Amando Outra Vez 18

Um conto erótico de Bruninhooo
Categoria: Homossexual
Data: 30/04/2018 23:52:11
Nota 9.90

Nós tocamos a campainha e uma espécie de mordomo veio abrir a porta e as 7 pessoas que conversavam animadamente na sala de estar pararam para nos observar.

Nós caminhamos até eles que se levantaram para nos cumprimentar e ao me aproximar deles eu vi que uma das pessoas presentes,era o Fábio,o delegado responsável pela investigação do caso do Anderson e ele ficou surpreso ao me ver ali.

Alexandre - Bem família,esse é o meu namorado,Daniel e esse é o meu filho ou melhor o nosso filho Matheus.

Com exeção do Fábio e do Vicente todos os outros ali pareciam pouco recepitivos a nossa chegada,pois além de saberem que o Alexandre tinha outro filho eles também estavam sabendo que o Alexandre namora outro homem e que esse homem ainda por cima é pai do filho biológico do Alexandre,com certeza isso devia ser coisa demais para as cabeças deles.

Alexandre - Esse é o meu pai Fernando.

O senhor que devia ter uns 60 anos me deu um aperto de mão cheio de má vontade,ele era pouca coisa mais baixo que o Alexandre e tinha cabelos grisalhos e um corpo forte,parecia uma versão mais velha do Alexandre.

Alexandre - Esse é o meu irmão Arthur.

O sujeito mal encarado me comprimentou com um aperto de mão que foi um pouco forte demais e provavelmente feito de propósito,ele parecia estar impaciente e queria sair daquele lugar o mais rápido possível,ele tinha cerca de 1,85 de altura,era bem musculoso,com os olhos e cabelos pretos e a pele branca um pouco bronzeada,era um homem bonito,mas aquela cara enfezada estragava toda a aparência dele.

Alexandre - Essa é a minha cunhada,Geovana.

Eu não gostei daquela mulherzinha logo de cara,ela tinha cara de ser bem enjoada,loira,dos olhos azuis,alta e extremamente magra,devia ser uma daquelas loucos que passam fome para manter o corpo,além do rosto que parecia já ter passado por várias plásticas,apesar de não ter gostado dela ela foi a primeira ali que me dirigiu a palavra.

Geovana - Prazer querido. Disse com um sorriso super falso no rosto.

Eu - O prazer é meu.

Quando as apresentações iam continuar o Angel começou a pedir colo,já estava um pouco tarde e ele devia estar ficando cansado.

Angel - Papai colo.

Alexandre - Deixa que eu pego ele amor. Disse pegando o Angel no colo.

Alexandre - Essas sãos as minhas sobrinhas,a mais velha é a Laura e a caçula a Ana.

As duas eram bem fofinhas a Laura devia ter uns 13 anos,tinha os cabelos castanho claro compridos e dava para perceber que era uma garota bem vaidosa,já a Ana devia ter uns 5 aninhos e era a cara do pai.

Ana - Quem é o bebê no colo do Tio Xande?

Eu - É o meu filho,Angel.

Ana - Nossa bem que ele parece um anjinho mesmo,só que no caso dele ele não tem asas. Disse arrancando risos de todos.

Ana - Qual a idade dele?

Eu - Ele tem 3 anos.

Ana - Eu tenho o dobro da idade dele eu tenho 6. Disse fazendo o número seis com os dedinhos.

Ana - Ele é seu filho com o Tio Xande? Ele saiu da sua barriga ou da barriga do Xande?

Geovana - Essa menina é impossível rsrs,chega de tantas perguntas.

Alexandre - Esse é meu irmão Fábio.

Fábio - Sem essas apresentações formais,porque Daniel e eu já somos velhos comhecidos. Disse me abraçando.

Alexandre - Vocês se conhecem da onde? Perguntou um pouco enciumado.

Eu - O Fábio é quem está cuidando do caso do Anderson.

Fábio - Exatamente,você fez a escolha certa irmão,o Daniel é um guerreiro e muito gente boa.

O Fábio parecia um pouco com o Alexandre,só que ele era mais baixo com 1,80 de altura e tinha cabelo preto raspado bem curto.

