A tulipa rosa 1

Um conto erótico de Arthur & Gustavo
Categoria: Homossexual
Data: 01/05/2018 15:53:34
Nota 10.00

Tulipa rosa 1

"Arthur"

A vida não é como esses contos de fadas, onde o casal vive feliz para sempre. Muito pelo contrário à mesma e dura, muito dura, ela vai tentar a todo custo arrancar a sua felicidade. Se pensam que isso são palavras de um garoto depresivo, talvez seja. Portanto ter que aguentar e um dos grandes desafios da minha vida. Hoje faz 3 meses, sim o tempo passar rápido, mas a dor só aumenta. Minha vida vem se tornando um imenso oceano de tristeza, com o tempo eu consegui criar um personagem, mas qual adolescente em pleno século XXI nunca fez isso?

__ Filho você vai lá hoje? - Disse me arrancando dos meus pensamentos. Meu pai sofreu no começo como qualquer marido que perde sua esposa.

__ Vou sim pai!, e depois vou procurar emprego.

__ Meu filho para que emprego?.Você não precisa- Realmente eu não precisava , mas queria ocupar minha mente.

__ Pai minha faculdade e só à noite. E tenho que me ocupar o dia todo.

__Tá bom filho. Mas você tem que aprender a seguir em frente, sua mãe ia querer isso.

__ Eu sei pai. Vai ser difícil mas vou consegui - E assim mais um dia se começa na minha vidaDO OUTRO LADO DA CIDADE.

"Gustavo"

Acordei com uma puta dor de cabeça. Não lembro exatamente nada da noite anterior. Estava na festa, comecei a beber muito e só queria um branquinho para meter e aliviar meu extresse. Olho para o lado e a vadia ainda está do meu lado. Hoje é o aniversário da minha mãe , o que vou comprar para ela? .Já sei vou passar em alguma floricultura- me levantei e me vestir ligeiro bala"Arthur"

Bom não me apresentei, meu nome é Arthur, tenho 18 anos, olhos e cabelos negros, sou branco, eu acho meu corpo normal. Cheguei na floricultura, minha mãe adorava tulipas rosas. Hoje faz três meses que ela se foi. As pessoas dizem que devemos continuar, mas não é fácil quando perdemos alguém bem próximo.

__ Senhor aqui tem tulipas rosas?

__ tem sim. Olhe ali- Disse apontando com o indicador"Gustavo"

Cheguei na floricultura. Procurei por tulipas minha velha amava tulipas. Meu nome é Gustavo Augusto, tenho 29 anos, trabalhei muito para construir tudo que tenho, sou forte pois gosto de malhar, olhos e cabelos castanhos, 1,90. Sou bissexual , mas não quero relacionamentos só um branquinho para meter e pronto- Fui pegar em umas flores mas alguém tocou minhas mãos.

__ Desculpas senhor, não vi que você ia pegar- Respondeu um garoto com uma voz doce, meu pau subiu na hora. Lindo , olhos e cabelos negros e a boca rosada.

__ Não precisa me chamar de senhor. Eu quem devo Desculpas você estava aqui primeiro. Vou pegar aquelas- Ele apenas sorriu, meu pau já pulsava de tão duro. Fui passar por ele e não tinha como não reparar na bunda dele. Queria só pegar e fuder ele todinho dentro daquela floricultura. Comprei um arranjo de flores e levei para minha mãe"Arthur no cemitério"

Mãe hoje eu vou procurar emprego, me deseja boa sorte- Disse sentado encima da sua sepultura, já tinha colocado suas tulipas- Mãe eu não consigo continuar sem você, POR QUE ME DEIXOU? - Disse entre as lágrimas- A senhora não sabe mas preciso ocupar minha mente, sabe o que é pensar em suicídio mais de 10 vezes por dia? , não é fácil. Eu me sinto um fraco, sujo por isso. A última vez foi ontem, estava decidido ir embora desse mundo, mas não poderia deixar o pai sozinho.

"Autor"

Depois disso Arthur foi para casa o dia só começava. Foi em vários lugares , mas sempre dispensavam ele por não ter experiência.

Gustavo chegou no seu escritório...

__ cadê minha secretaria?

__ pediu as contas hoje pela manhã.

__ hoje veio um garoto a procura de emprego aqui.

__ Garoto? Tá me achando com cara da xuxa- disse a seu irmão que era um dos advogados.

__ Mandei ele vim pela tarde , para uma entrevista de emprego.

___ tá bom.

"Arthur"

Eu estava morto de cansado . Nunca recebi tantos não na minha vida. Como essas pessoas querem experiência se não me deixam trabalhar. A última alternativa era uma entrevista que tinha pela tarde. Pelo que fiquei sabendo a secretaria fugiu e pediu as contas. Essa era minha grande chance.

__ Boa tarde tenho uma entrevista , marcada para agora- falei na recepção.

__ Boa tarde. O sr Gustavo está na sala dele a sua espera .

__ Obrigado- fui na sala que fui informado ser do sr Gustavo.

__ Boa tarde- falei entrando na sala- o homem estava de costa pegando uns papéis.

__ Boa tarde.Você é o Gustavo - Disse ainda de costa para mim, mas que educação.

__ sim sou eu- então ele se virou nossos olhos se encontraram e o silêncio reinou aquela sala.

__ você é o menino da floricultura- disse surpreso.

__ sou sim e você é o senhor que ia pegar as tulipas rosas.

__ senhor não, eu não sou velho. Bom voltando ao assunto. Estou precisando de uma pessoa para trabalhar comigo. Você vai aceitar.

__ claro que sim. Quando posso começa?

__ amanhã 7:30 , tá bom para você? .Você tem quantos anos mesmo?

__ 18 senhor.

__ então tá. Até amanhã- me acompanhou até a porta .

fui para a faculdade estava no 4° período, as aulas foram normal , cheguei em casa e capotei de sono.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
01/05/2018 23:27:24
JESUS QUE ENTREVISTA FOI ESSA???? ISSO NÃO EXISTE.
01/05/2018 22:11:09
Muito legal o tema do conto. Gostei, continue.