi uma das primeiras coisas que notei em ti... – ele se virou e me abraçou. -

-Então me diz o que tá pegando? Eu sei que tu não tá bem...isso é por minha causa? Se for é só falar, eu sei me virar e posso arranjar outro emprego ou outro lugar e...

- Ei Claudio ...- ele me beijou ..

- Querido tu é a única coisa que está certa na minha vida eu ..nem sei o que te dizer...foi tanto tempo sozinho e com as pessoas erradas que ...bem tu sabe de tudo...eu tô bem agora ... – ele ficou me olhando. -

- Mas não tá feliz...

- Claudio eu tô mais feliz agora do que não sou a muito tempo é que as vezes ...sei lá ... eu não sei te explicar ...

- Ainda é o mesmo problema? Ou temos coisas novas?? - ele começou a rir, ele sabia que eu tava falando do passado dele, do cara que ele tinha sido ...ou era ...apaixonado quando novo. –

- Claudio, espero que tenham colocado tua forma fora quando te criaram ... dois de ti seria demais pro mundo ...dá pra tu ser menos direto ... – ele fez um carinho no meu rosto. -

- Por que? Se tem algo acontecendo eu quero saber ...e como eu vou saber se eu não perguntar ...

- Claudio tu não tem filtro nenhum ...só sai perguntando e era isso ...as pessoas se assustam contigo. – ele abriu um sorriso. –

- Nic sabe que não gosto de perder tempo ...se tem problema a gente resolve...não é assim que deve ser?

- É Claudio é assim sim ...mas tem jeitos e jeitos...tu parece um trator ... – ele começou a rir. -

- Tá gora para de me enrolar e fala ... - ele começou a rir...desconversou e não me disse nada ...mas eu vi que tinha uma sombra ali ...ele escondia bem ...dos outros ... não de mim ...

Os dias foram passando e as coisas foram entrando nos eixos eu já era fofoca de ontem, as empresas grandes sempre tinham novidades. Eu e o Danilo já estávamos a quase dois anos juntos quando as coisas começaram a mudar. Um dia cheguei em casa e ouvi vozes alteradas alguém estava brigando:

- Tu não pode ter me esquecido, eu sei disso...

- Me solta Rubens, o que adianta tudo isso ..

Eu conhecia essa voz e sabia que o Nicolas não estava bem...

Quando entrei o filho da dona Eloisa a empregada do Nicolas, estava segurando o braço do Nicolas que tentava se soltar, o cara era grande tinha braços forte e o Nicolas não conseguia se soltar.

- Solta ele ... - eu tava vendo vermelho já e isso não é legalVem me fazer soltar... tu é o culpado ... – ele me olhou com raiva.

- Me solta Rubens tá fazendo papel de palhaço, já disse que tudo passou tu é casado o que tu quer agora?

- Solta ele, vou dizer pela última vez.

- Não machuca ele .... – O Nicolas falou. -

- Só vou dar uma lição nesse guri de merda ...

- Eu não falei pra ti. – não tempo dele responder, segurei ele pelo braço girei segurei ele pelo pescoço, ele tentou segurar minha mão, era isso que eu queria o Nicolas ficou solto.

O Cara caiu eu fiquei em cima dele, travei o braço dele imobilizando ele no chão. O cara ficou desesperado mas qualquer movimento que ele fizesse só causaria mais dor, ou claro se ele pedisse com muito jeitinho eu ...podia quebrar o braço dele. Ninguém machuca o Nicolas na minha frente. Minha cabeça começou a pensar nas possibilidades...

- Por favor Claudio, solta ele...ele vai embora...deixa pra lá.

O cara não conseguia falar de tanta dor, caí pro lado e trouxe ele junto com isso o pulso dele ficou pra trás agora o braço e a mão estavam imobilizados...

- Se tu te mexer vai quebrar o braço....bem não que eu me importe, mas acho que não é o que o Nicolas quer.

- Cara vai quebrar meu braço ...me solta ... – ta isso eu sabia. -

- Então o que tá acontecendo aqui?? – olhei pro Nicolas, eu precisava de respostas. -

- Claudio solta ele...por favor ...ele vai embora ...- o Nicolas tava nervoso não gosto dissoBem avisa pro teu amigo que se ele te segurar de novo, quebro as pernas dele também, não só o braço.