Alexandre - Por fim esse aqui é o meu amigo e braço direito,Vicente.

Vicente - Pois é,o melhor sempre fica para o final.

Conforme o Alexandre ia me apresentando aos familiares dele ele apresentava o Matheus também.

Vicente - Brincadeiras a parte é bom saber que o meu amigo finalmente encontrou alguém que faça ele feliz.

Fernando - O jantar já está pronto,venham todos por favor.

Nós estavamos na mesa jantando,apesar da comida estar muito boa,aquele jantar teria sido insuportável,se não fosse as piadas que o Vicente e o Fábio contavam e que faziam todos rirem com exeção do casal azedo Arthur e Geovana e derepente o Arthur solta.

Arthur - Então Daniel você trabalha?

Eu não gostei nem um pouco do tom dele ao fazer aquela pergunta e todos ali perceberam qual era a intenção dele,a vontade que eu tinha era de marda-lo tomar no cu,mas ao invés disso eu disse.

Eu - Óbvio que sim,eu sou arquiteto.

Laura - Você é arquiteto que legal! Disse empolgada.

Laura - Eu quero fazer faculdade de arquitetura também.

Geovana - Você ainda é muito nova pra saber o que quer fazer. Estava bem nítido que ela não tinha gostado de ver a admiração da filha dela por mim.

Fernando - Que isso Geovana,nunca é cedo pra pensar nessas coisas,e você Matheus já pensa na sua futura profissão?

Matheus - Sim,eu quero ser juíz pra colocar todos os bandidos e corruptos na cadeia.

Alexandre - Assim que se fala filhão.O Frank eu já sei que quer fazer economia.

Frank - Economia ou administração.

Aquele assunto sobre as futuras profissões das crianças tirou um pouco do clima pesado que estava naquela mesa,depois que a sobremesa foi servida nós fomos para a varando tomar um vinho,o Angel e a Ana brincavam animados pelo jardim e o Fernando conversava com o Matheus,o Frank e a Laura.

Eu não estava suportando as olhadas indiscretas que o Arthur dava pra mim,se ele queria me deixar desconfortável ele estava conseguindo,então quando o Angel parou de brincar e veio dormir no meu colo foi minha tábua de salvação.

Nós nos despedimos de todos,o Alexandre já estava me esperando no carro com as crianças,mas eu precisei ir no banheiro antes e quando eu já estava saindo o Fernando veio até mim.

Fernando - Bem Daniel,antes que você fosse eu queria te pedir desculpas por quakquer desconforto que você tenha passado aqui na minha casa. Pela primeira vez eu senti sinceridade da parte dele ao vir falar comigo.

Eu - Não precisa se desculpar,foi um prazer conhecer o senhor.

Eu apertei a mão dele e sai dali rapidamente entrando no carro.

Alexandre Narrando

Mesmo não tendo sido 100% agradável,o jantar com a minha família foi melhor do que eu esperava,pelo menos não ouveram discussões como era de costume.Como a casa do meu pai ficava mais perto do prédio do Daniel do que da minha casa,nós fomos para o apartamento dele e todos nós dormimos lá.

Durante o domingo nós ficamos em casa mesmo e não houve grandes acontecimentos e na segunda-feira nós estavamos voltando a rotina.

Daniel - Amor eu tenho que chegar no escritório mais cedo hoje,você se importa de levar as crianças pra escola?

Eu - Claro que não amor,pode ir.

Daniel - Então tchau,tô indo. Disse me dando um selinho e saindo.

Depois que as crianças terminaram de se arrumar,nós tomamos café juntos e eu deixei o Angel na creche e em seguida deixei o Frank e o Matheus na escola e fui para a empresa.A manhã foi extremamente corrida e eu só pude relaxar no horário do almoço com o Vicente,enquanto comíamos em um restaurante e o assunto girava em torno do jantar que houve na casa do meu pai no sábado.

Vicente - Vocês formaram uma bela família mesmo,parabéns.

Eu - Obrigado,eu só tive que me controlar pra não dar um soco na cara do Arthur.

Vicente - Eu sei que é seu irmão,mas ele e a Geovana são dois infelizes.

Eu - O casamento deles hoje em dia não passa de faxada.

