Aventura antiga em cinema do centro de Belo Horizonte

Um conto erótico de casbi
Categoria: Homossexual
Data: 06/05/2018 15:10:22
Nota 9.00

Certa vez em Belo Horizonte, quando ainda havia cinemas no centro da cidade, encontrei no banheiro um executivo de Brasília-DF aparentemente cinquentão terno azul marinho e gravata vermelha porte bem troncudo. Eu já casado ainda jovem e em minha melhor fase de peso (por volta de 30 anos e uns 75 quilos) Do lado dele no mictório, eu fui flagrado olhando diretamente para o seu pau...ele balançou a cabeça como se perguntasse qual era a minha. Fui lavar as mãos mas percebi que ele se voltou para mim batendo uma punheta e fazendo seu pau crescer sob sua mão até atingir uns 17 cm. Eu dei uma apalpada e uma lambida bem gostosa na cabeça do seu pau rapidamente antes de voltar para o escurinho do cinema. Ele me seguiu até o fundo do cinema onde abriu o ziper da sua calça liberando seu kct enorme...ele desceu um pouco minha calça e começou a esfregar seu caralho no meu reguinho enquanto dizia com uma voz rouca de tesão que queria me comer ali mesmo. Apesar de estar morrendo de vontade, eu disse que ali era muito perigoso. Quando me me sentei na poltrona da ponta e comecei a chupar seu pau delicioso, percebi que um carinha bem novinho se masturbava enquanto me via em ação. Ele gemia baixinho enquanto fudia minha boca como se fosse uma buceta...então depois de mamar e punhetar aquele caralho por alguns minutos senti jatos quentes de porra inundarem minha garganta. Engoli cada gota daquele leite sem desperdiçar nada. Quando vi o garoto se levantar, achei melhor sairmos dali, ele me levou para o Othon Palace Hotel onde estava hospedado. Assim que entramos no apartamento, ele me abraçou por trás mordendo meu pescoço, beijando minha boca e arrancando minha roupa. Então ele me colocou de frango assado sobre a cama e começou a lamber meu cu e enfiar seus dedos dentro de mim me deixando bem molhadinho e alargado. A cada linguada eu gemia muito e me contorcia de tanto prazer. Seu pau era avermelhado e cabeçudo apesar de ter mais ou menos 17cm...eu gemia e pedia para ele meter no meu rabo logo. Ele encapau seu caralho com uma camisinha e lubrificou mais ainda meu reguinho com um gel anestésico e de uma só vez enterrou seu pau no meu cu. Eu dei um grito alto de dor... ele me segurou dizendo carinhosamente que já tinha passado o pior. Eu sentia muita dor mas com seus beijos e seus carinhos eu fui relaxando e depois de alguns segundos ele começou a meter bem devagarinho me levando a loucura. Aos poucos eu pedia mais forte...mais rápido...ele me obedecia gritando palavrões que só aumentavam meu tesão. Depois ele pediu para eu ficar de quatro...dessa vez o pau entrou mais fácil mas o melhor mesmo era que ele metia no meu rabo e me batia uma punheta deliciosa. Quando senti que ele ia gozar pedi para deixar eu beber sua porra de novo. Ele deu uma aliviada pra segurar o gozo, sentou numa poltrona e me pediu para sentar no seu cacete. Sentado de costas pra ele com seu pau no meu rabo eu comecei a me rebolar ao mesmo tempo que ele apertava meus mamilos e me estimulava pedindo pra eu bater uma punheta... O cara gemia junto comigo: quando ele percebeu que estava perto de gozar tirou as minhas mãos do meu pau e começou a me punhetar como um louco. Assim que gozei muito na sua mão e minha barriga, o safado lambuzou meu rosto e minha boca com minha própria porra. Ele tirou a camisinha rapidamente e enfiou seu pau na minha boca...quase que imediatamente voltei a receber seu leitinho delicioso na minha garganta gulosa. Ficamos abraçadinhos enquanto descansávamos até ele dizer que tinha um compromisso em pouco tempo. Tomei um banho antes de sair já combinando mais uma trepada gostosa como esta para o dia seguinte. Mas quando o procurei ele já havia partido de volta para Brasília.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
06/05/2018 16:47:17
NEM NOMES TROCARAM E JÁ FORAM PRO HOTEL. E NEM TROCARAM REDES SOCIAIS. QUE PENA.