O Cara gritava, acho que eu tava exagerando um pouco mas era bom pra ele entender que não era legal segurar o Nicolas ...

Soltei ele e fui pro lado do Nicolas.

- Tu tá bem?? – o Nicolas ficou me olhando enquanto eu olhava o braço dele. –

- Tô sim não te preocupa ele vai embora agora.

O cara se levantou, ficou segurando o braço.

- Pode sentar .... ai quero saber o que tá acontecendo.

- Claudio?

- Preciso saber Nic, eu cheguei aqui e esse cara tava te machucando.

- Eu nunca ia machucar ele... – claro que não ia, eu quebrava os dentes dele antes. -

- Espero que não ... pra tua saúde eu espero que não ... – ele ficou me olhando com uma cara de assustado. -

- Senta cara, quero respostas ...Nic...por favor me conta ...

O cara sentou no grande sofá e ficou nos olhando ...

- Claudio acho que não precisa, tá tudo bem agora ...

- Nic acho que chegou a hora de eu saber o que tá pegando? Somos adultos tá na hora das coisas serem esclarecidas. -

- Acho que tu é o mais adulto de todos nós Claudio, vem senta aqui comigo, acho que tá na hora sim...- sentei do lado dele. -

- Bem, tem coisas que tu já sabe, eu e o Rubens sempre fomos amigos a mãe dele já cuidava de mim quando nós éramos novos. E também te falei do cara que eu me apaixonei quando tinha 27 e o que resultou disso tudo. Bem o Rubens é essa pessoa.

Eu já imaginava alguma coisa, o que eu não entendi é o que ele queria com o Nicolas agora.

- Tá isso eu entendi, o que não tô entendendo é o que ele quer agora contigo, quer dizer o que ele quer eu até sei. Mas o que mudou, ele se separou quer ficar contigo....o que aconteceu??

- Nada Claudio nada mudou e é isso que eu tava dizendo pra ele, nada mudou entre nós, ele tá casado com filho e eu tenho tu agora comigo. – o Nicolas não estava bem com tudo isso eu já tinha aprendido a conhecer ele. -

- Tá certo...- fiquei olhando pro Rubens que tava de cabeça baixa segurando o braço...será que eu forcei demais...-

- E qual foi a parte que tu não entendeu disso tudo então?

- Não sei ...eu tinha esperança que...sei lá ...ai quando eu vi como ele ficou quando te conheceu ...eu...eu vi que tava perdendo ele ...

- Como assim?? – eu e o Nicolas perguntamos juntosPerdendo o que? Rubens tu me largou, tu me trocou por família e filhos...sabia que eu era apaixonado por ti ....o que tu tá perdendo que tu já não tinha perdido a anos atrás. – o Nicolas tava falando alto, isso não era normal pra ele. -

Achei melhor ficar de fora ouvindo a situação.

- Eu não sei ...eu ...eu sei lá achei que tu ainda era meu ... que tu ainda gostava de mim e que .... sei lá quando eu vi que tu tava com o Claudio e tava bem ... tava feliz ...eu vi que tu ia me esquecer e ....

Cara que homem confuso ...

- Cara tu precisa fazer terapia ... – fui obrigado a dizer, ele ficou me olhando, o Nicolas levantou e começou a andar de um lado pra outro....isso não era bom..-

- E agora quando tu vê que eu tô bem, que eu tô feliz e que finalmente eu vou ter uma vida longe de ti, tu resolve voltar e me atormentar ...é isso??

- Não Nicolas, não é isso, eu sempre gost...sempre quis ... – ele ficou calado nos olhando. -

- Cara se tu não consegue nem dizer que tu gostava dele e que sempre quis ficar com ele, depois de tanto tempo...olha além de te tratar ... vai te internar...- eu já tava perdendo a paciência .-

- Eu sei, mas eu não era ...quer dizer eu não sou gay ... mas é que o Nicolas ...cara com ele sempre foi diferente ...ele sempre esteve do meu lado mesmo quando eu fiz merda ...ele nunca me abandonou ...