Vicente - Mas agora mudando de assunto...será que o Daniel não tem uma amiga pra me apresentar não?

Eu - Haha,você não perde tempo mesmo...vou perguntar pra ele,quem sabe ele tenha.

Daniel Narrando

Segunda-feira pra mim sempre foi o dia mais chato da semana,depois do trabalho eu fui buscar o Angel na creche e nós fomos para casa e depois de tomar um banho e trocar de roupa,eu fui até o quarto do Matheus conversar com ele.

Eu - E ai mocinho,achou que ia escapar da nossa conversa?

Matheus - Que conversa?

Eu - Sobre os seus “lances“

Matheus - Lá vem a lição de moral.

Eu - Não é lição de moral não,eu só vim esclarecer algumas coisas com você,na verdade duas coisas.

Matheus - O que?

Eu - A primeira delas é que se você não sente nada por uma garota e só quer ter um “lance“ por diversão,você tem que deixar isso claro desde o início okay?

Matheus - Claro.E qual é a segunda?

Eu - Usa camisinha,sou novo demais pra ser avô. Disse saindo do quarto.

3 Meses Depois

Estamos agora na metade do mês de junho e falta menos de duas semanas para o meu aniversário de 32 anos,mas eu não planejava fazer uma festa ou nada do tipo.O meu namoro com o Alexandre estava cada vez melhor e a cada dia que se passava nós ficavamos mais apaixonados um pelo outro,eu também me tornei bastante amigo do Vicente e do Fábio.As investigações sobre o assassinato do Anderson estavam avançando e o Fábio tentava me manter informado,mas haviam muitas coisas que ele não podia me contar.

Naquela sexta-feira eu estava atolado em trabalho e tive que visitar duas obras,tanto que eu não vi a Gabriela o dia inteiro e só fui vê-la no final da tarde,quando eu já estava me preparando para ir embora.

A Gabriela já estava com quase 4 meses de gestação e já tinha uma barriguinha de grávida notável,apesar de não ser muito grande ainda.

Eu - Como é que a minha grávida preferida está hein? Disse fazendo carinho na barriga dela.

Gabriela - Tô ótima e você Dani? Eu nem te vi hoje.

Eu - Tive que visitar duas obras,a gente teve alguns problemas com o solo do terreno também,segunda-feira nós vamos ter que ir até lá e avaliar tudo de novo.

Gabriela - Nossa que chato né.

Eu - Muito,mas mudando de assunto você já sabe o sexo do bebê?

Gabriela - Eu vou descobrir na próxima consulta,tô anciosa.

Nós conversamos mais um pouquinho e depois eu fui buscar o Angel e nós fomos pra casa,ou melhor pra casa do Xande,as vezes ele ficava no meu apartamento,mas nos últimos dias nós temos ficado mais na casa dele,pois lá tem mais espaço para as crianças e nós tinhamos mais privacidade como casal.

Assim que eu entrei na casa eu não vi ninguém,então eu fui com o Angel até o o banheiro dar um banho nele e em seguida tomei um banho também,ao sair do banheiro eu fui até a cozinha e o Alexandre e o Angel estavam brincando sentados na mesa,o Angel realmente gostava muito do Xande e vice versa,eles estavam rindo bastante,até que perceberam que eu estava ali.

Eu - Vocês dois estavam aprontando,na minha ausência né rsrs.

Angel - Eu não tava aplontando não,eu tava blincando com o papai;

Eu - Brincando com quem? Perguntei assustado.

Angel - Com o papai Xande.

Eu fiquei meio sem graça ao ouvir o Angel chamando o Alexandre de papai,não era culpa dele,pois ele só tinha 3 aninhos e não tem noção das coisas direito,mas eu não queria que parecesse que eu estava jogando essa responsabilidade pra cima do Xande.

Eu - Filho...vai lá no jardim brincar com o Matheus e o Frank,enquanto eu faço um lanche pra você.

Ele se levantou do colo do Alexandre e foi até o quintal sem questionar.

Alexandre - Que cara é essa Dani? Você estava sorrindo ainda agora pouco e agora tá desse jeito.

Eu - Essa é a primeira vez que o Angel te chama de pai?

