Meu pai é corno

Um conto erótico de Wisley Miranda
Categoria: Heterossexual
Data: 07/05/2018 02:38:00
Nota 9.62

Já tem algum tempo que esse fato acontece na minha vida, envolve eu, minha mãe e o meu pai, o meu pai fica de fora na verdade mas, ele faz parte da trama, e tenho o maior prazer de fazê-lo de corno, sim, isso mesmo, meu pai é corno!

Me chamo Márcio, tenho 22 anos, sou moreno claro, tenho 1,70 de altura, 65Kg, olhos castanhos, cabelos cacheados que herdei da mamãe e moro sozinho, esse fato de morar sozinho é importante realçar, pois ele será relevante para vocês entenderem tudo. Depois que comecei a trabalhar, resolvi ter minha própria vida, meus próprios horários, meus próprios hábitos, pois morar com os pais é muito legal, mas nem sempre podemos fazer o que bem entendemos, e eu nunca fui um filho de chegar cedo em casa depois das festas, e obedecer os meus pais, por isso resolvi tomar tal decisão.

Meus pais moram juntos, minha mãe Edna tem 44 anos, mas tem corpinho de 30, não serei hipócrita e dizer que ela tem corpo de uma mocinha de 18 anos, porque ela não tem, mas aposto que a forma pela qual ela está hoje, é de deixar qualquer homem babando, de queixo caído, inclusive eu. Ela é loira, tem o cabelo curtinho, olhos castanhos, 1,60, 1,65 de altura mais ou menos, deve pesar seus 70Kg todos bem distribuídos e não poderia deixar de ressaltar a bunda dela, nossa, só de imaginar já fico com tesão, é uma bunda linda, toda empinada, durinha, isso tudo por conta da academia que ela fazia, não faz mais, por conta do tempo que não tem, mas a academia fez um bem tremendo para ela.

Meu pai é o Edgar, não irei entrar em detalhes sobre ele, não é o foco, mas só para vocês ficarem informados, ele é Advogado, e quase sempre não fica em casa, passa boa parte do tempo viajando para Brasília e fica 4 dias, até 1 semana fora de casa, é nessa brecha que a história começa.

Essa história já se repete desde quando eu tinha 18 anos, hoje com 22, então são 4 anos que estou fodendo a minha mãe, sim, isso mesmo que você leu, como a minha mãe desde os 18 anos, que foi quando meu pai foi promovido no trabalho e passou a viajar muito, deixando minha mãe sozinha e carente, desde então ela passa esses dias comigo em casa, as vezes na casa deles mesmo. Irei relatar a primeira vez que isso aconteceu, desculpe se a história ficar um pouco confusa mas, já faz bastante tempo e não sei se lembro com total clareza.

Há 4 anos atrás meu pai foi promovido no escritório dele, e passou a viajar bastante, viajava e viaja ainda de tal maneira que ele fica 1 semana fora de casa e deixa a mamãe sozinha, então eu costumo dormir com ela para fazer companhia. Em um dia desse que ele estava fora de casa, ela me ligou para dormir com ela, para que ela não ficasse sozinha, eu como filho não poderia deixa-la, então fui dormir com a minha mãe. Saia da Faculdade por volta das 11H30Min e já ia direto para a casa dela, levava meus pertences na bolsa e quando chegava, só jantava e ia dormir na cama com ela, cama de casal grande, cabia nos dois, e como nunca tivemos essa restrição de dormir juntos, ali estávamos. Eu sempre dormia de cueca, somente de cueca, e mamãe de camisola e calcinha, somente também, como a camisola era transparente, podia ver todo o corpo dela.

Cheguei certa vez da Faculdade, tomei meu banho, me troquei e fiquei somente de cueca para dormir, jantei e dei um tempo para poder deitar, mamãe já estava deitada, quase que adormecida, assim eu notei quando espiei ela no quarto. Deu por volta das 1H00Min e fui deitar, minha mãe já estava dormindo, mas acordei ela com o barulho e movimento que fiz quando sentei na cama.

- Mamãe: Filho, já vai dormir? Nem vi você chegando, estava cansada hoje e dormir logo, já se aprontou? Já jantou?

- Eu: Oi mãe, cheguei tem um tempo, tomei banho já, já jantei e vou deitar agora, também estou cansado.

- Mamãe: Tudo bem, deita e dorme. Encosta aqui na sua mãe e dorme agarradinho comigo, faz tempo que eu não cuido de você.

Quando morava com a minha mãe, sempre tivemos uma relação muito aberta, contava tudo para ela, ela me dava conselhos, me orientava e éramos grandes amigos.

Deitamos agarradinhos, de conchinha um com o outro, eu atrás dela só de cueca e ela de camisola e calcinha, a calcinha pode-se dizer que não valia de nada, fio dental que não tampava nada atrás, era a mesma coisa dela estar pelada.