- E fez ...fez muita merda ...brincou comigo ...quando era pra ficar do meu lado tu simplesmente me virou as costas e seguiu teu caminho ... mas agora eu entendo, cada vez que eu dava um passo pra me livrar de ti tu voltava e me amarrava e eu burro sempre caia na tua conversa...mas agora chega ...pode sair daqui ...vai embora sai daqui e da minha vida. – o Nicolas gritava com ele...eu resolvi ficar quietinho ..-

- Nicolas me ouve ...não é assim ... tu me conhece ...eu ...por favor . – o cara levantou e eu junto se ele chegasse perto do Nicolas ...ele apanhava... ele ficou me olhando ...

- Deixa eu falar por favor.....- só que faltava ele começar a chorar sentei de novo ...isso ia longe ...

Eu realmente não tenho paciência pra esse tipo de coisa, ficar discutindo a relação não era comigo....alias uma relação que pelo que eu vi não existia . –

....

GUS

A conversa com o Bricio não tinha me feito bem, muita coisa rondava a minha cabeça, ele tinha feito as escolhas dele e eu as minhas, cada um tinha que carregar o peso dessas escolhas.

Voltar a me ligar agora depois de tanto tempo, querer conversar de novo, onde isso nos levaria? Pra que mexer nisso tudo de novo.

Claro que isso ainda mexia comigo, mesmo depois de tanto tempo eu ainda pensava nele e acho que seria assim pro resto da vida, já tinha me acostumado com a ideia de que ele estava com alguém estava bem e que o filho dele depois de passar por tanta coisa estava saudável de novo.

Eu sei que ele passou por muita coisa nesses nãos ...mas eu também tinha passado ...se afastar de mim foi uma escolha dele, eu conseguia ver que ele tinha razão ... mas eu também tinha.

Minha vida estava organizada agora, como eu gostava. Com o Gus encontrando a felicidade ao lado do Vini eu estava livre para continuar a procura da minha felicidade, depois de tantos anos eu estava finalmente livre para ir em busca de algo que realmente era pra mim. Sempre estive envolvido com a felicidade dos outros, nunca reclamei disso, isso é quem eu sou.

Eu traço metas e vou atrás delas, sei que eu errei quando conversei com o Bricio a última vez, mas ele queria coisas que eu não podia e não queria fazer naquela época. Nosso tempo não era aquele ele nunca me perdoou por isso. Mas eu sabia que eu estava certo como sei até hoje. Ele agora é um outro homem, mudou evoluiu perto do que nós éramos naquela época hoje somo muito diferentes. Ele não soube ou não quis esperar.

Crescemos e finalmente conseguimos alcançar nossos objetivos mesmo que separados.

Eu tinha muita coisa pra pensar e na realidade eu não queria fazer isso agora. Sabia como tudo ia funcionar, minha mente ia ficar trabalhando nisso lá no fundo enquanto eu seguia minha vida, daqui a pouco tudo estaria resolvido as crianças e jovens estariam encaminhados, os pais do Gus e do Vini estariam sem nada, o Gus estaria feliz com o Vini e o Tavinho. Meus planos e minhas ideias estavam indo pelo caminho correto, eu deixaria as empresas todas organizadas e voltaria para a capital, voltaria para a minha vida.

Por enquanto tenho outras coisas para fazer.

Quando desci do carro, vi que a casa estava em ordem, foi a primeira coisa que pedi para o Murilo fazer, reformar todo o orfanato.

Entrei como sempre fazia, eu tinha me acostumado a ir lá o Gus tinha pedido pra eu ver como andavam as crianças já que ele estava tão perdido no meio dos jovens, quando fui a primeira vez notei que isso me acalmava, agora sempre que eu precisava pensar eu dava um pulo lá.

Parecia incoerente, ficava olhando as crianças correndo pra lá e pra cá uma gritaria, eu sentava num canto e deixava que tudo aquilo ficasse na minha volta, minha mente se acalmava com tudo isso. Eu até conseguia pensar melhor.

- Então Claudio tudo bem??

O Rodrigo ficou me olhando, não fosse tudo estar desmoronando na minha volta, tudo poderia ser diferente, muitos vão pensar que eu não presto...bem não presto mesmo.