Alexandre - Ele já chamou algumas outras vezes,mas é bem recente isso.

Eu - Caramba Alexandre você tinha que ter me avisado.

Alexandre - Mas porque esse auê todo? Você não quer que ele me chame de pai é isso?

Eu - Você não tá entendendo o meu lado é que...

Alexandre - Daniel ele só tem 3 anos e nós estamos criando eles praticamente juntos,é normal que ele se considere o meu filho e eu me considero o pai dele também.

Eu - Não é isso Xande é que...eu sei o que algumas pessoas falam de mim pelas costas e eu não quero que fique parecendo que eu sou algum tipo de aproveitador e que estou jogando a responsabilidade dos meus filhos pra cima de você.

Alexandre - Eu não ligo para o que essas pessoas dizem,eu te amo Daniel,eu conheço o seu caráter.

Eu - As vezes eu acho que eu não te mereço sabia? Disse abraçando ele.

Alexandre - Eu é que não mereço você lindo e para de ligar pro que esses invejosos dizem. Disse me beijando.

Eu - Me desculpa amor.

Alexandre - Eu só desculpo com uma condição.

Eu - Qual?

Alexandre - Se você fizer amor comigo.

Eu - Mas isso vai ser um prazer. Disse beijando ele.

Nós subimos até o quarto dele e começamos a tirar as nossas roupas,primeiro eu tirei a camisa do Xande,dando de cara com aqueles músculos que eu tanto amava,eu fui beijando os gominhos da barriga dele um por um até chegar no seu short,eu abaixei o short e a cueca com tudo dando de cara com o pau dele que estava completamente duro,então eu comecei a chupar ele,eu ia da cabeça até a base,enquanto sentia o gosto do líquido pré-gozo dele na minha boca,algum tempo depois ele pediu que eu levantasse e me deitasse na cama.Eu deitei e ele subiu em cima de mim e tirou a minha camisa e começou a chupar os meus mamilos e chegava a dar leves mordidas nele,que me arrepiavam.

Eu - Ai para de me torturar vai. Disse gemendo de tesão.

Alexandre - Fica de bruços vai.

Eu fiquei de bruços e ele arrancou o meu short junto com a minha cueca e deu um tapa forte na minha bunda,em seguida ele a abriu com as duas mãos e meteu a língua no meu cuzinho e eu quase fui a loucura e comecei a rebolar na cara dele e pedi para que ele metesse logo.

Eu - Mete logo vai.

Então ele pegou o lubrificante na gaveta e depois de passar um pouco no meu ânus ele foi enfiando devagar e depois que a cabeça já tinha entrado ele enfiou todo o resto de uma vez.

Alexandre - Ahhh delícia.

Eu - Ahhh isso vai.

Então ele começou a bombar e as vezes ele parava de meter para beijar a minha boca enquanto o seu pau pulsava dentro de mim e eu me arrepiava todo de tesão.Depois de ficarmos bastante tempo transando comigo de bruços,eu deitei na posição frango assado e ele encaixou bem a glande dele na minha entrada e enfiou tudo de uma vez novamente me arrancando um grito de tesão.

Eu - Ahhh!

Ele começou a beijar a minha boca,enquanto bombava com força no meu cuzinho que não parava de piscar no pau dele e eu arranhava as suas costas,quando eu já não aguentava mais de tanto tesão eu anunciei meu orgasmo.

Eu - Ahh,vou gozar.

Eu gozei melando as nossas barrigas e ao gozar eu contrai a minha entrada e isso deixou ele com mais tesão ainda fazendo com que ele despejasse cinco jatos de porra dentro de mim e em seguida ele me deu um beijo de tirar o fôlego.

Alexandre - Eu te amo loirinho

Eu - Eu te amo grandão.

CONTINUA...

Lebrun: Verdade,eles merecem muito essa felicidade.

Faelsilva: Que bom que está gostando,comente aqui mais vezes querido.

Geomateus: Eles merecem muito.

Guardian: Muito amor envolvido.Tenho certeza que você amou o Arthur e a Geovana kkkkkkk.Tanto o Frank quanto o Matheus terão as suas histórias desenvolvidas,mas a do Frank terá um pouco mais de atenção,por ser correspondente a temática do conto.