Não sei ao certo o que aconteceu mas admito que sentir muito tesão na minha mãe, tanto tesão que o meu pau ficou duro de uma hora para outra, acredito eu que ela possa ter percebido, e até mesmo instigado, uma vez que sentir ela encostando mais ainda nele, nossa, esse momento foi único na minha vida, sentir tesão pela sua mãe e ainda por cima, ela rebolar sua bunda no meu pau? Segurei para não fazer nenhuma besteira.

Mas enfim, no final nos dois caímos no sono, estávamos muito cansado, mamãe toma conta de casa pela manhã e à tarde é professora em uma escola de educação infantil, então imagina essa rotina 5 vezes por semana? É muito cansativo. Eu trabalho de Auxiliar Administrativo o dia todo, e a noite tenho Faculdade, também costuma ser uma rotina bem cansativa.

Não sei se vocês homens percebem com vocês o que irei contar aqui agora, durante a noite, as vezes acordo para ir ao banheiro ou beber água, sempre me deparo com o meu pau duro, percebo isso na noite, e principalmente de manhã quando acordo, e no outro dia quando acordei não foi diferente, acordei e me deparei com 18cm do meu pau completamente duro, saindo para fora da cueca, mamãe estava do outro lado da cama, com a bunda para fora da camisola mostrando quase que a buceta dela, foi ai que meu pau começou a latejar de tanto tesão, não me segurei e encarei aquela bunda dela, ao mesmo tempo comecei a me masturbar com a mão por dentro da cueca, foi muito tesão.

Não resistir e me aproximei mais perto da mamãe, nisso já tinha uns 5 minutos que estava com a mão por dentro da cueca massageando meu cacete, me segurando para não gozar, foi então que passei a mão na bunda dela, primeira vez que sentir a bunda da minha mãe, era algo deslumbrante sentir a pele dela, a carne, como ela estava de ladinho com aquele rabo todo empinado para o meu lado, peguei por debaixo de uma parte da bunda dela e levantei, deu para ver metade da buceta para fora, como eu disse antes, era uma calcinha fio dental, não tampava quase que nada. Não sei ao certo mas, tenho quase certeza que ela estava acordada, diante das coisas que eu fiz com ela, impossível ela não sentir e ficar dormindo.

Tirei minha cueca e encostei a cabeça do meu pau na buceta dela, minha cabeça toda rosada, prendeu na calcinha, fiquei fazendo movimentos de penetração, não estava encaixando muito bem, até que teve um momento que a cabeça entrou dentro da buceta dela, foi outro momento mágico e que não esqueço a sensação até hoje, sentir a cabeça do seu pai entrando devagarinho na buceta de alguém, não tem como descrever isso com tanta clareza, depois de alguns minutos tentando, meu pau entrou, nossa, foi como se eu tivesse rompido uma barreira que me segurava, que nesse caso, segurava meu pau. Até ai era só a cabeça que tinha entrado, então fui enfiando o restante até o final para dentro, foi 18cm de cacete dentro da buceta dela, ela continuava intacta, sem se mexer, comi ela bem devagar, até chegar um momento que não me aguentei e estava prestes a gozar, tirei meu pau quase que todo de dentro da buceta dela e gozei bem na portinha, foi tanto leite que esporrei que desceu para as pernas, não querendo me gabar mas, costumo gozar muito, e bem grosso, fiquei ali deitado por um momento pensando no que tinha feito, e a incrível sensação que estava sentindo, foi um momento mágico, cheio de tesão.

Me levantei e fui tomar meu banho para poder ir trabalhar, sair sem falar com ela, quando cheguei por volta das 12H00Min para poder almoçar, fingir que nada tinha acontecido, e se ela percebeu o que aconteceu, ela também fingiu, dei um beijo no rosto dela, conversamos normalmente e fui almoçar. Entrei no quarto dela e percebi que ela tinha trocado o forro da cama, imaginei que teria sido porque quando gozei nela, foi tanta gala que caiu no lençol, acho que ela realmente percebeu o que tinha acontecido ali.

Não foi nenhuma transa digna de filme pornô mas, esse foi o primeiro contato que tive com a minha mãe, eu tinha apenas 18 anos, desde desse dia, sempre que dá, nos divertimos, fazemos de tudo na cama, mas isso é coisa que poderia contar para vocês nas próximas histórias.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
22/05/2018 01:08:15
Excelente conto continue
09/05/2018 00:36:47
Hmmm... interessante
08/05/2018 00:27:46
Muito bom o conto! Fiz exatamente a mesma coisa com a minha mãe quando tinha aproximadamente uns 14 anos!
07/05/2018 22:57:04
Delicia de conto, parabéns!
07/05/2018 21:35:42
Nossa que delicia de conto, tesao puro, ansioso por uma continuação.
07/05/2018 11:24:45
Muito bom...Continuação
07/05/2018 11:00:56
Porra pivete, você pegou pesado mano. Fiquei com o pau igual ferro, parça. Delícia pra porra man.
07/05/2018 06:52:11
Maravilhoso!!! Continue!!!