- Sim vim te ver. – abracei ele, nós já tínhamos passado dessa fase, mas ele sempre soube que eu era apenas uma diversão. –

- Sei ...tu não sabe mentir ...mas tudo bem, vai dar uma volta eu tenho algumas coisas pra fazer depois falamos. Eu sei quem tu tá procurando, ele tá lá no pátio no mesmo banco, -

Fiquei olhando ele sair, cara por que a minha vida era tão complicada, eu conhecia tantos homens interessantes, e alguns agora mesmo estavam circulando na minha volta por que eu não podia simplesmente escolher um deles e levar uma vida tranquila. Ao mesmo tempo que eu me perguntava isso minha mente me respondia, por que não era pra ser.

Merda fui em direção ao pátio a procura dele, encontrei ele onde sempre estava, sentado no banco com um livro na mão.

O Tiago era um menino incrível, era inteligente, sociável, muito educado, era loiro e uma cara muito fofa. Infelizmente tudo era muito mais complexo que isso.

A primeira vez que eu vi ele algo me chamou atenção, era algo meio indefinido levei um tempo para entender que ele era solitário assim como eu, isso me chamou atenção.

Ele sempre estava sozinho meio afastado dos outros, um dia quando conversamos vi que o menino era encantador e com uma capacidade intelectual muito além da idade dele. Mas tinha algo de estranho era algo que eu percebia no olhar, algo meio que perceptível se tu olhasse bem pra ele.

Ele era muito triste tinha um peso nos ombros do menino. Logo depois que fui embora fiquei com aquela impressão de que eu precisava saber mais, e isso ficou martelando na minha mente.

No outro dia eu li o relatório sobre a chegada dele ao orfanato, ai eu entendi o porquê daquela tristeza toda. Estava perdido olhando pra ele, quando o Tiago levantou o rosto.

- Tio Claudio que bom que o senhor veio, eu estava esperando. – ver ele sorrindo era algo que eu sentia falta, demorou tanto pra eu conseguir aquele sorriso, antei na direção dele e sentei. Ele ficou me olhando.

A vontade que eu tinha era de abraçar ele como eu fazia com o Tavinho, mas eu sabia que muitas barreiras ainda tinham que ser vencidas pra esse dia chegarNayara - Oi Guria não abandonei não...to tentando colocar as coisas em ordem...o Claudio viajou e ai complicou um pouco tudo...e tem mais 4 livros que estao rodando...mas bem vou ir tentando normalizar...bjsss

Guigo - obrigado menino...grande abraço

Geomateus - acabou o suspense...grande abraço

Valter querido será que tudo isso realmente acontece como tu imagina...bem vamos ver ....rsrsr abraços

Healer - Muito obrigado querido...abraços pra ti tambem

pandinha - fico feliz de nossas estorias servirem de inspiracao pra ti, acho que sim as vezes algo que se le pode ter sido colocado ali pra que a gente pense nas nossas questoes pessoais ...fico agradecido pelo carinho....abração

Suara querida - um esse encontro é prometido ...bem vamos ver ...

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
15/05/2018 20:53:07
Excelente.
08/05/2018 16:34:58
Gostei muito desse cap. focou muito o Claudio, e na empresa a melhor parte.......
08/05/2018 02:44:59
Gostei bastante deste capítulo, me pareceu mais "focado" em Claudio do que nos problemas de Gus e as empresas. Acho que esse pensamento dos heteros de que o gay vai dar em cima deles, pode ter alguma relação espelho deles darem ou pensarem em dar em cima de todas as mulheres e achar que o gay vai fazer o mesmo com eles, nada a ver. Acho que pensar assim, ou a pessoa trai ou é safada de mais. Não acho que seja só machismo. Um cheiro para você autor querido.
08/05/2018 00:30:17
Ahhh, cada vez mais encantado com o Cláudio. 😍😍😍😍😍😍
07/05/2018 23:22:02
As dores e os medos andam lado a lado com a solidão.
07/05/2018 22:59:07
MAIS UMA VEZ FICO TRISTE PELO FABRÍCIO. TRISTE MESMO. CREIO QUE CLAUDIO E FABRÍCIO SE POSSO DIZER ISSO, FORAM FEITOS UM PARA O OUTRO. NÃO É JUSTO QUE DEPOIS DE TEREM PASSADO POR TANTAS, NÃO ACABEM JUNTOS. PERDÃO MAS É O QUE PENSO. BOM QUE O LANCE COM RUBENS DEVE TER SIDO RESOLVIDO.