Valtersó: O Matheus tem outros lances rsrsrs.

Guigo: Pois é nem toda a família reagiu bem,mas nada é perfeito.

TatahFuracão: Você acertou o Arthur já começou a implicar.

Renato Mota: O comentário mais comportado que você já fez até hoje kkkkkk.Fico feliz que esteja gostando.

Alex Curte Peludo: Voltei o mais rápido que eu pude rsrs.

Hyan: Babado forte kkk

Aleexand: Fico muito feliz que goste e acompanhe os meus contos,eu realmente fiquei surpreso com o sucesso de "Eu Te Amo Porra!!!" Beijão e comente aqui mais vezes.

Não esqueçam de comentar um beijão a todos e até breve

BEIJOS

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
30/06/2018 14:13:07
Sem muitos comentários.... Excelente!!!! Bora pro próximo....
02/05/2018 10:35:18
Obrigado pela sequencia..... está otimo estou aki doido pra saber o q virá à seguir
01/05/2018 16:24:53
Parabéns pela belíssima história, Bruninho. Espero que eles se casem e sejam felizes com seus filhos!
01/05/2018 10:41:57
#bem_conturbado e a parte ~interessante (foda) <bem_resumido.
01/05/2018 08:59:33
O mundo tem pessoas que infelizmente o dinheiro é sinônimo de diferenciação social, em que o melhor é ter status.
01/05/2018 06:59:17
Realmente. Amei conhecer um pouco mais o Arthur e sua dileta esposa Geovana, um upgrade de personagens no conto (só que não). Agora o Alexandre é re-apresentado e o Daniel fica sabendo do parentesco. Muito legal. Que situação desconfortável. Seria surpresa se já não soubéssemos que a família é a "best ever". Ainda bem que a "matriarca" já tá lá do outro lado também. Se estivesse viva seria MUITO MAIS desagradável. Periga colocar "jagunço" pra pegar o Dani. Aff. Não entendi a atitude do Sr. Fernando no final da maravilhosa reunião familiar. Bateu arrependimento? Cuidado com a revisão do texto: fachada (de espaço físico ou como figura de linguagem) ainda é com "Ch" e não "X". Há outra palavra também grafada errado mas esqueci qual é. Como assim a história do Frank tem a ver com o tema do conto e a do Matheus não? Isso é spoiler, sabia! Típico do senhor. Solta uma informação dos 45 do segundo tempo para deixar a gente com mil caraminholas na cabeça. Aff. Não entendi isso mesmo. O que a história do Frank tem a ver com "amar outra vez", adoção, superação, etc. Não sei se gostei dessa "informação". O que a gente faz com autor que adora suspense e solta spoiler no comentário que eclipsa todo o conto. Você gosta de me irritar, né Bruno. Jesus Coroado. Aff. Fazer o que? Esperar o que tem nessa sua cabeça para desenvolvimento.
01/05/2018 03:20:15
cada vez melhor
01/05/2018 00:38:14
Sim sim, nada é perfeito. Infelizmente. Abração.
01/05/2018 00:31:55
Adorei o desfecho desse capítulo! Boa a receptividade de Vicente, Fábio e Fernando (no final) Arthur, humm... Sei não! Será que Vicente e Gabriela vão formar casal? Seria legal! A cada capítulo amando Xande, o grande! Parabéns querido, nota 11
01/05/2018 00:29:14
INSUPORTÁVEL ESSA FAMÍLIA DE ALEXANDRE. MESMO NO FÁBIO NÃO CONFIO MUITO. SE FOSSE DANIEL EU TERIA DADO UMA RESPOSTA A ALTURA PRO ARTHUR NA HORA DO JANTAR. ESPERO QUE ELE NÃO DEIXE PASSAR MAIS DESAFOROS. JÁ SOFREU DEMAIS, E ALEXANDRE TEM MAIS É QUE FICAR DO LADO DE DANIEL NISSO TUDO. MAS VEREMOS... JAMAIS IMAGINARIA QUE O DELEGADO QUE CUIDA DO ASSASSINATO DE ANDERSON É IRMÃO DE ALEXANDRE.